Você está na página 1de 2

1

CONTEÚDO

PROFº: JOANA
03 ESTRUTURA DO PÉRIODO SIMPLES: TERMOS
ORACIOMAIS II.
A Certeza de Vencer JACKY19/03/08

OS TERMOS ESSENCIAIS DA ORAÇÃO Para compreendermos os três tipos de sujeito, é


necessário trabalhar com dois conceitos: o de núcleo do sujeito

S
Fale conosco www.portalimpacto.com.br

ão chamados e o de determinação ou indeterminação do sujeito.


Veja o exemplo:
de termos da
oração as
O pequeno sagüi inteligente mora na selva.
palavras ou grupos de
palavras que possuem
Uma primeira análise permite-nos separar a oração em
uma determinada
seus dois elementos essenciais:
função sintática dentro
de uma oração. Já os
O pequeno sagüi inteligente mora na selva
chamados termos
essenciais, aqueles que
Sujeito Predicado
compõem a estrutura
(o tema do que se vai comunicar) (a declaração que se refere
básica da oração, ou
ao tema)
seja, que são necessários para que a oração tenha significado.
são dois os termos que quase sempre aparecem nos
Ao analisarmos essa oração mais atentamente,
enunciados: o sujeito e o predicado.Num enunciado completo,
percebemos que o sujeito é formado por quatro vocábulos (o,
em geral, se diz algo sobre alguma coisa.
pequeno, sagüi, inteligente), mas apenas um determina o ser
Como foi dito, sujeito e predicado aparecem na maior
sobre quem declara algo (sagüi), enquanto os outros três são
parte dos enunciados lingüísticos, e são por isso tratado como
determinantes e modificadores (o, pequeno, inteligente). Sagüi
termos essenciais.
é o único vocábulo que se relaciona diretamente com o verbo,
Contudo, pode
sendo, assim, o núcleo do sujeito.
ocorrer enunciado
Desenvolvendo o mesmo raciocínio ao analisar a
sem sujeito,
oração:
caracterizando deste
modo o predicado
O pequeno sagüi inteligente e o macaco-aranha moram na
como o único termo
selva.
que aparece em
Percebemos que o sujeito (O pequeno sagüi e o
literalmente todos os
macaco-aranha) é formado por sete vocábulos, mas apenas
enunciados.
dois determinam os seres sobre quem se declara algo (sagüi,
macaco-aranha). Nesse caso, o sujeito apresenta dois núcleos.
Afirmamos que um sujeito é determinado quando há
Sujeito: possibilidade de reconhecê-lo ou de identificá-lo, estando o
sujeito expresso ou não na oração. Exemplificando: na oração
y Sujeito é um dos temos essenciais da oração. Tem por “Estudei bastante”. O sujeito não aparece explícito, mas a
características básicas: desinência verbal de primeira pessoa no singular permite-nos
y Estabelecer concordância com o núcleo do sintagma verbal afirmar que o sujeito é eu.
y Apresentar-se como elemento determinante em relação ao A indeterminação do sujeito ocorre quando não nos é
predicado possível identificar a quem se refere o predicado, seja porque o
y Constituir-se de um substantivo, ou pronome substantivo ou, próprio falante não tem essa informação (por exemplo, ao
ainda, qualquer palavra substantivada chegar em casa, o falante percebeu que sua carteira foi
y Pratica ação na voz ativa e sofre na voz passiva, afirmando ou surrupiada e diz: “Roubaram minha carteira”), seja porque o
negando o predicado. falante não quer identificar o sujeito (ele sabe quem roubou a
y "É o temo da oração que indica a pessoa ou a coisa de que carteira, mas não quer fazer a acusação direta: então, usa o
afirmamos ou negamos uma ação ou qualidade"(Evanildo verbo no plural: “Roubaram minha carteira.”).
Bechara).

O sujeito só é considerado no âmbito da análise


Morfossintaxe do Sujeito:
sintática, isto é, somente na organização da sentença é que
Numa oração absoluta, o núcleo do sujeito sempre
uma palavra (ou um conjunto de palavras) pode constituir aquilo
estará representado por um substantivo ou por palavra com
que chamamos sujeito. Nesse sentido, é equivocado dizer que o
valor de substantivo (palavra substantiva, pronome substantivo,
sujeito é aquele que pratica uma ação ou é aquele (ou aquilo) do
numeral substantivo). Pensemos: se o sujeito é o ser sobre
qual se diz alguma coisa. Ao fazer tal afirmação estamos
quem se declara algo, seu núcleo, por definição, só pode ser um
considerando o aspecto semântico do sujeito (agente de uma
substantivo (palavra que dá nome aos seres). Daí a gramática
ação) ou o seu aspecto estilístico (o tópico da sentença). Já que
considerar o sujeito uma função substantiva da oração.
o sujeito é depreendido de uma análise sintática, vamos
restringir a definição apenas ao seu papel sintático na sentença:
aquele que estabelece concordância com o núcleo do Não confunda Sujeito Desinencial com Sujeito
VESTIBULAR – 2009

predicado. Quando se trata de predicado verbal, o núcleo é Indeterminado


sempre um verbo; sendo um predicado nominal, o núcleo é
sempre um nome. Observe que, na fala do 2º. Balão, o
A NGB (Nomenclatura Gramatical Brasileira) reconhece apenas sujeito de a forma verbal precisar é
três tipos de sujeito: SIMPLES, COMPOSTO, desinencial, porque se refere a vocês,
INDETERMINADO. Reconhece também a existência de oração já expresso na oração do balão
sem sujeito. anterior. O mesmo não ocorre, por

FAÇO IMPACTO - A CERTEZA DE VENCER!!!


Fale conosco www.portalimpacto.com.br

exemplo, numa situação como “quebraram o trinco da sala de


aula”, porque, nesse caso, o falante ou não sabe que praticou a
cão ou não deseja identificá-lo.

b) Verbo na terceira pessoa do singular, acompanhado do


pronome se, desde que não tenha objeto direto:

Come-se bem aqui.


Precisa-se de pessoas solidárias.
Tipos de Sujeito:
Nesses casos, o se funciona como índice de
indeterminação do sujeito.
y Sujeito simples – é aquele que tem um único núcleo, isto é,
que apresenta um único vocábulo diretamente relacionado com
o verbo (não importa se esse vocábulo está no singular ou no Orações sem Sujeito:
plural, nem se é um substantivo coletivo, nem mesmo se é um
pronome indefinido). Em outras palavras: o núcleo do sujeito é Na oração sem sujeito, o predicado é formado por um
representado apenas por um substantivo, ou pronome, ou verbo impessoal. A mensagem está centrada no processo
numeral, ou então por uma palavra substantivada: verbal. Os casos mais comuns ocorrem com:

A menina sorriu O amor faz bem. y Verbos que indicam fenômenos da natureza:
Ela sorriu. Alguém roubou minha carteira
Os dois choraram. As orquestras estavam deslumbrantes Choveu muito neste verão Amanheceu.

y Sujeito composto – é aquele que apresentas mais de um y Os verbos ser, estar, fazer e haver, usados para indicar
núcleo, isto é, mais de um vocábulo diretamente relacionado fenômenos metereológicos ou relativos ao tempo em geral:
com o verbo:
São onze horas.
Romeu e Julieta morreram do mal de amor. Está tarde.
Os morangos e as uvas estavam deliciosos. Faz frio nas serras da Região Sul.
Ela e eu somos muito parecidos. Há muitos anos aguardarmos notícias

IMPORTANTE y O verbo haver no sentido de existir, acontecer:

Havia pouca gente no parque público.


É comum a referência ao sujeito oculto, isto é, ao sujeito que Houve poucas matrículas para o vestibular deste ano.
está implícito e que pode ser reconhecido ou pela desinência
verbal ou pelo contexto (nesse caso, será sempre representado IMPORTANTE
por um pronome pessoal). Dessa maneira, na oração
“Cuidemos da natureza”, temos um sujeito simples e 1. Os verbos que indicam fenômenos da natureza, quando
determinado: nós (indicado pela desinência verbal – mos). Por empregamos em sentido figurado, podem apresentar sujeito
não estar explícito, podemos falar que o sujeito está oculto, ou (nesses casos, o verbo estabelece concordância com o
elíptico, ou, por ser identificado pela desinência verbal, sujeito):
podemos falar em sujeito desinencial. Mas sempre será um
sujeito simples e determinado! “Chovem duas chuvas:
de água e de jasmins
y Sujeito indeterminado – ocorre quando não é possível por estes jardins
identificar a quem se refere o predicado. Observe que o agente de flores e de nuvens”. (Cecília Meireles)
da ação sempre existe; caso contrário, teríamos uma oração
sem sujeito. Duas situações gramaticais podem caracterizar 2. Nas orações sem sujeito, os verbos impessoais aparecem na
sujeito indeterminado: terceira pessoa do singular, com exceção do verbo ser, que, na
indicação de tempo, concorda com o número que o
a) Verbo na terceira pessoa do plural, desde que o sujeito não acompanha: É uma hora. São quatro horas.
tenha sido identificado anteriormente:

Desviaram muitos recursos da assistência social. Para que servem as Orações em Sujeito
Consideravam-no um traidor.
As orações sem sujeito servem para indicar os fatos
VESTIBULAR – 2009

que acontecem independentemente de nossa ação ou desejo.


Orações como “Anoiteceu”, “Ficou tarde”, “Vai chover”!, “Esta
escuro” indicam que, apesar de o homem ser o grande agente
transformador do mundo, a natureza está viva e tem
movimentos e leis próprias, independentes de nossa vontade.

FAÇO IMPACTO – A CERTEZA DE VENCER!!!