P. 1
Geografia - Pré-Vestibular Impacto - Formação e desagregação da URSS

Geografia - Pré-Vestibular Impacto - Formação e desagregação da URSS

4.75

|Views: 4.159|Likes:
Publicado porGeografia Qui

More info:

Published by: Geografia Qui on Jun 26, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/09/2014

pdf

text

original

1

CONTEÚDO

PROFº: CARVALHO/S. RIBEIRO

04
A Certeza de Vencer

Formação e desagregação da URSS
KL 140308

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

A Desintegração do Mundo Soviético e a Formação da CEI O Socialismo Soviético Revolução Russa de 1917 A Revolução Russa foi uma série de eventos políticos na Rússia, durante os quais os operários e camponeses sucessivamente derrubaram a autocracia russa. o governo provisório expropriaram campos, fábricas e demais locais de trabalho. Estes eventos aconteceram durante o ano de 1917 e início de 1918, e resultaram numa guerra civil que durou de 1918 a 1921. Durante este processo, o Partido Bolchevique, liderado por Vladimir Lenin e Leon Trotski, se transformou na única força política capaz de restabelecer a ordem. Ele criou um poderoso exército, que submeteu igualmente a classe operária e os demais partidos, ao mesmo tempo que adotou o discurso comunista, o qual utilizou como justificativa para a imposição de uma ditadura do proletariado. Características: • Poder centralizado. • Modos de produção estatais. • Desigualdades sociais. • Monopólio do Partido Comunista A RÚSSIA NA ÉPOCA DA REVOLUÇÃO O movimento revolucionário comandado pelos bolcheviques em 1917 teve grande expressão na região central da Rússia, onde havia maior organização operária e sindical, como Moscou e outras cidades da região. A Revolução foi seguida de uma Guerra Civil, que estendeu-se até 1921e durante a qual várias regiões obtiveram sua independência, como a Polônia e a Finlândia. Também a Ucrania tornou-se independente, porém passaria a integrar a URSS quando de sua formação em 1922. Oficialmente a URSS foi formada em 30 de dezembro de 1922, como uma Federação de Estados Socialistas, porém com um poder centralizado. Essa centralização consolidou-se durante o período que se seguiu a morte de Lênin, quando Stálin assumiu o poder e implantou um regime de força, expurgando e perseguindo todos os opositores de seu governo. Durante a existência da URSS o governo de Moscou reprimiu com muita veemência os seus opositores, e esse fato ficou conhecido na história como sendo o autoritarismo do socialismo real. Ainda durante os seus últimos anos de vida, Lenin empreendeu uma vigorosa luta contra a burocratização do Partido e a concentração de poder nas mãos de Stalin, sugerindo que Trotsky, "o mais capaz do Comitê Central", assumisse o comando do partido. Além de ter exercido papel decisivo como reorganizador do Exército Vermelho, Trotsky havia proposto a teoria chamada de "Revolução Permanente", e que fora adotada por Lenin em suas Teses de Abril - quando este admitiu que a Revolução Russa colocaria em curso o transcrescimento ininterrupto entre revolução burguesa (fevereiro) e proletária (outubro). Os governos socialistas da URSS não pensaram em desenvolver as suas bases produtivas, assim como estava acontecendo com o mundo capitalista, que estava repassando a tecnologia engendrada na indústria bélica e aeroespacial para a sua linha produtiva, ou seja, para seu parque industrial. A URSS existiu de 1922 a 1991 e, no decorrer deste período, foi constituída por 15 repúblicas e 126 nacionalidades, formando um verdadeiro mosaico de etnias e religiões. O desmembramento da URSS, ocorrido em 1991, está diretamente ligado a má administração das políticas reformistas de Gorbatchev e a ação da elite burocrata tradicional contrária à implantação das reformas políticas e econômicas (perda de privilégios). Durante o governo de Leonid Brejnev (1964-1982), o modelo econômico soviético começou a dar sinais de esgotamento, devido aos elevados investimentos direcionados ao avanço e acúmulo de armas para

competir com os EUA, pois as altas taxas de crescimento obtidas nas primeiras décadas do pós-guerra passavam a regredir nos anos 80. Em 1985 Mikhail Gorbatchev assumiu o poder da URSS, visando recuperar a atraso econômico-industrial que se encontrava em relação aos EUA e criar a Casa Comum Européia, implantou as políticas reformistas, materializada nos projetos da GLASNOST “transparência em russo” ocasionando abertura política e da PERESTRÓICA, “reestruturação” ocasionando abertura econômica. Tais políticas financiaram a Queda do Muro de Berlim (1989) e a Reunificação Alemã (1990). Obs: As reformas políticas e econômicas objetivavam a democratização das relações social e econômica dentro do espaço da URSS, e deste modo impedir a derrubada do socialismo. No plano econômico tentou-se modernizar a economia do país, buscando assim uma superação do atraso tecnológico em que se encontrava o país. Entre 1989 e 1991, como conseqüência do fim do regime de partido único no Leste Europeu, o Pacto de Varsóvia e o Comecom – organização políticos-militar e econômica soviética – deixaram de existir. A revogação da Doutrina Brejnev, por Gorbatchev ocasionou o desmembramento do edifício do império soviético. O desenvolvimento das reformas políticas na URSS desencadeou tensões e conflitos crescentes entre as exigências populares por liberdade e democracia e os regimes da Europa Oriental, conduzindo a derrocada de todo o bloco soviético, começando pelas Repúblicas Bálticas – Letônia, Estônia e Lituânia – ocasionando o “efeito dominó”, originando 15 novos Estados Independentes, modificando as fronteiras geopolíticas do leste europeu. Em 1991, a Rússia, a Bielarus e a Ucrânia assinaram o acordo de Minsk originando a CEI (Comunidade dos Estados Independentes), acordo político-militar constituído atualmente por 12 repúblicas, sob a “liderança” da enfraquecida Rússia (país coadjuvante no G-8). A partir de 1991, a Rússia passou a ser administrada por Bóris Yeltsin, político que impediu a realização do golpe de estado (1991), acelerando o processo de transição político-econômico no leste europeu. A CEI (Comunidade dos Estados Independentes) organização econômica e geopolítica criada em 1991 pelo acordo de Minsk, formada por 12 Repúblicas, sob a liderança da Rússia. Em 1991, quando começou o “efeito dominó”,. Os regimes comunistas, país após país, começaram a cair. A Polônia e a Hungria negociaram eleições livres (com destaque para a vitória do partido Solidariedade na Polônia), Atualmente estas repúblicas pertencem a União Européia. 1 - As contradições do socialismo real • Extrema concentração de poder nas mãos dos burocratas • Atraso tecnológico, • Grandes investimentos na indústria armamentista. • Crise econômica resultantes da planificação econômica. • Crise de nacionalidade, devido, coexistir várias etnias em um mesmo país com 126 nacionalidades. 2 - A Última tentativa de salvar a URSS: A) Abertura econômica: (A Perestroika) “reestruturação” • Abertura da economia ao capital estrangeiro e aproximação com os países ocidentais. • Inversão de prioridades, com ênfase às indústrias de bens-deconsumo. • Instituição da propriedade privada. • Privatização de empresas estatais problemáticas. • Redução da ajuda econômica aos países aliados do bloco socialista, sobretudo do leste europeu. • Redução no Padrão de Renda B) A abertura política (A Glasnost): “transparência em russo” • Maior liberdade de expressão, com tolerância às críticas e liberdade para o funcionamento de órgãos de comunicação críticos do governo.

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!

VESTIBULAR – 2009

Fale conosco www.portalimpacto.com.br

• • • • •

Liberdade religiosa para o funcionamento de seitas e religiões. Anistia política para os expurgados durante o stalinismo. Autonomia para as minorias étnicas que lutassem pelos seus direitos, Pluripartidarismo, quebrando o monopólio do partido comunista. Direito ao Voto Obs: essas reformas políticas e econômicas tinham como objetivos a democratização e assim tentar impedir a derrubada do socialismo. No plano econômico tentava modernizar a economia, buscando superar o atraso tecnológico do país, e assim preparando este para o processo de globalização.

• • •

Proliferação das redes ilegais. Aumento de prostituição. Forte onda de emigração.

3 - As transformações do mundo soviético após o esgotamento do socialismo real: • A proliferação de conflitos étnicos e o fim da URSS: • A liberdade de expressão com a glasnost trouxe a tona rivalidades histórica entre as etnias de várias repúblicas • As etnias que habitavam as repúblicas soviéticas aproveitaram-se do fracasso da perestroika e da glasnot para declararem a independência. • O responsável por esses acontecimentos foi o líder russo Boris Ieltsin. O Desmembramento da URSS: A sua desagregação originou 15 novos países, que mesmo após a separação política mantiveram relações econômicas bastante acentuadas, originando-se assim a CEI- (Comunidade dos Estados Independentes), que corresponde a uma Confederação de repúblicas, com fortes vínculos entre si, porém elas preservam suas soberania políticas, até porque não possuem um governo central, e sim um conselho de Chefes de Estados (embora a Rússia exerça certa liderança política, econômica e cultural). A busca por fontes de identidade distintas da decadente ideologia comunista provocou o esfacelamento da ainda frágil identidade soviética, enfraquecendo o Estado soviético de forma decisiva. O nacionalismo, inclusive o russo, tomou-se a expressão máxima dos conflitos entre sociedade e Estado, sendo o fator político imediato que culminou no processo de desintegração da “União Soviética.” (Castels, 1999).

