Você está na página 1de 2

Tomás de Aquino e a vaca voadora

Outro dia estava no escritório de meus advogados. Três teólogos diletantes e um grande
conhecedor de São Tomás de Aquino, a conversa descambou até a noite...

Do encontro, ouvi uma história engraçada que precisava compartilhar com vocês:

Consta que o tímido e bonachão Tomás debruçava-se, como sempre, em uma pilha de
livros e escritos, sempre em produção frenética. Alguns monges se aproximam e
decidem pregar uma peça no compenetrado monge:

- Tomás, Tomás! Veja! Uma vaca voando!

Tomás saltou da cadeira e, reclinado ao parapeito, vasculhou os céus em busca da vaca,


enquanto em torno os outros monges explodiam numa gargalhada coletiva.

Surpreendido, o santo se explicou:

"É que achei mais razoável uma vaca voar do que um irmão mentir."

Na igreja de hoje será que Tomás sequer levantaria os olhos?

Às vezes a simplicidade está sob nosso nariz e não enxergamos...

Hospital psiquiátrico - O teste da banheira


Durante a visita a um hospital psiquiátrico, um dos visitantes perguntou ao diretor: -
Qual é o critério pelo qual vocês decidem quem precisa ser hospitalizado aqui?

Respondeu o diretor: - Nós enchemos uma banheira com água e oferecemos ao doente
uma colher, um copo e um balde e pedimos que a esvazie.

De acordo com a forma que ele decida realizar a missão, nós decidimos se o
hospitalizamos ou não.

- Entendi - disse o visitante - uma pessoa normal usaria o balde, que é maior que o copo
e a colher.

- Não - respondeu o diretor - uma pessoa normal tiraria a tampa do ralo. O que o senhor
prefere? Quarto particular ou enfermaria?

Dedicado a todos que escolheram o balde.

A vida tem muito mais opções...

E muitas vezes são tão óbvias como o ralo, só falta enxergarmos.