Você está na página 1de 5

Sistema nervoso

1.A constituição do sistema nervoso


É constituído por um conjunto de estruturas complexas que, integradas,
são responsáveis pelos comportamentos e processos mentais. Qualquer
comportamento, do mais simples – reflexo – ao mais complexo – pensamento e
linguagem –, depende do funcionamento do sistema nervoso.
São três os mecanismos que operam no sistema nervoso:
Mecanismo de
Órgãos que recebem estímulos do meio externo ou
recepção ou
interno. São, entre outros, os órgãos dos sentidos
receptores
Mecanismo de
SNC e SNA: conjunto de estruturas que coordenam
coordenação ou de
as informações e decidem a resposta
processamento
Órgãos responsáveis pela resposta, isto é, pela
Mecanismos de
reacção ao estimulo. São, entre outros, os músculos
reacção ou efectores
e glândulas

2.Sistema nervoso periférico


Conjunto de nervos que estabelecem relações entre o sistema nervoso
central e todas as outras componente do organismo. O SNP divide-se em:
sistema nervoso somático e sistema nervoso autónomo.

2.1. Sistema nervoso somático


Assegura as relações entre o sistema nervoso central e o meio. É
constituído por diferentes nervos (feixe de neurónios*):
Nervos Têm como função enviar informações da periferia para o
sensoriais ou SNC. Nervos que conduzem sons, imagens, cheiros,
aferentes sensações à espinal medula e ao cérebro
Têm como função conduzir mensagens do SNC aos
Nervos
músculos e glândulas responsáveis pelos comportamentos.
motores ou
Nervos que permitem andar, escrever, rir, chorar
eferentes
accionando órgãos efectores
Nervos de
Nervos que ligam os nervos sensoriais aos nervos motores,
conexão ou
transportando informação entre os dois
interneurónios
.
.
O cérebro humano é composto por cerca de 10 a 12bilioes de células especializadas –
neurónios – as unidades básicas do sistema nervoso, cuja função é a transmissão e
coordenação de impulsos nervosos. Cada neurónio é uma célula viva constituído por:

1
Corpo celular – contem a célula.
Dendrites – pequenas fibras que se projectam do corpo celular e que recebem actividade de
células adjacentes.
Telodendrites – pequenas fibras que são terminações ramificadas dos axónios e transmitem
mensagens eléctricas ou químicas capazes de gerar nos outros neurónios impulsos nervosos
ou de estimular a actividade das células.
Axónio – fibra única que se estende a partir de um lado do corpo celular o que transmite
actividade a outros neurónios ou a músculos e glândulas. É protegido por uma substância
isoladora – mielina.
O impulso nervoso segue, geralmente, um sentido bem determinado – das dendrites através
do corpo celular e do axónio para as telodendrites ligadas ao corpo celular de outro axónio ou
de uma célula muscular ou glandular.
.
.

2.2. Sistema nervoso autónomo


Regula o funcionamento interno do organismo. É independente do SNC,
regulando de forma automática e involuntária o funcionamento dos órgãos
internos.
O SNA funciona como uma estrutura de auto-regulação, sendo
responsável pela produção de comportamentos involuntários. É constituído por
duas partes:
Mobiliza-se nas situações em que o organismo necessita de
Divisão mais energia (stress, medo, angústia, etc.). Actividade
simpática manifestada através de: aumento do ritmo cardíaco e
respiração, aumento do nível de açúcar no sangue, etc.
Domina os períodos de relaxamento e calma, reduzindo a
Divisão
actividade do organismo (poupando energia). Traduz-se pelo
parassimpáti
abrandamento do ritmo cardíaco e respiração, diminuindo do
ca
nível de adrenalina no sangue, etc.

3. Sistema nervoso central


3.1. Espinal medula
Encontra-se dentro da coluna vertebral e desempenha duas funções
fundamentais:
Função de A espinal medula coordena as actividades reflexas, que são
coordenação comportamentos involuntários e automáticos
Função de Transmite /conduz mensagens do cérebro para o resto do
condução corpo e vice-versa
É a espinal medula que controla o reflexo. O reflexo é uma resposta
imediata, involuntária e automática a um estímulo. Não é um comportamento
aprendido, não há intervenção do cérebro. Quando queimas um dedo, retiras
imediatamente a mão. Neste comportamento intervêm vários mecanismos:
2
3.2. Cérebro
Encontra-se dentro do crânio e divide-se em:

Cérebro posterior ou metencéfalo


Estabelece relações entre o cérebro e a espinal medula,
Bolbo
desempenhando também funções na actividade reflexa. Controla
raquidian
funções relativas ao ritmo cardíaco e respiratória, bem como a
o
circulação sanguínea.
Desempenha funções relacionadas com a manutenção o equilíbrio
Cerebelo
corporal. Coordena movimentos (escrever, andar, comer, etc.)

Cérebro médio ou mesencéfalo


Rede de neurónios que intervêm no sono, na vigília e na atenção.
Selecciona estímulos sensoriais que serão tratados pelo córtex
cerebral (bloqueia/rejeita a informação sensorial desnecessária).
Sistema
O SRA permite-lhe compreender, por exemplo, o que um amigo
reticular
nos diz, bloqueando toda a informação proveniente de outras
activante
conversas. O SRA, ao contrário, abre caminho para que uma
informação não tão familiar ou frequente seja descodificada em
zonas superiores do cérebro.

Cérebro anterior ou protencéfalo


Estrutura por onde passam todas as informações que vêm e vão
Tálamo
de e para o córtex cerebral. Tem um importante papel no sono.
Conjunto de estruturas (hipocampo, amígdala e bolbo olfactivo)
com um papel importante em funções como a agressividade, a
Sistema
memória (hipocampo) e a experiência de prazer. A amígdala está
límbico
relacionada com as reacções emocionais e comportamentos
agressivos.
Regula as necessidades básicas como a fome, sede, sono e
Hipotála
impulso sexual. Com a hipófise regula o funcionamento do sistema
mo
endócrino. Desempenha funções no controlo do SNA
Córtex Responsável pelo processamento da informação mais elaborada e
cerebral pelas funções superiores do ser humano.

3
3.2.1. Córtex cerebral
O cérebro é constituído por dois hemisférios ligados por um feixe de
nervos que se designa por corpo caloso. Cada hemisfério é constituído por
quatro lobos: occipital, parietal, temporal e frontal, responsáveis por funções
especificas. Contudo, actuam de forma coordenada e integrada para realizar
determinados processos.
O córtex cerebral é constituído pela camada cinzenta que cobre os
hemisférios cerebrais. No córtex distinguem-se duas áreas:

Áreas primarias, sensoriais ou de projecção


Recebem as informações que chegam ao cérebro (com origem nos
órgãos dos sentidos) emitindo-as para as áreas secundárias.
Responsável pelos movimentos do corpo – envia mensagens
Área motora
para os músculos realizarem os movimentos.
Recebe os dados sensoriais recebidos pelos olhos. Possibilita a
Área visual
visão, a forma, a cor e o movimento dos objectos.
Área auditiva Recebe os sons elementares possibilitando a audição.
Área
sensorial ou Possibilita a recepção de sensações como o tacto, a dor, o
somatossens calor e o frio.
orial

Áreas secundarias, psicossensoriais ou de associação


Interpretam, integram, organizam e coordenam as informações
provenientes das áreas primárias.
Área Coordena os movimentos permitindo que realizemos tarefas
psicomotora como escrever, apertar os cordoes, folhear um livro, etc.
Área Integra os dados fornecidos pela área visual e permite, em
psicovisual relação com a memória o reconhecimento de objectos.
Área Interpreta os sons recebidos pela área auditiva, permitindo o
psicoauditiva reconhecimento de palavras, musicas, etc.
Área Coordena as informações recebidas pela área sensorial,
psicossensori permitindo, entre outras, o reconhecimento de objectos pelo
al tacto.

Efeitos de lesões nas áreas


Área
Paralisia cortical – impossibilidade de fazer movimentos
psicomotora
Área Cegueira cortical – impossibilidade de receber estímulos
psicovisual visuais
Área Surdez cortical – impossibilidade de receber estímulos
psicoauditiva auditivos
Área
Anestesia cortical – impossibilidade de receber estímulos que
psicossensori
têm origem na pele (perda de sensibilidade corporal)
al
Área Apraxia – impossiilidade de realizar actividades que

4
psicomotora envolvam movimentos. Agrafia – área de escrita
afectada – ou afasia – área da linguagem falada
afectada.
Área Agnosia visual – impossibilidade de identificar e
psicovisual reconhecer os objectos. Alexia ou cegueira verbal –
incapacidade de ler um texto (área do reconhecimento
da palavra afectada).
Área Agnosia auditiva – impossibilidade de interpretar os
psicoauditiva sons recebidos pela área auditiva
Área Agnosia somatossensorial – impossibilidade de
psicossensorial reconhecer objectos através do tacto.

Áreas pré-frontal
Estão situadas na parte da frente dos lobos frontais. Coordenam as
funções superiores como a memoria, o pensamento abstracto, a criatividade, a
percepção, a capacidade de raciocinar e resolver problemas, a capacidade de
fazer previsões e projectos, a capacidade de decidir. Têm um papel importante
na emoção e na afectividade. Lesões nestas áreas implicam alterações na
personalidade.

Hemisférios direito e esquerdo


Têm funções distintas, o esquerdo controla a sensibilidade e os
movimentos da parte direita do corpo e o direito tem as mesmas funções
relativamente ao lado esquerdo do corpo. As duas estruturas processam a
informação de forma diferente logo desempenham funções diferentes.
Hemisfé Responsável pela percepção das relações espaciais, pelo
rio pensamento concreto e pela formação de imagens. Está relacionado
direito com a imaginação
Hemisfé
Responsável pelo pensamento lógico, pela linguagem verbal e
rio
escrita, pelo cálculo. Está relacionado com as produções científica e
esquerd
tecnológica.
o
Mas estes dois hemisférios funcionam de forma coordenada tendo um
papel complementar. São inúmeras as funções – principalmente as mais
complexas – que implicam a intervenção dos dois hemisférios.
3.2.2. A unidade funcional do cérebro
Apesar das localizações de funções em determinadas áreas, o cérebro
funciona como uma totalidade. Não existe uma correspondência mecânica
entre uma função e uma área específica.
O cérebro é um sistema em que todas as suas componentes interagem e
dependem umas das outras. Uma das provas da unidade funcional do cérebro
é a função de suplência ou vicariante: caso uma zona seja lesionada, a sua
função poderá ser compensada por uma área vizinha. Alem disso, uma
actividade (memória, aprendizagem, por exemplo) ou comportamento
implicam várias áreas do cérebro.