P. 1
Representações da realidade - roteiro de trabalho de campo

Representações da realidade - roteiro de trabalho de campo

|Views: 345|Likes:
Roteiro de campo desenvolvido po Gabriel G. Hornink e Carla Panzeri. Unicamp, Instituto de Geociências, Departamento de Geociências aplicada ao Ensino.

Esta proposta apresenta uma sequência de 3 atividades, relacionadas com o uso de representações do ambiente, num contexto geobiocientífico para compreender de melhor forma o local, assim como refletir as diferentes representações (foto, mapa, imagem de satélite). Consiste em uma atividade pré-campo, uma atividade de campo e outra pós campo. Apesar de ser direcionada para um local específico na região de Campinas-SP, poderá ser utilizada como base para criação de outras atividades que tenham objetivos convergentes.

Disponível em: http://www.bdc.ib.unicamp.br/gv
Roteiro de campo desenvolvido po Gabriel G. Hornink e Carla Panzeri. Unicamp, Instituto de Geociências, Departamento de Geociências aplicada ao Ensino.

Esta proposta apresenta uma sequência de 3 atividades, relacionadas com o uso de representações do ambiente, num contexto geobiocientífico para compreender de melhor forma o local, assim como refletir as diferentes representações (foto, mapa, imagem de satélite). Consiste em uma atividade pré-campo, uma atividade de campo e outra pós campo. Apesar de ser direcionada para um local específico na região de Campinas-SP, poderá ser utilizada como base para criação de outras atividades que tenham objetivos convergentes.

Disponível em: http://www.bdc.ib.unicamp.br/gv

More info:

Categories:Types, Research, Science
Published by: Gabriel Gerber Hornink on Oct 11, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See more
See less

06/28/2013

pdf

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino

Pode inclusive apresentar questões para resolução. Neste sentido. entretanto as questão são formulados pelo professor. é capaz de questionar a sala de aula tradicional. geralmente. Este tipo de trabalho é. uma vez que não há espaço para construção de novos conceitos. Scortegagna (2005) afirma que os trabalhos de campo permitem ao aluno se posicionar perante o saber teórico vigente. Este tipo de campo é centralizado no professor. 1993:90). motivador e investigativo (Compiani & Carneiro. O campo indutivo guia o aluno por uma certa seqüência dos processos de observação e interpretação. ele reforça o papel dos alunos (críticos) na construção dos conhecimentos. valorizando a experiência de cada um e os seus questionamentos. porque valorizam-se aspectos mais genéricos. são elas: ilustrativo. “desmistificando a ciência e construindo um saber mais próximo do seu cotidiano” . indutivo. Os trabalhos de campo podem ter diversas abordagem. . 1993:90) O campo ilustrativo é a mais tradicional das saídas de campo. o senso comum e a afetividade com o meio. onde o conflito entre o real e as idéias ocorre com toda a intensidade”. e. O campo motivador tem como objetivo despertar o interesse dos alunos para um dado problema ou aspecto a ser estudado. A saída de campo é centrada no aluno. pois serve para reafirmar um conhecimento (ilustrar algo visto em sala de aula). O objetivo é despertar a curiosidade e o interesse do aluno para a disciplina ou curso. realizado com alunos desprovidos de conhecimentos geológicos anteriores. o aluno observa e anota o que vê. principalmente os locais e contextualizados. como a paisagem. podendo apresentar mais de uma dela.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino Módulo Representações da Realidade 1) Introdução O desenvolvimento de atividades de campo para a construção de saberes é de extrema importância ao alunado. em que o professor assume uma postura mais distante/ inacessível (COMPIANI. 2007). O professor conduz os alunos à determinados resultados. problematização e crítica do conhecimento. Paschoale (1984) destaca o campo como “cenário de geração.” (Compiani & Carneiro. não há liberdade de criação de problemas pelos alunos. sendo bem trabalhado. O campo proporciona um excelente ambiente de ensino.

O aluno possui independência para elaborar seus problemas também. neste ponto estamos como um trabalho de campo ilustrativo. a partir da qual poderão ser criadas novas formas de representação. vá ao campo buscar observar o que viu nas representações. após atividade pré-campo. Também permeia a atividade algumas “pitadas” de indutivo e investigativo. neste ponto o campo adquiri algumas características de campo investigativo.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino A atividade de campo investigativa propicia ao aluno resolver certos problemas no campo. entretanto. Devido este olhar crítico vamos denominar um dos focos como “ilustrativo crítico”. Pretende-se que o aluno. criar hipóteses e estruturar a seqüência de observação. Outro objetivo deste trabalho será discutir com os alunos como diferentes formas de representação podem nos fornecer informações de natureza diversa. mapas geológicos e imagens de satélite. A medida que é proposta uma certa seqüência de olhares e atividades (esperadas) ele adquire um pouco da característica indutiva. entretanto. Pretende-se a partir do mesmo explorar o aspecto motivador do estudo do meio. Nesse caso o professor atua como “orientador” e o papel do aluno passa a ser mais ativo. como essa seqüência apresenta brechas para novas formas de olhar e para a observação de novos problemas e situações do local. focando para representação cartográfica. A proposta deste estudo do meio tem como foco o “ensino de ciências” a partir da elaboração de um roteiro de campo do qual constam 3 ponto de parada. Apesar das distinções entre as distintas propostas de trabalhos de campo é importante lembrar que normalmente um trabalho de campo pode possuir características de mais de um tipo. observação e/ou coleta de material. 2) Proposta A proposta desta atividade é trabalhar as formas de representação do meio. O trabalho será realizado com alunos do ensino médio do município de Campinas-SP. a idéia é que o aluno observe que as representações são dadas por escolhas de quem as fez e representam apenas uma parte de algo do meio e que eles podem considerar estas representações corretas ou não e até mesmo criar propostas de novas representações. . podendo ter uma principal e outras com menor enfoque. uma vez que a observação será orientada para os aspectos relacionados a geologia do local (uso do mapa geológico da região) entre outros (uso do mapa topográfico e imagem de satélite).

1 http://www. os alunos serão convidados a selecionar os elementos da paisagem que consideram representativos do local. máquina fotográfica. podendo ser trabalhado de forma conjunta entre os professores de Ciências/Biologia. Etapa: sistematização dos dados coletados em campo para a produção de mapas a partir do croqui e das fotos e. podendo portanto definir quais os conteúdos e referências são relevantes para o conhecimento que estão produzindo ou re-produzindo.com. A ser realizado em sala de aula. 3) Objetivos O objetivo geral é refletir e discutir em grupo as questões das formas de representações do espaço/ realidade. Etapa: estudo de mapa topográfico. busca-se também. confrontando as informações obtidas através da interpretação dos mapas e imagens com a realidade observada em campo. através da desmistificação do conhecimento científico. mapa geológico e imagem de satélite do local. Vale ressaltar que o tema representações da realidade é multidisciplinar. a partir do momento em que durante a segunda etapa do trabalho. Português. 2ª. mapas e imagens de satélite do local.gpstm.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino Assim. lápis de cor e papel A3. reflexão e discussão sobre o papel das diferentes formas de representação. um olhar crítico sobre as formas de representações. Fornecer subsídios para discussão sobre as representações técnicas (mapas e imagens) e as representações produzidas pelos alunos. Desenvolver novas formas de representação a partir do julgamento dos alunos.br . Matemática. Etapa: o estudo do meio propriamente dito. computador e software (GPS Trackmaker1). Geografia. Este trabalho será realizado com os alunos do ensino médio através de 3 etapas: 1ª. Interpretar a região onde vive no sentido de compreendê-la melhor e produzir a sua própria representação da mesma (croqui). constando a visita aos 3 pontos pré-estabelecidos. etc. Para tanto será utilizado GPS. 3ª.

Apresente primeiro aos alunos o mapa topográfico e depois que encontrarem os pontos o mapa geológico e imagens de satélite. entretanto o intuito é de . Cartografia básica. 5) Tempo previsto para a atividade Para desenvolver todo o módulo estima-se 1 aula para atividade prévia. Informática básica e uso inicial de SIG.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino 4) Conceitos/ conteúdos envolvidos: Escalas e seus usos. 7) Orientações para a atividade de campo: A primeira atividades dos alunos será relacionar as informações prévias com o que estão observando no campo. Velocidade. Tipos de rochas. 6) Orientações para o pré campo: A idéia inicial dos alunos encontrarem os pontos na mapa é de que possam trabalhar com as escalas e mapas. espaço e tempo. A idéia é que os alunos tentem visualizar estas informações no campo. 2 aulas para atividade pós campo. 4 aulas para atividade de campo. marcando uma idéia de campo ilustrativo. compreendendo o uso da bússola e a importância das referências para a leitura e navegação num mapa. incluindo limitações no modo de tentar representar a realidade. Formas de representação (geral). Ondas eletromagnéticas (relacionando com o uso do GPS). Toda forma de representação possui características específica. Norte geográfico e norte magnético. Discuta as questões do pré campo com os alunos auxiliando-os no entendimento de conceitos geocientíficos.

momento no qual os grupos poderão criar novos conceitos sobre a temática. A proposta é que o aluno busque outras informações que considera relevante sobre o local e que eleja o que ele considera mais representativo.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino que o aluno observe de forma crítica. Durante a atividade Os alunos deverão ter um primeiro momento para exploração do software (o professor poderá esclarecer dúvidas sobre o programa). Nesse ponto chamaremos o campo de ilustrativo crítico. georeferenciar pontos de interesse e registrar o ambiente por meio de foto digital. Os grupos deverão abrir o arquivo com o mapa topográfico de Campinas-SP . além da criação das novas representações do espaço.1) Na sala de computadores: Preparação Instalar o software GPS Trackmaker (versão gratuita do software). Para esta atividade os alunos manterão os grupos do trabalho de campo. pois será semelhante nos demais pontos. assim. Sempre é recomendável que o aluno leve para a atividade um caderno de anotações e um lápis ou caneta. contribuindo para a construção da idéia de representações . 8. além de. incluindo estas informações. caso necessário. 8) Orientações para as atividades pós-campo: A continuidade do trabalho pós campo é importante para a construção da idéia de representação do espaço/ realidade e também para o momento de socialização das discussões e trabalhos dos grupos. assim com do Local/Regional estudado. A partir dessa escolha os alunos criarão croquis dos locais. Aqui novamente um ponto interessante de discussão: “toda representação é resultado de um conjunto de escolhas e prioridades”. É importante que fique claro a proposta no primeiro ponto. de modo que poderá se opor ou complementar as representações que possuo.

os croquis e demais informações do campo os alunos poderão criar.1. Questões para discussão Inicialmente pode-se abrir para que cada grupo apresente seu trabalho.R. as representações do espaço.2) Em sala de aula: Após a atividade com o computador. 33. 1993. conforme desejarem. O Software GPS Trackmaker também permite a transferências de imagens do google earth para a área de trabalho. Scortegagna. Congresso Brasileiro de Geologia. etc. p. Rio de Janeiro. vol. vol. 5242-5249. O. p./Apr. 2007. As representações deverão ser impressas para a próxima fase da atividade.D. M. Ciênc. O lugar e as escalas e suas dimensões horizontal e vertical nos trabalhos práticos: implicações para o ensino de ciências e educação ambiental. explicando o que foi feito. p. racionalizar algumas questões que poderão ser levadas para a discussão em grupo.29-45. Maurício. no. no. Rio de Janeiro.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino (1:50. vol 5.13. Paschoale.1.1.2. como moderador da discussão. Alice no país da geologia e o que ela encontrou lá. Jan.90-98. p. (Bauru). Jan. Os papéis didáticos das excursões geológicas. Enseñanza de las Ciências de la Tierra. Com o arquivo aberto. Anais.. In: SBG.1. C. Trabalhos de campo na disciplina de Geologia Introdutória: a saída autônoma e seu papel didático. A. poderá incluir a temática “como as informações de natureza diferenciada podem contribuir para a construção da compreensão do local?” 9) Referências bibliográfica: COMPIANI. Terrae didatica. Carneiro. educ. Negrão. 2005. 1984. Compiani. O momento individual do aluno é importante para que ele possa refletir consigo mesmo as questões trabalhadas e assim. C. O professor. o porque das escolhas. vol. .36-43. 8. solicita-se que os alunos respondam à alguns questionamentos individuais para depois ser aberto o compartilhamento dos trabalhos e a discussão em grupo. no.000) georeferenciado e pegar os dados do GPS.

000. para tanto forneceremos as coordenadas do ponto 1 e as referências/ azimute para os outros dois pontos. Local: Sala de aula ou outro local com mesas retas. Coletivo da escola: Bússula magnética. 8000 m 2) Com os pontos localizados. datum Córrego Alegre As referências dos pontos 2 e 3 são baseadas no ponto 1. Refletir inicialmente sobre as formas de representação do espaço. 3600 m Ponto 2 para Ponto 3: Azimute 321°. Objetivo: i.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino Roteiro ATIVIDADE PRÉ-CAMPO Material: Por grupo:1 régua. mapa geológico e imagens de satélite)? . Que informações estas representações trazem de cada ponto a ser visitado? 3) Que diferentes informações podem ser observadas nas distintas representações apresentadas (mapa topográfico. observe as demais representações que lhe serão entregues. Compreender o uso do mapa topográfico e da bússola. 1 mapa topográfico. Grupos: 4 pessoas. O azimute é dado pelo Norte Magnético. 1 mapa geológico e 3 imagens de satélite. 2 lápis. O mapa topográfico está em escala UTM. Obs. O mapa está na escala 1:50. Ponto 1: Norte 7470684 m – Oeste 291713 m (UTM) Ponto 1 para Ponto 2: Azimute 150°. Atividades pré Campo: 1) Nosso primeiro objetivo será encontrar no mapa topográfico os três pontos que serão visitados.

2 pranchetas. 4) Fotografar o que considerar relevante para enriquecer o croqui. Confrontar as informações obtidas através da interpretação dos mapas e imagens com a realidade observada em campo. iii. ROTEIRO DO CAMPO Ponto 1 – Estação Anhumas 1) Observar os pontos visitados buscando relacionar com as informações que foram levantadas no pré campo 2) Existe alguma informação observada no campo que você considere relevante para representar o local? ( o que é representativo do local) 3) Eleja elementos representativos do local para prepara um croqui incluindo pontos georeferenciados (para tanto utilize o GPS da escola). 1 mapa geológico e 3 imagens de satélite.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino ATIVIDADE DE CAMPO Material: Por grupo: 1 régua. Coletivo da escola: Máquina fotográfica. Interpretar a região onde vive no sentido de compreendê-la melhor e produzir a sua própria representação da mesma (croqui). 1 mapa topográfico. 2 lápis. Fornecer subsídios para discussão sobre as representações técnicas (mapas e imagens) e as representações produzidas pelos alunos. . bússula magnética e GPS. Grupos: 4 pessoas (os mesmos da atividade de pré-campo) Objetivos: i. ii.

. (para tanto utilize o GPS da escola).UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino Ponto 2 – Trevo da Leroy Merlin/ Decathlon 1) Observar os pontos visitados buscando relacionar com as informações que foram levantadas no pré campo 2) Existe alguma informação observada no campo que você considere relevante para representar o local? ( o que é representativo do local) 3) Eleja elementos representativos do local para prepara um croqui incluindo pontos georeferenciados. 4) Fotografar o que considerar relevante para enriquecer o croqui.

.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino Ponto 3 – Unicamp (próximo ao hospital das clinicas) 1) Observar os pontos visitados buscando relacionar com as informações que foram levantadas no pré campo 2) Existe alguma informação observada no campo que você considere relevante para representar o local? ( o que é representativo do local) 3) Eleja elementos representativos do local para prepara um croqui incluindo pontos georeferenciados. (para tanto utilize o GPS da escola). 4) Fotografar o que considerar relevante para enriquecer o croqui.

Coletivo da escola: GPS (para download das informações coletadas). fotos. i. Que novas informações você obteve na visita? 3) Discussão em grupo: Temática: Como informações de natureza diferenciada podem contribuir para a construção da compreensão do local? . croquis. Disponibilizar os arquivos desenvolvidos no ambiente virtual da escola. Objetivo: i. coordenadas geográficas dos pontos de interesse. iv.UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS Instituto de Geociências Departamento de Geociências aplicada ao Ensino Roteiro ATIVIDADE PÓS-CAMPO Material: Por grupo: Anotações das observações do trabalho de campo. pontos georefernciados) crie uma nova representação para os locais visitados. máquina fotográfica (download das fotos) e impressora. Utilizando seus materiais de campo (anotações. dos croquis e pontos georeferenciados. fotos. Atividades pós Campo: 1) Produzir novas representações a partir das anotações de campo. Grupos: 4 pessoas. utilizando software GPS Trackmaker. ii. 2) Responder as perguntas individualmente: i Como você considera que os mapas e a imagens de satélite ajudaram na visita aos pontos? ii. Local: Sala de informática e sala de aula. croquis. 1 computador. Abra o arquivo com o mapa base da área de estudo. arquivo com mapas de fundo para edição. iii. Refletir e discutir sobre os diferentes tipos de representação. Explore as ferramentas do software.

Anexos: Anexo A – Mapa topográfico da área do trabalho de campo Página 13 .

Anexo B – Mapa geológico da área do trabalho. Página 14 .

Anexo C – Imagem de satélite do ponto 1. Página 15 .

Anexo D – Imagem de satélite do ponto 2. Página 16 .

Página 17 .Anexo E – Imagem de satélite do ponto 3.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->