P. 1
Questionario Contabilidade

Questionario Contabilidade

|Views: 1.795|Likes:
Publicado porcapitalsocial

More info:

Published by: capitalsocial on Aug 05, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/25/2012

pdf

text

original

ATIVIDADE PROPOSTA DE REVISÃO DE CONTABILIDADE

1) O que é contabilidade? 2) Qual o objeto da contabilidade? 3) Qual a finalidade da contabilidade? 4) Qual o campo de aplicação da contabilidade? 5) Quais as principais técnicas contábeis? 6) Qual a definição de patrimônio? 7) Conceito e classificação de BENS. 8) Conceito de DIREITOS. 9) Conceito de OBRIGAÇÕES. 10) 11) 12) 13) 14) 15) 16) 17) 18) 19) 20) 21) 22) Conceito de CAPITAL. Qual a diferença entre capital subscrito, capital realizado e capital a realizar? Conceito de ATIVO. Conceito de PASSIVO. Em que consiste a equação patrimonial? Que se entende por aspectos qualitativo e quantitativo do patrimônio? Quais os grupos e subgrupos de contas do patrimônio? Qual o conceito de situação líquida patrimonial? Como ela pode se apresentar? Demonstre graficamente as formas de situações líquidas patrimoniais. Quais as fontes de financiamento do patrimônio? Definir cada uma. Definir débitos de funcionamento e financiamento. Conceito de CONTA. Quais são os elementos de uma conta e como ela pode ser representada graficamente?

23) O que significa debitar e creditar uma conta? 24) O que significa saldo de uma conta? como o saldo pode apresentar? 25) Quais as contas que apresentam saldo devedor? justifique. 26) Quais as contas que apresentam saldo credor? justifique. 27) Qual o procedimento para aumentar ou diminuir o saldo de cada um dos grupos de contas abaixo: a)contas do ativo d)contas de receitas b)contas do passivo e)contas de despesas c)contas do patrimônio líquido 28) que são contas patrimoniais ou integrais? 29) que são contas de resultado ou diferenciais? 30) Qual o critério para classificação das contas do ativo e do passivo?

31) Quais as características dos grupos e subgrupos de contas abaixo: a)ativo circulante g)passivo circulante b)ativo realizável a longo prazo h)passivo exigível a longo prazo c)ativo permanente i) passivo resultado de exerc. futuros d)ativo permanente investimentos j) patrimônio líquido capital e)ativo permanente imobilizado k)patrimônio líquido reservas f) ativo permanente diferido l) patrimônio líquido lucros ou prejuízos 32) Qual o conceito de RECEITAS?. 33) De que forma as receitas alteram o patrimônio? 34) Quais os principais grupos e subgrupos de receitas? 35) Conceito de DESPESAS. 36) De que forma as despesas alteram o patrimônio? 37) Quais os principais grupos e subgrupos de despesas? 38) Quando ocorre lucro ou prejuízo no patrimônio? 39) Demonstre graficamente os grupos e subgrupos das contas patrimoniais e das contas de resultado. 40) Conceito de contas de compensação. 41) Conceito de contas transitórias. 42) Conceito de plano de contas? 43) Quais as características do plano de contas? 44) Conceito de princípios contábeis? 45) Quais os principais princípios contábeis? 46) Conceito de gestão administrativa. 47) Diferença entre ato e fato administrativo. 48) Como se classificam os fatos contábeis? 49) Conceito de exercício social. 50) Em que consiste o método das partidas dobradas? 51) Quando ocorrem fatos permutativos? 52) Conceito e classificação dos fatos modificativos. 53) Em que consiste os fatos mistos? 54) Qual a diferença entre o regime de caixa e o regime de competência? 55) Conceito de escrituração. 56) Quais os principais livros de escrituração? 57) O que é o livro diário e para que serve? 58) O que são formalidades extrínsecas e intrínsecas do livro diário? quais são elas? 59) O que é livro razão? 60) O que é livro caixa? 61) O que é livro contas-correntes?

62) Quais os principais livros fiscais? 63) Quais os principais livros sociais? 64) Quais os principais livros trabalhistas? 65) O que é lançamento? 66) Quais os elementos essenciais do lançamento? 67) Quantos e quais as fórmulas de lançamento? 68) Cite os procedimentos para elaboração dos lançamentos. 69) Cite as características dos principais sistemas de contabilidade. 70) Quais as formas de correção dos erros de escrituração? 71) Conceitue e dê as características dos seguintes princípios contábeis: a) b) c) d) e) Entidade Continuidade Competência Oportunidade Valor Original

CONTABILIDADE: GERAL: 1. Princípios Fundamentais de Contabilidade. 2. Patrimônio: componentes patrimoniais. Ativo, Passivo e Situação Patrimonial (Patrimônio Líquido). Equação Fundamental do Patrimônio. Representação gráfica dos estados patrimoniais. 3. Fatos Contábeis e suas variações patrimoniais. 4. Contas Conceito, Função, Estrutura, Representação Gráfica, Débito, Crédito e Saldo Contas patrimoniais e contas de resultado. Contas transitórias. 5. Sistema de contas. 6. Plano de contas: elenco de contas, função e funcionamento. 7. Lançamentos contábeis; Estrutura e formas. 8. Escrituração: conceitos, obrigatoriedade, métodos de escrituração. 9. Registros das operações; Operações bancárias, aquisição, vendas e recebimentos de ativos, origem e liquidações passivos, operações custos e despesas.Operações geradoras de receitas. 10. Livros de escrituração. Obrigatoriedade, Função e formas de escrituração. 11. Erros de escrituração. Tipos e formas de correção. 12. Balancete de validação ou verificação. 13. Critérios de avaliação dos componentes patrimoniais. 14. Apuração de custos comerciais e de prestação de serviços. 15. Apuração de resultados. 16. Destinação de resultados. 17. Demonstrações contábeis, Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultado do exercício DE CUSTOS: 18 Elementos componentes dos custos dos serviços, Custos de mão de obra, Custo de Materiais Aplicados Outros Custos de Serviços. 19.Registros das operações de Receitas e Custos de Serviços. 20. Apuração de Resultado da Prestação de Serviços. 21. Enquadramento das Receitas e Custos dos Servidores nas Demonstrações Contábeis.

QUESTIONÁRIO
1- O que é analise de balanço?

2- Qual a finalidade da analise de balanços? 3- A diretoria da Industria Química Capanema S.A. convocou seu engenheiro eletrônico para efetuar analise nos balanços da companhia referentes a três exercícios. A atitude da diretoria dessa entidade esta correta? Por que? 4- A analise de balanço pode ser em etapas, quais são? 5- Cite alguns conhecimentos que o analista precisa ter para efetuar uma boa analise. 6- Como começa e como termina o processo de analise de balanço? 7- Cite alguns usuários da analise de Balanço. 8- O que a analise das demonstrações objetiva? 9- As informações da analise das demonstrações financeiras podem ser classificadas como? 10- Quase toda a política financeira de uma empresa tem reflexo nas demonstrações financeiras e é através da análise destas que poderemos conhecer os objetivos de uma empresa. Estas informações são de especial relevância em mercados muito concorridos. Suponha que você tivesse ingressado no cargo de administrador financeiro de uma loja de departamentos e a sua função fosse a de acompanhar os concorrentes. Elabore um breve relatório dizendo o que você planeja realizar na sua atividade. 11- Para poder analisar as demonstrações contábeis o que é necessário? Por que? 12- O que são recursos, fontes e financiamentos? 13- O que é ativo circulante? Passivo circulante? Qual a utilidade de se analisar esses itens com profundidade? 14- Quando ocorreram os primeiros passos da analise das demonstrações financeiras? 15- Diga qual a diferença básica entre dados e informações? 16- Que relação nos podemos estabelecer entre a contabilidade e a analise das demonstrações financeiras? 17- Relacione três usuários da analise das demonstrações contábeis e que pontos eles analisam na situação da empresa? 18- Quais as áreas internas de uma empresa que elaboram a analise das demonstrações contábeis? Que objetivos esses áreas se propõem ( gerencial, análise de concorrência, avaliação de negócios)? 6. O que você entende por Princípio da Entidade? 7. Como você descreveria o Princípio da Continuidade? 8. Dê um conceito para Direitos e para Obrigações. 9. Conceitue Plano de Contas? 10. Como se divide as Contas do Ativo? 11. Como de divide as Contas do Passivo? 12. O que são despesas, cite dois exemplos. 13. Descreva o conceito de contas sintéticas e contas analíticas. 14. A Teoria das Contas utilizada pela Contabilidade brasileira é a Teoria Patrimonialista. Essa teoria classifica as contas como: a) Receitas e despesas b) Bens, direitos e obrigações c) Patrimoniais e de Resultado d) Integrais e diferenciais e) Do proprietário e dos agentes

