Você está na página 1de 13

Conceitos Básicos sobre Medição CONCEITOS SOBRE

Metrologia MEDIÇÃO
A ciência que trata das medições é a metrologia. A metrologia • conceitos básicos
abrange todos os aspectos teóricos e práticos relativos às • + sobre metrologia
medições, em quaisquer campos da ciência ou da tecnologia. • + sobre instrumento /
Medir, entretanto, é uma atividade mais corriqueira do que parece. medida
Ao olhar no relógio, por exemplo, você está vendo no mostrador o • algarismo significativo
resultado de uma medição de tempo. Ao tomar um táxi, comprar
um quilograma de carne no açougue ou abastecer o carro no posto
• massa e peso
de gasolina, você presencia medições. Mas o que é uma medição? conversor de unidades
+ sobre metrologia história da metrologia
definição de metrologia museu virtual de
Medição metrologia
Existe uma imensa variedade de coisas diferentes que podem ser unidades do SI
medidas sob vários aspectos. Imagine uma lata, dessas que são vocabulário de metrologia
usadas para refrigerante. Você pode medir a sua altura, pode geral
medir quanto ela "pesa" e pode medir quanto líqüido ela pode vocabulário de metrologia
comportar. Cada um desses aspectos (comprimento, massa, legal
volume) implica numa grandeza física diferente.
Medir é comparar uma grandeza com uma outra, de mesma
natureza, tomada como padrão. Medição é, portanto, o conjunto de
operações que tem por objetivo determinar o valor de uma
grandeza.
definição de medição
Grandeza
Já deu pra perceber que o conceito de grandeza é fundamental
para se efetuar qualquer medição. Grandeza pode ser definida,
resumidamente, como sendo o atributo físico de um corpo que
pode ser qualitativamente distinguido e quantitativamente
determinado.
Aqui vamos precisar de mais exemplos: a altura de uma lata de
refrigerante é um dos atributos desse corpo, definido pela
grandeza comprimento, que é qualitativamente distinto de outros
atributos (diferente de massa, por exemplo) e quantitativamente
determinável (pode ser expresso por um número).
definição de grandeza
Unidade de Medição
Para determinar o valor numérico de uma grandeza, é necessário
que se disponha de uma outra grandeza de mesma natureza,
definida e adotada por convenção, para fazer a comparação com a
primeira.
Para saber a altura daquela lata, por exemplo, é preciso adotar um
comprimento definido para ser usado como unidade. O
comprimento definido como unidade de medida pelo Sistema
Internacional de Unidades - SI, é o Metro, seus múltiplos e
submúltiplos.
O Metro é definido como sendo o comprimento do trajeto
percorrido pela luz no vácuo, durante um intervalo de tempo de
1/299.792.458 de segundo.
definição de unidade
Padrão
Seria bem complicado medir a altura de uma lata usando apenas a
definição do Metro. Para isso existem os Padrões Metrológicos.
Um padrão metrológico é, em resumo, um instrumento de medir ou
uma medida materializada destinado a reproduzir uma unidade de
medir para servir como referência.
O padrão (de qualquer grandeza) reconhecido como tendo a mais
alta qualidade metrológica e cujo valor é aceito sem referência a
outro padrão, é chamado de Padrão Primário. Um padrão cujo
valor é estabelecido pela comparação direta com o padrão primário
é chamado Padrão Secundário, e assim sucessivamente, criando
uma cadeia de padrões onde um padrão de maior qualidade
metrológica é usado como referência para o de menor qualidade
metrológica. Pode-se, por exemplo, a partir de um Padrão de
Trabalho, percorrer toda a cadeia de rastreabilidade desse padrão,
chegando ao Padrão Primário.
definição de padrão
Instrumento de Medição e Medida Materializada
Já temos padrões de referência! Agora, antes de fazer qualquer
medição, precisamos saber qual a grandeza que pretendemos
medir e o grau de exatidão que pretendemos obter como resultado
dessa medição, para então podermos escolher o instrumento de
medir adequado. Além disso, é necessário que o instrumento ou
medida materializada em questão tenha sido calibrado.
Vamos supor que você queira saber quanto você "pesa". A
grandeza a ser medida é a massa. (Veja a diferença conceitual
entre massa e peso.) Você não necessita de um resultado com
grande exatidão de medição. A balança antropométrica da drogaria
resolve o seu caso.
Agora, vamos supor que você trabalhe numa farmácia de
manipulação e precise determinar a massa do componente de um
medicamento para aviar uma receita. É aconselhável que você
obtenha um resultado com grande exatidão de medição. Uma
balança analítica compatível com a exatidão requerida é o
instrumento mais adequado.
+ sobre instrumento/medida
definição de instrumento de medição
definição de medida materializada
Método de Medição
Mesmo na medição mais corriqueira adotamos, de maneira
consciente ou inconsciente, um método de medição e um
procedimento de medição.
Como no exemplo do tópico anterior, métodos e procedimentos de
medição são adotados em razão da grandeza a ser medida, da
exatidão requerida e de outros condicionantes que envolvem uma
série de variáveis.
Vamos supor que você queira determinar o volume de 200ml de
óleo comestível. Se você não necessita grande exatidão (você vai
usar o óleo para fazer uma receita culinária) então o método
escolhido pode ser, simplesmente, verter o óleo em uma medida
de volume graduada (uma proveta, por exemplo).
Porém, se o resultado exigir maior exatidão (um ensaio em
laboratório), será necessário utilizar outro método que leve em
consideração outras variáveis, como a temperatura do óleo, sua
massa, sua massa específica e por ai vai, uma vez que o volume
do óleo varia em razão da temperatura que este apresenta no
momento da medição.
definição de método de medição
Resultado da Medição
Após medir uma grandeza, devemos enunciar o resultado da
medição. Parece coisa simples, mas não é. Em primeiro lugar, ao
realizar uma medição, é impossível determinar um valor verdadeiro
para a grandeza medida.
Vamos supor que você mediu a massa de um corpo em uma
balança eletrônica e a indicação numérica que apareceu no visor
foi 251g (duzentos e cinqüenta e um gramas). Na verdade, um
possível valor verdadeiro da massa daquele corpo estaria próximo
da indicação obtida, embora este seja, por definição,
indeterminável. Os parâmetros dessa aproximação são dados pela
incerteza da medição.
Como nos exemplos anteriores, se essa medição destina-se a fins
domésticos, não é necessário qualquer rigor ao expressar o seu
resultado. Entretanto, quando se trata de medições para fins
científicos ou tecnológicos, será preciso deixar claro se o resultado
apresentado refere-se àquela indicação, ou ao resultado corrigido,
ou ainda à média de várias medições. Deve conter ainda
informações sobre a incerteza de medição, ser expresso utilizando-
se o nome e a simbologia da grandeza de forma correta e levar em
consideração os algarismos significativos que compõem o valor
numérico.
definição de resultado de medição
Nota
No texto acima, se aludimos a exemplos de medição doméstica
comparados a exemplos de medição de cunho científico ou
tecnológico, foi apenas por acreditar que tais comparações
facilitam a compreensão. Na verdade, a maior parte das medições
que observamos no dia a dia são, de fato, de cunho comercial, e
são reguladas por uma parte específica da Metrologia
chamada Metrologia Legal.

Metrologia CONCEITOS SOBRE


MEDIÇÃO
• conceitos básicos
• + sobre metrologia
Domínio da Metrologia (Geral)
Por domínio entendemos aqui o campo de abrangência da ciência • + sobre instrumento /
metrológica. medida
A metrologia abrange: • algarismo significativo
• As unidades de medir e seus padrões: estabelecimento, • massa e peso
reprodução, conservação e rastreamento. conversor de unidades
• As medições e as medidas (resultado das medições): métodos e história da metrologia
procedimentos de medição, execução, exatidão, erros de medição, museu virtual de
incerteza de medição, etc. metrologia
• As medidas materializadas e os instrumentos de medição:
unidades do SI
propriedades examinadas sob o ponto de vista da sua aplicação.
• Os observadores (operadores): suas qualidades em relação à vocabulário de metrologia
execução das medições. geral
vocabulário de metrologia
Metrologia Fundamental / Aplicada legal
Como toda a ciência que abrange um universo extenso e
complexo, pode-se destacar da Metrologia Geral vários campos
específicos.
Num primeiro momento, podemos fazer distinção entre a
Metrologia Fundamental e a Metrologia Aplicada. Para se ter uma
idéia, a metrologia Fundamental se diferencia da Metrologia
Aplicada assim como, num exemplo aproximado, a Química se
diferencia da Engenharia Química. Ou seja, a Metrologia
Fundamental lida sobretudo com teoria e pesquisa, enquanto a
Metrologia Aplicada, como o próprio nome diz, põe em prática os
conceitos desenvolvidos pela primeira e desenvolve metodologias
de aplicação.
Por sua vez, a Metrologia Aplicada subdivide-se em outras, quer
com relação à grandeza considerada, quer com relação a um
campo específico de aplicação. Relacionada às grandezas
específicas temos a metrologia dos comprimentos, a metrologia
das massas, a metrologia do tempo etc. Voltadas a campos
específicos temos a metrologia médica, a metrologia Industrial, a
metrologia legal, etc.
Metrologia Legal
A Metrologia Legal pode ser definida como sendo a parte da
Metrologia Geral que se refere às exigencias legais, técnicas e
administrativas, relativas às unidades de medida, aos métodos de
medição, aos instrumentos de medição e às medidas
materializadas.
Explicando melhor: a maioria dos produtos que consumimos são
medidos de alguma forma. Quando compramos um pacote de
arroz no supermercado, ou quando vamos ao açougue comprar
carne, o preço que pagamos depende da quantidade que estamos
comprando.
Muitas vezes o produto foi medido previamente, como no caso de
um pacote de arroz de 5kg, de um rolo de papel higiênico de 30
metros ou de um litro de leite. Outras vezes, o produto é medido na
nossa frente, como quando pedimos um "quilo" de carne no
açougue.
Muitos serviços também são medidos. Nas grandes cidades, o táxi
possui um medidor de comprimento e tempo, o taxímetro, que
mede a distância percorrida e calcula o valor da corrida. A água
que chega à nossa casa é medida por um aparelho chamado
hidrômetro, que registra quantos metros cúbicos de água foi
consumida. Quando vamos ao médico, ele mede a nossa pressão
arterial usando um instrumento chamado esfigmomanômetro.
Também mede a nossa temperatura, usando um termômetro
clínico.
Normas e Regulamentos Técnicos
Se quase tudo o que compramos é medido, como saber se as
medições estão sendo realizadas corretamente? Quem garante
que o pacote de arroz de 5kg tem, de fato, cinco quilogramas?
Quem controla a qualidade das medições realizadas pelas
balanças, taxímetros, bombas medidoras de combustível e tantos
outros instrumentos usados para medir os produtos que
consumimos?
As medições que envolvem transações comerciais, bem como
aquelas que envolvem a saúde e a segurança dos cidadãos, são
reguladas pela Metrologia Legal. Nesse sentido, a Metrologia Legal
é um conjunto de normas e regulamentos técnicos que devem ser
obedecidos compulsoriamente (adoção obrigatória) por todos
aqueles que comercializam produtos ou serviços mediante algum
tipo de medição, ou que fabricam instrumentos de medição
voltados para esse fim, sob pena de sofrerem algum tipo de
sanção administrativa.
Sinmetro
Como em muitos países, no Brasil existe um sistema responsável
pela elaboração e aplicação das normas e dos regulamentos
compreendidos pela Metrologia Legal. Esse sistema é conhecido
porSINMETRO, Sistema Nacional de Metrologia, Normalização e
Qualidade Industrial.

Instrumento de medição e Medida Materializada CONCEITOS SOBRE


Um instrumento de medição é um dispositivo utilizado para uma MEDIÇÃO
medição, sozinho ou em conjunto com dispositivos • conceitos básicos
complementares. • + sobre metrologia
Uma medida materializada é um dispositivo destinado a reproduzir • + sobre instrumento /
ou fornecer, de maneira permanente durante seu uso, um ou mais medida
valores conhecidos de uma dada grandeza. • algarismo significativo
Apenas lendo as definições acima, dadas pelo VIM (Vocabulário
Internacional de Termos Fundamentais e Gerais de Metrologia),
• massa e peso
conversor de unidades
não dá para perceber muito bem a diferença entre instrumento de história da metrologia
medição e medida materializada. Para facilitar o entendimento, museu virtual de
vamos começar por esta última. metrologia
Medida Materializada unidades do SI
Uma medida materializada "concretiza" o conceito de uma unidade vocabulário de metrologia
de medir de determinada grandeza. Já vimos em outro lugar que o geral
conceito de Metro é "o comprimento do trajeto percorrido pela luz vocabulário de metrologia
no vácuo, durante um intervalo de tempo de 1/299.792.458 de legal
segundo". O que se faz é pegar o comprimento assim definido e
materializá-lo numa barra feita de um material adequado. Pode-se,
depois, marcar sobre ela uma escala decimal, materializando
assim, também os seus submúltiplos.
Um metro comercial (desses usados para medir tecido) é um bom
exemplo de medida materializada. Uma proveta também, desde
que traga a marca indicativa do volume (por exemplo, um litro).
Como no metro comercial, pode-se graduar a proveta com os
submúltiplos do litro (ou submúltiplos do metro cúbico, já que um
litro equivale a um decímetro cúbico). Portanto, é perfeitamente
possível realizar medições usando uma medida materializada. De
qualquer modo, a medida materializada apresenta sempre valores
fixos de uma determinada grandeza.
Instrumento de Medição
Um instrumento de medição é um pouco mais complexo e em geral
é utilizado para a medição de grandezas para as quais não é
possível, suficiente ou conveniente utilizar apenas a medida
materializada. Existe uma gama extremamente variada desses
instrumentos.
Uma balança é um bom exemplo de instrumento de medição. Para
medir massa, mesmo que você disponha de uma medida
materializada de massa (uma massa - ou "peso" - de um
quilograma, por exemplo) você precisará de uma balança para
fazer a comparação dessa massa com o corpo que você pretende
medir. Do mesmo modo, dependendo da balança utilizada, esta
necessita de padrões de massa, que são medidas materializadas.
Para uma mesma grandeza é possível utilizar medidas
materializadas, instrumentos de medição ou instrumentos de
medição que incorporam medidas materializadas. No caso da
grandeza volume, por exemplo, pode-se utilizar uma proveta, como
no exemplo acima; pode-se também utilizar um hidrômetro
domiciliar, que é um instrumento que mede o volume de água
fornecido, mediante a rotação de uma turbina; pode-se ainda
utilizar uma bomba medidora de combustíveis líquidos (a popular
bomba de gasolina), instrumento que incorpora medidas
materializadas de volume.

Algarismos Significativos

O resultado de uma medição expressa o valor de uma grandeza física. É muito importante
saber distinguir o valor efetivamente obtido no processo de medição, daqueles decorrentes de
cálculo ou arredondamento numérico. Assim, dado o resultado de uma medição, os algarismos
significativos são todos aqueles contados, da esquerda para a direita, a partir do primeiro
algarismo diferente de zero.
Exemplos:
45,30cm > tem quatro algarismos significativos;
0,0595m > tem três algarismos significativos; e
0,0450kg > tem três algarismos significativos.
Algarismo correto e algarismo duvidoso:
Vamos supor que você está efetuando a medição de um segmento de reta, utilizando para isso
uma régua graduada em centímetros.
Você observa que o segmento de reta tem um pouco mais de vinte e sete centímetros e menos
que vinte e oito centímetros.
Então, você estima o valor desse "pouco" que ultrapassa vinte e sete centímetros, expressando
o resultado da medição assim: 27,6 centímetros.
Ou seja, você tem dois algarismos corretos (2 e 7) e um duvidoso (6), porque este último foi
estimado por você - um outro observador poderia fazer uma estimativa diferente.
Significados do zero, à esquerda e à direita
Zeros à esquerda do primeiro algarismo correto, antes ou depois da vírgula, não são
significativos. Refletem apenas a utilização da unidade, ou seus múltiplos e submúltiplos.
Note que se você preferisse expressar o resultado 0,0595m em centímetros, ao invés de
metros, você escreveria 5,95cm . Nada se altera, você continua com os mesmos três
algarismos significativos.
Zeros colocados à direita do resultado da medição, são significativos.
O resultado 0,0450kg é diferente de 0,045kg , pois o primeiro tem três algarismos significativos
enquanto o segundo só tem dois. No primeiro caso, o zero é o algarismo duvidoso, enquanto no
segundo caso o algarismo duvidoso é o cinco. Isso significa que houve maior exatidão de
medição no processo para se obter o resultado 0,0450kg.
Influência dos cálculos
Vamos supor que você fez três medições de massa de um mesmo corpo em uma balança de
leitura digital que apresenta o resultado em gramas, obtendo os seguintes valores: 5202g;
5202g e 5203g. Você obteve resultados com quatro algarismos significativos.
Para apresentar o resultado da medição, você resolveu fazer a média entre as três leituras
obtidas, utilizando três casas decimais para o cálculo:
5202g + 5202g + 5203g = 15607g : 3 = 5202,333g
Ora, se você apresentar como resultado da medição o valor 5202,333g , sem qualquer
informação adicional, você o estará falseando, pois este exibe sete algarismos significativos.
Nesse caso, o resultado apresentado não é resultante apenas do processo de medição, mas foi
influenciado pelo cálculo com três casas decimais. Você passará a informação de que a
medição foi realizada com exatidão muito superior ao que de fato ocorreu no processo de
medição. O correto é dar o resultado com a mesma quantidade de significativos da medição
realizada: 5202g (quatro significativos).
O contrário também pode ocorrer. Pegando o mesmo exemplo, digamos que você tenha
decidido apresentar o resultado da medição em quilogramas, ou seja, 5,202kg. Aí você resolve
arredondar o valor obtido para 5,2kg. Esse resultado apresenta apenas dois algarismos
significativos e expressa uma exatidão inferior àquela obtida pelo processo de medição. Assim,
a maneira correta de apresentar esse resultado é 5,202kg, portanto com os mesmos 4
significativos originais.

CONCEITOS SOBRE
MEDIÇÃO
Distinção entre Massa e Peso • conceitos básicos
Sempre é bom recordar a diferença entre massa e peso.
• + sobre metrologia
Independentemente do lugar em que estiver, a massa de um corpo • + sobre instrumento /
não se altera, mas o seu peso sim. Alguém que na Terra pese medida
70kg (70kgf), na Lua pesará cerca de 11,6kgf (mas sua massa • algarismo significativo
permanecerá 70kg). Isso porque a Lua tem gravidade bem menor • massa e peso
que a Terra. Mesmo aqui na Terra, a gravidade não é a mesma em conversor de unidades
todo lugar. Diferenças de altitude e latitude podem determinar história da metrologia
valores diferentes para a gravidade. Mas então, como distinguir
museu virtual de
"peso" de "massa"?
metrologia
Podemos dizer que peso de um corpo é a resultante da atração da
gravidade sobre esse corpo (força) , enquanto massa de um corpo unidades do SI
é a quantidade de matéria desse corpo. vocabulário de metrologia
Na verdade, definir massa como quantidade de matéria não é geral
adequado. "Quantidade de Matéria" é uma grandeza distinta, cuja vocabulário de metrologia
unidade SI é o mol. Massa é uma grandeza relacionada à inércia, legal
cuja unidade SI é o quilograma. Porém, como a inércia está
intimamente relacionada com a matéria, e para simplificar as
coisas, podemos na prática aceitar aquela definição como válida.
Pelo mesmo motivo (simplificar as coisas) utilizamos no dia a dia
os termos massa e peso como se fossem sinônimos. De fato,
quando procedemos a uma medição utilizando uma balança
comparadora, estamos medindo massa, pois tanto o corpo cuja
massa queremos determinar, como o padrão de massa utilizado
para a comparação estão, ambos, sujeitos à mesma gravidade.
Aliás, o próprio nome da Instituição cujo sítio você está
consultando, mantém esse desvio conceitual. Por uma questão de
tradição, o histórico nome "Instituto de Pesos e Medidas" tem sido
mantido para muitos Órgãos Metrológicos, tanto no Brasil como no
exterior. É provável que a origem desse nome deva-se ao fato de,
no passado, essas entidades lidarem principalmente com padrões
de massa (então chamados pesos) e medidas materializadas de
volume e comprimento (abreviadamente, medidas).
Evidentemente, um padrão de massa também é uma medida
materializada. É uma redundância dizer pesos e medidas. Mesmo
do ponto de vista da operação de medir, a redundância
permanece: Pesar é medir massa. Entretanto, estas distinções
conceituais, muito importantes hoje, não o eram tanto antigamente.
E o nome acabou ficando.

Medidas Físicas
• |outros
Experiência: Medidas Físicas
1.Objetivos:
Apresentar ao aluno, instrumentos de medida de diferentes graus de precisão (régua,
paquímetro e micrômetro) e através de medições práticas realizadas, fazer com que o
mesmo possa familiarizar-se com tais instrumentos além de fazer aplicações práticas
de Teoria de Erros e Algarismos Significativos na obtenção e apresentação dos
resultados obtidos.
2.Introdução teórica.
Para se realizar uma medição qualquer, dispomos hoje de vários instrumentos cada
qual com sua escala, unidade de medida e precisão. De acordo com a situação
encontrada, devemos determinar qual instrumento será utilizado de modo a fornecer
os resultados mais adequados. Por exemplo, para medirmos uma mesa sem fins que
necessitem de precisão, podemos utilizar uma trena, que fornecerá um resultado
satisfatório para tal situação. Já não seria conveniente usar um micrômetro, por
exemplo, para se fazer a mesma medição, pois este instrumento ofereceria uma
precisão desnecessária além de que a medida final terá um grande erro agregado
resultando da soma das muitas medidas parciais realizadas, uma vez que não é
possível medir uma mesa com um micrômetro de uma só vez.
Quando fazemos uma medição, não importa quão grande seja sua precisão, sempre
haverá algum fator que ocasionará uma diferença entre o valor medido e o valor real.
Devido á essa diferença, denominada erro, temos de aplicar os conceitos de Teoria de
Erros para expressarmos o resultado de modo a não apresentá-lo como valor exato e
sim, um valor médio dentro de uma faixa de possíveis resultados. Essa faixa é
estipulada de acordo com as particularidades da situação em questão. Normalmente,
ao realizarmos uma medida, o fabricante do instrumento já fornece os valores dessa
faixa de erro e quando não, devemos considerar metade da menor unidade de medida
do instrumento como sendo tal faixa.
Os experimentos realizados em laboratórios na maioria das vezes requerem diversas
medições para que a partir delas seja possível calcular outros parâmetros e atingir o
objetivo do experimento. Por isso a teoria de erros é de extrema importância, pois
através dela conseguimos resultados com um nível maior de segurança e precisão.
Para isso precisamos então não só saber aplicá-la, mas também saber suas
propriedades algébricas para eventuais cálculos e como apresentar os resultados
obtidos de forma clara, formal e elegante aplicando a teoria dos algarismos
significativos.
3.Procedimento Experimental
a)Dado uma vareta metálica, medir o comprimento e o diâmetro da mesma utilizando
uma régua e coletar os dados obtidos na medição de cinco varetas distribuídas na sala
organizando-os numa tabela.
b)Utilizando um paquímetro e um micrômetro, medir o diâmetro da mesma vareta
metálica e coletar os dados também obtidos nas cinco varetas distribuídas.
c)Calcular a média dos dados coletados e partir desta, calcular o volume da vareta
para cada instrumento.
d)Dado uma esfera de aço, utilizar a régua, o paquímetro e o micrômetro para medir
seu diâmetro. Coletar os resultados obtidos pelos colegas organizando-os numa
tabela.
e)Calcular a média dos valores obtidos e a partir desta, determinar o volume da esfera.
