ORIENTAÇÕES PARA O DIRIGENTE DE CULTO

Objetivo do culto O culto aos domingos tem o objetivo de reunir o povo de Deus para louvar e proclamar as virtudes do nosso Criador e Senhor. É um evento coletivo, e a participação, o louvor deve ser essencialmente congregacional. O dirigente É a pessoa que conduz o povo neste culto de forma ordenada, ajudando a Igreja a ter uma mesma mente e coração neste momento de adoração, de aproximação de Deus. Por isso, ela deve estar sensível ao Espírito Santo e às necessidades da igreja. Sua função é levar o povo a louvar e adorar a Deus de todo o coração. Você pode fazer algum comentário que venha a estimular uma maior conscientização daquilo que se está cantando ou fazendo (leitura, oferta, oração), mas a ênfase é a expressão do povo de Deus e não somente a sua própria expressão (o que eu sinto, eu acho, minha história passada, etc.) O dirigente deve ter em mente a programação do dia, além de trabalhar em cooperação com o grupo de louvor, treinando e dirigindo a forma de louvor. Preparação Antes de escolher as músicas, procure se informar sobre: • as atividades daquele domingo (boletim, pastores); se haverá algo especial (ex. dia do ancião, dia dos pais, etc.), se vai haver santa ceia ou um testemunho especial • quem vai ser o mensageiro (e se puder, o tema da pregação. Procure o pregador da semana seguinte e pergunte se ele já tem idéia do tema). Durante a semana (ou antes), esteja em espírito de oração e com o coração e a mente abertos para o que Deus quer do Seu povo. À medida que as coisas vão se esclarecendo, escolha as músicas e os trechos da Palavra que expressem bem estas intenções. Sabendo que o tempo é limitado, as escolhas devem ser criteriosas e a forma de condução deve ser clara e objetiva. Leia o texto no final desta apostila sobre as motivações do coração. Formas Dirigir o culto não é somente escolher e cantar com a congregação as músicas. Louvar com música cantada é somente uma das formas de cultuar. Há outras maneiras: • Orar juntos (expressão livre, gratidão, confissão, oração dominical, etc.) • Ler em conjunto algum trecho da Palavra • Ofertas (de gratidão, de amor, especiais, dízimos,...) • Celebração de datas especiais (lembrando com gratidão os feitos do Senhor, ex. páscoa, santa ceia, batismo, aniversário, recepção de novos membros, ...) Composição da congregação • Crianças, jovens, adultos, idosos • Japoneses, brasileiros descendentes de japoneses e não-descendentes • Crentes em diferentes estágios de maturidade e compreensão e não crentes - Visitantes (crianças, jovens e adultos) • Homens e mulheres • Classes sociais diferentes, com realidades de apreensão diferentes. Considere este fator na hora de se pensar em como o culto será dirigido. Horário 8:30 Chegada do grupo de louvor 8:45 Reunião de oração: o dirigente do culto dirige esse tempo de intercessão. motivos: pregador, dirigente, professores ED, visitantes, cultinho, grupo de louvor, …. 9:00 Louvor (comece mesmo que o número de presentes ainda seja pequeno) Inclua nesse período: as músicas, oferta, apresentação de visitantes, leitura bíblica, cumprimentos, orações, oração “dominical”. 9:35 Testemunho (normalmente o 2o domingo é o da Santa Ceia, no horário dos testemunhos. Confirme). 9:45 Separação para culto infantil (não use “separar em classes”!) e culto em japonês. Palavra / pregação. Escolha um intercessor pelo mensageiro. 10:25 Bênção apostólica. Avisos. Separação em classes. Cumprimentos dos pastores e pregador. Em pé / sentado • Planeje antecipadamente os períodos do culto onde você pedirá para a congregação se levantar e se sentar.

IMeL Sorocaba.

Pág. 1 / 5

• • Use algum texto de adoração.. explique a música primeiro e só então peça para a congregação se levantar (não fique falando muito com todos em pé). Não use a expressão “que Deus abençoe igualmente quem ofertou e quem não ofertou”. sentados ou eventualmente ajoelhados. Não se esqueça que o culto é de todos para Deus. Jó 42. • É um culto de adoração.. que conduza ao louvor. mas estão totalmente impossibilitados nesta manhã”. Músicas mais introspectivas. peça no entanto. Isaías 40. mas não suficiente. inclua-a]. João 1. Dizer: ”quem não ofertar $. confira antes se ela entende o significado acima. oferte sua vida” é um contra-senso. não há coração certo ao não ofertar. Leia um texto bíblico sobre oferta ou explique a letra da música que fala sobre isso.. É algo que não fazia sentido (e não faz ainda hoje). consagração de ofertas.. Pág. orações que levem a um espírito de adoração. reflexivas. Se você vai prestar adoração a Deus. Se quiser que a leitura seja em uníssono real. O ato de ofertar é uma expressão externa do coração (embora a gente saiba que nem todos que dão.5-11.1-18. Use “consagrar/dedicar nossas ofertas”. Use uma bíblia na versão Revista e Atualizada ou NVI. Atenção: Se quiser que outra pessoa faça a oração pelas ofertas. arrependimento… combinam com uma atitude mais introspectiva. • Passe a oferta como parte do louvor.ORIENTAÇÕES PARA O DIRIGENTE DE CULTO • Em pé a voz sai melhor. . mas você pode optar por outro texto nesta linha (por exemplo: Filipenses 2. de confissão de pecados. . Se alguém não oferta nem 5 ou 10 reais. Se quiser explicar a música ou fazer algum comentário. • IMeL Sorocaba. japoneses. o fazem com o coração certo. jovens. Podem ser incluídas orações de confissão de pecados. No AT ninguém ia ao templo de mãos vazias. como podemos realisticamente esperar que ele/ela ofereça sua vida? Ao orar. encerramento do período de louvor e intercessão pelo pregador. de consagração pessoal. enfim. adolescentes. Não peça para o povo se levantar para cantar uma música desconhecida. Explique que isso é expressão da nossa gratidão a Deus. intercessão pelos visitantes. parte da adoração. mas as demais podem ser distribuídas entre diferentes pessoas da igreja (inclusive crianças. • Oferta • A oferta é parte do culto. evite a expressão “agradecer pelas ofertas”. que fale sobre atributos de Deus. considere essa combinação conteúdo-estilo para que a congregação não fique sentando e levantando continuamente. 2 / 5 . de enlevo. Deus conhece o coração e as motivações de cada um. que se levantem na 2a vez. Uma alternativa é Deus abençoe os que ofertaram e igualmente os que ofertariam. Não-ofertar é expressão de um coração ingrato). por isso as músicas de exaltação devem ser preferencialmente cantadas em pé. faça uma transparência com o trecho bíblico. de exaltação de Deus [se você perceber que há tempos que não se faz a oração “dominical”. • • • Leitura bíblica • Faz parte da celebração. é natural o desejo de retribuir concretamente isso.. algumas orações podem ser feitas pelo dirigente (normalmente a primeira). cante a 1a vez sentados e se julgar apropriado. demonstrar sua gratidão por tudo o que Ele fez e faz na sua vida. Normalmente usam-se os Salmos. …). oração do “Pai Nosso”. idosos. Haverá a pregação da palavra depois do louvor por isso não faça sermões sobre o texto lido. “Deus abençoe os que ofertaram e faça os que não ofertaram conhecerem a Sua graça”. • • • Oração • As orações normalmente incluídas em nosso culto são: de abertura / invocação. de adoração coletiva (cada um faz um pedaço da oração). Na escolha da seqüência das músicas.. por isso opte pela leitura em uníssono (todos juntos) ou responsiva (o dirigente lê um versículo e a congregação o seguinte). A oferta é expressão necessária do louvor individual. Por ser um culto da igreja para Deus (e não apenas do dirigente para Ele). para alguém que já seja convertido). Se a música for nova..

