Você está na página 1de 11

Lista 4 de Fundamentos da Mecânica Clássica -> Rotação.

Capítulo 11 do Haliday Resnick, Walker.


1) Um mergulhador de saltos ornamentais completa 2,5 voltas após saltar de uma
plataforma de 10 m antes de entrar na água. Supondo que a velocidade inicial
seja nula, ache a velocidade angular média do mergulhador durante um salto.
R: 11,1 rad/s. Exercício 7P.

2) Na figura ao lado, um volante A, de raio rA =


10 cm está acoplado pela correia B ao
volante C de raio rC = 25 cm. Aumenta-se a
velocidade angular do volante A a partir do
repouso a uma taxa constante de 1,6 rad/s2.
Determine o tempo para que o volante C
alcance uma velocidade de rotação de 100
rpm, supondo que a correia não deslize.
(Dica: se a correia não desliza as velocidades lineares nas bordas dos dois
volantes devem ser iguais).
R: 16,36 s. Exercício 29 P.

3) Na figura ao lado, duas partículas, cada uma de massa m,


são presas uma à outra e a um eixo de rotação em O por
duas hastes finas, cada uma com comprimento d e massa
M. O conjunto gira ao redor do eixo de rotação com
velocidade angular w. Em termos destes símbolos e
medidas em torno de O, quais são (a) a inércia à rotação e
(b) a energia cinética do conjunto?
8 1 8 
R: a) I = 5d 2 m + Md 2 b) E c =  5d 2 m + Md 2  w 2 .
3 2 3 
Exercício 37 E.
Exercícios do capítulo 9 do Young.

4) Quatro pequenas esferas, todas


consideradas massas puntiformes com
massa de 0,2 Kg, estão dispostas nos
vértices de um quadrado de lado igual a
0,4 m e conectadas por hastes leves
(figura ao lado). Calcule o momento de
inércia do sistema em relação a um eixo
a) perpendicular ao quadrado e passando
pelo seu centro (um eixo passando pelo
ponto O na figura); b) cortando ao meio
dois lados opostos do quadrado (um eixo ao longo da linha AB indicada na
figura); c) passando pelo centro da esfera superior da esquerda e pela esfera
inferior da direita e através do ponto O.
R: a) I = 0,064 Kg m2 b) I = 0,032 Kg m2 c) I = 0,032 Kg m2. Exercício 9.33.
5) Uma roda de carroça é feita como indicado na figura
ao lado. O raio da roda é igual a 0,3 m e o aro possui
massa igual a 1,4 kg. Cada um dos seus oito raios,
distribuídos ao longo de diâmetros, possuem
comprimento de 0,3 m e massa igual a 0,28 kg. Qual
é o momento de inércia da roda em relação a um
eixo perpendicular ao plano da roda e passando pelo
seu centro?
R: I = 0,1932 kg m2. Exercício 9.35.

6) Um volante de motor a gasolina deve fornecer uma energia cinética igual a 500 J
quando sua velocidade angular diminui de 650 revoluções/min para 520
revoluções/min. Qual é o momento de inércia necessário?
R: I = 0,599533631 kg m2. Exercício 9.39.

7) Uma placa metálica fina de massa M tem forma retangular com lados a e b. Use
o teorema dos eixos paralelos para determinar seu momento de inércia em
relação a um eixo perpendicular ao plano da placa passando por um dos seus
vértices.
M 2  a 2 b2 
R: I = ( a + b 2
)  4 + 4  . Exercício 9.49.
+ M
12  

8) Uma corda leve e flexível é enrolada diversas vezes em torno da periferia de


uma casca cilíndrica com raio de 0,25 m e peso igual a 40 N, que gira sem atrito
em torno de um eixo horizontal fixo. O cilindro é ligado ao eixo por meio de
raios com momentos de inércia desprezíveis. O cilindro está inicialmente em
repouso. A extremidade livre da corda é puxada com uma força constante P até
uma distância de 5 m, e nesse ponto a extremidade da corda se move a 6 m/s.
Sabendo que a corda não desliza sobre o cilindro, qual é o valor de P?
Exercício 9.40. R: P = 14,7 N.

9) Prove que, quando um objeto parte do repouso e gira em torno de um eixo fixo
com aceleração angular constante, a aceleração radial de um ponto do objeto é
diretamente proporcional ao seu deslocamento angular.
Exercício 9.56.

10) Uma roda varia sua velocidade angular com uma aceleração angular constante
enquanto gira em torno de um eixo fixo passando em seu centro. A) Mostre que
a variação do módulo da aceleração radial de um ponto sobre a roda durante
qualquer intervalo de tempo é igual ao dobro do produto da aceleração angular
vezes o deslocamento angular e vezes a distância perpendicular do ponto ao eixo.
B) Mostre que a variação da energia cinética da roda durante qualquer intervalo
de tempo é igual ao produto do momento de inércia da roda em relação ao eixo
vezes a aceleração angular e vezes o deslocamento angular.
Exercício 9.65.
11) Um disco maciço uniforme de massa m e raio R está apoiado sobre um eixo
horizontal passando em seu centro. Um pequeno objeto de massa m está colado
na periferia do disco. Se o disco for libertado do repouso com o pequeno objeto
situado na extremidade de um raio horizontal, ache a velocidade angular quando
o objeto estiver verticalmente embaixo do eixo.
4g
Exercício 9.68. R: w =
3R

12) A polia indicada na figura ao lado possui raio R e momento


de inércia I. A corda não desliza sobre a polia e esta gira em
um eixo sem atrito. O coeficiente de atrito cinético entre o
bloco A e o topo da mesa é µc. O sistema é libertado a partir
do repouso, e o bloco B começa a descer. O bloco A possui
massa mA e o bloco B possui massa mB. Use métodos de
conservação de energia para calcular a velocidade do bloco
B em função da distância d que ele desceu.

Exercício 9.71. R:
( 2 gd )( mB − µC mA )
 I 
 mA + mB + 2 
 R 

13) A polia indicada na figura ao lado possui raio 0,16 m e


momento de inércia 0,48 kg m2. A corda não desliza
sobre a periferia da polia. Use métodos de conservação
de energia para calcular a velocidade do bloco de 4 kg
no momento em que atinge o solo.
Exercício 9.72. R: v = 2,81 m/s

14) Dois discos metálicos, um com raio R1 = 2,5 cm e massa M1


= 0,8 kg e o outro com raio R2 = 5 cm e massa M2 = 1,6 kg
são soldados juntos e montados em um eixo sem atrito
passando pelo centro comum (figura ao lado). a) Qual é o
momento de inércia dos dois discos? B) Um fio fino é
enrolado na periferia do disco menor, e um bloco de 1,5 kg é
suspenso pela extremidade livre do fio. Se o bloco é
libertado do repouso a uma distância de 2 m acima do solo,
qual é sua velocidade quando ele atinge o solo? C) Repita o
calculo da parte (b), agora supondo que o fio seja enrolado
na periferia do disco maior. Em qual dos dois casos a
velocidade do bloco é maior? Explique por que isso deve ser assim.
Problema 9.75. a) 2,25 10-3 kg m2 b) 3,4 m/s c) 4,95 m/s

15) Os três objetos uniformes indicados na figura abaixo possuem a mesma massa m.
O objeto A é um cilindro maciço de raio R. O objeto B é uma casca cilíndrica de
raio R. O objeto C é um cubo maciço cuja aresta é igual a 2R. O eixo de rotação
de cada objeto é perpendicular à respectiva base e passa pelo centro de massa do
objeto. Qual dos objetos possui o maior momento de inércia? Explique.
Exercício 9.66. R: O objeto B é
aquele que tem massa concentrada
o mais distante do eixo => maior
inércia.

