Você está na página 1de 6
1‐ Na tirinha acima, podemos observar um tipo de animal pertencente ao filo dos Platelmintos.

1‐ Na tirinha acima, podemos observar um tipo de animal pertencente ao filo dos Platelmintos. Tal animal, conhecido como planária, apresenta grande poder de regeneração, onde independente do tecido perdido, o mesmo pode ser regenerado. Tal capacidade regenerativa se dá devido:

a. À presença de células tronco, com capacidade de diferenciação tecidual.

b. À presença de tecido adiposo, na qual substitui as partes de seu corpo perdidas.

c. À presença de células epiteliais que se dividem em larga escala e substitui o tecido danificado

d. À presença de líquido celomático com proteínas ativadoras de regeneração tecidual.

e. À presença de células chamadas células flama, na qual podem se modificar e se transformar em outros tipos celulares.

2‐ Na tirinha acima, o fato do professor dizer que anêmonas não sabem para onde

2‐ Na tirinha acima, o fato do professor dizer que anêmonas não sabem para onde “caminham”, representa um fato ligado a simetria desses indivíduos. Uma interpretação correta para essa tirinha seria:

a. Anêmonas pertencem ao filo dos Cnidários, que apresenta indivíduos com simetria bilateral, o que confere cefalização ao mesmo.

b. Anêmonas pertencem ao filo dos Platelmintos, o primeiro filo a apresentar cefalização, na escala evolutiva.

c. Anêmonas pertencem ao filo dos Cnidários, que apresenta indivíduos com simetria radial, o que não confere cefalização a esse grupo.

d. Anêmonas pertencem ao filo dos Platelmintos, que apresentam simetria radial, o que não confere cefalização a esse grupo.

e. Anêmonas pertencem ao filo dos Cnidários. Tal filo apresenta indivíduos assimétricos e sem organização tecidual.

3‐

A Lei de Spencer é uma lei que disserta sobre a relação superfície/ volume de uma

4‐

célula, comparando‐a com um sólido geométrico chamado cubo. Sabendo as fórmulas para o cálculo da área e do volume do cubo, uma das premissas para a divisão celular é que:

a. Ao aumentar a superfície celular, o volume pode sofrer aumento ou diminuição, que depende exclusivamente de fatores bioquímicos.

b. Ao aumentar a superfície celular, seu volume aumenta em proporção semelhante, sempre mantendo a mesma razão matemática, de valor 1, portanto, uma célula não se divide se aumentar drasticamente de tamanho.

c. Ao aumentar a superfície celular, seu volume diminui drasticamente, modificando a razão área/ volume para um valor >1, o que facilitaria muito mais a coordenação celular pelo núcleo.

d. Ao aumentar a superfície celular, o volume pode sofrer aumento ou diminuição, dependendo dos fatores hormonais e genéticos envolvidos neste processo.

e. Ao aumentar a superfície celular, seu volume aumenta drasticamente, modificando a razão área/ volume, resultando em um valor < 1, portanto uma célula precisa se dividir para que seu núcleo possa coordenar todo o volume celular.

Uma senhora, com seus 60 anos de idade, faz tratamento de reposição hormonal para controlar os efeitos da menopausa. Um desses efeitos é a redução drástica da liberação do hormônio estrogênio, o que promove uma queda nos níveis de cálcio depositado nos ossos. Essa deposição acontece devido a ação de:

a. Um hormônio chamado Calcitonina, liberado pela glândula tireóide

b. Um hormônio chamado Paratormônio, liberado pela glândula paratireóide

c. Um neurotransmissor chamado Dopamina, liberado pelo tronco encefálico

d. Um hormônio chamado Calcitonina, liberado pela paratireóide.

e. Um hormônio chamado Paratormônio, liberado pela medula óssea.

5‐ A partir da análise da tirinha acima, o indivíduo que está recebendo críticas pertence

5‐

A partir da análise da tirinha acima, o indivíduo que está recebendo críticas pertence ao filo:

a. Dos Cnidários

b. Dos Platelmintos

c. Dos Nematódeos

d. Dos Artrópodes

e. Dos Poríferos

6‐

Um famoso artista foi convidado a expor suas obras em um museu da cidade. Suas obras sempre envolviam a utilização de plantas vivas, sendo esse artista conhecido no

meio como “Artista verde”. O local onde suas plantas iriam ficar expostas era na nova ala do museu, o “Subsolo da Ciência”, uma área muito arejada, mas que não tinha muito contato com a luz para não estragar as obras de artes. Durante a vigência da exposição, o artista começa a notar que suas plantas estão morrendo. Isso está acontecendo porque:

a. Como a área não é bem iluminada, as plantas não podem fazer a respiração celular.

b. Como a área é bem arejada, as plantas irão fazer muita respiração celular, gastando muita energia.

c. Como a área não é bem iluminada, as plantas não podem fazer fotossíntese de forma eficaz.

d. Como a área é bem arejada, a planta não poderá fazer fotossíntese, devido o alto grau de oxigênio no local.

e. Como a área é bem arejada, o nível de oxigênio será maior que o de gás carbônico, dificultando a planta a captar esse último gás para fazer a fotossíntese.

7‐

A bactéria Clostridium tetani , bactéria causadora do tétano, tem metabolismo

anaeróbico, até chegar ao ponto do gás oxigênio ser tóxico para o seu organismo. Supondo que uma missão espacial para a Lua levasse uma série de microorganismos para testar sua capacidade de sobrevivência nesse satélite, onde a bactéria C. tetani estivesse dentre esse grupo de micróbios, qual seria a possibilidade de sobrevivência da mesma em relação à quantidade de O 2 na Lua?

a. Nenhuma, pois a bactéria, como todo organismo vivo, não pode sobreviver sem O 2

b. Nenhuma, pois a bactéria precisa de oxigênio já que ela é anaeróbica.

c. Alta, pois a bactéria poderia encontrar algum lugar oxigenado para sua

sobrevivência.

d. Alta, pois a bactéria, por não entrar em contato com O 2 , que é prejudicial a mesma, tem chance de sobreviver.

e. Nenhuma, pois os microorganismos, por serem muitos, vão competir pela baixíssima quantidade de O 2 lunar.

8‐

Uma pessoa começa a manifestar um quadro clínico representado por alterações

morfológicas como excesso de gordura acumulada, e crescimento da região do pescoço. Outras características, agora comportamentais, começam a surgir como sonolência e lentidão mental. Ao ir ao médico, essa pessoa descobre que todos esses sintomas são provenientes de sua alimentação desregulada. Tal alimentação é baseada em excesso de açúcar e quase nenhum sal iodado. Qual seria a provável doença que essa pessoa manifestou?

a. Diabetes, devido à grande taxa de açúcar ingerida;

b. Arteriosclerose, devido à rigidez dos vasos sanguíneos devido à taxa de açúcar;

c. Hipotiroidismo, devido à baixa ingestão de sal iodado;

d. Hipertiroidismo, devido à baixa ingestão de sal iodado;

e. Diabetes, devido à baixa ingestão de sal iodado.

9‐

Em sua incansável luta contra o crime, o Homem‐Aranha encontra novamente em sua frente seu arquiinimigo, o Dr. Octopus! Durante a batalha, o Dr, Octopus profere a seguinte frase, MALDITO INSETO, VOU ACABAR COM VOCÊ! Nosso herói para a luta e fica confuso, se perguntando,” como o Dr. Octopus, um gênio da ciência, comete um

erro tão simples?” Qual foi o erro do Dr. Octopus?

a. Aranhas não são insetos pois fazem parte do filo dos Quelicerados

b. Aranhas não são insetos pois fazem parte do filo dos Miriápodos

c. Aranhas não são insetos pois fazem parte do filo dos Cordados

d. Aranhas não são insetos pois fazem parte do filo dos Crustáceos

e. Aranhas são insetos, o Dr, Octopus estava certo.

10 – O sonho de voar permeia o imaginário do ser humano desde os primórdios.

10 – O sonho de voar permeia o imaginário do ser humano desde os primórdios. Na

tirinha acima, percebemos que por mais que o ser humano observe os aspectos do vôo das aves, muitas características do vôo são exclusivas desta classe. Tais características que permitem o vôo são:

a‐

b‐

c‐

d‐

e‐

Presença de ossos maciços, asas, penas e formato aerodinâmico; Presença de ossos ocos, asas, sacos aéreos e músculos peitorais desenvolvidos; Presença de ossos ocos, penas e olhos com capacidade de visualização no escuro, o que permite maior possibilidade de escapar de predadores; Ausência de esqueleto interno, o que deixa a ave mais leve, tendo a mesma densidade menor que o ar; Presença de propulsão a partir dos músculos das patas, além da presença de ossos maciços.

densidade menor que o ar; Presença de propulsão a partir dos músculos das patas, além da
densidade menor que o ar; Presença de propulsão a partir dos músculos das patas, além da
densidade menor que o ar; Presença de propulsão a partir dos músculos das patas, além da
densidade menor que o ar; Presença de propulsão a partir dos músculos das patas, além da

GABARITO

1‐ A; 2‐ C; 3‐ E; 4‐ A; 5‐ E; 6‐ C; 7‐ D; 8‐ C; 9‐ A; 10 ‐ B