P. 1
depois-de-amanha-2.0.1

depois-de-amanha-2.0.1

|Views: 2|Likes:
Publicado pormarianaaqueiroz

More info:

Published by: marianaaqueiroz on Sep 30, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/30/2013

pdf

text

original

O formato de cada solução varia em todos os sentidos, podendo ir
do micropagamento a valores mais altos. A velocidade e a segurança
de cada solução também podem ser bem diferentes. A autenticação
às vezes pode ser feita por senhas e às vezes por códigos em duas
dimensões como o QR-Code. O método de cobrança pode passar
pelo uso de simples cartões de crédito, débito em conta-corrente ou
até mesmo uma outra conta pré-paga em que o consumidor tenha
se cadastrado, depositando previamente uma quantia de dinheiro.
O dispositivo também varia bastante, podendo ser um chaveiro, um
cartão, um celular, um relógio ou qualquer outro objeto que iden-

73 Fonte: http://www.apple.com.

74 Fonte: Meio & Mensagem, agosto de 2008.

139 • O Marketing depois de amanhã
139 • O Marketing depois de amanhã

Novas formas de pagamento • 140

tifque o consumidor. Outra diferença – e talvez uma das mais im-
portantes – é a questão da distância entre o dispositivo e o leitor da
cobrança. A distância para transmitir os dados pode ser de apenas
10 cm ou até não depender de proximidade alguma.
Entre as soluções de curta distância, está a tecnologia para passa-
gem de dados por proximidade (sem contato) chamada Near Field
Communication (NFC), desenvolvida pela Sony e pela Philips.
Funcionando por indução de campo magnético, o NFC é supor-
tado pelos maiores fabricantes de celular como Samsung, Nokia e
Motorola.

Via NFC, a MasterCard lançou o PayPass criando o conceito de
“Tap N Go” (“bater e ir embora”). O pagamento é efetuado dando
apenas uma pequena batida com o cartão no leitor. Mais seguro,
portanto, porque o cartão não sai da mão do consumidor e muito
mais rápido e prático.Uma pesquisa recente da MasterCard desco-
briu que quase metade dos consumidores norte-americanos carrega
US$ 20 ou menos em suas carteiras e que a maioria absoluta gostaria
de usar dinheiro vivo com menos freqüência. Sua fase de testes foi
realizada em 2003 em Orlando, Flórida, com 16 mil usuários e 60 lo-
cais preparados para utilização do sistema. Comparando os resulta-
dos desses estabelecimentos com os do ano anterior, vislumbrou-se

um aumento de 23% nas transações com cartões e 12% de aumento

do volume de transações nestas lojas. Segundo a bandeira de cartões,

a redução no tempo de transação foi de mais de 64%, o que pode

explicar o sucesso do bom resultado75
.
A Sony também desenvolveu o FeliCa, um chip que usa RFID
e está sendo adotado pela maioria das soluções de pagamento sem
contato no mundo. Em Hong Kong, o sucesso é tão grande que

mais de 95% da população utiliza a tecnologia através do cartão

Octopus, que pode ser usado em mais de 100 serviços de transporte

75 Fonte: Jupiter Research, 2004: Proxymity Payments. Sizing the Market and Timing
Investment.

139 • O Marketing depois de amanhã
139 • O Marketing depois de amanhã

Novas formas de pagamento • 140

e 160 empresas do varejo como Starbucks e 7-Eleven76
.
Inicialmente, as compras feitas com cartões sem contato tendem
a ser usadas em valores menores, como em lojas de conveniência,
entradas de cinema, passagens de ônibus, trem, metrô e táxi, fast-

food, livrarias, estacionamentos, aluguel de flmes e máquinas de

refrigerante. Mas a partir do momento que muitos usuários estejam
habilitados e acostumados, poderão aparecer novas formas de uti-
lizar o cartão, como programas de fdelidade e até mesmo publici-
dade. A empresa japonesa Dainippon Printing, que usa códigos em
duas dimensões em suas propagandas, agora está adaptando seus
pôsteres para terem compatibilidade com o cartão FeliCa, visando a
distribuir conteúdo, ofertas e cupons.
Como vimos no Capítulo 6, a identifcação por radiofreqüência
está na moda. Um dos primeiros serviços a usar RFID para fazer
pagamentos foi o Speedpass, da petroquímica ExxonMobil. Des-
de 1997, seus clientes podem usar cartões, chaveiros e relógios para
abastecer o carro e comprar produtos em lojas e fast-foods. Em
2004, atingiu 10 milhões de consumidores, 10 mil postos de gasoli-
na das redes Exxon e Mobil, 1.600 lojas de conveniência e fast-food
espalhados pelos EUA, Canadá, Cingapura e Japão.
As maiores operadoras de cartão já têm serviços utilizando so-
luções de curta distância para pagamentos. A última a entrar neste
mercado foi a American Express, com seus Blue Cards que estão
vindo com RFID desde junho de 2005.
Em seu piloto feito em Nova York e Phoenix, foi utilizado nas ca-
deias CVS pharmacies, Carls Jr. e 7-Eleven. Batizado de ExpressPay,
teve resultados parecidos com os do PayPass, da MasterCard: paga-

mento 63% mais rápido que dinheiro vivo e 53% mais rápido que

o cartão de crédito tradicional que envolve assinatura. Com esse
resultado positivo, ampliará sua abrangência. A 7-Eleven pretende
aceitar o serviço em mais de 5.300 lojas até 2006.
Em São Paulo, o RFID é usado para pagar passagens de ônibus,

76 Fonte: http://www.rfdjournal.com.

141 • O Marketing depois de amanhã
141 • O Marketing depois de amanhã

Novas formas de pagamento • 142

metrô e trem através do Bilhete Único e para pagamento de estacio-
namentos e pedágios usando o sistema Sem Parar.

a passagem do pequeno chaveiro na bomba de gasolina
permite ao usuário do speedpass efetuar seu pagamento.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->