Você está na página 1de 13

PROJETO: FLOCLORE BRASILEIRO

TEMA: O SABER FOLCLÓRICO

CRÉDITO DO PROJETO: DENISE IBARRA

CICLO I 2ºE 3ºANO


2010 E 2011
O SABER FOLCLÓRICO

APRESENTAÇÃO

Além de tudo o que se aprende na escola e nos livros, há um conhecimento que vem da
convivência com as pessoas e é passado de geração a geração.
Muitas vezes, não se sabe quem inventou algumas histórias, brincadeiras de ruas,
danças, festas, cantigas, um tipo de renda ou de artesanato. Isso tudo nasce do saber
popular, conjunto dos jeitos de ser, pensar e agir de um povo, preservados pela tradição e
repetição.
Essas manifestações são chamadas de folclore, e não podemos deixar de mostrar aos
alunos o quando tudo isso faz parte da nossa história, dos nossos costume.
Devemos aproximar o aluno da alma do país, levá-lo a conhecer seu passado para
entender o presente e valorizar este legado, respeitando ainda mais a pessoas mais
idosas. Precisamos preservar toda a poesia, a ingenuidade e a pureza da nossa
sabedoria popular.
Com a globalização, corremos o risco de ver destruído o nosso saber folclórico, por isso é
necessário que conhecermos os aspectos característicos do nosso povo e preservemos o
nosso SABER FOLCLÓRICO.

INTRODUÇÃO

FOLCLORE também é literatura. As inspirações do romantismo e muitas correntes do


modernismo são tirados do folclore.
Nosso folclore também, é uma fonte inesgotável de conhecimento para os alunos.
É de valor integral na cultura. Merece ser estudado e aproveitado sob todos os aspectos:
intelectuais, artísticos, educacionais, técnicos, recreativos. Assim, o folclore favorece a
aprendizagem e facilita o trabalho.
Forma bons hábitos e atitudes. Desperta sentimentos de emoção, entusiasmo e amor
pelas coisas de nossa terra. Leva a conhecer os aspectos característicos de nosso povo e
a preservar as nossas tradições.
JUSTIFICATIVA
Iniciar o assunto de folclore através de vídeo, depois cantiga de rodas e mostrar livros de
lendas para os alunos. Ver a reação dos alunos, deixar que os mesmo façam livremente
seus comentário. Levar também para sala cantigas de rodas e fazer que juntos possamos
resgatar essa brincadeira do tempo dos nossos avós. Brincadeira de adivinhação com as
crianças também ajuda na oralidade dos alunos.
Tudo deve ser feito com muita espontaneidade para que os mesmo possa ir formalizando
sua aprendizagem e seus conhecimentos prévio. Através de pesquisas, exposição e
oficina de arte os alunos vão chegando a uma conclusão sobre folclore: O saberes do
folclore.
O importante e deixar os alunos se manifestar com suas ideias e seus conhecimentos, só
se aprende construindo, participando do próprio conhecimento.
OBJETIVOS:
1. Conceituar a palavra “Folclore”.
2. Descobrir as principais manifestações folclóricas do nosso país.
3. Levar os alunos a pesquisar as características, a importância e a influência do
folclore na educação.
4. Resgatar no folclore as brincadeiras e brinquedos populares.
5. Perceber que a parlenda faz parte da nossa cultura; brincar em grupo; trabalhar
movimentos e coordenação motora.
6. Desenvolver a linguagem e escrita por meio de cantigas de rodas, trava-língua,
adivinhas: conhecer diferentes gêneros textuais: incentivar os alunos a ler de forma
convencional: promover a leitura e a consulta de textos de cordel.
DESENVOLVIMENTO E ALGUMAS ATIVIDADES

PORTUGÊS

• Leitura de textos: informativo, lendas e parlendas, cantigas de rodas, adivinhação e


provérbios.
• Textos fatiado e lacunado.
• Escrita, ortografia: ce,ci,ç – ge,gi,gua,gue,gui e guo – palavras com M no final e M
antes de B e P.
• Pontuação: ponto final, vírgula, dois pontos e travessão.
• Ditado parlenda e cantiga de roda.
• Confecção de livrinho de adivinhação, provérbios , trava-língua, lenda, frases
feitas, frase de para-choque e cantigas de roda.
• Pesquisar, com os avós, pais , vizinhos, as suas brincadeiras de crianças
preferidas.
• Vídeo: O curupira , Festa no Céu e Iara.
• Músicas: a professora passará os alunos letras de músicas folclóricas para
atividades ortográficas com as mesmas: classificar as palavras de acordo com o
número de sílabas, acentuação gráfica, rimas, etc.

HISTÓRIA E GEOGRAFIA

Vamos pesquisar cada Região mostrando seus Saberes Folclóricos.


Leve um mapa para sala, assim os alunos poderão se localizar onde fica cada Região do
nosso País.
Região Norte: Brincadeiras: pipa
Lendas: Boto, Iara e Curupira.
Danças: Siriri, Carimbó, Lundu e Boi-bumba.
Artesanato: Cerâmica, colar feito de semente e cumbuca preta.
Crença: Canto do Acauã e Saci Amazônico.

Região Nordeste
Brincadeiras:Manja e Galinha.
Lenda: Lobisomem.
Danças: frevo, Bambelô,Caboclinha, Maracatu e Forró.
Artesanato: Rendas e Cestas.
Crença: amuleto e talismã.

Região Centro-oeste
Brincadeiras: Anelzinho e pedir cantinho.
Lenda: Mula-sem-cabeça.
Danças: volta senhor, recortado(som de viola) e serra moreninha.
Artesanato: Tecelagem.
Crenças: chifre de boi (prosperidade), Assobio à noite (atrai cobra), ferradura(atrai sorte) e
trevo de 4 folhas( quem achou sinal de sorte).

Região Sudeste
Brincadeiras: peteca, cata-vento, esconde-esconde e balança caixão.
Lenda: saci-pererê.
Danças: catira, quadrilha, dança dos velhos e café.
Artesanato: madeira e pedra de sabão.
Crença: ovo no telhado ( se colocar ovo no telhado e oferecer a S. Clara, pedindo para a
chuva).

Região Sul
Brincadeiras: batatinha frita, pular corda.
Lenda: Boitatá.
Danças: chimarrita, fandango, chula, pau-de-fita.
Artesanato: artesanato popular – traineira (Santa Catarina).
Crenças: São Benedito e Bruxas.

Vídeo: Sesinha – Folclore

Confecção de um cartaz : O SABERES FOLCLÓRICO

CIÊNCIAS NATURAIS ( Interdisciplinar)

O pé do sapo tem chulé!

1º Etapa

Cantiga folclóricas: nesta etapa, de sensibilização, trabalhar com os alunos as cantigas de


roda que falem de sapo.
Sugestões de cantigas: Sapo Cururu e O sapo não lava o pé.
Explore a cantiga.
Hábito de higiene.
Fazendo cartazes.

2º Etapa

Além das cantigas , o sapo pode ser encontras no folclore brasileiro nas adivinhas, na
trava-língua e nas anedotas.

3º Etapa

História de sapo
Uma das versões da história “ Festa do céu” tem como personagem central o sapo e não
o jabuti ou o cágado. O bom será explorar o conto.
Vamos fazer a rescrita da história, vamos dar um outro final.

4º Etapa

Origami de Sapo ou brinquedo sapo pega musca.

5º Etapa

• Classificação dos animais: mamíferos, anfíbios, répteis etc.


• diferenciando sapos de rãs e
• desenvolvimento dos sapos.
ARTES

Feito com as mãos, vamos pesquisar artesanato mais comum: madeira, palha, tecido,
palha, barro e sabugo , são elementos encontrado na natureza, e os artesão criam vários
objetos como: cesta, bonecos, colher de pau, panela de barro, tudo isso se transfona na
mão de um artesão.

O artesanato brasileiro tem muitos utensílios de madeira e barro.

