Você está na página 1de 28

capítulo

7
Quantidades
nas transformações
qUlmlcas
~ .
ção ideal entre a quantidade das substâncias rea-
gentes no sentido de formar a maior quantidade pos-
Existe uma relação entre as sível de produtos?
quantidades de reagentes Nesta atividade, tentaremos responder a essas
questões, examinando alguns dados obtidos em um
para formar os produtos de experimento envolvendo a reação entre nitrato de
uma reação química? chumbo II [Pb(N03)2J e iodeto de potássio (KI).
O experimento foi escolhido para investigar
No estudo introdutório de reações qUlmlcas, essas questões porque a reação entre o Pb(N03h e
realizado no capítulo 6, pudemos verificar que a o KI forma um produto insolúvel em água, que se
massa conserva-se nas reações químicas. O fato de precipita na forma de um sólido amarelo. Se dei-
que a massa de um sistema reagente não aumenta xarmos o sistema em repouso, após adicionarmos
nem diminui em conseqüência da reação química os reagentes, o precipitado amarelo se deposita no
implica que a soma das massas dos reagentes é fundo do tubo. Se, após isso, medirmos, com o
igual à soma das massas dos produtos. Observamos auxílio de uma régua, a altura do precipitado for-
também que, para que esse princípio seja verifica- mado, teremos condições de comparar a quantida-
do em reações cujos produtos ou reagentes são de de produto formado quando se misturam diferen-
gasosos, a reação deve ser realizada em sistemas tes quantidades de reagentes. Para que possamos
fechados, de modo a impedir que os gases escapem efetuar essa comparação, usaremos soluções de ni-
do sistema para a atmosfera. trato de chumbo (II) e iodeto de potássio numa mes-
Naquela ocasião, no entanto, não discutimos se ma concentração (0,5 mol/L). Isso significa que,
há alguma relação entre as quantidades das subs- num mesmo volume dessas duas soluções, tem-se a
tâncias que reagem para formar os produtos. Na mesma quantidade de um e de outro reagente. Vol-
tentativa de descobrir essas relações, algumas per- taremos a discutir o significado dessa idéia de "mes-
guntas podem ser formuladas: Todos os reagentes ma quantidade" no texto 1, após realizarmos esta
se transformam em produtos? Há alguma propor- atividade.
Em seguida, me-
Estabelecendo a relação
diu-se a altura do pre-
eal entre as quantidades de nitrato
cipitado nos cinco tu-
e chumbo (11) e iodeto de potássio bos, usando uma ré-
ara a formação de iodeto de chumbo
) (precipitado amarelo) fu:
f!!!!!. Os resultados
ram anotados no qua- I

dro 7-1.
taterial
Em cinco tubos de ensaio numerados, coloca-
-; -se diferentes volumes de KI 0,5 moljL.

Figura 1-3: As alturas dos


precipitados foram medi-
das com uma régua.

=:=_ca 1-1: A foto mostra os tubos de ensaio com quanti-


-:es diferentes de KI. 1 O que6482468 fazer
10
10
1,0
0,8
2,5
0,5
Quadro43
25 1-1.

»>
que foi feito
Adicionou-se aos cinco tubos o volume de
_ção 0,5 moljL de nitrato de chumbo (II) indi-
_.: para cada tubo no quadro 7-1. Os tubos de
- ..:aio foram deixados em repouso, por no mínimo
. utos, até que o precipitado (ppt) estivesse [A1] Reproduza o quadro 7-1 em seu caderno e
-: sitado no fundo. acrescente mais uma coluna com o título:
relação iodeto/nitrato.
[A2] Utilizando os resultados obtidos para o experi-
mento registrados no quadro 7-1, preencha a
coluna relação iodeto/nitrato, dividindo os
volumes de cada tubo pelo menor valor. Por
exemplo, no tubo 1, dividindo-se 10 mL e
2 mL por 2 mL, encontra-se que a relação
iodeto/nitrato é 5/1 (lê-se 5 por 1).
[A3] Faça um gráfico, em papel milimetrado ou
quadriculado, da altura do precipitado obti-
do em centímetros (eixo das ordenadas) em
função da relação iodeto/nitrato (eixo das
-=_'a 1-2: Os cinco tubos contendo os precipitados. abscissas) .

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 153


Ou stõ e toes reLimInares
Baseando-se nos dados do quadro em seu Caso o sobrenadante reaja com o iodeto de
caderno e do gráfico construído, que relação potássio, que reagente está em excesso?
iodeto/nitrato possibilitou a formação da
Caso o sobrenadante reaja com o nitrato de
maior quantidade de precipitado amarelo?
chumbo (Ir), que reagente está em excesso?
O • Considerando a relação que você encontrou
a) Se nenhuma reação ocorrer, há algum rea-
em Q1 como a relação ideal entre os volumes
gente em excesso?
de iodeto de potássio e nitrato de chumbo
(Ir), em que tubos você avalia que exista: b) Nesse último caso, o que você pode con-
cluir sobre a proporção entre iodeto de
a) iodeto de potássio sem reagir (em exces-
potássio e nitrato de chumbo (Ir)?
so). Explique sua resposta.
Foram retiradas três gotas da solução sobre-
b) nitrato de chumbo (Ir) sem reagir (em ex-
cesso). Explique sua resposta. nadante de cada um dos cinco tubos do experimen-
to anterior, que foram colocadas, respectivamente,
em cinco tubos de ensaio etiquetados de 1 a 5, de
Verificando a existência de acordo com a numeração dos tubos da parte A.
excesso de reagentes Pingamos duas gotas de solução de nitrato de
chumbo (Ir) em cada um dos cinco tubos.
Para verificar a existência de excesso de rea-
gentes, retirou-se, com o auxílio de um conta-go- Registramos o que foi observado na coluna "~
com nitrato".
tas, algumas gotas da solução sobrenadante ma-
terial que fica acima do precipitado) de cada tubo Repetimos o procedimento descrito anterior-
para verificar se ela reagia com iodeto de potássio mente usando o outro conjunto de tubos numera-
e com nitrato de chumbo (Ir). dos. Duas gotas de solução de iodeto de potássio
foram colocadas em cada tubo de ensaio. O que fo:
observado está registrado na coluna "Teste com
iodeto".

• I
positivo
positivo
negativo
negativo
negativo
Quadro 7-2.
45
23 negativo

e!; S

a Qual foi a evidência de que ocorreu uma


reação química quando se misturou iodeto
de potássio e nitrato de chumbo (Ir)?
a . Compare suas respostas à questão Q2 da
parte A com os resultados obtidos na parte
B. Suas expectativas foram confirmadas pela
Figura 7-4: Retiramos o sobrenadante com um conta-gotas. experiência? Explique.

154 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


Tente escrever a equação para essa reação
química, levando em consideração a relação
ideal que você obteve entre os reagentes.
Considere que o precipitado amarelo é io-
deto de chumbo (lI) e que o outro produto
formado, nitrato de potássio, se encontra na
solução sobrenadante por ser solúvel em
água.

Na equação que você escreveu na questão


08, o número de átomos de cada elemento
químico é o mesmo nos reagentes e produ-
tos? Deveria ser? Por quê? Estamos discutindo, nessa atividade, a existên-
cia de uma relação entre as quantidades de
Reescreva (ser for ocaso) a equação quí- reagentes na formação dos produtos de uma reação
mica para a reação entre iodeto de potássio química. Observamos que as substâncias sempre
e nitrato de chumbo (lI), levando em con- mantêm a mesma proporção ao se combinarem.
sideração o que ~foi respondido na ques- Essa idéia foi sugeridá no final do século XVIII por
tão 09. um cientista fran-
cês, Joseph Louis
• É usual, ao escrever uma equação química, Proust 1754-1826),
indicar o estado físico dos reagentes e pro- e é conhecida co-
dutos, (s) quando no estado sólido, (l) quan- mo Lei das Propor-
do no estado líquido, (g) quando no estado ções Definidas ou
gasoso e (aq) quando em solução aquosa. Lei de Proust.
Considerando essa informação, reescreva a
equação química para a reação entre iodeto
de potássio e nitrato de chumbo (lI).
Figura 7-5: Joseph
Proust sugeriu, no
1 • Na equação obtida na questão 010, o que final do século XVIII,
indica que a relação ótima entre iodeto de a Lei das Proporções
Definidas.
potássio e nitrato de chumbo (lI) é a que
você encontrou na parte A?
Por meio dessa lei, Proust foi capaz de mostrar
que as substâncias não se combinavam numa va-
13. Nessa atividade, você descobriu que existe riedade infinita de proporções, como pensava, por
uma relação ideal entre as quantidades de exemplo, Lavoisier, mas apenas em proporções
iodeto de potássio e de nitrato de chumbo definidas por números inteiros. Usando essa idéia,
(lI) que reagem para formar iodeto de Proust foi capaz de propor uma definição para
chumbo (lI) e nitrato de potássio. Nos tubos compostos químicos "verdadeiros", de modo a dife-
nos quais essa relação ideal não foi obser- renciá-los de soluções e ligas metálicas. Segundo
vada, sempre existiu excesso de um ou de Proust, esses compostos verdadeiros teriam com-
outro reagente. posições definidas, independentemente da forma
a) Oual foi a relação ideal encontrada nesse como teriam sido preparados. Nas palavras de
experimento? Proust:
b) Se você usasse outros reagentes, encon-
traria alguma relação ideal? Ela seria a "... um composto é um produto privilegiado ao
mesma? Explique. qual a Natureza confere proporções fixas ...

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 155


Devemos reconhecer, portanto, ... que as carac- ocorre na equação (I). Para efetuar essa contagem,
terísticas de um composto verdadeiro são inva- você deve multiplicar cada átomo por seu índice,
riáveis como a proporção entre seus elementos ... " pelos índices que vêm depois do parêntese (quan-
(PROUST, J. L. J. de Phys., LXIII, 1806, 364 f. Citado em do for ocaso) e pelo coeficiente, que é o número
Partington, J. R. A Histary af Chemistry. London: MacMillan, 1964. que vem antes da fórmula. Observe que o coefi-
v. 3, p. 650.)
ciente ou índice é omitido quando seu valor é
igual a 1. Vejamos o exemplo dessa contagem no
Sabe-se, hoje, que nem todas as substâncias
quadro 7-3.
compostas seguem a Lei de Proust, pois existem
algumas para as quais as proporções entre os áto- II t· ,. I
mos podem variar. Para a maioria das substâncias
com as quais lidamos em nosso cotidiano e para Reagentes lx2=2 3x2=6 2x1=22x1=2

todas aquelas com as quais trabalharemos ao longo Produtos 2xl=2 2x3=6 2x1=21x2=2
do nosso curso, a Lei de Proust, no entanto, con-
tinua essencialmente válida e aplicável. Quadro 7-3: Conte os átomos nos reagentes e produtos nas
duas equações e verifique você mesmo essa igualdade.

A partir dessa observação, podemos concluir


que haveria um outro método, bem mais rápido,
para determinar a relação ideal para a reação entre
soluções de nitrato de chumbo e iodeto de potás-
sio de mesma concentração. Bastaria escrever a
Contando átomos, moléculas equação química e adicionar os coeficientes neces-
e íons sários para que o número de átomos nos reagentes
ficasse igual ao número de átomos nos produtos.
Na atividade 1, você trabalhou com dados de Os químicos chamam esse processo de balancea-
um experimento para veri!icar qual é a relação mento de equações químicas, o que significa di-
ideal entre os volumes das soluções de nitrato de zer que, após igualar o número de átomos nos rea-
chumbo II (Pb(N03h) e iodeto de potássio (K1) que gentes e produtos, a equação está de acordo com a
reagem para formar um sólido amarelo, iodeto de lei da conservação das massas, ou seja, encontra-
chumbo (Pb12) e um outro sal solúvel, nitrato de mos a mesma massa tanto nos reagentes quanto
potássio (KN03). Poderíamos representar essa nos produtos.
reação por meio de uma equação química: Observe que, para podermos comparar os vo-
lumes de cada solução na atividade 1 e con-
cluirmos que o dobro do volume de solução de io-
Como se observou na atividade 1, a proporção deto de potássio em relação à de nitrato de chum-
ótima na reação entre iodeto de potássio e nitrato bo significava o dobro da quantidade de iodeto de
de chumbo foi de 2/1. Como as soluções tinham a potássio em relação ao nitrato de chumbo, tivemos
mesma concentração, isso nos obriga a reescrever a que usar soluções de mesma concentração em mol
equação (I) colocando um coeficiente 2 na frente por litro.
do iodeto de potássio, para indicar essa relação. A
Se usássemos soluções com a mesma concen-
equação ficaria da seguinte forma: tração em gramas por litro poderíamos concluir a
Pb(N03h (aq) + 2KI(aq) - Pb12(s) + 2 KN03(aq) (lI) mesma coisa?
A resposta é não. Como os átomos que formam
V ~ as moléculas e íons têm massas diferentes, a
índíces coeficientes
mesma massa de duas substâncias diferentes quase
Se contarmos quantos átomos de cada tipo nunca corresponde ao mesmo número de átomos,
existem nos reagentes e nos produtos na equação moléculas ou íons. Com isso, surgem alguns pro-
(lI), encontraremos o mesmo número, o que não blemas para os químicos.

156 QUíMICA PARA o ENSINO MÉDIO


=.Jmo trabalhar com equações que representam Quando o mol é usado, as entidades elementares
: , moléculas e íons se parece ser muíto difi- têm que ser especificadas e podem ser átcmos,
_ ~ouco prático "contar" essas partículas? moléculas, íons, elétrons, outras partículas, ou
-abendo que é fácil pesar as substâncias, que grupos especificados dessas partículas." (Em LIDE,
:::2.0 poderia ser estabelecida entre massa e nú- D. R. (Ed.). Handbaak af Chemistry and Physics,
-. e átomos e moléculas? 75th edition, CRCPress, 1994.)
resposta a essas questões passa pelo estabe-
.n Para entendermos um pouco mais o que sig-
-ento de urna unidade que expressa a grandeza nifica essa unidade de medida e sua relação com a
tidade de matéria, conhecida corno moI. Ao massa das substâncias, vamos fazer urna analogia.
:: da história o homem percebeu a conveniência Imagine que você tenha que medir a quantidade de
- =stabelecer unidades que facilitassem a medida bolinhas de isopor que cabe em urna garrafa de
- :oisas. Essasunidades foram estabelecidas de for- refrigerante de 2 litros. Se você colocar bolinhas
:: ais ou menos arbitrária. Por exemplo, o siste- pequenas vai encontrar um número maior de boli-
:: :nglês de medida, ainda em uso na Inglaterra e nhas do que se optar por bolinhas com um diâ-
metro maior .
. : Estados Unidos, se baseou em partes do corpo
-':-""3. estabelecer medidas de comprimento. Fala-se
polegadas, pés, jardas, braças, etc.
Para medir a quantidade de coisas também
ram inventadas medidas corno a dúzia, o cento,
=--=. Essas medidas são usadas em feiras, mercados

::> permercados para vender ovos, laranjas, etc.

qgura 7-6: A dúzia é uma medida utilizada para medir, por


exemplo, a quantidade de ovos. Para o químico, a medida
l1ais utilizada é o mal.

A unidade de medida dos qUlmlcos, o mol, Figura 7-7: Na garrafa que contém bolinhas de diâmetro
também mede a quantidade d~ coisas, só que de menor temos um maior número de bolinhas.

coisas infinitamente pequenas, corno átomos, mo-


léculas, íons, elétrons, etc. A definição de mol, Podemos pensar o mesmo em relação aos áto-
estabelecida na 14' Conferência Geral de Pesos e mos, moléculas e íons. Emurna amostra de 1 grama
Medidas, realizada em 1971, é a seguinte: de moléculas de hidrogênio certamente há mais
"Mol é a quantidade de substância de um sis- moléculas do que em urna mesma massa de mo-
tema que contém tantas partículas elementares léculas de água, pois esta última pesa mais que a
quanto são os átomos em 0,012 kg de carbono-12. molécula de hidrogênio. Se quisermos comparar

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 157


"

quantidades iguais de átomos, moléculas ou íons, entre essas massas e a respectiva quantidade é co-
devemos estabelecer uma unidade que tenha a nhecida como massa molar; assim, a massa molar
mesma quantidade dessas partículas, mas em um do hidrogênio atômico é igual a aproximadamente
número suficientemente grande para que possamos 1,0 g/mol e a massa molar da água, a aproximada-
pesar essa quantidade. Essa unidade é chamada de mente 18,0 g/mol.
mol, e equivale a 6, 02 x 1023 partículas, sejam áto- Numa publicação de 1811, Avogadro assim se
~, moléculas, íons, elétrons, etc. A relação entre referia àquilo que mais tarde se tornaria conhecido
esse número e a respectiva quantidade é conhecida como "Hipótese de Avogadro" ou, ainda, "Lei de
Avogadro":
homenagem ao químico italiano Amedeo Avogadro
I como constante de Avogadro (6,02 x 1023/mol) em
(1776-1856), que, no início do século XIX, deu con-
"Tem que ser admitido que uma relação
tribuições importantes para o avanço da hipótese
muito simples também existe entre os volumes
atômica formulada por Dalton. Avogadro propôs uma
de substâncias gasosas e o número de molécu-
hipótese que sugeria a possibilidade de "contar" áto-
mos e moléculas. las simples ou compostas que as constituem. A
primeira hipótese a se apresentar em relação a -
isso, e aparentemente a única admissível, é a
suposição de que o número de moléculas inte-
grantes em qualquer gás é sempre o mesmo
para volumes iguais ou é sempre proporcional
ao volume."
(AVOGADRO, A. Citado em Partington, J.R. A Histaryaf
Chemistry. London: MacMillan, 1964. v. 4, p. 214.).

A possibilidade de contar átomos e moléculas


Figura7-8:Quantidades de diferentes substâncias que cor- foi concretizada quase cem anos depois. Em 1913.
respondem a 1 mal. Jean Perrin publicava um livro intitulado Les
Atomes, em que se referia a trinta maneiras dife-
Um mol é uma quantidade suficientemente
rentes de determinar a constante de Avogadro.
grande para que, por exemplo, essa quantidade de
átomos de hidrogênio, o mais leve de todos os áto- Não é fácil ter uma idéia de quão grande é
mos, pese aproximadamente 1,0 grama. Analo- número de partículas contidas em um mol e quã
gamente, a massa de 6,02 x 1023 moléculas de á- pequenas são, portanto, as partículas que ele enu-
gua é, aproximadamente, 18,0 gramas. A relação mera. Escrevê-lo na forma de potências de 10 é
conveniente, pois, se escrevêssemos na forma con-
vencional, esse número seria assim representado:
602 000 000 000 000 000 000 000 = 6,02 X 102~

São tantos zeros que é muito mais fáci:


escrevê-los na forma de potência de 10. Na ativ:-
dade 2, a seguir, vamos realizar alguns cálcul :
para ter uma idéia da dimensão desse número.

:;, o
." O ",
.
000
,
o. • <>

Q.
"
o o
o
•••. "" (.J
... "
Figura 7-9:Amedeo Avogadro, no o
início do século XVIII, propôs a
Hipót::lsede Avogadro.

158 QUÍMICA PARA o ENSINO I~ÉDIO


b) Quantas moléculas você seria capaz de ,zo',-
'z
'o
~
-oz.~
'::;:l
<I;
U<I;
, <I)
,<I;
Ir: "
Ir:
'<I;
dispor em 1 quilômetro? <I)
.~
::; .0Q
, ::o;
<I)
E:::<I)
'::O;
"

c) Considerando que a circunferência em


'I
torno da Terra, na linha do Equador, me-
,de aproximadamente 40 000 km, quantas
voltas seriam necessárias dar em torno da
?ara ter uma idéia do tamanho do número re-
Terra, no Equador, para dispor todas as
tado pela constante de Avogadro, vamos cal-
===... moléculas de água ao longo dessa linha?
=- quanto tempo demoraria para "contar" as
Se você calculou corretamente, terá encontra-
-- =-::ulasde água em um mol de água (18,0 g), o
do um número ainda muito grande de voltas (algo
:.-= equivale, aproximadamente, ao volume de
em torno de 1,5 milhão) em torno da Terra.
:-=.: colheres das de sopa.
Apesar de representar um número de dimen-
sões difícil de imaginar, a unidade de quantidade
Supondo que você conte 1 molécula por se- de matéria - o moI - é uma unidade extremamente
gundo, calcule: útil nos cálculos químicos. Como veremos nas ativi-
a) Quantas moléculas você contaria em uma dades seguintes, o uso de quantidades expressas
hora? em mol e de concentrações expressas em moljL
b) Quantas moléculas você contaria em um permitirá a simplificação dos cálculos envolvendo
dia? quantidades de produtos e reagentes nas reações
c) Quantas moléculas você contaria em um químicas.
ano?
d) Quantos anos você demoraria para contar
as 6,02 x 1023 moléculas existentes em
1 mol (18,0 g) de água?

Se você calculou corretamente, terá encontra-


io um número que ainda não faz sentido, algo
:omo 19 quatrilhões de anos. Ou seja, se você "ti- Relacionando quantidade de
cesse começado a contar" quando o planeta Terra matéria e massa dos materiais
:ê formou, há cerca de 4,6 bilhões de anos, estaria
. nge, mas muito longe mesmo, de terminar essa Nesta atividade vamos usar a grandeza quanti-
: ntagem. dade de matéria, expressa por meio de sua
unidade, o mol, para estudar as relações entre
quantidade de matéria e massa. Como não podemos
AS] Suponha que você fosse capaz de dispor es- contar átomqs, moléculas e íons, não precisamos
sas moléculas lado a lado ao longo de uma li- nos preocupar com o número 6,02 x 1023, o nú-
nha. Considere que cada molécula de água mero de partículas (átomos, moléculas, íons, etc.)
seja uma esfera de aproximadamente 10-10 em 1 mol. Você teve oportunidade de conhecer e
metros de diâmetro (isso é uma aproximação imaginar o que significa um número dessa dimen-
para facilitar os cálculos. Uma molécula de são na atividade 2 e no texto 1. O fundamental,
água não é esférica e é ligeiramente maior, já porém, é que nos lembremos unicamente de que
que cada ligação O-H mede, aproximada- um mol de qualquer substância tem sempre a mes-
mente, 0,96 x 10-10 metros, para uma mo- ma quantidade de átomos, moléculas ou íons dessa
lécula de água no estado gasoso). A partir substância, seja ela água, cloreto de sódio, ácido
desse dado, calcule e responda: clorídrico, etc.
a) Quantas moléculas você seria capaz de É muito fácil saber qual é a massa, em gramas,
dispor em 1 metro? de um mol de qualquer átomo, pois basta consul-

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO >


tar a tabela periódica moderna. Como, nas tabelas de que o número de moléculas integrantes em
periódicas modernas, as massas atômicas relativas qualquer gás é sempre o mesmo para volumes
(números puros) são expressas em relação ao isó- iguais ou é sempre proporcional ao volume.
topo de carbono-12, a massa de um mol de átomos (Citado em Partington, J.R. (1964) A histary af Chemistry.
(massa molar) equivale ao mesmo número, em gra- Volume 4. london: Macmillan, p. 214.)

mas por mol. Por exemplo, as massas atômicas re-


lativas do hidrogênio e do oxigênio são aproxi-
Essa hipótese viria a ser comprovada mais tardE
madamente 1,0 e 16,0, respectivamente; portanto,
e permitiu a definição da grandeza Volume molar
as massas molares do hidrogênio atômico e do
válida para gases:
oxigênio atômico são aproximadamente 1,0 g/mol
e 16,0 g/mol, respectivamente. A partir desses
valores, podemos calcular as massas molares de Um mol de qualquer gás sempre ocupa, nas
diferentes moléculas, ou seja, a massa de um mol
mesmo volume.
de substâncias simples ou compostas, expressa em
'---------
mesmas condições de temperatura e pressão, o

·1
gramas por mol. Basta multiplicar os índices que
aparecem na fórmula da substância pelas massas Definindo as Condições Normais de Tempe-
molares dos átomos e somar todas essas massas
ratura e Pressão (CNTP) como a temperatura de O0,
obtidas.
e a pressão de 1 atm, o volume molar dos gases é
Tomemos um exemplo muito simples, a água, cuja igual a 22,4 dm3/mol. Corno 1 dm3 = 1 litro (L),
fórmula molecular é H20. Se você consultar a tabela podemos dizer que, nas CNTP,um mol de gás OCUp2
periódica, encontrará as massas atômicas relativas do um volume de 22,4 L. Essa quantidade correspo:--
hidrogênio igual a 1,0 e do oxigênio igual a 16,0. de, aproximadamente, ao volume de 11 garrc.:i.
Como o índice do hidrogênio é 2 na fórmula da PET (de refrigerante) de 2 L ou a um cubo de 28,2 -
de aresta.
água, para calcular a massa molar da água multi-
plicamos 1,0 g/mol por 2 e somamos a massa molar A grandeza Volume molar permite que sei~
do oxigênio, 16,0 g/mol, que é multiplicada por 1, realizados cálculos estequiométricos relaciona:--
índice (omitido) do oxigênio na fórmula da água. quantidade de matéria (em mol) e volume' "
Assim, a massa molar da água é: massa-volume. Nunca é demais lembrar que 0:"
volume se aplica somente aos gases. Isso porquê :.
Massa molar da água = (2 x 1,0 g/mol) +
mo léculas num gás ideal permanecem iso lai.:..:.
16,0 g/mol = 18,0 g/mol
como moléculas individuais. É por isso também ':.
Ou seja, 1 mol de moléculas de água tem a muitos gases reais vão exibir uma pequena c::-
massa de 18,0 gramas. rença em relação a esse comportamento iu=:....
exibindo valores ligeiramente diferentes pc::.
Volume Molar dos Gases entre outros, o volume molar.
Para definir o volume molar, vamos retomar as Usando volumes de recipientes conheci-
palavras que Avogadro usou para se referir àquilo (por exemplo, as garrafas de refrigerante PET -=.-
que mais tarde se tornaria conhecido como "Hipó- volume de dois litros), estime o que significa, =-
tese de Avogadro" ou ainda "Lei de Avogadro": termos reais, o volume molar de um gás nas QI_-
Considerando que você fosse contruir um cr.::r
Tem que ser admitido que uma relação muito de 22,4 L, calcule quanto mede urna aresta dõ.:'Õ
cubo.
simples também existe entre os volumes de subs-I
tâncias gasosas e o número de moléculas simples
ou compostas que as constituem. A primeira
hipótese a se apresentar em relação a isso, e
aparentermente a única admissível, é a suposição

160 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


rcicios E7. A massa de 40,0 mols de uma substância é
1200,0 g.
_-ando os valores de massa atômica dos ele-
a) Calcule sua massa molar.
-entos que estão na tabela periódica, de- b) Sabendo que 1 mol dessa substância con-
::rmine as massas molares das seguintes tém 6,0 9 de átomos de hidrogênio e que
illbstâncias:
ô outro elemento presente é o carbono,
_ Nitrato de prata - AgN03 qual é sua fórmula molecular?
- Cloreto de bário - BaClz
:: Cloreto de sódio - NaCl E8. O óxido nitroso (NzO), um dos primeiros
compostos gasosos a ser isolado e identifi-
:) Carbonato de sódio - NaZC03
cado, foi o primeiro anestésico sintético a
e) Nitrato de chumbo II - Pb(N03)z
ser descoberto, sendo conhecido como gás
que significa dizer que a massa molar do hilariante em razão da euforia leve que
'odo atômico é aproximadamente 127 g/mol? causa quando inalado em baixas concentra-
Qual é a massa de meio mol de nitrato de ções. Em relação ao óxido nitroso, responda:
potássio (KN03)? a) Qual é sua massa molar?
b) Se fosse possível realizar um experimen-
Critique a afirmação: "Se a massa molar de
to envolvendo a decomposição dessa subs-
um elemento X é duas vezes maior que a
tância, poderíamos obter dois gases: o ni-
mas-sa molar do elemento Y, um mol de áto-
trogênio (Nz) e o oxigênio (Oz). O que
mos de Y contém duas vezes a quantidade de
você poderia dizer em relação ao volume
matéria presente em um mol de átomos de X".
desses dois gases que seriam formados?
Qual é a quantidade de matéria, em mol, Justifique sua resposta.
contida em 25,5 9 de amônia - NH3?
Qual é a quantidade de matéria, em mol, de
íons (cátions e ânions) que está contida em
2 mols de brometo de cálcio (CaBrz)?

Questões de exames vestibulares


1 (UFMG-97) Em um creme dental, encontra- 015. (UFMG-97) Um bom método para a
se um teor de flúor de 1,9 mg desse elemen- preparação controlada de oxigênio
to por grama de dentifrício. O flúor adiciona- muito puro é a decomposição térmica
do está contido no composto monofluor- de permanganato de potássio sob
fosfato de sódio NaZP03F (massa molar: vácuo. Essa reação pode ser represen-
144 g/mol). A quantidade de NaZP03F uti- tada pela equação
lizada na preparação de 100 9 de creme 2 KMn04(s) ....•KZMn04 (s) + MnOz(s) + Oz(g).
dental é:
Com relação à decomposição completa de
a) 0,144 g. 2 mols de permanganato de potássio, é
b) 0,190 g. incorreto afirmar que:
c) 1,44 g. a) a massa de KMn04 (s) decomposta é
d) 1,90 g. 316,0 g.

QUíMICA PARA o ENSINO MÉDIO 161


>- .~

b) a massa total dos produtos sóli~os é (UFPB-2000) A cafeína, um estimulante


300,0 g. bastante comum encontrado no café, chá,
c) a quantidade de O2(g) produzida é 1 mol. guaraná, etc., tem fórmula molecular
d) as quantidades, em mol, de cada um CSHlON402. Portanto, é correto afirmar
dos produtos são iguais. que 582 g de cafeína contêm:

(UFMG-99) O gráfico descreve a variação a) 10 x 6, O x 1023 átomos de hidrogênio.

de massa observada quando 84 mg de bicar- b) 32 g de oxigênio.


bonato de sódio, NaHC03(s), são submeti- c) 1,44 X 1025 átomos de carbono.
dos a aquecimento. A diminuição de massa d) 12 átomos de nitrogênio.
deve-se à perda dos produtos gasosos. e) 3 moléculas de cafeína.
Considerando o gráfico, assinale a alter-
(UFPB-98) Um comprimido de aspmna
nativa que apresenta uma reação compa-
contém 120 mg de ácido acetilsalicílico
tível com a variação de massa observada.
C9HS04• O número de moléculas do ácido
gj
'0
54 contidas em um comprimido de aspirina
c
1Ii-Ol
'ctl é:
.o
::l "'"
<fi-
<fi <fi a)4,0 x 102~
~~ 53 .---------------------------,
ctl '0 b)4,0 x 101~
<fi <fi
<fi
ctl
25 400
::;: ~6,0 X 102~
Temperatura ('C)
d)7,2 x 1023.
Exercício Q16. e)4,0 x 102~
a) NaHC03 (s) - NaH (s) + CO2 (g) +
(UFSCAR-2000) Durante uma aula de la-
1/2 O2 (g)
boratório, um estudante queimou ao ar
b) NaHC03(s) -1/2 Na2C03(s) + 1/2 C02(g) +
diferentes massas iniciais (mi) de espon-
1/2 H20 (g)
ja de ferro. Ao final de cada experimento,
c) NaHC03 (s) - NaOH (s) + CO2(g) determinou também a massa final resul-
d) NaHC03(s) -1/2 Na20 (s) + 1/2 H20 (g) + tante (mf)' Os resultados obtidos estão
CO2 (g) reunidos na tabela a seguir.

(UFV) O gás de cozinha é formado princi-


palmente pelos gases butano e propano. A
reação que ocorre no queimador do fogão 0,980 1,18 1,204
é a combustão desses gases. A equação a
2 0,830 1,00 1,205
seguir representa a combustão do butano.
2 C4H10 + 13 O2 - 8 CO2 + 10 H20 3 1,05 1,26 1,200

A massa de água que pode ser obtida a 4 1,11 1,34 1,207

partir da mistura de 10 g de butano com


Questão Q20.
10 g de oxigênio é:
a) 20 g. d) 15,5 g. Admitindo que em todos os experimentos

b) 3,1 g. e) 10 g. a queima foi completa, o estudante fez as


três afirmações seguintes:
c) 4,3 g.

162 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


:> ;>.
b) a massa total dos produtos sóliq.os é (UFPB-2000) A cafeína, um estimulante
300,0 g. bastante comum encontrado no café, chá,
c) a quantidade de O2(g) produzida é 1 mol. guaraná, etc., tem fórmula molecular
d) as quantidades, em mol, de cada um CSH10N402' Portanto, é correto afirmar
dos produtos são iguais. que 582 9 de cafeína contêm:

(UFMG-99) O gráfico descreve a variação a) 10 x 6, O x 1023 átomos de hidrogênio.

de massa observada quando 84 mg de bicar- b) 32 9 de oxigênio.


bonato de sódio, NaHC03(s), são submeti- c) 1,44 x 1025 átomos de carbono.
dos a aquecimento. A diminuição de massa d) 12 átomos de nitrogênio.
deve-se à perda dos produtos gasosos. e) 3 moléculas de cafeína.
Considerando o gráfico, assinale a alter-
(UFPB-98) Um comprimido de aspmna
nativa que apresenta uma reação compa-
contém 120 mg de ácido acetilsalicílico
tível com a variação de massa observada.
C9HS04. O número de moléculas do ácido
Vl
'"
'13
54 contidas em um comprimido de aspirina
<::

üí-
<'" é:
.o'"
:o2S
Vl
Vl
Vl
'"
"'-o:.= a) 4, O x 1023•
"O
'" -o 53 ---------------------------
(J)
(J)
(J) b) 4, O x 101S•
'" 400
25
::e c) 6, O X 1023•
Temperatura ('C)
d) 7,2 x 1023•
Exercício Q16. e) 4, O x 1020•

a) NaHC03 (s) - NaH (s) + CO2 (g) +


(UFSCAR-2000) Durante uma aula de la-
1/2 O2 (g)
boratório, um estudante queimou ao ar
b) NaHC03(s) -1/2 Na2C03(s) + 1/2 C02(g) +
diferentes massas iniciais (rni) de espon-
1/2 H20 (g) ja de ferro. Ao final de cada experimento,
c) NaHC03 (s) - NaOH (s) + CO2(g) determinou também a massa final resul-
d) NaHC03(s) -1/2 Na20 (s) + 1/2 H20 (g) + tante (rnf). Os resultados obtidos estão
CO2 (g) reunidos na tabela a seguir.

(UFV) O gás de cozinha é formado princi- ,;


palmente pelos gases butano e propano. A
reação que ocorre no queimado r do fogão
0,980 1,18 1,204
é a combustão desses gases. A equação a
2 0,830 1,00 1,205
seguir representa a combustão do butano.

2 C4H10+ 13 O2 - 8 CO2+ 10 H20 3 1.05 1,26 1,200

A massa de água que pode ser obtida a 4 1,11 1,34 1,207

partir da mistura de 10 9 de butano com


Questão Q20.
10 9 de oxigênio é:
a) 20 g. d) 15,5 g. Admitindo que em todos os experimentos

b) 3,1 g. e) 10 g. a queima foi completa, o estudante fez as


três afirmações seguintes:
c) 4,3 g.

/~
162\ QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO
:. A Lei da Conservação da Massa não foi uma apreciável concentração de subs-
obedecida, pois a massa final encontrada tâncias ácidas? Justifique.
para o sistema em cada experimento é b) Que cor apresentará o indicador se
sempre maior que sua massa inicial. misturarmos os reagentes do experi-
=. O aumento de massa ocorrido em cada mento 1 com os reagentes do experi-
experimento se deve à transformação de mento 3? Justifique.
energia em massa, tendo se verificado a
Q2 (Unicamp-98) Nas salinas, o cloreto de
conservação da soma (massa + energia)
sódio é obtido pela evaporação da água
do sistema.
do mar a 30°C, aproximadamente.
=. A relação constante obtida entre a massa a) Um volume de água do mar é evapora-
final e a massa inicial do sistema (rnf/rni)' do até o aparecimento de NaCl sólido.
em cada experimento realizado, permite Qual é a concentração de NaCl na solu-
afirmar que, dentro do erro experimental, ção resultante? Justifique a resposta.
os dados obtidos estão de acordo com a Lei b) Que volume de água do mar deve ser
das Proporções Definidas. evaporado completamente para a pro-
Dentre as afirmações apresentadas, o estu- dução de 1,00 kg de NaCl sólido?
dante acertou: At.enção: Nem todos os dados fornecidos a
a) apenas I. seguir serão utilizados para resolver os i-
b) apenas 11. tens a e b. Dados: A massa molar da água
c) apenas m. é igual a 18,0 g/mol; massa molar do NaCl
d) apenas 1 e lI. é igual a 58,4 g/mol; a solubilidade do NaCl
e) 1, II e m. em água, a 30°C, é igual a 6,16 mol/L,
o que corresponde a 360 g/L; a concen-
(Unicamp-98) Indicadores são substân-
tração do NaCl na água do mar é igual a
cias que apresentam a propriedade de
0,43 mol/L, o que corresponde a 25 g/L; a
mudar de cor em função da acidez ou basi-
densidade da água do mar a 30°C é igual a
cidade do meio em que se encontram. Em
1,03 g/cm3; a densidade da água pura a
três experimentos diferentes, misturou-se
30°C é igual a 0,9956 g/cm3.
uma solução aquosa de HCl com uma
solução aquosa de NaOH. As soluções de Q2 (UFMG-99) A queima do enxofre produz
ambos os reagentes apresentavam a mesma um dos seus óxidos, S02 (g) ou S03 (g). A
concentração em mol/L. Após a mistura identificação de qual dos dois é, real-
acrescentou-se um determinado indicador, mente, produzido pode ser realizada
obtendo-se os seguintes resultados: reagindo esse gás com Ba(OH)2 (aq). As
reações de cada um dos gases, S02 (g) ou
~~.+23+2azul
mL de
mL
verde '.ll'
de HCI
NaOH
NaOH
HCI S03 (g), com essa base levam à formação
I,;f
de um sal, diferente em cada caso, que se
precipita.
="agentes
a) Escreva a equação balanceada da rea-
- -. do indicador ção entre S02 e Ba(OHh.
b) Escreva a equação balanceada da rea-
a) Considerando esses três experimentos, ção entre S03 e Ba(OH)2'
que cor esse indicador apresentará em c) O gás formado na queima de 3,2 g de
contato com o suco de limão, que possui enxofre, ao reagir com excesso de

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 163 ::o-

.-/
Ba(OHh (aq), produziu 21,7 g de um b) Quantos átomos de oxigênio estão pre-
sal, que se precipitou. Calcule as mas- sentes na amostra recolhida?
sas dos dois sais que seriam produzi-
dos a partir dessa massa de enxofre, 026. (UFRJ-98) ° cálcio é um elemento que

caso fosse formado S02 (g) ou S03 (g). está presente em organismos vivos sob a

d) Indique qual é o gás produzido. (Dei- forma de diversos compostos. Os ossos e


xe seus cálculos registrados, de modo a os dentes, por exemplo, contêm sais de
explicitar seu raciocínio.) cáÍcio, tais como fosfato de cálcio e a hi-
droxiapatita; as conchas de animais ma-
024. (UFMG-98) Um dos causadores da chuva rinhos contêm carbonato de cálcio.
ácida é o dióxido de enxofre, S02 (g). Na
atmosfera, o dióxido de enxofre é conver-
a) ° carbonato de cálcio pode ser obtido
através de uma reação de neutraliza-
tido em trióxido de enxofre, S03 (g), numa
ção como a esquematizada a seguir:
reação lenta, mas catalisada por partícu-
ácido + base --'.> CaC03 + 2 H20
°
las sólidas em suspensão no ar. trióxido
Calcule a massa de carbonato de cálcio
de enxofre reage rapidamente com a água
formada quando 12,4 g do ácido são con-
presente na atmosfera, transformando-se
sumidos.
em ácido sulfúrico, H2S04 (aq). Uma alter-
nativa econômica para a diminuição do b) A hidroxiapatita (hidroxifosfato de cál-
dióxido de enxofre lançado à atmosfera é cio) tem a seguinte fórmula química:
o tratamento das emissões das chaminés Cax(P04hOH
com uma pasta úmida de calcário, CaC03(s), Determine x.
em presença de um oxidante.
027. (UFRJ-98) ° gráfico a seguir apresenta a
a) Escreva a equação balanceada para a
variação do número de mols de átomos
reação entre dióxido de enxofre, gás
(átomos-grama) dos três elementos qui-
oxigênio e calcário, a qual produz sul-
fato de cálcio e dióxido de carbono. micos que compõem um certo sal, com o
número de mols desse sal. Cada reta se
b) Considerando a equação obtida em (a),
refere a um elemento quimico: alumínio,
calcule quantas toneladas de CaC03(s)
ametal desconhecido e oxigênio.
seriam necessárias para reagir com 640
toneladas de S02 (g). Deixe seus cálcu-
número de
los registrados, de modo a explicitar o mais
seu raciocínio. de átomos
27
025. (UFRJ-96) Os motores a diesel lançam na I
atmosfera diversos gases, entre eles o a- I

nidrido sulfuroso e o monóxido de carbo-


no. Uma amostra dos gases emitidos por ametal
um motor a diesel foi recolhida; obser- I
vou-se que ela continha 0,1 mol de ani-
drido sulfuroso e 0,5 mol de monóxido de
carbono. •
I número de
a) Determine a massa, em gramas, de mo-
nóxido de carbono contido nessa amos- l
I
_ mais do sal

tra. Questão Q27.

164 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


a) Escreva o nome do sal que está repre-
sentado por esse gráfico, sabendo que
sua massa molar é de 294 g/mol.
b) Calcule a massa de alumínio, em gra-
mas, presente em 5 mols desse sal.

(UFOP-2001) ° esmalte dos dentes con-


b) Considere que, numa parte côncava de
uma estátua de mármore, acumularam-
se 2 litros de água de chuva ácida de pH
igual a 5,0. Calcule a quantidade de
H+ (aq), em mo1, presente nesse volume
de água. (Deixe seus cálculos registra-
dos, explicitando, assim, seu raciocínio.)

tém o mineral hidroxiapatita, um hidro-
c) Suponha que o H+ (aq) presente na á-
xifosfato de cálcio. As bactérias ali resi-
gua de chuva ácida seja fornecido pela
dentes metabolizam o açúcar que, ao ser
dissolução completa de H2S04 (aq).
transformado em ácido lático, cria um pH
Calcule a quantidade de H2S04, em mo1,
abaixo de 5 na superfície dos dentes. Isso
responsável pela formação de H+ (aq)
facilita o ataque pelo ácido resultando na
determinada em (b). (Deixe seus cálcu-
cárie dentária. A reação de dissolução
los registrados, explicitando, assim, seu
desse mineral é:
raciocínio. )
CalO(P04)6(OHh + H+ -+ Ca2+ + H2 PO: + H20 d) Calcule a massa de carbonato de cálcio,
a) Determine a soma dos coeficientes em gramas, que reagirá completamen-
estequiométricos da reação balanceada. te com a quantidade de H2S04 calculada
b) Admitindo-se que são produzidos 10 mg em (c). (Deixe seus cálculos registrados,
de íons cálcio, determine a massa de hi- explicitando, assim, seu raciocínio.)
droxiapatita perdida pelo dente.
031. (UFSCAR-2000) Um homem exala cerca de
029. (UFOP-2001) Quando uma cebola é corta- 25 mols de dióxido de carbono por dia em
da, ocorre desprendimento de S02 que, sua respiração. °acúmulo de dióxido de
exposto ao ar, se oxida a S03' Esse gás
carbono em recintos fechados pode tornar
reage com a umidade dos olhos formando
impossível a sobrevivência de seres vivos,
ácido sulfúrico, causando-Ihes ardor e la- tornando-se necessário controlar seu nível
crimejamento.
no ambiente. Durante a primeira viagem de
a) Escreva as reações químicas envolvi- balão sem escala ao redor da Terra, realiza-
das nesse processo. da em 1999, o nível de dióxido de carbono
b) Admitindo-se que 100 g de cebola produ-
na cabina do balão foi controlado pelo uso
zam 9,8 mg de ácido sulfúrico, determine
de hidróxido de lítio sólido. No processo,
a porcentagem de enxofre na cebola.
ocorre reação entre o hidróxido de lítio e o
030. (UFMG-2000) A chuva ácida, resultante da dióxido de carbono, formando carbonato
combinação de óxidos - por exemplo, os de de lítio sólido e água como produtos.
enxofre - com a água presente na atmos- a) Escreva a equação balanceada da rea-
fera, é, na atualidade, um dos grandes ção entre hidróxido de lítio e dióxido
problemas de poluição ambiental. Um de de carbono.
seus efeitos danosos consiste na corrosão b) Calcule a massa de hidróxido de lítio
de monumentos de mármore, material cons- (massa molar = 24 g/mol), necessária
tituído, essencialmente, de CaC03. Nessa para reagir com todo o dióxido de car-
corrosão, ocorre a liberação de um gás. bono exalado na respiração de um ho-
a) Escreva a equação balanceada da reação mem durante um dia. Suponha que a
do ácido sulfúrico com o carbonato de reação de absorção do dióxido de car-
cálcio. bono ocorra com 100% de rendimento.

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 165


capítulo

Introdução às
transformações
.~,
q Imlcas
.
o s materiais podem sofrer várias
transforma ões que têm sido usadas pelo
homem, ao longo de sua história, para produzir
novos materiais, conservar alimentos, obter ener-
gia, combater doenças para melhorar a qualidade
e aumentar a expectativa de vida da espécie
humana.

Figura 6·2: O pintor Debret retratou como o fogo foi um


instrumento importante para os povos indígenas, para
realizar transformações nas substâncias.

Na história da humanidade, a construção


dos primeiros instrumentos e ferramentas envol-
veu a transformação de pedaços de rochas err
objetos para uso cotidiano. O uso do fogo teve
Figura 6-1: Os materiais sofrem transformações, como o provavelmente, um grande impacto no modo o;õ
alumínio, que é resultado da transformação da bauxita. vida dos povos primitivos.
--------------
Inicialmente usado para cozinhar os ali-
mentos e proteger do frio, tornou-se, com o pas-
sar dos tempos, um importante instrumento de
-ransformação da natureza. As tribos que soubes-
sem obtê-Io e usá-Io certamente teriam vantagem
sobre outros grupos. Com o uso do fogo, o ho-
mem chegou à obtenção de metais, o que permi-
+iu a fabricação de objetos resistentes e duráveis,
como ferramentas, armas e utensílios domésticos.
Além da obtenção de utensílios, outras
ransformações são conhecidas há muitos sécu-
os, como aquelas envolvidas na fabricação de
bebidas, na conservação de alimentos, na extra-
ção de corantes vegetais no tratamento de peles
de animais, etc.

Figura 6-4: A queima do papel é acompanhada de evidên-


cias de que o fenômeno da combustão está ocorrendo.

Neste capítulo, estudaremos alguns aspectos


das transformações químicas, começando por dis-
cutir como reconhecê-Ias por meio de evidências.

Figura 6-3: A extração de corantes vegetais envolve trans-


formações.

Apesar de saber transformar todos esses


materiais, apenas recentemente o homem conse-
guiu formular explicações gerais que permitiram
sistematizar o conhecimento sobre essastransfor-
mações, de modo a organizá-Ias em algumas clas-
Como reconhecer uma
ses de fenômenos. Assim, a queima de materiais transformação química?
combustíveis, a obtenção de metais e a produção
de bebidas, inicialmente consideradas como fenô- Nesta atividade, vamos discutir alguns fenô-
menos diversos, constituem, atualmente, uma úni- menos, com o objetivo de analisar as caracteristi-
ca classede transformações: as reações químicas. cas dos materiais antes e depois da transformação
Pode-se reconhecer uma transformação que sofreram, de modo a evidenciar a ocorrência ou
por meio de suas evidências macroscópicas, que não de reações químicas.
normalmente são algum tipo de alteração que Vamos trabalhar com algumas reações quími-
ocorre no material e que, muitas vezes, nos indi- cas, caracterizando o sistema inicial - antes da
ca que está havendo transformação. Assim, transformação - e o sistema final - depois da
quando queimamos um pedaço de papel, temos transformação. Esta atividade tem a finalidade de
uma série de evidências de que o fenômeno da reconhecer que evidências permitem dizer que
combustão está ocorrendo: a chama, a produção uma reação química ocorreu. Procuramos eviden-
de cinzas, a liberação de fumaça, etc. ciar a produção de novos materiais.

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 133


__ A reação entre ácido 03. Há alguma evidência de que ocorreu uma
clorídrico e zinco transformação?
04. Você seria capaz de identificar que novas
substâncias foram formadas?
Material
05. Se você determinasse a massa (mi) do sis-
,.-", Um tubo de ensaio, pedaços de zinco (peque-
tema inicial (solução de ácido clorídrico e
~~ nos) e ácido clorídrico (Cuidado ao manipular o
zinco separados) e a massa (mf) do sistema
___iõ' ácido clorídrico, pois ele é corrosivo. Não res-
--..l. final, depois que a transformação se com-
pire os vapores. No caso de contato com a pele, pletou, você acha que mi seria maior, menor
lave com água em abundância). ou igual a mf? Justifique.
Qó, Se a reação tivesse se passado em um sis-
tema fechado, por exemplo, num tubo de
ensaio fechado com uma rolha, sua respos-
ta ao item Q5 seria a mesma? Justifique.
i~

A queima de uma fita de

magnésio I \\11(\ '- \\1\[10


()""- (''o) __ C-\ ~-) "
Material
Lamparina, fita de magnésio e garra de ma-
deira.

HCI Zn

Figura 6-5: Solução de ácido clorídrico e pedaços de zin-


co. Cuidado ao manipular o ácido clorídrico, pois ele é cor-
rosivo. Não respire seus vapores!

»> O que fazer


[A1] Adicione a solução de ácido clorídrico, em
uma concentração de 1 mol/L, até a altura
de 1/3 de um tubo de ensaio.
[A2] Coloque, no tubo com ácido clorídrico, um
pedaço de zinco.
Figura 6-6: Fita de magnésio.

» Questões
»> O que fazer
o 1. Descreva as características macroscópicas do [A3} Segure uma fita de magnésio com uma garra
sistema inicial (solução de ácido clorídrico e e aproxime-a da chama de uma lamparina
pedaço de zinco separados) antes da imer- seguindo as orientações de precaução. Nesse
são do zinco na solução. procedimento, você deve tomar muito cui-
02. Descreva as características macroscópicas do dado: procure utilizar o material de prote-
sistema quando você adicionou o zinco à ção adequado para realizá-lo. Se possível,
solução de ácido clorídrico. use luvas e óculos de proteção.

134 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


...•> .>

___ A reação entre soluções de


ácido clorídrico e hidróxido de sódio
na presença de fenolftaleína

Material
Solução de hidróxido de sódio 5 mol/L, solu-
ção alcoólica de fenolftaleína, solução de ácido
clorídrico 5 mol/L e um tubo de ensaio.
I

HCI NaOH

Figura 6-8: Soluções de ácido clorídrico e hidróxido de


só dia.

» Ouesto
HCI NaOH fenolftale -

o1 Descrevaas características do sistema inicial


Figura 6-9: Soluções de ácido' clorídrico e de hidróxido de
(solução de ácido clorídrico e solução de sódio e fenolftaleína.
hidróxido de sódio) antes da transformação.

02 Descreva as características do sistema após


a adição da solução de ácido clorídrico à
»> O que fazer
solução de hidróxido de sódio.
AS Coloque a solução de hidróxido de sódio ::

02 Há alguma evidência de que está ocorrendo


mol/L até 1/4 do tubo de ensaio.
uma transformação? A9 Adicione, ao mesmo tubo, 2 gotas de solu-
ção alcoólica de fenolftaleína.
02 Você seria capaz de identificar que novas
substâncias foram formadas? AIO Em seguida, adicione solução de ácido clorí-
drico 5 mol/L ao mesmo tubo, até dobrar -
Se você determinasse a massa (mü do siste- volume da solução.
ma inicial (solução de hidróxido de sódio e
solução de ácido clorídrico separados) com a
massa (mf) do sistema final, depois que a
transformação se completou, você acha que
mi seria maior, menor ou igual a mf? Justi-
fique.

Q} Se a reação tivesse se passado em um sis-


tema fechado, por exemplo, num tubo de
ensaio fechado com uma rolha, sua respos-
ta ao item Q23 seria a mesma? Justifique .

••• :> 136 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


» Ouestões A existência de uma evidência garante que
houve produção de novos materiais numa transfor-
025. Descreva as características do sistema inicial
mação qualquer?
(solução de hidróxido de sódio, solução de
Poderiam ocorrer reações sem uma modificação
feno lftaleína e solução de ácido clorídrico) observável no sistema?
antes da transformação.
026. Descreva as características do sistema quan-
do você adicionou gotas da solução de ~nolf-
taleína à solução de hidróxido de sódio.
027. Há alguma evidência de que está ocorrendo
uma transformação?
028. Você seria capaz de identificar que novas
substâncias foram formadas?

029. Descreva as características do sistema quan-


do você adicionou a solução de ácido clorí-
drico à solução de hidróxido de sódio con-
tendo gotas da solução de fenolftaleína.
030. Há alguma evidência de que está ocorrendo
uma transformação?
031. Você seria capaz de identificar que novas I
substâncias foram formadas?

As evidências garantem que II

ocorreu uma transformação


química?
Na atividade 1, realizamos alguns experimentos
nos quais o estado final de alguns sistemas era
diferente do estado inicial. Tivemos a o ortunidade
de observar, nos diferentes sistemas com que tra-
balhamos, a produção de gases, a produção de luz,
a formação de precipitado, a liberação de calor e a
mudança de cor.
Essas modificações são evidências de que ocor- Figura 6-10: Evidências de transformação.

reu a produção de novos materiais naqueles sis-


temas. Por isso, podemos inferir que, provavel- Evidências de transformação
mente, aconteceu uma transformação ou reação
química em cada um desses sistemas. Ao trabalhar Nesta atividade, vamos aprofundar um pouco
com evidências, no entanto, sempre pode haver dú- essa discussão com a finalidade de delimitar melhor
vidas se houve realmente um~ transformação quí- o papel das evidências na identificação das reações
mica. químicas.

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 137


/

Material Comentários
Água, refrigerante, sal de cozinha, açúcar, um No sistema 1, ao adicionarmos sal de cozinha
comprimido efervescente e três copos. em água, há formação de uma solução aquosa, com

() algumas características diferentes dos materiais


iniciais. Por exemplo: a solução de sal de cozinha
é boa condutora de eletricidade, o que não ocorre
com a água e o sal sólido separadamente.

Figura 6-11: Materiais que você utilizará nessa atividade.


Figura 6-12: A adição de sal à água forma uma solução
condutora.
»> O que fazer
No sistema 2, ao adicionarmos açúcar ao refri-
A11 Vamos trabalhar com os seguintes sistemas:
gerante, observa-se um grande desprendimento de
a) sal de cozinha e água; b) refrigerante e
gás. Esse gás, no entanto, já estava presente no
açúcar; c) água e comprimido efervescente.
sistema inicial, dissolvido no líquido do refrige-
Construa uma tabela, para todos os siste-
rante. Você já deve ter observado bolhas de gás que
mas, com as caracteristicas dos componentes
se desprendem quando transferimos o refrigerante
no estado inicial, os registros das observa-
de uma garrafa para um copo, ou quando abrimos
ções durante as transformações que ocor-
um refrigerante quente. A adição do açúcar apenas
rerão e as características no estado final de
cada sistema. acelera a liberação do gás. Uma outra forma de li-
berar o gás, só que mais lentamente, é deixar o
A12 Identifique os copos com os números 1, 2 e 3. refrigerante aberto por muito tempo. Sob aqueci-
Adicione 20 mL de água nos copos 1 e 3 e mento, o gás também é liberado mais rapidamente.
20 mL de refrigerante no copo 2.
A13' Adicione uma colher (de chá) de sal ao copo
1, uma colher de açúcar ao copo 2 e meio
comprimido efervescente ao copo 3.

>

Ao observar as transformações ocorridas, que


diferenças podem ser reconhecidas entre os
sistemas 1, 2 e 3?

O gás liberado nos sistemas 2 e 3 já existia


em cada um dos sistemas iniciais?

Nos sistemas observados, houve produção de


novo material? Em caso afirmativo, como se Figura 6-13: A adição do açúcar acelera a liberação do gás
pode evidenr.iar esse fato? já existente no refrigerante.

138 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


_-o sistema 3, ao adicionarmos o comprimido lação da caseína do leite, usando coalho, o apare-
=... scente à água, libera-se gás. Esse gás, no cimento de coágulos do leite também é evidência ~!
~-to, não estava presente nem no comprimido de que ocorre reação.
I
=- na água, mas foi produzido pela interação do
- _rimido com a água. Esse tipo de transfor-
-=~-o, em que materiais não existentes inicial-
=....e no sistema são produzidos, é chamado de
-=;ão química ou transformação química. A evi-
_==-ciapara essa reação é a produção de gás.

Figura 6-75: O aparecimento da caseína é uma evidência


de que ocorreu uma transformação.

Esses tipos de evidências são formas simples e


diretas de reconhecimento de reações químicas e
podem envolver um ou mais dos seguintes fenô-
=gura 6-74: Nesse sistema, o gás não estava presente, mas menos: a formação de gases, a mudança de cor,
=:; formado pela interação da água com o comprimido. a formação de sólido, a liberação ou absorção
de energia na forma de calor, a liberação de
eletricidade ou luz, etc. Não podemos ter certeza,
Se você evaporar a água do sistema 3 no seu no entanto, de que ocorreu uma reação química
estado final, é possível obter novamente o baseados apenas nessas evidências. Uma forma
material do comprimido? mais segura de obter informações sobre a natureza
de uma transformação é o isolamento dos materi-
Esse material produziria efervescência ao
ser colocado na água? ais obtidos, seguido da determinação de algumas
de suas propriedades, como as temperaturas de
fusão e de ebulição, a densidade, etc.
A constatação de que essas propriedades são
diferentes daquelas dos componentes do sistema
inicial é uma forma mais segura de comprovar a
As vid'"ncias e o ocorrência de reações químicas. Na prática, esse
r conhecimento de último procedimento só é usado quando trabalha-
mos com reações desconhecidas, para as quais não
eaç ~es químicas se tem certeza sobre a natureza dos produtos. O
o reconhecimento de reações qmmlcas está conhecimento das evidências de reações químicas é
relacionado à presença de evidências que permitem uma ferramenta empírica poderosa que ajuda os
diferenciar o estado final quando comparado ao químicos a ganhar tempo na caracterização das
estado inicial do sistema. Dentre os exemplos estu- transformações.
dados, uma das evidências foi a produção de gás. A dissolução de açúcar em água e as mudanças
Há várias outras evidências para o reconheci- de fase da água são exemplos de fenômenos em
mento de reações químicas. Por exemplo, na coagu- que ocorrem transformações do estado físico no

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 139


qual o material se encontra. Uma caracteristica » O p~tões
comum a esses dois fenômenos é que não há pro-
Dos fenômenos relacionados a seguir, quais
dução de novos materiais. Além disso, é possível
obter novamente o material no seu estado inicial. podem ser classificados como re'ações quími-
cas? Justifique, descrevendo os estados ini-
Ou seja, é possível obter a água no estado liquido
cial e final para cada caso e citando as evi-
pelo resfriamento do vapor e obter o açúcar no es- dências.
tado sólido pela evaporação do solvente.
a) Dissolução de KMn04 em água.
b) Mistura de tinta azul com tinta amarela
para produzir tinta verde.
c) Fusão da naftalina.
d) Formação de ferrugem.
e) Mistura de soluções bastante diluídas de
NaOB e BCl.
f) Queima de uma vela.

Q3 Com base nas respostas da questão anterior


e nas características das transformações dis-
cutidas, responda às perguntas que foram
feitas na introdução desta atividade:
a) A existência de uma evidência garante
que houve produção de novos materiais
numa transformação qualquer? Justifique
sua resposta.
b) Poderiam ocorrer reações sem uma modi-
ficação observável no sistema? Justifique
Figura 6-16: Numa translormação de estado lísico não há
sua resposta.
formação de novo material.

A outra classe de fenômenos que observamos


são as reações químicas. Nesse caso, há formação
de novos materiais. Quando as reações são irrever-
síveis, a exemplo das que foram estudadas, não é
possível obter novamente os materiais iniciais. Em A massa é conservada nas
reações reversíveis, isso é possível.
reações químicas?
Vamos investigar algumas características -=
Concluindo, as reações químicas são geral- duas reações químicas diferentes. Nosso objetivo ;;
mente acompanhadas de transformações físi- verificar se a massa doestado inicial é igual à mas-
cas, que permitem evidenciar sua ocorrência. O sa do estado final ou diferente dela. A noção c;;
que podemos reconhecer são as transformações conservação da massa é importante para a dis-
físicas, pois não há uma evidência direta de cussão do tipo de transformação envolvida nur:;:.;;
que o fenômeno ocorrido caracteriza uma rea- reação química, já que só podemos analisá-la :_
ção química. É o nosso conhecimento empírico meio da caracterização do que se conserva durar-=
acumulado que permite identificar, por meio essa transformação - sua identidade.
dessas transformações físicas, os casos em que Sem essa identidade, seria impossível perceJ:=..
há produção de novos materiais e, portanto, que o sistema, depois da transformação, tem at-
reações químicas. ma relação com o sistema antes dela. Você, _
exemplo, nunca é a mesma pessoa todos os cI..E.:

140 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


:;:ois está se transformando constantemente, seja
:isica ou mentalmente. Seus familiares e amigos,
::0 entanto, são capazes de reconhecê-lo(a) como a
:::lesmapessoa, mesmo que fiquem algum tempo
.:emvê-lo(a). Isso é possível porque algo se conser-
~ u na sua aparência, apesar das mudanças. A
:ientidade é uma característica fundamental de
:odos os sistemas que estão em transformação.
Nas reações químicas, como em qualquer outra
::ransformação, também se observa essa caracterís-
":ca. Algumas características permanecem cons-
:antes durante o .processo, enquanto outras mu-
::amoAté agora enfatizamos as mudanças que ocor-
:em num sistema reagente. Agora, vamos começar
~ nos preocupar com O que se conserva. Figura 6-17: Materiais de que você vai precisar nesse
experimento.

A reação do bicarbonato de
A1S Pese novamente todo o conjunto (mpET +
# dio com o ácido clorídrico
mbéquer) e anote o valor da massa encontra-

Vamosestudar uma transformação química que da. (Obs.: Anote também os valores obtidos
envolve a interação entre o bicarbonato de sódio pelos outros grupos.)
• aHC03) e o ácido clorídrico (HC1)para compreen- A19 Construa uma tabela com os dados obtidos
::er o que ocorre com a massa total antes e após a por todos os grupos da classe, com massa
:eação ocorrer. Observemos esse fenômeno em um (em gramas) do sistema antes e depois da
. tema aberto e em um sistema fechado. reação.

eação em sistema aberto A reação em sistema fechado


ateriais »> O que fazer
Bicarbonato de sódio, garrafa PETde 600 mL,
A20 Repita o mesmo procedimento indicado no
ª-cidoclorídrico 5 mol/L, balança, béquer de 50 mL,
item A14. Em seguida, proceda da seguinte
_ bo de ensaio e uma espátula ou colher de so-
forma:
:::remesa.
A21 Transfira, com cuidado, 5 mL de ácido clo-
rídrico 5 mol/L para um tubo de ensaio pe-
»> O que fazer
queno.
A14 Transfira aproximadamente 2,0 g (duas co- A22 Introduza o tubo na garrafa PET, de modo
lheres de sobremesa) de bicarbonato de só- que o ácido não escoe entrando em contato
dio para uma garrafa PET de 600 mL; em com a água com bicarbonato. Em seguida,
seguida, adicione 40 mL de água. tampe a garrafa firmemente.
A1S Transfira, com cuidado, 5 mL de ácido clorí- A23 Pese o conjunto e anote o valor da massa
drico 5 mol/L para um béquer de 50 mL. inicial do sistema (mj).
A16 Pese o béquer juntamente com a garrafa PET A24 Incline a garrafa PET,de modo que o ácido
e anote o valor da massa (mpET + mbéquer). escoe lentamente; após a reação ter se pro-
A17 Transfira o ácido para o garrafa PETe aguar- cessado, pese novamente o conjunto e ano-
de até a reação se completar. te o valor da massa final do sistema (mf).

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 14' .


