P. 1
CONTABILIDADE I - 4

CONTABILIDADE I - 4

|Views: 825|Likes:
Publicado portributocontabil

More info:

Published by: tributocontabil on Aug 04, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/11/2012

pdf

text

original

CONTABILIDADE I (CONCEITOS BÀSICOS) UNIDADE IV – Escrituração 1.

CONCEITO Escrituração é uma técnica contábil que consiste em registrar nos livros próprios todos os acontecimentos que ocorrem na empresa e que provocam modificações no Patrimônio. O controle contábil das empresas começa com a escrituração dos Fatos no livro Diário, completando-se, depois nos demais livros de escrituração. É através dos FATOS Administrativos que ocorre a gestão Patrimonial das empresas, esses Fatos são registrados por meio da Escrituração. Mas como escriturar esses acontecimentos? Vamos, inicialmente, estudar onde escriturar esses acontecimentos, para depois aprender como efetuar tais registros. 2. LIVROS UTILIZADOS NA ESCRITURAÇÃO Dos vários livros usados pelas empresas, vamos mencionar apenas os utilizados para a contabilização dos Fatos Administrativos, bem como dos Atos Administrativos relevantes (aqueles que podem provocar alterações futuras no Patrimônio). Os principais livros utilizados pela Contabilidade são: - Livro Diário - Livro Razão 2.1 Livro Diário O Diário é um livro obrigatório. Seu uso está previsto na Legislação Comercial (artigo 11 do Código Comercial Brasileiro – Lei nº 556 de 25/06/1850, na Legislação Tributária, bem como nas Normas Brasileiras de Contabilidade. No Diário são lançados dia a dia todos os acontecimentos que ocorrem na empresa e que provocam modificações no Patrimônio (Fatos Administrativos), bem como aqueles que possam vir a modificar futuramente o Patrimônio (Atos administrativos relevantes). Por ser obrigatório, o Diário está sujeito às formalidades extrínsecas e intrínsecas. Formalidades extrínsecas (ou externas): o livro Diário deve ser encadernado com folhas numeradas seguidamente. Deve conter, também, os Termos de Abertura e encerramento, ser submetido à autenticação no órgão competente do Registro do Comércio; quando se tratar de empresa civil. No Registro Civil de Pessoal Jurídicas ou no Cartório de Registro de Títulos e Documentos. Os Termos de abertura e de Encerramento devem ser lavrados (transcritos), respectivamente, na primeira e na última página do livro Diário, na mesma data e antes de se iniciar a Escrituração. - Livro Contas - correntes - Livro Caixa

Formalidades intrínsecas (ou internas): estão relacionadas à Escrituração, que no Diário, será completa, em idioma e moeda corrente nacionais, em forma mercantil, com individualização e clareza, ordem cronológica de dia, mês e ano, sem intervalos em branco nem entrelinhas, borraduras, rasuras, emendas e transportes para as margens. O livro Diário tradicional pode ser substituído por fichas (contínuas, em forma de sanfona, soltas ou avulsas), escriturado por processo manual, mecanizado ou por processamento eletrônico de dados (computador) No entanto, seja qual for o sistema de Escrituração adotado, a empresa deverá cumprir os requisitos intrínsecos, previstos na lei fiscal e comercial para o livro Diário. 2.2 Livro Razão O livro Razão é um livro de grande utilidade para a contabilidade porque registra o movimento individualizado de todas as Contas. A Escrituração do livro Razão passou a ser obrigatória a partir de 1991 (art. 14 da Lei nº 8.218 de 29/08/91). O Razão é o livro mais importante para a Contabilidade, porque permite o controle do movimento de cada Conta, separadamente. O primeiro passo para escriturar este livro é abrir uma página para cada conta usada na Escrituração do livro Diário. Para escriturar o Razão, partimos do Diário. Pegamos em cada lançamento as Contas envolvidas e lançamos no débito ou no crédito, conforme essas contas estejam debitadas ou creditadas no Diário. 2.3 Livro Contas-Correntes O Contas-Correntes é um livro auxiliar do livro Razão. È usado para controlar a movimentação das Contas que representam Direito e Obrigações Para escriturá-lo, partimos também do livro Diário, e toda vez que registrarmos no Diário um Fato que envolva uma Conta pessoal (representativa de Direitos ou de Obrigação), devemos escriturar o referido Fato também no livro Contas-Correntes. 2.4 Livro Caixa O livro Caixa também é auxiliar. Nele são registrados todos os Fatos Administrativos que envolvam entradas e saídas de dinheiro. Como “entrada”, ou “debito” de Caixa, são registrados todos os recebimentos em dinheiro ou cheques. São escriturados, inclusive, os cheques emitidos pela própria empresa para transferência de depósito, de um banco para outro. Como “saída”, ou “credito” de Caixa, são registrados todos os pagamentos, inclusive aqueles feitos com cheques emitidos pela própria empresa. São registrados, também, como saída, os depósitos (em dinheiro e cheques) feitos em Bancos.

O saldo do livro Caixa deve corresponder exatamente à existência física em poder do responsável pelo Caixa, e pode ser composto pelos seguintes valores: a – dinheiro, em moeda corrente; b – cheques recebidos e ainda não apresentados aos respectivos bancos para resgate ou depósito; c – cheques emitidos pela própria empresa para pagamento de faturas, despesas, salários etc., ou para depósito em outro banco, ainda pendentes de conclusão da respectiva operação. 3. MÉTODOS DE ESCRITURAÇÃO Método de Escrituração é a forma de registro dos Fatos Administrativos, bem como dos Atos Administrativos relevantes. São dois os Métodos de Escrituração conhecidos: Método das Partidas Simples e Método das Partidas Dobradas. 3.1 Método das Partidas Simples Esse método consiste no registro de operações específicas envolvendo o controle de um só elemento. No livro Caixa, por exemplo, os eventos são registrados visando apenas ao controle do dinheiro (entradas e saídas), sem a preocupação de controlar outros elementos patrimoniais ou até mesmo de se evidenciar o lucro ou prejuízo decorrente das respectivas transações. Esse método é deficiente e incompleto, pois não permite o controle global do Patrimônio. As entidades que utilizam apenas esse método de registro normalmente são aquelas que não visam ao lucro. 3.2 Método das Partidas Dobradas Esse método, que é de uso universal e foi divulgado no século XV (1494) na cidade de Veneza, na Itália, pelo frade franciscano Luca Pacioli, consiste no seguinte. Não há devedor sem que haja credor e não há credor sem que haja devedor, sendo que a cada débito corresponde um crédito de igual valor. Daí, em dado momento, ser a soma dos débitos igual à soma dos créditos. É esse princípio que determina a equação entre o ativo e o passivo do patrimônio. Os valores ativos representam sempre saldo devedor. e, os passivos, saldo credor, sendo a soma do ativo sempre igual à do passivo. Por esse método, registramos todos os acontecimentos que se verificam no patrimônio, conhecendo-se, a qualquer momento, o valor da cada componente do patrimônio, suas variações e os resultados, positivos ou negativos da atividade econômica. 4. LANÇAMENTOS Vimos que lançamentos é o registro de um fato contábil, e esse registro, pelo método das partidas dobradas, é feito em ordem cronológica e obedecendo a

determinada disposição técnica. O método das partidas dobradas exige o aparecimento do devedor e do credor, aos quais se seguem o histórico do fato ocorrido e a importância em dinheiro. Daí os seguintes elementos essenciais do lançamento. 4.1 Fórmulas de lançamentos Vimos que o lançamento deve sempre indicar o devedor e o credor, representados pelas contas. O mesmo lançamento pode , entretanto, apresentar mais de uma conta debitada e mais de uma conta creditada. Podemos usar, nestes casos, a expressão Diversos, que não é conta, mas apenas a indicação existência de mais de uma conta debitada ou creditada. Daí a existência de quatro fórmulas de lançamentos no Diário, de acordo com o número de contas debitadas ou creditadas. 1ª fórmula: quando aparece apenas uma conta debitada e uma creditada. Exemplo: LANÇAMENTO (Compra de mercadorias a prazo) D MERCADORIAS C FORNECEDORES Alberto Azevedo M/compra de mercadorias conforme s/nota 1.897 2ª fórmula: quando aparece uma conta debitada e várias creditadas. Exemplo: LANÇAMENTO (Compra de mercadorias, parte a vista e parte a prazo) D MERCADORIAS Compra de mercadorias a J. Sampaio, nota nº 978 C CAIXA M/pagamento a vista C DUPLICATAS A PAGAR M/ aceite para 3-4-20.. 30.000 12.000 18.000

18.000

3ª fórmula: quando aparecem várias contas debitadas e apenas uma creditada. Exemplo: LANÇAMENTO (Compra de mercadorias a vista e pagamento de duplicata)

D MERCADORIAS Compras a vista a J. Leite, nota nº 1.987 D DUPLICATAS A PAGAR Pagamento da duplicata de J. Sampaio, vencida hoje C CAIXA

22.500 18.000 40.500

4ª fórmula: quando aparecem várias contas debitadas e creditadas. Exemplo: LANÇAMENTO (Compra de diversos bens, parte a vista e parte a prazo) D MERCADORIAS Compra do saldo de mercadorias pertencentes à extinta firma Leão & Sousa Ltda. D MÓVEIS E UTENSÍLIOS Compra de móveis: Máquinas de escrever e calcular 11.500 Prateleiras e balcões 12.000 Mesas e cadeiras 2.500 106.000 C CAIXA Pago a vista C DUPLICATAS A PAGAR M/aceite de dupl. Para 31-8-20..

80.000

26.000 50.000 56.000 106.000

Observação: A 4ª fórmula é pouco usada atualmente, e apenas utilizada em casos especiais, como o do exemplo anterior, que representa operação bastante incomum. Todos esses lançamentos são feitos no livro Diário. Mesmo sem termos ainda estudado a mecânica dos lançamentos, o que faremos a seguir, já se deve ter compreendido que a conta é debitada pela entrada, e creditada pela saída, de valor positivo (ativo) do patrimônio. Os livros usados na escrituração podem variar de acordo com a necessidade de cada empresa. Todas elas entretanto, usualmente utilizam os seguintes livros: Diário, Razão, Caixa, Contas a Receber, Conta a pagar, além de outro livros auxiliares que variam em espécie e número, de acordo com as necessidades da empresa. 5. CLASSIFICAÇÃO DOS FATOS CONTÁBEIS Existem três espécies de fatos contábeis: permutativos, modificativos e mistos, cujas características estudaremos a seguir. 5.1 Fatos permutativos ou compensativos Fatos permutativos ou compensativos são os que trazem variações do ponto de vista específico, sem alterar a situação líquida do patrimônio

Assim, podem ocorrer permutações entre componentes do ativo ou do passivo, ou, ainda, compensações entre componentes do ativo e do passivo, sem reduzir ou aumentar a situação líquida. Como exemplo de permutação de componentes do ativo, temos o recebimento de duplicata. Por esta operação, há diminuição do ativo, porque desaparece o crédito do patrimônio sobre o valor do título, mas ao mesmo tempo ocorre aumento do ativo pela entrada de dinheiro em caixa. Não há, portanto, como vemos, alteração na situação líquida do patrimônio, mas apenas permutação de seus elementos constitutivos, pois a saída de um foi compensada pela entrada de outro de igual valor. LANÇAMENTO (Permutação no ativo) D CAIXA C DUPLICATAS A RECEBER Recebido de H. Marques, valor da Duplicata nº 74

1.800

O aumento de ativo e passivo pode ocorrer com a compra de mercadorias a prazo, operação à qual veremos no exemplo a seguir. Essa operação aumenta o ativo pela entrada de mercadorias, e , ao mesmo tempo, o passivo, com o acréscimo da responsabilidade em Fornecedores. LANÇAMENTO (Compra de mercadorias a prazo) D MERCADORIAS C FORNECEDORES Cia. Industrial Brasileira S/nota fiscal nº 7.654

28.500

Como exemplo de diminuição de ativo e passivo citemos o pagamento de duplicata. Há, com essa operação, diminuição de ativo pela saída de dinheiro e, ao mesmo tempo, diminuição de passivo pela extinção de responsabilidade. LANÇAMENTO (Diminuição de ativo e passivo) D DUPLICATAS A PAGAR C CAIXA Pagamento da duplicata 2.134, de G.Moura & Cia. 5.2 Fatos modificativos Fatos modificativos são os que produzem alterações na situação líquida do patrimônio, diminuindo-a ou aumentado-a. Há diminuição na situação líquida quando um bem é consumido ou quando há gastos ou despesa decorrentes da atividade

11.200

econômica, necessária para alcançar os fins da empresa. Assim, quando se pagam empregados, aluguel do prédio, impostos, além de inúmeros outros gastos que se não recuperam, há diminuição do patrimônio líquido. O aumento do patrimônio líquido ocorre quando há receita, ou seja, recebimento de importâncias por serviços prestados, por juros de capitais aplicados, por descontos obtidos com pagamentos antecipados, além de receitas secundárias. A principal receita da empresa mercantil é o lucro com a venda de mercadorias. Classificamos os fatos modificativos em diminutivos e aumentativos, conforme determinem diminuição ou aumento na situação líquida do patrimônio. 5.2.1 Fatos modificativos diminutivos

O pagamento de despesa traz diminuição de ativo, pois há saída de dinheiro sem correspondente entrada de outro valor no ativo. No caso de pagamento de aluguel, por exemplo, teríamos o seguinte lançamento: LANÇAMENTO (Diminuição da situação líquida positiva do patrimônio, por diminuição de ativo) D ALUGUÉIS C CAIXA Pago aluguel do mês de março 5.2.2 Fatos modificativos aumentativos

1.500

Como exemplo de aumento de ativo, temos o recebimento de juros pela aplicação de capitais ou pelo atraso de devedores no pagamento de títulos. O lançamento nesse caso, seria o seguinte: LANÇAMENTO (Aumento da situação líquida positiva do patrimônio, por aumento de ativo) D CAIXA C JUROS (ou receitas financeiras) Recebido de J. Saraiva, juros de mora à razão De 1% ao mês pelo atraso de um mês no pagamento De nossa duplicata 71, no valor de $5.000 5.2.3 Fatos mistos ou compostos

50

Fatos mistos são os que conjugam a permutação ou compensação de valores com modificação na situação líquida do patrimônio. Na realidade, só existem duas espécies de fatos: os permutativos e os modificativos, porquanto os mistos ou compostos podem ser desdobrados nos dois

antecedentes. Como exemplo de permutação aumentativa de ativo (aumento de situação líquida positiva do patrimônio) temos a venda de mercadorias com lucro, que, como já tivemos ocasião de dizer, é a principal fonte de renda da empresa comercial, pois o objetivo de sua atividade é o lucro com a venda de mercadorias Se a mercadoria custou 10 e foi vendida por 12 produz lucro de 2. Houve , com essa operação, a seguinte modificação no ativo: diminuição de 10 com a saída da mercadoria, e aumento de 12 com a entrada de dinheiro. Houve permutação no ativo e , ao mesmo tempo, aumento da situação líquida positiva do patrimônio, por aumento de ativo. Essa operação requer o seguinte lançamento: LANÇAMENTO (Permutação no ativo, com aumento da situação líquida positiva do patrimônio) D CAIXA C MERCADORIAS Custo de mercadorias vendidas a vista C LUCRO NA VENDA DE MERCADORIAS Lucro na veda supra ESTUDO DIRIGIDO 1. Que é escrituração? 2. Que é lançamento? 3. Qual o método de escrituração universalmente adotado? 4. Quantas e quais as fórmulas do lançamento? 5. Quando ocorrem fatos permutativos ou compensativos? 6. Como se classificam os fatos modificativos? 7. Em que consistem os fatos mistos ou compostos? 8. Como se classificam os fatos contábeis? 9. Cite três exemplos de Atos Administrativos? 10. Qual a diferença entre Atos e Fatos Administrativos? 11. Cite três livros utilizados pela Contabilidade?

10.000 2.000 12.000

12. O que são formalidades extrínsecas e intrínsecas do livro Diário? Cite exemplos. ATIVIDADES PRÁTICAS Escriture, em partidas de Diário, os Fatos Administrativos a seguir:

1

Compra, à vista, de um automóvel, marca Ford, conforme Nota Fiscal nº9.890, da Distribuidora de Veículos Taubaté Ltda, no valor de $ 30.000. Compra de uma Motocicleta, marca Lunar, da Casa Estrela, conforme nota Fiscal nº 5.390, no valor de $ 5.000, nas seguintes condições: a) pagamento , no ato de $ 3.000, e dinheiro, como entrada: b) o restante será pago após 30 dias, conforme aceite da Duplicata nº 001.

2

3

Compra de uma escrivaninha, conforme Nota Fiscal nº 287, das Casas Bahia, no valor de $ 1.000, nas seguintes condições: a) foram pagos no ato, em dinheiro, $ 200; b) aceite quatro Duplicatas números 287/01 a 287/04, no valor de $ 200 cada, vencíveis de 30 em 30 dias. Compras, à vista, efetuadas na Importadora Boas Compras Ltda., de: a) um microcomputador, marca ficção, com HD DE 80GB, monitor e impressora marca Atol, conforme Nota Fiscal nº 7.223, no valor de $ 2.500; b) um refrigerador, marca Reno, 320litros, conforme Nota Fiscal nº 7245, no valor de $ 1.500.

4

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->