Glossário de termos tributários e fiscais
AMORTIZAÇÃO: Representa a conta que registra a diminuição do valor dos bens intangíveis registrados no ativo permanente, é a perda de valor de capital aplicado na aquisição de direitos de propriedade industrial

ou comercial e quaisquer outros, com existência ou exercício de duração limitada, ATIVO: São todos os bens, direitos e valores a receber de uma entidade. Contas do ativo têm saldos devedores, à exceção das contas retificadoras (como depreciação acumulada e provisões para ajuste ao valor de mercado). ATIVO CIRCULANTE: Dinheiro em caixa ou em bancos; bens, direitos e valores a receber no prazo máximo de um ano, ou seja realizável a curto prazo, (duplicatas, estoques de mercadorias produzidas, etc); aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. ATIVO DIFERIDO: Subgrupo de contas do Permanente que evidenciam os recursos aplicados na realização de despesas que, por contribuírem para a formação do resultado de mais de um exercício social futuro, somente são apropriadas às contas de resultado à medida e na proporção em que essa contribuição influencia a geração do resultado de cada exercício. ATIVO PERMANENTE: Grupo de contas que englobavam recursos aplicados em todos os bens ou direitos de permanência duradoura, destinados ao funcionamento normal da sociedade e do seu empreendimento, assim como os direitos exercidos com essa finalidade. O Ativo Permanente era composto de subgrupos: Investimentos, Imobilizado, Intangível e Diferido. A partir de 04.12.2008 tal terminologia foi extinta pela MP 449/2008, passando a integrar o Ativo Não Circulante. ATIVO NÃO CIRCULANTE: São incluídos neste grupo todos os bens de permanência duradoura, destinados ao funcionamento normal da sociedade e do seu empreendimento, assim como os direitos exercidos com essa finalidade. O Ativo Não Circulante será composto dos seguintes subgrupos: •Ativo Realizável a Longo Prazo •Investimentos •Imobilizado •Intangível BALANÇO: É um quadro (mapa, gráfico, etc.) onde é demonstrada a situação econômica/ financeira da empresa na data a que o balanço diz respeito. O balanço avalia a riqueza, isto é, o valor da empresa, mas não demonstra o seu resultado, apenas o apresenta em valor total, sendo a sua demonstração feita num outro documento chamado "demonstração de resultados". O balanço é composto por duas partes, que se encontram sempre em equilíbrio.O Ativo é igual ao Passivo mais o Patrimônio Líquido. Balanço Patrimonial: É a demonstração contábil destinada a evidenciar, qualitativa e quantitativamente, numa determinada data, a posição patrimonial e financeira da Entidade. BENS: Tudo que pode ser avaliado economicamente e que satisfaça necessidades humanas. BENS DE CONSUMO: (não duráveis ou que são gastos ou consumidos no processo produtivo): depois de consumidos, representam despesas, tais como: combustíveis e lubrificantes, material de escritório, material de limpeza etc. BENS DE RENDA: Não destinados aos objetivos da empresa (imóveis destinados à renda ou aluguel). BENS FIXOS OU IMOBILIZADOS: (representam os bens duráveis, com vida útil superior a 1 ano): imóveis, veículos, máquinas, instalações, equipamentos, móveis e utensílios. BENS INTANGÍVEIS: Não possuem existência física, porém, representam uma aplicação de capital indispensável aos objetivos sociais, como marcas e patentes, fórmulas ou processos de fabricação, direitos autorais, autorizações ou concessões, ponto comercial e fundo de comércio. CAPITAL DE TERCEIROS: Representam recursos originários de terceiros utilizados para a aquisição de ativos de propriedade da entidade. Corresponde ao passivo exigível. CAPITAL PRÓPRIO: São os recursos originários dos sócios ou acionistas da entidade ou decorrentes de suas operações sociais. Corresponde ao patrimônio líquido. CAPITAL SOCIAL: É o valor previsto em contrato ou estatuto, que forma a participação (em dinheiro, bens ou direitos) dos sócios ou acionistas na empresa. CAPITAL TOTAL À DISPOSIÇÃO DA EMPRESA: corresponde à soma do capital próprio com o capital de terceiros. É também igual ao total do ativo da entidade. CONTABILIDADE: É a ciência que estuda e controla o patrimônio, objetivando representá-lo graficamente, evidenciar suas variações, estabelecer normas para sua interpretação, análise e auditagem e servir como instrumento básico para a tomada de decisões de todos os setores direta ou indiretamente envolvidos com

a empresa. CONTABILIDADE CIVIL: É exercida pelas pessoas que não têm como objetivo final o lucro, mas sim o instituto da sobrevivência ou bem-estar social. CONTABILIDADE PRIVADA: Ocupa-se do estudo e registro dos fatos administrativos das pessoas de direito privado, tanto as físicas quanto as jurídicas, além da representação gráfica de seus patrimônios, dividindo-se em civil e comercial. CONTABILIDADE PÚBLICA: Ocupa-se com o estudo e registro dos fatos administrativos das pessoas de direito público e da representação gráfica de seus patrimônios, visando três sistemas distintos: orçamentário, financeiro e patrimonial, para alcançar os seus objetivos, ramificando-se conforme a sua área de abrangência em federal, estadual, municipal e autarquias. CONTAS DE RESULTADO: Registram as receitas e despesas, permitindo demonstrar o resultado do exercício. CONTAS PATRIMONIAIS: Representam os elementos ativos e passivos (bens, direitos, obrigações e situação líquida). CONTAS RETIFICADORAS DO ATIVO: são classificadas no ativo, tendo saldos credores, por isso são demonstradas com o sinal (-). DEMONSTRAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA (DFC): Relaciona o conjunto de ingressos e desembolsos financeiros de empresa em determinado período. Procura-se analisar todo deslocamento de cada unidade monetária dentro da empresa. DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS/ PREJUÍZOS ACUMULADOS (DLPA): Tem por objetivo demonstrar a movimentação da conta de lucros ou prejuízos acumulados, ainda não distribuídos aos sócios titular ou aos acionistas, revelando os eventos que influenciaram a modificação do seu saldo. Essa demonstração deve, também revelar o dividendo por ação do capital realizado. DEMONSTRAÇÃO DE MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (DMPL): Fornece a movimentação ocorrida durante os exercícios nas contas componentes do Patrimônio Líquido, faz clara indicação do fluxo de uma conta para outra além de indicar a origem de cada acréscimo ou diminuição no PL. DEMONSTRAÇÃO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS (DOAR): Tem por objetivo a demonstração contábil destinada a evidenciar num determinado período as modificações que originaram as variações no capital circulante líquido da Entidade. E apresentar informações relacionadas a financiamentos (origens de recursos) e investimentos (aplicações de recursos) da empresa durante o exercício, onde, estes recursos são os que afetam o capital circulante líquido (CCL) da empresa. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (DRE): Destina-se a evidenciar a formação de resultado líquido do exercício, diante do confronto das receitas, custos e despesas apuradas segundo o regime de competência. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS BÁSICAS: Balanço Patrimonial; Demonstração de Resultado; Demonstrações dos lucros ou prejuízos acumulados; Demonstrações das Mutações do PL; Demonstrações das Origens e Aplicações dos recursos; Notas Explicativas. DEPRECIAÇÃO ACUMULADA: Representa o desgaste de bens físicos registrados no ativo permanente, pelo uso, por causas naturais ou por obsolescência. DESPESAS ANTECIPADAS: Compreende as despesas pagas antecipadamente que serão consideradas como custos ou despesas no decorrer do exercício seguinte. Ex: seguros a vencer, alugueis a vencer e encargos a apropriar. DESPESAS: São gastos incorridos para, direta ou indiretamente, gerar receitas. As despesas podem diminuir o ativo e/ou aumentar o passivo exigível, mas sempre provocam diminuições na situação líquida. DIFERIDO: Aplicações de recursos em despesas que contribuirão para lucro em mais de um período; pesquisa e desenvolvimento. DIREITOS: Valores a serem recebidos de terceiros, por vendas a prazo ou valores de nossa propriedade que se encontram em posse de terceiros. DISPONÍVEL: Composto pelas disponibilidades imediatas, representadas pelas contas de caixa, bancos conta movimento, cheques para cobrança e aplicações no mercado aberto.

DUPLICATA: Título de crédito cuja quitação prova o pagamento de obrigação oriunda de compra de mercadorias ou de recebimentos de serviços. É emitida pelo credor (vendedor da mercadoria) contra o devedor (comprador), pelo qual se deve ser remitida a este último para que a assine (ACEITE), reconhecendo seu débito. Este procedimento é denominado aceite. EQUAÇÃO FUNDAMENTAL DA CONTABILIDADE: Ativo = Passivo Exigível + Patrimônio Líquido. ESTOQUES: Representam os bens destinados à venda e que variam de acordo com a atividade da entidade. Ex: produtos acabados, produtos em elaboração, matérias-primas e mercadorias. EXAUSTÃO: É o esgotamento dos recursos naturais não renováveis, em virtude de sua utilização para fins econômicos, registrados no ativo permanente. EXERCÍCIO SOCIAL: É o espaço de tempo (12 meses), findo o qual as pessoas jurídicas apuram seus resultados; ele pode coincidir, ou não, com o ano-calendário, de acordo como que dispuser o estatuto ou o contrato social. Perante a legislação do imposto de renda, é chamado de período-base (mensal ou anual) de apuração da base de cálculo do imposto devido. EXIGÍVEL À LONGO PRAZO: Até 04.12.2008, classificavam-se como exigibilidades com vencimento após o encerramento do exercício subseqüente. A partir desta data, tais exigibilidades são denominadas "Passivo Não Circulante". FATOS ADMINISTRATIVOS: São os que provocam alterações nos elementos do patrimônio ou do resultado. Por essa razão, também são denominados fatos contábeis. FATOS MISTOS OU COMPOSTOS: São os que combinam fatos permutativos com fatos modificativos, logo podem ser aumentativos (combinam fatos permutativos com fatos modificativos aumentativos), ou diminutivos (combinam fatos permutativos com fatos modificativos diminutivos). FATOS MODIFICATIVOS: São os que provocam alterações no valor do patrimônio líquido (PL) ou situação líquida (SL), podem ser aumentativos (quando provocam acréscimos no valor do patrimônio líquido) ou diminutivos (quando provocam reduções no valor do patrimônio líquido). FATOS PERMUTATIVOS: São os que não provocam alterações no valor do patrimônio líquido (PL) ou situação líquida (SL), mas podem modificar a composição dos demais elementos patrimoniais. FUNÇÕES DA CONTABILIDADE: Registrar, organizar, demonstrar, analisar e acompanhar as modificações do patrimônio em virtude da atividade econômica ou social que a empresa exerce no contexto econômico. IMOBILIZADO: Bens e direitos destinados às atividades da empresa; terrenos, edifícios, máquinas e equipamentos, veículos, móveis e utensílios, obras em andamento para uso próprio, etc. INVESTIMENTOS: Recursos aplicados em participações em outras sociedades e em direitos de qualquer natureza que não se destinam à manutenção da atividade da empresa. O conceito principal é que a empresa não deve usar os bens nas suas atividades rotineiras; ações, patentes, obras de arte, imóveis destinados ao arrendamento, imóveis não utilizados. LUCROS ACUMULADOS: Resultado positivo acumulado da entidade. Enquanto não distribuídos ou capitalizados, consideram-se como reservas de lucros. NOTA PROMISSÓRIA: Título de dívida líquida e certa pelo qual a pessoa se compromete a pagar a outra uma certa quantia em dinheiro num determinado prazo. Por se tratar de título emitido pelo devedor a favor do credor, dispensa a formalidade do aceite. NOTAS EXPLICATIVAS (NE): Visam fornecer as informações necessárias para esclarecimento da situação patrimonial, ou seja, de determinada conta, saldo ou transação, ou de valores relativos aos resultados do exercício, ou para menção de fatos que podem alterar futuramente tal situação patrimonial, ou ainda, poderá estar relacionada a qualquer outra das Demonstrações Financeiras, seja a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos, seja a Demonstração dos Lucros ou Prejuízos Acumulados. OBRIGAÇÕES: São dívidas ou compromissos de qualquer espécie ou natureza assumidos perante terceiros, ou bens de terceiros que se encontram em nossa posse. PASSIVO A DESCOBERTO: Quando o total de ativos ( bens e direitos ) da entidade é menor do que o passivo exigível (obrigações).

PASSIVO CIRCULANTE: Obrigações ou exigibilidades que deverão ser pagas no decorrer do exercício seguinte; duplicatas a pagar, contas a pagar, títulos a pagar, empréstimos bancários, imposto de renda a pagar, salários a pagar. PASSIVO EXIGÍVEL: São as obrigações financeiras para com terceiros. Contas do passivo exigível têm saldos credores. PATRIMÔNIO LÍQUIDO: Valor que os proprietários têm aplicado. Contas do patrimônio líquido têm saldos credores, divide-se em: Capital social; Reservas de capital; Reservas de reavaliação, Reservas de lucros; e Lucros/Prejuízos acumulados. PASSIVO NÃO CIRCULANTE: obrigações da entidade, inclusive financiamentos para aquisição de direitos do ativo não-circulante, quando se vencerem após o exercício seguinte. PERMANENTE: Até 04.12.2008, relacionavam-se com bens e direitos classificáveis nos investimentos, imobilizado, diferido e intangível. Após esta data, este grupo passou a denominar-se Ativo Não Circulante, extinguindo-se também o subgrupo do diferido. PREJUÍZOS ACUMULADOS: Conta que registra as perdas acumuladas da entidade, já absorvidas pelas demais reservas ou lucros acumulados. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS: Regras que passaram a ser seguidas e aceitas - constituindo-se a teoria que fundamenta a Ciência Contábil. No Brasil, os princípios contábeis são os estabelecidos pela Resolução CFC 750/93 - sendo utilizados na formação deste glossário. PRINCÍPIO DA ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA: Existe em função do fato de que a moeda – embora universalmente aceita como medida de valor – não representa unidade constante de poder aquisitivo. Por conseqüência, sua expressão formal deve ser ajustada, a fim de que permaneçam substantivamente corretos – isto é, segundo as transações originais – os valores dos componentes patrimoniais e, via de decorrência, o Patrimônio Líquido. PRINCÍPIO DA COMPETÊNCIA: É o Princípio que estabelece quando um determinado componente deixa de integrar o patrimônio, para transformar-se em elemento modificador do Patrimônio Líquido. PRINCÍPIO DA CONTINUIDADE: Afirma que o patrimônio da Entidade, na sua composição qualitativa e quantitativa, depende das condições em que provavelmente se desenvolverão as operações da Entidade. A suspensão das suas atividades pode provocar efeitos na utilidade de determinados ativos, com a perda, até mesmo integral, de seu valor. A queda no nível de ocupação pode também provocar efeitos semelhantes. PRINCÍPIO DA ENTIDADE: Reconhece o Patrimônio como objeto da Contabilidade e afirma a autonomia patrimonial, a necessidade da diferenciação de um Patrimônio particular no universo dos patrimônios existentes, independentemente de pertencer a uma pessoa, um conjunto de pessoas, uma sociedade ou instituição de qualquer natureza ou finalidade, com ou sem fins lucrativos. Por conseqüência, nesta acepção, o patrimônio não se confunde com aqueles dos seus sócios ou proprietários, no caso de sociedade ou instituição. PRINCÍPIO DA OPORTUNIDADE: Refere-se, simultaneamente, à tempestividade e à integridade do registro do patrimônio e das suas mutações, determinando que este seja feito de imediato e com a extensão correta, independentemente das causas que as originaram. PRINCÍPIO DA PRUDÊNCIA: Determina a adoção do menor valor para os componentes do ATIVO e do maior para os do PASSIVO, sempre que se apresentem alternativas igualmente válidas para a quantificação das mutações patrimoniais que alterem o Patrimônio Líquido. PRINCÍPIO REGISTRO PELO VALOR ORIGINAL: Determina que os componentes do patrimônio devem ser registrados pelos valores originais das transações com o mundo exterior, expressos a valor presente na moeda do País, que serão mantidos na avaliação das variações patrimoniais posteriores, inclusive quando configurarem agregações ou decomposições no interior da Entidade. PROVISÃO PARA DEVEDORES DUVIDOSOS: Conta que registra as perdas verificadas em períodos anteriores num determinado valor para cobertura das duplicatas que venham a ser consideradas incobráveis. REALIZÁVEL À LONGO PRAZO: Direitos realizáveis após o término do exercício subseqüente; direitos derivados de vendas, adiantamentos ou empréstimos a sociedades coligadas ou controladas, acionistas, diretores ou participantes no lucro (não constituem negócios usuais).

RECEITAS: São entradas de elementos para o ativo da empresa, na forma de bens ou direitos que sempre provocam um aumento da situação líquida. REGIME DE CAIXA: Quando, na apuração dos resultados do exercício são considerados apenas os pagamentos e recebimentos efetuados no período. Só pode ser utilizado em entidades sem fins lucrativos, onde os conceitos de recebimentos e pagamentos muitas vezes identificam-se com os conceitos de receitas e despesas. REGIME DE COMPETÊNCIA: Quando, na apuração dos resultados do exercício, são considerados as receitas e despesas, independentemente de seus recebimentos ou pagamentos. É obrigatório nas entidades com fins lucrativos. RESERVAS DE CAPITAL: São contribuições recebidas por proprietários ou de terceiros, que nada têm a ver com as receitas ou ganhos. RESERVAS DE LUCROS: São obtidas pela apropriação de lucros da companhia ou da empresa por vários motivos, por exigência legal, estatutária ou por outras razões. RESERVAS DE REAVALIAÇÃO: Indicavam acréscimo de valor ao custo de aquisição de Ativos já corrigidos monetariamente, baseado no mercado, até 31.12.2007. Tais reservas foram extintas pela Lei 11.638/2007. RESULTADO DE EXERCÍCIO FUTURO: Compreende as receitas recebidas antecipadamente (receita antecipada) que de acordo com o regime de competência pertence a exercício futuro, deduzido das respectivas despesas e custos. Este grupo foi extinto pela MP 449/2008. RESULTADO OPERACIONAL (lucro ou prejuízo operacional): É aquele que representa o resultado das atividades, principais ou acessórias, que constituem objeto da pessoa jurídica.

IDENTIFIQUE AS AFIRMAÇÕES VERDADEIRA E AS FALSAS:
( ) as entidades poderão elaborar as demonstrações financeiras no ultimo dia de cada ano; ( ) no passivo existem somente contas que representam Capitais Próprios e o Resultado de Exercícios Futuros; ( ) capitais de terceiros são as obrigações de curto praz (Passivo Circulante) e as obrigações a longo prazo (Exigível a Longo Prazo); ( ) capitais próprios são compostos por Passivo Circulante mais Patrimônio Liquido; A analise de balanço baseia-se ( ( ( ( ) nos comprovantes das ocorrências dos fatos administrativos ) no contrato de contituiçao da sociedade. ) nas demonstrações financeiras. ) nda.

Em analise de balanço, embora existam formulas já consagradas, é preciso considerar: ( ) que todas as entidades são iguais. ( ) a individualidade de cada entidade. ( ) que todas as entidades do mesmo ramo apresentam, os mesmo resultados. ( ) nda. O grau de endividamento e a existência ou não de solvência da entidade são conhecidos através: ( ) da analise econômica. ( ) da analise financeira. ( ) da analise do ativo. ( ) nda. 1- Na Análise Vertical , o percentual de uma conta mostra: ( ) o resultado de uma divisão que em princípio nada permite concluir; ( ) a comparação de uma conta em relação ao ano anterior; ( ) sua real importância no conjunto 1- Na análise horizontal, a evolução de cada conta mostra:

( ) os caminhos trilhados pela empresa e as possíveis tendências; ( ) a participação de cada conta em relação a um todo; ( ) uma divisão entre duas contas distintas; 2- Enquanto um índice pode informar, por exemplo, que uma empresa está em baixa liquidez, a análise vertical/horizontal apontará qual o item: ( ) que compreende o principal credor e como se alterou a participação nos últimos ano; ( ) que, eventualmente, tenha crescido desproporcionalmente; ( ) responsável pelo alto endividamento; 3- A regularidade de comportamento dos diversos itens das demonstrações financeiras é sinal de: ( ) insegurança da administração; ( ) uma elevação do risco empresarial; ( ) manutenção das condições operacionais; 4- Toda a empresa está sujeita à falta de dinheiro em determinados momentos dadas as naturais incertezas e irregularidades da atividade empresarial. Normalmente, essa carência de moeda é suprida por: ( ) dívidas de longo prazo; ( ) empréstimos de emergência; 5- A falta crônica de dinheiro e a perspectiva a longo prazo de agravamento da insuficiência de entradas em caixa em faze das saídas comprometidas, caracterizam a insolvência, cuja solução pode ser a: ( ) concordata ou falência; ( ) negociação com os credores; 6- As demonstrações financeiras, muitas vezes, escondem detalhes, que só uma análise mais acurada possibilita evidenciar. Para isso é necessário: ( ) tomar vários balnços sucessivos e preparar análise vertical/horizontal; ( ) analisar um só balanço; ( ) ler o relatório da administração; ( ) ler as notas explicativas, pois elas, realmente, fornecem todos os detalhes. 7- A análise vertical/horizontal utiliza percentuais por que? ( ) facilita a análise; ( ) permite melhor comparabilidade a visualização; ( ) estabelece a real grandeza entre os valores; ( ) tomada de empréstimos e financiamentos; ( ) vendas de ativo imobilizado;

CLASSIFIQUE NO ATIVO, PASSIVO E PATRIMONIO LIQUIDO AS CONTAS ABAIXO: 1-Titulo a Pagar: 2-Dinheiro no cofre da empresa: 3-Letras de câmbio (adquiridas pela empresa como investimento):

4-Contas a receber de diretores: 5-Capital que os sócios investiram no negócio: 6-Veículos comprados: 7-Ordenados a pagar: 8-Dinheiro depositado em banco: 9-Ações de outras companhias: 10-Imposto de renda a pagar: 11-Estoques de mercadorias: 12-Terrenos: 13-Duplicatas de receber: 14-Empréstimos bancários a pagar: 15-Encargos sociais a pagar: 16-Patentes a adquiridas: 17-Gratificações a pagar: 18-Contas a pagar: 19-Comissões a pagar: 20-Equipamentos: 21-Veículos: 22-Capital social: 23-Empréstimos concedidos a empregados: 24-Títulos a receber: 25-Depósitos bancários a prazo fixo: 26-Edifícios: 27-Mercadorias:

1. Dados os elementos patrimoniais a seguir, colocar: (A) se for aplicação de recursos (FP) se for fonte de recursos próprios (FT) se for fonte de recurso de terceiros a. ( ) mercadorias em estoque b. ( ) capital social c. ( ) imposto a pagar d. ( ) aplicação financeira e. ( ) patrimônio líquido f. ( ) empréstimos g. ( ) máquinas h. ( ) Duplicatas a receber i. ( ) Duplicas a pagar (fornecedores)

2. Dados os elementos patrimoniais a seguir, colocar: (B) se for bem (D) se for direito (O) se for obrigação (PL) se for patrimônio líquido a. ( ) capital social b. ( ) duplicas a receber (clientes) c. ( ) terrenos d. ( ) salários a pagar e. ( ) depósito na poupança f. ( ) dinheiro em caixa g. ( ) promissórias a receber h. ( ) saldo bancário i. ( ) móveis

3. Classifique as contas em Contas Patrimoniais (PT) e Contas de Resultados (RE): a. ( ) Caixa b. ( ) Estoque de mercadoria c. ( ) Fornecedores d. ( ) Veículos e. ( ) Receitas de serviços f. ( ) Fretes e carretos

4. Indique a natureza das Contas, colocando as seguintes letras de referências: D = Devedora C = Credora a. ( ) Caixa b. ( ) Estoque de mercadoria c. ( ) Fornecedores d. ( ) Veículos

g. ( ) Banco h. ( ) Duplicatas a receber i. ( ) Capital j. ( ) Juros passivo k. ( ) Impostos l. ( ) Impostos a pagar m. ( ) Móveis e utensílios n. ( ) Aluguéis Ativos o. ( ) Receitas de vendas p. ( ) Alugueis Passivos q. ( ) Alugueis a Pagar r. ( ) Água e esgoto s. ( ) Duplicatas a pagar t. ( ) Clientes u. ( ) Imóveis v. ( ) Descontos concedidos w. ( ) Descontos obtidos x. ( ) Despesas de Constituição

e. ( ) Receitas de serviços f. ( ) Fretes e carretos g. ( ) Banco h. ( ) Duplicatas a receber i. ( ) Capital j. ( ) Juros passivo k. ( ) Impostos l. ( ) Impostos a pagar m. ( ) Móveis e utensílios n. ( ) Aluguéis Ativos o. ( ) Alugueis Passivos p. ( ) Alugueis a Pagar q. ( ) Água e esgoto r. ( ) Duplicatas a pagar s. ( ) Clientes t. ( ) Imóveis u. ( ) Descontos concedidos v. ( ) Descontos obtidos w. ( ) Despesas de Constituição

5. Dados os elementos patrimoniais a seguir, colocar: (A) se for ativo (P) se for passivo a. ( ) promissórias a receber b. ( ) prédios c. ( ) aplicação financeira d. ( ) capital social inicial e. ( ) INSS a recolher f. ( ) adiantamento em dinheiro de clientes g. ( ) comissões a pagar h. ( ) veículos

6. Classifique as contas abaixo nos seus grupos e sub-grupos?

*duplicatas a receber *duplicatas a pagar *maquinas e ferramentas. *capital a integralizar

Cia revolução. A cia. Revolução apresentava em 31.12.x1, o seguinte conjunto de bens, direitos e obrigações: Dinheiro em banco Duplicatas a receber Contas a pagar Estoque Maquinários Empréstimos a pagar Imóveis Fornecedores Encargos a pagar Pede-se: O total de bens : R$__________________________ O total de direitos __________________________ O total de obrigações __________________________ R$ 60.000.000,00 R$ 48.900.000,00 R$ 20.000.000,00 R$ 91.100.000,00 R$ 120.000.000,00 R$ 80.000.000,00 R$ 800.000.000,00 R$ 120.000.000,00 R$ 90.000.000,00

R$ R$

O patrimônio liquido __________________________ Resposta:

R$

De acordo com a lei 6.404/76 , leis das sociedades anônimas , as contas do ativo circulante serão classificadas do seguinte modo: A) As disponibilidades , os valores a receber e o estoques. B) As disponibilidades , os direitos realizáveis no curso do exercício social subseqüente e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. C) As disponibilidades , os direitos realizáveis durante o exercício e as aplicações de recursos em despesas do exercício seguinte. D) As disponibilidades , os créditos em geral , os estoques e as despesas antecipadas. E) As disponibilidades , os valores a receber , os estoques e as despesas antecipadas. A partir do balancete elaborado pela cia. Comercial , foi montado o seguinte balanço patrimonial: Ativo Ativo circulante Caixa Mercadorias Duplicatas a receber Capital a realizar Ativo permanente Veículos Móveis e utensílios Depreciação acumulada Passivo Circulante Duplicatas a pagar Duplicatas descontadas Imposto a recolher Patrimônio líquido Capital social Lucros acumulados R$ 5.000,00 R$ 3.000,00 R$ 2.500,00 R$ 23.000,00 R$ 21.000,00 R$ 2.000,00 R$ 15.000,00 R$ 10.000,00 R$ ( 7.000,00) R$ 1.000,00 R$ 6.000,00 R$ 7.000,00 R$ 1.500,00

Analisando a natureza das contas que integram o balanço acima e considerando que o saldo de cada conta está correto, podemos afirmar que: A) O balanço patrimonial está corretamente apresentado , pois esta fechado com o somatório de R$ 33.500,00 Ac 15.500,00 + ap 18.000,00 = total 33.500,00 Pc 10.500,00 + pl 23.000,00 = total 33.500,00 B) O balanço patrimonial esta errado , pois a conta duplicatas descontadas deve reduzir de duplicatas a receber . O correto seria: Ac 12.500,00 + ap 18.000,00 = total 30.500,00 Pc 7.500,00 + pl 23.000,00 + total 30.500,00 C) O balanço patrimonial esta errado , pois a conta capital a realizar deve reduzir o capital social . O correto seria: Ac 14.000,00 + Ap 18.000,00 = total 32.000,00 Pc 10.500,00 + PL 21.500,00 = total 32.000,00 D) O balanço patrimonial esta errado , pois a conta duplicatas descontadas deve reduzir duplicatas a pagar e a conta capital a realizar deve reduzir da capital social . O correto seria: Ac 14.000,00 + Ap 18.000,00 = total 32.000,00 Pc 4.500,00 + PL 21.500,00 = total 26.000,00 E) O balanço patrimonial esta errado , pois a conta duplicatas descontadas deve reduzir de duplicatas a receber e a conta capital a realizar deve reduzir capital social . O correto seria: Ac 11.000,00 + Ap 18.000,00 = total 29.000,00 Pc 7.500,00 + PL 21.500,00 = total 29.000,00

ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
3.1- INTRODUÇÃO

3.1.1 - CONCEITOS
Contabilidade: É a ciência que controla o patrimônio das entidades, mediante o registro demonstração expositiva e a interpretação dos fatos nele patrimonial. Analise de balanços: É a arte de saber extrair relações úteis, para o objetivo econômico que tivermos em mente dos relatórios contábeis tradicionais e de suas extensões e detalhamentos se forem o caso. É o desejo de conhecer o estado econômico , financeiro e residual , as modificações ocorridas e suas causas e , ainda as projeções que possam ser feitas. Objetivos: objetiva extrair dos demonstrativos financeiros para a tomada de decisões. A analise de balanços transforma os dados em informações. Dados: são números ou descrições de objetos ou eventos que isoladamente não provocam nenhuma reação no setor. Informações: representam , para quem as recebe, uma comunicação que pode produzir reação ou decisão freqüentemente acompanhadas de um efeito surpresa. ocorridos , com o fim de oferecer informações sobre sua composição e suas variações bem como o resultado econômico decorrente da gestão da riqueza

3.2 - TÉCNICAS DE ANÁLISES E OBJETIVOS
Técnicas Padronizar ou reclassificação das contas Analise vertical / horizontal Analise através de índices Analise do capital de giro Analise da rentabilidade Objetivos Dar as demonstrações financeiras formas mais adequadas para analise Possibilidade a descrição e detalhamento da situação econômico-financeiro que escapa da abrangência dos índices Permite a elaboração de um diagnostico geral da situação econômico-financeiro estrutural da empresa Evidencia como a administração esta tomando as decisões que afetam os investimentos e o financiamento do capital de giro Dar uma ampla e profunda visão sobre os fatos que interferem na rentabilidade de uma empresa

3.3 - PRODUTOS DE ANÁLISE DE BALANÇOS
Situação financeira; Situação econômica; Desempenho; Eficiência na utilização de recursos;

Pontos fortes e fracos; Tendências e perspectivas; Quadro evolutivo (análise vertical e horizontal); Causas das alterações na situação financeira; Causas das alterações na rentabilidade; Evidência de erros da administração; Providências que deveriam ser tomadas e não foram; Avaliação de alternativas econômico-financeiros futuros.

RESPONDA: BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO ATIVO Caixa e Bancos Aplicações Financeiras Duplicatas a Receber Estoques Outros Créditos CIRCULANTE Empréstimos a Coligadas Outros Créditos REALIZÁVEL PRAZO Investimentos A Ano 1 AV % Ano 2 465 589 10.580 26.860 927 39.421 12.520 795 LONGO 13.315 8.289 2.235 4.650 24.134 17.299 337 48.655 1.260 775 2.035 7.239 AV Ano 3 % 118 235 25.744 28.765 0 54.862 1.250 489 1.739 7.985 AV %

Imobilizado Diferido PERMANENTE TOTAL DO ATIVO

58.650 2.986 69.925

60.883 2.234 70.356

56.665 896 65.546

122.66 100 121.04 100 122.14 100 1 6 7

PASSIVO Fornecedores Salários/Encargos Sociais a Pagar Impostos a Pagar Empréstimos Contas a Pagar Imposto de Renda CIRCULANTE Financiamentos EXIGÍVEL A LONGO PRAZO Capital Reserva de Capital Lucros Acumulados (Prejuízos)

Ano 1 AV % Ano 2 31.821 1.285 2.325 15.084 8.691 0 59.206 2.389 2.389 25.260 28.250 7.556 61.066 122.66 100 1 31.859 230 435 2.635 4.690 1.280 41.129 12.737 12.737 29.000 27.150 11.030 67.180

AV %

Ano 3 27.853 1.230 1.312 4.730 1.866 3.424 40.415 7.958 7.958 50.000 7.920 15.854 73.774

AV %

PATRIMÔNIO LÍQUIDO TOTAL DO PASSIVO

121.04 100 6

122.14 100 7

DEMONSTRATIVO DE RESULTADOS Ano 1 AV % Ano 2 VENDAS LÍQUIDAS 179.90 100 0 AV % Ano 3 AV %

165.40 100 0

188.52 100 0

Custo Produtos Vendidos LUCRO BRUTO Despesas Operacionais Despesas com Vendas Despesas Administrativas Despesas Financeiras (+) Receitas Financeiras (+/-) Patrimonial Equivalência

142.60 9 37.291 12.650 13.191 21.594 187 1.080 -8.877 Não 559 -8.318

133.86 0 31.540 10.345 6.590 9.580 2.230 237 7.492 -98 1.280 6.114

145.08 1 43.439 15.205 15.630 1.560 1.080 -985 11.139 -1.121 3.424 6.594

LUCRO OPERACIONAL Rec. (Desp.) Operacionais Provisão Imposto Renda LUCRO LÍQUIDO

BALANÇO PATRIMONIAL
Ativo Circulante : Esse grupo contempla os investimentos circulantes, ou seja as aplicações em disponibilidades financeiras ( caixa, bancos, aplicações em títulos vinculados ao mercado aberto, de liquidez imediata ), bem como os direitos de credito sobre cliente e outros devedores por operações realizadas a prazo ( contas a receber, duplicatas a receber, clientes ), os estoques ( mercadorias, matérias primas, produtos em elaboração, produtos acabados ) e outros bens e direitos realizáveis no curso do exercício seguinte – curto prazo, isto é, até 12 meses da data do balanço, caso a classificação não tenha como base a duração do ciclo operacional.Serão também classificadas no ativo circulante as aplicações de recursos em despesas apropriáveis ao custo do exercício seguintes. Trata-se de despesas pagas ou assumidas, porém ainda não incorridas – princípios da competência de exercício e da realização da receita. Ativo Realizável a Longo Prazo : Ativo realizável a longo prazo leva em consideração dois fatores: o prazo e a pessoa do devedor. Quanto ao prazo, classificam-se nesse grupo os direitos realizáveis após o termino do exercício seguinte ou, ainda, os valores realizáveis em prazos superiores aos prazos estabelecidos para o ativo circulante – caso a base seja a duração do ciclo operacional. Ativo Permanente : Nesse grupo as aplicações de recursos em elementos que se destinam ao uso por prazo indeterminado, ou que a empresa não tenha a intenção de alienar e, ainda, as aplicações em despesas que serão apropriadas aos resultados de mais de um exercício social. Esse grupo é subdividido em três subgrupos: investimentos, ativo imobilizado e ativo diferido. -Investimentos: classificadas as participações societárias de caráter permanente, as aplicações em terrenos para futura expansão da empresa e etc. -Ativo Imobilizado: são classificados os direitos que tenham por objetivo bens destinados a manutenção das atividades da empresa, ou exercidos com essa finalidade inclusive os de propriedades industrial ou comercial. E conhecido normalmente como imobilizações técnicas, porque e constituído de elementos de uso permanente ( vida útil ) destinados á consecução dos objetivos sociais da empresa. -Ativo diferido: São classificados nesse grupo, alem das aplicações em despesas que contribuirão para o formação dos resultados de mais de um exercício social, os juros pagos ou creditados aos acionistas durante o período que anteceder o inicio das operações sociais. Passivo Circulante e Passivo Exigível à Longo Prazo

Serão classificados no passivo circulante os débitos de funcionamentos e de financiamento da empresa, isto é, as obrigações assumidas pela empresa para a realização de suas operações ( dividas contraídas junto a fornecedores, salários devidos a empregados e os respectivos encargos sociais, os impostos devidos sobre as operações realizadas etc, ) e as obrigações assumidas por financiamentos obtidos (empréstimos junto a instituições financeiras). As obrigações cujo vencimento ultrapassem o período previsto para o passivo circulante serão registradas no passivo exigível a longo prazo. Patrimônio Líquido : Integram o patrimônio liquido as contas representativas dos capitais próprios, que registram os recursos provenientes de sócios ou acionistas, bem como suas variáveis em decorrência dos resultados da gestão economia - financeira da empresa. Patrimônio Líquido É a diferença entre o valor do Ativo e do Passivo de uma empresa. Em termos de analise, costuma-se denominar o Patrimônio liquido de Capital Próprio, ou situação liquida do patrimônio, que é dividido em: Capital Social , Lucros ou prejuízos acumulados Capital Social Existe varias definições de Capital Social, por isso será preciso fazer-se sua distinção: - Capital autorizado: limite permitido pelo estatuto para fixação do Capital Social, no futuro ; - Capital Subscrito: É a parte subscrita pelo acionista, dentro do limite autorizado pelo estatuto ; - Capital Realizado: È a parte subscrita do capital realizada em dinheiro, bens ou direitos. A parte não realizada ou integralizada é denominada de Capital a Realizar ou a Integralizar. Reservas De Capital As reservas de capital não são formadas por derivação da atividade lucrativa. São contribuições estranhas a atividade operacional da empresa e que refletem aumento do Patrimônio Liquido. Ex: Reserva de ágio por subscrição de ações, Reserva de doações de bens, Reserva de incentivos fiscais, Reserva de subvenção de investimentos, etc. Reservas de Reavaliação A reavaliação indica acréscimo de valor ao custa de aquisição já corrigido monetariamente, baseada em preço de mercado. Ex: Uma empresa adquire um imóvel pelo valor de 100,00. Depois de alguns anos, o registro contábil indica, para esse Imóvel de uso 200,00. Mas o valor provável de realização, com base nas condições prevalecentes do mercado imobiliário, pode ser de 300,00. A diferença entre o valor provável de mercado e o custo de aquisição corrigido monetariamente é chamado de reavaliação do bem. Reserva de lucros: A apropriação de lucros podem indicar a formação de reservas, que podem ser: - Reservas legais: Trata-se de reserva obrigatória e se destina a preservar a integridade do capital social (limite mínimo de 5% e máximo de 20% do capital realizado), em casos especiais, a reserva legal pode deixar de ser obrigatória no exercício em que o seu saldo, acrescido do montante existente de reservas, exceder a 30% do capital realizado. ; - Reservas para Contingências: A assembléia geral dos acionistas ou sócio-quotistas pode deliberar a retenção de lucros para a formação de reserva para contingências com a finalidade de compensar, em exercício futuro, a diminuição de lucro decorrente de perda julgada provável, cujo valor possa ser estimado ; - Reserva para Investimentos: Se a empresa se encontrar em fase de expansão que exigira a aplicação de recursos próprios ou de outros derivados de financiamentos das instituições, a empresa poderá reter uma parte do lucro liquido , destinada a atender os investimentos requeridos no planejamento ; -Reservas de lucros a realizar: A empresa pondera formar uma reserva de lucros a realizar, destinada, juntamente com as demais reservas de lucros, de acordo com a correção monetária e ganhos por equivalência patrimonial, evitando-se, assim a descapitalização da empresa. Lucros ou Prejuízos Acumulados Do lucro liquido do exercício, uma parte pode ser apropriada segundo a formação de reservas que indiquem finalidades especificas, outra, para os acionistas, na forma de dividendo obrigatório, e ainda restar um valor que será mantido em conta de lucros ou prejuízos acumulados, conforme o caso. A conta de lucros acumulados indica os lucros acumulados de vários exercícios que não foram utilizados para a sua incorporação ao Capital Realizado nem para absorção de prejuízos ou pagamento de dividendos. Se a empresa operar em regime excepcional de prejuízo, essa situação há de refletir diminuição do Patrimônio Liquido. Nesse caso, a conta de Prejuízos Acumulados tem a função de retificar o montante do Patrimônio Liquido. DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO

Essa demonstração tem por objetivo evidenciar o resultado que a empresa teve (lucro ou prejuízo) durante o exercício, e é um resumo das receitas e despesas da empresa nesse período. É apresentada de forma dedutiva (das receitas subtraem-se as despesas e indica-se o resultado). CONCEITO DE RECEITA E DESPESA Receita corresponde a entrada de dinheiro em caixa ou de direitos a receber. Normalmente oriunda da venda de mercadorias ou prestação de serviços. Despesa é todo o sacrifício que a empresa faz para obter receita. É refletida no balanço através de aumento de redução de caixa ou aumento de dívida. DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS 1) CONCEITO DE CONTABILIDADE

Contabilidade é a metodologia especialmente concebida para captar, registrar, acumular, resumir e analisar os fenômenos que afetam as situações patrimoniais, financeiras e econômicas de qualquer ente, seja este pessoa física, entidade de finalidades não lucrativas, empresa, seja mesmo pessoa de Direito Público. Para captar as os fenômenos a contabilidade necessita dos documentos hábeis para contabilização, que são os documentos revestidos das formalidades legais e possíveis de contabilização. A contabilidade registra esses fenômenos no que chamamos de Livros Contábeis, dos quais os dois principais são o Livro Diário e o Livro Razão. No livro diário estão registradas todas as operações da empresa em ordem cronológica de acontecimento. O livro razão demonstra toda a movimentação ocorrida em uma única conta, por exemplo, se eu quiser saber todo o movimento que aconteceu no caixa de um período, eu olho o livro razão da conta caixa. O acúmulo e o resumo das informações contábeis se realizam através do que chamamos Demonstrativos Contábeis e servem para demonstrar a situação financeira, econômica e patrimonial da empresa em determinado momento. As duas principais demonstrações financeiras são: Balanço Patrimonial e a Demonstração do Resultado do Exercício. Hoje, a contabilidade tem aplicação a qualquer tipo de pessoa, física ou jurídica, com finalidade lucrativas ou não, que tenham necessidade de exercer atividades econômicas para alcançar as suas finalidades, mesmos que tais atividades econômicas não sejam a sua atividade fim. 2) USUÁRIOS DA CONTABILIDADE

São várias as pessoas físicas ou jurídicas que se utilizam da Contabilidade para verificar a situação de uma empresa, podemos citar os seguintes: a) Sócios, acionistas e proprietários de quotas societárias de maneira geral: estes usam essas informações para saber qual o andamento da empresa nas quais eles investem, e verificarem o retorno do investimento realizado; b) Administradores, diretores e executivos dos mais diversos escalões: para estes usuários a Contabilidade serve como meio de informação para a tomada de decisões dentro da empresa, pois tudo o que acontece na empresa em termos financeiros, econômicos e patrimoniais, tem que estar registrado na Contabilidade; c) Bancos, capitalistas, emprestadores de dinheiro: o interesse destes agentes financeiros está em conhecer a saúde financeira da empresa para a qual emprestarão recursos, verificando a capacidade de pagamento e endividamento de cada empresa através dos demonstrativos contábeis; d) Governo e economistas em geral: a contabilidade também serve de informação para que o governo possa auditar o correto pagamento dos impostos de uma empresa, bem como para analisar como vai determinado ramo de atividade econômica. 3) OBJETO DE ESTUDO DA CONTABILIDADE

Pode-se dizer em sentido amplo que o objeto de estudo da contabilidade é o Patrimônio Empresarial. Podese definir patrimônio empresarial como o conjunto de bens, direitos e obrigações que uma empresa possui. Os bens são coisas capazes de satisfazer às necessidade humanas e suscetíveis de avaliação econômica, podendo citar como exemplo: veículos, móveis, computadores, entre outros.

Os direitos constituem para a empresa todos os valores que ela tem a receber de terceiros (terceiros são pessoas que se relacionam com a empresa, mas não tem vínculo jurídico com a mesma, ou seja, não são sócios nem acionistas da empresa, por exemplo os clientes). Podemos citar como exemplo de direitos as Duplicatas a Receber, Notas Promissórias a receber, aluguéis a receber, etc) As obrigações constituem para a empresa, todos os valores que ela tiver que pagar a terceiros ou prestar contas aos seus sócios ou acionistas. Exemplos: Duplicatas a Pagar, Impostos a Pagar, Salários a Pagar, Capital investido pelos sócios entre outros. Sócios ou acionistas, são as pessoas físicas ou jurídicas, que se reúnem para constituir uma empresa ou então compram ações de uma empresa já existente. Ao valor investido pelos mesmos nas empresa damos o nome de Capital, e dizemos que é uma obrigação pois a empresa tem que prestar contas desse valor aos seus sócios ou acionistas. 4) CONCEITO DE BALANÇO PATRIMONIAL

O Balanço Patrimonial é uma das mais importantes demonstrações contábeis, por meio do qual podemos apurar (atestar) a situação patrimonial e financeira de uma entidade em determinado momento. É a demonstração ordenada de todos os bens, direitos e obrigações da empresa expressos em moeda em determinado momento. É composto por três “grandes” grupos, à saber: ATIVO: compreende todos os bens e direitos da entidade expressos em moeda, em determinado período; PASSIVO: compreende basicamente as obrigações, isto é, as quantias que a entidade deve a terceiros; PATRIMÔNIO LÍQUIDO: é a diferença entre o ativo e o passivo de uma entidade. Podemos dizer também que o Patrimônio Líquido corresponde às obrigações que a empresa tem com os seus acionistas/sócios, pois estes investidores da empresa e tem o direito de exigir o retorno dos valores investidos. EXEMPLO BÁSICO DE BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO Bens 10.000,00 Obrigações (3º) Direitos 15.000,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO Obrigações (sócios) 10.000,00 TOTAL 25.000,00 TOTAL 15.000,00 25.000,00

Note que o Patrimônio Líquido corresponde à diferença entre o Ativo e o Passivo (25.000,00 – 15.000,00 = 10.000,00). A este valor podemos dar o nome também de situação líquida, que poderá configurar da seguinte maneira: a) Ativo > Passivo = situação líquida positiva, ou Patrimônio Líquido Positivo; b) Ativo < Passivo = situação líquida negativa, Patrimônio Líquido Negativo ou ainda, Passivo à Descoberto. Este caso ocorre quando os prejuízos da empresa superam o capital investido pelos sócios. c) Ativo = Passivo = situação líquida nula ou Patrimônio Líquido Inexistente. No Balanço Patrimonial os bens, direitos e obrigações são agrupados e resumidos no que chamamos de contas. Conta é o nome dado ao item do Balanço Patrimonial para agrupar valores que tem a mesma característica. Utilizam-se contas separadas para representar cada tipo de elemento do Ativo, do Passivo e do Patrimônio Líquido. Cada uma destas contas é distinguida das demais por sua denominação, e agruparão elementos de característica semelhante, por exemplo: a) a movimentação do dinheiro em espécie à disposição da empresa é agrupado na conta chamada CAIXA; b) o conjunto formado por cadeiras, mesas, armários, pode ser registrado em uma única conta chamada MÓVEIS E UTENSÍLIOS; EXEMPLO DE BALANÇO PATRIMONIAL COM UTILIZAÇÃO DAS CONTAS ATIVO PASSIVO Caixa Duplic a Receber Capital Social TOTAL 10.000,00 Duplic a Pagar 15.000,00 PATRIMÔNIO LÍQUIDO 10.000,00 25.000,00 TOTAL 15.000,00 25.000,00

5) a) b) 6)

FONTES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO Investimentos: Efetuados pelos proprietários em troca de ações, quotas ou outras participações; Lucros: Acumulados na entidade como fonte adicional de financiamento. AS VÁRIAS CONFIGURAÇÕES DO CAPITAL

a) Capital Nominal ou Social: é o investimento inicial feito pelos proprietários de uma empresa. O Capital Social deverá ser registrado no Contrato Social ou Estatuto Social da empresa e só sofrerá alterações no Balanço Patrimonial quando os proprietários realizarem investimentos adicionais ou desinvestimentos que forem registrados em alterações contratuais; b) Capital Subscrito: é o termo dado ao Capital Social que está registrado no Contrato ou Estatuto Social de uma empresa mas que ainda não foi realizado pelos sócios ou acionistas. Por exemplo: quando dois sócios resolvem abrir uma empresa com determinado capital social e registram este valor no estatuto ou contrato, damos o nome de Capital Subscrito; c) Capital Integralizado ou Realizado: corresponde ao Capital Subscrito pelos sócios e que já foram efetivados pelos mesmos. Exemplo: dois sócios registram em contrato um capital de R$ 10.000,00, e abrem uma conta bancária em nome da empresa e fazer o depósito imediatamente. Neste caso dizemos que o capital está integralizado ou realizado. Notem que pode acontecer de um capital estar subscrito (registrado) mais ainda não integralizado;

d) Capital Próprio: corresponde ao conceito de Patrimônio Líquido, abrange o capital e suas variações. Recebe este nome pois corresponde a um valor investido na empresa e que pertence aos proprietários da mesma. Exemplo: Capital Integralizado; e) Capital de Terceiros: corresponde aos investimentos feitos na empresa, com recursos de terceiros (passivo); f) Capital a Disposição da Empresa: pode-se conceituar como o conjunto de valores disponíveis para a empresa em determinado momento (Ativo); 7) CONCEITO DE ORIGENS E APLICAÇÕES DE RECURSOS NO BALANÇO PATRIMONIAL

Uma forma de se entender a movimentação de contas no Balanço Patrimonial é o conceito de Origens e Aplicações de Recursos. Neste método dizemos que as aplicações de recursos da empresa estão demonstradas no seu Ativo, ou seja, a empresa aplica os seus recursos em bens e direitos. As origens de recursos estão concentradas no Passivo e no Patrimônio Líquido da empresa, pois quando compro uma mercadoria, e fico devendo este valor à um fornecedor (passivo), este foi uma origem de recursos, que foi aplicada no meu ativo (mercadorias). Quando o acionista abre a empresa e faz o investimento inicial na empresa (capital social), esta é uma origem de recurso que será aplicada em bens ou direitos da empresa (Ativo). Portanto, sempre que estivermos aumentando os bens e direitos de uma empresa, isso será considerado uma aplicação de recursos, que aumentará o valor total do Ativo. Em contrapartida, sempre que a empresa obter uma nova obrigação, seja com terceiros ou com acionistas, será considerado uma origem de recursos, e isso aumentará o valor do Passivo (se for de terceiros) ou do Patrimônio Líquido (se for do sócio). EXEMPLO DE REGISTRO DE OPERAÇÕES 1ª OPERAÇÃO: Duas pessoas resolvem abrir uma empresa prestadora de serviços e elaboram o contrato social da empresa “Serviços Dentinho Ltda” com Capital Social de R$ 100.000,00, em dinheiro, totalmente subscrito e integralizado neste ato; 2ª OPERAÇÃO: A empresa resolve abrir uma conta no “Banco Juros Altos S/A” transferindo R$ 90.000,00 do caixa para a conta bancária;

3ª OPERAÇÃO: A empresa adquiriu um veículo, financiado, sem entrada no valor de R$ 20.000,00, conforme contrato de financiamento; 4ª OPERAÇÃO: A empresa adquiriu mercadorias para colocar em seu estoque no valor de R$ 10.000,00, sendo 50% pagos à vista, com cheque nº 0001 do Banco Juros Altos S/A, e 50% para pagamento à prazo, conforme a emissão de duplicatas; 5ª OPERAÇÃO: Os sócios resolveram aumentar o Capital Social da empresa, realizando a alteração do contrato social, doando um imóvel para a empresa no valor de R$ 30.000,00; 6ª OPERAÇÃO: A empresa pagou, em dinheiro, R$ 2.000,00 da mercadorias compradas na 4ª operação. Pede-se: Elaborar um Balanço Patrimonial após cada operação.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->