Pós-Moderna

CONHECIMENTOS ESPECIFICOS AGENTE ADMINISTRATIVO RELAÇÕES HUMANAS
Se abordarmos as relações humanas num contexto mais profundo, perceberemos que as nossas começam quando ainda estamos no útero de nossas mães. O primeiro contato, a primeira sensação de segurança, vem deste íntimo uterino, quando estamos sendo gerados. Infelizmente não nos lembramos das palavras carinhosas e nem dos afagos, mas essas primeiras informações nos são registradas no sótão do nosso sub-incosnciente, e desta fase surgem as nossas primeiras características como indivíduo. Desenvolvimento Pessoal Fase uterina – – Armazenamento de informações involuntárias = medos, angústias, afetividades, Coragem, etc. Fase de Conhecimentos Princípio da formação que caracteriza um indivíduo.

Onde houver duas pessoas, com certeza teremos um relacionamento. Diante do crescimento demográfico, mobilidade espacial de indivíduos e de grupos, multiplicabilidade de aspectos da vida moderna, número elevado de instituições e de grupos aos quais pertencemos (às vezes até mesmo involuntariamente), contatos rápidos e superficiais que necessitamos manter com diferentes pessoas de classes sociais, além de outros fatores, vieram alertar os psicólogos, administradores, educadores e demais profissionais, quanto à importância do estudo das relações humanas. Não é surpresa para ninguém que as pessoas diferem umas das outras, não havendo dois seres iguais no mundo. O homem sempre teve consciência das suas características individuais, das suas necessidades diferenciadas. Vejamos o exemplo de dois irmãos que foram gerados por pais de uma única família, tiveram a mesma criação, a mesma educação social e moral, mas desde pequenos demonstram características diferentes no comportamento no caráter moral e social. Então façamos as perguntas: “Por que os indivíduos diferem entre si? Quais são os fatores que produzem variações comportamentais?” Essas perguntas estimulam longas discussões. Além de sua importância teórica, o problema da causa das diferenças individuais tem significado prático de longo alcance em muitos campos. Entender o que impulsiona o indivíduo para estabelecer seus contatos, bem como as formas de comportamento adotados em uma ou outra situação são temas que, entre outros, vãos servir de subsídio para um relacionamento interpessoal rico e produtivo. Sendo assim, qualquer atividade destinada a melhorar o desenvolvimento das relações entre as pessoas precisa basear-se na compreensão dos aspectos que influenciam o total desenvolvimento. Observar com atenção os fatores que caracterizam uma relação harmoniosa entre as pessoas é saber respeitar cada indivíduo com suas características e peculiaridades. Não é fácil aceitar às vezes nem mesmo as nossas próprias atitudes, então precisamos aprender que, se quisermos nos relacionar adequadamente com outro indivíduo, precisamos nos relacionar bem primeiro com nós mesmos, vencendo nossos obstáculos internos (medos, desconfiança, insegurança, etc). Como lido no início deste texto, “Onde há duas pessoas, há um relacionamento”, e assim sendo, com certeza estaremos falando em conflitos de crenças, costumes, gostos, educação, etc., pois relacionamentos são repletos de ‘surpresas’, que distinguem um indivíduo do outro.

Poderíamos falar horas sobre este assunto, “a formação de um indivíduo”, mas o enfoque principal neste texto é a necessidade de uma comunicação integrada do indivíduo nas organizações modernas. As organizações no mundo atual exigem que as pessoas integrem-se para uma evolução social e profissional; se não há integração de indivíduos, principalmente na comunicação, não haverá produtividade, ou seja, não haverá eficiência no trabalho e no convívio social em geral.

ORGANIZAÇÃO E ARQUIVO
O que é Arquivo? Você já sabe, mas vamos tentar dar mais valor a essa palavra? O Dicionário de Terminologia Arquivística adota a seguinte definição: “Arquivo é o conjunto de documentos que, independentemente da natureza ou do suporte, são reunidos por acumulação ao longo das atividades de pessoas físicas ou jurídicas, públicas ou privadas” (CAMARGO; BELLOTTO, 1996, p. 5). Os conjuntos de atas de reuniões da Diretoria, de projetos de pesquisa e de relatórios de atividades, mais os conjuntos de prontuários médicos, de boletins de notas, de fotografias etc., constituem-se o Arquivo de uma Unidade por exemplo, e devem naturalmente refletir as suas atividades. Arquivo também pode ser definido como a entidade ou órgão administrativo responsável pela custódia, pelo tratamento documental e pela utilização dos arquivos sob sua jurisdição. Ex.: Arquivo Central da SEMTUR Ex.: Arquivo Setorial da UFMA E tem mais: ARQUIVO também é conhecido como móvel ou armário que guarda documentos (mas não vamos considerar essa definição nesse texto). Tipos de Arquivos: Baseados nas primeiras definições podemos dizer que existem vários tipos de Arquivos, tudo depende dos objetivos e competências das entidades que os produzem. Os Arquivos podem ser classificados: Segundo as entidades criadoras/mantenedoras • Públicos (federal, estadual, municipal) • Privados

1

Pós-Moderna
- Institucional (empresas, escolas, igrejas, sociedades, clubes, associações). - Pessoais (fotos de família, cartas, originais de trabalhos, etc.). Temos também os Arquivos que guardam e organizam documentos cujas informações são registradas em suportes diferentes do papel: discos, filmes, fitas e são chamados de Especiais. Estes podem fazer parte de um Arquivo mais completo. Existem aqueles que guardam documentos gerados por atividades muito especializadas como os Arquivos Médicos, de Imprensa, de Engenharia, Literários e que muitas vezes precisam ser organizados com técnicas e com materiais específicos. São conhecidos como Arquivos Especializados. Sistema de Arquivos: Sistema é um conjunto de arquivos de uma mesma esfera governamental ou de uma mesma entidade, pública ou privada, que independentemente da posição que ocupam nas respectivas estruturas administrativas, funcionam de modo integrado e articulado na consecução de objetivos técnicos comuns. Exemplo: Sistema de Arquivos da UNICAMP E Documento? É a unidade constituída pela INFORMAÇÃO (elemento referencial ou dado) e seu SUPORTE (material, base), produzida em decorrência do cumprimento de uma ATIVIDADE, preservados para servir de prova, testemunho e pesquisa. O documento pode ser Simples (ofício, relatório, memorando, relação de remessa) ou Composto (Processo) Natureza dos Documentos: Sabemos que as organizações desenvolvem diversas atividades de acordo com as suas atribuições e os documentos refletem essas atividades, porque fazem parte do conjunto de seus produtos. Portanto, são variados os tipos de documentos produzidos e acumulados, bem como são diferentes os formatos, as espécies, e os gêneros em que se apresentam dentro de um Arquivo. Vamos conhecê-los: 1. Formato: é a configuração física de um suporte de acordo com a sua natureza e o modo como foi confeccionado: Exemplos: formulários, fichas, livro, caderno, planta, folha, cartaz, microficha, rolo, tira de microfilme, mapa, etc. 2. Espécie: é a configuração que assume um documento de acordo com a disposição e a natureza das informações nesse contidas. Exemplos: ata, relatório, carta, ofício, proposta, diploma, atestado, requerimento, organograma, etc. 3. Gênero: configuração que assume um documento de acordo com o sistema de signos utilizados na comunicação de seu conteúdo. Exemplos: audiovisual (filmes); fonográfico (discos, fitas); iconográfico (obras de arte, fotografias, negativos, slides, microformas); textual (documentos escritos de uma forma geral); tridimensionais (esculturas, objetos, roupas); magnéticos / informáticos (disquetes, CD-ROM, etc). 4. Tipo de documento: é a configuração que assume um documento de acordo com a atividade que a gerou. Exemplos: Ata de Posse; Boletim de Notas e Freqüência de Alunos, Regimento de Departamento, Processo de Vida Funcional, Relatório de Atividades, Atestado de Matrícula, etc. 5. Suporte: material sobre o qual as informações são registradas. E documento arquivístico? É a informação registrada independente da forma ou do suporte, produzida ou recebida no decorrer das atividades de uma instituição ou pessoa, dotada de organicidade, que possui elementos constitutivos suficientes para servir de prova dessas atividades. Elementos principais: a) Intrínsecos ou forma intelectual:  Gênero  Espécie/tipo  Procedência (entidade produtora)  Data (Data crônica)  Local – (Data tópica)  Local  Autor  Destinatário  Texto/conteúdo/assunto  Ação ou ato  Remetente  Cargo de remetente  Anotações  Assinatura b) (Extrínsecos ou forma física)  Idioma  Cor  Letra  Selo  Quantidade  Forma  Formato  Logomarca  Suporte  Anexos E Processo? Unidade documental em que se reúne oficialmente documento de natureza diversa no decurso de uma ação administrativa ou judiciária, formando um conjunto materialmente indivisível. É interessante lembrar que o processo também pertence aos órgãos e áreas que desencadearam a ação que motivou sua criação e desenvolvimento, independentemente de serem os protocolos e arquivos setoriais ou central que coordenem sua gestão e tramitação. Ex.: Processo de concurso de livre docente, pertence ao departamento que o gerou; Processo de catálogo de cursos de graduação, pertence a coordenadoria de graduação correspondente. Gestão de documentos: Considera-se gestão de documentos o conjunto de procedimentos e operações técnicas referentes à sua produção, tramitação, uso, avaliação e arquivamento em fase corrente e intermediária, visando a sua eliminação ou recolhimento para guarda permanente (Lei Federal n.º 8.159, 1991, Art. 3º). Todos as áreas da universidade fazem gestão de documentos. O importante é que a gestão seja feita sob orientação técnica fundamentada em instrumentos aprovados pelo SIARQ.

2

Pós-Moderna
Avaliação de Documentos: Processo de análise de arquivos visando a estabelecer sua destinação de acordo com os valores que lhes forem atribuídos. Idade dos Arquivos: Você sabia que os Arquivos também têm ciclo de vida? É, e este é contado a partir da produção do documento e do encerramento do ato, ação ou fato que motivou a sua produção e da sua freqüência de uso. Essa fase se diz na Arquivologia que tem relação com a VIGÊNCIA do documento (a razão de ser do documento). Depois de destituído dessa vigência o documento pode ser guardado em função da importância das informações nele contidas, para a história da administração ou mesmo para tomadas de decisões pautadas nas ações do passado. Então o ciclo pode ser categorizado em três fases ou arquivos: - Arquivo Corrente ou de Gestão – também conhecido como de Primeira - Idade ou Ativo. São conjuntos de documentos estreitamente vinculados aos objetivos imediatos para os quais foram produzidos e que se conservam junto aos órgãos produtores em razão de sua vigência e freqüência de uso. São muito usados pela administração. - Arquivo Intermediário – também conhecido como de Segunda Idade ou Semi-Ativo. São Arquivos que aguardam em depósito de armazenamento temporário, sua destinação final. Apresenta pequena freqüência de uso pela administração. - Arquivo Permanente – também conhecido como de Terceira Idade ou Histórico. São os conjuntos documentais custodiados em caráter definitivo, em função do seu valor. O acesso é público. Atenção: Por descuido e desinformação, muitas vezes o Arquivo é considerado “morto” ou “inativo”. Lembre-se: “É importante saber estes conceitos porque os métodos de organização em cada fase do ciclo poderão sofrer algumas diferenças, devido à freqüência de uso e mesmo pelo perfil do usuário.” CLASSIFICAÇÃO DE ARQUIVOS: É interessante que a sua unidade, órgão ou área de trabalho tenha um plano de classificação para que você possa guardar os documentos dentro dos dossiês ou pastas certas. Classificação é, portanto, a seqüência de operações que, de acordo com as diferentes estruturas e atividades da entidade produtora, visam a distribuir os documentos de um arquivo. a) Identifique as atribuições e atividades da instituição e da área em que você trabalha Você poderá encontrar essas informações pesquisando nos atos legais que são: Portarias, Deliberações, Resoluções, Regimento e Estatuto. Você poderá encontrar essas informações também em Atas e/ou Relatórios da sua área. Em último caso, analise as atividades desenvolvidas e as descreva. b) Relacione e organize o que você levantou Dica: aproveite e organize uma pasta com os atos relativos a implantação de sua unidade, órgão ou área, baseado nas informações que você conseguiu descrever. c) Identifique os tipos de documentos que são produzidos a partir do cumprimento das atividades identificadas Relacione-os abaixo das suas respectivas atividades que foram levantadas. Obs.: uma atividade pode gerar vários documentos e um tipo de documento pode ser produzido em grande escala. Estrutura Básica Necessária: Para poder desempenhar satisfatoriamente as suas funções, o arquivo necessita de uma estrutura básica que pode ser composto dos seguintes elementos: • Recursos Humanos • Instalações Físicas • Recursos Materiais - Recursos Humanos: A responsabilidade da execução das operações de arquivo deve ser confiada a pessoal competente e responsável para executar as operações de: a) Selecionar documentos. b) Registrar documentos. c) Estabelecer o método de classificação adequado. d) Ordenar documentos. e) Arquivar documentos de acordo com o método adotado. f) Conservar os documentos mantendo o arquivo organizado e atualizado. g) Localizar documentos. h) Controlar a saída de documentos do arquivo. i) Transferir e descartar documentos. Para desenvolver estas atividades, o (a) Agente Administrativo(a) deve possuir alguns requisitos indispensáveis, dentre os quais destacamos: a) Estar a par de todas as atividades e interesses da Instituição e da sua área de atuação. b) Conhecer as principais regras para classificar documentos. c) Conhecer abreviaturas importantes. d) Possuir habilidade para ler e destacar as funções (ações) principais dos documentos. e) Ser leal e discreto. f) Ser metódico. g) Possuir boa memória. - Instalações Físicas: A instalação dos arquivos requer análise dos seguintes aspectos: a) Iluminação: ampla, mas difusa, isto é sem que tenha incidência direta do sol. b) Arejamento: ventilação natural, constante e regulável. c) Higienização: limpo, bem cuidado. d) Disposição (lay out): espaço livre para locomoção, fácil consulta e conservação dos documentos. - Recursos Materiais: a) Mobiliário: ideal para os formatos e gêneros dos documentos produzidos que economize espaço, que permita arrumação racional dos documentos e que apresente capacidade de expansão, seguro e resistente. b) Acessórios: pastas suspensas (frontais ou laterais), pastas intercaladoras, pastas A/Z ou outras. As caixas devem ser resistentes. Observar também as etiquetas e projeções procurando sempre que possível a padronização dos materiais. Conceitos Básicos: Para que você possa entender como planejar e como escolher o melhor método ou sistema de organização que atenda a instituição que você trabalha, é necessário que se entenda o que são ARQUIVOS e DOCUMENTOS.

3

Pós-Moderna
ARQUIVAMENTO DE DOCUMENTOS Rotinas de Arquivamento: Antes de se guardar os documentos nas pastas, dossiês e móveis correspondentes, os funcionários do arquivo deverão obedecer a uma seqüência de etapas: - Inspeção: consiste na verificação de cada documento quanto ao seu destino, pois este pode chegar ao arquivo por diversos motivos: a) para arquivamento; b) para solicitar informação; c) para verificar a existência de antecedentes, ser anexado a outro etc.; d) em obediência a uma rotina. É importante que o funcionário ao fazer esta inspeção, verifique se os documentos possuem autorização para serem arquivados (Ok, arquive se) e se a ação nele contida já foi cumprida e encerrada. Verificar o último despacho. Nesta inspeção também será examinado se os documentos possuem anexos e se esses estão no documento. Aqueles que se encontrarem irregulares deverão retornar ao setor de origem, ou se for do seu conhecimento completá-lo. - Leitura: cada documento deve ser lido cuidadosamente a fim de verificar o seu conteúdo e sob que classificação deverá ser arquivado. (se já existe pasta ou se há necessidade de abrir nova). - Seleção: selecionar o material que será realmente arquivado, daquele que poderá ser descartado imediatamente, sem prejuízo para a instituição (como cópias, comunicados passageiros). Lembre-se: “A manutenção de um arquivo é dispendiosa e ocupa muito espaço, portanto este trabalho de seleção requer conhecimento, critério e cuidado, para não deixar de arquivar o que é necessário, nem entulhar o arquivo de papéis desnecessários”. Atenção: o responsável pela seleção deve conhecer as exigências e valores que determinam a conservação de documentos, tanto por lei como por necessidade do serviço e da preservação da memória do órgão. - Datar: marcar a data de entrada do documento no arquivo. - Registro: registrar diariamente, em um livro (ou outro sistema) os documentos que darão entrada no arquivo ou no expediente. Colocar a data, procedência, breve descrição do conteúdo, número da Relação de Remessa (RR) e o código de localização (de encaminhamento ou arquivamento). Isso possibilitará estabelecer uma estatística diária de arquivamentos efetuados, e facilitará a busca. Obs.: Se o seu setor também cuidar do expediente da área fazer esse registro quando o documento entrar na área ou quando se é expedido. Assim sendo, coloque todas as informações necessárias e no campo de localização preencha para onde ele foi encaminhado. - Classificação: Determinar como será arquivado o documento, de acordo com o método e a classificação adotado pela organização. Escrever a lápis no documento onde deverá ser arquivado. Para que os documentos públicos de uso diário estejam conservados de maneira ordenada e acessível é necessário que os mesmos estejam bem arquivados e bem classificados Lembre-se: analisar o tipo do documento, a atividade que o gerou, a sua procedência e a data. - Ordenação: É à disposição dos documentos dentro das pastas e destas dentro do arquivo. A escolha da forma de ordenação depende muito da natureza dos documentos. Vejam os métodos básicos:

 Ordenação

Alfabética: disposição dos documentos ou pastas de acordo com a seqüência das letras do alfabeto. Pode ser classificada em enciclopédico e dicionário quando se trata de assuntos (Anexo 2). pastas de acordo com a sucessão temporal.

 Ordenação Cronológica: disposição dos documentos ou  Ordenação
Geográfica: disposição de acordo com as unidades territoriais (países, estados, municípios, distritos, bairros e outras). temas ou assuntos.

 Ordenação Temática: disposição de acordo com  Ordenação

Numérica: disposição de acordo com a seqüência numérica atribuída aos documentos. Depende de um índice auxiliar para busca de dados.

É importante no Arquivo que os documentos de uma mesma função sejam guardados juntos, para que se perceba como começou a ação e como terminou, formando assim os dossiês de fácil compreensão para quem pesquisa. - Arquivamento: Guarde os documentos dentro das pastas e as caixas já contidas no setor ou monte-as de acordo com o plano de classificação. Nesse último caso faça as etiquetas indicando o código da atividade correspondente. Não se esqueça de anotar no canto superior esquerdo da pasta os códigos da unidade/órgão/área respectivos. - Empréstimo de Documentos: Para se controlar melhor os documentos que saem do arquivo e para garantir a integridade do mesmo, é interessante que se adote um sistema de controle de empréstimo de documentos. Você pode criar um formulário de Requisição de documentos com os seguintes dados: - a) Identificação do documento. - b) Classificação ou pasta a qual ele pertence. - c) O nome do requisitante e o setor. - d) Assinatura e datas de empréstimo e devolução. Lembre-se: “O arquivamento correto e a localização imediata dos documentos, depende, em grande parte, da precisão e cuidado com que são executadas cada uma dessas operações.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA
Quando você liga o computador, ele passa por várias etapas até ficar pronto para ser usado. A primeira etapa é um autoteste. O computador identifica os dispositivos que estão conectados a ele, conta a quantidade de memória disponível e faz uma verificação rápida para ver se a memória está funcionando corretamente. A seguir, o computador procura um programa especial chamado sistema operacional. O sistema operacional informa ao computador como interagir com o usuário e como usar dispositivos como unidades de disco, monitor e teclado.

4

Pós-Moderna
Quando encontra o sistema operacional, ele carrega aquele programa para a memória. Como o sistema operacional é necessário para controlar muitas das funções mais básicas dos computadores, ele continua em execução até a máquina ser desligada.Depois que o computador encontra e roda o sistema operacional, ele está pronto para aceitar comandos de um dispositivo de entrada — em geral, o teclado ou o mouse. Neste ponto, o usuário pode enviar comandos ao computador. Um comando pode, por exemplo, relacionar os programas armazenados no disco do computador ou mandar o computador rodar um desses programas. As empresas que fabricam computadores nem sempre desenvolvem seus próprios sistemas operacionais. Na verdade, a maioria dos IBM PCs e compatíveis roda um dos quatro sistemas populares escritos por várias empresas de software: DOS, Unix, OS/2 ou Microsoft Windows. Uma importante empresa de hardware que cria seu próprio sistema operacional é a Apple Computer. Os computadores Apple Macintosh só rodam o sistema operacional da Apple Macintosh e a versão para o sistema operacional Unix. O que precisamos saber? Os sistemas operacionais mais populares hoje são da família Windows (98, Me, 2000 e XP), todos da Microsoft. A popularidade se deve à quantidade de aplicativos (ver adiante) disponíveis para esses sistemas operacionais. Entre eles, destacam-se o Windows XP e o Windows 2000 por apresentarem um melhor desempenho e uma melhor estabilidade. A tela de fundo ou de uma maneira simples, a figura por trás dos ícones que você esta vendo é chamado de “Papel de Parede”. Ícones: São elementos gráficos pequenos que acessam o Windows de maneira rápida.Ex: Internet Explorer, etc. Barra de Tarefas: É a principal Barra da Área de Trabalho Botão Iniciar: É o principal elemento da barra de tarefas. Clique com o Botão esquerdo do mouse em cima do botão Iniciar para Acioná-lo. Veja que ele mostra uma lista de menus na posição vertical com opções básicas. Quando você inicia o computador o primeiro contato que você tem e com a Área de Trabalho.Portanto a primeira imagem que você se depara é chamada de Área de Trabalho ou Desktop. Composição da Área de Trabalho do Windows XP

SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 98, 2000 E XP
WINDOWS XP: As novas versões do sistema operacional as edições Windows XP Professional e Home Edition trazem novos recursos que aprimoram a segurança e integridade das informações. O Windows XP Professional foi construído em cima da base do Windows NT e Windows 2000. O sistema operacional usa uma arquitetura de construção de 32-bits e um modelo de proteção de memória que torna o programa mais confiável. O Windows é um sistema operacional, um programa que controla subsistemas e não trabalha sozinho. Ele precisa fazer uso de aplicativos ou um pacote de aplicativos como o Office. No ambiente Windows, ou operador trabalha com janelas para abrir e fechar os diferentes aplicativos. O programa deste concurso pede especificamente o Editor de Textos WORD XP. NOÇÕES DE AMBIENTE WINDOWS Conceito: O Windows XP é um sistema operacional que trabalha por meio de janelas. A palavra Windows traduzida para português é janela(s).  Conhecendo a Área de Trabalho do Windows XP.

Calculadora Def.: É um pequeno aplicativo do Windows capaz de executar tarefas do tipo cálculos, na qual possui dois módulos Calculadores Padrão e Cientifica.

5

para colar em programas como o Screen "Paint" Alt + Print Captura somente janela ativa Screen Shift Ao inserir CD-ROM no drive. Ao clicá-lo. evita que ele seja reproduzido automaticamente Shift + Del Exclui um item sem armazená-lo na lixeira Shift + F10 Equivale ao clique com o botão direito do mouse Shift + Tab Retrocede entre itens de um documento Tab Avança entre itens de um documento Windows + Minimiza ou restaura todas as janelas D Windows Mostra o Menu Iniciar Windows + Abre o Windows Explorer Botão de Controle: É identificado pelo ícone do programa que está sendo utilizado. executar alguma função de forma a não termos que tirar a mão do teclado. O mouse muitas vezes acaba "atrasando" nosso trabalho! As teclas usadas nestas combinações são as teclas normais de teclado com algumas teclas especiais que existem na maioria dos teclados de hoje em dia. As teclas de atalho. Alt + Enter Exibe propriedades de arquivo Alt + Esc Alterna entre janelas na ordem em que foram abertas Alt + F4 Fecha programa Alt + Tab Alterna entre janelas de programas abertos Alt + Minimiza ou maximiza janela espaço. 6 . ou podem ter layout diferente no seu teclado! Principais Atalhos do Windows. usar o mouse nos menus para procurar uma função. arquivo = aula1 e o programa= bloco de notas.Pós-Moderna E Windows + F Windows + R Windows + L Windows + U Windows + CTRL + F Windows + Shift + M Windows + F1 Windows + BREAK Abre o Pesquisar para arquivos Mostra a janela Executar Tranca a tela Abre o Gerenciador de Utilitários Mostra o Pesquisar para computador (em rede) Desfaz minimizar (para todas as janelas) Para Ajuda e Suporte Mostra as Propriedades de Sistema JANELAS "Windows" em português quer dizer "janelas". O Windows funciona igual às janelas. Barra de Título: É o local onde aparece o nome do arquivo que está utilizando seguido do nome do programa. abrindo e fechando. mas apresenta muitas funções diferentes. Para não haver confusão. Veja a estrutura de uma janela do Windows: ATALHOS DO TECLADO Para utilizar o teclado deve pressionar o botão no teclado Num Lock se estiver desativado. mover. Se ela é usada freqüentemente então. Barra de Menu: É por meio dela que você consegue visualizar e acessar os comando de uma janela. colocamos uma imagem das teclas que podem gerar "dúvida". Para reutilizá-la basta clicar sobre ela. Botão Minimizar: Oculta a janela que está sendo utilizada na área de trabalho na barra inferior da tela. fica muito mais rápido lembrarmos da combinação de tecla. F3 Realiza pesquisa Print Captura tela. Neste caso. depois N ou X Ctrl + Esc Abre menu Iniciar Ctrl + F4 Fecha janela de programa Ctrl + Z Desfaz última ação F1 Abre a ajuda F2 Renomeia o item selecionado. alterar o tamanho. são um modo rápido de com um combinação de tecla. aparecerão as opções dos comandos: restaurar. minimizar e fechar a janela.

MICROSOFT OFFICE 98. Assim. • utilização de figuras. basta clicar sobre ele e aguardar um instante. IMPRESSÃO Veja na tela a seguir o procedimento necessário para impressão de documentos. coincide com o conceito de pasta do Windows. zip. que pode ser identificado de duas maneiras: • pelo tipo ou terminação ou extensão ou formato. vídeos. impressão em colunas. Barras de Rolagem: possibilitam que se verifique todo o conteúdo da área de trabalho nos sentidos vertical e horizontal respectivamente. símbolos e sons no texto. 7 . informa qual programa pode abrir aquele arquivo.. o tempo todo trabalhamos com arquivos. ou C: ou D: caso você queira criar a pasta logo abaixo do diretório-raiz. movimentação de trechos de um texto dentro dele ou para outros textos.. que aparece depois do ponto no nome do arquivo e que identifica o seu formato. Para executar o Microsoft Office Word XP. o que permite usálos ou modificá-los no futuro. deve fechá-la. exe. Para criar uma nova pasta basta selecionar a pasta que irá contê-la. após o nome do documento. Exemplos: doc.. bmp. os textos digitados. • duplicação de partes ou do texto todo. • pelo tipo de ícone que aparece antes do documento. tudo no computador é armazenado sob a forma de arquivo. clique em Iniciar _Todos os programas _ Microsoft Office _ Microsoft Office Word XP. sem dúvidas.. Para mudar esse nome. • depois do ponto: define o seu formato. xls. Mas pode ser renomeado a qualquer momento. mais utilizado e o de maior funcionalidade. basta digitar o nome desejado e pressionar “Enter”. os programas do fabricante. Portanto. O conteúdo do arquivo lhe confere um certo formato. Área de Trabalho: área branca onde são realizados todos os trabalhos/ações. Formatos (Ou extensão. sons. Importante é notar que os arquivos podem conter qualquer tipo de informação: eles podem ser programas. pps. por exemplo. nos dias atuais. ou tipo ou terminação) é a última palavrinha. textos. O Microsoft Word XP faz parte do pacote de aplicativos do Office XP e é. Como tal. do tipo que usa o sistema operacional Windows. selecione Arquivo/Nova Pasta. Você deve clickar na opção escolhida. html. todos os dados estão codificados dentro de arquivos. A palavra “diretório” é mais antiga e vem dos tempos do DOS: significa a listagem dos arquivos contidos em um disquete. O nome “Nova Pasta” aparecerá no lado esquerdo da tela. caso você deseje renomeá-las. PASTAS Pastas e diretórios representam a mesma coisa no Windows. até que ele se tornará editável. imagens. O Word é um processador de textos. pois possibilita: • aplicação de uma grande variedade de formatações (tipo. o editor de textos mais conhecido. e podem ter tamanhos diferentes. Depois. apresenta diversas vantagens quando comparado com uma máquina de escrever. 2000 OU SUPERIOR (WORD. Em computadores pessoais. gráficos.Pós-Moderna Botão Maximizar: Aumenta ao máximo o tamanho de uma janela. facilitando correções. São programas que estimulam a produção de trabalhos escritos dado a sua facilidade de uso e a sua riqueza de recursos e opções de manipulação. EXCEL. planilhas. sejam os seus programas. O conceito de diretório. ARQUIVOS Arquivo é um conjunto de registros agrupados segundo uma regra organizacional que contém informações sobre uma determinada área de atividade. Portanto. Botão Fechar: Quando você não for mais utilizar uma janela. Os nomes dos arquivos são divididos em duas partes: • antes do ponto: quem cria o arquivo lhe confere um nome. • armazenamento de textos em arquivos. gif. Então. alinhamento automático etc). jpg. as imagens armazenadas etc. tamanho e coloração das letras. com três ou quatro letras. ACCESS E POWER POINT) EDITOR DE TEXTOS WORD Uma das categorias de softwares mais conhecidas e utilizadas em todo o mundo é a dos Editores de Textos. Isso pode ser feito também para pastas já criadas.

uma planilha eletrônica que fornece ferramentas para efetuar cálculos através de fórmulas e funções e para a análise desses dados. manipular.Pesquisar informação e sinónimos . Para imprimir os dados do Banco de dados Campo: O campo é a menor unidade de informação existente em um arquivo de banco de dados. nome. De certa forma. . Além de escolher tipos pré-definidos de gráficos. elas são chamadas de chaves compostas. No último caso. notas de orador e folhetos para audiência. Apresentações: Você pode usar estilos de células. você pode personalizar qualquer gráfico da maneira desejada. tais como retângulos. onde está agrupado todos os dados dos clientes. Um exemplo.Elaborar páginas Web MICROSOFT EXCEL O Microsoft Excel: é um poderoso editor de planilhas eletrônicas e mais um programa que faz parte da suíte de aplicativos Office da Microsoft. Uma chave pode ser formada por um campo ou um conjunto de campos. PC e outros tipos. Veja mais referente a este programa na apostila incluída no CD rom anexo a esta apostila.Utilizar e criar modelos de documentos . Registro: Um registro é um conjunto de campos.Proteger documentos . ou seja. Gráficos: você pode rapidamente apresentar de forma visual seus dados.Formatação de texto básica e avançada .Pós-Moderna O Microsoft Word é uma das 12 ferramentas informáticas selecionadas pela coleção Software Obrigatório. O Access utiliza tabelas para armazenar os dados dos usuários. Para interagir com o seu banco de dados utilizando uma interface gráfica mais aprimorada criamos os formulários.Criar mailings e envelopes . As cinco principais funções do Excel são: Planilhas: Você pode armazenar. Isso significa que toda informação entrada em um arquivo de banco de dados é quebrada em porções menores. eles se assemelham aos índices encontrados nos livros. cadastro de clientes. incluídos num único ficheiro. Pode acrescentar gráficos diretamente em sua planilha. Em seguida criar relacionamentos entre as tabelas e as planilhas de consultas de dados.Criar índices . Para funções que se repetem constantemente criamos Macros e código Visual Basic. acetatos. endereço. tudo isso num único lugar e de fácil consulta. As vistas proporcionam diferentes modos de visualização para criar a sua apresentação. ACCESS O Access é um poderoso sistema de gerenciamento de banco de dados para o sistema operacional Windows. A sua apresentação é composta por vários diapositivos. Um banco de dados possui uma série de informações relacionadas a um determinado assunto. O Access permite que se construa um banco de dados para uma grande gama de atividades de controle de dados. ferramentas de desenho. textos e fórmulas. galeria de gráficos e formatos de tabela para criar apresentações de alta qualidade. que recairão em campos específicos. utilizamos os relatórios. É a entidade que identifica uma entrada única em um banco de dados.Utilizar tabelas . POWER POINT O Power Point é um aplicativo que cria apresentações para ser usadas em data-show. Banco de dados: Banco de dados é um elemento cuja finalidade é armazenagem de dados. É possível utilizar formatos pré-definidos em tabelas. o que significa que a sua utilização é fundamental para todos aqueles que não prescindem do computador em casa e/ou no trabalho para as suas atividades profissionais ou acadêmicas. direcionam até a posição onde se encontra a informação desejada. Macros: as tarefas que são freqüentemente utilizadas podem ser automatizadas pela criação e armazenamento de suas próprias macros. sistema de vendas. elementos gráficos. Bancos de dados: você pode classificar. passando por aplicações de folha de pagamento. telefone. No PowerPoint você pode criar apresentações electrónicas. caixas de texto e botões. Índices: Os índices de um banco de dados permitem que as instruções sejam encontradas com uma maior rapidez.Inserir objectos num documento .Novas formas de visualização de documentos . O Excel é um aplicativo Windows . Podemos utilizar o Access para criar desde um simples cadastro de clientes a um complexo controle de estoque. calcular e analisar dados tais como números.Formatação de páginas . páginas Web. Uma chave primária determina necessariamente a ordem dos registros dentro da tabela. e não menos importante manipular dados na Internet com total interação com sua audiência (visitantes). Portanto o primeiro passo a ser tomado é a criação de tabelas em seu banco de dados. contas a pagar/receber. CONCEITOS E SERVIÇOS RELACIOANDOS A INTERNET E INTRANET CONCEITO DE INTERNET: A Internet é uma rede mundial formada por milhares de sub-redes distribuídas em todo o 8 . linhas. pesquisar e administrar facilmente uma grande quantidade de informações utilizando operações de bancos de dados padronizadas. Chave: Uma chave é uma entidade que permite a distinção dos registros de uma tabela.