• • Podem ser incluídos solos feitos pelos componentes do grupo de louvor ou pelo próprio dirigente ou por outros membros da igreja. na medida do possível. Não serão feitas propagandas (CD. Flexibilidade. Se você perceber que a pessoa que está testemunhando fala mais da glória dela do que da Deus.. Nunca antes da 3a música ou das 9. Testemunhamos aquilo que Ele tem feito em nossas vidas. crentes consagrados.20h em diante. não é necessário cantar todas elas. poderíamos ficar em casa…). não-descendentes. A razão para isso é que pode acontecer de os visitantes chegarem ligeiramente atrasados e para evitar apresentações posteriores (para que os visitantes não se sintam. para que ela encerre a fala. desde que não se esqueça que ele é congregacional (deve ter a participação de todos durante a maior parte dele). suspenda ou exclua alguma(s) delas. [confirme na escala] Aos 3os domingos (evangelísticos). 3 / 5 . adolescentes. está sendo inconveniente. Preferencialmente das 9. exaltando-O. Vários dirigentes deixam as ultimas músicas para serem cantadas em seqüência. apresentação em outro lugar) durante o período de culto. adultos.ORIENTAÇÕES PARA O DIRIGENTE DE CULTO Escolha das músicas • O culto é congregacional e abrange crianças. os testemunhos são escolhidos junto com os pastores e devem ser de conversão pessoal. de familiares próximos ou atuação de Deus. mulheres. idosos. recém convertidos. Pág. A intenção é sempre adoração a Deus. jovens. Talvez faça sentido deixar uma música de adoração/ gratidão para depois dos testemunhos… • Deixe a apresentação dos visitantes para o mais tardar possível. Uma música comprida e difícil vale por duas ou três fáceis. Decida anteriormente quantas vezes se cantará cada uma delas. • • • Apresentações / Solos • Podem ser feitas apresentações durante o culto. consulte antes o pastor. Se você percebe que sua lista de músicas vai ultrapassar o horário. Se três músicas têm a mesmo conteúdo. Se você deseja ensinar alguma música nova. então volte a ela. Não pode ser omitido ou espremido em “2 ou 3 minutinhos”. você pode planejar uma música para depois do tempo de testemunhos. Em caso de convite para apresentação de pessoas de fora da nossa igreja. de acordo com a necessidade da situação. ou de alguma outra forma. mas isso também pode ser mudado. Pense antecipadamente qual música será cortada caso o horário assim o exija. jogral. pequeno coral ou grupo musical. As músicas cantadas em solo devem levar à meditação / adoração. Não repita músicas muito longas ou repetitivas.. embora exija a inclusão de várias coisas. temos a Ceia. leve em consideração isso. • O critério de escolha principal não deve ser o seu gosto pessoal. Na posição de dirigente do culto sua função é levar a congregação a adorar a Deus de forma consciente (não só pelo entusiasmo). • Testemunho • • Faz parte do culto. abra para testemunhos um pouco antes. descendentes de japoneses. visitantes… Considere esse fato na escolha das músicas e na explicação delas. Planeje o número de vezes que irá cantar cada uma delas (não se deixe levar apenas pela emoção causada pela música no momento em que foi cantada). homens. algumas dessas informações podem ser dadas no período de avisos. outros grupos de coreografia. • IMeL Sorocaba. Em concordância com o pastor. Lembre-se dos oditians e obatians que cultuam conosco. explicando o propósito. Idem para a coleta das ofertas. grupo Atos. Se fosse apenas individual. no tempo para testemunhos. japoneses. Alternativamente. A condução do louvor pode até ser (não tem que ser) temático. cante-a (ensine-a) antes de apresentar os visitantes. O alvo continua sendo a adoração a Deus. Outras apresentações: música instrumental – solo ou grupo. levante-se e coloque-se ao lado dela. escolha aquela que vai ficar mais apropriada. antecipadamente. pessoal (cada um precisa ter uma razão para louvar) e coletiva (percebendo o outro ao nosso lado. . Se houver uma música nova. • • Liturgia / seqüência • Nesse aspecto nosso culto é bastante livre.. No 2 º domingo. os únicos de fora). Nesse caso. Se depois do tempo de testemunho ainda couber mais uma música.15h. Escolha de 6 a 8 músicas.

IMeL Sorocaba. Nem sempre todas as pessoas vão gostar da sua condução do culto. ou uma apresentação (solo. 16-18). especialmente se não consegue ouvir o nome. deseja aprofundar em nosso coração a relação de amor a Deus naquilo que fazemos. o ser e o ter. • não use mais do que UMA música nova. Atente para as terminações das palavras e frases. planejadas com outros. Não perca este foco. Lei sem amor ao invés de tornar-se instrumento de vida traz morte. não masque chiclete ou chupe bala. a oração fossem voltados para Deus e não para ganhar reconhecimento e aclamação públicos (Mt 6. • • • Na hora dos testemunhos. Por isto Jesus recomendava que a esmola. mas acima de tudo porque faço o que faço. não fique com a mão no bolso nem arrumando o tempo todo o microfone. é algo abominável a Deus. Seja claro. Deus. já que ele não precisa de seu ouro e de sua prata. entre o que se prega e o que se vive. mesmo que eventualmente algo não saia como o planejado (microfonia. uma vez que o Evangelho trata de nossa alma e do nosso coração. O Evangelho lida com nossas raízes motivacionais. coreografia) para que a congregação possa participar. irritação e descaso conquanto você pague o que ele julga que você deva pagar. Se perceber que sua seqüência vai extrapolar o horário. instrumental. com a maior participação possível da congregação. no entanto ao trazer seus dízimos e ofertas ao altar de Deus certifique-se de que seu coração o faz com alegria e prazer. não pregue. o faz com raiva. retire uma das músicas. mas se houver um tema na mente.ORIENTAÇÕES PARA O DIRIGENTE DE CULTO Nunca faça: • não faça gracinhas com visitantes. 4 / 5 . sente-se de frente para a pessoa que vai testemunhar. por mais importante que seja. Preste atenção ao grupo de louvor. diferenças nas músicas). • • • • Sempre que possível: • inclua um hino do cantor cristão ou outro hinário • use a música nova ensinada no domingo anterior Gerais • Sorria. Por ser assim. mas não deve ficar explicando o texto que explica a música ou dando exemplos. mas procura pessoas que busquem um relacionamento de amor. Ouça as orientações dos músicos. Culto sem alma. O importante é a adoração. Capriche na dicção. o restante. Cante as músicas. crianças correndo. • MOTIVAÇÕES DO CORAÇÃO Um dos elementos fundamentais do Evangelho e também um dos mais perdidos é a integridade. jejum. Com integridade queremos dizer que nele não existe fragmentação. 2-8. cuidado com os nomes em japonês. poesia. jogral. A Receita Federal não se importa se você antes de pagar seu imposto. A adoração no domingo deve ser congregacional. ruptura entre o externo e o interno. que pode ser reintroduzida. Você pode usar um texto bíblico para explicar uma música que será cantada. não “pregue” sobre isso. Não é necessário que o culto seja temático. caso sobre tempo dos testemunhos. quebra. nada significam (Lc 18 9-14). além do dirigente]. que são os adoradores do Pai. Seu papel é conduzir a congregação em adoração. está abaixo desta prioridade. ele não está interessado apenas no que faço. não extrapole o horário sem aprovação do pastor. mas existe uma pessoa que sempre precisa se alegrar com você e o culto. contando ilustrações longas a partir do texto da música. por exemplo. O Evangelho está interessado também no como faço as coisas. Afirmamos que existe coerência entre o dizer e o fazer. [as exceções são os dias especiais. Oriente-o se necessário. Mesmo nossos gestos espiritualmente mais sagrados como oração. o jejum. coral. Pág. trazendo mini-mensagens (lidas ou faladas). ajuda aos pobres se dissociados de uma relação de intimidade com Deus. Deus está mais interessado no seu coração do que na oferta em si.