:> :> :>.
A25 Construa uma tabela com os dados obtidos
A reação entre hidróxido
por todos os grupos da classe, com a massa
(em gramas) do sistema antes e depois da
de sódio (soda cáustica) e sulfato
de cobre
reação.

Materiais
Solução de NaOH, solução de CUS04, balança,
dois béqueres de 50 mL, dois bastões de vidro e co-
lher de chá.

Figura 6-19: Materiais de que você vai precisar nesse


experimento.

»> O que fazer


[A26 Prepare uma solução de soda cáustica em
um béquer de 50 mL (NaOH - Cuidado!), dis-
solvendo uma colher de chá de soda cáusti-

Figura 6-18: Veja como o tubo de ensaio deve ficar dentro ca em 25 mL de água. Agite o sistema utili-
da garrafa PET para evitar o contato entre as duas zando um bastão de vidro ou a colher.
soluções.
A27' Prepare uma solução de sulfato de cobre
(CUS04) no outro béquer de 50 mL, dissol-
vendo uma colher (de chá) de sulfato de
cobre em 25 mL de água. Agite o sistema uti-
Que evidências permitem afirmar que ocor- lizando um bastão de vidro ou a colher.
reram reações químicas?
A28 Pese os dois béqueres contendo as soluções,
Compare os valores obtidos para as massas do
juntos, e obtenha a massa inicial do sistema
sistema, antes e depois da reação, nos dois
(mü·
casos (sistemas aberto e fechado). O que você
pode constatar?
A que você atribui a diferença observada?
Com os dados de sua tabela, é possível afir-
mar que a massa se conserva numa reação
química?

142 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


Transfira, lentamente, a solução de sulfato
de cobre para o frasco contendo soda cáus-
tica, agitando a solução resultante com um
bastão de vidro.

Torne a pesar os dois frascos após a reação


se completar e obtenha a massa final do sis-
tema.
Construa uma tabela com os dados obtidos
por todos os grupos da classe, com a massa
(em gramas) do sistema antes e depois da
reação.

lestõ Figura 6-20: Materiais de que você vai precisar nesse


experimento.
Que evidências permitem afirmar que ocor-
reu uma reação química? "A34 Construa uma tabela com os dados obtidos
Comparando os valores obtidos para as mas- por todos os grupos da classe, com a massa
sas do sistema, antes e depois da reação, o (em gramas) do sistema antes e depois da
que se pode constatar? Você esperava obter reação.
esse resultado?

Com os dados da sua tabela, é possível afir-


mar que a massa é conservada numa reação
química? 04 Que evidências permitem afirmar que ocor-
• Compare essa reação com a anterior (entre o reu uma reação química?
bicarbonato de sódio e o ácido clorídrico).
Por que não foi necessário usar um frasco fe-
o Comparando os valores obtidos para as mas-
sas dos sistemas, antes e depois da queima,
chado para constatar a conservação de mas-
o que se pode constatar? Você esperava
sa na reação do sulfato de cobre com a soda
obter esse resultado?
cáustica?

Q4 Com os dados da sua tabela, é possível afir-


A queima de lã de aço mar que a massa conserva-se numa reação
química? Como você explica os dados obtidos?
Materiais
Q!) Complete a seguinte afirmação: nA massa se
Pedaço de lã de aço, um béquer de 250 mL, conserva nas reações químicas ... ", de modo
balança e fósforo. que ela possa exprimir uma conclusão obti-
da com as três reações estudadas nesta
atividade.
»> O que fazer
A32" Coloque um pedaço de lã de aço no béquer
de 250 mL. Pese o sistema e anote a massa
inicial do sistema.

[A33J Utilizando fósforos ou um isqueiro, queime


a lã de aço dentro do béquer. Procure quei-
mar o material completamente. Pese nova-
mente o sistema e anote a massa final do
sistema.

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 143


A massa é conservada nas
reações químicas?
É comum a idéia de que objetos, ao serem
queimados, ficam mais leves. Isso se deve ao fato
de lidarmos, em nosso cotidiano, com um grande
número de combustões que envolvem produtos
gasosos. Por exemplo, o etanol (C2H50H) tem
como produtos de sua queima gases como dióxido
de carbono (C02) e vapor de água, entre outros.

Figura 6-21: Como


algumas combus-
tões produzem ga- Figura 6-22: Em alguns casos, a massa do sistema aumer-
ses, é comum ter- ta com a combustão.
mos a idéia de que
com a queima os Deve-se observar que a queima do papel e c.:.
objetos ficam mais
"leves".
vela, assim como a queima da lã de aço, não cor,-
traria a conservação da massa nas reações quírnl-
Se a reação ocorre em sistemas abertos, esses caso A soma das massas dos reagentes é igual =.
gases fIcam dispersos na atmosfera. Ao contrário soma das massas dos produtos, mas nesse caso s:
do que ocorre com uma vela ou um pedaço de podemos constatar a conservação de massa em sis-
pa'1A (ujos produtos também incluem substâncias temas fechados, pois nessas reações estão envolv:.-
;asosas, a lã de aço, ao ser queimada, tem sua mas- das substâncias gasosas, sejam como reagentes 0_
"a aumei'tada.
como produtos.
A maioria das combustões envolve a partici-
pação c'o oxigênio (02), chamado comburente. Os
° fato de que a massa é conservada nas reaçõe~
químicas é importante para podermos, mais ad:-
P1'"Od •.t0~ formados terão, em sua composição, áto-
ante, representar as reações por equações usand::
mus de oxigênio; por exemplo: CO2, H20, CuO, FeO,
símbolos químicos. A conservação da massa é um=.
Fe203, 'te. Como o óxido de cobre e os óxidos de
forte evidência a favor da idéia de que nas reaçõ~
ferro SdO sólidos, com elevadas temperaturas de
- são, a temperatura que se atinge durante a químicas a matéria não é criada nem destruída
queima da lã de aço ou de um fio de cobre não é mas apenas se transforma por meio do rearran'
suficiente para volatilizá los. Já o dióxido de car- dos átomos que a constituem. Lavoisier (1743-
bono é uma substância gasosa e a água pode ser 1794), ao anunciar esse princípio, teria dito que "I1ê.
facilmente vaporizada. Assim, ambos são despren- natureza nada se perde, nada se cria, tudo se
didos para a atmosfera. transforma".

144 QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO


Essa conclusão é importante porque limita que
produtos podem ser esperados de uma reação. O
ideal dos alquimistas - obter ouro, submetendo
enxofre e mercúrio a várias transformações - é
impossível, pois as substâncias simples mercúrio e
enxofre são formadas por átomos de elementos
diferentes daqueles que formam a substância sim-
ples ouro. Eles não são constituídos por átomos do
mesmo tipo. Por outro lado, essa interpretação de
que os átomos são conservados numa reação quími-
ca não proíbe que se possa tentar obter, a partir do
açúcar comum (sacarose), diamante e água. Afinal,
açúcar é constituído por átomos de carbono, hi
drogênio e oxigênio; o diamante, por átomos de
=-;;ura 6-23: Lavoisier ao enunciar o princípio de conser-
ação da massa teria dito que "na natureza nada se perde,
carbono; e a água, por átomos de oxigênio e hi-
-ada se cria, tudo se transforma". drogênio. Se essa reação não acontece é porque há
outras limitações impostas às reações químicas,
É por isso que a conservação da massa talvez que são relacionadas com as mudanças na ener-
:eja a principal via para passarmos do nível fenome- gia do sistema quando esse é transformado e com
::-.ológico, em que podemos observar as transfor- a velocidade com que a reação se processa. Nas
~ações, para o atômico-molecular, em que nos atividades seguintes, vamos estudar alguns desses
-ralemos de modelos para tentar explicar o que está fatores para entender um pouco melhor as reações
:correndo. As idéias que utilizamos para justificar químicas. Uma resposta mais completa a essas
"",orque a massa se conserva nas transformações - questões será fornecida em capítulos posteriores.
nada saiu e nada entrou no frasco", "não se acres-
:entou nem se tirou nada" - podem ser reinterpre-
:adas em termos atômico-moleculares. Assim, "não
entrou nem saiu nada" pode ser traduzido para "os
átomos presentes no sistema inicial são os mesmos
resentes no sistema final". Ao fazer essa "tradu-
;ão", estamos estabelecendo relações entre as cons-
:atações sobre a conservação (ou não) da massa e
o que isso significa, em nível atômico-molecular,
para a conservação dos átomos.
Uma importante conseqüência desta conclusão
- a massa se conserva porque os átomos dos ele-
mentos químicos envolvidos na transformação
se conservam - é que ela nos dá uma indicação do
A representação das reações
tipo de transformação que um determinado mate- químicas
rial pode sofrer. Assim, esperamos que os produtos
da reação de combustão da vela serão gás carbôni- Para representarmos as reações químicas por
co (C02) e água (H20), entre outros, porque a vela meio de equações, temos que usar fórmulas quími-
é produzida a partir de uma substância, cons- cas e símbolos para indicar os reagentes e os pro-
tituída por átomos de carbono e hidrogênio, que dutos da reação.
reage com o oxigênio do ar na combustão. Assim, Os símbolos dos elementos nos permitem re-
os elementos que constituem os reagentes e os presentar as substâncias por fórmulas moleculares,
produtos são os mesmos (carbono, hidrogênio e que indicam, normalmente, os elementos partici-
oxigênio). pantes na composição da substância e a proporção

QUÍMICA PARA o ENSINO MÉDIO 145