TUBERCULOSE PULMONAR

HISTÓRICO
‡ A Tuberculose é uma doença milenar encontrada em lesões de múmias Egípsias datando mais de 4 mil anos ‡ É conhecida como também como Tísica, Peste Branca, Consunção e Moléstia Dizimadora

HISTÓRICO
O MYCOBACTERIUM TUBERCULSIS, agente etiológico da tuberculose, foi descoberto por Robert Koch, em 24 de março de 1882, razão por que é também conhecido pelo nome de bacilo de Koch ou BK.

TUBERCULOSE é uma doença grave contagiosa e infecciosa É curável desde que os princípios básicos do tratamento sejam seguidos

EPIDEMIOLOGIA
‡ Segunda causa mais comum de morte por doenças infecciosas no mundo ‡ 8.000.000 de novos casos/ano ‡ 2.000.000 óbitos/ano ‡ 5-6.000.000 têm entre 15-49 anos ‡ Países menos desenvolvidos ‡ No Brasil, a estimativa é de 124.000 casos novos por ano. ‡ Infecção pelo HIV

TUBERCULOSE PULMONAR
Se propaga através do ar, por meio de gotículas contendo os bacilos expelidos por um doente com tuberculose pulmonar ao tossir, espirrar ou falar em voz alta.

A tuberculose é transmitida através do ar

TRANSMISSÂO AERÒGENA DA TB
Partículas levitantes
FOCO (+++)

Partículas infectantes
CONTATO

Partículas maiores

ASPIRAÇÃO E ELIMINAÇÃO DE PARTÍCULAS GRUMOSAS
Aspiração de partículas levitantes.

Eliminação de grumos com muitos bacilos pelo sistema muco-ciliar.

IMUNIDADE NA TB
Imunidade natural:
‡ As barreiras físicas ‡ O sistema muco-ciliar ‡ A velocidade de desenvolver imunidade adquirida

Imunidade adquirida:
‡ A humoral é inexpressiva ‡ Mediada por células - macrófagos/linfócitos T (CD4, CD8, gama-delta,NK) ‡ Interleucinas, citocinas ou linfocinas: IL2 - IL4 IL5 - IL6 - IL8 - IL10 - IL12 - TNFE - FNIK

IMPLANTE ALVEOLAR DE PARTÍCULAS INFECTANTES
Gotículas núcleo Nidação alveolar

INFECÇÃO: UMA TRANSMISSÃO BEM SUCEDIDA
Nidação do bacilo no alvéolo

Crescimento livre

Fagocitose pelo macrófago alveolar

FISIOPATOLOGIA
Fagocitose por macrófagos alveolares Replicação lenta e contínua Disseminação linfo-hematogênica Órgãos e sistemas

O comprometimento pulmonar é a principal causa de mortalidade da Tuberculose

Nos alvéolos, os bacilos multiplicam-se e uma pequena parte deles entra na circulação sanguínea, disseminando ±se pelo corpo

Uma vez infectada, a pessoa pode desenvolver a doença em qualquer fase da vida.

O Mycobacterium tuberculosis é um patógeno aeróbio, de multiplicação lenta que adquire resistência aos fármacos por mutação

A Tuberculose Pulmonar é dividida em 2 fases:
PRIMÁRIA (primoinfecção)= ocorre em indivíduos que ainda não tiveram contato com o bacilo. É mais comum em crianças. SECUNDÁRIA= representa a reativação de uma infecção antiga.

FASE PRIMÁRIA
Nesta fase, o Mycobacterium tuberculosis inalado é primeiro fagocitado por macrófagos alveolares e transportado por essas células para linfonodos hilares.

FASE PRIMÁRIA
Ocorre um processo inflamatório o qual irá originar uma lesão subpleural, quase sempre acima ou logo abaixo da fissura interlobar entre os lobos inferior e superior

FASE SECUNDÁRIA ‡
‡ ‡ Tende a produzir mais lesão pulmonar do que a primária É caracterizada pela necrose caseosa e cavidades no pulmão A maioria dos casos representa a reativação de uma infecção antiga

A TUBERCULOSE PODE TORNAR-SE MULTIRESISTENTE

OS TIPOS DE RESISTÊNCIA DO M. tuberculosis: NATURAL: decorrente de mutação espontânea. INICIAL: observada no momento em que o paciente se apresenta para tratamento, com resistência a um ou mais fármacos.

OS TIPOS DE RESISTÊNCIA DO M. tuberculosis: PRIMÁRIA: Observada em pacientes não tratados antes, infectados por uma fonte com forma resistente. ADQUIRIDA ou SECUNDÁRIA: Resultante de uso prévio de medicação de forma inadequada.

ELEMENTOS PARA O DIAGNÓSTICO História Clínica Exame Bacteriológico (PESQUISA DE BAAR - bacilo álcool ácido resistente ) Baciloscopia direta do escarro: detecta de 70 a 80% dos casos de TB em uma comunidade.

ELEMENTOS PARA O DIAGNÓSTICO

Exame Radiológico
Permite a identificação de pessoas portadoras de imagens sugestivas de Tuberculose ou de outras patologias.
Raio-X do peito de um paciente com tuberculose pulmonar avançada formando cavidades

PROVA TUBERCULÍNICA
É um método auxiliar no diagnóstico daTuberculose. o teste de Mantoux envolve injeção subcutânea de tuberculina e a medição do tamanho de qualquer reação após três dias.

5 a 10mm é positivo

TRATAMENTO
A INGESTÃO DOS MEDICAMENTOS DEVE SER DIARIAMENTE E ASSISTIDA NO LOCAL DE ESCOLHA DO DOENTE PELO PROFISSIONAL DE SAÚDE

OBJETIVOS DO TRATAMENTO
‡ Assegurar a cura sem recidiva da doença ‡ Prevenir a morte ‡ Interromper a transmissão ‡ Prevenir o surgimento de resistência às drogas * Tratamento de longa duração com drogas combinadas

FÁRMACO

MECANISMO DE AÇÃO
Ligação irreversível à RNA-polimerase, impedindo a produção de RNA e a síntese de proteínas Quelação de íons cobre essenciais para a célula bacteriana, intefere também na enzima micolasesintetase, importante na síntese de ácido micólico, constituinte da parede celular das micobactérias. Inibição da síntese de ácido nucléicos da célula bacteriana Age sobre a enzima nicotinamida adeninadinucleotídeo, tornando-a defeituosa É um aminoglicosídeo, liga-se irreversivelmente ao ribossomo (sub. 30S e 50S), produzindo bloqueio ou alterações profundas na síntese de proteínas

RIFAMPICINA

ISONIAZIDA

ETAMBUTOL ETIONAMIDA ESTREPTOMICINA

FÁRMACO

EFEITOS ADVERSOS
Reações cutâneas, gastrintestinais, anemia hemolítica, leucopenia e plaqueotopenia, nefrite, hepatite medicamentosa (sobretudo com o uso concominante de cetoconazol) e síndrome gripal Hepatotoxicidade, leucopenia e plaqueopenia, neurite óptica, convulsões, anemia hemolítica, reações gastrintestinais Reações gastrintestinais, neurite óptica e hipersensibilidade Hepatotoxicidade, reações gastrintestinais

RIFAMPICINA

ISONIAZIDA ETAMBUTOL PIRAZINAMIDA ETIONAMIDA ESTREPTOMICINA

Neuropatias periféricas, convulsões, ginecomastia, hepatotoxicidade, irregularidades menstruais Nefrotoxicidade e Otoxicidade,

São 4 tipos de tratamento:
1) CASOS NOVOS
Casos sem tratamento anterior, tratamento por menos de 30 dias ou casos com tratamento há mais de 5 anos.

CASOS NOVOS:
1ª FASE= 2 meses ingerindo de preferência em jejum: RIFAMPICINA + ISONIAZIDA + PIRAZINAMIDA 2ª FASE= 4 meses ingerindo RIFAMPICINA + ISONIAZIDA

ESQUEMA I (BÁSICO) ± 2RHZ / 4RH INDICADO NOS CASOS NOVOS DE TODAS AS FORMAS DE TUBERCULOSE PULMONAR E EXTRAPULMONAR Peso do paciente Fases do Tratamento Drogas
Mais de 20 kg e até 35 kg Mais de 35 kg e até 45 kg Mais de 45 kg

Até 20 kg

1ª fase (2 meses ± RHZ) 2ª fase (4 meses ± RH)

R H Z R H

10 mg/kg/dia 10 35 10 10

300 mg/dia 200 1000 300 200

450 mg/dia 300 1500 450 300

600 mg/dia 400 2000 600 400

Siglas: Rifampicina = R ± Isoniazida = H ± Pirazinamida = Z ± Etambutol = E Estreptomicina = S ± Etionamida = Et

2) RETRATAMENTO Casos com tratamento anterior não finalizado.

RETRATAMENTO
1ª FASE= 2 meses ingerindo RIFAMPICINA + ISONIAZIDA + PIRAZINAMIDA + ETAMBUTOL 2ª FASE= 4 meses ingerindo RIFAMPICINA + ISONIAZIDA + ETAMBUTOL

ESQUEMA I REFORÇADO (ESQUEMA ± IR) ± 2RHZE / 4RHE INDICADO NOS CASOS DE RECIDIVA APÓS CURA OU RETORNO APÓS ABANDONO DO E-I
Peso do paciente Fases do Tratamento Drogas
Até 20 kg Mais de 20 kg e até 35 kg mg/dia Mais de 35 kg e até 45 kg mg/dia Mais de 45 kg mg/dia

mg/kg/dia

1ª fase (2 meses) RHZE 2ª fase (4 meses) RHE

R H Z E R H E

10 10 35 25 10 10 25

300 200 1000 600 300 200 600

450 300 1500 800 450 300 800

600 400 2000 1200 600 400 1200

Siglas: Rifampicina = R ± Isoniazida = H ± Pirazinamida = Z ± Etambutol = E Estreptomicina = S ± Etionamida = Et

3) PORTADORES DE TUBERCULOSE MULTIDROGARRESISTENTE TBMDR)

Necessitam de um tratamento reforçado.
‡ Multiresistência no Brasil

Resistência à R + H + 1 outra usual Principalmente MR adquirida relacionada ao abandono

PORTADORES DE (TBMDR)
1ª FASE= 3 + meses ingerindo +

ESTREPTOMICINA

PIRAZINAMIDA

ETAMBUTOL + ETIONAMIDA. 2ª FASE= 9 meses ingerindo ETAMBUTOL + ETIONAMIDA

São 4 tipos de tratamento

4) TUBERCULOSE EM PACIENTES HIV+
Tratamento com ISONIAZIDA por 6 meses consecutivos.

A quimioprofilaxia com ISONIAZIDA reduz o risco de adoecimento a partir da reativação endógena do bacilo, mas não protege contra a exposição exógena após sua suspensão.

OBSERVAÇÕES
Durante o tratamento o paciente é avaliado mensalmente através de exames de baciloscopia de controle.

A RIFAMPICINA interfere na ação dos contraceptivos orais, devendo as mulheres em uso desse medicamento, receber orientação para utilizar outros métodos anticoncepcionais.

TODOS OS CONTATOS DOS DOENTES DE TUBERCULOSE, DEVEM COMPARECER À UNIDADE DE SAÚDE PARA EXAME

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE TB?
‡ Tosse e escarro por mais de quatro semanas

‡ Falta de apetite e emagrecimento

QUAIS SÃO OS PRINCIPAIS SINTOMAS DE TB?
‡ Dificuldade para respirar

‡ Dores nas costas e no peito

Quais são os principais sintomas de TB?
‡ Suores noturnos, febre baixa, geralmente à tarde

‡ Cansaço fácil

COMO SE PREVINE A TB?
‡ Através da vacina BCG feita ao nascer ‡ Controle e cuidados com as pessoas que habitam o mesmo ambiente do doente (comunicantes) ‡ Controle e tratamento dos doentes ‡ Revacinação de BCG para crianças comunicantes menores de 5 anos, somente com indicação médica

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful