Você está na página 1de 3

Existem diferentes tipos de poder, porém, é fundamental termos em

mente que ele não está presente apenas nas relações entre líderes e liderados,
mas também ele se enraíza na prática cotidiana das empresas. A manifestação
do poder pode ser capaz de contribuir para uma maior integração do
funcionário aos princípios organizacionais da empresa.

Analisando as estruturas organizacionais, o modo como as pessoas se


comportam no ambiente de trabalho e como se relacionam, entendemos que
existem várias formas de se exercitar o poder nas organizações.
Compreendendo estas formas, fica mais claro também o significado da palavra
poder.

O poder é o meio através do qual os conflitos de interesse são, afinal,


resolvidos. Segundo esse autor, o poder influencia quem consegue o quê,
quando e como. Morgan relaciona as fontes de poder mais importantes de
poder que podem existir numa organização: Autoridade formal, controle sobre
recursos escassos, uso da estrutura organizacional, regras e regulamentos,
Controle do processo de tomada de decisão, controle do conhecimento e da
informação

Para Morgan, podemos fundamentar a autoridade formal por três


características: carisma, tradição e lei. A autoridade carismática surge quando
as qualidades especiais dos indivíduos são enxergadas.

A autoridade tradicional ocorre quando as pessoas respeitam costumes


e práticas do passado, conferindo autoridade a quem simboliza e encarna tais
valores.

A burocrática ou legal-racional ocorre quando as pessoas acreditam que


para se exercer o poder é preciso a aplicação correta de regras formais e
procedimentos.

Este tipo de autoridade torna-se eficaz somente à medida que seja


legitimada pelos níveis hierárquicos mais baixos na empresa. Portanto, se
constituirmos uma pirâmide demonstrando o poder nas organizações, ele
estará parte no topo da pirâmide e parte em sua base, pois o topo o exercitará
se a base assim consentir.
A comunicação é vista como fonte e instrumento de poder, sendo um
forte aliado no estabelecimento das relações com a cultura organizacional.
Para Focault o poder é definido como uma técnica que adquire efeitos
estratégicos por meio de seu caráter disciplinar.

Esse pensamento vai reforçar a tese de que poder não é negativo, mas
positivo porque produz verdade e conhecimento, bem como também é
consistente com o poder diluído na estrutura social que o autor apregoa, já que
quem tem conhecimento tem poder.