Você está na página 1de 39

Centro de Formação Técnica

Conteúdo Programático
Habilitação Profissional de Técnico em Eletrotécnica

1
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Cálculo I
Responsável:

EMENTA:
Limites; continuidade; estudo das derivadas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1- Limites e continuidade de funções:

Definições
Limites Laterais
Continuidade
Limites Infinitos
Limites no Infinito
Limites Fundamentais

2- Derivadas:

Definições
Regras de Derivação (simples e composta)
Regra da Cadeia
Regra L’Hospital
Máximos e Mínimos de Funções
Funções Crescentes e Decrescentes
Concavidade e Ponto de Inflexão
Derivada de Funções Implícitas

OBJETIVOS:
Introdução ao estudo de funções de uma variável, limites, derivadas e integrais, numa abordagem não formal.

METODOLOGIA:
Estudo de Caso
Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
LEITHOLD, Louis. O cálculo com geometria analítica. 2 v. São Paulo: Harbra.
SWOKOWSKI, Earl Willian. Cálculo com geometria analítica. 2 v. São Paulo:
Makron Books.
HOFFMANN, Laurence. Um cálculo moderno e suas aplicaões. Rio de Janeiro:LTC.
ANTON, Howard. Cálculo: um novo horizonte. Porto Alegre: Bookman.

2
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Desenho Técnico
Responsável:

EMENTA:
Fundamentos do Desenho Técnico: classificação, normas, formatos de papel e caligrafia.
Desenho Auxiliado por Computador (CAD): interface, coordenadas, comandos de desenho, edição e texto.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Instrumentos de desenho técnico;
2. Figuras geométricas;
3. Escalas;
4. Sistemas de Representação em Desenho Técnico;
5. Projeções;
6. Corte, seção e encurtamento;
7. Vistas;
8. Cotagem;
9. Tolerância;
10. Estado de Superfície;
11. Normas técnicas para desenho técnico;
12. Interpretação e criação de projetos industriais;
13. Conceitos fundamentais sobre desenho assistido por computador;
14. Criando e editando desenhos;
15. Visualizando e obtendo informações sobre objetos;
16. Desenhando em perspectiva;
17. Criando e utilizando blocos – biblioteca de símbolos;
18. Sistemas de numeração;
19. Hardware e software;
20. Sistemas operacionais;
21. Noções de segurança computacional;
22. Noções de redes de computadores;
23. Noções de internet;
24. Raciocínio Lógico, técnicas de analise e fluxogramas;
25. Estrutura de dados;
26. Programação estruturada;
27. Procedimentos e Funções;
28. Compiladores e Linguagens de programação;
29. Programação orientada a eventos e objetos.

3
OBJETIVOS:
Executar desenhos de acordo com os requisitos das normas utilizando o instrumental técnico;
Reconhecer nos desenhos o caminho para o desenvolvimento de um projeto;
Conhecimento das normas e linguagem do Desenho Técnico;
Desenvolver o raciocínio espacial e a capacidade da representação gráfica;
Desenvolver habilidades de desenho em CAD que possibilitem a leitura e interpretação de projetos.

METODOLOGIA:
Aulas expositivas e exercícios em sala.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas (Diversas Normas na Área de Desenho)
CAPOZZI, D. Desenho Técnico – teoria e exercícios. São Paulo: Laser Press
DUBOSQUE, D. Perspectiva: desenhar passo-a-passo. Lisboa: Evergreen, 1999.
FRENCH, T.E. Desenho Técnico. Porto Alegre: Ed. Globo, 1967, 10 a.impr.
GIESECKE, F. E. et al. Comunicação gráfica moderna. Porto Alegre: Bookman, 2002.
OBERG, L. Desenho Arquitetônico. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1979.
PEREIRA, A. Desenho Técnico Básico. Rio de Janeiro: F. Alves, 1990.
XAVIER, N. Desenho Técnico Básico: expressão gráfica, desenho geométrico, desenho técnico. São
Paulo: Ática, 1988.

4
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Eletroeletrônica Básica
Responsável:

EMENTA:
Conceitos básicos. Elementos e leis dos circuitos elétricos. Circuitos monofásicos, trifásicos e
transformadores.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Energia e matéria.
2. Fundamentos da eletrostática.
3. Geração de energia elétrica.
4. Corrente elétrica.
5. Circuitos elétricos.
6. Resistência elétrica.
7. Lei de Ohm.
8. Instrumentos de medição.
9. Potência elétrica em CC.
10. Magnetismo.
11. Eletromagnetismo.
12. Corrente alternada.

OBJETIVOS:
Medir com instrumentos eletroeletrônicos, aplicando os fundamentos de eletricidade, identificando os
fenômenos físicos e suas aplicações e utilizando-se de cálculos matemáticos.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
Lourenço, Antônio C. de e outros. Circuitos em corrente contínua. São Paulo, Editora Érica, 1996.
Van Valkenbourg. Eletricidade Básica Vol. 1 a 5. São Paulo, Editora ao livro Técnico, 1992.
Niskier, Júlio e Macintyre, A. J. Instalações Elétricas. Rio de Janeiro, Editora Guanabara Koogan, 1992.
Gussow, Milton. Eletricidade Básica. São Paulo, Editora Makron Books, 1985.
U.S. Navy. Eletricidade Básica. São Paulo, Editora Hemus, 1985.

5
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Física I
Responsável:

EMENTA:
Medidas e sistemas de unidades; movimento em uma, duas e três dimensões; leis de Newton; trabalho e
energia; conservação de energia; sistemas de partículas e conservação de momento; colisões; cinemática e
dinâmica das rotações; equilíbrio.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1. Trigonometria; funções trigonométricas; funções trigonométricas inversas


2. Fórmulas trigonométricas; equações trigonométricas
3. Cálculo vetorial; noção de vetor livre e aplicado; soma de vetores, multiplicação de um vetor por um
escalar
4. Produto escalar ou interno; norma (módulo) de um vetor, projeção, ângulo entre dois vetores
5. Produto vetorial ou externo
6. Resolução de equações lineares, quadráticas e bi quadráticas
7. Contato com a função exponencial e a função logarítmica
8. Noção de limite
9. Noção de derivada e regras de derivação
10. Integrais definidos e indefinidos

OBJETIVOS:
Qualificar o graduando na compreensão de fenômenos físicos e solução de problemas em física básica

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
Paul A. Tipler, Física, v.1, 4ª ed., Livros Técnicos e Científicos Editora.
Halliday, Resnick, Walker, Fundamentos de Física, v.1, 7ª ed., Livros Técnicos e Científicos Editora.
Young, Freedman, Física I – Mecânica 10a ed., Editora Person.
Moisés Nussenzweig, Curso de Física Básica: v.1, 4ª ed., Edgard Blücher Editora.
Alonso, Finn, Física Um Curso Universitário, v.1, Edgard Blücher Editora.
Feynman, Lectures on Physics, v.1, Addison Wesley.
Serway, Fisica, v.1, Livros Técnicos e Científicos Editora

6
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Higiene e Segurança no
Trabalho
Responsável:

EMENTA:
Histórico da segurança do trabalho. Normas regulamentadoras – Legislação; Acidentes característicos;
Prevenção e combate a incêndios; Riscos ambientais e profissionais; Higiene do Trabalho.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Fundamentos da Segurança do Trabalho.
2. Fundamentos para a implementação do SGSHST - OHSAS18001
3. Aspectos administrativos e organizacionais da função higiene e segurança.
4. Análise de riscos. Identificação de perigos e avaliação e controlo de riscos
5. Riscos elétricos
6. Prevenção e proteção contra incêndios.
7. Manutenção.
8. Higiene industrial e contaminação química.
9. Ruído e Vibrações.
10. Ambiente térmico
11. Radiações ionizantes e não ionizantes
12. Iluminação.
13. Dispositivos de proteção individual

OBJETIVOS:
Propiciar ao aluno condições de reconhecer as principais causas de acidente e condições de avaliar os riscos
mais comuns;
Capacitar para prevenção e combate a incêndios em indústrias e outros locais de trabalho;
Conscientizar sobre riscos ambientais e profissionais;
Conscientizar sobre a necessidade de higiene do trabalho.

