Você está na página 1de 14

Por: Thiago Pitaluga

AULAS DE BATISMO
AULA 01

Tema: Pecado

Versículo-Chave: Romanos 3:23


“Porque todos pecaram e destituídos estão
da glória de Deus.”

1. Definição: 1 João 3:4 diz que “Quem peca é culpado de quebrar a lei de Deus,
porque o pecado é a quebra da lei.” Ou seja, a falta de conformidade, a transgressão
dessa Lei. Todos os atos, pensamentos, ações que vão contra a vontade de Deus
revelada em sua Palavra, é considerado como pecado.

2. Sua origem:

a) No Céu - O pecado teve origem no Céu, entre os anjos de Deus, quando Lúcifer, o
querubim ungido, rebelou-se contra o Criador, sendo expulso do Céu juntamente
com um terço dos anjos que o seguiram. (Is 14.12-17; Ez 28.11-19; Ap 12.3,4).

b) Na Terra - O pecado surgiu na terra quando os primeiros seres humanos, Adão e


Eva, desobedeceram à ordem dada por Deus e comeram, por instigação do Diabo,
do fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal. (Gn 2.16,17; 3.1-6,17).

3. Conseqüências do pecado de Adão: O pecado de Adão e Eva trouxe para eles e


seus descendentes a morte, conforme Deus tinha dito. “... mas da árvore da ciência do
bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente
morrerás. (Gn 2.16,17) "Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e
pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que
todos pecaram.”(Rm 5.12).

A morte, que é o salário do pecado (Rm 6.23), tem três dimensões:

a) Morte Física - É a separação da parte espiritual (alma e espírito) da parte material


(o corpo). “E o pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu”.
(Ec 12.7). Veja ainda Gn 3.19.

2
b) Morte Espiritual - É a destituição no homem da glória de Deus. É a separação do
homem de Deus. “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.
(Rm 3.23) Toda pessoa que encontra-se afastada da salvação divina, oferecida por
intermédio de Cristo Jesus, encontra-se no estado de morte espiritual. Nosso
espírito é uma parte de Deus dentro de nós, pois nosso espírito veio do Espírito de
Deus (Gn 2:7), portanto enquanto estamos próximos de Deus, nosso espírito tem
vida, mas quando nos encontramos afastados de Deus, sofremos ,ainda que vivos
fisicamente, a morte espiritual. Veja ainda Ef 2.1; Cl 2.13; Jo 5.24.

c) Morte Eterna - É a eterna separação do homem de Deus. Ela acontece quando a


pessoa morre fisicamente, estando morto espiritualmente, isto é, separado de Deus,
sem o perdão de seus pecados e sem a salvação de sua alma, que só pode ser
proporcionada por nosso Senhor Jesus Cristo. “... quando se manifestar o Senhor
Jesus desde o céu, com os anjos do seu poder, como labareda de fogo, tomando
vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de
nosso Senhor Jesus Cristo; os quais, por castigo, padecerão eterna perdição, ante a
face do Senhor e a glória do seu poder,” (2 Ts 1.9). Veja ainda Dn 12.2; Mt 10.28;
25.41; Lc 16.22; Ap 20.15.

4. Sua abrangência:

a) Corrupção Total da Natureza Humana: O pecado atingiu o ser humano em sua


totalidade - o seu corpo, a sua alma e o seu espírito. “E o mesmo Deus de paz vos
santifique em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente
conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.(1 Ts 5.23).
Veja ainda Is 1.4-6; Sl 51.5; Rm 7.15-20; Mt 15.18-20; Ef 2.3).

b) Propagação Universal: O pecado propagou-se em todos os seres humanos, através


de Adão e Eva. Isso quer dizer que a raça humana é uma raça pecadora; pois
trazemos, quando nascemos, o germe do pecado em nosso coração.

“Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte,
assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.” (Rm
5.12), de modo que “se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos,
e não há verdade em nós (1 Jo 1:8).. Veja ainda Rm 3.9-12,23; 5.17,18; Sl 51.5.

5. A hediondez do pecado: O pecado é hediondo porque provoca as seguintes coisas:

3
a) Fere a Santidade de Deus: Deus é um Ser Puro, Santo, Imaculado e exige de suas
criaturas morais (o homem e a mulher) santidade de vida. Qualquer pecado do ser
humano fere frontalmente a santidade divina. “Mas, como é santo aquele que vos
chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto
escrito está: sede santos, porque eu sou santo”.(1 Pe 1.15,16). Veja ainda Lv 19.2;
20.7; Is 6.3).

b) Escraviza o homem: O homem foi feito por Deus uma criatura livre, mas o pecado
se assenhoreou dele e o fez seu escravo. “Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em
verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado”.(Jo 8.34).
Veja ainda Rm 6.16; 7.14; Cl 1.13.

c) Destrói no Homem a Imagem de Deus: O pecado descaracteriza o homem,


deformando a imagem de Deus, com a qual foi criado. “Porque todos pecaram e
destituídos estão da glória de Deus”.(Rm 3.23). Veja ainda Gn 1.26,27; Ef 4.17-
19,22.

d) Condena o Homem a Perdição Eterna: O pecado, por causa de suas conseqüências,


leva o homem à perdição eterna, caso ele não receba a salvação através de Jesus
Cristo. “O salário do pecado é a morte...” (Rm 6.23). “E, como aos homens está
ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disso, o juízo”. (Hb 9.27). Veja
ainda Rm 5.12; Ez 18.4,20; Tg 1.15

4
AULA 02

Tema: Salvação

Versículo-Chave: João 3:16


“Porque Deus amou o mundo de tal
maneira que deu o seu Filho unigênito, para
que todo aquele que nele crê não pereça,
mas tenha a vida eterna"

1. Definição: Salvação é a manifestação da graça de Deus na vida de uma pessoa,


através de Jesus Cristo, salvando-a da perdição eterna, quando ela, arrependida, num ato
voluntário de fé aceita e crê em Jesus como seu único, suficiente e eterno Salvador.

2. Sua concepção: Deus determinou que os seres humanos poderiam ser salvos da
perdição eterna antes mesmo da criação do mundo. Isto nos revela que Deus em sua
onisciência já sabia que o homem iria pecar antes mesmo de criá-lo, e que mesmo assim
resolveu dar a humanidade uma chance de reconciliação, escolhendo Jesus Cristo como
o nosso Salvador. Veja: Efésios 1:4-5 e 1 Pedro 1:18-20.

3. Seu fundamento: A salvação está fundamentada no grandioso amor que Deus o qual
é sacrifical, desinteressado, não circunstancial. É o eterno amor de Deus Pai que nos é
revelado através da morte de seu Filho Jesus. “Mas Deus prova o seu amor para conosco
em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5.8). “Porque
Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele
que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3.16). Veja ainda: Gálatas 2:20;
1 João 4:8,10,16,19; Apocalipse 1:5.

4. Realização do ato salvífico: A salvação foi realizada por nosso Senhor Jesus Cristo,
que veio a este mundo em carne e ofereceu a sua preciosa vida em sacrifício na cruz do
Calvário, para nos salvar da perdição eterna, que pesava sobre o homem por causa de
seus pecados. “E, sendo ele consumado, veio a ser a causa de eterna salvação para todos
os que lhe obedecem” (Hebreus 5.9). Para autenticar o ato redentor feito pela Sua morte,
Jesus ressuscitou dentre os mortos pelo poder de Deus. “... Cristo morreu por nossos
pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia,

5
segundo as Escrituras” (1 Coríntios 15.3,4). Veja também: 1 Timóteo 1:15, 2:5,6;
Hebreus 7:25; Atos 4.12.

5. Oferecimento da salvação: Deus em Cristo Jesus oferece, gratuitamente, a salvação


a todos os pecadores perdidos. A salvação é um dom gratuito de Deus ao homem como
se vê em Romanos 6:23 “Porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de
Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus, nosso Senhor”. Veja: Tito 2:11; Efésios 2:8,9.

6. Recebimento da salvação: Para se apropriar da salvação dois passos são exigidos


por Deus ao ser humano: o primeiro é o arrependimento e o segundo é a fé. “Ele (Jesus)
dizia: Chegou a hora, e o Reino de Deus está perto. Arrependam-se e creiam no
evangelho” (Marcos 1:15).

a) Arrependimento - Deus exige que o ser humano, para receber dEle o perdão,
arrependa-se de seus pecados, isto é, reconheça a sua condição de pecador perdido aos
olhos do Todo-Poderoso e tome a firme decisão de abandonar a vida pecaminosa. “Mas
Deus, não tendo em conta os tempos da ignorância, anuncia agora a todos os homens,
em todo lugar, que se arrependam.” (Atos 17.30). Veja: Lucas 15:17-20; 18:13; 24:47.

b) Fé (Crer em Jesus e aceitá-Lo como Salvador) - O outro passo que deve ser tomado é
o passo da fé. A salvação oferecida, gratuitamente, por Deus ao pecador perdido, deve
ser recebida e aceita pela fé. O pecador, arrependido, deve aceitar e crer em Jesus como
seu único, suficiente e eterno Salvador. “Pois pela graça de Deus vocês são salvos por
meio da fé” (Efésios 2:8a), “Mas a todos quantos o receberam deu-lhes o poder de
serem feitos filhos de Deus: aos que crêem no seu nome” (João 1:12). Veja ainda:
Marcos 16:15-16; Atos 16:31; Romanos 5:1; 10.8-11; Gálatas 2:16; 3:11.

7. Seu alcance: Assim como o pecado atingiu toda a estrutura do ser humano (corpo,
alma e espírito), assim também, a salvação alcança o homem integralmente. Para um
grande mal, o maior dos remédios. A Bíblia diz em 1 Tessalonicenses 5.23: “E o mesmo
Deus de paz vos santifique em tudo; e todo o vosso espírito, alma e corpo sejam
conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.

a) Para o corpo, a salvação garante glorificação. Ver: Fp 3:20-21 e 1Co 15:50-54.

b) Para a alma, a salvação proporciona o perdão. Ver: Ef 4.32; 1 Jo 2.12.

c) Para o espírito, a salvação proporciona uma vivificação. Ver: Ef 2.1,5; Rm 6:11.

8. Bênçãos decorrentes da salvação: Grandes são as bênçãos decorrentes da salvação:

6
a) Perdão dos Pecados - No ato da conversão, todos os pecados da pessoa são perdoados
pelo poder do sangue de Jesus. “E ele (Jesus) é a propiciação pelos nossos pecados e
não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro”(1 Jo 2:2). Veja
ainda: Ef 4:32, Cl 2:13, 3:13, Mt 9:2, 1 Jo 2:12, Sl 32:1.

b) Justificação - No ato da conversão a pessoa é declarada justificada diante de Deus


pela imputação da justiça de Cristo. “Tendo em vista a manifestação da sua justiça no
tempo presente, para ele mesmo ser justo e o justificador daquele que tem fé em Jesus”.
(Rm 3.26). Veja ainda: Rm 3:24,28; 5:1,9; 8:30,33; Tt 3:7.

c) Redenção - Quando da conversão a pessoa é resgatada da escravidão do pecado e do


poder do Diabo e transportada, espiritualmente, para o Reino da Luz, graças ao poder
redentor do sangue de Jesus derramado na cruz do Calvário. “Sabendo que não foi
mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil
procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro
sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo”, (1 Pe 1.18,19). Veja ainda: Rm 3.24; 1
Co 1.30; Ef 1.7; Cl 1.14; Hb 9.12; 1 Co 6.20; 7.23.

d) Regeneração - No ato da conversão, a pessoa é regenerada, transformada em uma


nova criatura, nascendo de novo pela instrumentalidade do Espírito Santo. “Não por
obras de justiça praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou
mediante o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo, que ele derramou sobre nós
ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador”.(Tt 3.5,6). Veja ainda: Jo 3.3; 1 Pe
1.3,23; 2 Co 5.17.

e) Adoção - Quando a pessoa se converte ela é adotada por Deus como filho, passando a
gozar, a partir daí, de todos os direitos e privilégios inerentes a nova relação
estabelecida com o Pai Celestial. Isso implica também na responsabilidade que recai
sobre o crente de viver conforme o Evangelho de Cristo. “Mas, a todos quantos o
receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que crêem no
seu nome”.(Jo 1.12). Veja ainda: Rm 8.15; Gl 4.5-7; Ef 1.5; 1 Jo 3.1,2.

f) Reconciliação - No ato da salvação, a pessoa é reconciliada com Deus por intermédio


de Jesus Cristo, desfazendo-se, assim, a inimizade que existia entre Deus e o homem
por causa do pecado.

“Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e
nos deu o ministério da reconciliação, a saber, que Deus estava em Cristo reconciliando

7
consigo o mundo, não imputando aos homens as suas transgressões, e nos confiou a
palavra da reconciliação”.(2 Co 5.18,19). Veja ainda: 1 Tm 2.5; Rm 5.10,11; Ef 2.12-
19; Cl 1.20; Hb 9.15; 12.24.

g) Santificação - No ato da conversão, a pessoa é purificada de seus pecados numa ação


instantânea da graça de Deus. Isto é chamado de Santificação Posicional. A santificação
posicional depende exclusivamente de Deus. . “E o mesmo Deus de paz vos santifique
em tudo; e todo o vosso espírito, e alma, e corpo sejam plenamente conservados
irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo”.(1 Ts 5.23). Daí por diante o
crente tem que se esforçar para manter o seu coração puro diante de Deus.

Chama-se essa fase da santificação, que depende do crente, de Santificação


Experimental. “Disse Josué também ao povo: Santificai-vos, porque amanhã fará o
Senhor maravilhas no meio de vós”.(Js 3.5). Veja ainda para os dois casos os textos a
seguir: 1 Jo 1.9; 1 Co 6.11; Hb 10.10,29; 1 Ts 4.3,7.

h) Glorificação - No programa de Deus, em relação à Igreja, há uma bênção futura para


todo o crente, que é a redenção ou glorificação do corpo. Isso quer dizer que todos os
salvos, quando do arrebatamento da Igreja, terão os seus corpos glorificados,
habilitando-os, assim, a viverem para sempre com o Senhor. “Pois a nossa pátria está
nos Céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual
transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória,
segundo a eficácia do poder que ele tem de até subordinar a si todas as coisas”.(Fp
3.20,21). Veja ainda: Rm 8.17,30; Cl 3.4; 1 Pe 5.1; 1 Jo 3.2; Ef 5.27; 1 Co 15.53-57.

9. A salvação não é transferível: A Palavra de Deus no capítulo 18 de Ezequiel nos


revela duas características muito importantes da salvação:

1ª característica: a salvação é pessoal – do versículo 1 ao 20 de Ezequiel 18, Deus fala


que a salvação não é transferível de uma pessoa para outra, mas que deve ser buscada
por cada um.

2ª característica: a salvação deve ser mantida – do versículo 21 ao 32 de Ezequiel 18,


Deus fala que a salvação deve ser mantida dia a pós dia, pois há a possibilidade de
havendo uma pessoa recebido a salvação, não zelando dela, poderá perdê-la. Não é
suficiente somente aceitar Jesus como o Caminho, mas aceitar trilhar esse Caminho e
permanecer nEle.