A EXPANSÃO DO CRIME ORGANIZADO NOS PAÍSES DA CEI: Características: • Migração do antigo mercado negro para todos os setores da economia • Controla todos os setores do mercado desde a produção até a comercialização • Proliferação na CEI das atividades criminosas originada na Rússia. • Redes de prostituição altamente sofisticadas. • Contrabando de tecnologia militar para países que possam pagar. • Tráfico ilegal de armas • Contrabando de materiais radiativos, ou seja, nucleares, AS IMPLICAÇÕES DA DESINTEGRAÇÃO DA URSS SOBRE O LESTE EUROPEU: A “reunificação” Alemã: A crise econômica do socialismo da união soviética fez surgir movimentos de contestação ao regime socialista do leste europeu altamente reprimidos durante o regime totalitário. Esse processo culminou com grandes transformações em países da antiga cortina de ferro, a exemplo da Alemanha Oriental a partir de 1989: Características: • A deposição do regime socialista • Derrubada do muro de Berlim, Conseqüências: • A unificação tão falada foi na verdade A anexação da Alemanha socialista pela capitalista, que passou a utilizar a mão-de-obra mais barata da sua irmã pobre. • Reorientação da porção oriental à lógica capitalista • Modernização econômica • Fechamento de indústrias obsoletas, • Maior poderio econômico Alemão que se consagrou como a maior potência da Europa a partir da ampliação do território e do mercado consumidor. • Aumento do desemprego e da xenofobia em decorrência da forte migração da Alemanha oriental para a ocidental. A Tcheco - Eslováquia: e a revolução de veludo: Nesse país a transição foi pacífica, pois o regime socialista após o fim do apoio soviético entregou o poder aos reformistas evitando assim o desencadeamento de conflitos violentos como aconteceu na Romênia. Existiam divergências entre dois modelos de desenvolvimento nesse país, pois os tchecos queriam uma economia de mercado enquanto que os eslovacos queriam manter uma maior intervenção do estado da economia.

4- CEI do leste socialista ao mundo globalizado capitalista: O fim do socialismo no Leste Europeu significou um atrativo para a economia de mercado, isto é capitalista. Os países dessa região, e principalmente a Rússia, começaram a adotar políticas neoliberais aceleradamente, com maior visibilidade a privatização de empresas estatais, liberação de preços e corte dos investimentos sociais. Em conseqüências à essas medidas ocorreu aumento de preços com a elevação da inflação e conseqüentemente instabilidade financeira. O governo de alguns países como a Rússia viram-se obrigados a desvalorizar suas moedas, agravando ainda mais a crise, que atinge seu apogeu com a quebra da bolsa de valores do país “crise da vodka”. A instabilidade econômica tem reduzido às perspectivas de inserção de todos os países da CEI na economia global em função dos seguintes fatores: • • Características: A diminuição dos investimentos estrangeiros na região: A dependência da Rússia em relação a exportação de recursos naturais: O AUMENTO DOS PROBLEMAS SOCIAIS NOS PAÍSES DA CEI: Políticas neoliberais. Ingerência dos organismos internacionais, FMI e BANCO MUNDIAL, Fim dos subsidio estatais Instabilidade econômica. Aumento de desemprego. Diminuição da expectativa de vida Deteriorização do sistema de saúde.

A Transição violenta na Romênia: A Romênia possuía o regime mais feroz do leste europeu em virtude disso existiam grandes aversões por parte da sociedade aos membros da burocracia comunista. No entanto por advento do esfacelamento soviético, ocorreram movimentos de insurreição popular na cidade de Timissoara que se generalizou por todo o país chegando até a capital Bucareste. Esses movimentos acabaram por culmina com a derrubada o fuzilamento do ditador Nicolae Ceauscescu e de sua família. O espaço da Rússia e a CEI na nova ordem mundial O fim do socialismo no Leste Europeu significou um atrativo para a economia de mercado, ou seja, capitalista. Que passou a atuar nesse espaço que outrora era impossível de atuar, no entanto, verificaremos uma grande crise econômica e social nesse espaço nos anos 90, essa crise econômica reduziu as expectativas de inclusão de todos os países da CEI na economia global nos anos 90, no entanto, passado 17 anos da derrocada do socialismo alguns países que fazem Parte da CEI já se apresentam no cenário internacional como alguns possíveis parceiros comerciais das grandes potencias econômica mundiais, e o maior exemplo disso é o que está acontecendo com a Rússia (Putin) e a Ucrânia que a partir do novo milênio passaram a apresentar um novo dinamismo econômico em função dos seguintes fatores: • Grandes investimentos feitos pelos países da Europa ocidental com destaque para empresas francesas. • A volta de milhares de cientista que haviam deixado esse espaço nos anos 90 devido a crise econômica e social. • A utilização de mão-de-obra qualificada, pois os antigos cientistas da era bipolar agora estão produzindo para o mercado.

• • • • • • •

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!

VESTIBULAR – 2009

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->