4.Resultados
a)Medindo o comprimento e o diâmetro da vareta metálica utilizando a régua,
obtivemos os seguintes resultados:
Tabela 4.1. Medidas do comprimento (x) e do diâmetro (d) da vareta obtidas na régua.
Medida
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Comprimento 0,5 (mm)
284,0
260,0
280,0
275,0
254,5
254,0
284,0
284,0
260,0
260,0
Diâmetro
0,5 (mm)
3,0
3,0
3,5
3,0
4,0
3,0
3,0
3,0
4,0
3,0
b)Utilizando agora o paquímetro e o micrômetro para se medir o diâmetro da vareta
foram obtidos os seguintes resultados:
Tabela 4.2. Medidas do diâmetro (d) da vareta obtidas no paquímetro e no micrômetro.
Medida
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Paquímetro
0,05 (mm)
3,20
3,20
3,10
3,20
3,25
3,20
3,20
3,20
3,20
3,20
Micrômetro
0,01 (mm)
3,17
3,18
3,25
3,22
3,21
3,17
3,17
3,18
3,18
3,17
c)Calculando a média dos comprimentos medidos com a régua temos:
(1)
Em seguida, calculamos o desvio padrão:
(2)
Então temos os dados do comprimento:
Média: 269,5 mm
Desvio Padrão: = 12,9 mm
Desvio Padrão da média: mm
Resultado: x = (269,5 4,0 mm)
Agora, devemos calcular as médias dos diâmetros medidos na régua, no paquímetro e
no micrômetro. Na régua temos:
(3)
No paquímetro temos:
(4)
No micrômetro temos:
(5)
Então, devemos agora calcular o desvio padrão dos diâmetros medidos na régua, no
paquímetro e no micrômetro. Na régua temos:
(6)
No paquímetro temos:
(7)
No micrômetro temos:
(8)
Temos agora os dados dos diâmetros:
Tabela 4.3. Diâmetros calculados na régua, no paquímetro e no micrômetro.
Dados
Régua
Paquímetro
Micrômetro
Média (mm)
3,2
3,20
3,20
Desvio Padrão (mm)
0,4
0,04
0,03
Desvio Padrão da Média (mm)
0,1
0,01
0,01
Resultado (mm)
3,2 0,1
3,20 0,01
3,20 0,01
Com os dados apresentados na tabela 4.3, é possível calcular o volume da vareta
considerando os desvios das medidas. Temos o diâmetro medido e calculado nos três
diferentes instrumentos e o comprimento medido e calculado na régua. Obteremos o
volume utilizando o comprimento da régua para o diâmetro de cada instrumento.
A base da vareta é calculada por:
(9)
(10)
Substituindo (10) em (9):
(11)
A partir de (11) temos a área da base para a régua:
(12)
Para o paquímetro temos:
(13)
Para o micrômetro temos:
(14)
Com o comprimento e a área da base calculada com a medida da régua (12)
calculamos o volume obtido com as medidas da régua:
(15)
Observa-se um erro muito grande na medida, isso se deve ao fato de que, ao calcular
o volume utilizando as medidas da régua que possui um erro relativamente grande,
estamos propagando-o, deixando-o maior ainda.
Utilizaremos agora o comprimento medido e calculado e a área calculada através da
medida do paquímetro para calcular um novo volume da vareta:
(16)
Conseguimos reduzir consideravelmente o erro utilizando a medida mais precisa do
paquímetro. Porém ainda continua relativamente grande o erro, pois ainda
dependemos de uma medida realizada com a régua.
Enfim, utilizaremos a área calculada através da medida do micrômetro e o mesmo
comprimento utilizado anteriormente para calcularmos um terceiro volume:
(17)
Como a área calculada através da medida do micrômetro teve o mesmo valor e o
mesmo erro da área calculada através da medida do paquímetro então os volumes e
os erros calculados também são iguais entre si.
