Você está na página 1de 63

O que é o SOM??

O SOM é um conjunto de vibrações que


se propagam num determinado espaço.
o e propagação de um sinal

Fonte sonora
Propagação do sinal sonoro Receptor
É o corpo que vibra e produz o som.
ü Ouvido

ü O sinal sonoro é a propagação de uma vibração de um meio


mecânico por sucessivas compressões (zonas com maior densidade
de moléculas) e rarefacções (menor densidade de moléculas).
ü A onda sonora é uma onda de pressão.
A onda sonora é uma onda de
pressão

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível

● Quarto nível

● Quinto nível
Acústica – A Velocidade do
Som
As ondas sonoras propagam-se em meios sólidos,
líquidos e gasosos, com velocidades que dependem
das diferentes características dos materiais. De um
modo geral, as velocidades maiores ocorrem nos
sólidos e as menores, nos gases.
A 20°C, o som propaga-se no ferro sólido a 5100m/s,
na água líquida a 1450m/s e no ar a 343m/s.

VSól. > VLíq. > VGas.


 Densidade  velocidade 
Velocidade de Propagação do
Som em diferentes meios

Clique para editar os estilos do texto mestre


Segundo nível
● Terceiro nível
● Quarto nível
● Quinto nível

x
x = v×t ⇔ v =
t
Acústica – A Freqüência do
Som
Infra-som: sons com freqüências abaixo de 20Hz. Não
perceptível ao ser humano;
Ultra-som: sons com freqüências acima de 20000Hz. Não
perceptível ao ser humano;
Som audível: sons com freqüências perceptíveis ao ser
humano (20Hz a 20000Hz)

Infra- Som Ultra-


som audível som

f
0 2 20.00 (Hz)
0 0
Propriedades do som
1. Intensidade
üÉ a propriedade do som que nos permite distinguir entre
sons fortes e sons fracos.

ü Relaciona-se directamente com a amplitude da onda


sonora.

Som fraco (pouco intenso) Som forte (muito intenso)

A amplitude da onda A amplitude da onda


sonora é pequena. sonora é grande.
Intensidade

A intensidade é uma característica do som


que está relacionada à energia de vibração da
fonte que emite as ondas. Essa propriedade
do som é provocada pela pressão que a onda
exerce sobre o ouvido ou sobre algum
instrumento medidor da intensidade sonora,
como um decibelímetro ou um dosímetro, por
exemplo.
Quanto maior a pressão maior será a
intensidade medida por esse aparelho.
Intensidade

A intensidade sonora é medida em uma


unidade chamada bel, em homenagem ao
cientista inglês Granham Bell, o qual fez
estudos que culminaram com a invenção do
telefone.
No entanto, os submúltiplos do bel são
mais utilizados: 1 decibel = 1dB = 0,1 bel.
Espectro Sonoro
Acústica – A Intensidade
do Som
Um som de Uma onda sonora Maior transporte de
maior de maior energia pela onda
volume amplitude.

Som de maior intensidade


2. Altura
ü
É a propriedade do som que nos permite distinguir um
som agudo (alto) de um som grave (baixo).

ü
Relaciona-se directamente com a frequência da onda
sonora.

Som agudo (alto) Som grave (baixo)

A frequência da onda A frequência da onda


sonora é grande sonora é pequena
3. Timbre
ü
Propriedade do som que permite distinguir dois sons
com a mesma altura e intensidade, produzidos por
fontes sonoras diferentes.
Acústica – O Timbre do
Qualidade que permite Som
diferenciar duas ondas sonoras
de mesma altura e mesma intensidade, emitidos por
fontes distintas.
O timbre está relacionado à forma da onda emitida
pelo instrumento.
Propriedades do som

Reflexão

Refracção

Difracção

Ressonância
Reflexão do som

ue para editar os estilos do texto mestre


ndo nível
erceiro nível A reflexão do som
Quarto nível ocorre quando as ondas
● Quinto nível

sonoras encontram
superfícies duras e lisas.
Nestas condições voltam
para trás, reflectindo-se.
Reflexão do Som
Persistência acústica : menor intervalo de tempo
para que dois sons não se separem no cérebro. A
persistência acústica do ouvido humano é de 0,1s.
Um ouvinte consegue distinguir dois sons distintos
desde que os receba em intervalos de tempo
maiores (ou iguais) a 0,1s.
Esse fato possibilita ao observador perceber o
fenômeno da reflexão do som em três níveis: eco,
reverberação e reforço.
Reflexão do Som
t=intervalo de tempo para que o som que foi emitido pelo
observador e refletido seja recebido pelo mesmo.

t
0s t

• Eco: ocorre quando t  0,1s. O observador ouve


separadamente o som direto e o som refletido.
• Reverberação: ocorre quando  t < 0,1s. Há um
prolongamento da sensação auditiva.
• Reforço: ocorre quando  t  0s. Há somente um aumento
da intensidade sonora.
O eco

Como é uma onda, o som está


sujeito aos fenômenos ondulatórios
como a refração e reflexão.
A reflexão sonora é percebida
através de um fenômeno muito
curioso co-nhecido como eco. Para
entendê-lo, imagine uma pessoa em
um salão amplo que bate palmas uma
única vez. Dependendo do tamanho
do salão, depois de um curto intervalo
de tempo, essa pessoa será capaz de
ouvir esse som de palmas novamente.
Isso ocorre porque o som, ao se
propagar, acaba encontrando um
obstáculo. Ao incidir nesse obstáculo, o
som sofre uma reflexão e volta para a
fonte, que nesse caso é a pessoa que
bateu palmas.
É verdade que na maioria das vezes o
eco não é percebido. Isso acontece por um
motivo curioso. Para que o ouvido perceba
os dois sons (o incidente e o refletido) de
maneira distinta, é necessário que eles
estejam separados por um intervalo de
Por isso que foi mencionado que a
sala deveria ser ampla.
Com esse intervalo de tempo e
conside-rando que o som se propaga com
velocida-de de 340 m/s, a distância
mínima existente na sala para se
perceber o eco deverá ser de 17 m.
No cálculo anterior utilizamos a
famosa equação de velocidade media .
Consideramos que, nesse caso, o som
se propagou com velocidade constante.
Definimos o deslocamento como 2.d,
pois estamos considerando a distância de
ida mais a distância de volta percorrida
pela onda sonora.
O eco é de fundamental importância
para os morcegos.
Como são criaturas com grau de
visibilidade extremamente limitada, eles
conseguem perceber os obstáculos à sua
frente através da emissão de ultra-sons.

Essas ondas, ao baterem nos


obstáculos, voltam. Pelo intervalo de
tempo entre o som emitido e o refletido,
os morcegos conseguem perceber a que
distância se encontram dos obstáculos.
RADAR

RADAR
O eco é de fundamental importância
também para os golfinhos.
Os golfinhos utilizam o princípio do
eco na água para capturarem seu
alimento.
SONAR
Há um outro fenómeno importante relacionado com a
reflexão do som: amplia-o e torna-o mais forte.
A ressonância.

Daí que as violas tenham


caixa de ressonância
para ampliar o som destas.
Freqüências Naturais e
Ressonância
Batendo-se numa das hastes do diapasão, as duas vibram
com determinada freqüência (normalmente, 440Hz). Essa é a
freqüência natural (ou própria) do diapasão.

diapasão

• Todos os corpos possuem uma freqüência própria (prédio, ponte,


copo, etc.).
Exemplo de Ressonância

A ponte de Tacoma Narrows entrou em ressonância, provocada pela vibração


dos cabos metálicos existentes em sua estrutura. Suas amplitudes de
oscilação aumentaram a ponto de provocar sua ruína
Refração do som

Há refracção do som quando o som muda de direcção


quando passa através de meios distintos.
A refração do som obedece às leis da
refração ondulatória, fenômeno que
caracteriza o desvio sofrido pela frente
de onda, que geralmente ocorre,
quando ela passa de um campo
ondulatório (por exemplo, ar) a outro de
elasticidade (ou compressibilidade, para
as ondas longitudinais) diferente (por
exemplo, água).
Convém frisar que ao passar de um
campo (meio) para outro (do ar para a
água, no exemplo), a característica do
som que se mantém é a sua altura
(freqüência); assim, tanto o
comprimento de onda (λ) como sua
velocidade de propagação (V) são
diferentes em cada campo ondulatório.

f = V1/λ 1 = V2/λ 2 =
V3/λ 3 ...
As ondas sonoras se propagam
no ar e em outros meios materiais.
Elas não se propagam no vácuo,
já que se transmitem através de
vibrações moleculares e as moléculas
precisam estar próximas, o que no
vácuo não acontece.
Difração do som

Difracção do som é a propriedade que as ondas


sonoras apresentam em contornar os obstáculos que
encontram durante a sua propagação.
Difração de um onda por uma abertura.

cristas da onda
onda Difração de um onda por um obstáculo
onda difratada
incidente
onda
incidente

onda
obstáculo difratada
obstáculo

Difração de ondas em um tanque de água.

a) b)
4040
.

DIFRAÇÃO.

Consideremos que uma onda,


propagando-se na superfície da
água, encontre um obstáculo
dotado de estreita abertura, como
mostra a figura ao lado.

Observamos que a parte da onda


que não foi interrompida não se
mantém em linha reta.

Ao passar pela abertura a onda se


espalha em todas as direções.
Quando isto acontece, dizemos que
houve difração da onda.
O fenômeno da difração somente é
nítido quando as dimensões da
abertura ou do obstáculo forem da
ordem de grandeza do comprimento
de onda da onda incidente.

A difração ocorre com qualquer tipo


de onda. Nas ondas sonoras, por
exemplo, permite que escutemos a
voz de uma pessoa que nos chama,
mesmo que esta pessoa esteja atrás
de um obstáculo.
Som
O movimento das moléculas muda a densidade do meio,
diferenças de densidade  diferenças de pressão 
 movimento das moléculas.
Ao vibrar, a fonte sonora (ou seja, o corpo que emite som) comprime e
rarefaz o ar que se encontra em sua vizinhança. Formam-se, desse modo,
ondas (as onda sonoras) que se propagam no espaço.
Ao penetrar no ouvido elas fazem a membrana do tímpano vibrar, e esse
sinal é então transmitido ao cérebro, que o interpreta como som.

Ouvido externo - Ouvido médio -


Ouvido interno
1) Canal auditivo 2) Tímpano 3) Martelo 4) Bigorna 5) Estribo 6) Janela
oval 7) Tromba de Eustáquio 8) Cóclea 9) Nervo auditivo
EFEITO DOPPLER.

Denomina-se efeito Doppler a alteração da freqüência notada pelo


observador em virtude do movimento relativo de aproximação ou
afastamento entre uma fonte de ondas e o observador.
Embora se trate de um fenômeno característico de qualquer propagação
ondulatória, o efeito Doppler sonoro é mais comum em nosso cotidiano.
Efeito Doppler
O efeito Doppler, para ondas sonoras, constitui o
fenômeno pelo qual um observador percebe uma
freqüência diferente daquela emitida por uma fonte,
devido ao movimento relativo entre eles (observador
e fonte).
É o que acontece quando uma ambulância, com sua
sirene ligada, passa por um observador (parado ou
não). Enquanto a ambulância se aproxima, a
freqüência por ele percebida é maior que a real (mais
aguda); mas, à medida que ela se afasta, a
freqüência percebida é menor (mais grave).
Observador em Repouso e fonte em
movimento
Fonte aproxima-se do observador O1: haverá um
encurtamento aparente do comprimento de onda 1, em
relação ao  normal. A freqüência percebida pelo observador
será maior que a freqüência real da fonte.
Fonte afasta-se do observador O2, haverá um alongamento
aparente do comprimento de onda 2, em relação ao 
normal. A freqüência percebida pelo observador será menor
que a freqüência real da fonte.

O2 O1
V

F
Observador em Repouso e fonte em
movimento
Para o observador O1, que se aproxima de F, haverá um
maior número de encontros com as frentes de onda, do que
se estivesse parado. A freqüência por ele percebida será
maior que a normal.
Para o observador O2, que se afasta de F, haverá um
menor número de encontros com as frentes de onda, do
que se estivesse parado. A freqüência por ele percebida
será menor que a normal.

V V

O1 V=0 O2
Efeito Doppler - Conclusão
Movimento de aproximação entre fonte e observador:

f RECEBIDA > f EMITIDA

• Movimento de afastamento entre fonte e observador:

f RECEBIDA< f EMITIDA
SOM: Velocidade de Propagação

Numa noite de trovoada, ouves o


trovão após teres observado o
relâmpago. Se a trovoada estiver
longe, o intervalo de tempo pode ser
de vários segundos.
Isto mostra que a velocidade do som
no ar é muito menor do que a luz.
COMO SE DETERMINA A VELOCIDADE DO
SOM?
É necessário saber:
- a distância percorrida pela onda sonora;
- O intervalo de tempo que esta onda demora a
percorrer.
Exercícios
• 2. (PUC-RS) Quanto a sua natureza e forma de propagação, as
ondas podem ser classificadas em eletromagnéticas ou mecânicas,
de longitudinais ou transversais. Uma das evidências que as ondas
sonoras são longitudinais é que elas não sofrem:

a)    reflexão.
b)    refração.
c)     interferência.
d)    polarização.
e)     difração.

Alternativa D
Exercícios
3. (Unirio) Dois operários, A e B, estão parados no
pátio de uma fábrica. Em certo instante, a sirene
toca. O operário B ouve o som da sirene 1,5 s após o
operário A tê-lo ouvido. Considerando a velocidade
do som constante e de módulo 340 m/s, a distância,
em metros, entre os dois operários é:

A B
Solução - 3
VSo
m
A tS
B
om

∆t Som = 1,5s d d


 VSom = ⇒ 340 =
DadosVSom = 340m s ∆t Som 1,5
d = ?
 d = 510m
Alternativa C
Exercícios
• 4. (FEI-SP) Quando uma onda sonora atinge uma região em que a
temperatura do ar é diferente altera-se:

a) a freqüência.
b) o comprimento de onda.
c) o timbre. f constante
d) a intensidade do som. Temperatura varia
e) a altura do som. Densidade varia
V e  variam

Alternativa B
Exercícios
• 6. (Fatec-SP) Quando uma onda sonora periódica se propaga do
ar para a água:

a) o comprimento de onda aumenta.


b) o comprimento de onda diminui.
c) a freqüência diminui.
d) a velocidade diminui.
e) nda.
f constante
Densidade aumenta
V e  aumentam

Alternativa A
Exercícios
• 7. Uma pessoa em P1 emite um som que alcança o ouvido de
outra pessoa, situada em P2, no fundo do mar. Qual dos caminhos
mostrados na figura deste problema poderia representar a
trajetória seguida pela onda sonora de P1 até P2?
a) P1AP2.
b) P1BP2.
c) P1CP2.
d) P1DP2. f constante
e) P1EP2. Densidade aumenta
V e  aumentam
Ângulo aumenta
Afasta da normal

Alternativa D
Exercícios
• 8. (Fafeod-MG) Uma pessoa, a 680m de distância de um
obstáculo refletor, dá um grito e ouve o eco de sua voz. A
velocidade do som no ar é de 340m/s. O tempo gasto entre a
emissão do som e o momento em que a pessoa ouve o eco, em
segundos, é igual a:
a) um valor que não pode ser calculado com os dados fornecidos.
b) 1
c) 2
d) 4
e) 8
Distância percorrida pelo som d= 2680= 1360m
Velocidade do som = 340m/s

d 1360
V = ⇒ ∆t = ⇒ ∆t = 4s
Alternativa D ∆t 340
Exercícios
• 9. (UFU-MG) Um estudante de Física se encontra a uma certa
distância de uma parede, de onde ouve o eco de suas palmas.
Desejando calcular a que distância se encontra da parede, ele
ajusta o ritmo de suas palmas até deixar de ouvir o eco, pois este
chega ao mesmo tempo que ele bate as mãos. Se o ritmo das
palmas é de 30 palmas por minuto e a velocidade do som é de
aproximadamente 330m/s, a sua distância da parede é de:

Freqüência das palmas f=30 palmas/min


Velocidade do som = 330m/s
Intervalo de tempo entres as palmas (T) = tempo de
eco ( t)
Exercícios – Solução 9
Freqüência das palmas f=30 palmas/min
Velocidade do som = 330m/s
Intervalo de tempo entres as palmas (T) = tempo de
eco (t)
30palmas 30palmas 1
f = = ⇒ f = palmas s
1min 60s 2
1 1
T = = ⇒ T = 2s
f 12
T = ∆t = t IDA + tVOLTA ⇒ t IDA = 1s
d d
V = ⇒ 330 =
t IDA 1
Alternativa C
d = 330m
Quando um automóvel aproxima-se de nós buzinando, percebemos o som
da buzina mais agudo (maior freqüência) do que perceberíamos se o
veículo estivesse em repouso. Por outro lado, quando o automóvel afasta-
se buzinando, percebemos um som mais grave (menor freqüência) do que
perceberíamos se o veículo estivesse em repouso.
Desenhando as frentes de onda, percebe-se que quem está à direita da
fonte recebe, num certo tempo, um número maior de ondas. Nesse caso,
a freqüência do som se torna maior, isto é, produz um som mais agudo.
Para quem está à esquerda o número de ondas diminui, o que diminui a
freqüência é torna o som mais grave.
TESTES DE ONDULATÓRIA.

1) A propagação de ondas envolve, necessariamente:


a) transporte de matéria e energia;
b) transformação de energia;
c) produção de energia;
d) movimento de matéria;
e) transporte de energia;
2) Dois homens conversam através de uma espessa parede de 3m de
altura interposta entre eles. Este fato pode ser melhor explicado pelo
fenômeno de:
a) difração;
b) refração;
c) reflexão;
d) reflexão total;
e) interferência
3) . A ponte de Tacoma, nos Estados Unidos, ao receber impulsos
periódicos do vento, entrou em vibração e foi totalmente destruída. O
fenômeno que melhor explica esse fato é:
a) o efeito Doppler;
b) a ressonância;
c) a interferência;
d) a difração;
e) a refração;
O número de ondas que passa por um ponto na unidade de tempo, é denomina
a) freqüência;
b) amplitude;
c) período;
d) velocidade de propagação;
e) comprimento de onda

5) Distância que vai do eixo médio da onda até uma crista:


a) amplitude;
b) timbre;
c) período;
d) ressonância;
e) difração
6. Fenômeno em que uma fonte sonora oscila espontaneamente quando
atingida por um som de mesma freqüência:
a) amplitude;
b) reflexão;
c) sonar;
d) ressonância;
7. Um som de alta freqüência é muito:
a) forte;
b) agudo;
c) grave;
d) fraco;
8. Numa experiência clássica, coloca-se em uma campânula de vidro,
onde se faz o vácuo, uma lanterna acesa e um despertador que está
despertando. A luz da lanterna é vista, mas o som do despertador não é
ouvido. Isso acontece porque:
a) o comprimento de onda da luz é menor que o do som;
b) nossos olhos são mais sensíveis que nossos ouvidos;
c) o som não se propaga no vácuo e a luz sim;
d) a velocidade da luz é maior que a do som;
e) o vidro da campânula serve de blindagem para o som, mas não para a
luz;

9. A propriedade que nos permite distinguir a nota dó emitida por um


piano e a nota dó emitida por um violão, sendo ambas de mesma
freqüência, é:
a) a altura;
b) o volume;
c) o timbre;
d) a intensidade;
e) A potência

10. O efeito Doppler está relacionado com a sensação de:


a) variação de altura do som;
b) variação de timbre do som;
c) aumento de intensidade do som;
d) diminuição de intensidade do som;
e) constância da altura do som

Você também pode gostar