Períodos da História da Música Pré-História, Antiguidade Oriental (Mesopotâmia – Egipto – Pérsia), Antiguidade Clássica 29 a.C.

(Grécia e Roma), Idade Média (cerca 450), Renascimento (1450), Barroco (1600-1750), Classicismo (1750 – aproximadamente 1810), Romantismo (aproximadamente, 1810-1900), Século XX – Música Moderna e Música Contemporânea (a partir de 1945)

“A música é o remédio da alma triste.” (Walter Haddon)

Barroco (1600 a 1750)
Durante quase todos os séculos XVI e XVII, a Europa foi assolada por guerras e revoltas. Em contrapartida, a música elegante e disciplinada da época oferecia um modo de evasão da desordem circundante. Os compositores e os executantes, sempre ligados às ideias herdadas da Renascença, tinham de rivalizar em talento e imaginação para responder às exigências de fausto dos seus protectores. Os que eram mais afortunados e poderosos reuniram-se para lançar uma moda musical, cansados das construções refinadas e complexas da Renascença, aspiravam a uma música mais espectacular e ricamente ornamentada. O termo «barroco» foi inventado pelos detractores desta música que lhe censuravam o ser demasiado carregada e resplandecente. Na história da música, o termo corresponde aproximadamente ao período situado entre 1600 e 1750. O termo aplicou-se primeiro às artes visuais dessa época num sentido pejorativo e só mais tarde foi adoptado para a música. Considera-se que o berço do Barroco foi em Itália. A palavra Barroco é provavelmente de origem portuguesa, significando pérola ou jóia no formato irregular. De início era usada para designar o estilo de arquitectura e da arte do século XVII, caracterizado pelo excesso de ornamentos. Mais tarde, o termo passou a ser empregado pelos músicos para indicar o período da história da música que vai do aparecimento da ópera e da oratória (1600) até à morte de J.S.Bach em 1750. É algo controversa a discussão em termos musicais em relação aos primórdios do barroco mas existe algum consenso em considerar que o ano de 1600 é um importante ponto divisor na história da música. Características da Música Barroca A música barroca é geralmente exuberante: ritmos enérgicos, melodias com muitos ornamentos, contrastes de timbres instrumentais e contrastes de texturas densas e sonoridades fortes com texturas finas e suaves.

Outra característica do Barroco foi o uso da harmonia e a utilização de acordes completos.É um período exuberante tanto em formas como em inspiração. As oratórias mais famosas são de um compositor alemão do início do século XVIII -Georg Friedrich Händel (1685-1759). tocata e fuga. Afirma-se finalmente o sentido da tonalidade e da harmonia. e a Música Instrumental que comporta géneros e formas instrumentais -concerto e sonata e música para teclados (principalmente órgão) . Desenvolveramse tratados de harmonia. Sansão e a sua mais famosa oratória “O Messias”. A Oratória e a cantata são composições musicais executadas geralmente nas Igrejas. Algumas das técnicas homofónicas utilizadas nos séculos anteriores foram levadas a outros desenvolvimentos e alcançaram aqui o seu auge. Com o passar do tempo as oratórias deixaram de ser representadas e passaram a ser apenas cantadas. cantata) género novo e revolucionário para a época que comporta géneros essencialmente vocais. As cantatas são oratórias em miniatura e eram geralmente apresentadas nas missas. a Oratória é outra importante forma de música vocal barroca. É uma forma de acompanhamento em que o cravo ou outro instrumento de teclas tocava o baixo e fazia o preenchimento da harmonia. O Barroco Musical comporta assim duas correntes : o melodrama (ópera. XVII apareceu a ópera com Cláudio Monteverdi que é ainda um autor renascentista Alessandro Scarlatti (1660-1725) foi o mais popular compositor italiano de óperas. o concerto e a sonata são formas ou composições que constituem o repertório da música de câmara. a oratória. A oratória é um tipo de ópera com histórias tiradas da Bíblia. a cantata como géneros eminentemente vocais: No início do séc. A Ópera e a Oratória Nesta época aparecem a ópera. Existia um gosto refinado pelo luxo e pelo contraste. A Música Instrumental e o nascimento da Orquestra .suite. a ópera é música de teatro e a suíte. A variação e a abundância de ornamentação são frequentemente levadas ao exagero. oratória. Esta característica influenciou toda a música tonal desde o barroco até aos nossos dias. Nascida na mesma época da ópera. Na França os principais compositores de óperas foram Jean-Baptiste Lully (1632-1687) e Philipe Rameau ( 16831764). Israel no Egipto. No Barroco a música instrumental passa a ter a mesma importância que a música vocal. Outra característica marcante e específica da música barroca é o aparecimento do baixo contínuo como principal recurso técnico comum a todo o repertório Barroco. A tocata e a fuga eram composições criadas especificamente para serem executadas por organistas nas igrejas.

