Você está na página 1de 21

ASSUNTO:

ESTRUTURA DO PERÍODO COMPOSTO POR


SUBORDINAÇÃO b). O homem/ que trabalha/ vence na vida.
ORAÇÕES SUBORDINADAS ADJETIVAS
As Orações Subordinadas Adjetivas funcionam
como um caracterizador de um termo da Oração
Principal. c). Os jogadores /que foram convocados
As Orações Subordinadas Adjetivas /participaram do treino.
classificam-se em:
1. RESTRITIVAS.
Restringem, limitam a significação do seu
antecedente (substantivo ou pronome). São d). Letícia gosta daquele menino/, que tem
indispensáveis ao sentido do período e não se olhos azuis,/ que é do 3° Ano.
separam da oração principal por vírgula.
Ex: "Há alunos QUE PRATICAM ESPORTE."

Observe que a oração que praticam esporte está


restringindo o sentido do termo alunos, pois nem e). Lucas/, que já está velho,/ já está casado.
todos praticam esportes.

Outros exemplos:
“O sol QUE SE FILTRA ATRAVÉS DAS FOLHAS f). Edson/, que ainda é novo,/ já esta na
desenha no ar colunas amarelas de poeira...” (J. Faculdade
Amado) Nacional de Direito.

“Mas pitangas são frutas QUE SE ESCONDEM...”


(C. Lispector)
ORAÇÕES SUBORDINADAS SUBSTANTIVAS
2. EXPLICATIVAS. I. Orações subordinadas substantivas.
Não limitam o sentido do antecedente. Características:
Acrescentam uma informação que pode ser _ Têm valor de substantivo.
eliminada sem causar prejuízo para a _ Completam a oração anterior.
compreensão lógica da frase. Vêm sempre _ Começam por conjunções integrantes: que e se
separadas da oração principal por vírgula. _ Podem ser substituídas por “isto” ou “disto”

Ex: “O Brasil, QUE É O MAIOR PAÍS DA II. As orações subordinadas substantivas


AMÉRICA DO SUL, têm milhões de analfabetos.” funcionam com termos de outras orações.
a) A professora disse-me que você estuda muito.
A oração adjetiva explicativa que é o maior país (objeto direto)
da América do Sul pode ser eliminada sem que Oração subordinada substantiva objetiva direta.
a compreensão lógica da frase fique prejudicada.
b) A professora necessita de que você estude
Outros exemplos: muito. (objeto indireto)
“... recebi o pagamento das mãos de meu pai, Oração subordinada substantiva objetiva
QUE ME DEU UMA SOVA DE VARA DE indireta.
MARMELO.” (M. Assis)
“Durante a noite, NA QUAL ME FALTOU O c) A professora tem medo de que vocês
SONO, meus pensamentos giravam em torno estudem pouco. (complemento nominal)
dela...” (M. Rubião) Oração subordinada substantiva completiva
nominal
EXERCÍCIOS
01. Classifique as orações adjetivas em d) A professora tem uma necessidade: que
RESTRITIVAS e EXPLICATIVAS. vocês estudem muito. (aposto)
a). O homem /que fuma/ vive pouco. Oração subordinada substantiva apositiva
e) O desejo da professora é que vocês estudem Ex: Ele corria como se estivesse fugindo.
muito. (predicativo) O Ministério Público está tão empenhado
Oração subordinada substantiva predicativa quanto a Polícia Federal em resolver esse jogo
sujo.
f) É necessário que vocês estudem muito.
(sujeito) c) concessiva  exprimem um fato que se
Oração subordinada substantiva subjetiva concede em oposição ao da oração principal.
Conjunções: embora, conquanto, não obstante,
III. Recursos para reconhecer as orações apesar de que, se bem que, mesmo que, posto
subordinadas substantivas. que, ainda que, em que pese.
a) objetiva direta - verbo o quê? Ex. Edilson não se arrependeu, ainda que tenha
b) objetiva indireta - verbo de quê? prejudicado vários clubes.
c) completiva nominal - nome  de quê? O time venceu ainda que tenha jogado mal..
d) apositiva  após dois pontos
e) predicativa  após o verso ser. d) condicionais  exprimem condição, hipótese.
f) subjetiva  que é quê? verbo Conjunções: se, a menos que, desde que, caso,
contanto que.
EXERCÍCIO Ex: Ficaremos alheios ao mundo se não nos
Preencha os parênteses conforme a classificação informarmos..
das orações subordinadas substantivas. O juiz responderá o processo em liberdade,
1. Consta que vocês estudam muito. desde que se arrependa.
2. Foi constatado que vocês estudam muito.
3. A professora constatou que vocês estudam e) conformativas  exprimem conformidade de
Muito. um fato com o outro. Conjunções: como,
4. A professora tem necessidade de que vocês conforme, segundo.
estudem muito. Ex. A Polícia Federal agiu, conforme as
5. Convém que vocês estudem Muito. denúncias.
6. É necessário que vocês estudem Muito. Tudo correu conforme os professores
7. A professora necessita de que vocês estudem previam.
Muito.
f) consecutivas  exprimem uma conseqüência,
( ) objetiva direta um efeito ou resultado. Conjunções: (tão)... que,
( ) completiva nominal (tanto)... que, (tamanho)... que.
( ) subjetiva Ex. Os juízes roubaram tanto, que ficaram ricos.
Bebeu tanto que não conseguiu caminhar..

ORAÇÕES SUBORDINADAS ADVERBIAIS g) finais  exprimem finalidade. Conjunções: a


fim de que, para que, porque.
Ex. A polícia interrogou Edilson, para que
Completa o sentido da oração principal dando-lhe confessasse os crimes.
uma circunstancia; atua como um adjunto Para que lhe dessem o premio, ele estudou
adverbial da oração principal. muito.
a) causais  indica a causa que provocou a
ocorrência relatada na oração principal.. h) proporcional  denotam proporcionalidade,
Conjunções: porque, porquanto, visto que, já que, porção, medida. Conjunções: à proporção que,
uma vez que, como, que. à medida que, tanto mais.
Ex: O aluno foi bem na prova porque estava Ex: À medida que o Ministério Público investiga
calmo.. os juízes, mais envolvidos aparecem.
Edilson será expulso da Fifa, visto que estava Aprendemos à medida que o tempo passa..
envolvido em fraudes..
i) temporais  indicam o tempo em que se
b) comparativas  estabelece uma comparação realiza o fato expresso na oração principal.
com o fato expresso na oração principal. Conjunções: quando, enquanto, sempre que,
Conjunções: (mais) ... que, (menos)... que, (tão)... assim que, desde que, logo que, mal.
quanto, como.
Ex. A torcida brasileira ficou triste, quando soube bilhete? - perguntou uma das loiras. Espere e
do escândalo dos árbitros. verá. - respondeu uma das morenas. Então,
Todos foram embora quando começou a todas embarcaram. As loiras foram para suas
chover.. poltronas, mas as três morenas se trancaram
juntas no banheiro.
Logo que o trem partiu, a fiscal veio
recolher os bilhetes. Ela bateu na porta do
ESTRUTURA DO PERÍODO COMPOSTO POR banheiro e disse:
COORDENAÇÃO O bilhete, por favor.
Período composto por coordenação: é A porta abriu só uma frestinha e apenas
constituído de orações independentes. Deverão vir uma mão entregou o bilhete. A fiscal pegou o
justapostas ou ligadas pelas conjunções bilhete e foi embora. As loiras viram e acharam a
coordenativas. ideia genial.
Ex: Cumpre o teu dever e terás a tua consciência Então, depois do congresso, as loiras
tranqüila.. resolveram imitar as morenas na viagem de
volta e assim, economizar um dinheirinho
A oração coordenada é aquela que está ligada a (reconhecendo a inteligência superior das
outra da mesma natureza. Elas podem ser: morenas).
Assindéticas: se estiverem apenas justapostas, Quando chegaram na estação,
sem conjunções (conectivos) compraram só um bilhete. Para espanto delas, as
Sindéticas: quando se prendem às outras pelas morenas não compraram nenhum. Mas, como é
conjunções coordenativas. que vocês vão viajar sem passagem?
Ex: Inclinei-me, apanhei o jornal e saí. Uma loira perguntou perplexa.
a) Inclinei-me = oração coordenada Espere e verá.
assindética -Respondeu uma das morenas.
b) Apanhei o jornal = oração coordenada Todas embarcaram e as loiras se
assindética. espremeram dentro de um banheiro e as
c) E saí = oração coordenada sindética. morenas em outro banheiro. O trem partiu. Logo
depois, uma das morenas saiu, foi até a porta do
Orações coordenadas sindéticas classificam-se banheiro das loiras, bateu e disse:
em: A passagem, por favor...
a) aditivas:
Ex: Bati-lhe e ele caiu 01. No excerto: “Na estação, as três loiras
compraram um bilhete cada uma,..”,a expressão
b) adversativas: destacada denota a idéia de:
Ex: As relações mudam os governos, mas não os a) direção
reformam. b) lugar
c) espaço
c) alternativas: d) modo
Ex: Ora chove, ora faz sol..
02.No fragmento: ”... mas viram que as três
d) conclusivas: morenas compraram um só bilhete”, pode-se
Ex :O carro é teu, logo deves cuidá-lo. afirmar que o valor semântico do elemento
coesivo destacado é de:
e) explicativas: a) Explicação
Ex: Não faça barulho, que estou estudando. b) Consequência
c) Restrição
ATIVIDADES d) Oposição
TEXTO I
A VIAGEM 03. No excerto: “...Logo que o trem partiu, a
Três loiras e três morenas estavam fiscal veio recolher os bilhetes”, a locução
viajando de trem para um congresso. Na estação, destacada em relação à oração principal
as três loiras compraram um bilhete cada uma, estabelece a noção de:
mas viram que as três morenas compraram um só a) consequência
bilhete. Como é que as três vão viajar só com um b) causa
c) conclusiva bebendo, fumando e mastigando. Autêntico
d) tempo marcha-lenta, levava 10 minutos para percorrer
um espaço de três metros.
04.Em “ Quando chegaram na estação o, Pois mesmo assim e sem jamais ter feito
compraram só um bilhete.” O autor registra exercício físico viveu 90 anos.
um desvio da norma culta, classificado como:
a) regência verbal Conclusão: Esteira, caminhada, aeróbica,
b) Concordância nominal musculação, academia? Sai dessa enquanto você
c) regência nominal ainda tem saúde... E viva o sedentarismo
d) concordância nominal ocioso!!! Não fique chateado se você passar a
vida inteira gordo.
05. No excerto: “Quando chegaram na Você terá toda a eternidade para ser só osso!!!
estação, compraram só um bilhete.” O autor
arrematando a idéia do parágrafo anterior, valeu- Então: NÃO FAÇA MAIS DIETA !!! Afinal, a baleia
se do elemento coesivo quando, que pode ser bebe só água, só come peixe, faz natação o dia
substituído sem alteração de sentido por: inteiro, e é GORDA!!!
a) logo que O elefante só come verduras e é
b) como GORDOOOOOOOO!!!
c) no entanto VIVA A BATATA FRITA E O CHOPP!!!
d) embora Você, menina bonita, tem pneus? Lógico, todo
avião tem!
06. No fragmento: “Então, depois do E nunca se esqueçam: 'Se caminhar fosse
congresso, as loiras resolveram imitar as saudável, o carteiro seria
morenas na viagem de volta e assim,
economizar um dinheirinho (reconhecendo a 01. No fragmento: “...raramente se conhece um
inteligência superior das morenas).” O atleta que tenha chegado aos 80 anos...”, há
elemento coesivo então adquire no texto o valor ocorrência de uma oração subordinada adjetiva,
semântico de: com valor semântico de:
a) explicação a) explicação
b) concessão b) restrição
c) conclusão c) finalidade
d) finalidade d) condição

TEXTO II 02. Leia o trecho extraído do texto “...e citar


BARRIGA É BARRIGA... personalidades longevas que nunca fizeram
Por Arnaldo Jabour ginástica...” Podemos afirmar que:
a) Apresenta somente orações coordenadas
Barriga é barriga, peito é peito e tudo mais. b) É formado por dois períodos simples
Confesso que tive agradável surpresa ao ver Chico c) É iniciado por oração subordinada adjetiva
Anísio no programa do Jô, dizendo que o exercício d) Apresenta oração adjetiva com valor
físico é o primeiro passo para a morte. semântico
Depois de chamar a atenção para o fato de que restritivo.
raramente se conhece um atleta que tenha
chegado aos 80 anos e citar personalidades 03.Leia o período: “Você conhece algum coelho
longevas que nunca fizeram ginástica ou exercício que tenha vivido 15 anos?” Marque a opção em
- entre elas o jurista e jornalista Barbosa Lima que a oração apresenta a mesma classificação
Sobrinho - mas chegou à idade centenária, o da oração destacada.
humorista arrematou com um exemplo da fauna: a) “Confesso que tive agradável surpresa ao ver
A tartaruga com toda aquela lerdeza, vive 300 Chico Anísio no programa do Jô...”
anos. Você conhece algum coelho que tenha b) “dizendo que o exercício físico é o primeiro
vivido 15 anos? passo para a morte.”
c) “citar personalidades longevas que nunca
Gostaria de contribuir com outro exemplo, o de fizeram ginástica...”
Dorival Caymmi. O letrista compositor e intérprete d) “Depois de chamar a atenção para o fato de
baiano era conhecido como pai da preguiça. que raramente se conhece um atleta...”
Passava a metade do dia deitado numa rede,
Fausto – Especial para Olho Vivo - Charge on
04. No excerto: “Pois mesmo assim e sem jamais line.
ter feito exercício físico viveu 90 anos.” A 08/07/2006
expressão destacada estabelece o valor semântico
de: 06 - A leitura dos aspectos verbais e não-verbais
a) oposição da charge de Fausto deixa implícito:
b) restrição a) os candidatos das próximas eleições são bons
c) explicação caçadores.
d) finalidade b) Os candidatos das próximas eleições foram
cassados.
05. No trecho: “...entre elas o jurista e jornalista c) O eleitor aproveita as eleições em outubro e
Barbosa Lima Sobrinho – mas chegou à idade novembro para treinar para corrida do Círio.
centenária...” Em que opção, a conjunção d) Os eleitores são tratados e visto como
destacada pode ser substituída sem alteração do verdadeiros patos em ano eleitoral.
sentido.
a) Embora 07. Identifique a relação lógico-semântica nos
b) No entanto enunciados abaixo, conforme o exemplo:
c) Visto que a) Ele ficou assim, desde que seus pais
d) Já que morreram.

06. “Então: NÃO FAÇA MAIS DIETA !!! Afinal, a


baleia bebe só água, só come peixe, faz natação o
dia inteiro, e é GORDA!!! b) Irei à tua casa, desde que o tempo melhore.
A pausa usada pelo autor para ordenar que o leitor
desista de fazer dieta é inferida anteriormente
pelo elemento coesivo então que adquire no texto
o valor semântico de c) João e Maria foram ao shopping.
a) explicação
b) concessão
c) conclusão
d) finalidade d) João estudou muito e não entendeu.

05. No excerto: “Confesso que tive agradável


surpresa ao ver Chico Anísio no programa do
Jô...” ,a oração destacada é classificada como e) Achando-se doente, o professor não veio ao
subordinada: colégio.
a) Substantiva objetiva direta
b) Substantiva completiva nominal
c) Adjetiva restritiva
d ) Adverbial consecutiva f) Estudando com vontade, farás boa prova.

g) Encerrada a reunião, todos foram ao


refeitório.

h) Apesar de estar muito ferido, ainda socorreu


aos amigos.

i) Como fosse acanhando, não interrogava a


ninguém.
07. Qualquer coisa assim
08. Como uma pedra falsa
09. Um sonho de valsa
j) Tomei tanto sol, que fiquei queimadíssimo. 10. Ou um corte de cetim
11. E eu te farei as vontades
12. Direi meias verdades
13. Sempre à meia-luz
l) Paulo toca guitarra, sacudindo a cabeça. 14. E te farei, vaidoso, supor
15. Que é o maior e que me possuis
16. Mas na manhã seguinte
17. Não conta até vinte
m) Terminando o espetáculo, o público aplaudido 18. Te afasta de mim
de pé. 19. Pois já não vales nada
20. És página virada
21. Descartada do meu folhetim
(Autor: Chico Buarque Intérprete: Gal Costa)
n) Preocupado com a chuva, o homem se
esqueceu do pacote;

o) Ele foi despedido por não ter cumprido as


normas.

p) Clara entrou em sala sem nos dar bom dia.


