Você está na página 1de 2

Ensino a distância em lançamento da Imprensa Oficial na

Bienal do Livro

Escrito pelo professor Fredric M. Litto, presidente da Associação


Brasileira de Educação a Distância (ABED), o livro “Aprendizagem a
Distância” tem como objetivo ampliar a discussão sobre o tema,
esclarecer as dúvidas e discutir posições conservadores dos
educadores. O lançamento aconteceu no dia 16 de agosto no estande
da Imprensa Oficial na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Educação a Distância (EAD), tema que merece melhor compreensão, é abordado,


no livro “Aprendizagem a Distância”, do pesquisador da Escola do Futuro da USP e
presidente da Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED), o professor
Fredric M. Litto. O livro editado pela Imprensa Oficial tem como objetivo
desmistificar o tema e ainda apresentar propostas e soluções para implantar esta
modalidade de ensino. O volume conta com ilustrações de Paulo Caruso.

Os tempos atuais exigem que as pessoas economicamente ativas estejam em


constante atualização dos seus conhecimentos, habilidades e competências. Este,
de acordo com o autor, é um dos fatores que impulsionam a EAD. O especialista
defende que a modalidade de ensino já se consolidou como um facilitador para o
acesso ao conhecimento e à certificação profissional de pessoas que antes não
tinham a possibilidade de se aperfeiçoar por serem portadoras de necessidades
especiais, por morar longe dos grandes centros de estudos, ou ainda por não ter
condições econômicas para se dedicar aos estudos. “Ter a possibilidade, sem sair
de casa, de estudar com celebrados docentes das mais prestigiadas instituições
acadêmicas do mundo, é mais um entre os múltiplos benefícios que a
aprendizagem a distância oferece”, menciona o professor Litto.

Já Hubert Alquéres, presidente da Imprensa Oficial, responsável pela edição do


livro, acredita que embora com muitos avanços, há fatos que denotam a
discriminação que afeta a educação a distância, a partir não só da população leiga,
mas de muitos educadores. “Apesar disso, na sociedade do conhecimento e da
tecnologia não há mais caminho de volta. Temos que encarar a questão com
seriedade e incluir a educação a distância como um fato natural em nossa vida, e
como parte integrante de qualquer processo educacional regular”, defende.

Preconceitos e Perspectivas
O professor Litto acredita que vivemos uma fase educacional transitória, saindo de
um ambiente educacional elitista, unidirecional, com informação passando do
professor ao aluno e pobre em recursos. “E como toda mudança, há uma
resistência muito grande. Muitos educadores ainda não conseguiram soltar os laços
nostálgicos com a forma pela qual eles mesmos aprenderam. É comum entre os
professores, quando questionados sobre a eficácia da EAD, respondem ‘Não vi e
não gostei!’ ou ‘Minha disciplina não pode ser ensinada pela educação a distância!’.
Essa posição conservadora, que mantém apenas as estratégias pedagógicas do
passado, milita contra o estabelecimento de um novo ambiente para a
aprendizagem.”, defende.

No entanto, o autor percebe que a aceitação da aprendizagem a distância, tanto


dentro da sociedade em geral quanto dentro da comunidade de profissionais da
educação, continua crescendo. “A distinção histórica entre a educação a distância e
a presencial está diminuindo, ao ponto de um educador afirmar que a proximidade
física de professores e alunos dentro de espaços institucionais ou locais de
aprendizagem em momentos específicos não é mais necessária”, conta o
especialista.

Para ele, o processo é mesmo irreversível e a tendência é que a distinção entre


ensino formal e aprendizagem não-formal fique cada vez menor. “Acreditamos que
o não-formal – facilitado pelo sistema de EAD – crescerá e será tão importante,
senão mais importante ainda, que o formal.

Em primeiro lugar porque muitos membros da geração mais nova não devem
aceitar as exigências rígidas do ensino formal, com seus milhares de horas na
bancada estudantil, sua obrigatoriedade em cursar disciplinas nas quais não vê
nenhuma utilidade e porque os jovens perceberão que, continuamente, os
empregadores têm mais interesse, na hora de contratação, na competência do que
na capacidade legal outorgada por um diploma”, explica.

O livro explica como funciona a EAD, quais as suas limitações e possibilidades, além
de apresentar perspectivas a respeito do assunto. O autor relaciona, no final do
livro, sites que contêm recursos digitais úteis para a aprendizagem formal ou não-
formal, com textos, imagens estáticas (mapas, gráficos, desenhos, ou fotografias)
ou animadas (vídeos, filmes), arquivos de som, e objetos de aprendizagem.

Aprendizagem a Distância
Fredric M. Litto
Imprensa Oficial do Estado de São Paulo
96 páginas
R$ 30,00