As primeiras orquestras desenvolveram-se a partir dos conjuntos (ensembles) de corte do século XVII. O órgão de tubos. fagotes. o ar podia ser enviado para vários tubos. Trompas e trompetes naturais e ainda uma secção de percussão com Timbales. Foram ainda desenvolvidos outros géneros musicais para instrumentos de teclado. é o principal recurso técnico comum a todo o repertório Barroco. Durante o período barroco. Ao contrário do que acontece na orquestra moderna. sobretudo para órgão e cravo: tocatas. Etc. o aperfeiçoamento dos instrumentos de cordas. ideia que também se aplicou ao fabrico de órgãos. na orquestra Barroca havia sempre um cravo ou um órgão geralmente tocado pelo mestre de capela que ao teclado dirigia o resto da orquestra e executava o baixo contínuo. A orquestra começou a ganhar forma. Os compositores do Barroco tinham gosto pela ornamentação e pelo virtuosismo (e também pela improvisação). Para além das cordas. a flauta travessa e a flauta de bico (bisel) e mais tarde apareceu ainda o clarinete. criando ao teclado música muito complexa. diferentes. Os instrumentos tão caros aos amantes da música da Renascença já não se adaptavam aos ritmos endiabrados e à virtuosidade do barroco. Mas no século XVII. fugas. ao qual os compositores acrescentavam outros instrumentos: flautas. tocando tecla. fazendo o baixo e preenchendo a harmonia. trompetes e os timbales na secção de percussão. enquanto as cítaras e as violas ficavam reservadas para os amadores. principalmente os violinos. fez com que a secção de cordas se tornasse uma unidade independente. trompas. Os violinos passaram a ser o centro da orquestra. As violetas foram substituídas pelos membros da família da rabeca – violinos – que eram mais sonoros e brilhantes. era a presença do cravo ou órgão como instrumento contínuo. o fagote. se assim um efeito tímbrico complexo. O baixo contínuo. Inventou-se para o cravo um mecanismo que permitia ao instrumentista dedilhar duas ou três cordas ao mesmo tempo premindo uma única tecla. como a sonata. Um traço constante nas orquestras barrocas. a suíte e o concerto. Fabricaram-se novos modelos. No início a palavra ‘orquestra’ era usada para designar um conjunto formado ao acaso. a música instrumental passou a ter importância igual à da música vocal. violetas e violoncelos no grupo das cordas. Eles constituíam o conjunto essencial ou o centro das primeiras orquestras. numa só conseguindo- . O cravo foi um dos instrumentos mais apreciados durante a época Barroca. capazes de produzir um som bastante forte para ser ouvido quando os outros instrumentos tocavam em conjunto. uma orquestra barroca compreendia instrumentos de sopro de madeira como o oboé. Só durante este período se definiram as secções de instrumentos com os violinos. composto por tubos de formas e registos davam ao organista uma escolha de sons opostos. O alaúde caiu em desuso. com os instrumentos disponíveis no momento. porém. Compositores como Johan Sebastian Bach excediam-se na sua técnica de ornamentação e improvisação.A par da música vocal desenvolve-se também a música instrumental Novas formas de composição foram criadas. Havia também instrumentos de sopro de metal.

A música barroca é geralmente exuberante: ritmos enérgicos. MÚSICA VOCAL: “Orfeu”. Na França os principais compositores de óperas .ccbi. é a primeira grande ópera. Alessandro Scarlatti (1660-1725) foi o mais popular compositor italiano de óperas. significando pérola ou jóia no formato irregular. S. De início era usada para designar o estilo de arquitectura e da arte do século XVII.J. A ópera de Montiverdi possuía uma orquestra formada por 40 instrumentos variados.Bach (1685-1750) Händel (1685-1759) Vivaldi (1678-1741) Telemann (1681-1767) Corelli (1653-1713) Rameau (1683-1764) Scarlatti (1685-1757) Lully (1632-1687) Gluck (1714-1787) Henry Purcell (1659-1695) Carlos Seixas (1704-1742) http://netaventuras. do compositor Montiverdi (1567-1643) escrito no ano de 1607. contrastes de timbres instrumentais e de sonoridades fortes com suaves. Bach. que começavam a tomar o lugar das violas. Mais tarde. melodias com muitos ornamentos. o termo passou a ser empregado pelos músicos para indicar o período da história da música que vai do aparecimento da ópera e do oratório até a morte de J.com. caracterizado pelo excesso de ornamentos.html HISTÓRIA DA MÚSICA – MÚSICA BARROCA: A palavra Barroco é provavelmente de origem portuguesa. Ópera é uma peça teatral em que os papéis são cantados ao invés de falados.S. inclusive com violinos.pt/SiteHistoria/BARROCO.

Um traço constante nas orquestras barrocas. Os violinos passaram a ser o centro da orquestra. Haendel (1685 – 1759). trompas. Principais Compositores Barrocos: A. J. trompetes e tímpanos. Vivaldi (1678 – 1741). Scarlatti (1685 – 1757). o género Oratório é outra importante forma de música vocal barroca. ao qual os compositores acrescentavam outros instrumentos: flautas. o aperfeiçoamento dos instrumentos de cordas. A orquestra passou a tomar forma. Sansão e o famoso Messias.com/entertainment/music/744347-hist%C3%B3ria-da-m%C3%BAsica-m %C3%BAsica-barroca/ . do início do século XVIII: Israel no Egipto. principalmente os violinos. Claudio Monteverdi (pai da ópera). O oratório é um tipo de ópera com histórias tiradas da Bíblia. a sonata. Mas no século XVII. A. Bach (1685 – 1750). com os instrumentos disponíveis no momento. Corelli (1653 – 1713). F. Scarlatti (1660 – 1755). http://pt. A. porém. a música instrumental passou a ter importância igual à da música vocal. D. G. fazendo o baixo e preenchendo a harmonia. Com o passar do tempo os oratórios deixaram de ser representados e passaram a ser apenas cantados. Novas formas de composição foram criadas. S. As Cantatas são oratórios em miniaturas e eram apresentados nas missas. fez com que a secção de cordas se tornasse uma unidade independente. fagotes. No início a palavra ‘orquestra’ era usada para designar um conjunto formado ao acaso. Os mais famosos oratórios são os do compositor alemão Haendel (1685-1759). a suite e o concerto. como a fuga. MÚSICA INSTRUMENTAL: Durante o período barroco.shvoong.foram Lully (1632-1687) e Rameau (1683-1764). Nascido na mesma época da ópera. era a presença do cravo ou órgão como contínuo.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful