P. 1
Indentificação dos riscos provocados pela Construção Civil

Indentificação dos riscos provocados pela Construção Civil

|Views: 12.328|Likes:
Apresentam-se os vários riscos a que o trabalhador encontra-se exposto, decorrentes das atividades de construção civil e as medidas de prevenção que devem ser adotadas para a preservação da vida dos trabalhadores,
Apresentam-se os vários riscos a que o trabalhador encontra-se exposto, decorrentes das atividades de construção civil e as medidas de prevenção que devem ser adotadas para a preservação da vida dos trabalhadores,

More info:

Published by: Antonio Fernando Navarro on Jul 30, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/01/2015

pdf

text

original

Reforço de mobilização contra a ocorrência de acidentes Riscos da Construção Civil

Engº Antonio Fernando Navarro, M.Sc.

7/30/2010

1

Riscos da Construção Civil
A atividade de construção civil é uma das que causa grande número de acidentes do trabalho. Estudos mais recentes apontaram para tal uma série de razões, dentre as quais:
â Tempo relativamente curto de obras; â Baixa qualificação profissional dos empregados, gerando, por

conseguinte elevada rotatividade de pessoal; â Maior contato pessoal dos empregados com os itens da construção, gerando maior exposição aos riscos; â Maior proximidade das pessoas durante a execução das tarefas; â Realização das tarefas sob condições climáticas, muitas vezes desfavoráveis, etc.
7/30/2010

Alguns aspectos dos Riscos da Construção Civil Independentemente das causas apontadas anteriormente, percebe-se que ao longo de uma obra um empregado pode se acidentar mais de uma vez.
4 Será a desatenção no cumprimento de suas

rotinas? 4 Será a falta de uma adequada supervisão? 4 Será a falta de orientação? 4 O que conduz a esses resultados?
7/30/2010

Quase sempre são acidentes não incapacitantes e que tendem a atingir os membros superiores e inferiores dos trabalhadores, até mesmo por serem atividades consideradas braçais. Podem ser devidos a:
ü ü ü ü ü

falta de treinamento do empregado; falta de procedimentos; mal estar súbito do trabalhador; Falta de capacidade física do trabalhador; distração, etc.

7/30/2010

Os acidentes e incidentes pessoais ocorridos em 2007, que têm maior repetição são:
4 Prensamento de membros, principalmente mãos; 4 Presença de corpos estranhos nos olhos; 4 Picada de animais peçonhentos; 4 Projeção de materiais sobre partes do corpo; 4 Lesões pela utilização de ferramentas portáteis /

manuais; 4 Quedas de mesmo nível ou de diferentes níveis;
7/30/2010

Ao transportar peças de maior comprimento verifique se a extremidade livre pode atingir seu colega.
7/30/2010

7/30/2010

Ao transitar pela obra verifique onde pisa, porque isso pode causar a sua queda. Cuidado nas travessias de valas.

Quando a passagem for estreita deixe o seu colega passar primeiro. A pressa faz com que você sofra um acidente mais rápido.

7/30/2010

Não mexa nas instalações elétricas se você não é o especialista. Se o for, não esqueça de usar os EPIs corretos.
7/30/2010

Nunca transite sob cargas suspensas ou em locais onde estejam sejam realizadas atividades em que haja a possibilidade de projeção ou queda de materiais.
7/30/2010

A vítima pode ser você.

Brincadeiras no ambiente de trabalho quase sempre não terminam bem. Normalmente quem brinca não gosta que ninguém brinque com eles.

7/30/2010

Use sempre a ferramenta correta e da forma correta. Uma ferramenta sem controle pode ser uma arma, ainda mais quando está se realizando trabalhos em altura.
7/30/2010

Não trabalhe com escadas improvisadas. A vítima pode ser você.

7/30/2010

Se você não quer cair olhe bem por onde pisa. Sob uma poça de água pode estar escondido um buraco.
7/30/2010

Trabalhar sem os EPIs recomendados para a atividade pode significar acidentes.

7/30/2010

Bagunças no local de trabalho são sempre fatores de risco.
7/30/2010

Segurança não é adivinhação. Temos que cumprir os procedimentos determinados para a atividade.
7/30/2010

Alguns aspectos dos Riscos da Construção Civil

A indústria da construção civil destaca-se por empregar mão-de-obra intensiva. Associandose ao fato de que os serviços tendem a ser concentrados, há um risco maior até mesmo pela proximidade dos trabalhadores. Assim, tem-se mais acidentes envolvendo, principalmente os membros superiores.
7/30/2010

7/30/2010

7/30/2010

7/30/2010

7/30/2010

7/30/2010

7/30/2010

7/30/2010

Condição insegura provocada por falta de um adequado posicionamento das patolas – falta de cumprimento de procedimento. O motorista poderia ter se acidentado seriamente.
7/30/2010

Acidentes são evitáveis?
Muitos são os profissionais que afirmam que os acidentes não podem ser evitados - São os fatalistas. Outros afirmam que os acidentes podem e devem ser evitados - São os otimistas. Em qual grupo você se situa?
7/30/2010

Considerações gerais
Um acidente, principalmente de trabalho, pode ser ocasionado por uma série de fatores, como: 4 Fadiga; 4 Stress; 4 Desatenção; 4 Treinamento; 4 Supervisão; 4 Falhas operacionais; 4 Falhas de materiais;
7/30/2010

Considerações gerais
4 Fome; 4 Pressa; 4 Tensão emocional; 4 Falhas de processo; 4 Falta ou falha de procedimentos; 4 Cansaço (físico, mental, etc.); 4 Improvisação (atalhos); 4 Causas naturais;
7/30/2010

4 Fatores externos, etc.

Disco de esmerilhamento

7/30/2010

Emenda de fio condutor elétrico

7/30/2010

Lingada de cabo de aço

7/30/2010

Tomadas elétricas improvisadas

7/30/2010

Escova metálica rotativa

7/30/2010

Grampo de fixação de cabo de aterramento

7/30/2010

Conexão de cabo de solda elétrica

7/30/2010

Cabo de aço rompido, de bate estacas

7/30/2010

Mangueira de acetileno

7/30/2010

Montagem de cobertura

7/30/2010

Acidente com transporte

7/30/2010

Acidente com escavadeira

7/30/2010

Para ilustrar esta apresentação procuramos trabalhar com os resultados obtidos através do trabalho ESTATÍSTICA EM SÍNTESE ACIDENTES DE TRABALHO INQUÉRITO AOS TRABALHADORES SINISTRADOS, realizado no ano de 1998 na Europa.
7/30/2010

Acidentes do trabalho de acordo com a idade

7/30/2010

A maior parte dos acidentes de trabalho verifica-se no grupo etário dos 25 aos 44 anos. A freqüência de acidentes ocorridos nos homens é cerca de 3 vezes superior à ocorrida nas mulheres. Também verifica-se que 37,8% dos acidentados possui o ensino básico. Cerca de 7,4% não tem qualquer nível escolar, enquanto que 2,3% possui nível superior.

7/30/2010

Acidentes do trabalho segundo a natureza

7/30/2010

Conforme se pode verificar no gráfico anterior, 94.7% dos empregados vítimas de acidentes sofreram injúrias na realização de suas atividades laborais, enquanto que os demais, ou seja 5.3% do total foram vítimas de acidentes de trajeto. Nesse caso a maior parte ocorreu durante o percurso habitual (90,4%) às suas residências ou dessas ao local de trabalho. Contribui para a elevação desse percentual a maior quantidade de pessoas que se desloque à pé, de bicicleta ou de motocicleta.
7/30/2010

Possibilidade do acidente de trabalho ser evitado

7/30/2010

7/30/2010

Conseqüências psicológicas dos acidentes do trabalho

7/30/2010

7/30/2010

Acidentes de trabalho, segundo a freqüência das características negativas do trabalho

7/30/2010

80% dos trabalhadores sinistrados afirmaram que o trabalho por eles realizado apresenta características negativas. A característica negativa do trabalho referida com mais freqüência foi o trabalho “Cansativo”, citada por 69% dos sinistrados. O trabalho “Perigoso” foi referido por 46% inquiridos e, o “Repetitivo”, por 35%.

7/30/2010

Acidentes segundo as causas

7/30/2010

As causas mais freqüentes de acidentes (trabalho e trajeto) são os “Movimentos do corpo que provocam lesões internas” e “Perda de controle sobre máquinas, ferramentas, meios de transporte ou animais”. As partes do corpo mais atingidas, nos acidentes de trabalho, são as “Mãos” e o “Tronco”; nos acidentes de trajeto são os “Membros inferiores e superiores”.
7/30/2010

64,8% dos acidentes de trabalho resultaram incapacidades temporárias parciais enquanto que as incapacidades temporárias absolutas foram conseqüência de 12,2% das lesões. No que diz respeito às incapacidades permanentes, as mesmas foram referidas por 7,1% dos sinistrados sendo 0,2% incapacidades permanentes e absolutas para qualquer profissão. 15,8% dos acidentes não resultou qualquer incapacidade.
7/30/2010

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->