Você está na página 1de 7

1

Prata Ouro e Platina


Badi M. Shaikhzadeh

Resumo- Os materiais condutores são caracterizados por di-


versas grandezas, dentre as quais se destacam: condutividade II. CARTERÍSTICAS FÍSICO/QUÍMICAS
ou resistividade elétrica, coeficiente de temperatura, conduti- A prata está localizada no grupo 1b, período 5 da tabela
vidade térmica, potencial de contato, comportamento mecâni- periódica, está entre o cobre (período 4) e o ouro (período 6).
co, etc. Estas grandezas são importantes na escolha adequada Suas propriedades físicas e químicas estão entre os dois
dos materiais, uma vez que das mesmas vai depender se estes metais.
são capazes de desempenhar as funções que lhe são atribuídas. Símbolo: Ag
A escolha do material condutor mais adequado, nem sempre Número atômico: 47
recai naquele de características elétricas mais vantajosas, mas Peso atômico: 107,88 (vezes de um átomo de hi-
sim, em um outro metal ou uma liga, que, apesar de eletrica- drogênio)
mente menos vantajoso, satisfaz as demais condições de utili- Método de Obtenção: Eletrólise
zação. Veremos neste trabalho as características e aplicações
da prata, do ouro e da platina.
Ponto de Fusão: 960,8ºC (1861,4ºF)
Ponto de ebulição: 2210ºC (4014ºF);
Dureza: 25 HB
PRATA Gravidade específica: 10,5 (a 20 ºC);
Valencia: 1,2
Configuração eletrônica: 2-8-18-18-1 ou 4d
I. INTRODUÇÃO
105s1.
A prata é o metal nobre de maior uso industrial, notada- Diferente do ouro, a prata está presente em várias ocor-
mente nas peças de contato. A cor prateada brilhante é ca- rências naturais de minerais. A maior abundância inclui a
racterística, escurecendo-se devido ao óxido de prata ou A2S (Argentite). Depósitos de prata nativa (quimicamente
sulfito de prata que se forma em contato com o ar. Sua ob- livre, ou não combinada), são também importantes.
tenção resulta freqüentemente de minérios combinados de Por causa da maioria dos minérios que conterem a prata,
prata, cobre e chumbo. ela também contém outros importantes metais como o chum-
A prata, devido às suas características elétricas, químicas bo, cobre e zinco, ou a combinação dos três. Na fabricação
e mecânicas é usada em forma pura ou de liga, cada vez mais da prata, frações destes minerais são freqüentemente recupe-
em partes condutoras aonde uma oxidação ou sulfatação rados para a própria produção de cobre ou de chumbo. A
viria criar problemas mais sérios. É o caso de peças de conta- prata pura é então recuperada de uma fração bruta com a
to, notadamente nas partes em que se dá o contato mecânico combinação de fusão a fogo ou refinamento elétrico.
entre duas peças e, onde, além de um bom material condutor,
A prata natural consiste na mistura de 2 isótopos: Prata –
é conveniente ter-se um metal que não influa negativamente
107 e Prata – 109.
devido a transformações metálicas. No caso da prata, no seu
O metal não reage com ar úmido ou oxigênio seco, mas é
estado puro, encontra o seu uso nas pastilhas de contato,
oxidado superficialmente por ozônio úmido. Ela é rapidamen-
para correntes relativamente baixas; quando essa solução
te manchada em temperatura ambiente, por enxofre ou sulfato
não é adequada, usam-se pastilhas de liga de prata, onde o
de hidrogênio.
Ag é misturado com níquel e cobalto, paládio, bromo e
A prata fundida pode dissolver mais de 22 vezes do seu
tungstênio.
próprio volume de oxigênio. Na solidificação, muito oxigênio
A prateação, numa espessura de alguns micrometros, é
é expelido, esse fenômeno é conhecido de “Spitting of Sil-
usada para proteger peças de metal mais corrosível.
ver” (chuvisco de Prata). Isso pode ser controlado com a
Um comportamento especial da prata, em peças de conta-
adição e um desoxidante, de mesmo grau que o carvão mine-
to, é a eliminação automática de óxidos de prata, por decom-
ral, na prata fundida. A prata dissolve-se prontamente em
posição em prata pura e liberação do oxigênio, à temperatura
ácido nítrico e em ácido sulfúrico quente.
de 200 a 300 oC.
Na limpeza de contatos de prata, não usar material abrasi- A prata é encontrada em massas ou em formas arbores-
vo (lixas, limas, etc). centes ou filiformes, geralmente em rochas cristalinas meta-
mórficas. Numa superfície recentemente cortada, apresenta
uma cor branca, mas geralmente sua cor é preta devido à oxi-
dação.
2

A prata dissolve-se em ácido nítrico, precipitando-se, des- Chumbo concentrado – Primeiramente são ustulados e en-
ta solução, em forma de cloreto, pelo ácido clorídrico. De tão fundidos para a produção de um chumbo (Bullion) forte,
branco, o precipitado passa a escuro, pela ação da luz. onde antimônio, arsênico, estanho e prata são bem removi-
A Prata é um dos metais industriais não ferrosos utilizados dos. A prata é removida pelo Processo Parkes, que consiste
em estado puro ou em ligas. na adição de zinco para moldar o chumbo Bullion. Zinco rea-
Depois do ouro, ela é o mais maleável e dúctil dos metais. ge rapidamente com a prata e o ouro, formando um composto
É tão maleável que com um martelo pode ser reduzida a uma insolúvel que flutua no topo da barra de ferro Bullion. Eles
lâmina com a espessura de uma folha de papel, e é tão dúctil são escumados e o zinco contido é recuperado através de um
que uma grama pode dar um fio de cerca de 2 km de compri- vacuum retorting. O restante de resíduos de chumbo – ouro
mento. – prata é tratado através de Cupelação, onde os resíduos são
III. PROCESSAMENTO DA PRATA aquecidos a temperaturas de 800ºC ou 1.450ºF, sobre fortes
condições de oxidação, a prata e o ouro, permanecem em
A. Introdução
suas formas elementares, enquanto o chumbo óxido é remo-
Preparação do mineral para o uso em vários produtos. A vido, a Liga de ouro e prata que desta forma foi produzida é
prata tem seu grande valor além do seu brilho metálico bran- refinada pelo processo Moebius ou Thum Balbach.
co, por sua condição de ser facilmente trabalhada e sua resis- Os resíduos da prata refinados são tratado através de afi-
tência a efeitos corrosivos do oxigênio. O brilho desse mate- nação ou partição para concentração do ouro contido, o
rial puro é devido sus configuração eletrônica, com resulta- qual, é refinado pelo processo Wohwill.
dos em refletir todas radiações eletromagnéticas de ondas
mais curtas que 3000 armstrongs.
IV. O METAL E SUAS LIGAS
A prata, como o ouro, tem um sistema cúbico cristalino de
faces centradas. Sendo ela a mais leve entre todos os materi- A prata que foi totalmente trabalhada no calor. Ou por ro-
ais preciosos. lling (rolando), ou sendo forjada, gradualmente recristaliza,
voltando a temperatura ambiente. Ë um metal que e mole der-
B. Mineração e Concentração retido, sendo suscetível para se juntar e rapidamente ser
A prata é minerada com métodos de abrir os buracos e tri- unido. Para manter a dureza, depois, outros materiais são
turar os minérios. Depois de estarem realmente triturados, adicionados para formar ligas que são duras, fortes e pouco
eles são submetidos a flotação, aonde usualmente são con- propensas à fadiga. A melhor liga conhecida é a liga de cobre
seguidas concentrações de 30 a 40% do mineral. Nos tipos e prata, com 92,5% de prata e 7,5% de cobre.
de minérios encontrados, o minério de chumbo contém a Prata e ligas de prata e cobre, apesar de estáveis no ar,
maior concentração da prata e o de zinco a menor. mancham-se na presença de enxofre. Para melhorar a resis-
tência a mancha, mas de 40% de paládio é adicionado. Pra se
obter o brilho e a resistência contra corrosão da prata e em
C. Extração e Refinamento
outros metais e ligas, a galvanização de prata é utilizada. Ba-
O processo específico de extração metalúrgica aplicada
nhos a base de cianeto são muito, usualmente, empregados.
depende de qual mineral tem sua concentração maior nos
Pela prata ser o melhor metal condutor de eletricidade, ela é
minérios de ferro encontrado, pode ser o cobre, zinco ou o
usada em ligas para contatos elétricos. Paládio e níquel me-
chumbo.
lhoram a resistência química dos metais contra oxidação e a
Cobre concentrado – A fundição e conversão do cobre
sulfidação melhora contra a corrosão. Latão e prata são os
(SULFIDE) concentrado, resulta numa bolha de cobre que
mais usados metais em filetes.
contém de 97 a 99% de prata da sua concentração original.
A liga de latão típica é composta por 50% de prata, 34 de
Com o refinamento eletrolítico, as impurezas insolúveis cha-
cobre e 16% zinco.
madas de “Lama”, gradualmente vão se acumulando no fun-
do do tanque de refinamento. Esse contém a mesma quanti-
dade original de prata, mas em uma concentração muito mai- V. COMPOSIÇÕES QUÍMICAS
or, por exemplo, a prata antes estava com uma concentração Entre 25 e 40% da prata industrial é consumida na produ-
de 0,2%, pode resultar numa “Lama” de 20% de concentra- ção dos químicos fotossensíveis clorato de prata e Brometo
ção de prata. Na próxima fusão, feita em um pequeno forno, de Prata. Esses sais de prata são preparados a partir da adi-
todos os metais são realmente oxidados, exceto a prata, o ção de clorato de sódio e bromato de sódio, para uma solu-
ouro e os metais do grupo da platina. O metal recuperado é ção pura de nitrato de prata. A alta insolubilidade do cloreto
chamado de “Doré”, que geralmente contém 0,5 a 5% de de prata ou bromato de prata faz com que se precipitem na
ouro, 0,1 a 1% dos metais do grupo da platina, e o restante solução. Todos os processos são feitos em lugares com au-
de prata. O metal é jogado para forma de anodos e eletrizado, sência de toda e qualquer luz.
em uma solução de nitrato de prata e cobre. Duas diferentes
Óxidos de prata (Ag2O e AgO), servem como material ca-
técnicas de eletrodefinição são utilizadas, a Moebius e a
tódico em baterias primárias e secundárias. A grande densi-
Thum Balbach Sytens. A principal diferença entre elas, é que
dade de energia das baterias primárias (as medidas de ener-
na primeira os eletrodos são dispostos verticalmente, e na
gia avaliada, é feita pela unidade de peso) é responsável por
segunda a disposição é horizontal. A Prata obtida chega a
elas serem empregadas em miniaturas de pilhas de câmeras e
uma pureza de 99,99%.
“timepieces”.
3

VI. NITRATO DE PRATA tura do cristal eletrolítico. Exemplos incluem as pilhas de


É um reagente químico cáustico, importante como anti- Prata-Prata, rubídio iodo-iodo, e misturas e lítio-lítio iodo
séptico, e na produção industrial de outros sais de prata, é chumbo iodatos. Baterias que contém íons de polímeros são
um reagente analítico químico. Sua fórmula química é Ag- estudadas extensivamente.
NO3. Aplicada em superfícies e membranas mucosas, o nitra- Baterias de armazenagem – pilhas secundárias de chumbo.
to de prata é usado também na forma de bastão de cáustica As então chamadas baterias secundárias de chumbo são
lunar (Caustic Pencil, “Lápis Cáustico”), de 0,01% a 10% de muito amplamente usadas em baterias recarregáveis. Muitas
nitrato de prata em água. O bastão é usado para remover baterias são construídas com placas de chumbo, ou grades
papilas e granulações de tecidos e para cauterização de feri- onde umas delas, o eletrodo positivo, é coberto com dióxido
mentos e ulcerações. Soluções bem diluídas são adstringen- de chumbo em sua forma cristalina particular, juntamente
tes e muito anti-sépticas. Em solução de 1 a 2% é efetivo com aditivos de Calcium Lignosulfato. O Eletrólito, composto
contra a bactéria “gonnococal” e pode ser aplicado nos de ácido sulfúrico, participando na reação do eletrólito, onde
olhos de crianças recém nascidas contra a cegueira vinda da o sulfato de chumbo é formado e portando uma corrente elé-
gonorréia. trica com o movimento dos íons. Recentes estimativas de-
Nitrato de prata pura é um intermediário da preparação de monstraram que em termos de capacidade de uso (Watts /
outros sais, incluindo a Prata Coloidal, composto usado na hs), a bateria de chumbo ácida possui uma capacidade de 20
medicina e na prata “halide, é incorporada em emulsões foto- vezes que as de Níquel cádmio ou níquel-ferro alcalinas.
gráficas. A bateria de chumbo ácida é mais bem sucedida, devido
Na química analítica, soluções aquecidas de nitrato de aos seguintes fatores: grande capacidade de percursos para
prata são usadas nas determinações volumétricas de “Hali- grandes e baixas correntes, exigidas a temperatura ambiente
des”, cianetos e tio cianetos, é boa para detecção da redução usual; tem um bom ciclo de vida com reabilitação para cente-
de reagentes e da variação dos cátodos de ácidos que são nas de ciclos, especialmente tendo um bom controle de re-
formas insolúveis de sais de prata. carga. (o material positivo ativo pode liberar várias 100 amp e-
Nitrato de prata é feito em grandes quantidades por dis- res horas durante a vida da bateria); relativo baixo custo (o
solvição de Prata em ácido nítrico. Cristaliza em lâminas chumbo é barato por kilogramas ou ampéres / horas, perto do
transparentes à 212ºC (414ºF). A solubilidade à 20ºC, é de 22 níquel, cádmio ou prata).
gramas para 100 gramas de água. É moderadamente solúvel
em álcoois etílicos e metílicos e menos prolongado em vários VIII. APLICAÇÕES
outros solventes orgânicos. Quando aquecido em aproxima-
A Prata é usada principalmente na:
damente 320ºC, o nitrato de prata perde oxigênio, formando o
- Indústria elétrica;
nitrito de Prata. Em altíssimas temperaturas (red head), a pra-
ta é formada. - Indústria eletrônica;
- Indústria química;
- Indústria de eletrodomésticos;
VII. BATERIAS - Indústria automobilística;
Baterias primárias – pilhas de Prata óxido de zinco. Um sis- - Indústria de telecomunicações.
tema alcalino, nessa pilha, a prata oxida o cátodo e preserva
o ânodo de zinco. Por causa da sua tolerância a relativas
IX. PRATEAÇÃO
grandes correntes de pulsos de cagas, ela opera, aproxima-
damente, a 1,5 Volts constantes. A pilha de prata óxido de A prateação pelo processo galvânico é de grande utilidade
zinco e comumente usada em relógios, câmeras e aparelhos e grandemente difundida em vista dos resultados, pois, com
de surdez. Devido a sua excelente capacidade de carrega- um gasto relativamente pequeno, conseguimos dar uma per-
mento à distância, essa pilha foi usada em baterias de torpe- feita aparência de prata aos objetos tratados.
dos militares. O seu único inconveniente é que, depois de prolongada
Pilhas em miniatura podem ser obtidas com óxidos bivalen- exposição à luz, toma uma cor preto amarelada, pois se com-
tes de prata ou óxidos monovalentes de prata, que é formal- bina com relativa facilidade com o ácido sulfídrico contido
mente usada por sua alta capacidade. em leves traços no ar atmosférico, formando sulfeto de prata,
Outros sistemas de baterias primárias – muitos outros ti- de cor negra. Neste caso, o objeto poderá ser tratado e poli-
pos de pilhas são usadas em menor escala. Por exemplo, pi- do, readquirindo sua cor primitiva.
lhas que produzem pequenas tensões como a pilha Clark A prata é facilmente depositada dos seus sais, sejam eles
(Mercúrio de zinco sulfato de mercúrio, 1,434 Volts) e a Pilha simples ou compostos, porém os melhores resultados são
Weston (mercúrio de cádmio, sulfato de mercúrio, 1,019 obtidos com os cianatos duplos, como, por exemplo, um sal
Volts). Magnésio de prata e clorato de magnésio de chumbo de prata e potássio.
são comumente empregados em operações embaixo do mar. Em linhas gerais, o processo é feito a quente, a uma temp e-
Onde a água salgada torna-se o eletrolítico, enquanto a bate- ratura que oscila entre 60 e 80ºC. Podemos também realizá-lo
ria esta submergida. a frio, agitando de vez em quando o eletrólito.
Um novo importante grupo de sistemas de pilhas com um A prata a ser utilizada no banho, pode ser usada na forma
eletrólito sólido, o qual há mistura dos componentes, onde de cianeto, cloreto ou nitrato, sendo mais comumente empre-
os íons podem ser movidos vagarosamente dele para a estru- gada sob a forma de cianeto.
4

Usamos um sal duplo de cianeto de prata e potássio, mis- sal ouroclorato de sódio, NaAuCl4.2H2O, é usado no trata-
turando-se o cianeto de prata com uma solução de cianeto mento de atrite reumática.
potássico.
Não é conveniente usar cloreto de prata, pois este altera
III. APLICAÇÕES
com a luz, somente podendo ser manipulado no escuro.
Podemos usar duas fórmulas, em ambas as quais a percen- Esse metal, que apresenta uma condutividade elétrica bas-
tagem de prata é de 1 %: tante boa, destaca-se pela sua estabilidade química e pela
a) cianeto potássico 200 gramas conseqüente resistência a oxidação, sulfatação, etc. Também
suas características mecânicas são adequadas para uma série
Cianeto de prata 100 gramas
de aplicações elétricas, havendo porém a natural limitação
Água destilada 10 litros
devido ao seu preço.
b) Cianeto potássico 200 gramas
O ouro é encontrado eletricamente em peças de contato na
Cloreto de prata 100 gramas
área de correntes muito baixas, casos em que qualquer oxida-
Água destilada 10 litros ção poderia levar à interrupção elétrica do circuito. E o caso
Com ânodos de grafite, a uma temperatura de 25ºC, a den- de peças de contato em telecomunicações e eletrônica. O uso
sidade de corrente será de 0,2 ampéres por dm2 e a tensão do nesse caso é feito na forma pura, não sendo encontrado em
banho de 0,5 volts. forma de liga, pois esta somente eliminaria as propriedades
Se usarmos um banho preparatório de: vantajosas que o ouro apresenta.
Cianeto de prata 250 gramas
Cianeto de sódio 600 gramas
Cloreto de amônio 40 gramas VI. DOURAÇÃO
Água 10 litros A douração tem atualmente grande importância, principal-
Os ânodos poderão ser carvão ou de aço; a uma tempera- mente na fabricação de objetos de fantasia, de metais co-
tura de 25ºC a densidade de corrente será de 0,5 ampére por muns e não nobres, pois, devido ao banho, o seu aspecto
d e a tensão de 0,75 a 1 volts. melhora, aumentando ao mesmo tempo de valor.
Os banhos para dourar são facilmente preparados se
usarmos uma solução de cianeto de potássio e cianeto de
OURO ouro.
Para este banho poderemos usar o ouro necessário, na
forma de cloreto de ouro, ou na forma de ouro fulminante.
I. CARACTERÍSTICAS FÍSICO/QUÍMICAS O processo descreve-se como:
Símbolo: Au; O cloreto de ouro é obtido dissolvendo-se ouro em água
Número atômico: 79; régia, isto é, uma parte de ácido nítrico e duas ou três partes
Peso atômico: 197,2; de ácido clorídrico.
Condutividade Elétrica: 71% do cobre; O ouro fulminante é obtido pela passagem do amoníaco
numa solução de cloreto de ouro, formando-se uma massa
Cor amarela, modificada pela presença de outros metais.
pardacenta, a qual, em estado seco, explode em contato com
O ouro funde-se na chama de maçarico. Inatacado pelos
o ar, razão pela qual sempre devemos mantê-la úmida.
ácidos simples, dissolve-se numa mistura dos ácidos clorí-
A quantidade de ouro contida nos banhos varia entre 0,5 a
drico e nítrico, produzindo uma solução de cloreto de ouro.
1%.
Esta solução, quando diluída em água toma com o cloreto de
estanho uma coloração chamada púrpura de Cássio. A douração poderá ser feita em banhos quentes e banhos
frios, podendo variar a temperatura dos banhos quentes en-
Surge em várias partes do mundo em aluviões e rochas íg-
tre 50ºC e 75ºC, usando-se uma tensão de 1,5 a 2 volts, e com
neas. Os depósitos mais produtivos encontram-se na Aus-
uma densidade de corrente de 0,2 ampéres por dm2.
trália, Alasca, Califórnia e Minas Gerais.
Nos banhos frios usaremos uma tensão de 3 volts, com a
mesma densidade de corrente.
II. COMPOSIÇÃO Poderemos preparar o banho frio da seguinte maneira:
As características dos estados de oxidação do ouro são Cloreto de ouro 7 gramas
+1 (aurious componds) e +3 (auric componds). O ouro é mais Água 1 litro
facilmente “deslocado” em soluções pela redução que vários Fazemos precipitar o ouro da solução supra, por meio do
outros materiais, igualado a platina, pode reduzir íons Au 3+ amoníaco, obtendo-se o ouro fulminante.
em ouro metálico. Filtramos o precipitado, lavando-se com água perfeitamen-
Entre os relativos poucos compostos do ouro de impor- te limpa e preparando-se então uma solução, que deverá ser
tância prática, estão o ouro I clorado, AuCl; Ouro III clorado, perfeitamente dissolvida, com:
ou triclorado de ouro, AuCl; e Chlorauric gold, HAuCl4. To- Cianeto potássico 12 gramas
dos os três são envolvidos no refinamento eletrolítico do Água 1 litro
ouro. Devemos ferver a solução supra até desaparecido o cheiro
Cianeto de potássio K[Au(CN)2], é a base para a maioria de amoníaco, e depois filtrá-la.
dos banhos de ouro “plantação”(galvanoplastia). O solúvel Para os banhos quentes poderemos usar a seguinte fórmula:
5

Fosfato de sódio 60 gramas aquecer o resíduo ao vermelho branco, num cadinho de gra-
Sulfeto de sódio neutro 10 gramas fite, fornecendo o ouro em forma metálica.
Água 1 litro .
Na solução acima acrescentaremos, dissolvido em peque-
na quantidade de água, o seguinte: PLATINA
Cianeto potássico 2 gramas
Cloreto de ouro 2 gramas I. INTRODUÇÃO
A temperatura do banho variará entre 50 e 75ºC, a tensão
A platina, elemento químico, o mais conhecido e mais am-
será de 1,5 volts, e a densidade de corrente de 0,15 ampéres
plamente usado dos seis metais do grupo 8, o grupo dos
por dm2.
metais da platina, é o sexto período da Tabela Periódica. É
Como ânodos devemos usar sempre chapas de ouro puro
muito duro, é um metal precioso, sua cor é branca como a da
(24 quilates) podendo-se usar ânodos de carvão somente no
prata. A platina é leve, dúctil, tem um alto ponto de fusão, e
caso de objetos muito pequenos, cuja duração final seja mu i-
tem uma boa resistência contra corrosão e ataques químicos.
to livre.
Como exemplo, sua superfície continua branca e brilhante
Além destas fórmulas, poderemos usar a fórmula reco- após um aquecimento do ar, entretanto, é instantaneamente
mendada por Pfnnhauser: dissolvida em água régia, e é pouco atacada por ácidos sim-
Fosfato de sódio 25 gramas ples.
Soda cáustica 3,5 gramas Pequenas quantidades de irídio são comumente adiciona-
Bicarbonato de sódio 3,5 gramas dos para dar uma liga forte e dura, o que conserva as pro-
Cianeto potássico 1,3 gramas priedades da platina pura.
Depois de dissolvermos esses ingredientes em água quen- A platina e suas ligas são indispensáveis no laboratório
te acrescentamos 2 gramas de cloreto de ouro e finalmente 6 de química para eletrodos para cadinhos, pratos nos quais
gramas de bissulfito de sódio. os materiais podem ser aquecidos em altas temperaturas.
Com esse banho, devemos usar ânodos de platina com Platina é usada para contatos elétricos e pontos brilhan-
uma tensão de 10 volts, duração de 5 a 6 segundos, devendo tes, porque a resiste a ambos, altas temperaturas e ao ataque
os objetos estar em movimento. químico dos arcos elétricos.
Podemos alterar a cor da douração se usarmos nos banhos Devido às suas propriedades antioxidantes o seu uso elé-
sais de prata e de cobre. trico é encontrado particularmente em peças de contato,
Usando-se ambos em proporções adequadas poderemos anodos, fios de aquecimento. É o metal mais adequado para
obter a coloração chamada dourado de rosa. a fabricação de termoelementos e termômetros resistivos até
A seguinte fórmula poderá ser usada: 1000oC, pois até essas temperaturas não sofre transforma-
Ferrocianeto de potássio 30 gramas ções estruturais, fazendo com que a resistividade varie na
Carbonato de potássio 30 gramas mesma proporção da temperatura.
Cianeto de sódio 2 gramas A resistência da platina é relativamente alta e depende da
Cloreto de ouro 5 gramas fabricação. Sobre a temperatura, a escala internacional de
Água 1 litro temperatura de 183 a 630ºC (-297 a 1.166ºF), é definida nos
Os ânodos serão de ouro rosado, com um espaçamento de termos de resistência do termômetro feito com um fio de pla-
10 cm, a temperatura de banho 80ºc, tensão 5 volts, e densi- tina. Como catalisador, a platina tem várias aplicações, é no-
dade de corrente 0,2 ampéres por d. tável como catalisadores automotivos e no refinamento de
Muitas vezes queremos preparar um banho de douração petróleo.
utilizando restos de ouro puro metálico. Uma variedade ordinária da platina nativa é chamada de
Para isto, devemos dissolver 1 grama de ouro em 10 cm3 de polixileno, que é de 80 a 90% platina, com de 3 a 4% de ferro,
ácido nítrico, aquecendo a solução. com uma adição de outros metais da platina, ouro, cobre ou
níquel.
Devemos evaporar a solução até obtermos como resultado
uma massa pardacenta. Muito cuidado, pois os gases que se A platina forma a série de importantes compostos com es-
desprendem são venenosos. tados de oxidação de +2 e +4. Muitos destes compostos con-
tém complexas coordenações com o íon de Cloro (Cl-), amô-
Esta massa deverá ser dissolvida em água, filtrada, e pre-
nia (NH3), ou outros grupos são vinculados ao átomo central
cipitada com amoníaco. O ouro fulminante assim obtido é
da platina. Misturada com os metais de transição, a platina
tratado pela maneira anteriormente exposta.
tem uma grande tendência a formar vínculos com o carbono.
Para a recuperação de ouro contido nos banhos não mais
A platina natural é a mistura de seis isótopos: Platina-190
utilizados, podemos usar dois processos.
(0,0127%), platina-192 (0,78%), platina-194 (32,9%), platina-
Se o líquido que contiver o ouro não tiver cianeto, diluímo-lo
195 (33,8%), platina-196 (25,3%) e a platina-198 (7,21%). To-
com água, decantamos, e adicionamos sulfato ferroso para
dos são instáveis exceto a platina 190 e a platina 192, por
precipitar o ouro. Isto se dará se a reação for ácida, e em caso
terem sido expostas a emissões alfa de longa vida.
contrário devemos torná-la ácida, por meio de ácido clorídri-
co ou sulfúrico.
O precipitado é decantado e recolhido por meio de filtra- II. CARACTERÍSTICAS FÍSICO/QUÍMICAS
ção. Se o líquido contiver cianeto devemos evaporá-lo e Símbolo: Pt;
6

[Número atômico: 78]; O resíduo do sulfato de ródio é fundido com nitrato de sal
Peso atômico: 195,2; alcalino para converter rutênio para o solúvel rutenato de
Ponto de Fusão: 1.76ºC (3.216ºF); sódio (Sodium Ruthenata), depois da filtragem, essa solução
Ponto de ebulição: 3.827ºC (6.920ºF); é tratada com cloro gasoso para destilar o rutênio no com-
Gravidade específica: 21,45 (à 20ºC); posto volátil o tetraóxido de rutênio. O Rutênio destilado é
Valencia: 2,8; então tratado com agentes redutivos par precipitar o rutênio
Configuração eletrônica: 2-8-18-32-17-1. em um fino pó de metal. O Ósmio é recuperado em um forma
similar, embora, diferente do rutênio, pode também ser recu-
Encontrada em liga com o ferro, irídio, ródio, paládio e o
perado pela destilação com a adição de soluções ácidas.
ósmio. Os cristais são raros, aparecendo o metal geralmente
em grãos ou escamas. O Resíduo final é tratado com peróxido de sódio para con-
verter irídio para forma solúvel no ácido hidroclorídrico, o
As reações químicas da platina colocam-na como metal
qual pode ser precipitado com clorato de amônia e cálcio
maleável e dúctil, não se fundido a chama do maçarico, solú-
para o pó do metal.
vel apenas na água régia, cujo produto tratado com o cloreto
de potássio dissolvido, apresenta um precipitado. Quando
alta a percentagem de ferro, o metal é magnético. B. Consolidação
Não respectivo a processos de separação químicos usa-
dos, a platina é recuperada na forma de pó metálico. Ela pode
III. MINERANDO E CONCENTRANDO ser convertida para forma de metal maciço através da fusão
O maior depósito do Sul da África e Canadá é explorado por feixe de luz (Electron Beam Melding). O baixo ponto de
com mineração subterrânea. fusão do paládio pode ser fundido por técnicas de fusão
Realmente todos os metais da platina são recuperados do induzida.
cobre ou minérios de sulfato de níquel, o qual é concentrado
pela separação ou flotação. Refinando o produto concentra- C. Refinamento do Refugo
do, em autoclaves. O resíduo sólido contém de 15 a 20% de Essa não é a técnica universalmente usada para o repro-
metais do grupo da platina. cessamento da platina. A escolha do procedimento depende
Às vezes, a separação gravitacional é empregada antes da da proporção de variação dos metais do grupo da platina na
flotação, o que resulta em concentrações de 50% dos metais amostra. Por exemplo, platina ou liga de platina, pode ser
do grupo da platina, tornando o refinamento desnecessário. redissolvido em água régia e recuperado por técnicas de so-
lução.
Ligas contendo rutênio e irídio são às vezes solubilizados
IV. EXTRAÇÃO E REFINAMENTO
por fusões alcalinas. Uma vez dissolvidos o metal, o proces-
A. Solubilização Individual so químico é empregado para sua recuperação.
O procedimento clássico para separação dos metais com a A carta de refugo da platina, paládio e ródio é criada em
concentração mineral obtida, e como descrito acima. Esse conversões catalisadores de automóveis. O catalisador é
concentrado é misturado em água régia, que dissolve a plati- fundido em uma temperatura muito alta, com ferro ou cobre
na e o paládio e abandona outros metais leves na forma de para fundir o substrato do catalisador e dissolver os metais
resíduos. A platina precipita com uma solução de clorato de do grupo da platina e o molde de cobre ou ferro. A liga de
amônia, e a resultante são o as de platina cru, que é recupe- cobre e de metais preciosos para dissolver o cobre ou ferro,
rado através da filtração e com aquecimento, para decompor levando depois a platina – paládio – ródio concentrada, o
isso até a forma de pó metálico. O metal é redissolvido em qual é refinado para metais puros com química, como já foi
água régia, que é novamente precipitado em clorato de amô- visto anteriormente.
nia e cálcio para o metal puro. O paládio é remanescente em V. METAIS E SUAS LIGAS
solução com a platina, estando precipitada, é agora precipi-
As propriedades dos seis metais do grupo da platina são
tado através da adição de amônia. Depois dos sais de palá-
diferentes. Platina e paládio são duros e bem dúcteis, esses
dio serem recuperados através de filtragem, eles são dissol-
metais e a maioria das suas ligas podem ser trabalhados
vidos e precipitados novamente para forma de sal puro, o
quente ou frio. Irídio pode ser trabalhado a quente, como o
qual é convertido para forma metálica, usualmente pela redu-
rutênio, mas com dificuldade, nenhum metal pode ser traba-
ção química com ácido fórmico.
lhado apropriadamente a frio.
Os resíduos que sobram contém ródio, irídio, rutênio e
Ósmio é o mais duro do grupo e o que possui o maior pon-
ósmio. O qual ‘é tratado com bissulfato de sódio derretido
to de fusão, mas é limitado quanto à oxidação. Irídio é o mais
para converter o radio em sulfato de ródio.
resistente à corrosão entre os seis metais, enquanto que o
O ródio é solubilizado pela água, separa-se do insolúvel e
ródio é valioso por reter suas propriedades em altas tempera-
precipita da solução por redução com pó de zinco. O metal
turas.
ródio bruto produzido é convertido em um sal solúvel por um
tratamento com cloro e sódio clórico em alta temperatura,
dissolvido na água, precipita com o nitrato de sódio, é filtra- VI. CATALISADORES
do, dissolvido novamente e precipitado de novo com clorato Aproximadamente 42% de toda platina produzida no oeste
de amônia. O precipitado final é transformado em um pó de do Mundo é empregada como catalisadores. Desses, 90%
metal puro. são aplicados a sistemas de escape de automóveis, que con-
7

vertem monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio em água, to de sódio, e aquecendo a solução a ponto de ebulição, e
dióxido de carbono e nitrogênio. mantendo o volume constante. O amoníaco se desprenderá
Em ligas de platina e 10% de ródio, formado através de da solução, apresentando esta uma reação ácida ao papel de
operações em elevada temperatura, serve de catalisador na tornassol, e estando pronta para o emprego.
reação entre amônia e ar, produzindo o óxido de nitrogênio e A platina metálica é dissolvida em água régia consena
ácido nítrico. Na refinação do Petróleo, a platina é distribuída mesma usada para fórmula primeiramente examinada.
sobre a superfície do óxido de alumínio e colocado no recipi-
ente do reagente. Lá é catalisado forma moléculas de nafta, GALVANOPLASTIA
em isoparafinas contendo misturas de alto octanato de gaso-
lina.
I. INTRODUÇÃO
Podemos definir galvanoplastia como a tecnologia res-
VII. GALVANOPLASTIA ponsável pela transferência de íons metálicos de uma dada
Todos os metais do grupo da Platina podem ser galvani- superfície sólida ou meio líquido denominado eletrólito, para
zados. Paládio é o mais fácil de ser processado, e o metal é outra superfície, seja ela metálica ou não.
galvanizado torna-se muito mais forte que o metal forjado. Sendo a prata o metal nobre mais utilizado devido às suas
Ródio é o mais comumente usado na galvanoplastia, entre excelentes propriedades químicas e técnicas. Aos metais
os metais do seu grupo, por causa da sua dureza e brilho nobres pertencem à prata, o ouro, e os metais da série da pla-
obtidos de sus eletro deposição. tina, rutênio, ródio paládio, ósmio e irídio. Os metais nobres
têm uma posição especial entre os metais, a qual consiste na
sua grande resistência química. Eles não oxidam quando
VIII. PLATINAGEM expostos à atmosfera, não obstante a formação de uma fina
Os banhos de platina são pouco usados em galvanização, película oxidante sobre a sua superfície. A única exceção é a
tendo o seu maior emprego para fins de joalheria. Assim prata que tem afinidade como enxofre e suas combinações.
como o ouro, a platina é um metal precioso e muito adequada Ultimamente, diversos metais nobres ganharam maior si-
para banhos galvânicos. gnificação na indústria eletroeletrônica, sobretudo a prata,
Tem uma grande vantagem sobre o ouro, isto é, maior du- usada com bastante freqüência, devido às suas excelentes
reza, pois uma capa de platina oferece muito maior resistência propriedades na transmissão de calor, eletricidade e boa per-
do que uma capa de ouro. Uma das fórmulas mais comuns é a formance na soldabilidade. Sua aparência pode ser brilhante
seguintes: ou fosca.
Cloreto de platina 80 gramas
Cloreto de amônio 120 gramas; REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
Ácido cítrico 500 gramas
Soda cáustica 10 gramas - Materiais para Equipamentos de Processos, TELLES, Pedro,
Água 5 litros. Editora Interciência.
Dissolver o cloreto de platina em água, acrescentando-se - Manual Prático de Galvanização, BUSONI, Editora LEP S.A.
cuidadosamente uma solução de cloreto de amônio, até pre- - Internet - www.britannica.com e outros.
cipitar-se completamente o cloreto platínico amoniacal, assim
formado. Dissolver então o ácido cítrico em 2 litros de água,
e neutralizá-lo por meio de soda cáustica. Aquecer esta solu-
ção até a fervura e então misturar com o cloreto platínico
amoniacal já filtrado. Depois do mesmo estar completamente
dissolvido, deixar esfriar e diluir a solução até termos 5 litros.
O ânodo usado deverá ser do tipo insolúvel, podendo ser
de platina ou não.
A uma temperatura de 70ºC a densidade de corrente será
de 1 ampére por dm2, com uma tensão de 2,5 voltes.
Se preferirmos usar a platina na forma metálica, poderemos
aplicar a seguinte fórmula:
Platina 5 gramas
Fosfato de amônio 50 gramas
Fosfato de sódio 250 gramas
Água 1 litro.
A platina metálica é dissolvida em água régia. Concentra-
mos a solução, deixamos resfriar e dissolvemos em 100 cm3
de água. O fosfato de amônio é dissolvido em 400 cm3 de
água, e, separadamente, o fosfato de sódio em 500 cm3 de
água. Misturamos a solução de platina com a solução de
fosfato de amônio. Acrescentamos então a solução de fosfa-