METODOLOGIA:
Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

7
BIBLIOGRAFIA:
IKEGAMI, A.S - Apostila
Fundacentro - Tecnologia da Prevenção dos Acidentes do Trabalho nas Profissões Construção Civil - 1
exemplar
Técnicas de Segurança do Trabalho - 2 exemplares
LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA
ABNT - NBR-5410 - 1 exemplar
Segurança em Eletricidade - Jorge Santos Reis & Roberto de Freitas - Fundacentro - 1 exemplar
BARULHO INDUSTRIAL - L. X. Nepomuceno
RISCOS FÍSICOS - W. Astete Martin - 4 exemplares
THE MERCK INDEX, 12a EDITION, MERCK & C. O. INC. N. J. 1996 - 1 exemplar

8
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Instalações Elétricas
Residenciais
Responsável:

EMENTA:
Utilizar fundamentos teóricos e práticos no dimensionamento e especificação de materiais elétricos.
Desenvolvimento de projetos de instalações elétricas residenciais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1. Previsão de cargas
2. Distribuição de circuitos e quadro de cargas
3. Simbologia e diagramas elétricos
4. Roteiro para executar a distribuição elétrica em planta
5. Especificação da cablagem, proteção e eletrodutos dos circuitos internos
6. Cálculo de demandas
7. Categoria de atendimento e entrada de serviço
8. Sistemas de proteção contra descargas atmosféricas
9. Aterramento com relação à ligação na concessionária

OBJETIVOS:
Projetar e executar instalações elétricas de baixa tensão residenciais, utilizando normas técnicas da ABNT e
ferramentas computacionais de auxílio à elaboração de desenhos e projetos (CAD).

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
COTRIN, Ademaro M. B. Instalações elétricas.
CREDER, Hélio Manual do instalador eletricista.
CREDER, Hélio. Instalações elétricas.
CREDER, Hélio. Instalações hidráulicas e sanitárias.
FUNDACENTRO. Equipamentos de proteção individual.
IPT. Tecnologia de edificações.
Norma Regulamentadora 18 – FUNDACENTRO

9
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Materiais Elétricos
Responsável:

EMENTA:
Utilizar fundamentos teóricos e práticos no dimensionamento e especificação de materiais elétricos.
Desenvolvimento de projetos de instalações elétricas residenciais.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Propriedades Gerais dos Materiais
Introdução a Materiais Elétricos; Revisão - Ligações Químicas; Estruturas Cristalinas; Propriedades Elétricas
Condução nos sólidos condutores, no mercúrio e nos metais em fusão.; Condução nos líquidos; Condução nos gases
Propriedades Mecânicas; Deformação nos metais; Outras propriedades mecânicas; Propriedades Térmicas
Propriedades químicas; Efeito das radiações nos materiais
Corrosão; Propriedades versus Microestruturas
Introdução
Diagramas de Fase
Polimorfismo
Tratamentos Térmicos

2. Materiais Magnéticos
Introdução
Revisão de Conceitos;
Comportamento Magnético; Curvas de Magnetização e Histerese
Classificação dos Materiais Quanto à Permeabilidade; Perdas por Histerese e Correntes Parasitas
Núcleos Magnéticos Laminados ou Compactados; Materiais Magnéticos
Ferro; Diagramas de Fase do Ferro - Carbeto de Ferro (Fe-Fe3C)
Ligas de Ferro-Silicio; ímãs Permanentes; Ligas Ferromagnéticas Diversas

3. Materiais Condutores
Introdução
Algumas características dos materiais condutores; Variação da resistividade com a temperatura e a freqüência
Resistência de contato nos metais; Materiais de Elevada Condutividade
Materiais de Elevada Resistividade; Aplicações Especiais; Supercondutores

OBJETIVOS:
Entendimento das propriedades físicas de dielétricos, materiais magnéticos, materiais condutores e
semicondutores.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

10
BIBLIOGRAFIA:
SCHMIDT, VALFREDO. Materiais Elétricos: Condutores e Semicondutores - Vol. 1. São Paulo: Ed Edgard
Blucher.
SCHMIDT, VALFREDO. Materiais Elétricos: Isolantes e Magnéticos - Vol. 2. São Paulo: Ed Edgard
Blucher.
Materiais Elétricos - Delcyr Barbosa Saraiva, Editora Guanabara Dois BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
CALLISTER Jr., William D.. Mate Van Vlack, Lawrence. Princípios de Ciência e Tecnologia dos Materiais.
Rio de Janeiro: Editora Campus, 1984.

11
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Produção de Textos
Responsável:

EMENTA:
LEITURA ATIVA, ANALITICA E CRITICA DE TEXTOS. PLANEJAMENTO E PRODUÇÃO DE
RESUMOS, RESENHAS CRITICAS E TEXTOS DISSERTATIVO-ARGUMENTATIVOS.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Lingüística e Gramática

2. Leitura e Construção de Sentidos

3. Produção de Textos: Estratégias Dinamizadoras

4. Teorias do Discurso

5. Aspectos Semiológicos do Texto e Fruição Estética

6. Discurso e Argumentação

7. Fonética e Fonologia

8. Efeitos Estilísticos dos Fatos Gramaticais

9. Atitude Empreendedora

10. Plano de Negócio

11. Contexto Empresarial Brasileiro

12. Metodologia da Pesquisa e Produção de Texto

OBJETIVOS:
Exercitar a escrita e estimular o exercício da leitura e provocar, grandes mudanças nas produções: aprimorar
não só a escrita como também a argumentação e a articulação das idéias.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
NOVA GRAMATICA DO PORTUGUES CONTEMPORANEO NOVA FRONTEIRA 1985
COMO LER ENTENDER E REDIGIR UM TEXTO VOZES 1988
COMUNICACAO EM PROSA MODERNA FUND. GETULIO VARGAS 1986
COMO FAZER UMA MONOGRAFIA INTERLIVROS 1974

12
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Sistemas Digitais e Microprocessados
Responsável:

EMENTA:
Arquitetura dos microprocessadores e dos microcontroladores. Memória EPROM, Flash e RAM. Dispositivos
periféricos para microprocessadores. Blocos básicos dos microcontroladores. Aplicações de
microprocessadores e microcontroladores.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Sistemas digitais baseados em microprocessadores

2. Microprocessadores e microcontroladores

3. Arquitetura de computadores: hardware básico, temporização, instruções

4. Programação e Depuração em Linguagem Assembly

5. Estrutura interna do microprocessador

6. Introdução a UCP (Unidade Central de Processamento): registradores e códigos de condições

7. Sinais de interface e temporização do 8051 (CLK, ALE, /PSEN, /RD, /WR)

8. Conjunto de instruções. Modos de endereçamento

9. A família de microcontroladores PIC

10. Interfaceamento com memórias

11. Memórias ROM e RAM: tipos, características elétricas e temporais

12. Barramentos de endereços, dado e controle

13. Espaço de endereçamento, decodificação de endereços

14. Interfaceamento de entrada e saída (E/S)

15. Comunicação entre dispositivos de E/S e o microprocessador

16. Laços de temporização, temporizadores

17. Pilhas e sub-rotinas, interrupções e eventos reais

18. Entrada e saída serial

19. Controladores de E/S, sistemas supervisores

OBJETIVOS:
Apresentar as diversas características relacionadas com as arquiteturas de sistemas de processamento digitais
baseadas em microprocessadores e microcontroladores, os dispositivos periféricos empregados e suas
aplicações.

13
METODOLOGIA:
Aulas práticas e Elaboração de trabalhos práticos, de pesquisa.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:

UFFENBECK, J. Microcomputers and Microprocessors: The 8080, 8085, AND Z-80 Programming,
Interfacing, and Troubleshooting. 2. ed. Englewood Cliffs: Prentice Hall, 1991. 690 p. Inclui índice. ISBN
0-13-584061-9.
PEREIRA, F. Microcontroladores PIC: Programação em C. São Paulo: Ed. Érica, 2003. 358 p. Inclui
índice. ISBN 85-7194-935-2.
GAONKAR, R. S. Microprocessor Architecture, Programming, And Applications. Columbus: Charles E.
Merrill Publising Co., 1984. 656 p.

14
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Análise de Circuitos
Responsável:

EMENTA:
Lei de Ohm. Leis de Kirchhoff. Análise de Circuitos Elétricos Simples. Teoremas Fundamentais dos
Circuitos Elétricos. Técnicas de Análise de Circuitos Elétricos. Capacitores e Indutores. Relações Íntegro-
Diferenciais para Circuitos RLC. Dualidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Teoria fundamental de análise de circuitos. Conceito de diferença de potencial eléctrico (tensão
eléctrica) e corrente eléctrica.
2.
Tensão, corrente e resistência eléctrica. A lei de Ohm. Fontes de tensão. Fontes de corrente. Potência
e Energia. Modelos eléctricos dos componentes passivos e as leis fundamentais que relacionam a
tensão com a corrente eléctrica em cada um destes componentes. Resistência e conductância.
Capacidade. Inductância. Dissipação de potência em resistências. Potência instantânea e potência
média.
3. Armazenamento de energia em condensadores e em inductores.
4. As Leis de Kirchoff: lei dos Nós e lei das Malhas. Ligações Série e paralelo para componentes
passivos. Análise de circuitos eléctricos A análise nodal. Divisores resistivos de tensão e de corrente.
5. Modelos eléctricos para componentes activos. Fontes de tensão controladas por tensão. Ganho de
tensão. Fontes de corrente controladas por corrente. Ganho de corrente. Fontes de tensão controlados
por corrente. Trans-resistância. Fontes de corrente controlados por tensão. Trans-conductância.
Teorema de Thévenin.. Teorema de Norton. Teorema da Sobreposição.
6. Circuitos em regime sinusoidal permanente (estado estacionário). Potência média e a noção de valor
efcaz para tensão e corrente. Relação tensão-corrente para elementos passivos em regime sinusoidal
permanente. Resistência e reactância. Revisão de Números complexos. Álgebra elementar.
Representação cartesiana, polar e exponencial. Análise fasorial.
7. O conceito de impedância generalizada. Generalização da lei de Ohm. Aplicação das leis de Kirchoff
e dos teoremas de Thévenin, Norton e Sobreposição na análise de circuitos RC, RL, e RLC com
fontes dependentes. O conceito de função de transferência em circuitos eléctricos. Resposta em
frequência e diagramas de Bode.. Potência aparente e reactiva; factor de potência. Circuitos trifásicos
equilibrados em Y e D.
8. Análise de quadripólos. Revisão da álgebra elementar de matrizes. Parâmetros impedância.
Parâmetros admitância. Parâmetros ABCD. Conversão entre parâmetros.
Ligação de quadripólos em paralelo, série e cascata.
Introdução à computação sistemática de circuitos eléctricos lineares (computer-aided analysis).
9. Análise da resposta natural e da resposta forçada de circuitos eléctricos, utilizando equações
diferenciais, transformadas de Laplace e de Fourier.
Resposta natural. Condições iniciais e energia armazenada. Circuitos de primeira ordem; RC e RL.
Circuitos de segunda ordem: LC (oscilador elementar) e RLC. Os vários tipos de armortecimento.
10. Resposta forçada. Regime transitório e em estado estacionário. Resposta ao degrau: Circuitos de
primeira ordem RC e RL. Resposta ao degrau: Circuitos de segunda ordem RLC

OBJETIVOS:
Interpretar e aplicar as leis e os teoremas básicos da teoria de circuitos elétricos;
Resolver problemas envolvendo circuitos elétricos e analisar os resultados;
Realizar observações de grandezas elétricas.

15
METODOLOGIA:
A disciplina será ministrada através de aulas expositivas, tarefas em sala, tarefas extra-sala e
acompanhamento virtual. Além disso, pretende-se estimular o uso de programa de computador para simulação
de circuitos elétricos.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
HAYT, Willian H.; Kemmerly. J. E. Análise de Circuitos em Engenharia. São Paulo: McGraw-Hill, 1975.
IRWIN, J. David; Análise de Circuitos em Engenharia. 4ª. Edição, São Paulo: Makron Books, 2000.
BOYLESTAD, Robert L.. Introdução à Análise de Circuitos. 8ª. Edição. Rio de Janeiro: Editora LTC, 1998.
JOHNSON, David, HILBURN, John, JOHNSON, Johnny. Fundamentos de Análise de Circuitos Elétricos.
4ª.
Edição. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2000.
ALEXANDER, Charles K; SADIKU, Matthew N. O.. Fundamentos de Circuitos Elétricos. 1ª. Edição. Rio
de
Janeiro: Bookman Companhia Editora, 2003.
DORF, Richard C.; SVOBODA, James A.. Introduction to Eletric Circuits. 7ª. Edição. Editora IE-Wiley
.2006.
NILSSON, James; RIEDEL, Susan A.. Circuitos Elétricos. 6ª. Edição. Rio de Janeiro: Editora LTC, 2003.
ORSINI, L. Q. Curso de Circuitos Elétricos. Vol. 1 e 2. 2ª. Edição. São Paulo: Editora Edgard Blücher, 2002

16
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Instalações Elétricas Prediais
Responsável:

EMENTA:
Luminotécnica. Projeto de instalação elétrica predial. Segurança em eletricidade

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução;

2. Símbolos Gráficos para Instalações Elétricas Prediais. Simbologia Padronizada;

3. Dispositivos de Comando de Iluminação e Sinalização. Como Instalar Lâmpadas


Incandescentes com Interruptor Simples Tomadas. Interruptores Paralelos,Interruptor Intermediário,
Interruptor de Minuteria, Interruptor Horário;

4. Previsão de Cargas e Divisão das Instalações Elétricas, Cargas dos Pontos de Utilização,
Previsão de Cargas conforme a NBR 5410/9, Quadro de Distribuição, Divisão da Instalação em
Circuitos Terminais;

5. Condutores Elétricos: Dimensionamento e Instalação, Conceitos Básicos sobre Condutores,


Tipos e Aplicações dos Condutores Elétricos, Seções Mínimas dos Condutores Elétricos,
Dimensionamento de Condutores Elétricos, Emendas ou Conexões em Instalações Elétricas;

6. Proteção em Instalações Elétricas Prediais, Prescrições Fundamentais da Norma NBR 5410,


Terminologias, Proteção contra Sobrecorrentes, Proteção contra Choques Elétricos e Efeitos
Térmicos

7. Eletrodutos e Acessórios para Instalações Elétricas, Introdução, Tipos de Eletrodutos,


Acessórios para Eletrodutos, Como Executar Roscas em Eletrodutos Rígidos, Executar Curvas em
Eletrodutos Rígidos, Caixas de Derivação ou de Passagem, Redes de Eletrodutos, Dimensionamento
de Eletrodutos, Instalação e Fixação de Interruptores, Tomadas e Aparelhos de Iluminação.

OBJETIVOS:
Atualizar, apresentar e capacitar os participantes para desenvolver, dimensionar e especificar materiais em
projetos de instalações prediais em conformidade com as normas técnicas vigentes e as modernas técnicas de
instalações disponíveis.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

17
BIBLIOGRAFIA:
COTRIM, Ademaro. Instalações Elétricas. 4ª. Edição. Prentice-Hall. São Paulo. 2003.
LIMA FILHO, Domingos Leite. Projetos de Instalações Elétricas Prediais. 10ª. Edição, Editora Érica. São
Paulo. 2006.
CREDER, Hélio. Instalações Elétricas. 14ª. Edição. Editora LTC. Rio de Janeiro. 2000.
NISKIER, Júlio, MACINTYRE, Archibald J. Instalações Elétricas. 4ª. Edição. Editora LTC. Rio de Janeiro.
2000.
MAMEDE FILHO, João. Instalações Elétricas Industriais. 6ª. Edição. Editora LTC. Rio de Janeiro. 2001.
CAVALIN, Geraldo, CERVELIN, Severino. Instalações Elétricas Prediais. 13ª. Edição Revisada. Editora
LTC. Rio de Janeiro. 2005.

18
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Máquinas Elétricas
Responsável:

EMENTA:
Estudos e aplicação das máquinas elétricas, Transformadores, máquinas de corrente contínua, máquinas
síncronas e assincronas. Máquinas especiais. Influência nos sistemas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1. Projeto de Transformadores
1.1. Cálculo das dimensões do núcleo e relação de perdas
1.2. Cálculo do enrolamento de baixa tensão
1.3. Cálculo do enrolamento de alta tensão
1.4. Cálculo das perdas e rendimento
1.5. Ajustes da impedância de curto circuito
1.6. Cálculo da corrente de excitação
1.7. Dimensionamento do tanque

2. Projeto de Máquinas de Indução


2.1. Cálculo do enrolamento do estator e traçado do enrolamento
2.2. Cálculo do circuito magnético do estator
2.3. Cálculo do entreferro e do circuito magnético do rotor
2.4. Cálculo do enrolamento do rotor
2.5. Cálculo da corrente de excitação
2.6. Cálculo de pesos e perdas
2.7. Cálculo das características de regime permanente
2.8. Cálculo das características de partida e de aceleração

OBJETIVOS:
O principal objetivo do curso é iniciar o aluno no aprendizado das máquinas elétricas estáticas e rotativas,
dando uma visão global das suas aplicações nas indústrias e concessionárias de energia elétrica.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
CHARLES I. HUBERT - Electric Machines, Theory, Operation, Aplications Adjustament, and Control
GEORGE Mc. PHERSON - An Introduction to Electrical Machines and Transformers
STEPHEN J. CHAPMAN - Electric Machinery Fundamentals
LEANDER W. MATSCH - Eletromagnetic and Eletromechamical Machine.

19
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Eletrônica Analógica
Responsável:

EMENTA:
Múltiplos Estágios, amplificadores diferencial, espelhos de corrente. Resposta em freqüência. Realimentação.
Amplificadores de Potência. Osciladores, geradores de função.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1– Par Diferencial.
O par diferencial TBJ. Operação com pequenos sinais do amplificador diferencial com TBJ. Outras
características não-ideais do amplificador diferencial. Polarização em circuitos integrados com TBJ.
O amplificador diferencial com TBJ e carga ativa. Amplificadores diferenciais MOS. Amplificadores
de múltiplos estágios.

2- Resposta em Freqüência.
A função de transferência do amplificador. Resposta em baixas freqüências dos amplificadores fonte
comum e emissor comum. Resposta em altas freqüências dos amplificadores fonte comum e emissor
comum. As configurações base comum, porta comum e cascode. Resposta em freqüência do
seguidor de emissor e do seguidor de fonte. A cascata coletor comum-emissor comum. A resposta
em freqüências do amplificador diferencial.

3 – Realimentação
A estrutura geral de realimentação. Algumas propriedades da realimentação negativa. As quatros
topologias básicas da realimentação. O amplificador com realimentação série-paralelo. O
amplificador com realimentação série-série. O amplificador com realimentação paralelo-paralelo e
paralelo-série. Determinação do ganho de malha. O problema de estabilidade. O efeito da
realimentação sobre os pólos do amplificador.

4– Amplificadores de Potência.
Classificação dos estágios de saída. O estágio de saída classe A. O estágio de saída classe B. O
estágio de saída classe AB. A polarização do circuito classe AB. Os TBJs de potência. As variações
na configuração classe AB. Os amplificadores de potência integrados em CIs. Os transistores de
potência MOS.

5– Osciladores
Princípios básicos de osciladores senoidais. Osciladores RC com Amp.op. Osciladores LC e
controlados por cristal. Geradores de onda triangular e quadrada. Geradores de base de tempo.
Geração de um pulso padrão – O Multivibrador Monoestável. Circuitos Integrados temporizadores.
Circuitos não-lineares formadores de onda.

OBJETIVOS:
O principal objetivo do curso é dar ao aluno os conhecimentos básicos sobre dispositivos eletrônicos e
semicondutores. O curso focaliza o entendimento e a construção de circuitos com dispositivos semicondutores
em aplicações analógicas.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

20
CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:

Sedra/Smith – Microelectronic circuits (Livro Texto)


Millman/Grabel Microelectronic.
Boylestad/Nashelsky Dispositivos eletrônicos e teoria de circuitos.

21
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Tecnologia e Meio Ambiente
Responsável:

EMENTA:
Desenvolvimento tecnológico e equilíbrio ecológico. Preservação de recursos naturais. O papel do cidadão na
preservação ambiental. Desenvolvimento sustentável.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. História macro sócio-econômico.
2. Fundamentos da ecologia.
3. Interação homem-natureza.
4. Interdependência entre tecnologia, economia e meio ambiente.
5. Relação tecnologia e meio ambiente.
6. Fundamentos da economia no aspecto do progresso tecnológico versus meio ambiente.
7. Meio ambiente como processo de formação social e cultural.

OBJETIVOS:
Compreender a relação homem-natureza, face ao progresso sócio-econômico.

METODOLOGIA:
Aulas expositivas, seminários, dinâmica de grupo e estudos de casos

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
ALMEIDA, J. Ribeiro. Planejamento Ambiental: caminho para a participação popular e gestão ambiental. 2ª
Edição. Rio de Janeiro: Thex. 1999
BOFF, Leonardo. Ecologia, mundialização e espiritualidade. São Paulo: Ática, 1999.
ODUM, Eugene P. Ecologia. Rio de Janeiro: Guanabara. 1988
SARIEGO, José Carlos. Educação Ambiental: as ameaças ao planeta azul. São Paulo: Scipione, 2000.
BOFF, Leonardo. Ecologia: grito da terra, grito dos pobres. São Paulo: Ática, 1999
DIETZ, Lou Ann; TAMAIO, Irineu. Aprenda fazendo: apoio aos processos de educação ambiental. Brasília.
WWF,
2000.
DREW, David. Processos Interativos Homem-Meio Ambiente. 3ª Edição. São Paulo: Bertrand, 1994.
FORNARI, Ernani. Dicionário Prático de Ecologia. 2ª Edição. São Paulo: Aquariana, 2001.
HUNT, E. K. História do Pensamento Econômico. 7ª Edição. Rio de Janeiro: Campus, 1981.
MACEDO, Jorge Antônio de Barros. Introdução à Química Ambiental. Juiz de Fora: Jorge Macedo, 2002. 1ª
Edição.
MORANDI, Sônia. GIL, Izabel Castanha. Tecnologia e Ambiente. São Paulo: Copidart, 2001.
WESSELS, Walter. Economia. São Paulo. Saraiva, 1999.
WONNACOTT, Paul; WONNACOTT, Ronald. Economia. São Paulo: Makron Books, 1994.

22
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Mecânica e Materiais
Responsável:

EMENTA:
Solicitações internas. Reações. Diagramas. Conceituação: tensões e deformações. Estados de tensão. Lei de
Hooke. Trabalho de deformação. Solicitações axiais. Flexão simples. Cisalhamento. Torção em eixos.
Solicitações compostas. Deflexão em vigas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Diagrama Fe-C
2. Aços carbono, inoxidáveis e ferros fundidos
3. Ensaios mecânicos dos metais
4. Processamento térmico de ligas metálicas
5. Tratamentos térmicos, termoquímicos e termomecânicos
6. Materiais não ferrosos: conceitos básicos
7. Corrosão
8. Materiais Poliméricos
9. Materiais cerâmicos
10. Analogia entre Física e Resistência dos Materiais
11. Esforços Internos Solicitantes; Esforços Mecânicos (Compressão, Tração, Torção, Flexão e
Cisalhamento).
12. Esforços Internos Resistentes/Tensões.
13. Tensões e Deformações.
14. Diagrama - Tensão x Deformação – LIMITES.
15. Elaboração do Diagrama Tensão x Deformação.
16. Lei de Hooke - Aplicação Teórica/Aplicação Numérica.
17. Tensões Térmicas - (Esforços Internos Resistentes).
18. Deformações Longitudinais e Transversais.
19. Relação entre os Módulos de Elasticidade Longitudinal, Transversal e Coeficiente de
Poisson
20. Vigas Isostáticas - (Diagrama de Esforços Internos: Solicitantes e Resistentes)
21. Deformação por flexão de um elemento retilíneo - Fórmula da flexão
22. Tensão de cisalhamento em vigas.
23. Ligações Parafusadas e Soldadas - Tensão de cisalhamento por corte puro

OBJETIVOS:
Abordar conceitos e conhecimentos básicos sobre resistência de materiais aplicada a sistemas mecânicos.

METODOLOGIA:
Aulas práticas
Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

23
BIBLIOGRAFIA:

William D. Callister, Jr. Ciência e Engenharia de Materiais: Uma Introdução. Editora LTC. 5ª
edição, 2002.
F.W. Smith, Princípios da Ciência e Engenharia do Materiais, Mc Graw-Hill, 1998.
Lawrence J. Van Vlack. Princípios de Ciências e Tecnologia dos Materiais. Editora Campus. 10ª
edição. 1984.
A.Remy, M. Gay, R. Gonthier. Materiais. Editora Hemus. 2ª edição.

24
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Sistemas Digitais e Microprocessados II
Responsável:

EMENTA:
Propiciar ao aluno o conhecimento dos circuitos básicos de um computador e
sua ligação com a lógica de proposições.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1. Microcontrolador 8051:
2. Arquiteturas Harvard, RISC, SISC e genérica para microcontroladores; Microcontrolador 8051,
arquitetura, modos de endereçamento, interrupções e instruções em assembler;
3. Ambiente de simulação para o 8051(kit didático); Comunicação serial (half-duplex e full-duplex);
4. Programação em C para microcontrolador 8051. Microcontrolador PIC:
5. Arquitetura, modos de endereçamento, interrupções; Instruções em assembler; Simulação do PIC em
Kit didático;
6. Arquiteturas de última geração: Arquiteturas modernas; Instruções assembler para
microprocessadores x86;
7. Técnicas de interfaceamento; Comunicação serial e paralela via PC; Conversão A/D e D/A; Kits
Lego.

OBJETIVOS:
Ao nível teórico, esta disciplina pretende dotar os alunos dos conhecimentos básicos de controlo de sistemas
digitais. Ao nível prático, pretende-se que os alunos desenvolvam projetos de controlo de Sistemas Digitais
com especial ênfase na utilização de máquinas de estados e no controlo microprogramado.

METODOLOGIA:
Aulas expositivas e estudos de casos

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
Stephen Brown, Zvonko Vranesic, “Fundamentals of Digital Logic with Verilog Design”, McGraw-Hill
José Tomé, “Controlo de Sistemas Digitais”, Presença
Enunciados de trabalhos de laboratório e coletânea de exercícios de exame preparados pelos docentes.
Data Books de componentes digitais (TTL, CMOS e memórias). WESSELS, Walter. Economia. São Paulo.
Saraiva, 1999.
Richard Sandige, “Modern digital Design”, McGraw Hill
A. Almaini, “Electronic Logic Systems”, 2ed., Prentice Hall
Herbert Taub, “Sistemas Digitais e Microprocessadores”, McGraw Hill

25
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Análise Estatística de Processos
Responsável:

EMENTA:
Arredondamento, Gráficos, Séries Estatísticas, Preparação de Dados para Análises Estatísticas, Medidas
estatísticas, Distribuição Normal, Probabilidade, Controle Estatístico de Processo (CEP), Técnicas de
Amostragem, Amostragem, Números Índices, Indicadores Econômicos e Correlação e Regressão Linear.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Arredondamento.
2. Séries Estatísticas.
Séries Cronológicas ou Temporal ou Evolutiva ou Histórica; Séries Geográficas ou Localização ou
Territorial; Séries Especificativas ou Categóricas; Séries Mistas; Séries Mistas com duas variáveis; Séries
Mistas com três variáveis.
3. Preparação de dados para análises Estatísticas.
Preparação simples; Preparação para agrupamentos através de valores distintos; Preparação para
agrupamentos através de classes.
4. Representação Gráfica das distribuições de freqüências.
Histograma; Histograma de valores distintos; Histograma de valores em classes.
5. Medidas Estatísticas.
Medidas de tendência central; Média; Moda; Mediana; Medidas de dispersão; Separatrizes; Desvio padrão;
Coeficiente de Variação; Coeficiente de Assimetria; Coeficiente Percentílico de Curtose.
6. Curva de Gauss ou Distribuição Normal.
Propriedades do desvio padrão; A Distribuição normal; Aplicações da estatística z.
7. Técnicas de Amostragens Probabilísticas.
Amostragem aleatória simples; Amostragem estratificada; Amostragem sistemática; Amostragem por
conglomerados.
8. Amostragem.
Processo de amostragem para população conhecida; Processo de amostragem para população desconhecida;
Tabulação geral e por subgrupo.
9. Indicadores econômicos.
Produto interno bruto (PIB); Índice de preço ao consumidor (IPC); Índice de preço ao produtor (IPP).
10. Correlação e Regressão Linear.
Coeficiente de correlação linear simples; Reta de regressão (reta de ajustamento); Interpolação e
Extrapolação.

OBJETIVOS:
Organizar e apresentar dados estatísticos através de séries; Distribuir as freqüências e construírem gráficos;
Calcular e interpretar medidas estatísticas; Analisar os resultados e tomar decisões e Elaborar planos de
amostragem

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

26
CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
BARBETTA, Pedro Alberto. Estatística aplicada às ciências sociais. 5. ed. rev. Florianópolis: UFSC, 2001.
340 p. il.
SILVA, Ermes Medeiros da et al. Estatística para os cursos de economia, administração e ciências
contábeis. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1996-1998. 2 v.
TOLEDO, Geraldo Luciano; OVALLE, Ivo Izidoro. Estatística básica. 2. ed. São Paulo: Atlas, 1995. 459 p.
il.

27
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Gestão e Qualidade
Responsável:

EMENTA:
Filosofia, conceitos básicos e ferramentas dos principais sistemas mundiais de gestão e sistemas de
garantia da qualidade, certificação internacional. Controle estatístico da qualidade.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Gestão da Qualidade: Introdução a História e Fundamentos:
Conceitos em Gestão da Qualidade, a evolução da qualidade.
Definição da qualidade, parâmetros da qualidade, os mandamentos da qualidade total.

2. Planejamento e controle da qualidade: Introdução e importância de um planejamento; a


importância do controle da qualidade.

3. Administração da Qualidade Total: Origens e definições do TQM

4. Custos e Desperdícios na Qualidade: Custos da qualidade, desperdícios na produção, produção


enxuta, JIT, KAIZEN, 5'S, Ciclo PDCA.

5. Nova Norma ISO 9000 versão 2000: Normalização, definições da ISO, as normas da ISO,
fundamentos da ISO 9000 versão 1994, fundamentos da ISO 9000 versão 2000, principais evoluções
e diferenças da ISO 9000:2000 em relação à ISO 9000:1994.

6. Qualidade aplicada às grandes áreas de Gestão;


Qualidade no desenvolvimento de produtos, qualidade no processo de projeto;
Qualidade na gestão de suprimentos, qualidade na terceirização.

7. Estudo Setorial da Qualidade: Qualidade na Industria e em Serviços

OBJETIVOS:
Desenvolver mo aluno senso crítico em Gestão Sistêmica, Qualidade Total, Certificação Internacional da
Qualidade (ISO, EUREP-GAP, USA-GAP, BS, AS, OHSAS) e estatística para tomada de decisão na gestão
de empresas.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS - ABNT. Sistemas da qualidade: modelo para a
garantia da qualidade em projetos - desenvolvimento, produção, instalação e assistência técnica - NB-
9001/ISO-9001. Rio de Janeiro, 1994.
CENTRO DE TECNOLOGIA DE EDIFICAÇÕES - CTE. Sistema de gestão da qualidade para empresas
construtoras. São Paulo, 1995.
SEBRAE/SINDUSCON-SP.FUNDAÇÃO PRÊMIO NACIONAL DA QUALIDADE - FPNQ.

28
Critérios de excelência 2000. São Paulo, Fundação para o Prêmio Nacional da Qualidade, 2000. 86
p.MELHADO, S.B.;
CARDOSO, F.F. Textos de referência da disciplina TG-009. São Paulo, EPUSP, 2000. (não
publicado)MELHADO, S.B.

29
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Eletrônica Industrial e de Potência
Responsável:

EMENTA:
Tiristores; Transistor Unijunção ( UJT ); Retificadores Polifásicos; Sistemas de Controle de Velocidade de
Motores; Proteção de Circuitos e Componentes; Inversores e Conversores; Modulação PWM; Aplicações em
Automação Industrial.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Dispositivos retificadores: Diodo. Tiristor. TRIAC. Tiristor – GTO. Transistor de Potência.
Transistor Bipolar de Porta Isolada – IGBT.

2. Tiristores: de controle de Fase; de chaveamento rápido; GTOs. Triodos bidirecionais; de condução


reversa; de indução estática – SITs. Controlados por FET. Controlados por MOS. Circuito de disparo de
tiristores.

3. Retificadores: Controlados (diodos). Não-controlados.

4. Transistor de potência: Bipolar de junção de potência BJTs; de efeito de campo metal-oxido -


Semicondutor de potência (MOSFETs). Bipolares de porta isolada IGBTs; de unijunção UJTs.

5. CHOPPERS DC.
6. Inversores: Inversores Modulados por largura de Pulso – PWM.
7. Conversores: Conversores de freqüência. - Cicloconversores
8. Controle de máquinas: Regulação de velocidade de motores CA por controle de Freqüência.
Regulação de velocidade de motores CA por controle de tensão.
9. Fonte Chaveada.

OBJETIVOS:
Familiarizar o estudante com diferentes topologias e dispositivos da eletrônica para serem utilizados na
indústria da alta potência para complementar e auxiliar diversos processos, permitindo melhorar a eficiência
técnica, a produção e os lucros das empresas.

METODOLOGIA:
Aulas teóricas expositivas.
Resolução de problemas aplicados.
Aulas de laboratório com experiências práticas desenvolvidas em grupo pelos alunos.
Simulação de experiências em computador.
Trabalhos de pesquisa e resolução de listas de exercícios.

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
BARBI, Ivo. Eletrônica de potência. 3. ed. Florianópolis: Ed. I. Barbi, 2000. ISBN 8590104621
AHMED, Ashfaq. Eletrônica de potência. São Paulo: Prentice-Hall do Brasil, 2000. ISBN 8587918036
RASHID, Muhammad H. Eletrônica de potência: circuitos, dispositivos e aplicações. São paulo: Makron
Books, 1999. ISBN 853460598X

30
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Controle e Automação Industrial
Responsável:

EMENTA:
Histórico. Automação de processos contínuos e discretos. Modelagem de sistemas contínuos e discretos.
Automação da manufatura. Sistemas de informação e controle integrados. Requisitos de hardware, software e
sistemas de tempo real. Controle inteligente. Aplicações.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Introdução: Aspectos históricos e evolução tecnológica; universo da automação industrial e
perspectivas; controle de processo e automação da manufatura, processos e modelos de processos.

2. Modelo de Referência para as Funções de Controle: Modelo hierárquico de referência; funções de


controle associadas aos níveis hierárquicos; aspectos de integração das funções de controle; arquiteturas
abertas: OSA (Open Systems Architecture).

3. Metodologias: Modelos de processos contínuos e à eventos discretos; controle analógico e digital;


controle lógico seqüencial e combinatorial,; controle fuzzy, controle neural; otimização de processos,
algoritmos genéticos; metodologias de coordenação em controle hierárquico, programação e seqüenciamento
de produção.

4. Componentes de Hardware e Software: Arquiteturas básicas de computadores para controle em


tempo real; unidades de entrada, saída e interfaces, controladores programáveis; engenharia de programas e
desenvolvimento de software; sistemas operacionais para controle em tempo real; aspectos básicos de
programação em tempo real; fundamentos da comunicação industrial; modelos OSI, interfaces homem-
máquina, integração de sistemas.

5. Controle Integrado de Processos e Manufatura: Conceitos de CAD, CAM, CAE, CIM, CIP;
aplicações da inteligência computacional em automação; perspectivas e tendências..

OBJETIVOS:
A disciplina tem como objetivo atualizar os profissionais com conceitos e tecnologias normalmente
encontradas em ambientes fabris. Desta forma, são discutidos tópicos atuais relativos à automação industrial e
as tecnologias atualmente utilizadas na solução de problemas de controle na indústria, tendências para o
futuro, vantagens de desvantagens relacionadas à implantação e operação de processos automatizados. Assim,
ao final deste curso o aluno será capaz de compreender e interagir com processos automatizados de qualquer
natureza.