como se fosse a única maneira legítima de se expressar com liberdade). Expressar este equilíbrio não é tarefa simples. Devemos expressar o nosso amor a Deus de todo o nosso coração. impondo certos tipos de manifestações. E nós? Como tem sido a nossa forma de culto? A Igreja Metodista Livre tem buscado este equilíbrio tanto na doutrina como na forma do culto. “concordo”. Esta liberdade não é a NOSSA liberdade (como se pudéssemos fazer o que nós quisermos. O que significa a liberdade de espírito? A restrição de horário suprime esta liberdade? Temos uma forma de culto ideal? Cada igreja local tem sua forma de culto. de toda a nossa alma. Pág. mas não CONSTRANGER ninguém a fazer o que não deseja. “que assim seja” aleluia: literalmente “alegria do Senhor” hosana: “salve”. Vocabulário leitura congregacional ou em uníssono: todos juntos leitura responsiva: dirigente lê um versículo e a congregação outro. Nossa atuação deve ESTIMULAR nas pessoas este sentimento de alegria e liberdade de louvar ao Senhor. Por isso. alternadamente. cantando inúmeras vezes uma única música com letras bem simples e repetitivas em busca de um êxtase.. é obra do Espírito. sentimo-nos libertos e por isso. é fruto do Espírito Santo. porque o nosso Deus não é Deus de confusão. Uma linha muito fina separa o entusiasmo da animação de auditório. podemos expressar com liberdade e alegria. outros dão muita importância à liturgia pré-estabelecida e predominantemente racional. 5 / 5 . de acordo com a nossa vontade.. “viva!” IMeL Sorocaba. mas sim de o Espírito Santo ter liberdade de atuar em nós. ela condiz com o que você pretende cantar ou falar? Exemplos extremos são comuns: O dirigente é tão sério e solene que qualquer um que queira bater palmas ou dizer aleluia se sentiria totalmente “fora”. de todo o nosso entendimento e com toda a nossa força. É uma liberdade baseada em conhecimento da verdade de Deus e cercada pelo amor ao próximo. O nosso culto. deve refletir a multiforme sabedoria e riqueza do caráter de Deus. oferta: uma forma de expressão do nosso louvor (não é só para “ajudar na construção”) amém: “é verdade”. como um todo. mas Ele também não é ranzinza. oração dominical: melhor dizer oração que Jesus nos ensinou (ela pode ser feita em outro dia que não o domingo).. E esta liberdade começa de dentro para fora. Cremos que onde há o Espírito aí há liberdade também. Há aqueles que querem tanta empolgação que esquecem que há pessoas com certas limitações/restrições. preste atenção na sua expressão não-verbal. Paulo nos alerta sobre a necessidade de ordem no culto.ORIENTAÇÕES PARA O DIRIGENTE DE CULTO Para pensar: Liberdade x Rigidez Esta questão é polêmica. e impor este nosso estilo a todos. Alguns enfatizam muito o “elevar o espírito”.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful