Você está na página 1de 2

Superior Tribunal de Justiça

AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 1.251.998 - SP (2009/0220086-7)

RELATOR : MINISTRO LUIS FELIPE SALOMÃO


AGRAVANTE : ROSÂNGELA NISTAL LYRA VASCONCELLOS
ADVOGADO : MARIA FERNANDA VAIANO DOS SANTOS E OUTRO(S)
AGRAVADO : JAYME CUSCHNIR E OUTROS
ADVOGADO : DINA DARC FERREIRA LIMA CARDOSO E OUTRO(S)
AGRAVADO : ORBIS ASSESSORIA FINANCEIRA E ADMINISTRATIVA LTDA
ADVOGADO : SILVANA ROSA ROMANO AZZI E OUTRO(S)
AGRAVADO : CB PARTICIPAÇÕES LTDA
ADVOGADO : JOSE LUIZ BAYEUX FILHO E OUTRO(S)
AGRAVADO : TAMANDUÁ EMPREENDIMENTOS LTDA
ADVOGADO : FÁBIO TEIXEIRA OZI E OUTRO(S)
EMENTA
PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO DE INSTRUMENTO CONTRA
DECISÃO QUE INADMITIU RECURSO ESPECIAL NA ORIGEM.
APELO EXCEPCIONAL INTEMPESTIVO. RECURSO A QUE SE
NEGA SEGUIMENTO.

DECISÃO

1. Cuida-se de agravo de instrumento contra decisão que negou seguimento


ao recurso especial na origem.

2. Não há como prosperar a irresignação, uma vez que o recurso especial é


intempestivo.

A intimação do acórdão proferido em sede de embargos de declaração se


deu em 15/12/2008 (segunda-feira, fls. 1125), e o prazo recursal findou em 30/12/2008
(terça-feira). A petição, todavia, só foi protocolada em 06/01/2009 (terça-feira), fora do
prazo legal.

Como é sabido, a atividade jurisdicional é ininterrupta, nos termos do art. 93,


inciso XII, da Constituição Federal, acrescido pela Emenda Constitucional nº. 45 de
08.12.2004.

Presume-se a não-ocorrência de férias ou recesso forense, salvo


apresentação de documento idôneo no momento da interposição do recurso, o que não
ocorreu. Nesse sentido, confiram-se: AgRg no Ag 851310/MG, Rel. Ministro Hélio
Quaglia Barbosa, QuartaTturma, julgado em 05.06.2007; AgRg no Ag 926.941/RJ, Rel.
Ministro Sidnei Beneti, Terceira Turma, julgado em 01.04.2008.

Necessário ressaltar que o documento de fls. 1151 não é admitido como


Documento: 7430170 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJ: 11/12/2009 Página 1 de 2
Superior Tribunal de Justiça
hábil a sanar a omissão apontada, uma vez que é assente neste Tribunal que ainda que
seja possível admitir a juntada de documentos e peças extraídas da internet, consta
necessária a certificação de sua origem.

Informações processuais de qualquer ordem prestadas por sítios eletrônicos


da Justiça ou órgãos a ela vinculados, ainda que se ressintam de credibilidade, não são
dotadas de caráter oficial, amparado em lei, faltando-lhes, portanto, fé pública, motivo
pelo qual inadmissíveis. Nesse sentido, confira-se o (REsp 572.154/PR, Rel. Ministro
JOSÉ DELGADO, PRIMEIRA TURMA, julgado em 06.05.2004, DJ 14.06.2004 p. 174).

3. Ante o exposto, com fulcro no art. 557, caput, do CPC, nego seguimento
ao agravo de instrumento.

Publique-se. Intimem-se.
Brasília (DF), 03 de dezembro de 2009.

Ministro Luis Felipe Salomão


Relator

Documento: 7430170 - Despacho / Decisão - Site certificado - DJ: 11/12/2009 Página 2 de 2