Você está na página 1de 1

ESTUDO DA FORMAÇÃO DE REBARBAS NO FRESAMENTO DE

BLOCOS DE MOTORES DE FERRO FUNDIDO CINZENTO


1. Introdução
Rebarbas, no processo de usinagem podem receber inúmeras
definições. São alterações relacionadas ao mecanismo de corte, que
se formam na superfície usinada, resultando na projeção de material
da peça para fora dos planos das superfícies trabalhadas, causando
alterações geométricas e dimensionais. Ko & Dornfeld (1991) definem
rebarba como sendo uma projeção indesejável de material da peça,
formada na frente da aresta de corte devido à deformação plástica
durante a usinagem. A formação de rebarbas nos processos de
fabricação causa grandes problemas durante o corte, como por
exemplo, o desgaste prematuro da ferramenta, pobre acabamento
superficial, risco à integridade física dos operadores, além de ser um
empecilho na automação dos processos de fabricação. Com isso o
processo de rebarbação (processo de retirada de rebarbas nas bordas
das peças) torna-se indispensável para dar acabamento às peças e
garantir as tolerâncias dimensionais do projeto.
O processo de rebarbação nem sempre pode ser automatizado,
tornando-se um procedimento manual, e criando assim um obstáculo
à redução de custos e ao aumento de produtividade, ou seja, cria um
gargalo na produção, onerando a mesma. A importância que a
formação de rebarbas representa para a usinagem levou ao estudo
sobre mecanismos de formação de mesmas. Os trabalhos não são
abundantes, porém os pesquisadores não medem esforços para
tentar eliminá-las ou mesmo reduzir suas dimensões. Alguns
trabalhos científicos importantes sobre rebarbas foram publicados na
década de setenta por Gillespie & Blotter (1976).