Acerca desse poema, responda às seguintes
questões:
q) Indo à Belém, visite a Estação das Docas.
01. Acerca do caráter da personagem, pode-se
afirmar:
a) A narrativa é de uma mulher venal que, na
primeira parte do poema, age de forma submissa
r) Mal o jogo começou, a chuva começou a cair.
e, no final, nostálgica.
b) Trata a narrativa de venalidade de uma
mulher inicialmente nostálgica e, depois,
repulsiva.
s) Já que o tempo melhorou, iremos à praia.
c) Trata-se de um poema revelador da
venalidade de uma mulher, inicialmente
submissa e, após, rancorosa.
e) A venalidade da mulher traduz-se, do início ao
t) Os policiais foram mais rápidos que os
fim, em subserviência e resignação.
assaltantes.
02. A parte inicial do texto expressa
predominantemente:
a) Condição
TEXTO
b) Conformidade
FOLHETIM
c) Causa
01. Se acaso me quiseres
d) Finalidade
02. Sou dessas mulheres que só dizem sim
e) Consequência.
03. Por uma coisa à toa, uma noitada boa
04. Um cinema, um botequim
03. Em que versos se faz apologia?
05. E, se tiveres renda
a) Dez, onze e doze
06. Aceito uma prenda
b) Quatro, sete, oito e nove
c) Dez, onze e doze estava feliz”; “ela me agradecia”; “a flor
d) Treze, catorze e quinze empalidecia”.
e) Dezesseis, dezessete e dezoito III – A atitude do porteiro, no final do texto, por
ser técnica e funcional – o porteiro apenas
04. Em “Se acaso me quiseres...” e “Mas na cumpre a sua função de zelar pelo edifício - ,
manhã seguinte...” há situações características contrapõe-se ao envolvimento emocional que o
respectivamente de: narrador – personagem estabelece com a flor, à
a) Condição e oposição medida que conta a história.
b) Condição e conclusão. Assinale a opção correta:
c) Conformidade e conclusão a) apenas as proposições I e II são verdadeiras.
d) Condição e proporcionalidade b) apenas as proposições I e III são verdadeiras.
e) Tempo e contradição c) apenas as proposições II e III são verdadeiras.
d) apenas a proposição II é verdadeira.
e) n.d.a

02. Assinale a alternativa que indica os


referentes dos termos destacados a seguir:
TEXTO “ Já murcha, e com a cor particular da morte,
FURTO DE FLOR peguei-a docemente e fui depositá-la no jardim
onde desabrochara. O porteiro estava atento e
Furtei uma flor daquele jardim. O porteiro do repreendeu-me”.
edifício cochilava e eu furtei a flor. a) A morte, a flor, o jardim, o porteiro.
Trouxe-a para casa e coloquei-a no copo com b) A flor, a morte, o jardim, o autor do furto da
água. Logo senti que ela não estava feliz. O copo flor.
destina-se a beber, e flor não é para ser bebida. c) A cor, a flor, o lixo, o narrador – personagem.
Passei-a para o vaso, e notei que ela me d) A flor, a flor, o jardim, o autor do furto da flor.
agradecia, revelando melhor sua delicada e) n.d.a
composição. Quantas novidades há numa flor, se a
contemplarmos bem. 03. Assinale a alternativa que não expressa idéia
Sendo autor do furto, eu assumiria a obrigação de de causa e efeito entre as ações:
conservá-la. Renovei a água do vaso, mas a flor a) “Quantas novidades há numa flor, se a
empalidecia. Temi por sua vida. Não adiantava contemplarmos as ações.”
restituí-la ao jardim. Nem apelar para o médico b) “O porteiro do edifício cochilava, e eu furtei a
das flores. Eu a furtara, eu a via morrer. flor.”
Já murcha e com a cor particular da morte, peguei- c) “Eu a furtaria, eu a via morrer.”
a docemente e fui depositá-la no jardim onde d) “Passei-a para o vaso, e notei que ela me
desabrochara. O porteiro estava atento e agradecia.”
repreendeu-me: e) n.d.a
_ Que idéia a sua, vir jogar lixo de sua casa neste
jardim! 04. Furto defini-se como “ato de subtrair, para si
ANDRADE, Carlos Drummond de. Contos ou para outrem, coisa alheia móvel”. No sentido
plausíveis. Rio de Janeiro: Record,1991. jurídico, difere de roubo, porque não pressupõe o
uso de violência ou de grave ameaça em relação
à vitima.
01. Leia atentamente e analise as proposições a Com base nessas informações, assinale a
seguir. alternativa CORRETA, a partir da analise do
I – É possível notar que o narrador – personagem texto, percebe-se que o narrador – personagem:
experimenta no decorrer do texto, diferentes a) confessa-se autor do furto da flor, mas
estados de alma, após o furto da flor: alegria, a procura amenizar o ato ilícito cometido, por meio
principio; depois, tristeza, aborrecimento, de argumentos que o isentam de culpa.
arrependimento, compaixão e, por fim, raiva da b) confessa-se autor de um furto – o furto da flor
repreensão do porteiro. – e reforça a idéia de que cometeu um ato ilícito
II – O narrador – personagem, ao longo do texto, e de que se sente culpado por isso.
vai atribuindo características humanas à flor. É o c) nega a autoria do furto, à medida que usa de
que se pode perceber nas passagens: “ela não todos os meios para salvar a flor da morte.
d) confessa-se autor de um roubo, arrepende-se Após a derrota, o presidente chamou o azarado
do ato ilícito e entrega-se ao porteiro para ser treinador para uma “conversinha”, da qual se
punido por ele. extraíram estas frases:
e) n.d.a
I. o time jogou bem, mas perdeu.
05. O sentido da passagem: “Não adianta restituí-
la ao jardim. Nem apelar para o médico das II. Embora tenha perdido, o time jogou bem.
flores”. Equivale a:
a) não adianta recuperá-la, nem dar remédio a ela.
b) não adianta restabelecer-lhe o viço, nem a) Em qual das frases a oposição entre os dois
recuperar-lhe o vigor. fatos é mais intensa, fica mais evidente? Em qual
c) não adianta faze-la voltar ao seu estado é mais suave, menos radical?
primitivo, nem dar a ela o remédio das flores. ..............................................................................
d) Não adianta devolve-la ao seu lugar de origem, ..............................................................................
nem dar a ela o tratamento adequado. ..............................................................................
e) n.d.a ...............................................

06. UNAMA b) Qual das frases foi, mais provavelmente,


Era uma vez um Aleijadinho, extraída da fala do técnico e qual foi extraída da
não tinha dedo, não tinha mão, fala do presidente? Justifique.
raiva e cinzel, lá isso tinha, ..............................................................................
era uma vez um Aleijadinho, ..............................................................................
era uma vez muitas igrejas ..............................................................................
com muitos paraísos e muitos infernos, ...............................................
era uma vez São João, Ouro Preto,
Mariana, Sabará, Congonhas, c) Dê a função das duas orações:
era uma vez muitas cidades ..............................................................................
e o Aleijadinho era uma vez. ..............................................................................
(Brejo das Almas, RJ, J. Aguillar, Ed. 1967, pág. ..............................................................................
87/88). ...............................................

Observe os versos: “não tinha dedo, não tinha 08. . Considere estes três períodos simples:
mão, /raiva e cinzel, lá isso tinha”. * A situação financeira da empresa tornou-se
Entre os dois versos acima (mais exatamente, muito difícil.
entre as palavras “mão” e “raiva”), que formam *Muitos funcionários foram demitidos.
um período composto de orações coordenadas * Os diretores continuaram andando em luxuosos
assindéticas, podemos notar a ausência de um carrões importados.
conectivo de valor:
a) aditivo; a) Empregando conjunções que explicitem as
b) adversativo; relações de sentido existentes entre essas
c) alternativo; orações, reúna-as em um período composto por
d) explicativo; coordenação.
e) conclusivo. ..............................................................................
..............................................................................
..............................................................................
...............................................
07. O presidente de um time de futebol estava
pretendendo demitir o técnico, porque o time
vinha jogando mal e perdendo seguidamente. b) Classifique as três orações constituintes do
Sabendo que seu emprego corria perigo, o técnico período que você construiu no item a.
fez algumas alterações na equipe para um ..............................................................................
determinado jogo, em que aconteceram dois fatos: ..............................................................................
..............................................................................
1. O time jogou bem. ...............................................

2. O time perdeu.
09. Identifique a função sintática das orações b) O aluno, que era irresponsável, vivia faltando
subordinadas substantivas conforme o exemplo: às aulas.
Todos os jogadores foram favoráveis a que o ..............................................................................
técnico continuasse treinando a equipe. ..............................................................................
*função sintática: complemento nominal ..............................................................................
...............................................
a) É necessário que você estude o projeto.
................................................................................
................................................................................ c) Ele implantou o sistema que nós
................................................................................ desenvolvemos.
......................................... ..............................................................................
..............................................................................
..............................................................................
...............................................
b) Roberto estava convicto de que Elis voltaria.
................................................................................
................................................................................ d) O problema, que era de fácil resolução, deixou
................................................................................ os alunos apreensivos.
......................................... ..............................................................................
..............................................................................
..............................................................................
c) Os trabalhadores aspiram a que respeitem seus ...............................................
direitos trabalhistas.
................................................................................ 11 - (Univ. Fed. Santa Maria-RS) - Leia, com
................................................................................ atenção, os períodos abaixo:
................................................................................
......................................... I - Caso haja justiça social, haverá paz.

II - Embora a televisão ofereça imagens


d) Os estudos mostram que muitos jovens são concretas, ela não fornece uma reprodução fiel
viciados em álcool. da realidade.
................................................................................
................................................................................ III - como todas aquelas pessoas estavam
................................................................................ concentradas, não se escutou um único ruído.
.........................................
Assinale a alternativa que apresenta,
respectivamente, as circunstâncias indicadas
e) Só lhe peço isso: que me obedeça. pelas orações destacadas.
................................................................................
................................................................................ a) tempo, concessão, comparação
................................................................................ b) tempo, causa, concessão
......................................... c) condição, conseqüência, comparação
d) condição, concessão, causa
e) concessão, causa, conformidade
10. Analise as orações subordinadas adjetivas
abaixo:
a) Os políticos que são honestos merecem nosso ASSUNTO:
respeito. ORAÇÕES REDUZIDAS
................................................................................ 1. DE GERÚNDIO
................................................................................ 1.1. Estudando criteriosamente, os alunos desta
................................................................................ sala
......................................... Se estudarem criteriosamente, serão aprovados
no vestibular.
1.2. Os alunos desta sala, estudando 3. Nesta generosa terra, em se plantando, tudo
criteriosamente , dá.
Se estudarem criteriosamente, serão aprovados a) subordinado adverbial proporcional (Á
no vestibular medida que se planta)
b) subordinada adverbial temporal (Quando
1.3. Na sala havia um aluno mascando chiclete . plantarmos).
Que mascava c) subordinada adverbial condicional (Se
chiclete. plantarmos).

2. DE PARTICÍPIO 4. Dizendo isto, Maristela saiu de sala.


2.1. Magoada com público, a veterana atriz a) subordinada adverbial conformativa
Porque se magoou com o público, (Conforme disse isto).
Abandonou o palco. b) subordinada adverbial temporal (Quando
disse isto).
2.2. A veterana atriz, magoada com o público , c) subordinada adverbial concessiva (Embora
Porque se magoou dissesse isto).
com o público,
5. Encontrei um homem cavando a terra.
2.3. Na sala encontramos um aluno inconformado a) subordinada adverbial conformativa
com a nota obtida na prova de física. (conforme cavava terra).
b) subordinada adverbial temporal (Quando
Que estava inconformado com a nota obtida em cavava a terra).
física. c) subordinada adjetiva restritiva (Que cavava a
terra).

3. DE INFINITIVO 6. Cristina pagou a dentista, ficando quite com


3.1. Ao chegar á escola, a diretora pagou o salário ele.
Quando chegar á escola, aos professores. a) coordenadas sindética conclusiva (Portanto
ficou quite com ele)
3.2. A diretora, ao chegar á escola, pagou o b) Subordinada adverbial temporal (Quando
salário ficou quite com ele)
Quando chegou á escola os c) Subordinada adverbial proporcional (À
professores. proporção que ficou quite com ele)

3.3. A professora pagou o salário aos professores 7. Preocupado com a chuva, o homem se
ao chegar á escola . esqueceu do pacote.
Quando chegou á escola. a) Subordinada adverbial proporcional (À
proporção que se preocupava)
EXERCÍCIO b) Subordinada adverbial temporal (Quando se
Assinale a alternativa correspondente á preocupou com a chuva)
transformações das rações reduzidas grifadas. c) Subordinada adverbial causal (Porque se
1. Temendo a reação do pai, Paulo não lhe contou preocupou com a chuva).
a verdade.
a) subordinada adverbial conformativa (Conforme 8. Tomada a Inglaterra, estava ganha a guerra.
temia a reação do pai). a) Subordinada adverbial confirmativa
b) subordinada adverbial casual (Porque temia a (Conforme se tomasse a Inglaterra)
reação do pai) b) Subordinada adverbial temporal (Quando se
tomasse a Inglaterra)
2. Sendo ateus, os convidados dos noivos c) Subordinada adverbial causal (Porque se
rezaram. tomasse a Inglaterra).
a) subordinado adverbial causal (Porque eram
ateus). 9. Cansadas da correria da vida na cidade,
b) subordinado adverbial concessiva (Embora inúmeras pessoas têm buscado o campo como
sejam ateus) opção de lazer nos finais de semana.
a) Subordinada adverbial confirmativa (Conforme diz?
- Partir-te a cara.
se cansam da correria da vida na cidade)
- Pois é. Partir-la hei de, se você não parar de me corrigir. Ou
b) Subordinada adverbial causal (Porque se corrigir-me.
cansam da correria da vida na cidade) - É para o seu bem.
c) Subordinada adverbial temporal (Quando se - Dispenso as suas correções. Vê se esquece-me. Falo como
bem entender. Mais uma correção e eu...
cansam da correria da vida na cidade) - O quê?
- O mato.
10. Nada me deram de comer. - Que mato?
a) Subordinada substantiva objetiva direta (Para - Mato-o. Mato-lhe. Mato você. Matar-lhe-ei-te. Ouviu bem?
- Eu só estava querendo...
que eu comesse) - Pois esqueça-o e pára-te. Pronome no lugar certo é elitismo!
b) Subordinada adverbial proporcional (À medida - Se você prefere falar errado...
que eu comesse) - Falo como todo mundo fala. O importante é me
c) Subordinada adverbial final (Para que eu entenderem.
Ou entenderem-me?
comesse) - No caso... não sei.
- Ah, não sabe? Não o sabes? Sabes-lo não?
11. E preciso saber viver. - Esquece.
a) Subordinada adjetiva restritiva (Que se sabia - Não. Como "esquece"? Você prefere falar errado? E o certo
é
viver) "esquece" ou "esqueça"? Ilumine-me. Me diga. Ensines-lo-
b) Subordinada adverbial consecutiva (Que se me,
sabia viver) vamos.
c) Subordinada substantiva subjetiva (Que se - Depende.
- Depende. Perfeito. Não o sabes. Ensinar-me-lo-ias se o
sabia viver) soubesses, mas não sabes-o.
- Está bem, está bem. Desculpe. Fale como quiser.
12. Ao sair, feche a porta. - Agradeço-lhe a permissão para falar errado que mas dás.
a) Subordinada adverbial condicional (Se sair) Mas
não posso mais dizer-lo-te o que dizer-te-ia.
b) Subordinada adverbial final (Para que saia) - Por quê?
c) Subordinada adverbial temporal (Quando sair) - Porque, com todo este papo, esqueci-lo.

13. Carlos será flamengo até morrer? O exemplo é extraído da obra de Luís Fernando
a) Subordinada adverbial causal (Porque morrerá) Veríssimo, marcada por crônicas humorísticas de
b) Subordinada adverbial confirmativa (Conforme questionamento crítico. Em “Papos” o alvo é o
morrer) emprego formal dos pronomes, confrontando a
c) Subordinada adverbial temporal (Até quando língua escrita e a língua falada.
morrer) O uso dos pronomes oblíquos átonos ME, TE,
SE, O(S), A(S), LHE(S) e NOS em relação ao
17. Deixe-me pensar! verbo é bastante livre no Brasil: depende muito
a) Subordinada adverbial temporal (Quando do ritmo, da harmonia, da ênfase e
pensar) principalmente da eufonia.
b) Subordinada substantiva objetiva direta (Que Lembremos o poema de Oswald de Andrade,
eu pense) “Pronominais”. Ali, Oswald associa a
inadequação do uso dos pronomes à
ASSUNTO: descontração dos usuários, rejeitando o elitismo
COLOCAÇÃO DE PRONOMES ÁTONOS denunciado pelo personagem do texto de Luís
Leia o diálogo abaixo: Fernando Veríssimo, quando diz que “pronome
no lugar certo é elitismo!” Da mesma forma que
PAPOS... o excesso de preocupação com a norma pode
- Me disseram...
- Disseram-me. gerar a sensação de um discurso elitista, a total
- Hein? falta de cuidado situa o usuário no pólo oposto.
- O correto é "disseram-me". Não "me disseram".
- Eu falo como quero. E te digo mais... Ou é "digo-te"? Ex: PRONOMINAIS
- O quê?
- Digo-te que você... Dê-me um cigarro
- O "te" e o "você" não combinam. Diz a gramática
- Lhe digo? Do professor e do aluno
- Também não. O que você ia me dizer? E do mulato sabido
- Que você está sendo grosseiro, pedante e chato. E que vou te
partir a cara. Lhe partir a cara. Partir a sua cara. Como é que se Mas o bom negro e o bom branco
Da Nação Brasileira não estejam precedidos de palavras que exijam
Dizem todos os dias a próclise.
Deixa disso camarada → Realizar-se-á, na próxima semana, um grande
Me dá um cigarro evento em prol da paz no mundo.
→ Não fosse os meus compromissos,
Colocação Pronominal acompanhar-te-ia nessa viagem.
☻É a parte da gramática que trata da correta
colocação dos pronomes oblíquos átonos na frase. Ênclise: É a colocação pronominal depois do
☻Embora na linguagem falada a colocação dos verbo. A ênclise é usada quando a próclise e a
pronomes não seja rigorosamente seguida, mesóclise não forem possíveis:
algumas normas devem ser observadas sobretudo 1) Quando o verbo estiver no imperativo
na linguagem escrita. afirmativo. →Quando eu avisar, silenciem-se
todos.
REGRAS DE COLOCAÇÃO DE PRONOMES
ÁTONOS 2) Quando o verbo estiver no infinitivo
impessoal.
Próclise: É a colocação pronominal antes do → Não era minha intenção machucar-te.
verbo. A próclise é usada:
1) Quando o verbo estiver precedido de palavras 3) Quando o verbo iniciar a oração.
que atraem o pronome para antes do verbo. São → Vou-me embora agora mesmo.
elas:
a) Palavra de sentido negativo: não, nunca, 4) Quando houver pausa antes do verbo.
ninguém, jamais, etc. → Se eu ganho na loteria, mudo-me hoje mesmo.
→ Não se esqueça de mim.
5) Quando o verbo estiver no gerúndio.
b) Advérbios. → Recusou a proposta fazendo-se de
→ Agora se negam a depor. desentendida.

c) Conjunções subordinativas. EXERCÍCIOS


→ Soube que me negariam.
01.Em que alternativa NÃO há erro na colocação
d) Pronomes relativos. do pronome?
→ Identificaram duas pessoas que se encontravam
desaparecidas. a) Preciso vê-lo, me disse o rapaz.
b) Este é um trabalho que absorve-se muito.
e) Pronomes indefinidos. c) Far-se-á tudo para que se salvem.
→ Poucos te deram a oportunidade. d) Não arrepender-se-ia de haver dito a verdade.
e) Em pondo-se o sol os pássaros debandam.
f) Pronomes demonstrativos.
→ Disso me acusaram, mas sem provas. 02.(CESGRANRIO) Indique a estrutura verbal que
CONTRARIA a norma oculta:
2) Orações iniciadas por palavras interrogativas.
→ Quem te fez a encomenda? a) Ter-me-ão elogiado.
b) Tinha-me lembrado.
3) Orações iniciadas por palavras exclamativas. c) Teria-me lembrado.
→ Quanto se ofendem por nada! d) Temo-nos esquecido.
e) Tenho-me alegrado.
4) Orações que exprimem desejo (orações
optativas). 03.(MACKENZIE) Assinale a alternativa que
→ Que Deus o ajude. apresenta erro de colocação pronominal:

Mesóclise: É a colocação pronominal no meio do a) Você não devia calar-se.


verbo. A mesóclise é usada: b) Não lhe darei qualquer informação.
1) Quando o verbo estiver no futuro do presente c) O filho não o entendeu.
ou futuro do pretérito, contanto que esses verbos
d) Se apresentar-lhe os pêsames, faça-o ASSUNTO:
discretamente. PROCESSO DE CONTRUÇÃO SINTÁTICA
e) Ninguém quer aconselhá-lo. ( CONTINUAÇAO)

04.(MED. SANTO ANDRÉ) Assinale a alternativa em SINTAXE DE CONCORDANCIA


que todos os pronomes pessoais estão colocados
corretamente, segundo o uso clássico da língua Concordância é o princípio em que as palavras
portuguesa: dependentes se harmonizam nas suas flexões,
com as palavras de que dependem.
a) Eu o vi, não lhe falei, darei-te o livro. a) Concordância nominal: quando os adjetivos,
b) Eu o vi, falei-lhe, nada lhe direi. pronomes, artigos e numerais concordam em
c) Nada dir-lhe-ei, não o estimo, Deus ajude-nos. gênero e número com os substantivos
d) Deus nos ajude! Não quero te ofender, mas vai- determinados.
te embora. b) Concordância verbal: quando o verbo
e) Me dá o livro, que eu te devolvo assim que o concorda com o seu sujeito em número e
ler. pessoa.

05.(OMEC) Assinale a frase em que há pronome Concordância nominal


enclítico: Regra básica: adjetivos, artigos, pronomes e
numerais concordam em gênero e número com
a) Far-me-ás um favor? os substantivos a que se referem.
b) Nada te direi a respeito. Ex: O sapato bonito. Os sapatos bonitos.
c) Convido-te para a festa. A bolsa bonita.  As bolsas bonitas.
d) Não me fales mais nisso.
e) Dir-se-ia uma incoerência. Adjetivos que se referem a mais de um
substantivos:
06.Assinale a frase com erro de colocação a) Se o adjetivo vier antes dos substantivos, a
pronominal: concordância é feita com o elemento mais
a) Tudo se acaba com a morte, menos a saudade próximo.
b) Com muito prazer, se soubesse, explicaria-lhe Ex: Escolhemos péssimo lugar e hora.
tudo Escolhemos péssima hora e lugar.
c) João tem-se interessado por suas novas
atividades b) Se o adjetivo vier depois dos substantivos, há
d) Ele estava preparando-se para o vestibular de duas possibilidades:
Direito o masculino plural é sempre correto, quando os
substantivos são de gêneros diferentes.
07.Estas conservas são para nós __________ Ex: Comprei vestido e saia estampados.
durante o inverno. Comprei vestidos e sais estampadas.
Assinale a alternativa que completa corretamente Comprei saias e vestidos estampados.
a lacuna:
a) alimentarmos- nos  a concordância com o elemento mais próximo
b) alimentar- mo- nos é também correta.
c) nos alimentarmos Ex: Comprei vestido e saia estampada ( ou
d) nos alimentarmo- nos estampados).
Comprei saia e vestido estampado ( ou
estampados).
Comprei vestidos e saias estampadas ( ou
estampados).
08. Do lugar onde _______, ______um belo
panorama, em que o céu ________com a terra
Casos especiais:
a) se encontrava � se divisava � ligava-se
b) se encontravam � se divisava � ligava-se Obrigado:Concorda com o sexo da pessoa que
c) se encontravam � divisava-se � se ligava faz o agradecimento.
d) encontravam-se � divisava-se � se ligava Ex: Obrigada, disse a filha.
Obrigado, disse o filho.
Mesmo e próprio: Ex. Caminhada é bom para a saúde.
Concordam com o nome ou pronome a que fazem Esta caminhada está muito boa.
referência. É proibido entrada
Ex: Ele mesmo fez o jantar. Eles mesmos Está proibida a entrada.
fizeram o jantar.
Ela própria fez o jantar. Elas próprias Silepse: Concordância irregular, também
fizeram o jantar. chamada concordância figurada; é a que se
opera não com o termo expresso, mas com outro
Quite / Anexo / Incluso termo latente, isto é, oculto, mentalmente
Esses três elementos concordam com o subentendido, ou seja, concorda-se, não com a
substantivo a que se referem. palavra que esteja escrita, mas sim com o que
Ex: O aluno está quite com o professor. Os ela significa.
alunos estão quites com o professor. Silepse de gênero:
Seguem anexas as cartas. Ex: São Paulo é linda, pois trata-se da cidade de
Segue anexa a carta. São Paulo.
O recibo segue anexo. Os
recibos seguem anexos. Silepse de número:
Estão inclusos o café da manhã e o almoço. Ex: Estaremos aberto nesse final de semana,
porque o que estará aberto será o
Obs.: A expressão em anexo é invariável: Ex: Os estabelecimento. Há também a silepse de
recibos seguem em anexo. pessoa, já estudada por nós na Concordância
verbal.
Haja vista: É invariável seguida ou não de
preposição.  Possível: Em frases enfáticas, como o mais, o
Ex: Haja vista as molequices de Maria. menos, o melhor, o pior, as mais, os menos, os
Haja vista aos acontecimentos semanais. piores, as melhores, a palavra possível
concordará com o artigo.
Caro e barato: Como adjetivo eles variam. Ex.Visitei cidades o mais interessantes possível.
Ex: Comprei um tênis caro/barato. Visitei cidades as mais interessantes
Comprei uma saia cara/barata. possíveis.
Ela só compra coisas caras, objetos caros.
CONCORDÂNCIA VERBAL
Alerta e menos: São sempre invariáveis. Concordância Verbal É o princípio gramatical
Ex: Os guardas estavam alerta. que determina como o verbo deve flexionar-se
Há menos gente no cinema agora. (variar de forma) para se ajustar ao sujeito da
oração.

Meio: Quando numeral ou adjetivo, concorda em A adequação do verbo da oração ao seu


gênero e número com a palavra a que se refere, respectivo sujeito leva em consideração dois
com sentido de metade. aspectos:
Ex: o jipe trazia meia tonelada de tomates. O tipo de sujeito que a oração apresenta;
Quando advérbio, fica invariável; com o sentido de A regra de concordância para esse tipo de
“mais ou menos”. sujeito.
Ex: Maria ficou meio desapontada.
Era uma família meio antiquada. Principais regras de concordância verbal:
O sujeito de uma oração pode se apresentar sob
Verbo de ligação + Predicativo do sujeito várias formas, por isso existem inúmeras regras
Quando o sujeito for tomado em sua generalidade, de concordância. Estudaremos as mais
sem qualquer determinante, o verbo ser - ou importantes.
qualquer outro verbo de ligação - ficará no
singular e o predicativo do sujeito no masculino,  Concordância do verbo com o sujeito simples.
singular.Se o sujeito vier determinado por a) Regra geral  O verbo concorda com o núcleo
qualquer palavra, a concordância do verbo e do do sujeito em número (singular/plural) e pessoa
predicativo será regular, ou seja, concordarão com (1ª,2ª,3ª).
o sujeito em número e pessoa. Ex: Nós nunca discordamos de você.
Sumia na estrada poeirenta a última boiada g) Nome próprio que só tem plural.
da fazenda.  Se o nome próprio apresenta artigo  o verbo
assume o número (singular ou plural) do artigo.
b) Verbo + pronome se  Se o conjunto verbo + Ex: Os Estados Unidos não aceitaram o acordo
se admite a transformação em locução verbal comercial.
(dois verbos), o verbo vai concordar com o sujeito O Amazonas impressiona pelo grande
que está na frase. volume de água.
Ex: Divulgaram-se os planos.  Os planos
foram divulgados.  Se o nome próprio não apresenta artigo 
verbo no singular.
Se o conjunto verbo + se não admite a Ex: Canoas localiza-se no Rio Grande do Sul.
transformação em locução verbal, o sujeito é
indeterminado e o verbo fica na 3ª pessoa do  Concordância do verbo com o sujeito
singular. composto.
Ex: Não se confiava nos planos.  Nos planos a) Sujeito composto posicionado antes do verbo
não eram confiados.  verbo no plural.
Ex: O carro e o ônibus caíram no rio.
c) A MAIOR PARTE DE, GRANDE NÚMERO DE, UMA Dias quentes e temporais repentinos
PORÇAO DE etc. + nome no plural. caracterizam o verão.
Com esse tipo de expressão há duas
concordâncias corretas: verbo no singular ou no Observações:
plural. 1ª) O verbo pode ficar também no singular
Ex: A maioria dos pássaros fugiu/ fugiram do principalmente em dois casos: quando os
viveiro. núcleos são sinônimos (ou aproximadamente
sinônimos) e quando os núcleos formam uma
d) MAIS DE, MENOS DE, CERCA DE, PERTO DE + enumeração gradativa.
numeral. Ex: A paz e a tranqüilidade reinava/ reinavam
Quando o sujeito é uma expressão desse tipo, o naquele lugar.
verbo concorda com o numeral que aparece nela. A angustia, a inquietação, o desespero o
Ex: Mais de um interessado enviou currículo à dominou / dominaram.
empresa.
Mais de cem interessados enviaram currículo. 2ª) Quando o sujeito composto está resumido
Perto de vinte alunos faltaram à prova. por tudo, nada, ninguém ou alguém, o verbo fica,
necessariamente, no singular.
e) Pronomes de tratamento Quando o sujeito é Ex: A ameaça, o terror, a agressão, nada o
representado por pronome de tratamento (Vossa deteria.
Senhoria, Vossa Excelência etc.), o verbo fica na
3ª pessoa. b) Sujeito composto posicionado depois do verbo
Ex: Vossa Excelência enganou seus eleitores.  O verbo pode concordar apenas com o
E não : Vossa Excelência enganastes... primeiro ou ir para o plural.
Ex: Caiu / caíram no rio o carro e o ônibus.
f) Pronome relativo QUE e QUEM:
Relativo que  o verbo concorda com o c) Sujeito composto de pessoas gramaticais
antecedente desse pronome. diferentes:
Ex: Foram os professores que pediram as  Se a 1ª pessoa ( eu, nós) faz parte do sujeito 
explicações. o verbo fica na 1ª pessoa do plural (nós)
Fui eu que pedi as explicações. Ex: Você, seu amigo e eu nunca aceitaríamos
Relativo quem  o verbo pode ficar na 3ª pessoa esse acordo.
do singular (concordância recomendável) ou
concordar com o antecedente.  Se a 1ª pessoa (eu/nós) não faz parte do sujeito
Ex: Foram os funcionários quem reivindicou o  o verbo fica na 2ª pessoa do plural (vós) ou na
aumento. 3ª pessoa do plural (vocês).
Foram os funcionários quem reivindicaram o Ex: Tu e teu amigo ficareis / ficarão aqui até
aumento. domingo?
d) Núcleos do sujeito ligados por OU:
Se o ou indica exclusão  verbo no singular.  Concordância dos verbos impessoais.
Ex: Marcos ou Cláudio se casará com Simone. a) Verbo HAVER  É impessoal quando
empregado como sinônimo de “existir” ou
 Se o ou não indica exclusão  verbo no plural. “acontecer”.
Ex: A beleza ou a verdade sempre o emocionam. Ex: Antigamente havia poucos carros nas ruas.
Observação  Com a expressão um ou outro, o Aqui nunca houve nem haverá brigas.
verbo fica no singular.
Ex: Um ou outro erro seria corrigido. Observação  O verbo existir, diferentemente do
verbo haver, tem sujeito e, obviamente,
 Concordância do verbo SER: concorda com ele.
a) Quando o sujeito e o predicativo designam Ex: Poucas escolas particulares existiam
coisas ( e não pessoas), o verbo ser pode antigamente.
concordar com o sujeito ou com o predicativo, Poucas escolas partículas deviam existir
indiferentemente. Isso permite ao falante antigamente.
estabelecer a concordância com o elemento ao
qual pretenda dar maior realce. b) Verbo fazer  Esse verbo é impessoal quando
Ex: Nossas vidas eram uma verdadeira festa. empregado na indicação de tempo transcorrido
Nossas vidas era uma verdadeira festa. (ou a transcorrer). Nesses casos, como ele não
tem sujeito, fica na 3ª pessoa do singular.
b) Quando o sujeito e o predicativo designam Ex: Já faz muitos anos que não se fabrica essa
pessoas  nesse caso, a concordância é feita peça.
obrigatoriamente com a palavra que designa Amanha fará dês anos que me casei.
pessoa.
Ex: Os amigos de infância eram sua grande Exercícios:
alegria. 01-Assinale a opção que permite reescrever as
O problema da empresa são os funcionários frases abaixo, substituindo, em seqüência, as
desmotivados. lacunas pelas formas verbais que tornam correta
a concordância, de acordo com a língua padrão:
c) O verbo SER indicando horas, distancia e datas. I. ___________ às pressas da sala os últimos
 Na indicação de horas e distancias, o verbo ser candidatos.
concorda com a expressão numérica: II. ___________ na estrada poeirenta a última
Ex: Agora são seis horas da tarde. boiada da fazenda.
Quando ele chegou. já era uma e vinte. III. Não se ____________ nos planos.
Daqui à cidade são quinze quilômetros. IV. Os Estados Unidos não ______________ o
acordo comercial.
V. Perto de vinte candidatos ____________ hoje.
 Na indicação de datas, o verbo ser concorda com
a) Saíram, Sumiam, confiava, aceitara, faltara
a palavra dia (s), que pode estar expressa ou
b) Saía, Sumia, confiavam, aceitaram, faltara
subtendida na frase.
c) Saíra, Sumiam, confiavam, aceitara, faltaram
Ex: Hoje é dia 14 de março.
d) Saíram, Sumia, confiava, aceitaram, faltaram
Hoje é 14 de março. ( = hoje é dia 14 de
março)
02 - Os Estados Unidos .................... grande
Hoje são 14 de março. ( = hoje são 14 dias de
universidade de ....................... fama e mérito.
março)
a) possuem – reputada.
b) possui – reputado.
d) Expressões É MUITO, É POUCO, É NECESSARIO
c) possui – reputados.
 Nessas expressões, que indicam quantidade
d) possuem – reputado.
(preço, peso, medida etc.), o verbo ser fica sempre
e) possui – reputada.
no singular.
Ex: Dois mil reais foi pouco para pagar a divida.
16. Aponte a alternativa em que há erro:
Vinte toneladas é muito peso para esse
a) É necessário explicação.
caminhão.
b) Ante o perigo, os guardas se mantinham
Seis metros de tecido seria demais para fazer
alertas.
o vestido.
c) O sino bateu duas horas.
d) O relógio bateu meio-dia e meia. confuso resultado da última votação presidencial
e) n. d.a
nos Estados Unidos, um jornal americano buscou
. (UMC/SP) Imagine que você trabalhasse como no Brasil um modelo exemplar de eleição.
revisor de língua portuguesa em um jornal. Você
'O Brasil, um país maior que a parte continental
faria alguma correção no texto do anuncio a
seguir? Justifique: dos Estados Unidos, realizou a primeira eleição
nacional inteiramente eletrônica, com
GERENTE DE LOJA
Requisitos: retumbante sucesso', escreveu em editorial o
- Experiência mínima de 2 anos em gerência
mais influente jornal americano.
- Sexo feminino
- Idade entre 25 e 35 anos
- Nível universitário
06. Os termos retumbante e influente (linhas 11
- Usuária de computador
Salário excepcional e12) podem ser substituídos, sem prejuízo para a
Os interessados deverão enviar “currículos” com
compreensão do texto, respectivamente, por:
foto ou preencher ficha na rua... n°....
a) muito / famoso;
Resposta ................................................................
b) barulhento / insipiente;
................................................................................
................................................................................ c) estrondoso / importante;
.........................................................
d) duvidoso / maior.
07.Considere estas duas frases:
1. O comercio entre Brasil, Argentina, Paraguai e
07. Segundo o texto, pode-se inferir que os
Uruguai quadruplicaram nos últimos anos – e faz
negócios melhores quem se comunica melhor. Estados Unidos:
Revista Veja, 9/9/1998.
a) realizaram com sucesso sua primeira eleição
2. O péssimo estado de conservação de muitas nacional inteiramente eletrônica.
rodovias brasileiras causam prejuízos de milhões
b) reconheceram, na última eleição, que o Brasil
de reais ao país.
Frase de noticiário de TV. é o país mais democrático da América Latina.
c) buscaram, no Brasil, políticos que apurassem
Ambas apresentam o mesmo problema de uso da
norma culta, quanto a concordância verbal. os votos de sua eleição presidencial.
a) Aponte-o nas duas frases.
d) tiveram problemas na apuração de votos, em
................................................................................
................................................................................ sua última eleição presidencial.
................................................................................
.........................................
08. O jornal americano, segundo o texto, buscou
b) Reescreva as passagens incorretas, adequando-
no Brasil ''um modelo exemplar de eleição'', por
as à norma culta.
................................................................................ que:
................................................................................ a) o Brasil realizou com sucesso sua primeira
................................................................................
......................................... eleição nacional inteiramente eletrônica.
TEXTO I b) o Brasil é ''um país maior que a parte
Quem poderia imaginar que os Estados Unidos continental dos Estados Unidos''.
um dia reconheceriam ter alguma coisa a c) o Brasil jamais apresenta fraudes nas eleições
aprender com a democracia brasileira? Depois do que realiza.
d) os Estados Unidos reconheceram, finalmente, b) De acordo com a regra de concordância
que há democracia em nosso país. nominal aplicável ao caso, a que substantivo (s)
o leitor deve associar a característica expressa
09. Em ''O Brasil, um país maior que a parte pelo adjetivo?
continental dos Estados Unidos, realizou...'' (linhas
4, 5), a parte em destaque corresponde a um:
a) Sujeito simples;
b) vocativo; c) Se o adjetivo assumisse a forma de masculino
c) Aposto; e de plural, a concordância também estaria
d) predicativo. correta? Por quê?

10. Assinale a alternativa que apresenta uma 02. leia este trecho do poema do poema
frase em que a concordância verbal obedece à Queixumes, de Casimiro de Abreu.
mesma regra gramatical de ''os Estados Unidos
um dia reconheceriam'' (linha 1). “Ai! Quem me dera essa vida
a) Minas Gerais conta com uma paisagem de Tão bela e doce, vivida
montanhas, vales e grutas maravilhosas. Nos meus lares
b) Os Andes ficam na América do Sul. Sem pesares,
c) Os Estados do Paraná e de Santa Catarina não No sossego só dali!
enfrentaram, em 2001, problemas de produção de Não tinha-te visto as tranças,
energia elétrica. Nem rasgado as esperanças,
d) Joinville, Blumenau e Brusque são algumas Por ti! Por ti!”
cidades catarinenses de colonização alemã.
. Considere esta frase responda aos itens propostos. Levando em consideração que, no verso “Não
tinha-te visto as tranças”, ocorre uma locução

Para estudar as mudanças da moda feminina ao verbal constituída por tinha (verbo auxiliar) e

longo do tempo, a pesquisadora recolheu visto (particípio do verbo principal), responda:

fotografias principalmente em jornais e revistas a) A colocação do pronome oblíquo está correta?

antigas. Justifique.

a) Do ponto de vista da flexão, com qual


substantivo o adjetivo antigas está concordando?
b) Sem desrespeitar a norma culta, o pronome
poderia ser posicionado depois da locução?
Justifique.
. Leia este texto de jornal:
Nota zero
Depois de liderar as manifestações contrárias à
realização do provão do MEC para avaliar a
qualidade dos cursos superiores, o presidente da
UNE,[...], explicou o protesto às câmeras de TV:
- Na minha opinião não houveram tumultos.
Agora sim dá para entender por que a UNE queria
que os estudantes entregassem a prova em branco...
O Estado de S. Paulo, 12/11/1996
Em recente encontro com o compositor
a) Que tipo de erro gramatical o falante cometeu, Chico Buarque, Lula brincou: "Lembra quando eu
motivando o jornal a lhe dar “nota zero”? falava 'menas' laranjas?" Pois é, "menas" ele não
..................................................................................... tem falado mais. De vez em quando, no entanto,
o presidente eleito ainda escorrega na
..................................................................................... concordância. Por causa disso, ele é criticado
..................................................................................... com alguma freqüência. Há, até, quem torça o
.......................... nariz e se refira ao futuro presidente que "fala
português errado".
Ao contrário do que poderia parecer, no
entanto, lingüistas e gramáticos garantem que
b) Baseando-se na estrutura sintática da frase, faça
não se arrepiam ao ouvi-lo falar. Peritos na
uma hipótese para explicar o que teria levado o língua de Camões concluem que o discurso oral
falante a cometer o erro. de Lula é popular e, portanto, ele fala como a
..................................................................................... maioria dos brasileiros. Menosprezar o seu
..................................................................................... português, para esses estudiosos, entra no
..................................................................................... terreno do preconceito. Afinal, quem determina
qual é o português correto? E mais: atire a
.......................... primeira pedra aquele que nunca cometeu um
erro gramatical na empolgação de uma
conversa.
c) Como o presidente da UNE deveria ter falado, "Lula aprendeu até a analisar seu próprio
para não receber “nota zero”? discurso. Lembro de uma vez em que ele disse
uma frase de efeito muito bem estruturada e ele
..................................................................................... mesmo exclamou 'poxa, até que está bom para
..................................................................................... quem começou dizendo menas gente'", conta
..................................................................................... Francisco Borba, autor de "Dicionário de Usos do
.......................... Português do Brasil" (ed. Ática).
"Lula não fala errado", afirma Faraco. "Ele
desliza na gramática normativa mas ela parte da
norma culta. E o que constitui isso?", pergunta.
d) Que função de linguagem predomina no texto? "A linguagem falada tem gramática diferente da
..................................................................................... escrita. A escrita jamais é fiel à falada", continua.
"A lógica utilizada por cada falante é como uma
..................................................................................... gramática paralela, depende do meio em que o
..................................................................................... indivíduo vive. A linguagem estabelece uma
identidade. " Ou seja: o português falado no
.......................... Brasil passa por nuanças sociais e regionais.
Sendo assim, como definir qual é a forma mais
correta de falar? (UNICAMP NA MÍDIA - FALE
CONOSCO - 13/12/2002)
TEXTO
"Menas" gramática e mais idéias 01. Leia: “ Afinal, quem determina qual é o
português correto? E mais: atire a primeira pedra
aquele que nunca cometeu um erro gramatical na professor Pasquale Cipro Neto que vocifera na
empolgação de uma conversa”. Folha de S. Paulo e na TV o que pode e o que não
No fragmento o autor cita o caráter espontâneo e pode. O que supostamente está certo e o que
dinâmico da linguagem oral. A alternativa que não não está. Qual o problema em escrever "Me
contém uma característica própria dessa disseram", "te vi passar". Para o pessoal obtuso
modalidade é: da "norma culta" está errado começar a frase
a) A fala tem linearidade temporal e sua ordem com pronome obliquo. Mas, todo mundo no
cronológica é irreversível Brasil começa.
b) A fala é acompanhada de gestos, expressões Aliás, nossa imprensa partidarizada já
fisionômicas etc., que complementam ou reforçam tentou ridicularizar o presidente Lula, de origem
o significado operária, por ter usado "menas verdade". Marcos
c) A percepção do discurso oral pode ser avaliada Bagno comenta que o caso Lula é especialíssimo,
imediatamente. Em caso de necessidade, pode-se porque ele foi se apropriando das normas
reformular o discurso para garantir a linguísticas ditas cultas e de prestígio, sem
comunicabilidade abandonar as expressões populares. "Lula "é um
d) É menos valorizada sociologicamente, sob o ator linguístico de muito boa qualidade, até
ponto de vista do valor de verdade brincou com isso uma vez: "Lembram-se quando
e) É planejada e, por isso, evita-se repetição; eu falava "menas"? Pois agora eu falo
apresenta vocabulário menos econômico, termos "concomitantemente".
de significação mais específica; construções O caso do uso de "menas" pelo presidente
sintáticas mais elaboradas; informações explícitas Lula é de interpretação muito simples para um
e claras; predomínio da subordinação. lingüista. Temos aqui um advérbio. Os advérbio
em princípio são invariáveis, não assumem
02. Na frase “De vez em quando, no entanto, o flexão de gênero e número, mas são muito
presidente eleito ainda escorrega na parecidos com os adjetivos, que se flexionam.
concordância”, o autor quis dizer: Por exemplo: o advérbio "meio". Machado de
a) O presidente não flexiona as palavras Assis tem um conto que fala: "Filomena era
b) O presidente não flexiona corretamente as muito bonita, porém meia triste". A isso chama-
palavras se concordância por atração. É o mesmo o que
c) O presidente usa palavras que não existem acontece com a expressão "menas corrupção".
d) O presidente escreve errado Ou seja, Machado de Assis pode falar menas,
e) O presidente fala coisas sem nenhum sentido mas Lula não pode. Sou mais Lula. Prefiro um
Presidente falando errado a um Juiz Lalau
03. Ao contrário do que poderia parecer, no falando corretamente.
entanto, lingüistas e gramáticos garantem que (www.jornalfeirahoje.com.br/Coluna de
não se arrepiam ao ouvi-lo falar. Peritos na língua Oldack Miranda)
de Camões concluem que o discurso oral de Lula é
popular e, portanto, ele fala como a maioria dos 01. Leia:
brasileiros. “Machado de Assis tem um conto que fala:
a) Os brasileiros falamos errado "Filomena era muito bonita, porém meia triste".
b) A maioria do povo brasileiro fala errado A isso chama-se concordância por atração. É o
c) A oralidade é caracterizada pelo nível coloquial mesmo o que acontece com a expressão "menas
d) Na oralidade o correto é desviar a norma corrupção". Ou seja, Machado de Assis pode falar
gramatical menas, mas Lula não pode”.
e) A maioria da população usa a oralidade em
nível coloquial Da relação interpretativa podemos dizer que:
a) O presidente está sendo vítima de preconceito
Quem fala certo, quem fala errado? político
A "entrevista explosiva" da revista Caros b) O presidente está sendo vítima de preconceito
Amigos de fevereiro, que ainda está nas bancas, social
detona preconceitos de professores e colunistas c) O presidente está sendo vítima de preconceito
de jornal dedicados a impor a "norma culta" aos econômico
infelizes brasileiros. Marcos Bagno, doutor em d) O presidente está sendo vítima de preconceito
Linguística, autor de obras como "A norma oculta" lingüístico
e "Preconceito linguístico" detona inclusive o
e) O presidente está sendo vítima de preconceito
cultural

02. No exemplo dado pelo autor é citado Machado


de Assis comparando o seu desvio com o desvio
gramatical do presidente, mas as palavras são
diferentes. Por que fazer essa relação:
a) As palavras têm a mesma classe morfológica –
advérbios e portanto, ambas são variáveis
b) As palavras têm a mesma classe morfológica –
advérbios e portanto, ambas são invariáveis
c) As palavras têm a mesma classe morfológica –
numeral e portanto, ambas são variáveis
d) As palavras têm a classe morfológica diferente
– menos é advérbios e portanto, não variáveis; já
meia é adjetivo, classe morfológica também
invariável
e) A relação é improcedente já que o autor cita
palavras com concordância diferentes tentando
igualar regras de concordância diferentes.