16) Um disco uniforme fino possui massa M e raio R. Fazemos um buraco circular
de raio R/4 centralizado em um ponto situado a uma distância R/2 do centro do
disco. A) Calcule o momento de inércia do disco com o buraco em relação a um
eixo perpendicular ao plano do disco passando pelo centro original do disco. B)
Calcule o momento de inércia do disco com o buraco em relação a um eixo
perpendicular ao plano do disco passando pelo centro do buraco.
Exercício 9.77. a) (247/512)MR2 b)(318/512)MR2

Exercícios do capítulo 11 do Haliday Resnick sexta edição.

17) O corpo da figura abaixo está pivotado em O, e duas forças atuam sobre ele
como mostrado. A) Encontre uma expressão para o torque resultante sobre o
corpo em torno do pivô. B) Se r1 = 1,3 m, r2 = 2,15 m, F1 = 4,20 N, F2 = 4,9 N,
θ1 = 750, θ2 = 600, qual é o torque resultante em torno do pivô?
Exercício 47 P. R:a) r1 F1senθ1 − r2 F2 senθ 2 b)-3,8 N . m

18) O bloco sólido uniforme da figura ao lado possui massa M e


comprimento das arestas a,b e c. Calcule a sua inércia à rotação
em torno de um eixo que passa por um canto e é perpendicular
às faces maiores.
1
Exercício 41P. R: M (a 2 + b 2 )
2

19) Um corpo rígido é formado por três


hastes finas idênticas, cada uma com
comprimento L, fixadas umas às outras na forma de uma letra H (figura ao lado).
O corpo tem a liberdade de girar em torno de um eixo horizontal que passa por
todo o comprimento de uma das pernas do H. Permite-se que o corpo caia do
repouso a partir de uma posição na qual o plano do H está na horizontal. Qual a
velocidade angular do corpo quando o plano do H estiver na vertical?
9g
Exercício 65P. R:
4L

20) Na figura ao lado um bloco tem massa M=500 g, o outro apresenta


massa m = 460 g, e a roldana que está montada em mancais
horizontais sem atrito, tem um raio de 5 cm. Quando solto do repouso,
o bloco mais pesado cai 75 cm em 5 s (sem que a corda escorregue na
roldana). A) Qual a intensidade da aceleração dos blocos? B) Qual a
tração na parte da corda que sustenta b) o bloco mais pesado e c) o
bloco mais leve? D) Qual a intensidade da aceleração angular da
roldana? E) Qual a sua inércia à rotação?
Exercício 55P. a) 6 cm/s2 b) 4,87 N c) 4,54 N d) 1,2 rad/s2 e) 0,0138 kg m2

21) Na figura ao lado, dois blocos, cada um com


massa m, estão pendurados nas extremidades de
uma haste rígida de massa desprezível e de
comprimento L1 + L2, onde L1 = 20 cm e L2 = 80
cm. A haste é mantida na horizontal sobre o
ponto de apoio e depois é solta. Quais as
intensidades das acelerações iniciais (a) do bloco
mais próximo do apoio e (b) do outro bloco?
2 2
Exercício 57P.a) 1,73 m/s b) 6,92 m/s

Exercícios do Haliday Resnick, capítulo 12 – Sexta Edição.

22) Um automóvel a 80 km/h tem pneus de 75 cm de raio. A) Qual a velocidade


angular dos pneus em torno dos eixos das rodas? B) Se o carro for levado ao
repouso uniformemente em 30 voltas completas dos pneus (sem derrapar), qual
a intensidade da aceleração angular das rodas? C) Que distância o carro ainda
percorre durante a frenagem?
Exercício 1E.R: a) 59,25 rad/s. b) 9,31 rad/s2. c) 70,69 m.

23) Um carro de 1000 kg possui quatro rodas de 10 KG. Quando o carro está se
movendo, que parcela da energia cinética total do carro se deve à rotação das
rodas em torno dos seus eixos? Suponha que as rodas tenham a mesma inércia à
rotação que discos uniformes de mesma massa e mesmo tamanho.

Exercício 5E.R: 1/50.

24) Um cilindro sólido de 10 cm de raio e massa de 12 kg


parte do repouso e rola sem deslizar uma distância de
6 m para baixo do telhado de uma casa que tem uma
inclinação de 300 (figura ao lado). (a) Qual é a
intensidade da velocidade angular do cilindro em torno do seu centro ao deixar o
telhado da casa? (b) A beirada do telhado está a 5 m de altura. A que distância
horizontal da beirada do telhado o cilindro atinge o nível do chão?

Exercício 11P. R: a) 63,2 rad/s. b) 4 m.

25) Uma pequena bola de gude sólida de massa m e


raio r rolará sem deslizar ao longo da pista com
um loop no fim, mostrada na figura ao lado, se ela
for solta do repouso em algum lugar sobre a seção
reta da pista. (a) De que altura inicial h acima do
ponto mais baixo da pista deve ser solta a bola de
gude para que ela esteja na iminência de se separar
da pista no ponto mais alto do loop? (O raio do
loop é R, suponha que R >> r) (b) Se a bola de
gude for solta da altura 6R acima do ponto mais
baixo da pista, qual será a componente horizontal
da força que age sobre ela no ponto Q?
Exercício 12P. R: a) h = 2, 7 R − 0, 7 r ≈ 2, 7 R . B)1,96 10-2 N.

26) Uma esfera oca de raio 0,15 m, com inércia à rotação I=0,040 kg m2 em torno de
uma linha que passa pelo seu centro de massa, rola sem deslizar para cima de
uma superfície inclinada de 300 com a horizontal. Em uma dada posição inicial,
a energia cinética total da esfera é igual a 20 J. Qual é a velocidade escalar do
centro de massa da esfera após ele ter se deslocado 1 m para cima ao longo do
plano inclinado a partir da sua posição inicial?
Exercício 13P.R: 1,73 m/s.

27) Um ioiô tem inércia à rotação de 950g cm2 e uma massa de 120g. O raio do seu
eixo é igual a 3,2 mm, e seu cordão possui 120 cm de comprimento. O ioiô rola
a partir do repouso para baixo até o fim do cordão. (a) Qual a intensidade da sua
aceleração linear? (b) Quanto tempo leva para atingir o fim do cordão? Ao
atingir o fim do cordão qual é a sua (c) velocidade linear, (d) energia cinética de
translação, (e) energia cinética de rotação e (f) velocidade angular?
Exercício 15 E. a) acm = 0,1277 m/s2. b) 4,24 s. c) 0,177 m/s. d, e) Obtenha. F) 55,31
rad/s.
r
28) A força F = (−8 N )iˆ + (6 N ) ˆj atua sobre uma partícula com vetor posição
r
r = (3m)iˆ − (4m) ˆj . Qual (a) o torque sobre a partícula em torno da origem e (b)
r r
o ângulo entre as direções de r e F ?
r
Exercício 21P.R: a) τ = −14kˆ . B) θ = −900

29) Uma pista de trenzinhos é montada em


cima de uma roda grande que pode
girar livremente com atrito desprezível
em torno de um eixo vertical (figura ao
lado). Um trem de brinquedo de massa
m é colocado na pista e, com o sistema
inicialmente em repouso, liga-se a corrente elétrica. O trem alcança uma
velocidade constante v em relação à pista. Qual a intensidade da velocidade
angular da roda se a sua massa for M e o seu raio for R? (Trate a roda como um
aro, e despreze a massa dos raios e do cubo da roda)
−m v
Exercício 45P. R: wroda =
m+M R

30) Um disco uniforme de massa 10 m e raio 3 r pode girar livremente em torno do


seu centro fixo como um carrossel. Um disco uniforme menor de massa m e raio
r repousa em cima do disco maior, concêntrico com ele. Inicialmente, os dois
discos giram juntos com uma velocidade angular de 20 rad/s. Depois uma leve
perturbação faz com que o disco menor deslize para fora atravessando o disco
maior, até que a borda de fora do disco menor pegue na borda de fora do disco
maior. Depois disso, os dois discos giram novamente juntos (sem deslizar mais).
(a) Qual será então a velocidade angular dos dois discos em torno do centro do
disco maior? (b) Qual será a razão K/K0 entre a nova energia cinética do sistema
de dois discos e a energia cinética inicial do sistema?
Exercício 55P. R: a) 18,38 rad/s. b) 0,92.

31) Na figura ao lado, uma bala de 1 g é disparada para


dentro de um bloco de 0,5 kg que está preso na
extremidade de uma haste não-uniforme com 0,6 m de
comprimento e 0,5 kg de massa. O sistema bloco-
haste-bala gira então em torno de um eixo fixo no
ponto “A”. A inércia à rotação da haste sozinha em
torno de A é igual a 0,06 kg m2. Suponha que o bloco
seja pequeno o bastante para ser tratado como uma
partícula na extremidade da haste. (a) Qual a inércia à
rotação do sistema bloco-haste-bala em torno do ponto
A? (b) Se a velocidade angular do sistema em torno de
A imediatamente após o impacto da bala for igual a 4,5
rad/s, qual será a velocidade da bala imediatamente
antes do impacto?
Exercício 57P.a) 0,24 kg m2. b) 1800 m/s

Exercícios do Young & Freedman, 10a edição, capítulo 10.

32) Uma placa metálica quadrada de lado igual a 0,180 m


possui um eixo pivotado perpendicularmente ao plano
da página passando em seu centro O (figura ao lado).
Calcule o torque resultante em torno desse eixo
produzido pelas três forças mostradas na figura,
sabendo-se que os módulos dos forças são F1=18 N, F2=
26 N e F3 = 14 N. O plano da placa e de todas essas
forças é o plano da página.
r
Exercício 10.3. R: τ = 2,501909069 Nmkˆ .

33) Uma força atuando em uma parte de uma máquina é dada pela expressão
r
F = (−5N)iˆ + (4N)ˆj . O vetor da origem ao ponto em que a força é aplicada é
r
dado por r = (−0, 450m)iˆ + (0,150m)ˆj . Qual é o vetor torque produzido por esta
força?
r
Letra c do exercício 10.5.R: τ = −1, 05 Nmkˆ

34) Um esmeril em forma de disco sólido com diâmetro de 0,520 m e massa de 50


kg gira a 850 ver/min. Você pressiona um machado contra sua periferia de com
uma força normal de 160 N, e o esmeril atinge o repouso em 7,5 s. Ache o
coeficiente de atrito entre o machado e o esmeril. Despreze o atrito nos mancais.
Exercício 10.11. R: µc = 0,48.

35) Um fio é enrolado diversas vezes em torno da periferia de um pequeno aro de


raio 0,08 m e massa 0,18 kg. Se a extremidade livre do fio é mantida fixa e o aro
é libertado a partir do repouso, calcule a) a tensão no fio enquanto o aro desce à
medida que o fio se desenrola; b) o tempo que o aro leva para descer 0,75 m; c)
a velocidade angular do aro no momento em que ele desceu 0,75 m.
Exercício 10.15. R: a) 0,882 N. b) 0,55 s.

36) A hélice propulsora de um avião possui comprimento de 2,08 m (de uma


extremidade a outra ) e sua massa é de 117 kg. Logo no inicio do funcionamento
do motor, ele aplica um torque de 1950 N m na hélice, que começa a se mover a
partir do repouso, calcule a) Qual a aceleração angular da hélice? Considere a
hélice como uma barra fina. B) Qual é a velocidade angular da hélice propulsora
quando ela atinge 5 revoluções? C) Qual é o trabalho realizado pelo motor
durante as 5 revoluções iniciais? D) Qual é a potencia média fornecida pela
máquina durante as 5 revoluções iniciais? E) Qual é a potencia instantânea do
motor no instante em que a hélice propulsora completa essas 5 revoluções?
Exercício 10.26. a) 46,2 rad/s2. b) 53,9 rad/s. c)6,13 104 J. d) 105 kW.

37) A) Calcule o torque desenvolvido por um motor industrial com potencia de 150
kW para uma velocidade angular de 4000 rev./min. B) Um tambor de massa
desprezível, com diâmetro igual a 0,4 m, é ligado ao eixo do motor e a potência
disponível do motor é usada para elevar um peso pendurado em uma corda
enrolada em torno do tambor. Qual é o peso máximo que pode ser elevado com
velocidade constante? C) Com que velocidade constante o peso sobe?
Exercício 10.27. a) 358,0986 N.m. b) 1790,493 N. c) 83,7758 m/s.

38) Uma pedra de 2 kg possui uma velocidade


horizontal com módulo de 12 m/s quando
está no ponto P da figura ao lado. a) Nesse
instante qual é o módulo, a direção e o
sentido do seu momento angular em relação
ao ponto O? b) Caso a única força que atue
sobre a pedra seja seu peso, qual é a taxa de
variação (módulo, direção e sentido) do
momento angular nesse instante?
r kgm 2 ˆ r
Exercício 10.29. a) l = −115, 28 k b) τ = 125, 39 Nmkˆ
s
39) O mecanismo indicado na
figura ao lado é usado para
elevar um engradado de
suprimentos do depósito de
um navio. O engradado possui
massa total de 50 kg. Uma
corda é enrolada em um
cilindro de madeira que gira
em torno de um eixo de metal.
O cilindro possui raio igual a
0,25 m e momento de inércia
2
I = 2,9 kg m em torno do eixo. O engradado é suspenso pela extremidade livre
da corda. Uma extremidade do eixo está pivotada em mancais sem atrito; uma
manivela está presa à outra extremidade. Quando a manivela gira, sua
extremidade gira em torno de um círculo vertical de raio igual a 0,12 m, o
r
cilindro gira e o engradado sobe. Calcule o módulo da força F aplicada
tangencialmente à extremidade da manivela para elevar o engradado com uma
aceleração de 0,8 m/s2. (A massa da corda e o momento de inércia do eixo
podem ser desprezados)
Exercício 10.53.R: 1182,025 N.

40) Um grande rolo de papel de 16 kg com raio R = 18


cm está em repouso contra uma parede e é mantido
no lugar por um suporte ligado a uma barra que
passa em seu centro (figura ao lado). A outra
extremidade da barra está presa à parede por uma
articulação sem atrito de modo que a barra faz um
ângulo de 300 com a parede. O peso da barra é
desprezível. O coeficiente de atrito cinético entre o
papel e a parede é µc = 0,25. Uma força constante
vertical F=40 N é aplicada ao papel, e o papel
desenrola. A) Qual é o módulo da força que a barra
exerce sobre o papel enquanto ele desenrola? B)
Qual é a aceleração angular do rolo?
Exercício 10.54.a) 266 N. b) 4,71 rad/s2.

41) Um bloco de massa m=5kg desliza para


baixo de uma superfície horizontal
inclinada a 36,90 com a horizontal (figura
ao lado). O coeficiente de atrito cinético é
0,25. Um fio amarrado ao bloco é enrolado
em torno de um volante que pode girar em
torno de um eixo passando em O. O
volante possui massa de 25 kg e momento
de inércia de 0,5 kg m2 em relação ao eixo
de rotação. O fio puxa a roda sem deslizar
a uma distância perpendicular ao eixo igual a 0,2 m. a) Qual a aceleraçãodo
bloco para baixo do plano? B) Qual é a tensão no fio?
Exercício 10.55.a) 1,12139737 m/s2. b)14,01746713 N.m.
42) Uma bola de gude homogênea de
raio r parte do repouso com seu
centro de massa a uma altura h
acima do ponto inferior de uma
volta completa de um trilho de
raio R, um trilho que possui
forma semelhante ao da figura ao
lado. A bola de gude rola sem
deslizar. O atrito de rolamento e a
resistência do ar são desprezíveis. A) Qual é o valor mínimo de h para que a bola
de gude não abandone o trilho no topo da circunferência? (Observação: O raio r
não é desprezível em comparação com o raio R.) b) Qual seria a resposta do item
a se o trilho fosse bem lubrificado, de modo que o atrito se tornasse desprezível?
27 R − 17 r 5 R − 3r
Exercício 10.61.R: a) h = b) h =
10 2

43) Como indicado no exercício 35, um fio é enrolado diversas vezes em torno da
periferia de um pequeno aro de raio 0,08 m e massa igual a 0,18 kg. A
extremidade livre do fio é puxada de baixo para cima de um modo exato tal que
o aro não se move verticalmente quando o fio é desenrolado. A) Ache essa
tensão exata no fio. B) Calcule a aceleração angular do aro enquanto o fio se
desenrola. C) Ache a aceleração de baixo para cima da mão que puxa o fio. D)
Quais as modificações de suas respostas se o aro fosse substituído por um disco
maciço com o mesmo raio e a mesma massa?
Exercício 10.63.R: a) 1,764 N b)122,5 rad/s2 c) g. d) 2g.

44) Em uma catapulta de mola, a constante da mola é igual a 400 N/m e a mola sofre
uma compressão de 0,15 m. Quando ela é disparada, 80% da energia potencial
elástica armazenada na mola é convertida em energia cinética para uma bola
uniforme de 0,0590 kg que estava rolando sem deslizar na base de uma rampa.
A bola continua a rolar sem deslizar subindo a rampa com 90% da energia
cinética que ela possuía na base convertida em energia potencial gravitacional
no momento em que ela pára. Qual é a altura vertical máxima acima da base da
rampa atingida pela bola?
Exercício 10.65 – letra d. R:5,6 m.

45) Um cilindro homogêneo de massa


M e raio 2R está em repouso
sobre o topo de uma mesa. Um
fio é ligado por meio de um
suporte duplo preso às
extremidades de um eixo sem
atrito passando através do centro
do cilindro de modo que o
cilindro pode girar em torno do eixo. O fio passa sobre uma polia em forma de
disco de massa M e raio R montada em um eixo sem atrito que passa em seu
centro. Um bloco de massa M é suspenso na extremidade do fio (figura ao lado).
O fio não desliza sobre a superfície da polia, e o cilindro rola sem deslizar sobre
o topo da mesa. Calcule o módulo da aceleração do bloco quando o sistema é
libertado a partir do repouso.
Exercício 10.69. R: g/3.

46) Uma barra uniforme de comprimento L repousa sobre uma superfície horizontal
sem atrito. A barra possui um pivô, de modo que ela pode girar sem atrito em
torno de um eixo passando por uma de suas extremidades. A barra está
inicialmente em repouso. Uma bala se deslocando com velocidade v ortogonal à
barra e paralela à superfície atinge o centro da barra e permanece retida em seu
interior. A massa da bala é um quarto da massa da barra. A) Qual é a velocidade
angular final da barra? B)Determine a razão entre a energia cinética do sistema
depois da colisão e a energia cinética da bala antes da colisão.
6v
Exercício 10.71.a) b)3/19.
19 L

47) Dois discos A e B são


montados em um disco SS
e podem ser conectados
ou desligados por meio de
uma embreagem C (figura
ao lado). O disco A é feito
de um material mais leve
que o de B, de modo que o momento de inércia de A em torno do eixo é um
terço do momento de inércia de B. O momento de inércia do eixo e da
embreagem são desprezíveis. Quando a embreagem está conectada o disco A é
levado a uma velocidade angular w0. O torque acelerador é então removido de A,
e a seguir o disco A é acoplado ao disco B pela embreagem. (Despreze o atrito
nos mancais) Nota-se que são produzidos 2400 J de energia térmica na
embreagem quando a conexão é feita. Qual é a energia cinética inicial do disco
A?
Exercício 10.75.R: 3200J