Um dos aspectos fascinantes da Internet é que ela nunca está inativa. é uma porção de uma rede de uma organização dentro de um firewall. provas escritas. que passa a ter o mundo diante de si. oferecem-se mais de trezentos e cinqüenta serviços públicos à população brasileira. no Memorial da América Latina. Em célebre discurso feito na sessão de abertura da II Assembléia do Movimento Mundial pela Democracia. pela adesão natural de computadores e redes em todos os lugares do mundo1[2]. Em qualquer momento. entre os quais citase como exemplo a prestação de contas à Receita Federal e a consulta ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) sobre aposentadorias. que. nas mais diversas partes do mundo.” Não se pode negar que esta aproximação a que se refere o ex-presidente efetivamente vem acontecendo na prática. em que uma rede virtual (não-física) é formada sobre a Internet. surgiu o que se pode chamar de Ágora virtual. Do ponto de vista eminentemente técnico. ressaltou que: “As novas tecnologias da informação e das telecomunicações agilizam a interação entre governo e sociedade e eliminam obstáculos à participação dos cidadãos na vida democrática. a Internet é o coração do processo da globalização. pois neste exemplo a rede já utiliza o protocolo TCP/IP.. especialmente da Internet e do computador. conectando os membros de uma organização. que é um dos mais poderosos e avançados serviços da Internet. mas tem. CONCEITO DE INTRANET: Uma Intranet é uma plataforma de rede independente.Neste ambiente a Intranet pode ser implantada de forma simples. consumindo pouco ou nenhum recurso material. Intranets fornecem acesso rápido e fácil à dados corporativos. conforme ilustra a figura abaixo. exercia o cargo de Presidente da República Federativa do Brasil. com facilidade e velocidade inéditas na história da humanidade O usuário tem a chave do conhecimento em suas mãos. na ocasião.Pós-Moderna planeta. expandir e requerem muito menos treinamento. A Internet nasceu e cresceu espontaneamente. fornecedores e especialistas para suporte técnico. mas evolucionária. lentos e estão sujeitos a muitos transtornos. a Internet não é uma rede. instrumentos indissociáveis que funcionam como o arco-eflecha. eliminando a necessidade de um monte de papeis. Não há dúvida de que. Esta rede de redes possibilita que o mundo discuta ciência. troque informações técnicas e debata assuntos de toda natureza. incluindo apostilas multimídia. 1 9 . documentos de pesquisa etc. são caros. utilizando protocolos padrões de internet. conectando milhões de computadores. dados de recurso humanos. O conceito de Intranet nasceu justamente em razão de as empresas terem descoberto a importância de disponibilizar as informações internas aos seus funcionários. tornando os serviços disponíveis para o usuário. Ano 03 n. relatórios de desempenho de alunos. Intranets são agora consideradas a tecnologia de rede que está crescendo mais rápido. encurtando distâncias. Não é uma tecnologia revolucionária. de custo baixíssimo. necessário para a Intranet. A professora Karen Stephany Assunção ensina que: A World Wide Web não foi criada com a finalidade de promover cidadania democrática. na essência da palavra que a Intranet seja um conceito novo. 01. As novas tecnologias reduzem obstáculos entre o povo e o governo. Vamos tomar com exemplo uma estrutura de rede comum encontrada em muitas empresas hoje. onde os interessados têm a possibilidade de participar efetivamente da vida do Estado. Por isso. apostilas. Isto é devido ao fato que a Internet não foi projetada. grandes potencialidades democráticas e pode ser usada para renovar modos de participação política e tomada de decisões (REVISTA DE INFORMÁTICA PÚBLICA. utilizam documentos escritos. Intranet tem implantação rápida. sempre existe alguém navegando na rede. Intranet se integra eletronicamente aos dados corporativos armazenados em seus bancos de dados tais como: dados financeiros. com o desenvolvimento das novas tecnologias. o "gateway" para a informação corporativa não precisa ser global.37). configurar. Intranet é um poderoso sistema corporativo de colaboração e informação composto por um ou mais servidores internos que tornam-se disponíveis para os funcionários por meio da rede local fornecendo uma variedade de informações. utilizando-se da World Wide Web (www). A intranet. o sociólogo Fernando Henrique Cardoso. aproveitando os recursos materiais e humanos já existentes. não com tanta ênfase como se propõe hoje. em São Paulo/SP. é baseada em padrões de sistemas abertos. material didático. afigura-se como que a vivência de um novo tempo. mas uma associação de redes que trocam informações segundo um único padrão. Intranets são estabelecidas como uma "mini-internet". viabilizando as informações em qualquer lugar o que era praticamente impossível em arquiteturas cliente/servidor e mainframe. Os métodos tradicionais. cuja aurora já se visualiza. utilizava-se e-mail. possibilita às pessoas transmitirem e receberem informações em escala planetária. relatórios. Redes internas podem fornecer informações de um modo que é Imediato ·Custo efetivo · Fácil de usar · Rico no formato · Versátil Intranets são tão eficientes que atualmente crescem mais rápido do que a própria Internet. política. razão pela qual não possui a mesma um controle central. Com a Internet. em ambientes Unix onde eram compartilhados arquivos. Esta comunicação. incluindo políticas da Instituição etc. e comunicação por voz ou de modo eletronico (e-mail). baseados em papéis e pessoas. sem dúvida. A Intranet pode emergir dentro da estrutura atual da rede de computadores de sua empresa. Por meio da Internet. p. sendo que a diferença entre elas se encontra no fato de que a intranet é usada dentro de organizações. tem um amplo leque de ofertas de produtos. promovendo uma fabulosa interação dos povos. em seu segundo mandato. O conceito de Intranet já era utilizada há muito tempo. Uma intranet tem as mesmas capacidades de uma internet. realizado em 12 de Novembro de 2000. Não se pode dizer no entanto. Com certeza. Intranets são muito mais fáceis de instalar. etc baseados no protocolo TCP/IP. Abordagens mais recentes incluem a utilização de correio eletrônico e produtos de comunicação entre grupos de estudo. um novo Iluminismo.

· A possibilidade de comunicação remota a rede interna. Remover um vírus de um sistema sem a ajuda das ferramentas necessárias. as reportagens. · Otimizar recursos humanos. Neste caso estão os seguros e vistorias de veículos. em 1981. transporte. os relatórios de visita e viagem. no preço e nas funcionalidades (o que fazem). · As ferramentas que possibilitam ao administrador saber onde o documento está e qual ação esta sendo executada neste instante transforma a cobrança de soluções. Os antivírus são softwares projectados para detectar e eliminar vírus de computador. modens)uma vez que há a possibilidade de serem compartilhados recursos. acompanhamento de projetos ou obras. Além dessa opção. tesouraria.Pós-Moderna grupos de discussão e suporte para a criação de aplicações transacionais. A integração da tecnologia Intranet com os pacotes de gestão empresarial são mais uma forma de aumentar a produtividade das empresas. a transmissão de pedidos. Redução do tempo de busca de uma informação. A segunda causa de contaminação é por Sistema Operacional desatualizado. desenvolveu o Norton Utilities para restaurá-los. Passa-se a saber com muito maior precisão o tempo que cada setor ou funcionário executa a tarefa que lhe foi designada. compras. pessoal. Entretanto. ocorreu em 1988. especificação. inspeção. Alguns vírus e outros programas maliciosos (incluindo o spyware) estão programados para re-infectar o computador. prevenção e remoção permanente dos vírus. utilizando-se de diversos meios. vendas. existem algumas empresas que fornecem ferramentas não gratuitas. empresário de TI. gerência e diretoria são os principais beneficiados pela rapidez e facilidade de consulta e resposta ao cliente. que ajudam na detecção. Disponibilizar toda e qualquer informação corporativa de forma rápida e de acesso fácil. empresa de aviação americana. A Intranet coloca à disposição da empresa tecnologias para a divulgação de informações.   · A atualização das mesmas "par e passo" passam a ser fundamental para a correta utilização desta ferramenta. gerência de contratos. Ele foi um dos primeiros desenvolvedores de sistemas de segurança. a diferença entre eles está nos métodos de detecção. jurídico. Um dos principais motivos que levam à criação de novos vírus é justamente fazer com eles se espalhem e fiquem nos Qual a função da Intranet? Principais vantagens na utilização de redes internas (Intranet):   · Evitar o retrabalho · Otimizar recursos . troca de mensagens pessoais. acompanhamento de fabricação. programador da Lockheed Air Corporation. sem a aplicação de corretivos que bloqueiam chamadas maliciosas nas portas do micro. infecta o sistema. SEGURANÇA EM REDE E NA INTERNET Em informática. Ele criou a Symantec. tal como um vírus biológico. um vírus é um programa malicioso desenvolvido por programadores que. fax. A maioria das contaminações ocorrem pela ação do usuário executando o anexo de um e-mail. Atualizar o computador periodicamente é uma ação preventiva contra os vírus. utilizando uma BBS como meio.A utilização de sites internos de cada setor da empresa. contas a receber. desenvolveu o VirusScan. Existe uma grande variedade de produtos com esse intuito no mercado. assistência técnica. Um mesmo vírus recebe diferentes nomes das várias firmas de antivírus. CDrom. normas . as inspeções. apagou acidentalmente um arquivo. possibilita a resposta instantânea às perguntas efetuadas pelos gerentes. · As FAQ (Perguntas mais freqüentes) fazem com que o conhecimento da empresa cresça e com ele o nível de atendimento.Uma dúvida esclarecida passa a ser de conhecimento de todos e com isto ganha-se tempo. e livros sobre o assunto. comunicação social . Ainda não existe uma padronização na escolha do nome de um vírus. diretores e clientes. auditoria. Quando Peter Norton. dando início a criação e comercialização de softwares de seguranças no mercado. John McAfee. é uma tarefa complicada até mesmo para um profissional. você pode melhorar a segurança dele e diminuir a probabilidade de ser infectado. 10 . HDs. alem de descentralizar o trabalho faz com que algumas tarefas sejam extremamente agilizadas. Nada pode garantir a segurança total de um computador. Sendo assim. mesmo depois de detectados e removidos. diminuindo a quantidade de hardware necessário (menos impressoras. faz cópias de si mesmo e tenta se espalhar para outros computadores. armazenamento. A primeira contaminação por um vírus de computador. primeira vacina conhecida.Os setores de suporte. na Intranet.Todos os setores da empresa se beneficiam com estas novas ferramentas e devem saber utilizá-las. financeiro. contas a pagar.

pelo menos. Estas versões tiveram o desenvolvimento cancelado. também conhecido pelas abreviações IE ou MSIE. Se as configurações padrão do Internet Explorer estiverem ativas. Por algum tempo. a percentagem de usuários do IE é de cerca de 82%.Abrir uma janela pop-up. O Windows XP Service Pack 2 (SP2) possui muitos recursos adicionais que permitem a você assumir o controle da segurança enquanto surfa na Web. Utilizando uma definição um pouco mais técnica. de outra forma. Programa utilizado para visualizar as páginas armazenadas em servidores da World Wide Web. Em outubro de 2006. isto é: • Fazer duplo clique no ícone Internet Explorer que se encontra no Ambiente de trabalho do Windows. assim como "pequenos antivírus" para eliminar vírus específicos. o vírus é lançado. Essas informações ajudam a evitar arquivos potencialmente prejudiciais que. Inicialmente a Microsoft planejou lançar o Internet Explorer 7 com a próxima versão do Windows (Windows Vista).Baixar um arquivo para o seu computador. O Internet Explorer exibe agora uma Barra de Informações (bem abaixo da barra de endereços) na qual você pode ver informações sobre downloads. NAVEGADORES (BROWSERS) DA INTERNET O mesmo que navegador WWW. bastando estar conectado à internet para ser baixado do site do fabricante a atualização e estar configurado para isso. porém desde 2004 vem perdendo espaço para outros navegadores. geralmente por meio de uma interface gráfica. e essa é uma tarefa que a maioria deles já faz automaticamente. riscos potenciais de segurança e outras atividades. É de longe o navegador mais usado atualmente uma vez que é distribuído em cada versão do sistema operacional Windows. como quando surge um vírus novo com alto grau de propagação e perigosos (geralmente vírus enviados por e-mail e que se reenviam automaticamente). janelas pop-up bloqueadas. Seus criadores procuram incessantemente falhas em sistemas operacionais. Está disponível como um produto grátis e separado para as versões mais antigas do sistema operacional. No entanto. Solaris e HP-UX.Pós-Moderna atormentando por dias. 9 em cada 10 pessoas que visitam as páginas da Web. Acompanha o Windows desde a versão 95 OSR2. clique nela para executar uma ação ou obter mais informações. Se espalha com rapidez assustadora e em poucas horas provoca caos na internet e prejuizos astronômicos. Uma vez descoberta a brecha. ou • Clicar no botão do Internet Explorer que se encontra na barra de tarefas. browser WWW ou web browser. Importante ressaltar que a maioria dos fabricantes (mesmo aqueles onde os softwares são pagos) distribuem vacinas e atualizações gratuitas. exemplo disso é o Active virus shield . Os mais conhecidos são: Internet Explorer Windows Explorer Netscape Mozilla-Firefox MSN Explorer MICROSOFT Internet EXPLORER Internet Explorer. A Barra de Informações não atravanca o seu navegador. e também não existe relação entre custo e eficiência. Internet Explorer é o software mais utilizado para navegar na Internet . servidores de internet ou aplicativos conhecidos e que estejam instalados na maioria dos computadores do mundo. navegador só foi oferecida aos usuários do Windows XP junto do Service Pack 2. Não necessariamente esses produtos são pagos. um browser é um programa cliente que permite acessar. a Microsoft lançou versões do Internet Explorer para o Macintosh. .seleccionado por. é um navegador de internet de licença proprietária produzido inicialmente pela Microsoft em 23 de agosto de 1995.Instalar um controle ActiveX em seu computador . você verá a Barra de Informações quando um site tenta: . Dica Quando você vir uma mensagem na Barra de Informações. você poderia aceitar da Internet. principalmente para o Firefox. mas a companhia voltou atrás e anunciou que lançaria uma versão beta para usuários do Windows XP SP2 na metade de 2005. Ela só aparece quando há alguma informação a comunicar. O segredo do antivírus é mantê-lo atualizado. a última grande atualização do Navegar na Internet Para "entrar" na Internet basta executar o Internet Explorer. semanas ou até meses. muito usado atualmente e que possui versão gratuita. O Internet Explorer é um componente integrado das versões mais recentes do Microsoft Windows. informações diversas em formato hipertexto (na linguagem HTML) armazenadas em servidores locais ou remotos. Logo de seguida irá surgir a seguinte janela: 11 .

regista o site que regularmente visita. entre outras opções. É a partir desta janela que o utilizador poderá navegar na Internet. Como resultado.depois de retroceder umas páginas.volta à página inicial (a primeira a ser visualizada quando se inicia o Internet Explorer).br Sites Internacionais: www. Através desta opção pode visualizar o seu correio. • Seleccione a opção Localizar uma página Web.br www.com.com.com Poderá também aceder aos motores de busca através do botão Procurar que se encontra na barra de ferramentas Padrão. poderá voltar à página onde se encontrava através deste botão.acede a motores de busca. • Clique no botão Procurar que se encontra na área esquerda do ecrã. de forma a se efectuarem pesquisas mais específicas. da seguinte forma: www. é listada uma lista de páginas que contêm essa palavra chave. page .org. .br Além da Barra de endereços temos a barra de ferramentas Padrão. organizador do concurso da Prefeitura Municipal digitar o respectivo endereço. estão disponíveis os seguintes: • Parar . • Favoritos .aol.dá acesso ao correio electrónico.fsadu. Para isso basta digitar o endereço na Barra de endereços. Eis alguns endereços de motores de busca: Nacionais: www.google. que é uma das mais utilizadas no Internet Explorer. . • Retroceder • Avançar - volta para página que visualizou Para iniciar uma busca execute o seguinte procedimento: • Digite o tópico pretendido na caixa de texto Localizar uma página Web que contenha. o utilizador digita uma palavra chave para pesquisa.com. dos elementos que compõem a página.altavista.uol.Pós-Moderna geral. No caso de o utilizador querer visitar a página da FSADU. existem dois botões nesta barra que permitem visualizar as páginas já visitadas anteriormente. • Além deste botões. Nestes sites. que poderá ser utilizado mais tarde para aceder a esta página sem ter de escrever todo o endereço. Neste exemplo digitou-se a palavra juventude e obteve-se o seguinte resultado: anteriormente. • Procurar . surgindo a seguinte janela. • Histórico • Correio .yahoo.com www.google. Regra 12 . Através deste botão cria um atalho para essa página. Caso escolha esta opção a sua janela ficará dividida em dois.imprime a página que está a set visualizada. serve para actualizar a página corrente para verificar possíveis alterações. os motores de busca permitem que se introduzam várias palavras chave relacionadas entre si. na Barra de endereços.guarda o histórico de visitas que o utilizador efectuou. • Imprimir . Fundação Sousândrade. digitar uma nova mensagem.Motores de busca Existem motores de busca na Internet que facilitam a procura de informação.interrompe o carregamento a partir do computador • Actualizar • Home onde está a informação (servidor) e a composição no ecrã. Localizar informação .br www.com www.

Esse tipo de restrição normalmente é usado a fim de CONCEITO DE ORGANIZAÇÃO DE ARQUIVOS E MÉTODOS DE ACESSO O que é. O utilizador deverá fazer um clique sobre a ligação pretendida para aceder à página correspondente. Quando o utilizador coloca o ponteiro do rato sobre uma destas ligações. Aqui vão algumas dicas de segurança: Nunca abrir ou responder e-mails desconhecidos. Ligações: Estando a visualizar uma página. Pessoas que estão em diferentes continentes podem se comunicar. desde que possuam computadores conectados a Internet. o ponteiro do rato fica com a forma de uma mão fechada com o dedo indicador esticado. E-mails gratuitos: Com a popularização da Internet através dos provedores gratuitos (cujos usuários ganhavam também uma caixa de correio eletrônico grátis). Estes são os arquivos à moda antiga. como aqueles sistemas conhecidos como intranets. que permitem a troca de mensagens dentro de uma empresa ou organização e são. são-nos dadas ligações para as páginas onde se encontram os respectivos temas. correio-e. consequentemente. porém menos restrito.Semi-privativo: O mesmo que privativo. e ter sempre um anti-spyware (contra os programasespiões) e antivírus instalados no seu computador. CORRÉIO ELETRÔNICO E-mail. Por medida de segurança alguns organismos e entidades internacionais ou mesmo ligados a Governos. pois podem conter vírus. normalmente. afinal. ou ainda email ou webmail é um método que permite compor. Pode aceder aos resultados das últimas pesquisas através da opção Procuras anteriores. Caso o utilizador não queira efectuar mais pesquisas e. visualizar a página sem a divisão dos motores de busca. muitos sítios começaram a oferecer endereços de email gratuitos desvinculados de qualquer outro serviço. um arquivo de dados? Imagine o seu computador como um grande gaveteiro. Estes sistemas utilizam protocolos de Internet que permitem o tráfego de mensagens de um remetente para um ou mais destinatários que possuem computadores conectados à Internet.Privativo ou de uso exclusivo da autoridade: Esse e-mail. conseguem transferir uma mensagem de um usuário para outro. categorizam o e-mail como: . Um sistema de correio eletrônico é composto de programas de computador que suportam a funcionalidade de cliente de email e de um ou mais servidores de e-mail que. visto no item anterior. baseados em protocolos proprietários. Observa-se que o correio eletrônico deixa de ser apenas um meio de troca de mensagens entre pessoas para se tornar um grande fator na produtividade das empresas. . E-mail categorizado ou especial: Especial ou categorizado em níveis. A Intranet pode ser utilizada para tornar a comunicação de funcionários com outros grupos tornando assim mais fácil o trabalho e eliminando mensagens em massa e outras mensagens indesejadas. enviar e receber mensagens através de sistemas eletrônicos de comunicação. contêm as folhas de papel com as informações. Quando efetuamos uma pesquisa através do botão Procurar. Grandes empresas estão cada vez mais utilizando o correio eletrônico para desempenhar papéis decisivos em suas negociações. Essas mensagens de e-mail podem ser lidas com o uso do próprio navegador. poderá clicar no botão Procurar da barra de ferramentas Padrão para fechar esta área. Entre estas podemos citar: E-mail restrito: Alguns sítios restringem alguns tipos de email. Normalmente esse tipo de mensagem eletrônica é mais usado em empresas. sem a necessidade de um programa específico. O termo e-mail é aplicado tanto aos sistemas que utilizam a Internet e são baseados no protocolo SMTP. Mas a lógica de organização de arquivos no 13 . Hoje os grandes sítios da Internet criaram uma série de facilidades para o usuário. E-mail com privacidade segura: Normalmente usado por autoridades e seu uso é controlado. evitar a atuação de um spammer ou divulgador não autorizado de mensagens em massa. eles podem enviar e receber mensagens a qualquer hora do dia e para qualquer parte do mundo. é freqüente encontrar ligações para outras páginas ou sites. O correio eletrônico se tornou tão popular devido a sua grande facilidade em quebrar barreiras geográficas. O envio e recebimento de uma mensagem de e-mail é realizada através de um sistema de correio eletrônico. nunca abrir arquivos (ficheiros) de e-mails desconhecidos. Servem para testes e verificar se funciona ou não o seu sistema anti-spam (contra as mensagens eletrônicas em massa). sendo por isso também chamados webmail. ou correio eletrônico. através de um endereço de correio eletrônico. por sua vez. Note que essa variação é só uma facilidade e não um novo tipo de e-mail.Pós-Moderna Quando o utilizador quiser voltar a fazer outra pesquisa deve oprimir o botão . As gavetas principais contêm pastas que. que são de uso exclusivo dos provedores de Internet. apesar de ter acesso a rede é tão restrito que a própria autoridade deve configurá-lo de quem recebe as mensagens.

como um HD (hard-disk – disco rígido.Pós-Moderna computador guarda uma diferença essencial: as pastas dos micros podem conter outras pastas! Os arquivos podem ser classificados mediante a sua colocação em diferentes pastas e as próprias pastas podem ser classificadas do mesmo modo. você pode obter uma parte ou até todas as informações de volta caso algo aconteça aos originais no computador. Se você costuma fazer cópias de backup dos seus arquivos regularmente e os mantêm em um local separado. como “Documentos” e “Arquivos de Programas”. Como Fazer: Os diferentes discos (rígido. outras tantas. designado como “C:” e as pastas que estão abaixo dele. uma queda de energia. dentro destas. como um disquete de pequena capacidade. por exemplo) e as letras E: e F: costumam nomear os drives de CD-ROMs (leitores e/ou gravadores). dependendo do conteúdo. Dessa forma. A máquina de onde foi capturada esta tela tem dois diretórios-raiz. Eles representam dois discos lógicos. compacto ou flexível) são representados no sistema Windows com letras seguidas do sinal : (dois pontos). um relâmpago. designado como “C:” e as pastas que estão abaixo dele. Entretanto. o C: e o D:. que a pasta “Inclusão Digital” contenha inúmeras outras pastas e. como o caso da pasta “Apostilas”. No passado. A pasta “Apostilas” selecionada. visíveis para o sistema operacional. como o caso da pasta “Apostilas”. visíveis para o sistema operacional. Entretanto. Entretanto. designado como “C:” e as pastas que estão abaixo dele. como o caso da pasta “Apostilas”. pois eles não tinham memória suficiente para armazená-los. otimizando espaço de armazenagem em seu HD. no qual normalmente ficam armazenados o sistema operacional e os programas (softwares) instalados. como “Documentos” e “Arquivos de Programas”. como na figura anterior. como “Documentos” e “Arquivos de Programas”. dentro destas. dentro destas. pastas podem conter arquivos. por exemplo. por exemplo. que a pasta “Inclusão Digital” contenha inúmeras outras pastas e. consegue-se reduzir um arquivo de texto em 82% ou mais de seu tamanho original. CÓPIAS DE SEGURANÇA Existem muitas maneiras de perder informações em um computador involuntariamente. outras tantas. Note como a estrutura de pastas permite. Normalmente. por exemplo. você pode ver o seu conteúdo do lado direito: ela contém mais pastas. ambas estão vinculadas à pasta “Inclusão Digital”. vemos o diretório-raiz. Alguns arquivos não podiam ser copiados para disquetes. ambas estão vinculadas à pasta “Inclusão Digital”. No lado esquerdo da tela acima. ambas estão vinculadas à pasta “Inclusão Digital”. A: e B: designam os drives para as unidades de disquete de pequena capacidade. As unidades C: e D: costumam denominar os discos fixos (dois HDs instalados na mesma máquina ou um HD com repartição. vemos o diretório-raiz. E algumas vezes o equipamento simplesmente falha. Esses e outros problemas motivaram programadores a desenvolver formas de se trabalhar os arquivos alterando seu formato. 14 . Isso é feito com programas chamados compactadores. é distinta desta. que está abaixo de “Aplicativos”. junto com outras pastas. É bom saber: É aconselhável compactar grandes arquivos para armazená-los. Hoje. para guardar arquivos em nosso computador precisávamos que ele tivesse muita memória e isso exigia investimento. No lado esquerdo da tela acima. A pasta “Apostilas” selecionada. e assim por diante. Estando a pasta (ou diretório) “Apostilas” selecionada. outras tantas. é distinta desta. Estando a pasta (ou diretório) “Apostilas” selecionada. como na figura anterior. fixo no computador) de alta capacidade. Esse diretório representa um disco do computador que pode estar visível. Mas onde termina (ou começa) isso tudo?? Há pastas que não estão contidas em outras pastas e sim no que chamamos de diretório-raiz. é distinta desta. que está abaixo de “Aplicativos”. que a pasta “Inclusão Digital” contenha inúmeras outras pastas e. Note como a estrutura de pastas permite. Note como a estrutura de pastas permite. pois assim o tempo de download e upload desses arquivos é bem menor. Observe na imagem seguinte uma estrutura típica de organização de pastas no Windows: No lado esquerdo da tela acima. Uma criança usando o teclado como se fosse um piano. com as técnicas adotadas. você pode ver o seu conteúdo do lado direito: ela contém mais pastas. A pasta “Apostilas” selecionada. ou um CD-ROM (disco compacto de média capacidade) nele embutido. Eles representam dois discos lógicos. inundações. Esse procedimento também é recomendado para enviálos por e-mail. vemos o diretório-raiz. que está abaixo de “Aplicativos”. A máquina de onde foi capturada esta tela tem dois diretórios-raiz. o C: e o D:. tornando-os menores. que podem conter mais arquivos e mais pastas.

guarde seus discos de backup lá também. Aqui estão algumas sugestões para ajudá-lo a protegê-los: . em uma outra sala. Como a quantidade de memória de um computador afeta sua capacidade.024 kilobytes — ou 1.Agora.Faça mais de uma cópia. Mantenha seus backups fora do computador. É preciso que os seus arquivos e informações pessoais importantes estejam disponíveis quando você precisar deles. Se você usa um cofre seguro para armazenar documentos importantes.Pós-Moderna A decisão sobre quais arquivos incluir no backup é muito pessoal. faça uma lista de verificação de todos os arquivos a serem incluídos no backup. A unidade mais comum de medição da memória de um computador é o byte.576 = 4. no contexto da memória dos computadores esses termos não significam exatamente isso. enquanto estão na memória.000 bytes e a 1 milhão de bytes.304 bytes. Mantenha os backups em dois locais separados. Periodicamente (especialmente se você estiver pagando por um serviço de armazenamento). Dica: Para saber mais sobre como fazer um backup de suas mensagens de email no Outlook. o computador pode acessá-los diretamente. Essas informações são representadas eletronicamente no chip da memória e.Mantenha suas informações fora de casa ou do escritório. ARMAZENAMENTO DE DADOS MEMÓRIA: A CPU usa a memória do computador para guardar as informações com as quais trabalha e como bloco de anotações para seus cálculos. cada letra desta página ocuparia um único byte de memória. DISCO RÍGIDO DISQUETES CDs Quanto mais memória RAM o computador possuir. Embora as pessoas em geral usemnos genericamente para fazer referência a 1. mais ele poderá fazer. . clique com o botão direito do mouse no disco ou disco rígido externo onde deseja armazenar a cópia de backup e. leia Backup de mensagens de email do Outlook e Fazer backup ou sincronizar: maneiras de copiar dados do Outlook. Fazendo cópias de backup manualmente Independentemente da versão do Windows usada. em um cofre à prova de fogo. Leia as nossas dicas de proteção para seus arquivos de backup. é igual a 1. em Meu Computador. pois se ocorrer um desastre em uma área. Assim. Ao contrário da memoria humana. A memória interna do computador é chamada RAM (Random Access Memory — Memória de Acesso Aleatório). Quando você o desliga ou o reinicializa. Veja um resumo a seguir : 1 bit = 0 ou 1 (menor unidade de armazenamento) 1 byte = 8 bits 1 Kilobyte (Kb) = 1024 bytes 1 Megabyte (Mb) = 1024 Kb 15 . Considere esse recurso se precisar fazer backup de informações pessoais ou confidenciais. O byte pode ser descrito como a quantidade de memória necessária para armazenar um único caractere.Mantenha o seu backup organizado. a memória RAM armazena informações apenas enquanto o computador está ligado.Clique com o botão direito do mouse no arquivo ou pasta de que deseja fazer o backup e. as informações desaparecem. isto é. Antes de começar. além de servir de lista de referência para recuperar um arquivo de backup NOÇÕES BÁSICAS SOBRE BACKUP Fazer o backup é apenas o primeiro passo. a menos que tenham sido gravadas em um dispositivo de armazenamento.576 bytes. Tudo aquilo que não pode ser substituído facilmente deve estar no topo da sua lista. Os vírus informáticos apareceram e propagaram-se em larga escala devido à má gestão e programação de certos produtos que foram lançados para o mercado antes de serem devidamente testados.194. 2 .048. você pode fazer manualmente uma cópia de backup de qualquer arquivo ou pasta seguindo estas etapas: 1 . apague arquivos antigos ou compacte as informações de forma que ocupem menos espaço. então. Isso permitirá que os seus familiares e amigos possam ter acesso às suas informações pessoais caso você não possa. na sua casa ou no banco) junto com o seu testamento e outros documentos pessoais. as pessoas normalmente referem-se a essa quantidade quando descrevem a máquina. na verdade. que armazena informações indefinidamente. você ainda possui a sua cópia secundária. não esqueça de protegê-lo. clique em Copiar no menu. Portanto. um computador com 4MB de memória na verdade tem 4 x 1. Um kilobyte.Proteja suas informações com uma senha. Você pode obter programas gratuitos de compressão de arquivos de empresas como a WinZip ou a NetZip da Real Networks. Após copiar todas as informações de que deseja fazer um backup no formato de armazenamento escolhido.048. .024 bytes de memória e um megabyte equivale a 1. Isso o ajudará a determinar o que precisa de backup. Dica: Anote a sua senha e guarde-a em um lugar seguro (por exemplo. em um cofre. Alguns formatos de mídia incluem proteção por senha. clique em Colar no menu. em seguida. .

a luz é coerente — toda a energia da luz está perfeitamente alinhada na mesma direção. os chamados disquetes e os CDs. o armazenamento retém o seu conteúdo quando o computador é desligado. permitindo que seja focalizada com tremenda precisão em uma área extremamente pequena. DISQUETES. um HD de 20 Gb é mais do que suficiente para armazenar todos os nossos documentos. Normalmente. porém. O armazenamento óptico é a principal alternativa ao armazenamento magnético. porém o termo é atualmente usado para indicar tanto bancos de dados digitais como bancos de dados disponíveis de outra forma. 256 à 512 Mb. No Brasil. o armazenamento tem três vantagens sobre a memória. o ponto que reflete o raio laser no sensor é interpretado como um e a ausência de reflexão é interpretada como zero. o disco rígido armazena muito mais dados do que o disco flexível ou os CDs.000015) de polegada. assim como há muito mais espaço em um arquivo do que sobre a sua mesa de trabalho. geralmente não são especificados os respectivos fabricantes. portanto é usado como o principal arquivo do computador. flutuam sobre e abaixo do disco. próximo à sua superfície. Cabeças de leitura. O meio de armazenamento mais comum é o disco magnético. planilhas. Esse diferencial de velocidade ocorre porque o disco rígido é feito de material mais pesado. O que precisamos saber? As unidades de disco rígido (HDD) disponíveis hoje possuem capacidade demasiadamente grande de armazenamento (variam de 20Gb à 80Gb). parecidas com as cabeças de um gravador ou videocassete. Os discos flexíveis e os CDs são utilizados para carregar novos programas ou dados para o disco rígido. A finalidade do armazenamento é guardar os dados que o computador não está usando. PEN-DRIVE (memória externa) AMBIENTE. CDs: O computador pode funcionar apenas com o processamento. O laser usa um feixe de luz estreito e concentrado. A maioria dos computadores pessoais tem agora um disco fixo nãoremovível. Como dispositivo adicional de armazenamento. Conforme o nome indica. Quando você precisa trabalhar com um conjunto de dados. Outros tipos de unidade permitem que você remova e substitua os discos. há uma ou duas unidades de disco flexível. Quando o disco gira e passa pelo laser e pelo sensor. para ser realmente útil. é mais comum usar o termo base de dados quando se mencionam outros tipos de bancos de dados senão aqueles armazenados em um computador e gerenciados por umSGBD. Segundo. Apesar de o processador não ser capaz de trabalhar diretamente com os dados armazenados no arquivo. no raio laser. hoje temos as gravadoras de CD-ROM com grandes velocidades de gravação (24 à 52X ). para o intercâmbio de dados com outros usuários ou para 16 . Portanto. O computador lê e grava informações no disco rígido muito mais rapidamente do que em disquetes. a cabeça “voa” sobre a superfície do disco a uma altura de aproximadamente 15 milionésimos (0. uma memória de 256Mb de RAM é mais do que suficiente para executar qualquer tipo de trabalho. O termo banco de dados foi criado inicialmente pela comunidade de computação. Alguns discos são fixos em sua unidade e não foram feitos para serem removidos. Como muitas empresas as fabricam. ele também precisa de um lugar para guardar os dados que não estão sendo processados no momento. Além disso. você os coloca de volta no arquivo. As técnicas de armazenamento óptico fazem uso de precisão altíssima. É útil pensar no armazenamento como um arquivo eletrônico. memória e E/S. possível graças aos raios laser. Os dispositivos de armazenamento óptico focalizam um raio laser no meio da gravação. a solução é aprimorar a tecnologia atual e desenvolver tecnologias novas. fazer cópia de segurança (backup) dos dados contidos no disco rígido. O dispositivo que aloja o disco é chamado de unidade de disco. Outro meio de armazenamento é o armazenamento óptico. quando o disco rígido gira.Pós-Moderna 1 Gigabyte (Gb) = 1024 Mb 1 Terabyte (Tb) = 1024 Gb O que precisamos saber? Comumente devemos encontrar no mercado. Se juntarmos um sistema operacional com os aplicativos mais pesados disponíveis hoje. os meios de armazenamento são muito mais baratos do que a memória. Terceiro. o disco é um objeto chato e redondo que gira em torno do seu centro. etc. ou a aproximadamente um centésimo do diâmetro de uma partícula de poeira. Na verdade. gira muito mais depressa do que o disquete e é selado em uma câmara onde não há ar nem partículas de poeira para atrapalhar o trabalho das cabeças. enquanto os dados colocados na memória desaparecem quando você desliga a máquina. Algumas áreas do meio refletem a luz do laser em um sensor. memórias RAM variando de 128Mb. A necessidade de capacidades cada vez maiores de armazenamento leva os fabricantes de hardware a estar continuamente à procura de meios alternativos de armazenamento e. o computador recupera-os do arquivo e coloca-os na mesa de trabalho. quando não existem opções disponíveis. que lhe permitem usar discos removíveis. em apenas 2 minutos! Outros dispositivos comumente encontrados são os discos magnéticos de ZIP com capacidade de armazenamento variando de 100 à 250Mb. Primeiro. que é um disco (CD) em constante rotação. eles têm um invólucro de plástico ou vinil que os protege da poeira e de impressões digitais. e na memória como uma mesa de trabalho eletrônica. há muito mais espaço no armazenamento do que na memória. em geral. enquanto outras dispersam a luz. A única diferença entre a luz do laser e a luz comum é que. para indicar coleções organizadas de dados armazenados em computadores digitais. Uma vez que é possível remover os disquetes do computador. Quando os dados não são mais necessários. capazes de salvar até 700 Mb em uma mídia (CD virgem). fotos.

O ingrediente que estabelece que o computador executará uma tarefa específica é o software — instruções eletrônicas que em geral residem em um meio de armazenamento. os computadores são máquinas de utilidade geral: muitos podem ser usados tão eficazmente para trabalhar com números quanto para criar documentos ou desenhos. informa ao computador como ele deve usar seus próprios componentes. Os dispositivos de entrada aceitam dados e instruções do usuário. não teria como comunicar os resultados de seu trabalho. Ao longo dos anos. Quando o computador está usando um programa particular. Um conjunto específico dessas instruções é chamado programa. sem eles o computador nada poderia fazer. ou seja. o software é a parte lógica. os dispositivos de entrada foram construídos de muitas formas. isto é. Ele não conseguiria receber instruções e. de forma que um programa de computador possa consultá-lo para responder questões. e a impressora. impressa. que aceita letras. Como o programa informa aos componentes físicos da máquina o que eles devem fazer. Os sistemas de multimídia possuem alto-falantes estéreos como dispositivos de saída adicionais. Os dispositivos de saída retornam os dados processados. joysticks. O software aplicativo informa ao computador como realizar tarefas específicas para o usuário. mesmo que tivesse instruções permanentemente inseridas em sua memória. Entre os outros dispositivos de entrada estão os microfones. que lhes permite desenhar na tela e enviar comandos apontando e dando um dique em seus botões. Em contraposição ao hardware. Porém. que transforma o computador em algo útil para o ser humano. um banco de dados é uma coleção de registros salvos em um computador em um modo sistemático. para várias finalidades especiais. é comum misturar os dois conceitos. o conjunto de instruções e dados que é processado pelos circuitos eletrônicos do hardware. o computador ficaria isolado do mundo. é o conjunto de componentes eletrônicos. Apesar de o leque de programas disponíveis ser vasto e variado. dizemos que ele está rodando ou executando aquele programa. O dispositivo de entrada mais comum é o teclado. Ele seria apenas uma caixa de metal e plástico. enquanto o termo sistema gerenciador de bancos de dados deve ser aplicado ao software com a capacidade de manipular bancos de dados de forma geral. A impressora é utilizada quando o usuário precisa de urna cópia física. Material ou Ferramental é a parte física do computador. Na maioria dos casos. Sem E/S. informações de volta ao usuário. conhecida corno monitor. Além disso. chamado sistema operacional. que é a camada. colocada sobre o hardware. NOÇÕES DE HARDWARE E UTILIZAÇÃO DE SOFTWARES O Hardware. Toda interação dos usuários de computadores modernos é realizada através do software. Normalmente um registro está associado a um conceito completo e é dividido em campos. as pessoas em geral usam um mouse. MONITOR LCD JATO DE TNTA IMPRESSORA 17 . o que faz parte da caracterização do modelo adotado pelo banco de dados. que se comunicam através de barramentos. TECLADO SCANNER MOUSE O computador envia a saída para o monitor quando o usuário só precisa ver os dados na tela. A função da saída é apresentar dados processados — informações — ao usuário. Um dos principais tipos de software básico. A descrição de quais são os tipos de registros existentes em um banco de dados e ainda quais são os campos de cada registro é conhecida como esquema do banco de dados ou esquema relacional Estritamente falado. ou seja. o termo banco de dados deve ser aplicado apenas aos dados. números e comandos do usuário. circuitos integrados e placas. a maioria dos softwares pode ser dividida em duas categorias principais: software básico e software aplicativo. trackballs e scanners e as leitores de CDs e Disquetes. que dão valores a propriedades desses conceitos. Os dispositivos de saída mais comuns são a tela do vídeo. ou atributos.Pós-Moderna Aceitando uma abordagem mais técnica. ENTRADA / SAÍDA: Entrada/saída (E/S) compreende todas as maneiras como o computador se comunica com os usuários e outras máquinas ou dispositivos. Possivelmente alguns registros podem apontar diretamente ou referenciar indiretamente outros registros. ou para controlar outras máquinas.

A CPU de um computador contém a inteligência da máquina. é lá que os cálculos são feitos e as decisões. o processador e a memória. a parte que interpreta e executa instruções. na manipulação. As impressoras também progrediram muito na sua capacidade de reproduzir gráficos coloridos e criar tipos nítidos e legíveis o bastante para publicações profissionais. podemos lembrar como dispositivos de entrada adicionais necessários ao nosso trabalho. Cannon ou Fuji) ou um celular de última geração também podem ser considerados dispositivos de entrada. O termo CPU (Central Processing Unit — Unidade Central de Processamento) é usado genericamente para se referir ao processador de um computador. IMPRESSORA LASER MONITOR SVGA IMPRESSORA MATRICIAL Os monitores são capazes de exibir qualquer forma ou símbolo. Em um programa correto e funcional. que é interpretada e executada por um processador ou por uma máquina virtual. veja alguns exemplos: AMD Athon XP 1. as impressoras jato de tinta com 600 ou 1200 dpi e as impressoras a laser. 18 . podemos encontrar as seguintes características comerciais para os processadores. seja ele um conjunto de placas ou um único microprocessador. Para efetuar essa transformação. tendo essas um mínimo necessário de resolução de 1.2 Megapixels. tomadas. é capaz de executar qualquer tarefa e rodar qualquer programa disponível hoje. CPU (Modelo torre) O que precisamos saber? A velocidade de um processador. tem freqüências de trabalho que variam de 800Mhz à 4. uma câmera digital (Nikon. sem grandes problemas. Nota: Um processador de 800Mhz. essa sequência segue padrões específicos que resultam em um comportamento desejado. O processador é o cérebro do computador. são excelentes opções para a realização de impressão com qualidade profissional. Os fabricantes mais populares são a Intel e a AMD. redirecionamento ou modificação de um dado/informação ou acontecimento. sendo que na especificação vem primeiro o nome do fabricante seguido da freqüência do processador. PALM-TOP Intel Pentium IV 2. Vale lembrar que processadores mais velozes são muito mais caros e representam uma melhora no desempenho de alguns poucos segundos. o computador usa dois componentes .0Ghz WEB CAM CÂMERA DIGITAL PROGRAMAS (SOFTWARE) Software ou programa de computador é uma sequência de instruções a serem seguidas e/ou executadas. Um programa de computador é composto por uma seqüência de instruções. por ter comunicação com o computador.Pós-Moderna PROCESSADORES: O procedimento complexo que transforma dados brutos em informações úteis chama-se processamento. Esse cérebro ocupa um espaço incrivelmente pequeno. em virtualmente qualquer cor.8Ghz CELULAR SCANNER Intel Pentium III 850Mhz O que precisamos saber? Não nos detendo ao teclado e ao mouse (periféricos comuns). Exemplificando.1Ghz. Sony. geralmente vem descrita com um número seguido pela freqüência. que pode ser Mega Hertz (Mhz) ou Giga Hertz (Ghz). Como dispositivo de saída. Os processadores disponíveis no mercado hoje.

b) Na opção “Parágrafo” definem-se as propriedades relacionadas aos parágrafos. além das evoluções do OpenOffice. espaçamento entre os caracteres de uma linha e alguns efeitos especiais de texto. 02 No menu “Formatar” do Microsoft Word são encontrados diversos recursos para formatação do texto que estiver sendo editado. produza sub-totais e análises estatísticas. etc..org traz.para manter seus números sob controle.Novo membro da família BrOffice. sumários. . planilhas. consultas e relatórios. rede e diversas variantes.org.O Draw .O Impress . Empresas como o metrô de SP já usam o OpenOffice. . responsável por interpretar e executar cada uma de suas instruções. Se uma empresa gasta cerca de mil reais por máquina para ter uma licença anual de um conjunto de escritório que incluem editor de textos avançados. colunas. Uma categoria especial e notável de interpretadores são as máquinas virtuais. Atualmente. como telefone celular. basta dedicar-se um pouco e investir na ferramenta. Quando um software está representado como instruções que podem ser executadas diretamente por um processador dizemos que está escrito em linguagem de máquina. . Os primeiros passos irei ensinar aqui para todos. mas se não tiver interesse em mudar algo basta ler o material disponível na internet ou ainda contratar uma pessoa para treinar seus funcionários. Verificação Ortográfica facilitam seu trabalho.org original. Ele cria e modifique tabelas. sua imaginação é o limite. 19 . Importe dados externos usando a TI Dinâmica. TESTES 01 Usando Microsoft Windows. aqui irei focar mais o uso doméstico usando o BrOffice que é atualmente o projeto brasileiro do OpenOffice. Extremamente útil para trabalhos científicos ou escolares. Em relação às opções oferecidas nesse menu.é o editor de textos do BrOffice. XY. diagramas entre outras coisas. áreas.Pós-Moderna Um programa pode ser executado por qualquer dispositivo capaz de interpretar e executar as instruções de que é formado.é um editor de fórmulas eficiente e fácil de usar. O Writer é poderoso o bastante a para executar tarefas típicas de editoração eletrônica. .vai produzir desde simples diagramas até ilustrações com aparência 3D e efeitos especiais. analisar. Que tal ter tudo isso sem tirar um centavo do bolso?Ou melhor ter o código fonte disponível? E com isso dedicar os mil reais de cada equipamento em treinamento para sua empresa ou pessoal? Isso tudo pode ser uma realidade. como o tipo de borda. O BrOffice. seja usando um banco de dados previamente existente em sua empresa. b) O computador é reiniciado com o seu “login”.Use o Calc . O dispositivo mais conhecido que dispõe de um processador é o computador. Essa poderosa planilha eletrônica possui todos os recursos de que você precisa para calcular. animações e as ferramentas de desenho. BROFFICE Que tal trocar seu atual conjunto de escritório PAGO e bem caro por uma ferramenta tão completa quanto a atual só que sendo Software Livre? Se você ficou interessado então leia essa dica completa e conheça melhor o BROFFICE. que simulam um computador inteiro. banco de dados.Sofisticadas ferramentas para auxílio à tomada de decisão estão a poucos cliques de distância. filtre-os.O Writer . Há mas se terei que investir em algo porque irei trocar de ferramenta? Simples se o código fonte estiver com você será mais fácil de realizar mudanças e adequar o software ao uso pessoal ou da empresa. Use visualizações prévias para escolher entre treze categorias de gráficos. pizza. o Base permite manipular bancos de dados sem dificuldades. como a JVM (Máquina Virtual Java). Suas apresentações vão ganhar destaque com efeitos. os nomes não são iguais aos do proprietário mas veja que ele tem tudo que o proprietário tem. Vamos ver o que o Broffice pode lhe oferecer! Veja o que tem no BrOffice. o projeto Brasileiro do OpenOffice. c) Você fecha a sua conta de usuário. A execução de um software também pode ser intermediada por um programa interpretador. Com ele. resumir e apresentar seus dados em relatórios numéricos ou em impressionantes gráficos. mas o computador permanece ligado. Depois ordene-os. referências cruzadas. .org. índices. basta seguir corretamente as orientações e analisar com calma se vale a pena usar o software. d) O computador é reiniciado com o “login” do Administrador.O Math . um editor de fórmulas matemáticas.. formulários. real ou imaginado. Um sistema de ajuda integrada facilita a inserção de fórmulas complexas. bibliografias. apresentação. Funções como Auto completar. e) O computador é desligado. com o barateamento dos microprocessadores. enfim. Auto-Formatar. incluindo linhas. máquinas de automação industrial. existem outras máquinas programáveis. você pode criar desde fórmulas simples até as mais complexas equações. . calculadora. assinale a alternativa correta: a) A opção “Fonte” permite configurar propriedades como tipo e tamanho da fonte. como o alinhamento. características específicas para o usuário brasileiro além de ter material em português brasileiro e pessoas qualificadas no mercado nacional com nível suficiente para treinamentos em grades empresas. ao fazer “logoff” no computador: a) Você fecha sua conta de usuário e o computador é desligado.é o meio mais rápido e poderoso de criar apresentações multimídia eficientes. com figuras embutidas. e às páginas.org: você pode usá-lo tanto para escrever uma carta rápida quanto para produzir um livro inteiro. tais como a criação de informativos com várias colunas e brochu &ndash.

III. aquela que relaciona corretamente a Barra com a função. se a pasta “Sites de Concurso” não existir. tipo “Documento 1”. pode-se afirmar que a) apenas I e II estão corretas. b) selecionar com um clique do mouse o arquivo que se deseja mover. b) Barra de Menus – contém os botões que servem de atalho para os vários comandos do aplicativo. Usando esse aplicativo. c) A opção “Colar especial” só está habilitada quando há uma imagem gráfica selecionada. se desejar. restaurar e fechar o aplicativo ou o arquivo aberto. a seguinte tarefa: adicionar o endereço www. arraste um “link” para a “pasta Links” na sua “lista Favoritos”. basta que sejam adicionados à sua lista de favoritos. em seguida clicar no menu “Editar”. d) Barra de Menus – contém o nome do aplicativo e do arquivo abertos e. d) A opção “Bordas e Sombreamento” permite a definição de bordas e sombreamento de regiões. b) A opção “Vídeo” apresenta as propriedades de vídeo e possibilita a alteração do recurso de “proteção de tela”. apontar para “Enviar para” e escolher “Área de Trabalho”. 04 No Internet Explorer. a “barra de links” está localizada ao lado da barra de endereços e funciona com um facilitador para o usuário. Da análise dessas informações. c) Barra de Ferramentas – apresenta os botões de controle para minimizar.Pós-Moderna c) Na opção “Marcadores e Numeração”. realizando a seguinte operação: a) clicar sobre a pasta de destino e. mas só está disponível quando o usuário está editando tabelas. mas não seleciona as imagens gráficas. arraste um “link” de uma página da WEB para a “barra de links”. tais como etc. então. a) Barra de Títulos – contém os botões que servem deatalho para os vários comandos do aplicativo. Em relação à adição de “links” à “barra de links”. enquanto a opção “Colar especial” serve exclusivamente para imagens gráficas. 03 O Windows Explorer é um aplicativo que possibilita a manipulação de pastas e arquivos em um computador com Sistema Operacional Windows. 07 No menu “Editar” do Microsoft Word são encontrados diversos recursos para manipulação do texto que estiver sendo editado. c) selecionar com um clique do mouse o arquivo que se deseja mover. Digite um novo nome para a página. apontar para a opção “Mover” e clicar “Mover Agora”. No menu “Favoritos”. sem soltar o botão esquerdo do mouse. analise as afirmações a seguir: I. b) todas estão corretas. além da definição de marcadores. arrastá-lo até a pasta de destino (e soltar o botão do mouse). 2.br aos seus favoritos. conhecidas como: Barra de Títulos. assinale a alternativa correta: a) A opção “Colar” é exclusiva para textos. Uma das formas de realizar essa tarefa é seguir os quatro passos abaixo (não necessariamente nessa ordem): 1. na pasta “Sites de Concurso”. 3. Para adicionar uma página. tem-se: a) 2 – 3 – 4 – 1 b) 3 – 1 – 2 – 4 c) 1 – 3 – 2 – 4 d) 4 – 1 – 3 – 2 20 . e) somente I está correta. “Pasta 1” etc. já que basta clicar no “link” para exibir a página (estando o computador devidamente configurado e conectado à Internet). dentre as opções abaixo. d) Problemas com o “nobreak” podem ser resolvidos utilizando-se o recurso “Gerenciamento de Energia”. e) A opção “Ir para” permite ao usuário mudar o foco de seu trabalho para qualquer outro aplicativo instalado em seu computador.fsadu. Em relação às opções oferecidas nesse menu. em seguida clicar em “Colar”. 08 Os sites ou páginas da Web preferidos ou mais visitados podem ser listados para acesso mais fácil no futuro. clicar em “Copiar” e.org. tipo “Documento 1”. Barra de Menus e Barra de Ferramentas. 05 As telas dos softwares do Windows são providas de três barras. e) Barra de Títulos – contém o nome do aplicativo e do arquivo abertos e. arraste o ícone da página da barra de endereços para a “barra de links”. “Pasta 1” etc. arrastá-la até que a mesma se sobreponha ao arquivo que se deseja mover (e soltar o botão do mouse). No menu “Favoritos”. caso o arquivo ainda não tenha sido nomeado. d) As opções “Recortar” e “Copiar” somente se tornam habilitadas quando há uma imagem gráfica ou um bloco de texto selecionado. e) clicar sobre o arquivo que se quer mover e. e clique em “Criar em” para selecionar a pasta. e) A opção “Capitular” permite que seja definida a numeração automática de capítulos do documento. clique em “Organizar Favoritos” e clique em “Criar pasta”. b) A opção “Selecionar tudo” permite selecionar todos os blocos de texto. em seguida clicar no menu “Editar”. Em relação a esses recursos. é correto afirmar que: a) A opção “Data / Hora” oferece possibilidade de alteração do formato de exibição da data e da hora. 06 O Windows oferece no “Painel de Controle” um conjunto de recursos que possibilita a configuração do computador. também é possível configurar a numeração de páginas do documento. sem soltar o botão esquerdo do mouse. c) apenas II e III estão corretas. apresenta um nome provisório. apresenta um nome provisório. d) somente II está correta. 4. Considere. Colocando esses passos em uma ordem correta. tais como etc. tais como . caso o arquivo ainda não tenha sido nomeado. c) Na configuração de uma rede doméstica deve-se utilizar o recurso “Adicionar ou Remover Programas”. e) A alteração de senhas de usuários é realizada com a utilização da opção “Opções de Acessibilidade”. Para adicionar uma página. pode-se mover um arquivo de uma pasta para outra. no menu de contexto disponibilizado. II. Assinale. clique em “Adicionar a Favoritos”. Acesse a página que você deseja adicionar à sua lista de favoritos. d) clicar com o botão direito do mouse sobre o arquivo que se deseja mover. Para adicionar uma página.

justificado. No Windows XP usa-se freqüentemente o Mapa de Caracteres para copiar e colar caracteres especiais em documentos. II e III estão corretas c) apenas I e IV estão corretas d) somente I. Prompt. mas não tem influência sobre todas as linhas do parágrafo. e) a memória ROM pode ser aumentada. A) (ARQUIVO) e (CABEÇALHO E RODAPÉ) 21 . III. define-se o alinhamento do parágrafo – centralizado. Para criar um cabeçalho ou rodapé no Word XP deve-se entrar no menu ________ e clicar em ________. ao abrir um novo arquivo. c) Word. DOS. Configurações. Prompt. as teclas ALT e F4: A) aparecerá outra janela de assistente para instalação de dispositivo B) aparecerá outra janela solicitando a mudança da data e hora do sistema C) aparecerá outra janela solicitando a configuração do MODEM e número do provedor da Internet D) a janela Propriedades do Sistema será fechada E) aparecerá a janela Propriedades de Teclado 13. for digitada a palavra TECLADO. Assinale a alternativa que apresenta exclusivamente sistemas operacionais: a) Windows XP. memórias e dispositivos de entrada e saída. Windows 2000. MSDOS. o texto aparecerá : A) em negrito B) em itálico C) sublinhado D) com letras em tamanho maior E) em minúsculas 11. Na opção “Espaçamento – Antes” define-se o espaço entre as linhas do parágrafo e a margem esquerda do texto. Linux. as teclas SHIFT e F3. estabilizador e cooler. simultaneamente. Window 98. 15 A respeito do armazenamento de dados no computador é correto afirmar que: a) as memórias RAM e ROM são voláteis. II. adicionando-se ao computador mais um pente de memória. Se no Word XP. III e IV estão corretas e) todas estão corretas 10. Mapa de caracteres E) Iniciar. e) nobreak. Mapa de Caracteres B) Iniciar. Fontes 14 Um computador é constituído basicamente de CPU. Se ao abrir o Painel de Controle do Windows XP. c) monitor de vídeo. Configurações. IV. b) Windows 95. conclui-se que: a) II. Em “Alinhamento”. Mapa de caracteres D) Iniciar. ZipDisk e fitas DAT podem ser utilizados para fazer backup de dados. Fontes C) Iniciar. Linux. Na opção “Espaçamento – Entre linhas” define-se o espaço a ser deixado entre duas linhas do parágrafo. e em seguida forem apertadas. 16 Um Sistema Operacional é um software básico cuja função é a de gerenciar os recursos do hardware. impressora e scanner. a seqüência correta de ações é: A) Iniciar. Painel de Controle. microfone e caixa de som. simultaneamente. B) (FORMATAR) e (CABEÇALHO E RODAPÉ) C) (FERRAMENTAS) e (CABEÇALHO E RODAPÉ) D) (EXIBIR) e (CABEÇALHO E RODAPÉ) E) (EDITAR) e (CABEÇALHO E RODAPÉ) 12. Fontes. Pesquisar. Programas. b) CD. Pesquisar. caixa de som e monitor de vídeo. disquetes. Acessórios. mouse e impressora.Pós-Moderna e) 2 – 1 – 4 – 3 09 O Microsoft Word oferece no menu “Formatar” diversas opções de formatação do texto. Assinale a alternativa que completa corretamente o trecho acima. Para localizar esse recurso. Configurações. Word. Da análise dessas afirmativas. Painel de Controle. A opção “Recuo – Esquerdo” permite fixar o espaço entre o primeiro caractere do parágrafo e a margem esquerda do texto. Arquivos ou Pastas. b) monitor de vídeo. esquerda ou direita. Configurações. facilitando sua operação pelo usuário. d) Windows Update. DOS. III e IV estão corretas b) I. mouse. conforme a figura apresentada. Documentos. for selecionado o item SISTEMA com um duplo clique no mouse e pressionadas. HD e disquetes são mídias removíveis. Ferramentas de Sistema. e) Linux. c) CD. Assinale a alternativa que apresenta exclusivamente dispositivos de saída: a) teclado. d) um CD-R/W não pode ser formatado. Em relação às opções de formatação oferecidas pelo Microsoft Word. analise as afirmações abaixo: I. d) impressora.

O correto está em: A) I e II. c) MSConfig. 3-B. acionar a opção “Autoformatação de tabela”. III e IV. clicar na opção “Autoformatação de tabela”. B) III e IV.permite a criação de novas pastas a partir do menu “Arquivo”.1. C) a partir do menu “Favoritos”. apenas. o seguinte procedimento deve ser adotado para a escolha do tipo de formatação desejada: A) No menu “Ferramentas”. do MS-Word 2002. 4-B D) 1-C. usando para tal um navegador à nossa escolha e um equipamento com ligação ao(à) _________________. 18 No editor de textos Word. é correto afirmar que: A) por intermédio do menu “Ferramentas”. do menu “Formatar”. utilizando o editor de textos Word 2002. A) Browser. e) esse endereço se refere a uma home-page. em versão em português. correio eletrônico. Internet C) Web. b) sfc. em que é possível efetuar um tipo de formatação. d) alt+shift. 2-A. versão em português. B) Clicar na opção “Tabela”. rede. 4-E B) 1-D.permite executar pesquisas. recortar e desfazer. crtl+V. a partir do menu “Exibir”. é correto afirmar que: a) o usuário “josedasilva” pode ser alterado dependendo do email. apenas. 3-C. Internet B) Webmail. se clicar em seguida em outra palavra. é correto afirmar que ela: I. A) 1-C. c) alt+C.Pós-Moderna 17 No Windows existem muitas teclas de atalho. web. ao se clicar na opção “Barras de ferramentas”. 4-F C) 1-F. 3-B. crtl+X. 3-F. uma vez selecionada uma palavra e em seguida clicar sobre o botão “Pincel”. A alternativa abaixo que contém os atalhos para copiar. crtl+F4. 2-E. o usuário pode selecionar os tipos de visualização de impressão. Internet. alt+V.possui barras de ferramentas que podem ser inibidas ou não da tela. dentre os vários tipos apresentados. c) “com” representa que o tipo de domínio pertence a uma organização não governamental. II. 22 . respectivamente é: a) crtl+Z.permite remover arquivos que se encontram temporariamente armazenados na “lixeira”. b) “meuconcurso” representa o tipo de usuário. e) crtl+C. D) No menu “Inserir”. e) opção “Adicionar Hardware” do Painel de Controle. crtl+Z. Para aplicar esse recurso de Autoformatação em uma tabela existente. d) copiar somente o estilo do parágrafo para aplicá-lo em outros parágrafos. III. há um recurso denominado Autoformatação.0. alt+crtl. 2-A. resulta em: a) copiar somente o tipo e tamanho da fonte para aplicar em outras palavras. D) no menu “Editar”. webmail 25 Para a formatação de tabelas. 20 A correção de erros e defeitos identificados no sistema operacional Windows XP. C) No menu “Tabela”. crtl+Z. d) telnet 127. 21. crtl+F4. e marque a alternativa que apresenta todas as correlações corretas entre a coluna I (botões ou menus) e coluna II (ações que são possíveis realizar a partir do acionamento dos botões ou das opções dentro dos menus). Sobre essa ferramenta. crtl+V. 22. d) esse domínio foi registrado como pertencente aos EUA. Um dos recursos disponíveis no sistema operacional Windows é o Windows Explorer. Internet. apenas. C) II. alt+Z. crtl+X. o usuário poderá estabelecer as “Opções da internet”. e) não ocorrer nada. crtl+Y. colar. bem como o acréscimo de novos drivers para dispositivos pode ser realizado automaticamente pelo: a) Windows Update. estilo e cor da fonte para aplicar em outras palavras. 4-D 24 Complete as lacunas e assinale a alternativa que contém a seqüência correta: _________________ é uma ferramenta a partir da qual pode-se utilizar o(a) _________________através do(a) _________________. b) copiar somente o tipo. crtl+V.0. clicar na opção “Formatar tabela”. tais como exibir página em “Tela inteira” e “Tamanho do texto” das páginas da Internet. B) via menu “Exibir”. crtl+Z.com. é possível definir algumas opções de visualização de preferência do usuário. IV. II. correio eletrônico D) Browser. web. c) copiar toda a formatação da palavra para aplicar em outras palavras. versão 6. bastando para isso digitar o nome do arquivo que se pretende localizar. é possível estabelecer a exibição das barras de ferramentas de endereços e de links. b) crtl+C. 23 Considere as barras de menus e de ferramentas padrão e de formatação abaixo. tais como definir a página inicial que será apresentada todas as vezes que o Internet Explorer for executado. correio eletrônico. Quanto às configurações possíveis de serem realizadas no Internet Explorer. e-mail. alt+X. III e IV. D) I. tais como: visualização com mais ou menos zoom ou visualização em uma ou mais páginas. 19 No endereço josedasilva@meuconcurso. 2-E.

O correto está em: A) I e III. do menu “Editar”. II. basta selecionar essa pasta. 27 No Internet Explorer. arraste um “link” para a “pasta Links” na sua “lista Favoritos”. escolher a opção “Novo” no “menu de atalho”. clicar com o botão direito do mouse sobre ela. e) A alteração de senhas de usuários é realizada com a utilização da opção “Opções de Acessibilidade”. III. é correto afirmar que: a) Se fizermos “G5=MÉDIA(F2:F5)” e “G6=MÉDIA(B2:E5)”. 28 O Windows oferece no “Painel de Controle” um conjunto de recursos que possibilita a configuração do computador. já que basta clicar no “link” para exibir a página (estando o computador devidamente configurado e conectado à Internet). é correto afirmar que: Em relação a essa tabela e esse gráfico. clique em “Adicionar a Favoritos”. b) todas estão corretas. se a pasta “Sites de Concurso” não existir. 30 Os sites ou páginas da Web preferidos ou mais visitados podem ser listados para acesso mais fácil no futuro. Da análise dessas informações. I. No menu “Favoritos”. c) apenas II e III estão corretas. na pasta “Sites de Concurso”. basta que sejam adicionados à sua lista de favoritos.fsadu. Acesse a página que você deseja adicionar à sua lista de favoritos. escolher o ítem “Somente subpastas” e teclar ENTER. digitar o nome da pasta (2006) e teclar ENTER. 4. pode-se afirmar que a) apenas I e II estão corretas. Para adicionar uma página. Para adicionar uma página. B) I e IV. clique em “Organizar Favoritos” e clique em “Criar pasta”.Pós-Moderna 26 Considerando a estrutura de pastas (diretórios) abaixo. basta selecionar a subpasta “2006”. 23 . Para adicionar uma página. do menu “Editar”. Uma das formas de realizar essa tarefa é seguir os quatro passos abaixo (não necessariamente nessa ordem): 1. Considere. se desejar. a “barra de links” está localizada ao lado da barra de endereços e funciona com um facilitador para o usuário. a seguinte tarefa: adicionar o endereço www. D) II e IV. No menu “Favoritos”.br aos seus favoritos. II.org. d) O gráfico foi obtido a partir da seleção completa da tabela.para criar uma subpasta “2006” dentro da pasta “Cartas comerciais”. Em relação à adição de “links” à “barra de links”.Para mover a subpasta “2006” para dentro da pasta “Memorandos”. c) O gráfico foi obtido a partir da tabela. e clique em “Criar em” para selecionar a pasta. b) A opção “Data / Hora” oferece possibilidade de alteração do formato de exibição da data e da hora. basta clicar com o botão direito do mouse sobre essa pasta. escolher a opção “Excluir” no “menu de atalho”. d) A opção “Vídeo” apresenta as propriedades de vídeo e possibilita a alteração do recurso de “proteção de tela”. e) somente I está correta. então teremos o conteúdo de “G6” maior que o conteúdo de “G5”. 29 A tabela e o gráfico apresentados a seguir foram construídos no Microsoft Excel. pela seleção das colunas “A” e “F”. 2. analise as afirmações a seguir: I. selecionar a pasta “Memorandos” e clicar na opção “Colar”. então. clicar na opção “Recortar”. III.para excluir todas as subpastas dentro da pasta “Reuniões das Gerências”. Em relação a esses recursos. arraste o ícone da página da barra de endereços para a “barra de links”. c) Na configuração de uma rede doméstica deve-se utilizar o recurso “Adicionar ou Remover Programas”. Digite um novo nome para a página. C) II e III. IV. arraste um “link” de uma página da WEB para a “barra de links”. pode-se afirmar que: a) Problemas com o “nobreak” podem ser resolvidos utilizando-se o recurso “Gerenciamento de Energia”. d) somente II está correta.o sinal de “+” ao lado da pasta “Memorandos” indica que esta pasta está protegida. e) O conteúdo da célula “F5” pode ser obtido pela fórmula “MÉDIA(F2:F5)”. b) O conteúdo da célula “F5” pode ser obtido pela fórmula “MÉDIA(B5:F5)”. 3.

• Ministros de Estado. por essa razão. d) a concisão.)”. que o tratamento impessoal que deve ser dado aos assuntos que constam das comunicações oficiais decorre: a) da ausência de impressões individuais de quem comunica. indireta ou fundacional. dos Estados. Sendo a publicidade e a impessoalidade princípios fundamentais de toda administração pública. e b) se emprega um vocabulário comum ao conjunto dos usuários do idioma. permitindo. b) o uso do padrão culto de linguagem. Fundamentalmente esses atributos decorrem da Constituição. o uso de papéis uniformes para o texto definitivo e a correta diagramação do texto são indispensáveis para a padronização. de entendimento geral e por definição avesso a vocábulos de circulação restrita. Emprego dos Pronomes de Tratamento: Como visto. a forma dos fechos e a identificação do signatário. A clareza datilográfica. • Governadores e Vice-Governadores de Estado e do Distrito Federal. Esses mesmos princípios (impessoalidade. claro está que devem igualmente nortear a elaboração dos atos e comunicações oficiais. o emprego dos pronomes de tratamento obedece a secular tradição. de outro. há características específicas de cada tipo de expediente. formalidade e uniformidade. do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade. Para ela concorrem: a) a impessoalidade. para que seja alcançada a necessária impessoalidade. • Oficiais-Generais das Forças Armadas. a clareza. de qualquer dos Poderes da União.. à civilidade no próprio enfoque dado ao assunto do qual cuida a comunicação. das idiossincrasias lingüísticas. São de uso consagrado: Vossa Excelência. uniformidade. por sua finalidade de informar com o máximo de clareza e concisão. para as seguintes autoridades: a) do Poder Executivo. 24 . seguir os preceitos aqui já explicitados. de um lado. Antes de passarmos à sua análise. em princípio. Há consenso de que o padrão culto é aquele em que a) se observam as regras da gramática formal. assim. concisão e uso de linguagem formal) aplicam-se às comunicações oficiais: elas devem sempre permitir uma única interpretação e ser estritamente impessoais e uniformes. que dispõe. Apresentadas essas características fundamentais da redação oficial. tem-se: a) 2 – 1 – 4 – 3 b) 3 – 1 – 2 – 4 c) 1 – 3 – 2 – 4 d) 4 – 1 – 3 – 2 e) 2 – 3 – 4 – 1 Linguagem dos Atos e Comunicações Oficiais: A necessidade de empregar determinado nível de linguagem nos atos e expedientes oficiais decorre. Impessoalidade: Percebe-se. a objetividade e a formalidade de que nos valemos para elaborar os expedientes oficiais contribuem. b) da impessoalidade de quem recebe a comunicação. clareza. clareza. com duas possibilidades: c) do caráter impessoal do próprio assunto tratado: A concisão. que evita a duplicidade de interpretações que poderia decorrer de um tratamento personalista dado ao texto. • Vice-Presidente da República. o que exige o uso de certo nível de linguagem. do próprio caráter público desses atos e comunicações. passemos à análise pormenorizada de cada uma delas. Concisão e Clareza Conciso: é o texto que consegue transmitir um máximo de informações com um mínimo de palavras. dos modismos vocabulares. • Presidente da República. uso do padrão culto de linguagem. que possibilitam a imprescindível uniformidade dos textos. que faz desaparecer do texto os excessos lingüísticos que nada lhe acrescentam. moralidade.. GABARITO 1 2 3 4 5 6 C A E B E B 7 8 9 10 11 12 D E C E D D 13 14 15 16 17 18 A C D E B C 19 20 21 22 23 24 REDAÇÃO OFICIAL ELABORAÇÃO DE DOCUMENTOS OFICIAIS A redação oficial deve caracterizar-se pela impessoalidade. que se atinja a pretendida compreensão por todos os cidadãos. como a gíria e o jargão. morfológicas ou sintáticas regionais.Pós-Moderna Colocando esses passos em uma ordem correta. COMUNICAÇÃO OFICIAL A redação das comunicações oficiais deve. de sua finalidade. ainda. eles requerem o uso do padrão culto da língua. A clareza deve ser a qualidade básica de todo texto oficial. antes de tudo. D A D A A B 25 26 27 28 29 30 C B B D C A É importante ressaltar que a obrigatoriedade do uso do padrão culto na redação oficial decorre do fato de que ele está acima das diferenças lexicais. Por seu caráter impessoal. Formalidade e Padronização: A formalidade diz respeito à polidez. impessoalidade. no artigo 37: “A administração pública direta. concisão. c) a formalidade e a padronização. Além disso. que serão tratadas em detalhe neste capítulo. publicidade e eficiência (. vejamos outros aspectos comuns a quase todas as modalidades de comunicação oficial: o emprego dos pronomes de tratamento.

) Vossa Eminência ou Vossa Eminência Reverendíssima. Vossa Senhoria é empregado para as demais autoridades e para particulares.) Vossa Excelência Reverendíssima é usado em comunicações dirigidas a Arcebispos e Bispos. Deputados Estaduais e Distritais. Os pronomes de tratamento para religiosos. Juízes. Corresponde-lhe o vocativo: Magnífico Reitor. MA Como se depreende do exemplo acima.. As demais autoridades serão tratadas com o vocativo Senhor. Os modelos para fecho que vinham sendo utilizados foram regulados pela Portaria no 1 do Ministério da Justiça. Fechos para Comunicações: O fecho das comunicações oficiais possui. A dignidade é pressuposto para que se ocupe qualquer cargo público. Acrescente-se que doutor não é forma de tratamento. MA Em comunicações oficiais. (. fica dispensado o emprego do superlativo ilustríssimo para as autoridades que recebem o tratamento de Vossa Senhoria e para particulares. de 1937. empregue-o apenas em comunicações dirigidas a pessoas que tenham tal grau por terem concluído curso universitário de doutorado. a de saudar o destinatário. de acordo com a hierarquia eclesiástica.. ou Eminentíssimo e Reverendíssimo Senhor Cardeal. seguido do cargo respectivo: Excelentíssimo Senhor Presidente da República. Senhor Ministro. Vossa Reverendíssima ou Vossa Senhoria Reverendíssima para Monsenhores. clérigos e demais religiosos. são: Vossa Santidade. Membros de Tribunais.. É costume designar por doutor os bacharéis. b) para autoridades de mesma hierarquia ou de hierarquia inferior: Atenciosamente. Como regra geral. em comunicações aos Cardeais. O vocativo a ser empregado em comunicações dirigidas aos Chefes de Poder é Excelentíssimo Senhor. Auditores da Justiça Militar. c) do Poder Judiciário: Ministros dos Tribunais Superiores. empregada por força da tradição.. Conselheiros dos Tribunais de Contas Estaduais. inclusive o Presidente da República: Respeitosamente. o endereçamento das comunicações dirigidas às autoridades tratadas por Vossa Excelência. O vocativo adequado é: Senhor Fulano de Tal. sendo desnecessária sua repetida evocação. No envelope. Corresponde-lhe o vocativo: Eminentíssimo Senhor Cardeal. no 123 12345-000 – São Luis. ainda. MA A Sua Excelência o Senhor Fulano de Tal Juiz de Direito da 10a Vara Cível Rua ABC. • Secretários-Executivos de Ministérios e demais ocupantes de cargos de natureza especial. (. em comunicações dirigidas a reitores de universidade. no 123 01010-000 – São Luis. Excelentíssimo Senhor Presidente do Congresso Nacional. a legislação federal estabeleceu o emprego de somente dois fechos diferentes para todas as modalidades de comunicação oficial: a) para autoridades superiores. (. • Prefeitos Municipais. Nos demais casos. É suficiente o uso do pronome de tratamento Senhor. que estabelecia quinze padrões. Mencionemos. Ministros do Tribunal de Contas da União. Senhor Juiz.Pós-Moderna • Embaixadores. Com o fito de simplificá-los e uniformizá-los.) No envelope. Vossa Reverência é empregado para sacerdotes.. Evite usá-lo indiscriminadamente. além da finalidade óbvia de arrematar o texto. • Secretários de Estado dos Governos Estaduais. Presidentes das Câmaras Legislativas Municipais. e sim título acadêmico. Cônegos e superiores religiosos. está abolido o uso do tratamento digníssimo (DD). às autoridades arroladas na lista anterior. especialmente os bacharéis em Direito e em Medicina. terá a seguinte forma: A Sua Excelência o Senhor Fulano de Tal Secretário de Estado da Saúde 00000-000 – São Luis. em comunicações dirigidas ao Papa. O vocativo correspondente é: Santíssimo Padre.. MA A Sua Excelência o Senhor Deputado Fulano de Tal Assembléia Legislativa 00000-000 – São Luis. 25 . b) do Poder Legislativo: • • • • • Deputados Federais e Senadores. Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal. Senhor Governador. seguido do cargo respectivo: Senhor Senador. o tratamento Senhor confere a desejada formalidade às comunicações. deve constar do endereçamento: Ao Senhor Fulano de Tal Rua ABC. a forma Vossa Magnificência.

Usa-se ainda o itálico na grafia de nomes científicos. grafa-se em itálico títulos de livros.Pós-Moderna Ficam excluídas dessa fórmula as comunicações dirigidas a autoridades estrangeiras.vosso. Pode-se adotar também. Transfira para essa página ao menos a última frase anterior ao fecho.. Apesar de obedecer às mesmas regras dispostas para as siglas. seguido do detalhamento e conclusão. Identificação do Signatário. A forma da identificação deve ser a seguinte: (espaço para assinatura) NOME Chefe de Gabinete do Tribunal de Contas (espaço para assinatura) NOME Secretário de Estado da Tributação •Vossa Senhoria nomeará o substituto. desde que sem exageros. o gênero gramatical deve coincidir com o sexo da pessoa a que se refere. Excluídas as comunicações assinadas pelo Presidente da República. O assunto que motivou a comunicação deve ser introduzido no primeiro parágrafo. Os pronomes de tratamento (ou de segunda pessoa indireta) embora se refiram à segunda pessoa gramatical (à pessoa com quem se fala. No caso de Comunicação Interna. com o objetivo de propiciar saliências no texto. Já as aspas duplas. − utilizar a fonte do tipo Times New Roman de corpo 12 no texto em geral. ou seja. Se contiver mais de uma idéia deve-se tratar dos diferentes assuntos em parágrafos distintos. 2• destacar neologismos – sentido inusitado de uma palavra ou de uma expressão. são palavras formadas das primeiras letras ou de sílabas de outras palavras – ex. com a grafia delas sem o itálico. Aspas – Usa-se grafar entre as aspas simples: a citação dentro de uma citação. sendo necessário. Apis mellifera). Da mesma forma. de pintura e de escultura. essas são adotadas para: 1• delimitar a indicação de citações diretas de até três linhas. recursos esse conhecido como “redondo”. ao número e à data ao qual este se refere. o destaque de palavras e de locuções de outros idiomas. no entanto. seguido de sigla do órgão que o expede. de periódicos. todas as demais comunicações oficiais devem trazer o nome e o cargo da autoridade que as expede. Contudo. são pronunciadas mediante a acentuação das letras: IPTU. de peças. Assim. assim como nomes de eventos e estrangeirismos citados no corpo do texto. que atendem a rito e tradição próprios. devidamente disciplinados no Manual de Redação do Ministério das Relações Exteriores.: Diário Oficial do Estado – DOE). Itálico – Convencionalmente. no caso de o texto já estar todo ele grafado em itálico. o destinatário deverá ser identificado pelo cargo. − utilizar os pronomes de tratamento. Ipea. 3• grafam-se em caixa alta as siglas que. Os mais comuns são os a seguir comentados. os vocativos. ainda não adaptadas ao português. um vocativo composto pelo cargo e pelo nome do destinatário em questão. 4• grafam-se em caixa alta e em caixa baixa os compostos de mais de três letras (vogais e consoantes) que formam palavra: Bandern. Siglas e acrônimos devem vir precedidos de respectivo significado e de travessão em sua primeira ocorrência no texto (ex. de óperas. pode ser obtido com o efeito contrário. IPVA. SIGLAS E ACRÔNIMOS Sigla é a representação de um nome por meio de suas iniciais – ex. levam a concordância para a terceira pessoa. que na grafia de nome de instituição estrangeira não se deve usar o itálico. abaixo do local de sua assinatura. de música. os pronomes possessivos referidos a pronomes de tratamento são sempre os da terceira pessoa: “Vossa Senhoria nomeará seu substituto” (e não “Vossa. não necessitando do nome de seu ocupante. A referência ao ano do documento deverá ser feita após a espécie e número do expediente. fazer referência à espécie. e 10 nas notas de rodapé. Lembrar. Já quanto aos adjetivos referidos a esses pronomes. os acrônimos são distintos delas. então. ou a quem se dirige à comunicação). − para símbolos não existentes na fonte Times New Roman poder-se-á utilizar as fontes Symbol e Wingdings.ou termos formados a partir de Para evitar equívocos. recomenda-se não deixar a assinatura em página isolada do expediente.“Vossa Excelência está atarefada”.. Embrapa.. •Vossa Excelência conhece o assunto. se o interlocutor for homem.: Bradesco. o correto é “Vossa Excelência está atarefado”. DOU.: INSS. NORMAS GERAIS DE ELABORAÇÃO Ao se elaborar uma correspondência observadas as seguintes regras: deverão ser − utilizar as espécies documentais. − é obrigatório constar a partir da segunda página o número da página.”). Exemplos: 26 . de animais e vegetais (ex. apesar de compostas de consoante e de vogal. de acordo com as finalidades expostas nas estruturas dos modelos adiante expostos. Exceção para casos em que existir um mesmo cargo para vários ocupantes. Ibama. 1• em geral não se coloca ponto nas siglas. os destinatários e os endereçamentos corretamente. DESTAQUES Recurso tipográfico que estabelece contrastes. e não com o substantivo que compõe a locução.. se for mulher. Cohab. 2• grafam-se em caixa alta as compostas apenas de consoante: FGTS. o destaque do itálico na grafia de palavras e/ou de expressões às quais se queira da ênfase.: Canis familiaris. EXEMPLO: Ao Senhor Assessor José Amaral Quando um documento estiver respondendo à solicitação de um outro documento. ou seja. 11 nas citações.

eclesiásticos (papa. freira). com um ponto final. senhor).: a). • nome de imposto e de taxa (Imposto de Renda). c) assunto: resumo do teor do documento Exemplos: Assunto: Produtividade do órgão em 2002. Leste. Serra do Salitre). • regiões (Nordeste. Polícia Militar).: A Agência Nacional de Águas tem por missão (. • nome de corpo celeste.: ex-Ministro do meio Ambiente. Com o fito de uniformizá-los. “deletar”. • nome de pontos cardeais (Sul. Estado Novo). • nomes de instituições culturais. iorubas). 8• prefixo ex. • designação de nação política organizada. apolíneo. Negrito – O destaque do negrito é mais comumente usado na transcrição de entrevistas. no entanto. diretor). bacharel). o Terrível). axiônimos correntes (você. • nome de festividade ou de comemoração cívica (Natal. Cabo Frio. Norte. Estado de São Paulo). dignitários (comendador.etc. por extenso. cavaleiro).: Havia um “porém” no olhar do diretor. exPresidente da República. • nome de zona geoeconômica e de designações de ordem geográfica ou político-administrativa (Agreste. 2• gentílicos e de nomes étnicos (franceses. “zebra”.Pós-Moderna palavras de outra língua – “ajanelar o coração”. Rua Cesário Alvim). 4• destacar o valor – irônico ou afetivo de um termo – ex. Assunto: Necessidade de aquisição de novos computadores. 7• nome de acidente geográfico que não seja parte integrante do nome próprio: rio Amazonas. • nome de documento ao qual se integra um nome próprio (Lei Áurea. 6• nos termos designativos de instituições. Estádio do Maracanã. que siga o que chamamos de padrão ofício. de pseudônimos (Joãozinho Trinta). 123/2002-TCE Aviso 123/2002-TCE Of. situação em que a relação de itens que se segue deve ser introduzida por letras minúsculas – ex. todos eles. Zona da Mata. o ofício e o memorando devem conter as seguintes partes: a) tipo e número do expediente. • nome de período e de episódio histórico (Idade Média.. umbandistas). pois que o último deverá vir seguido de ponto final. Associação Brasileira de Jornalistas. O PADRÃO OFICIO Há três tipos de expedientes que se diferenciam antes pela finalidade do que pela forma: o ofício. 123/2002SG/TCE b) local e data em que foi assinado. cabo Norte (mas. ENUMERAÇÕES O trecho que anuncia uma enumeração geralmente vem sucedido por dois-pontos. seguido da sigla do órgão que o expede: Exemplos: Mem. o negrito pode ser utilizado também. assim como ser finalizados. quando designativo astronômico (“A Terra gira em torno do Sol”). 4• nome de grupo ou de movimento político e religioso (petistas.). profissionais (ministro. de conjunto de poderes ou de unidades da Federação (golpe de Estado. pastor. Sul). o aviso e o memorando.: Ela era a “queridinha” do papai. 5• na palavra governo (governo Fernando Henrique. ser grafada com inicial minúscula e concluída com ponto-e-vírgula até o penúltimo item.). general. 27 . 15 de março de 1991. nietzschiano. médico. conforme antes mencionado. keynesiano. Partes do documento no Padrão Ofício: O aviso. comedidamente. é também usada na grafia de: 1• cargos e títulos nobiliárquicos (rei. Aeroporto de Cumbica. a referida agência não exclui de suas metas os compromissos relacionados a. As peculiaridades de cada um serão tratadas adiante. Rui Barbosa. • topônimos (Brasília. para separar perguntas de respostas... de nomes dinásticos (os Médici). governo de São Paulo). Rio de Janeiro. os dias da semana e os meses do ano. Caso o trecho anunciativo da enumeração termine com um ponto final. Igreja do São José). Maiúsculas – Além de sempre usada no início de períodos. c) – ou por um outro tipo de marcador (. a letra minúscula (comumente chamada de caixa baixa – Cb). como expressão de azar. culturais (reitor. Triângulo Mineiro). Lojas Americanas)._. por ora busquemos as suas semelhanças. . presidente. quando esses não estão integrados no nome delas – ex. nome de edifício. serra do Mar. com alinhamento à direita: Exemplo: Brasília. nome de derivado: weberiano. nos títulos de obras artísticas ou técnico-científicas.. .. profissionais e de empresa (Fundação Getúlio Vargas. na indicação de títulos e de subtítulos. na grafia de termos e/ou de expressões a que se queira dar ênfase. Quinze de Novembro). de monumento e de estabelecimento público (edifício Life Center. Lei Afonso Arinos). de alcunhas (Sete Dedos).. pode-se adotar uma diagramação única. Paris). paulistas. • nome de logradouros e de endereço (Av.. a letra maiúsculas (caixa alta – CA) é convencionalmente usada na grafia de: • nomes próprios e de sobrenomes (José Ferreira) de cognomes (Ivan. • nome de divisão e de subdivisão das Forças Armadas (Marinha. assim como. 3• nome de doutrina e de religiões (espiritismo. 3• indicar um sentido não habitual – ex. 1 Minúsculas – Além de sempre usada na grafia dos termos que designam as estações do ano. os itens que o sucedem devem vir grafados com inicial maiúscula. dom). Oeste). b). protestantismo). Contudo.

Identificação do Signatário). evitando-se emitir opiniões pessoais. o) para facilitar a localização. em caso contrário. que trata da requisição do servidor Fulano de Tal. e) o início de cada parágrafo do texto deve ter 2. e 10 nas notas de rodapé. na qual é apresentado o assunto que motiva a comunicação. e d. Quando isso é julgado oportuno e adequado ao momento. j) a impressão dos textos deve ser feita na cor preta em papel branco. f) fecho (v. as margens esquerda e direita terão as distâncias invertidas nas páginas pares (“margem espelho”). “Tenho o prazer de”. Deve-se transcrever o que foi de fato observado.5 cm. 2. O relatório pode ser individual ou de mais pessoas.7 x 21. minuciosamente. Se a remessa do documento não tiver sido solicitada. aspectos pertinentes e relevantes a fim de assessorar.precisão. b. elas devem ser tratadas em parágrafos distintos. deve iniciar com a informação do motivo da comunicação. de 1o de fevereiro de 1991. preferencialmente com períodos curtos. o formato de arquivo Rich Text nos documentos de texto. relevo. cópia do Ofício nº 34. se o texto contiver mais de uma idéia sobre o assunto. no qual o assunto é detalhado. e) texto: nos casos em que não for de mero encaminhamento de documentos. de 3 de abril de 1990. data. sombra.Quando falamos em objetividade. c. e assunto de que trata). 123 . poderá acrescentar parágrafos de desenvolvimento. c) é obrigatório constar a partir da segunda página o número da página. b) para símbolos não existentes na fonte Times New Roman poder-se-á utilizar as fontes Symbol e Wingdings.objetividade. o expediente deve conter a seguinte estrutura: – introdução. de uma linha em branco. • RELATÓRIO: Relatório é um documento em que se transcreve algo observado e importante. segundo a seguinte fórmula: “Em resposta ao Aviso nº 12. não há parágrafos de desenvolvimento em aviso ou ofício de mero encaminhamento. g) o campo destinado à margem lateral direita terá 1.” ou “Encaminho. f) o campo destinado à margem lateral esquerda terá. Fechos para Comunicações). todos os documentos elaborados devem ter o arquivo de texto preservado para consulta posterior ou aproveitamento de trechos para casos análogos.relatório produtividade ano 2002” – introdução: deve iniciar com referência ao expediente que solicitou o encaminhamento. e a razão pela qual está sendo encaminhado. n) dentro do possível. “Cumpre-me informar que”.: “Of. A impressão colorida deve ser usada apenas para gráficos e ilustrações. preferencialmente. sem floreios. a anexa cópia do telegrama no 12.0 cm de largura. os nomes dos arquivos devem ser formados da seguinte maneira: tipo do documento + número do documento + palavraschaves do conteúdo Ex. i) não deve haver abuso no uso de negrito.” – desenvolvimento: se o autor da comunicação desejar fazer algum comentário a respeito do documento que encaminha. 2. Neste caso. sem a preocupação de narrativas rebuscadas.5 cm de distância da margem esquerda.Pós-Moderna d) destinatário: o nome e o cargo da pessoa a quem é dirigida a comunicação. a respeito de projeto de modernização de técnicas agrícolas na região Nordeste. g) assinatura do autor da comunicação. entendemos que um relatório deve ser escrito de forma direta. m) deve ser utilizado. se o editor de texto utilizado não comportar tal recurso. do Departamento Geral de Administração. sombreado. itálico. Os parágrafos do texto devem ser numerados. Evite o uso das formas: “Tenho a honra de”. 3. 28 . e h) identificação do signatário (v. em que é reafirmada ou simplesmente reapresentada a posição recomendada sobre o assunto. 3. – desenvolvimento. empregue a forma direta. que se confunde com o parágrafo de abertura. sublinhado. Já quando se tratar de mero encaminhamento documentos a estrutura é a seguinte: de d) os ofícios. 2.3.concisão. do Presidente da Confederação Nacional de Agricultura. Trata-se de instrumento eficiente quando o conteúdo obedece aos parâmetros que seguem.2. Forma de diagramação: Os documentos do Padrão Ofícial devem obedecer à seguinte forma de apresentação: a) deve ser utilizada fonte do tipo Times New Roman de corpo 12 no texto em geral. encaminho. – conclusão. servir de subsídio ou de base para alerta e promover melhoria técnico-administrativo-operacional de um setor. para exame e pronunciamento. letras maiúsculas. No caso do ofício deve ser incluído também o endereço. de 1º de fevereiro de 1991. no mínimo. em que se descreve.Princípios que regem um relatório: a. bordas ou qualquer outra forma de formatação que afete a elegância e a sobriedade do documento. l) todos os tipos de documentos do Padrão Ofício devem ser impressos em papel de tamanho A-4. origem ou signatário. que é encaminhar. memorandos e anexos destes poderão ser impressos em ambas as faces do papel. exceto nos casos em que estes estejam organizados em itens ou títulos e subtítulos. obedecendo à ordem direta na construção das frases. indicando a seguir os dados completos do documento encaminhado (tipo. o que confere maior clareza à exposição. pode-se. 29. 11 nas citações.0 cm. anexa. h) deve ser utilizado espaçamento simples entre as linhas e de 6 pontos após cada parágrafo.clareza. ou seja. ou.

