Você está na página 1de 1
70 Atavetzago letamento Reaparecem aqui as mesmas diferengas apontads nos textos anteriores. No texto da erianga de classe métlia-alta, a atribuigdo da fungio representative & Jinguagem da professora: daraula, contar histrias, dar matérias novas ete. fungdo reguiladora aparece minimizada na prpria estrutura lingiistica com que a crianga se refere a elu: Se precisur de chamar atencao do aluno s6 chamar. No texto da crianga de nivel socioeconémico baixo, a predomindincia da fungio reguladora, a ‘mportincia que assume nela 0 verbo mandar, a auséncia do verbo ensinar: Essa diferente percepedo do uso da ingua na escola, por criangas pertencentes a diferentes classes sociais, parece indicara plausibilidade das hipéteses que estou propondo: classes sociais diferentes privilegiam certas fungdes da lingua, em detrimento de outras; em conseqtiéncia, 0 processo de sovializagdo das criangas, «emuma ou outra classe, as leva a determinadas expectativas a respeito do interlocutor «das fungies que tm 0 uso da Iingua por ele: a conseqtiéncia “escolar” € que as criangas interpretam as situagies de interacio verbal na escola segundo 0 “modelo funcional” que Ihes impde sua situaglo de classe. Nao ¢ dificil inferir de tudo isso mais uma explicagio lingtistica. pa fracasso das criangas das camadas populares na escola: enguanto as criangas das classes favorecidas vem essa instituigao como um espago e um tempo de aprendizagem, ja que, para clas, a lingua € af usada predominantemente com a fungdo representativa, as etiangas das eamadas populares a vem como um espago e tempo de “modelagem” de seus comportamentos sociais, pois, para clas, a lingua tem, na escola, uma fungdo predominantemente reguladora Até aqui, procurei mostrar resultados de pesquisa que permitem inferir a percepcio que as criangas de classes sociais diferentes t&m das fungdes com que a lingua ¢ usada na escola. Cabe perguntar: no processo de alfabetizagiio, ou seja, de aquisigao das condigdes de uso da lingua escrita, elas também se diferenciam, por atribuirem & escrita fungdes diferentes? Procurarei responder a essa pergunta analisando novamente produces cseritas de eriangas de 3# © 42 séries do Ensino Fundamental, Trata.se de textos coletados em pesquisa que teve o objetivo de caracterizar e controntar a expressio eserita de criangas pertencentes a classes soviais diferentes, para testa hipétese Ievantada por Bernstein (1971) de que hd predominincia de significacdes universalisias na Tinguagem de eriangas de classe média, e de significacdes pariicularistas na Tinguagem de criangas das classes trabalhadoras. A andlise do ‘corpus evidenciou, entre outros resultados que nao cabe mencionar aqui, por fugirem ao tema central desta exposieZo, uma diferenca fundamental quanto 2 funeio que criangas pertencentes a classes sociais diferentes atribuem a lingua escrita Vejam-se os dois textos seguintes — neles, duas meninas pertencentes, ‘uma as classes Favorecidas, outra as camadas populares, dio a0 tema “Se eu pudesse” aproximadamente a mesma resposta: se eu pudesse acabar com a Violéncia. Ha, porém, uma grande diferenga entre os dois textos: