P. 1
Ásia Setentrional

Ásia Setentrional

3.0

|Views: 24.160|Likes:
Publicado porbraian_bcs22

More info:

Published by: braian_bcs22 on Sep 23, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/09/2013

pdf

text

original

Norte da Ásia

Com a maior área territorial das regiões asiáticas, o Norte da Ásia é composta por um país apenas: a Rússia (parte asiática). A primeira nação é amplamente conhecida no mundo todo, principalmente depois da 2ª Guerra Mundial, quando seu nome era URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Atualmente a Federação Russa ou Rússia representa como grande nação do mundo, em todos os sentidos, pois já fez frente com os Estados Unidos na questão econômica e militar. Enquanto que a Mongólia é um país muito desconhecido do mundo, pois não apresenta grande importância econômica para o globo.

Economia
A economia russa é uma das maiores do mundo com uma evolução muito significante do seu PIB. O seu vasto território permite uma grande diversidade e a alta profissionalização populacional ajuda na produção de químicos, máquinas de precisão, etc. A agricultura produz frutas, cevada, leite, açúcar e legumes. A indústria, resultado do tempo soviético, apresenta uma grande diversidade entre campos minérios, poços de petróleo, condutas de gás, materiais para a indústria militar, equipamentos para as comunicações terrestre, aéreas e marítimas. A Rússia exporta essencialmente petróleo, gás natural através de oleodutos e madeira, além de outros produtos mais radioactivos. Estes produtos constituem 80% das exportações.

Topografia
O relevo é variado: dominam planícies e vales em 3/4 do território. As planícies do LesteEuropeu e da Oeste-Siberiana, divididas pelos montes Urais, são as maiores do planeta. O ponto mais elevado é o monte Elbrus, com uma altitude de 5633 metros, que é também o ponto mais alto da Europa.

Hidrografia
Apesar da grande área que a Rússia possui, apenas 18% do território é coberto de água. Contamse 120 000 rios, dos quais se destacam o Volga, o Don, o Ienissei, o Lena, o Ob, o Dniepre e o Neva. Os lagos apresentam-se de formas irregulares e estão, normalmente, no meio de um curso de um rio. O território russo compreende o lago Ladoga, que é o maior da Europa, o lago Baikal, o lago Onega, entre outros. A Rússia possui a maior bacia hidrográfica da Ásia, denominada de Bacia do Obi com 2 975 000 m². Cerca de 37 000 km de costa delimitam a Rússia dos oceanos Árctico e Pacífico e também do mar Negro e do Cáspio, sem esquecer a zona dos Bálcãs. Os oceanos representam uma importante fonte de riqueza para o país: o petróleo e o peixe são produtos obtidos naquelas zonas.

Clima
A Rússia domina quase metade da Europa e um terço da Ásia. Este factor faz com a Rússia possua vários climas diferentes. A temperatura média anual é de 5,5 graus centígrados. A região mais a norte do país, chamada Sibéria, é a mais fria de todo o país. Registam-se temperaturas no inverno da ordem dos 40 aos 50 graus celsius negativos, às vezes chegando aos 60 graus negativos ou até menos. A Sul, o clima é mais quente, havendo campos e estepes onde as temperaturas chegam aos 8 graus negativos. O Verão na Rússia também é variável de região a

região registando-se temperaturas médias de 25 °C. Em certos casos extremos, já houve dias em que se registassem temperaturas superiores a 45 °C. O frio proveniente da Sibéria alastra-se não só por toda a Rússia como por quase toda a totalidade da Europa e grande parte da Ásia. A Rússia é atravessada por quatro climas, ártico, subártico, temperado e subtropical. A ordem das estações pode ser classificada assim: Inverno longo e nevoso - Primavera temperada - Verão curto e quente - Outono chuvoso e varia muito ao longo do território russo. Na zona central da Rússia encontram-se as florestas mais claras, mistas, dominadas por bétulas, álamos, carvalhos. As florestas das zonas centrais estão divididas por estepes. A maior parte de estepes é lavrada e semeada por trigo, centeio, milho, girassol, etc.

Línguas
Segundo o artigo 68.º, capítulo 3, alínea 1 da Constituição da Federação da Rússia, a língua oficial do país é o russo moderno, porém e segundo a alínea 2 do mesmo artigo, cada república têm o direito de desenvolver a sua própria língua como o caso da Sibéria em que a língua daquela região é o siberiano. Ainda segundo a alínea 2 do mesmo artigo, o russo é obrigatoriamente usado para os diálogos entre Moscovo e as demais regiões de país. O idioma russo é o mais falado da Eurásia e é o mais comum dos idiomas eslavos devido ao período da URSS em que era obrigatório o ensino do russo nas repúblicas sob o seu domínio. Além da Rússia, a língua é também uma das oficiais na Bielorrússia e no Cazaquistão. O russo pertence à família dos idiomas indo-europeus. Entre os idiomas eslavos, o russo é um dos membros ainda existente do grupo dos idiomas eslavos orientais, sendo os outros dois o bielorrusso e o ucraniano. Existem exemplos escritos dos idiomas eslavos orientais do século X em diante. Enquanto o russo preserva muito da estrutura sintética-inflexional original e uma base de palavras proto-eslava, o russo moderno exibe uma grande galeria de palavras internacionais, nos campos da política, ciência e tecnologia. Sendo a língua russa uma das línguas com maior importância a nível diplomático internacional do século XXI, esta é uma das seis línguas oficiais das Nações Unidas. Além do russo, outras 31 línguas possuem estatuto co-oficial nas respectivas regiões onde são faladas.
Nota: o russo é escrito num alfabeto não-latino. O alfabeto russo moderno é uma variante do alfabeto cirílico que fora introduzido no principado de Kiev na época da sua conversão ao cristianismo (988), ou, se certos achados arqueológicos estiverem correctos, uma data ligeiramente anterior.

Religião
A Catedral de Cristo Salvador de Moscou, demolida durante o período soviético e reconstruída entre 1990 e 2000. A Federação da Rússia permite a multiconfessão religiosa, daí haver uma grande variedade de religiões. Hoje em dia, com cerca de cinco mil associações religiosas, têm como predominante a Igreja Ortodoxa Russa. Os fiéis ortodoxos fazem parte da tradição cristã chamada Igreja Católica Apostólica Ortodoxa, mais conhecida como Igreja Ortodoxa e os seus fiéis Ortodoxos. Em segundo lugar vêm o Islão, com cerca de 8 mil mesquitas em toda federação. Especialistas afirmam que nas próximas duas ou três décadas a Rússia será mais um país de maioria muçulmana na europa.[29] Por fim, vêm outras religiões com menor representação como a Cristã católica (ex: a Igreja Católica Latina e a Igreja Greco-Católica Russa), os luteranos etc. Depois da queda da URSS, muitas igrejas foram devolvidas aos ortodoxos, incluindo o Mosteiro de São Daniel, no qual está actualmente a sede do patriarcado da Igreja Ortodoxa Russa.

y y

Igreja Rússia Ortodoxa: 15-20%, demais cristãos: 2%; Islão: 10-15%;[30]

Política
A Rússia é uma Democracia Federal, baseada num sistema de Estado de Direito sob a forma de República.[31] Os três poderes do Estado, Legislativo, Executivo e Judiciário são independentes uns dos outros. As decisões políticas são tomadas na Assembleia Federal Russa que é constituída por duas câmaras - a Duma e o Conselho Federal. A Duma (em russo , Gasudárstvienaia Duma) é o parlamento russo, com 450 deputados; qualquer cidadão com nacionalidade russa nativa ou adquirida e com mais de 21 anos pode ser eleito deputado desse parlamento. Todas as leis a serem aplicadas em toda a federação têm de ter aprovação com maioria absoluta na Duma.

Cultura
Em termos culturais (educação, literatura, teatro, cinema, etc.), a Rússia ultrapassa muitos países graças à grande quantidade de escritores, dramaturgos, cineastas, pintores entre outros. Sendo a Rússia o maior país do mundo, é de notar a grande variedade de obras literárias, peças teatrais, monumentos, peças musicais, etc. Destacam-se grandes compositores, escritores, dramaturgos, músicos entre outras personalidades ligadas à cultura.

Conflitos: A revolução de 1917
Apesar da Rússia, na época, ser um dos países mais poderosos do mundo em termos militares, apenas uma fina parte da população (os nobres) tinham boas condições de vida. Os camponeses eram terrivelmente pobres e trabalhavam de sol-a-sol os seus terrenos sem poder possuí-los. As sucessivas derrotas em várias guerras e batalhas durante a Primeira Guerra Mundial e o descontentamento geral da população fizeram com que a economia interna começasse a deteriorar-se. A instabilidade e a pobreza tiveram como consequência a Revolução Bolchevique. Esta revolução ocorreu em duas datas significativas, 1905 e 1917. A Revolta de 1905 é considerada como o marco inicial das mudanças sociais que culminaram com a Revolução de 1917. O desempenho desastroso das forças armadas russas na Guerra Russo-japonesa (1904 1905) intensificou essas contradições e precipitou os acontecimentos, sendo essa derrota considerada como causa imediata da Revolução de 1905, cujo estopim foi o episódio conhecido como "Domingo Sangrento". A impopularidade crescente de Nicolau II fez com que este fosse obrigado a convocar a Duma, na época, uma espécie rudimentar de legislativo. Estas medidas surtiram escasso efeito, visto que os partidos eram sistematicamente vigiados e a Duma era controlada pela aristocracia e pelo czar, que podia dissolvê-la a qualquer momento. Até 1905, o sistema político da Rússia czarista não possuía partidos políticos, com todo o poder concentrado nas mãos do imperador. Destaca-se que estas mudanças, embora significativas sob o ponto de vista político, não alteravam o quadro social da maior parte da população russa. Nesta ocasião, emergem com força os Sovietes e o Partido Operário Social-Democrata Russo (fundado em 1898), dividido entre Mencheviques (análogo a minoria em Russo )e Bolcheviques (análogo a maioria em Russo ) Este quadro político-social foi profundamente alterado pela deflagração da Primeira Guerra Mundial. A Revolução de Fevereiro de 1917 caracterizou a primeira fase da Revolução Russa de 1917. A consequência imediata foi a abdicação do Czar Nicolau II. Ela ocorreu como resultado da insatisfação popular com a autocracia czarista e com a participação negativa do país na Primeira Guerra Mundial.

Ela levou a transferência de poder do Czar para um regime republicano, surgido da aliança entre liberais e socialistas que pretendiam conduzir reformas políticas. As mudanças propostas pelos mencheviques (líderes da Revolução de Fevereiro) não modificaram o quadro social, pois o país continuava a sofrer forte perdas em função da participação na Guerra. A insatisfação social, aliada a atuação dos bolcheviques fez eclodir a Revolução de Outubro (Outubro no Calendário Juliano e Novembro no Calendário Gregoriano). O marco desta revolução foi a invasão do Palácio de Inverno (hoje o Museu do Hermitage) pelos revolucionários. A Revolução de Outubro foi liderada por Vladimir Lenin e se tornou a primeira revolução comunista marxista do século XX. A retirada da Rússia da Primeira Guerra Mundial, o desejo da volta do poder da então elite russa e o medo de que o ideário comunista propaga-se para a Europa e eventualmente para o mundo, fez eclodir a Guerra Civil Russa, que contou com a participação de diversas nações. O então primeiro-ministro francês, George Clemenceau, criou a expressão Cordão Sanitário, com o intuito de isolar a Rússia bolchevique do restante do mundo. O idealismo dos bolchevique propagado para a população mais pobre foi o fator decisivo para a vitória dos partidários de Lenin. Com a vitória bolchevique na Guerra Civil Russa, foi fundada, em 1922, a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->