8
Apesar de salvação ser pessoal e não transferível, há uma promessa em Atos 16:31 que
diz “Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e a tua casa”. Ou seja, quando uma
pessoa crê no Senhor Jesus e profeticamente declara “Eu e minha casa, serviremos a
Deus” (Josué 24:15), o Senhor toma suas providências e age no impossível para que
isso venha se cumprir. Isso significa que o Espírito de Salvação começará a trabalhar no
lar do cristão e no devido tempo irá realizar aquilo que pelo crente foi profetizado e por
Deus prometido. Como comprovação disto leia Números 23:19.

9
AULA 03

Tema: Batismo nas Águas

Versículo-Chave: Mateus 28:19


“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as
nações, batizando-os em nome do Pai, e do
Filho, e do Espírito Santo.”

1. Significado: O Batismo é um ato voluntário de testemunho público da fé que a


pessoa tem no Senhor Jesus Cristo. Leia Mt 10: 32, 33.
2. Realização: O batismo é uma ordenança de Jesus. Deve ser realizado e ministrado
em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo (Mt 28:19). Isto quer dizer há "Um só
Senhor, uma só fé, um só batismo" (Ef 4:5). Veja também 1Co 1:12-15 e 1Co 12:13.
3. Requisitos: Crer no Senhor Jesus tendo aceitado-o como Salvador, e desejar descer
as águas é o necessário para que uma pessoa seja batizada. “Quem crer e for batizado
será salvo: mas quem não crer será condenado.” (Mc 16:16). A pessoa deve estar
disposta a declarar publicamente que deseja abandonar tudo aquilo que o mundo oferece
para se empenhar em viver visando o Reino Eterno de Deus. É necessário que este ato
seja voluntário, não forçado, ou seja, este desejo deve partir da própria pessoa, não de
terceiro, como ocorreu com o eunuco que foi batizado por Felipe, que quis de livre
vontade ser batizado. “E, indo eles caminhando, chegaram ao pé de alguma água, e
disse o eunuco: Eis aqui água; que impede que eu seja batizado? E disse Filipe: É lícito,
se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de
Deus.” (At 8: 36, 37).
4. Outras espécies de batismos: A Bíblia registra três tipos de batismos, são eles:
a) Batismo nas Águas – realizado em nome da Trindade (Mt 28:19) ou em nome de
Jesus Cristo (At 2:28; 8:12; 8:16; 19:15)

b) Batismo com o Espírito Santo - Jl 2:28,29, At 2:1-13

c) Batismo de João (Batismo de arrependimento) - O batismo de João era preparatório,


realizado para esperar aquele que viria (Jesus). Esse batismo findou com a morte do

10
profeta João Batista, mas o batismo ordenado por Jesus é para os que crêem em Seu
Nome e o aceitam por Salvador de suas almas. (Ver Atos 19:3 e 4)

5. Formas de batismos: Há uma divergência muito grande, no meio evangélico, quanto


à maneira de realização do batismo nas águas. As maiores polêmicas giram em torno da
imersão e da aspersão. No entanto, o mais considerado é o realizado através da imersão,
pelo fato de a própria palavra ‘batismo’ significar ‘mergulho’. Todavia, em alguns casos
excepcionais, ministra-se o batismo por aspersão, como na hipótese de batizando
enfermo ou idoso, cuja condição o impossibilite de descer às águas.

Entretanto é necessário entender que o relevante não é a fórmula utilizada sobre a


pessoa que é batizada, mas antes a confissão de fé de quem recebe o batismo.

6. Simbolismo: O batismo simboliza:

a) Morte e sepultamento - No ato de descer às águas do batismo, há a identificação com


a morte e o sepultamento de Jesus. Ou seja, no batismo há a declaração pública de que
tomamos a decisão de morrermos com Jesus, crucificando a nossa velha natureza
humana. “Ou não sabeis que, todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo, fomos
batizados na sua morte?” (Rm 6:3), “Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com
ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais
ao pecado.” (Rm 6:6), “Porque se viverdes segundo a carne, morrereis, mas, se pelo
Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis”(Rm.8:13).

b) Ressurreição e nova vida: O ato de sair das águas do batismo é o magnífico símbolo
que Jesus escolheu para nos identificar, com sua gloriosa ressurreição: um símbolo de
uma nova vida com Deus. “De sorte que fomos sepultados com ele, pelo batismo, na
morte; para que, como Cristo ressuscitou dos mortos, pela glória do Pai, assim andemos
nós, também, em novidade de vida.” (Rm 6:4). “Sepultados com ele no batismo, nele,
também, ressuscitastes pela fé no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos.” (Cl 2:
12). Veja também: Gl 2:20 e 2Co 5:17.

7. Bênçãos decorrentes do batismo

a) Tornamo-nos membros do corpo de Cristo - “De sorte que foram batizados os que, de
bom grado, receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se [fizeram parte do
Corpo de Cristo] quase três mil almas” (At 2:41). “Pois todos nós fomos batizados em
um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e
todos temos bebido de um Espírito.” (1 Co 12:13). Veja ainda 1Co 12:27.

11
b) Recebemos uma nova vida – “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu,
mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo, na carne, vivo-a na fé do Filho de
Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.” (Gl 2:20) “Assim que, se
alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez
novo.” (2Co 5:17). “Porque, todos quantos fostes batizados em Cristo, já vos revestistes
de Cristo.” (Gl 3:27).

c) Participação da Ceia do Senhor – “De sorte que foram batizados os que, de bom
grado, receberam a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas; E
perseveravam na doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas
orações. (At 2:41 e 42). Veja também Mc 14: 22-24 e 1Co 11:23-28.

8. Limitações: O batismo em si não salva (ver 1Pe 3:21), portanto ele não é um
requisito para a salvação, no sentido de que sem o qual não poderemos definitivamente
chegar até o Céu (lembrando que a salvação é a manifestação da graça de Deus,
recebida por meio da fé – ver Ef. 2:8). Como prova disso há o relato bíblico de que um
dos malfeitores que estava na cruz ao lado de Jesus, o qual certamente não havia sido
antes batizado, recebeu a promessa de que entraria no Reino de Deus, após crer que
Jesus poderia salvar sua alma. “E disse a Jesus: Senhor, lembra-te de mim, quando
entrares no teu reino. E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que estarás comigo, hoje, no
Paraíso.” (Lc 23:43).
O simples fato de uma pessoa não ter crido em Jesus Cristo como Salvador, é o
suficiente para trazer a condenação eterna. Porém para a salvação, a o arrependimento e
a fé são os requisitos básicos, sendo o batismo um ato de confirmação e declaração de
uma decisão já tomada de ser salva. Se uma pessoa arrependeu-se de seus pecados e
aceitou Jesus Cristo como Salvador, mas não teve a oportunidade de se batizar, como
ocorreu com o malfeitor na cruz ao lado de Jesus, isto não a impedirá de ser salva. No
entanto, aqueles que creram no Senhor Jesus e recusaram o batismo, mesmo tendo a
oportunidade de fazê-lo, certamente responderão por isto. “Quem crer e for batizado
será salvo: mas quem não crer será condenado.” (Mc 16:16). “Portanto, qualquer que
me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante do meu Pai que está nos céus.
Mas, qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante do meu Pai
que está nos céus.” (Mt 10: 32, 33). É importante lembrar também que o batismo não irá
tornar o crente mais santo, nem mais forte, nem mais digno de ser abençoado por Deus.

12
AULA 04

Tema: Ceia do Senhor

Versículo-Chave: 1 Coríntios 11:25


“Semelhantemente também, depois de cear,
tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o
novo testamento no meu sangue; fazei isto,
todas as vezes que beberdes, em memória
de mim.”

1. Seu Significado

A Ceia do Senhor, juntamente com o Batismo, é uma ordenança deixada por nosso
Senhor Jesus Cristo para ser observada pela Sua igreja. É um símbolo memorial da
morte redentora de Jesus. “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este
cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha.” (1 Co 11.26). Veja ainda:
1Co.11:23-25; Mt 26.26-30; Mc 14.22-26; Lc. 22:14-20.

2. Seus Elementos

Na Santa Ceia devem ser usados apenas dois elementos: o pão e o vinho. Cada um tem
o seu significado específico. O pão simboliza o corpo de Jesus que foi partido em nosso
lugar. . “... o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão; e tendo dado
graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei
isto em memória de mim.”. O vinho representa o sangue de Jesus que foi derramado na
cruz do Calvário para nossa eterna redenção e contínua purificação de nossos pecados.
“... Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o
Novo Testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória
de mim”.(1 Co 11.23,24). Veja ainda Mt 26:26-28; Mc 14:22-24; Lc 22:19, 20.

3. Seus Participantes

O requisito básico para poder participar da Ceia do Senhor é já pertencer ao Corpo de


Cristo, ou seja, já ser batizado nas águas. O batismo confirma a salvação, e a Ceia do

13
Senhor testifica o batismo, dizendo que realmente pertencemos ao Corpo de Cristo, uma
vez que comemos a Sua carne e bebemos de Seu Sangue. É necessário também estar em
comunhão com a Igreja (a qual é o Corpo de Cristo) e com os seus membros, ou seja, os
irmãos na fé, caso contrário o crente poderá trazer juízo de Deus para si, por celebrar a
Ceia de modo indigno. “De sorte que foram batizados os que, de bom grado, receberam
a sua palavra; e naquele dia agregaram-se quase três mil almas; E perseveravam na
doutrina dos apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações. (At 2:41 e 42).
Veja também 1Co 11:27.

4. Sua Mensagem

Quando a Ceia do Senhor é celebrada, são anunciadas duas grandes mensagens, a morte
de Jesus e a Sua 2ª vinda. “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes
este cálice anuncia a morte do Senhor, até que venha.” (1 Co 11.26). A Santa Ceia
possui também a mensagem de comunhão com Jesus “Quem come a minha carne, e
bebe o meu sangue, permanece em mim, e eu nele.” (Jo 6:56) e com os irmãos na fé,
uma vez que o apóstolo Paulo critica os crentes da igreja de Corinto, ao saber que lá
havia brigas e divisões entre os irmãos. “Porque, antes de tudo, ouço que, quando vos
ajuntais na igreja, há entre vós dissensões, e em parte o creio. E até importa que haja
entre vós heresias, para que os que são sinceros se manifestem entre vós. De sorte que,
quando vos ajuntais num lugar, não é para comer a ceia do Senhor.” (1 Co 11:18-20)

5. Seus Resultados

a) Benção: Deus abençoa o Seu povo quando participa da Ceia do Senhor dignamente
(Leia Jo 6: 46-58), sendo uma das maiores bênçãos prometidas foi quando Cristo
anunciou que “Quem come a minha carne, e bebe o meu sangue, tem a vida eterna, e eu
o ressuscitarei no último dia.” (João 6:54).

b) Maldição: Por outro lado, a Bíblia revela alguma espécie de juízo na vida do crente
quando o mesmo participa dela de uma forma que ofenda a honra do Senhor, não
discernindo nela a obra redentora realizada por Jesus. “De modo que qualquer que
comer do pão, ou beber do cálice do Senhor indignamente, será culpado do corpo e do
sangue do Senhor”. (1 Co 1.27). “Pois quem come e bebe sem discernir o corpo, come e
bebe juízo para si. Eis a razão porque há entre vós muitos fracos e doentes, e não poucos
que dormem”. (1 Co 11.29,30.)

14

Você também pode gostar