As danças e festas populares fazem parte do nosso folclore como: carnaval, quadrilha,
trevo, trios elétricos e os famosos bonecos gigantes.
É ora de colocar em prática na aula de arte: o tapete mágico.

Material necessário: tecido algodão cru, chita, tinta para pintura.

Vamos fabrica nossos próprios brinquedos.

PROJETO LEITURA

Lendas brasileiras:
Lenda da Mandioca,
Negrinho do pastoreiro;
O curupira;
O Saci-pererê,
Vitória Régie e
A mula-sem-cabeça.

Cantigas de rodas:

Terezinha,
Ciranda cirandinha;
Atirei o pau-no-gato;
Se essa rua fosse minha;
Fui no Tororó e tantos outros.

Leitura de cordel.
CULMINÂNCIA:

Exposição dos trabalhos dos alunos,cartazes, livrinhos e brinquedos feitos pelos próprios
alunos. Pedir que as mães tragam algum artesanato de casa para completar a nossa
exposição.
Fazer convite para ser entrega para a equipe da escola e professores de outras séries.

Avaliação:

Os alunos serão avaliados da seguinte maneira:


1. Autoavaliação,
2. Avaliação da professora (ficha de cada aluno).
3. Avaliação: leitura, escrita, múltipla escolha, desenho e textos lacunados ou
fatiados.

Referências biográficas:

CÂMARA de Almeida Oneida, Rimando e aprendendo: criatividade na pré-escola, ed.


Livraria Pioneira – SP, 1986.

Sítio do Picapau Amarelo, Por dentro de tudo; vol. 1 ; ed. Globo, 2007.

ALMEIDA de Mendes Maria Theodora: Quem canta seus males espanta, ed. Caramelo,
SP, 1998.

Projeto Escola, Ed. Infantil, nº 04 , 5 e 6 ed. Online, SP.

FOLCLORE, edição especial, ed. Lua das Artes , SP.

_________, Projeto Escolares Especial, ed. Online, SP.

_________, Guia Escolar – extra, ed. Astral, 2010.

www.luaastral.com.br

www.revistaonline.com.br

revistas.educacao@astral.com.br

YouTobe: ver o que é folclore e as lendas ninguém me contou eu vi.


SUGESTÕES DE
ALGUMAS
ATIVIDADES
TAPETE MÁGICO DA TURMA
...............................................

MATERIAL: tinta para tecido Acrilex, pincéis, caneta para tecido


Acrilex, chita (tecido de algodão), franja (acabamento) e tecido de
algodão (tipo pano de saco para as pinturas).
COMO FAZER: Cada criança fez o seu retrato desenhando com a
caneta para tecido e pintou com as tintas usando pincel. Eu
costurei as pinturas como um tapete de retalhos, forrei e coloquei a
franja como acabamento. Ficou lindíssimo!!!
Esse tapete representava o papel de cada um no projeto, a
importância da produção de cada criança para a confecção de um
trabalho da turma.

Blogger: Baú de ideia: Ivanise


Bau de ideia
CONFECÇÃO DE LIVRINHO: os alunos escolhe o que fazerem: trava-língua, lendas,
provérbios, frase de para-choque, ditado popular e cantiga de roda.

Brinquedos populares: papagaio, peteca, piões, ioiô, cinco-maria, boneca de pano,


cavalinho-de-pau e outros confeccionados pelos alunos.

Cartaz: cada alunos deverá fazer um cartaz com o tema: Os Saberes Popular.

Sarau Folclórico: é muito importante que as crianças fiquem à vontade para


escolher o que deseja fazer, pois nem todos se sentem bem participando de
atividades de canto e dança, por exemplo. O interessante é que eles tenham outras
opções.

P.S. O importante é que cada professor veja qual a realidade de seus alunos para
que possam realizar grande descobertas. Não copie apenas, deixe a sua
imaginação florescer.

Entenda a origem do folclore: O Saber folclórico , suas manifestações e a


importância de trabalhá-lo na escola.