METODOLOGIA:
Aulas práticas
Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

31
BIBLIOGRAFIA:
GOMIDE,F.A.C.; ANDRADE NETTO,M.L. Automação Industrial: Notas de aula EA030, 1999.
PEDRYCZ,W.; GOMIDE,F. An Introduction to Fuzzy Sets: Analysis and Design. MIT Press, 1998.
HASSOUN,M. Fundamentals of Artificial Neural Networks. MIT Press, 1995. BENET,S. Real-Time
Computer Control. Prentice-Hall, 1994. OLSSON,G.; PIANI,G. Computer Systems for Automation and
Control. Prentice-Hall, 1992. GROOVER,M.P. Automation, Production Systems and Computer-Aided
Manufacturing Prentice-Hall, 1980.

32
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Instalações Elétricas Industriais
Responsável:

EMENTA:
Instalações elétricas Industriais. Instalação para consumidores primários e secundários. Comando e Proteção
em circuitos monofásicos e trifásicos. Comando e Proteção de máquinas rotativas de C.C. e C.A.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Revisão de principais grandezas e leis básicas: o Sistema Internacional de Medidas. Unidades, forma
adequada de representá-las e fatores de conversão; Setor elétrico: visão geral; Condições Gerais de
fornecimento de energia elétrica; Tensão, Corrente, Resistência, Potências (Aparente, Ativa e Reativa),
Energia.Lei de ohm. Circuitos Monofásicos e Trifásicos;
2. Projetos Elétricos Residenciais/Comerciais: Símbolos e Normas Técnicas ;Projeto Luminotécnico ;
Grandezas luminotécnicas ; Tipos de lâmpadas e eficiências ; Cálculo luminotécnico pelo método dos
lumens ;
3. Dispositivos de comando para sistemas de iluminação: Distribuição de Pontos; Tomadas Comuns ;
Tomadas específicas ; Dimensionamento de Condutores ; Cálculo de capacidade de corrente ; Cálculo de
queda de tensão admissível ; Proteção de circuitos e comando; Dispositivos utilizados em projetos
residenciais / comerciais;
4. Condutos (eletrodutos, bandejas e calhas) : Taxa de ocupação ;Acessórios ;Entrada de Energia em
baixa tensão. Fator de demanda e diversidade ; Quadro de medição. Memorial de cálculo e descritivo do
projeto. Lista e especificação de materiais;
5. ART – Anotação de Responsabilidade Técnica: Conceitos básicos de instalações elétricas
industriais Componentes dos sistemas elétricos industriais; Subestações abaixadoras de tensão; Proteção;
Graus de proteção de componentes elétricos em ambientes industriais; Instalações à prova de explosão e
noções de classificação de áreas industriais;

OBJETIVOS:
Apresentação e realização de projeto de instalações elétricas industriais, utilização de informática; aplicação
de normas técnicas brasileiras.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final / MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
GUERRINI, D.P. - Instalações Elétricas Industriais - (1990), Ed. Érica/São Paulo.
NISKIER, J. & MAcINTYRE, A.J. - Instalações Elétricas - (2000), 4a. Edição, LTC/RJ.
CPFL - NT - 113 - Fornecimento de Energia Elétrica em Tensão Primária.
SIEMENS - Dispositivos de comando e proteção de baixa tensão. SDT 1995.
AUTODESK - Tutorial do AUTOCADtm.
Revista ELETRICIDADE MODERNA.

33
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Máquinas Elétricas
Responsável:

EMENTA:
Estudos e aplicação das máquinas elétricas, Transformadores, máquinas de corrente contínua, máquinas
síncronas e assincronas. Máquinas especiais. Influência nos sistemas.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1) Fundamentos do eletromagnetismo aplicado a Máquinas Elétricas: Materiais magnéticos
utilizados em Máquinas Elétricas e suas aplicação; Campo magnético; Indução magnética; Fluxo
magnético;Saturação magnética; Leis de Faraday e Lenz aplicadas a Máquinas Elétricas; Sistema de
unidades .pu.; Exemplos práticos: solenóide, contactores, freio magnético, etc.
2) Máquinas de corrente contínua e corrente alternada: Máquinas Elétricas: Definições de motor
elétrico, gerador elétrico e máquinas elétricas; Análise de produção de torque nos motores elétricos;
Análise da fem induzida numa bobina rotativa - gerador elétrico; O gerador elétrico elementar.
Máquinas de Corrente Contínua; Características gerais: aplicações, vantagens, desvantagens,
atualidades sobre o tema; Partes construtivas: estator, rotor, nomenclaturas, simbologias, etc; O
Motor de Corrente Contínua: A força contra-eletromotriz (fcem); O modelo da armadura: circuito,
equações básicas, análise do comportamento do motor na partida e regime permanente a partir das
equações; Determinação do sentido de giro; Formas de variação de velocidade; Formas de excitação
e suas características: ímãs permanentes, independente, paralelo e série (com destaque ao Motor
Universal); Efeitos da falta de excitação. Máquinas de Corrente Alternada Síncronas: Classificação
geral: famílias, tipos, monofásicas e trifásicas; Características; Partes construtivas: estator, rotor,
nomenclaturas, simbologias, disposição dos enrolamentos no rotor (trifásico); Formação do campo
girante no estator com correntes trifásicas equilibradas; Formas de fornecimento da corrente de
campo; Equação da velocidade síncrona. O Gerador Síncrono: Equação da fem gerada, circuito
equivalente e características; Ligação de geradores síncronos em paralelo: vantagens e condições
para ligação; Regulação de tensão: FP capacitivo, FP indutivo e FP resistivo; Aplicações. O Motor
Síncrono: Características, circuito equivalente e o efeito da super-excitação; a partida do motor
síncrono. Máquinas de Corrente Alternada Assíncronas: Classificação geral: famílias, tipos,
monofásicas e trifásicas; Características gerais; Aplicações; Partes construtivas: estator, rotor,
nomenclaturas, simbologias, etc; O Motor de Indução: A produção de torque; A equação da
velocidade de rotação; O escorregamento: definição e seu comportamento na partida, regime
permanente (plena carga) e a vazio; Curvas típicas de torque do motor de indução; Circuito
equivalente visto pelo estator; Comportamento do FP em função da carga aplicada; Tipos de motores
de indução e suascaracterísticas: gaiola de esquilos e rotor bobinado; Formas de variação de
velocidade; Interpretação de dados de placa. O Motor de indução monofásico:Vantagens x
desvantagens; Enrolamentos, nomenclaturas, numeração; Aplicações; Especificação de Motores
Assíncronos.
3) Chaves de partida: direta, estrela-triângulo, reversora, compensadora;Chaves de partida:
Dispositivos de Proteção de Máquinas Elétricas: (operação, tipos, dimensionamento, características
técnicas, aplicações, simbologia, etc); Fusível, relé de sobrecarga térmico, relé de tempo, relé de
máximo e mínimo, relé de falta de fase, relé de proteção térmica (para PTC), disjuntor
termomagnético, disjuntor-motor, contactor, condutores. Dispositivos De Comando De Máquinas
Elétricas.

34
OBJETIVOS:
O principal objetivo do curso é iniciar o aluno no aprendizado das máquinas elétricas estáticas e rotativas,
dando uma visão global das suas aplicações nas indústrias e concessionárias de energia elétrica.

METODOLOGIA:
Aulas práticas
Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
CHARLES I. HUBERT - Electric Machines, Theory, Operation, Aplications Adjustament, and Control
GEORGE Mc. PHERSON - An Introduction to Electrical Machines and Transformers
STEPHEN J. CHAPMAN - Electric Machinery Fundamentals
LEANDER W. MATSCH - Eletromagnetic and Eletromechamical Machines
MICHAEL LIWSCHITZ-GARIK and CLYDE C. WHIPPLE - Máquinas de Corrente Contínua Vol I e
Máquinas de Corrente Alternada Vol II
VINCENT DEL TORO - Fundamentos de Máquinas Elétricas
M.KOSTENKO e L. PIOTROVSKY - Máquinas Elétricas Vol I e II
PHILIP L. ALGER - Induction Machines. Their Behavior and Uses
REA –RESEARCH and EDUCATION ASSOCIATION - Problem Solvers. Electrical Machines.

35
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição
de Energia Elétrica
Responsável:

EMENTA:
Introdução. Controle por computadores em tempo real. Sistemas de distribuição. Automatização dos sistemas
de distribuição. Controle automático da geração.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. INTRODUÇÃO A GERAÇÃO DE ENERGIA: Generalidades e Histórico; Fontes de Energia
Primária; Fontes Novas e Renováveis de Energia; Quadros Energéticos;
2. CENTRAIS HIDRO E TERMELÉTRICAS: Generalidades; Energia hidráulica e térmica;
Componentes básicos das Centrais Hidrelétricas; Componentes básicos das Centrais Termelétricas
3. NOÇÕES BÁSICAS DE HIDROLOGIA: Generalidades; Pluviometria; Fluviometria;
Regulação da vazões; Energia disponível em um aproveitamento hidrelétrico; Noções de valores por unidade
(PU);
4. OPERAÇÃO DOS SISTEMAS DE ENERGIA ELÉTRICA: Introdução; Estrutura básica de
um sistema interligado; Introdução ao Controle Automático da Geração (CAG); O princípio básico do CAG;
Equações de Balanço de Potência Turbina – Gerador; Regulador de Velocidade;
5. INTRODUÇÃO A TRANSMISSÃO DE ENERGIA: Sistemas Elétricos - Estrutura Básica;
Evolução histórica; Tensões de transmissão;
6. TRANSMISSÃO TRIFÁSICA: Potência ativa e reativa; Potência complexa; Potência ativas e
reativas transmitida entre barras; Perdas na transmissão; Análise da influência da variação de parâmetros na
transmissão de potência; Capacidade de transmissão; Potência ativa x freqüência (P X F); Potência reativa x
tensão (Q X V);
7. CIRCUITOS EQUIVALENTES DAS LINHAS: Representação de linhas; Análise matemática;
Equações gerais de propagação; Solução no domínio da freqüência; Interpretação, valores típicos e cálculos
de Zc e γ.; Decomposição do regime permanente de funcionamento de um circuito de parâmetros distribuído
em duas ondas viajantes; Representação das ondas viajantes; Regime especiais de funcionamento; Diferença
de fase entre as tensões na emissão e na recepção;
8. CÁLCULO PRÁTICO DE LINHAS DE TRANSMISSÃO: Introdução; Relações entre tensões
e correntes; Linhas curtas, médias e longas; Linhas de transmissão como quadrupolo.

OBJETIVOS:
Conhecer os fundamentos de sistemas elétricos de potência – componentes, funções, princípio de operação e
modelagem desde a geração até o uso final da energia elétrica.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

36
BIBLIOGRAFIA:

FRANÇA,A.L.M. Controle Automático de Sistemas de Distribuição (notas de aula)


ELGERD,O.I. Introdução à Teoria de sistemas de Energia Elétrica McGraw-Hill do Brasil.
MELO,F.P. Dinâmica e Controle de Geração Edição Eletrobrás/UFSM, 1979.

37
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Redes Aéreas de Distribuição
Responsável: Fernando Horita

EMENTA:
Estudo teórico-prático da distribuição de energia elétrica a partir de conhecimentos de topografia, com
ênfase no cálculo prático e operação das redes de distribuição.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:
1. Elaboração de Projeto de Redes Aéreas de Distribuição Urbana

2. Objetivos; Normas complementares; Definições; Condições gerais; Condições específicas.

3. Elaboração de Anteprojetos e Projetos de Redes Aéreas de Distribuição Rural

4. Objetivo; Normas e documentos complementares; Definições; Elementos necessários à apresentação


de anteprojetos e projetos; Traçado: Recomendações gerais; Distribuição primária; Distribuição
secundária; Cálculo mecânico; Proteção; Postes e cruzetas; Condutores; Aterramento; Afastamentos
mínimos; Condições específicas

5. Ocupação ou Travessia de Faixas de Domínio por Linhas e Redes de Distribuição de


Energia Elétrica:
Objetivo ; Normas complementares ; Definições ; Condições gerais ; Condições específicas

OBJETIVOS:
Estudar e projetar redes aéreas de distribuição.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
CEEE - NTD - Normas Técnicas de Distribuição
CEEE - Padronização de Linhas e Redes Aéreas de Distribuição
CEEE - RIC - Regulamento de Instalações Consumidoras de Alta Tensão
CEEE - RIC - Regulamento de Instalações Consumidoras de Baixa Tensão

38
ESCOLA TÉCNICA CURSO NOBRE
Curso: Curso Técnico de Nível Médio de Técnico em Eletrotécnica
Disciplina: Orientação ao TCC
Responsável:

EMENTA:
Conclusão e apresentação do Trabalho de Conclusão de Curso, que envolve o levantamento, a análise e a
difusão dos resultados obtidos na pesquisa realizada pelo discente, dentro do que é preconizado pela
metodologia científica.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

1. Orientação metodológica: Monografia

2. A produção científica no século XXI – linguistic turn;

3. Programa de Orientação – acompanhamento da execução do cronograma;

4. Revisão preliminar, revisão gramatical, revisão técnico-jurídica, revisão metodológica, revisão pelo
orientador e redação final, encadernação, margens e espaçamentos.

5. Bancas e/ou exames de qualificação – sustentação oral;

6. Critérios de avaliação (coerência, relevância temática, atualidade etc.).

OBJETIVOS:
Apresentar e defender o trabalho de conclusão de curso, sob a orientação de um professor, devendo exercitar
as etapas do processo de desenvolvimento do trabalho científico, de cunho profissional da área de atuação que
o aluno esteja em vias de graduar-se. Seguir os ditames da metodologia científica, cumprindo o seu
embasamento teórico dentro do esboço do ensino e da pesquisa.

METODOLOGIA:
Aulas práticas e Aulas Expositivas

CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO:
P1: nota da 1° Prova
P2: nota da 2° Prova
E: Nota do Exame, substitui a menor nota (P1 ou P2)
MF: média final
MF: P1+P2/ 2 ≥ 7 Aprovado

BIBLIOGRAFIA:
 TEIXEIRA, C.R., SILVA, E.C., REGO, F.D., BERNARDO, A.T.S., MEDEIROS, K.M. et al. Guia
de trabalhos acadêmicos. Disponível em <http://bsi.k6.com.br> e <www.facitec.br>. Último
acesso: 16 dez 2005.
 REGO, F. D. et al. Orientações Gerais para Elaboração de Monografias. Disponível em
<http://bsi.k6.com.br>. Último acesso: 11 jul 2005.
 MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia Cientifica. 3. ed. Brasília:
Atlas, 2000. 289 p. ISBN 85-224-2439-X
 MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Metodologia do Trabalho Científico:
Procedimentos básicos. 6. ed. Brasília: Atlas, 2001. 219 p. ISBN 852242991X Classificação:
001.891 L192m 6. ed. Ac.126118
 MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Tecnicas de pesquisa: Planejamento e
execução de pesquisas, amostragens e tecnicas de pesquisas, elaboracao. 5. ed. Brasília: Atlas.

39