P. 1
ANÁLISE DE CONTEÚDO SEGUNDO BARDIN

ANÁLISE DE CONTEÚDO SEGUNDO BARDIN

|Views: 1.333|Likes:
Publicado pordonelate

More info:

Published by: donelate on Aug 17, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/04/2013

pdf

text

original

Informações do Trabalho Especificação Projetos de Pesquisa ou de Implantação de Serviços Desejada Modalidade Pôster Tema Formação e ensino em Terapia Ocupacional

. ANÁLISE DE CONTEÚDO SEGUNDO BARDIN: PROCEDIMENTO METODOLÓGICO UTILIZADO NA PESQUISA SOBRE A PERCEPÇÃO DO TERAPEUTA OCUPACIONAL Título NO CURSO DE GRADUAÇÃO DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO DE JANEIRO Trata-se do relato de uma experiência de aprendizagem enquanto acadêmico do segundo período do Curso de graduação de Terapia Ocupacional do Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro, na qual se pretendeu compartilhar o cuidado vivenciado pelos acadêmicos, levando em consideração suas crenças, valores e perspectivas futuras. A busca da compreensão do objeto ocorreu por meio da pesquisa qualitativa, baseada na analise de conteúdo, por essa ser capaz de incorporar a questão do Significado e da Intencionalidade como inerentes aos atos, às relações e às estruturas sociais, sendo essas últimas tomadas tanto no seu advento quanto na sua transformação, como construções humanas significativas. Utilizou-se a entrevista semi-estruturada como instrumento de coleta de dados. A análise de conteúdo, segundo as proposições de Bardin (2002), referência importante nesse trabalho, pois possibilitou o desvendamento de significações de diferentes tipos de discursos, baseando-se na inferência ou Resumo dedução, mas que, simultaneamente, respeitou critérios específicos propiciadores de dados em freqüência, em estruturas temáticas, entre outros. Na analise, criaram-se quatro categorias distribuídas em: afetividade, corporeidade, infantilidade e profissionalismo. Identificou-se que a percepção do acadêmico de terapia ocupacional em relação a sua formação diz respeito à afetividade (42%) na qual o afeto, a sensibilidade ao lidar com o outro tem que se fazer presente. A corporeidade (27%) demonstrou a necessidade de conhecer o seu corpo e do outro para efetivar o cuidar; 25% relacionaram o profissionalismo como responsável pela ética e vinculo no tratar, enquanto 6% revelaram que a presença da infantilidade fazia-se necessário para ocorresse o cuidar harmonioso e criativo. Concluímos que os alunos ao vivenciarem a percepção do cuidar conviveram com conflitos que permearam as relações do cotidiano, refletindo sobre sua postura ética, e sua angustia quanto a sustentação de sua prática na equipe e na sua vida profissional futura. Apresentador THAUANA DOS SANTOS FERNANDES - THAUNA FERNANDES Autor thathathauna@hotmail.com IFRJ Co-Autores Autor 2 Autor 3 Autor 4 Camila Santiago - Camila Santiago ifrj Marcia Garcia - Marcia Garcia ifrj angela maria bittencourt fernandes da silva - angela bittencourt ifrj

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->