Com os resultados obtidos, monta-se uma tabela com os valores do volume
calculados:
Tabela 4.4. Volumes calculados com as medidas da régua, do paquímetro e do
micrômetro.
Instrumento:
Régua
Paquímetro
Micrômetro
Volume calculado (mm ):
(2156 167)
(2156 45)
(2156 45)
d)Fazendo as medições do diâmetro da esfera com a régua, o paquímetro e o
micrômetro, foram obtidos e coletados os seguintes dados:
Tabela 4.5. Valores coletados da medição do diâmetro de uma esfera de aço com
diferentes instrumentos.
Medida
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
Régua
0,5 (mm)
15,0
14,0
15,0
16,0
16,0
16,0
17,0
16,0
15,0
15,0
Paquímetro
0,05 (mm)
15,05
15,15
15,10
15,00
15,10
15,10
15,05
15,10
15,00
15,05
Micrômetro
0,01 (mm)
15,08
15,08
15,08
15,08
15,07
15,06
15,07
15,06
15,07
15,08
Usando os mesmos procedimentos de (3), (4), (5) e de (6), (7) e (8), calculamos os
valores médios dos diâmetros medidos nos diferentes instrumentos tal como seus
desvios padrão e da média e organizamos os resultados na tabela a seguir:
Tabela 4.6. Diâmetros medidos e calculados com diferentes instrumentos.
Dados
Régua
Paquímetro
Micrômetro
Média (mm)
15,5
15,07
15,07
Desvio Padrão (mm)
0,8
0,05
0,01
Desvio Padrão da Média (mm)
0,1
0,005
0,001
Resultado (mm)
15,5 0,1
15,070 0,005
15,070 0,001
e)Utilizando os valores médios dos diâmetros calculados podemos encontrar o raio da
esfera e a partir dele o volume da mesma para os diferentes instrumentos.
Temos que o volume da esfera é dado por . Devemos encontrar os raios da esfera
medidos nos diferentes instrumentos:
(18)
(19)
(20)
Com o valor dos raios, é possível então calcular o volume da esfera para cada
instrumento. Para a régua temos:
(21)
Para o paquímetro:
(22)
E para o micrômetro:
(23)
Com os dados calculados, podemos organizar os resultados numa tabela:
Tabela 4.7. Volumes da esfera, calculados com as medidas da régua, do paquímetro e
do micrômetro.
Instrumento:
Régua
Paquímetro
Micrômetro
Volume calculado (mm ):
(1951 38)
(1768,0 0,4)
(1768,0 0,4)
5.Conclusões.
Fizemos as medições no laboratório com vários instrumentos de grau de precisão
diferentes e analisando a tabela 4.4 e a 4.7 concluímos que para a medição que
fizemos o adequado era não utilizar um instrumento de baixa precisão, pois
observando os resultados da régua, vemos que o erro é maior e que o valor varia
bastante em relação ao dos outros instrumentos que entre si, não variam muito além
de apresentarem aproximadamente os mesmos resultados. Mas se entre os
instrumentos mais precisos, as medidas que fizemos não variou muito, é conveniente
utilizar o de precisão média, pois para esse caso, ofereceu um resultado satisfatório e
com grande precisão. Fazer essa análise depende da situação e do grau de precisão
que o resultado exige, ainda mais se esse resultado for ser submetido á outros
cálculos acarretando uma maior propagação de erros. Depende também da pessoa
que está por trás das medições fazer corretamente tal análise, aplicando os conceitos
de teoria de erros e algarismos significativos, além do bom senso, para a
apresentação de um resultado objetivo, claro e satisfatório para a sua medição que,
além disso, está assegurado pela estatística numa faixa de certeza de que o resultado
real está contido dentro do intervalo do resultado apresentado.
6.Referências.
[1] Aquino, H.A. - Laboratório de Física I
[2] Haga, M.S. Medidas, Introdução á teoria de erros e algarismos significativos