P. 1
17357614-14504846ApostilaMecatronica

17357614-14504846ApostilaMecatronica

|Views: 119|Likes:
Publicado porgilberto barbosa

More info:

Published by: gilberto barbosa on Oct 04, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/02/2013

pdf

text

original

Cilindro com haste passante

Esse tipo de cilindro de haste passante possui algumas vantagens. A haste é melhor guiada
devido aos dois mancais de guia, possibilitando a admissão de uma ligeira carga lateral. Os ele-
mentos sinalizadores podem ser montados na parte livre da haste do êmbolo. Nesse cilindro, as
forças de avanço e retorno são iguais devido à mesma área de aplicação de pressão em ambas as
faces do êmbolo.

Cilindro Tanden

Essa construção nada mais é do que dois cilindros de ação dupla, os quais formam uma só
unidade. Dessa forma, com simultânea pressão nos dois êmbolos, a força é uma soma das forças
dos dois cilindros. O uso dessa unidade é necessário para se obter grandes forças em locais onde
não se dispõe de espaço suficiente para a utilização de cilindros de maior diâmetro.

Cilindros de múltiplas posições

Esse tipo de cilindro é formado de dois ou mais cilindros de ação dupla. Esses elementos
estão, como ilustrado, unidos um ao outro. Os cilindros movimentam-se, conforme os lados dos
êmbolos que estão sobre pressão, individualmente. Com dois cilindros de cursos diferentes obtém-
se quatro posições.

mecatrônica

114

Aplicação:

•Seleção de ramais para transporte de pe-
ças em esteiras;

• Acionamento de alavancas;

• Dispositivo selecionador (peças boas,
refugadas e a serem aproveitadas).

Cilindro com êmbolo magnético

Na utilização de cilindros pneumáticos, necessita-se com freqüência detectar as posições
iniciais, finais e até intermediários. Para a resolução desse problema, basta a utilização de roletes
fins de curso (elétricos ou pneumáticos), ou ainda sensores (eletrônicos ou pneumáticos). Essa
solução, porém, tem como desvantagem a necessidade de espaço físico para a instalação desses
detectores.

Com o cilindro de êmbolo magnético, instala-se, por exemplo, detectores do tipo "Reed", no
trilho localizado no tubo. Na aproximação do êmbolo, esse detector é acionado.

Na construção desse cilindro, utilizam-se materiais não magnéticos, como: latão, alumínio,

aço inox e plásticos.

Interruptor elétrico de proximidade

Em muitas máquinas e instalações, a montagem de sinalizadores (fins de curso) apresenta
vários problemas. Freqüentemente falta espaço, a máquina é muito pequena ou os fins de curso
não devem entrar em contato com sujeira, água de resfriamento, óleo ou aparas.

Um contato REED está blindado e fixo em uma caixa fundida sob pressão e em suporte de
poliamida. O referido contato é composto de duas lingüetas, que se encontram dentro de uma
ampola de vidro preenchida com um gás inerte.

mecatrônica115

Cilindro com êmbolo magnético sem haste

Nas aplicações práticas, encontramos, em determinados dispositivos, uma dificuldade na
instalação de um cilindro pneumático de construção normal, pois o trabalho a ser executado pelo
mesmo sempre terá o movimento, realizado em sua parte dianteira.

Quando esse tipo de problema ocorre, normalmente no projeto utiliza-se um mecanismo de
transmissão ou, em outros casos, torna-se inviável a utilização de cilindros pneumáticos. Para
selecionarmos esse problema, utiliza-se um cilindro de êmbolo magnético, que movimenta um anel
magnético colocado no tubo cilíndrico. O magnetismo é obtido através de vários ímãs permanentes
em forma de anel. O material utilizado nos cabeçotes, tubos e anel, deverá ser não magnético
como: latão, alumínio e aço inoxidável.

O trabalho é realizado no anel que desliza no tubo, dispensando assim a haste, que reduz em
40% o espaço necessário para a montagem do cilindro.

O deslizamento dos anéis imantados externos, em relação aos anéis imantados internos, não
ocorre, pois a força de atração magnética é superior à força máxima axial que o êmbolo é capaz de
produzir a 6 bar de pressão.

Cilindro de Impacto

Em cilindros normais, a força de deformação é limitada. Em cilindros de impacto, eleva-se
essa força pelo aumento da velocidade.

Os cilindros de impacto desenvolvem uma velocidade de 7,5 a 10 m/s, (a velocidade de um
cilindro normal é de 1 a 2 m/s). Essa velocidade só pode ser alcançada por um elemento de constru-
ção especial. A energia desse cilindro será empregada para prensar, rebordar, rebitar, cortar, etc.

A força de impacto é muito grande em relação ao tamanho de construção dos cilindros.
Geralmente são usados em pequenas prensas. Em relação ao diâmetro do cilindro podem ser
alcançadas energias cinéticas de 25 a 500 Nm.

mecatrônica

116

ATENÇÃO: Para deformação profunda, a velocidade diminui rapidamente, assim como
a energia cinética, razão pela qual esse cilindro não é bem apropriado para esse fim.

Funcionamento:

A câmara "A" do cilindro está sob pressão. Por acionamento de uma válvula,
a pressão aumenta na câmara "B". A câmara "A" é exaurida. Quando a força
exercida na superfície "C" for maior que a força sobre a superfície da coroa
na câmara "A", o pistão se movimenta em direção a Z. Com isso, libera-se o
restante da superfície do êmbolo e sua força é aumentada. O ar comprimido
contido na câmara "B" pode fluir rapidamente pela grande secção de passa-
gem, acelerando fortemente o êmbolo do cilindro.

Cilindro rotativo

Nesse tipo, a haste do êmbolo tem um perfil dentado (cremalheira), que aciona uma engre-
nagem, transformando o movimento linear num movimento rotativo à esquerda ou direita, sempre
de acordo com o sentido do curso. Os campos de rotação mais usuais são vários, isto é, de 45° -
90° - 180° - 290°, até 710°.

Um parafuso de regulagem possibilita, porém, a determinação do campo de rotação parcial,
dentro do total. O momento de torção depende da pressão de trabalho da área do êmbolo e da
relação de transmissão. O acionamento giratório é utilizado para virar peças, curvar tubos, regular
instalações de ar condicionado e no acionamento de válvula de fechamento e válvulas borboleta.

mecatrônica117

Cilindro de aleta giratória

Como os cilindros rotativos já descritos, também nos de aleta giratória é possível um giro
angular limitado. O movimento angular raramente vai além de 300°. A vedação é problemática, o
diâmetro em relação à largura, em muitos casos, somente possibilita pequenos movimentos de
torção (torque).

Tipos de Fixação

Determina-se o tipo de fixação pela montagem dos cilindros
em máquinas e dispositivos. O cilindro pode ser construído para
certo tipo de fixação, se esse tipo de fixação não necessitar
modificações.

Pelo contrário, ainda é possível modificar o cilindro para
uma outra fixação usando peças de montagem padronizadas.
Especialmente ao usar um grande número de cilindros, é
vantajoso um estoque racional simplificado das peças de
montagem padronizadas, pois assim basta apenas combinar
o cilindro básico com o tipo de fixação desejado.

Tipos de vedação para êmbolos

As vedações utilizadas nos êmbolos dos cilindros variam conforme fabricante. Suas formas
alteram força de atrito, durabilidade,capacidade de vedação, temperatura de operação e custo.

mecatrônica

118

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->