Você está na página 1de 29

Gametogênese

Gametogênese nos animais


• Os espermatozóides e
os óvulos têm origem
nas Células
Germinativas Primordiais
(CGPs) do embrião.

• Estas células
diferenciam-se muito
cedo (no Ser Humano,
aparecem na quarta
semana da gestação)
As CGPs migram
por movimento
amebóide para o
mesentério dorsal do
embrião e daí
lateralmente para as
cristas genitais, que
se encontram
próximas do local
onde ficarão os rins
• Diferenciação: na 6ª semana de gestação,
nos humanos.
• Espermatogênese é o processo de
formação das células sexuais masculinas,
os espermatozóides.
Gametogênese (espermatogênese)
EPIDÍDIMO
(armazena
espermatozóides)

(em corte
transversa)

Túbulo
seminífero
Ampliação 900
de um
TESTÍCULO

2 A 6 ml – 200 a 400 milhões


CÉLULAS GERMINATIVAS (2n)
Mitoses
Período 2n
germinativo
Mitose

2n 2n ESPERMATOGÔNIA (2n)
Período de Crescimento
sem divisão 2n ESPERMATÓCITO I (2n)
crescimento celular

Meiose
n n ESPERMATÓCITO II (n)
Período de
maturação

n n n n ESPERMÁTIDE (n)

Período de
diferenciação n n n n
ESPERMATOGÔNIA (n)
Espermiogênese humana

Início da formação
ESPERMÁTIDE do acrossomo
1

Núcleo

2
Parte do
Complexo citoplasma
golgiense
que será
Mitocôndria Centríolo eliminada
Início da
formação do
flagelo

1- O complexo golgiense concentra-se perto do núcleo.


2- As mitocôndrias concentram-se na região próxima ao centríolo, que se transforma
em flagelo.
Espermiogênese humana

Núcleo
ESPERMATOZÓIDE Mitocôndrias

Acrossomo

cauda Peça intermediária cabeça


• Oogénese,
ovogénese,
oogênese ou
ovogênese, é o
processo de
formação das
células sexuais
femininas, os
óvulos.
Gametogênese (ovulogênese)

Folículo
Corpos lúteos ovariano OVÁRIO
primário EM
CORTE

Folículo
Ovócito II maduro

OVULAÇÃO – Liberação do Ovócito II


2n Células germinativas (2n)

Período 2n OVOGÔNIA (2n) MITOSE


germinativo
OVOGÔNIA (2n)
2n 2n

Crescimento
Período de OVÓCITO I (2n) MEIOSE I
sem divisão 2n
crescimento
celular

n n OVÓCITO II (n) e Corpúsculo Polar (n)


Período de
maturação MEIOSE II
n n n n Corpúsculos Polares (n)
ÓVULO
(n) São formados
eventualmente
Estruturas do OVÓCITO II
Fertilização
• Em biologia, chama-se
fertilização ou fecundação
ao processo em que um
espermatozóide penetra,
numas espécies o ovócito II
(ou ovócito), como no caso
dos seres humanos e maioria
dos mamíferos, e noutras o
óvulo (nos restantes
animais),ou em que o tubo
polínico penetra no óvulo das
plantas durante o processo de
reprodução.
É a união das células haplóides masculina e feminina,
formando uma célula diplóide, a célula-ovo ou zigoto.
Na espécie humana o espermatozóide possui 23
cromossomos, bem como o óvulo (ovócito II) logo o zigoto
formado terá 46 cromossomos.
OVÓCITO II (em Metáfase II da Meiose II)
Os espermatozóides
deslocam-se a uma
velocidade aproximada de
4 mm/min, dentro do
corpo da mulher, podendo
viver por mais de 72 horas.

Em uma ejaculação existem mais de 300 milhões de Espermat.


A fecundação ocorre no terço superior das
trompas de Falópio ou tuba uterina
• Em geral a fecundação
é intra-específica
(processa-se apenas
entre indivíduos da
mesma espécie, ou
espécies próximas).

A célula reprodutora feminina


(óvulo numas espécies ovócito II
noutras), possui barreiras para a
penetração dos
espermatozóides: a corona
radiata (mais externa, composta
de células foliculares) e a zona
pelúcida (camada glicoprotéica
situada após a corona radiata).
• Os espermatozóides, gametas masculinos,
possuem na cabeça o acrossomo, que
começa a liberar enzimas hidrolíticas ao entrar
em contato com tais barreiras.
Após vencê-las, ocorre a fusão entre as membranas
dos dois gametas.

Formando a membrana de fecundação que não vai


permitir a entrada de mais espermatozóides.
Foto ao
microscópio de luz
A penetração do
espermatozóide no
ovócito II estimula
a finalização da
meiose.
Há liberação do
segundo glóbulo
polar com posterior
fusão dos
pronúcleos
haplóides
masculino e
feminino.
A
ATRAÇÃO
é bioquímica
por
glicoproteínas

A
PENETRAÇÃO
é somente da
cabeça e
do colo do
espermatozóide
Fecundação
Foto ao microscópio eletrônico
mostrando vários espermatozóides
tentando penetrar em um ovócito II no
momento da fecundação. Esta foto
permite mostrar as diferenças de
tamanho entre ovócito II e
espermatozóide. Zona pelúcida
Acrossomo
Núcleo
Centríolo
Flagelo
Foto ao microscópio de
luz.
A penetração do
espermatozóide no Citoplasma
ovócito II estimula a do ovócito II
finalização da meiose.
Há liberação do segundo
glóbulo polar com
posterior fusão dos
pronúcleos haplóides Membrana de
masculino e feminino. fecundação
Foto ao microscópio
eletrônico de
varredura, colorida
artificialmente,
que documenta o
momento em que o
espermatozóide
atinge a superfície
do ovócito II.
Como regra,
penetrará um só
espermatozóide
MONOSPERMIA.
Foto ao microscópio de luz.
A penetração do espermatozóide no
ovócito II estimula a finalização da
meiose. Há liberação do segundo
glóbulo polar com posterior fusão
dos pro núcleos haplóides
masculino e feminino.

Todas as mitocôndrias, organelas


responsáveis pela respiração
celular, são herdadas da mãe do
indivíduo. Isto ocorre porque os
lisossomos fagocitam as
mitocôndrias do espermatozóide
que tenha entrado na célula
reprodutora feminina.
Resumindo – FECUNDAÇÃO

1. FENÔMENOS EXTERNOS:
- Deslocamento dos Espermatozóides
- Atração Bioquímica
- Contato do Espermatozóide com a Membrana do Ovócito II
- Penetração da cabeça do Esperm. na coroa radiada ou corona radiata
(células foliculares) e zona pelúcida
- Formação da membrana de FECUNDAÇÃO

2. FENÔMENOS INTERNOS
- Centralização dos pró-núcleos feminino e masculino
- Fusão dos pró-núcleos (ANFIMIXIA ou CARIOGAMIA)
Conclusão