Pode ser um resumo histórico. 8. A partir de cada item destacado no desenvolvimento. esquemas e quadros explicativos. do maior para o menor. deixar de fazer referência àquelas observações que deveriam constar do relatório. mesmo aquelas com conteúdo técnico. vez por outra. devemos seguir os seguintes passos: . a visita realizada atingiu o objetivo proposto. 6..... surgindo daí uma minuta. a despeito de se respeitar o poder de síntese. aconselha-se que construções de frases. recomendações e/ou sugestões. um relatório deve ser elaborado como se o estivéssemos fazendo pela vez primeira. Por isso. No desenrolar do desenvolvimento./. ou vice-versa. servirá para compor o quadro lógico e ordenado a ser apresentado. ter o cuidado de não tentar resolver problemas de setores que não lhes dizem respeito. de fato. Tem tudo a ver com a exatidão da observação.Fases de um relatório: Antes de sua elaboração final. Mesmo com experiência profissional e de vida. pode-se desmembrá-lo em itens ou blocos para destacá-los.. mas também no conteúdo.. como estamos sugerindo aqui.. não devem aparecer fatos novos ou indicações que não estejam inseridos na fase do desenvolvimento. retratadas as observações e os pontos julgados de maior relevância durante a visita.Introdução: É uma apresentação sintética da entidade que está sendo visitada e sua importância no calendário de visitas. devem tomar forma e ser melhorados. Daí poderão ser acrescentados itens de sugestões.Desenvolvimento: É... se uma situação.. Devem ser.Pós-Moderna ao seu final. Anexar. recomendações ou medidas corretivas. em . treinar a confecção do conteúdo de desenvolvimento de um relatório. . sanando até dúvidas. as idéias centrais devem servir para o encadeamento lógico da última fase mandatária do relatório. Ou seja. propor medidas corretivas. 5. sem que isso venha a se caracterizar como peça de uso legal. É conveniente que seja também destacado se. É nessa fase preliminar que os apontamentos feitos durante uma visita. não só na forma..Um texto é claro quando o que está sendo apresentado.. que faz parte das atividades previstas no projeto pedagógico do curso de Ciências Aeronáuticas. neste caso. deve-se. observada e induzindo à elaboração de um relatório. Se visitarmos quatro departamentos. visitas informais. uma arte. por escrito.Conclusão: Nesta fase do relatório.. por exemplo. além de mais rico de informações. por exemplo.... nesta fase.Após a seleção do material que servirá para a elaboração de uma minuta.. do mais antigo até o atual. Sugerimos que. mesmo sem um objetivo específico ou provocativo de uma situação real. principalmente quando fazemos visitas de cortesia e/ou como convidados. sem dúvida. faz com que um relatório. Muitas vezes. Não se pode. obedecendo a regras simples. entretanto. É o caso quando se relata a visita a uma empresa aérea em que o destaque seriam os procedimentos operacionais. trará algum benefício futuro. no decorrer do desenvolvimento do relatório. quando de palestras.. É provável que. dando-lhe vida. Agrupar em poucas palavras o que foi presenciado é. seja despertado o desejo de se dar uma contribuição à melhoria de desempenhos futuros de um setor visitado.A precisão é a clareza do pensamento que está escrito. anexarem-se fotografias.. observação de incidentes e/ou acidentes. Este é um cuidado que somente quem possui espírito crítico e sensibilidade adquirida pela experiência e treinamento deve incorporar. organogramas/fluxogramas e procedimentos internos enriquecerá o relatório que será apresentado.Objetivo do relatório: Por exemplo: Trata o presente relatório de uma visita técnica às instalações do Aeroporto do Galeão. 4. sejam elaboradas com português simples. Modelo de texto para um relatório de 3 páginas : 29 . respalde a narrativa. Deve-se. 7. é conveniente que cada um seja tratado separadamente. uma seleção do que foi observado e catalogado deve ser arrumada de forma tal que se possa escrever uma minuta. .. a parte mais consistente do relatório./. não deixa dúvidas para quem o lê. A cronologia de fatos. . por exemplo.A concisão é o poder de síntese.

formulários já 30 . Se o engano for notado no final da ata.Pós-Moderna • ATA: Ata é o resumo escrito dos fatos e decisões de uma assembléia. apenas o presidente e o secretário. deve ser lavrada de tal forma. O tempo verbal preferencialmente utilizado na ata é o pretérito perfeito do indicativo. impossibilitando fraude. desde que as mesmas sejam convenientemente arquivadas. usam-se impressos.á a expressão — “Em tempo: Onde se lê. Em casos muito especiais. as atas são transcritas a mão pelo secretário.. NORMAS: Geralmente. Nas atas. Permite-se também a transcrição da ata em folhas digitadas. que deve conter um termo de abertura e um termo de encerramento. que nada lhe poderá ser acrescentado ou modificado.. deverão fazê-lo todas as pessoas presentes ou. a fim de se evitarem acréscimos. evitando-se também as abreviações. esta também deverá numerar e rubricar todas as folhas do livro. em livro próprio. o secretário escreverá a expressão “digo”. sessão ou reunião para um determinado fim. Se houver engano.”. Quanto à assinatura. quando deliberado... As atas são redigidas sem se deixarem espaços ou parágrafos. escreverse. assinados pela autoridade máxima da entidade ou por quem receber daquela autoridade delegação de poderes para tanto. retificando o pensamento. como os das seções eleitorais. Como a ata é um documento de valor jurídico.. os números devem ser escritos por extenso. leia-se.

Pós-Moderna • CARTA: Carta comercial é a correspondência tradicionalmente utilizada pela indústria e comércio.. por certo.. Com a presente.. 5. 4.. Acusamos o recebimento de sua carta. O fim da presente é solicitar-lhe.. enviamos protestos de alta estima e consideração. Sem outro objetivo para o momento.. V. firmamo-nos Atenciosamente • CARTA OFICIAL: Carta oficial é um tipo de correspondência utilizada por alguns órgãos públicos. em situações não-cerimoniosas. subscrevemo-nos Atentamente 7. Com referência ao assunto... firmamo-nos Atenciosamente 6.. subscrevemonos Atenciosamente 3. Agradecendo a atenção que. com relação a pessoas estranhas ao serviço público. firmamonos Atentamente 8. À inteira disposição de V. 7. Sª. Esperando continuar a merecer sua honrosa preferência. lamentamos comunicar. 6.. 31 . Sª pretendem. 8. Sª que. Temos a satisfação de apresentar a V.. Cumpre cientificá-los de que.. Com a consideração de sempre. firmamo-nos Atentamente 2. Sendo o que se nos apresenta no momento. Fechos 1. 5. Sª dispensarão ao assunto. SUGESTÕES PARA INÍCIOS E FECHOS DE CARTAS COMERCIAIS Inícios 1. e estes cada vez mais se generalizam.. Sª o portador desta. 2... Tendo chegado ao nosso conhecimento que V. No aguardo de um pronunciamento a respeito. 3. Aguardando suas providências a respeito.. Modernamente. as cartas oficiais vêm sendo absorvidas pelos ofícios. Pedimos a fineza de enviar-nos. subscrevemo-nos Atenciosamente 4. vimos trazer ao conhecimento de V.

uso do padrão culto da linguagem. formalidade e uniformidade. quem comunica é sempre a Administração Pública. no caso do ofício. A única diferença entre eles é que o aviso é expedido exclusivamente por Ministros de Estado. (210 x 297 mm) REDAÇÃO: A elaboração de correspondências e atos oficiais deve caracterizar-se pela impessoalidade. clareza. também com particulares. Ofício e Memorando Definição e Finalidade: Aviso e ofício são modalidades de comunicação oficial praticamente idênticas. Ambos têm como finalidade o tratamento de assuntos oficiais pelos órgãos da Administração Pública entre si e.Pós-Moderna Aviso. o que e comunica é sempre algum assunto relativo às atribuições do órgão ou entidade que comunica. No caso da redação oficial. o destinatário dessa comunicação é 32 . para autoridades de mesma hierarquia. concisão. ao passo que o ofício é expedido para e pelas demais autoridades.

etc. transmitindo um máximo de informações com um mínimo de palavras. pois compete a estes conduzir. etc. possibilitando imediata compreensão pelo leitor. melhores benefícios sociais. Na maior parte das organizações. As comunicações oficiais devem ser sempre formais. ofício-circular e carta-circular. A administração de recursos humanos constitui uma especialização técnica amplamente desenvolvida procurando enfocar a relação homem/trabalho. como avaliação de desempenho. controlar e coordenar o trabalho dos seus subordinados. como alguns definem “setor de recursos humanos”. OBSERVAÇÃO Se um memorando. Em todos esses lugares. por exemplo. o desenvolvimento é um processo educacional de longo prazo eu utiliza procedimentos sistemáticos e organizados pelo qual o pessoal gerencial aprende conhecimentos conceptuais e teóricos para propósitos genéricos. com certa continuidade. Status GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Administração de pessoal (Recursos Humanos) é a especialização administrativa que trata do planejamento. melhor remuneração. seja ele de maior ou menor dimensão. o conjunto de cidadãos. Os órgãos de gestão de pessoal estabelecem os meios e os critérios para tal avaliação. -desenvolvimento de conceitos Adquirir hábitos. à equipe de trabalho. um oficio ou uma carta forem dirigidos multidirecionalmente. É como se a administração de pessoal tentasse viabilizar o empregado para a organização e a organização para o empregado. vamos dizer assim. seja formal ou informalmente. O texto deve ser conciso. A clareza do texto. seus serviços e ou produtos. ao seu superior imediato. Cada uma dessas alternativas envolve uma filosofia de ação. isso dependerá dos objetivos que ela procura alcançar. AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO A Avaliação de Desempenho é uma sistemática apreciação do desempenho do indivíduo no cargo e de seu potencial desenvolvimento. Para compatibilizar o objetivo de ambos. geralmente decorrem do referido ato. O conteúdo do treinamento envolve quatro tipos de mudanças. maior produtividade. Quase sempre os objetivos organizacionais e os objetivos pessoais são antagônicos entre si: a busca de um dificulta o alcance do outro e vice-versa. -desenvolvimento ou modificação de atitudes. Porem. Excelência. a responsabilidade pela avaliação de desempenho pode ser atribuída ao próprio individuo. A administração de pessoal procura atingir basicamente dois objetivos simultâneos. A avaliação dos indivíduos que desempenham papéis dentro de uma organização. a saber: . ou outro órgão ou entidade pública. como administração operacional. O treinamento é um processo educacional de curto prazo que utiliza procedimentos sistemáticos e organizados pelo qual o pessoal não gerencial aprende conhecimentos ou habilidades técnicas pra um propósito definido. a administração de pessoal precisa ter uma visão ampla e abrangente. nas organizações. as pessoas são dirigidas e controladas por administradores. avaliação de eficiência funcional. organização e controle do setor de pessoal de uma organização. isto é. melhor qualidade de vida. ao órgão de gestão de pessoal ou a uma comissão de avaliação. Conforme a política de RH adotada pela organização. TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO 33 . tarefas ou práticas. Normalmente a avaliação de desempenho deve ser gerenciada estimando julgar alguma pessoa quanto ao seu: • • • • Valor. segurança no emprego. São objetivos organizacionais. etc. pode ser feita através de abordagens que recebem denominações. Numa organização encontramos empregados ou funcionários em todos os lugares.Pós-Moderna o público.transmissão de informações: como informação sobre a organização.desenvolvimento de habilidades: principalmente aquelas habilidades e conhecimentos diretamente relacionados com o desempenho do cargo. costumes e mesmo tornar-se habilitado ou apto para o desempenho de certos serviços. por exemplo. Por outro lado. seria os objetivos voltados para a própria organização (objetivos organizacionais) em quanto o outro está voltado para os empregados (objetivos pessoais). avaliação do mérito. obedecerem a certas regras de forma. São objetivos pessoais. A redação oficial deve ser isenta de interferência da individualidade de quem a elabora. suas políticas. . sabemos que numa organização existem outros tantos serviços relacionados com o pessoal e que precisam ser centralizados num departamento à parte. a redução de custos. cumprimento de metas de atenção. serão chamados de memorandocircular. Toda organização deve ter um setor de pessoal ou. Um. Qualidades. a avaliação de desempenho é um processo dinâmico. maior dedicação por parte dos funcionários. A própria palavra treinamento explica seu significado: ato ou efeito de treinar. cabe ao superior imediato a responsabilidade de linha pelo desempenho dos seus subordinados e por sua avaliação. Em resumo. o uso de papéis uniformes e a correta diagramação são indispensáveis para a padronização das comunicações oficiais. Seria. pois os empregados são sempre avaliados. sua organização administrativa.

você já parou pra pensar que hoje a realidade é a sociedade do conhecimento. o que implica uma grande mudança no paradigma anterior.Pós-Moderna Com uma técnica de “direção” imprescindível. e os chefes de gestores. entre outros exemplos que poderíamos citar e sim nas pessoas que compõem a organização. hoje.gerente. visão sistêmica e estratégica são algumas das exigências que a área de recursos humanos. Os resultados obtidos dependem em boa medida do comportamento das pessoas no trabalho. onde a visão do empregado prevalecia à obediência e a execução da tarefa. Vejamos: 01. Gestor: do latim gestore . Torna-se fundamental ao gestor aprender a criar novas formas organizacionais em torno de equipes e processo. É discutir e entender o disparate entre as técnicas tidas como obsoletas (tradicionais) com as modernas (gestão da participação e do conhecimento). facilidade na interação. aprendizagem. necessidade de competência multifuncional e interdisciplinar. conhecem a empresa e participam dos negócios. com o envolvimento dos clientes internos e externos. Hoje o cenário é diferente: os empregados são chamados de colaboradores. Bem. Integração do empregado a organização ou ao cargo. o departamento de Relações Humanas atuava de forma mecanicista. participação. é torná-los competentes para atuar em suas atividades. tarefa e obediência. Trata-se então de enxergarmos que a real vantagem competitiva no mercado não está somente representada no financeiro ou nos altos investimentos em tecnologia. etc como fator competitivo no mercado globalizado. 04. Se analisarmos. tanto na esfera pública como na empresarial. Se esse A Gestão de Pessoas vem passando por um amplo processo de transformação.vem demonstrando fragilidades diante do ambiente turbulento e mutável pelo qual vem passando as organizações. procurando agregar valor à missão organizacional. Pode-se concluir então. e ao chefe. administrador de bens alheios. que movimentam tudo isto no cotidiano. O nexo comum entre todos eles é a estratégia. Vamos lá. A gestão de pessoas não pode ser vista de forma isolada dos outros subsistemas de gestão que existem em qualquer organização. o encarregado de dirigir um serviço. A realidade tem se mostrado bem mais positiva e otimista para muitas organizações: Gestão de pessoas é. Eu disse atividades e não tarefas! E vou mais longe: é com este cenário que as organizações devem ter a visão de que o capital humano será seu grande diferencial: sinônimo de vantagem competitiva. perceberemos que o papel do colaborador é mais participativo. é verdade! A área de Recursos Humanos deixou (ou pelo menos deveria deixar) de ser um mero departamento de pessoal para se tornar o personagem principal de transformação dentro da organização. ou mesmo sinônimo de controle. sensibilidade social. “As organizações de sucesso no século XXI serão aquelas que conseguirem captar. orientação para resultados. Colaborador: aquele que colabora. Se analisarmos. o fator que move realmente a regra do negócio é justamente o capital humano. ele tem maior autonomia em suas atividades. envolvimento e desenvolvimento do bem mais precioso de uma organização: o capital humano. No contexto em que mudanças ocorrem a todo o momento. com a qual se podem localizar problemas de:     Supervisão de pessoal. em linhas gerais. que gerir pessoas não é mais um fator de uma visão mecanicista. sempre foi gerir negócios. 03. um assunto tão em evidência. sustentadas por uma gestão com amplo envolvimento e participação. estabelecer um compromisso com a força de trabalho. baseado em respeito mútuo em uma comunicação aberta. As organizações acreditavam que a tendência. Concordo em parte! Mas hoje. a organização precisa estar alinhada em torno de definições estratégicas claras. uma nova "filosofia de gestão". mas o impacto no desempenho por elas realizado é significativo. A Gestão de Pessoas na Administração Pública pretende refletir sobre a atuação estratégica da área de recursos humanos na esfera pública. Não aproveitamento de empregados com potencial. colaborando com a determinação e desenvolvimento da política adequada. É o resgate do papel do ser humano na organização. Empregado: aquele que tem um emprego. Cidadãos mais exigentes.Uma organização que pretende ter de si mesma uma visão estratégica precisa levar em conta que há um fluxo de conhecimentos que afeta a produção como um todo. sistemática. reformulação do papel do Estado na economia nacional e internacional. Motivação. portanto. o controle centralizado. Chefe: o principal entre outros. A idéia aqui é mostrar um pouco sobre Gestão de Pessoas. ou seja. que nada mais são que pessoas que a compõe. cooperação nas decisões com seus gestores. competência interpessoal.centrados em cargos . metódica. armazenar e alavancar melhor o que seus empregados sabem”. As pessoas não aparecem no balanço patrimonial no final do mês ou do ano na organização. então! Para entendermos melhor. na medida em que os sistemas tradicionalmente utilizados como referencial . habilidades de comunicação. capacitação. deve estar atenta para acompanhar frente às mudanças do mundo contemporâneo. O momento atual exige ampla transformação. onde o talento humano é visto 34 . 02. É preciso. há tempos atrás.

São objetivos organizacionais. Podemos resumir dizendo que temos de fazer mais e melhor com menos recursos. Compras. A sociedade demanda serviços de mais qualidade e ao mesmo tempo exige que não se subtraiam recursos imprescindíveis da economia produtiva. Em todos esses lugares.para repor o estoque. Devem ser bons em gestão por competências. ADMINISTRAÇÃO DE MATERIAIS E PATRIMÔNIO Não existe um acordo geral quanto a definição precisa de administração de materiais. os valores fundamentais eram outros. cabem aqui algumas observações. na gestão de pessoas.Pós-Moderna comportamento atende de forma adequada aos objetivos organizacionais. compras. cumprimento de metas de atenção. vamos dizer assim. Há um contexto em que atuam conjuntamente diferentes fatores. Há um crescimento significativo da contribuiçãoque as pessoas podem dar para que se alcancem resultados. Seu enfoque fundamental é determinar o quê. maior dedicação por parte dos funcionários. assumindo-se o que poderíamos chamar de gestão ofensiva das crises e substituindo-se um modelo já ultrapassado de administração por um modelo de organização pública adaptado às necessidades sociais. sem nunca pensar na menor inovação. como desenhar e administrar bons sistemas de informação. a redução de custos. A administração de recursos humanos constitui uma especialização técnica amplamente desenvolvida procurando enfocar a relação homem/trabalho. Nas sociedades contemporâneas tal como as conhecemos. Por isso. Seria. Numa organização encontramos empregados ou funcionários em todos os lugares. as pessoas são dirigidas e controladas por administradores. como administração operacional. por sua qualificação. e que já não respondem a nenhuma necessidade. Esse é o desafio dos sistemas públicos contemporâneos. Alguns deles têm forte relação com a própria evolução do trabalho humano. Na administração pública. deve existir uma integração das atividades como. organização e controle do setor de pessoal de uma organização. os setores majoritários são os que utilizam trabalho qualificado – a educação e a saúde representam uma porcentagem muito alta do emprego público. por exemplo. de estruturas. Eis sua missão como especialistas. precisam saber como se gerenciam equipes humanas de forma mais eficiente. um baixo valor agregado – de fato. reconhecer a rigidez – para poder superá-la –. porém. recebimento. a administração de pessoal precisa ter uma visão ampla e abrangente. sim. trafego. A Administração de Matérias é um sub-sistema do Sistema Empresa. ou pelo menos reduzidas. por seu comportamento. as probabilidades de sucesso são maiores. Hoje. Um. Toda organização deve ter um setor de pessoal ou. o trabalho humano tinha – até agora – um baixo custo de reposição. maior produtividade. melhor qualidade de vida. embarque e armazenagem. A primeira é que. contamos com definições de cargos pouco versáteis. pois compete a estes conduzir. melhores benefícios sociais. adaptados aos diferentes níveis. Acredito que é possível inovar e melhorar significativamente as práticas de gestão de pessoas. Os gestores públicos enfrentam. controlar e coordenar o trabalho dos seus subordinados. de processos desnecessariamente rígidos. portanto. Os gestores de RH precisam estar atualizados a respeito das abordagens e ferramentas mais modernas. como alguns definem “setor de recursos humanos”. controle de estoque. Acredito que – tanto no setor privado como no setor público – chegou a hora das pessoas. O gestor público obtém legitimidade para reclamar da rigidez quando tenta inovar e não consegue. Temos regimes de jornada de trabalho e de organização do tempo excessivamente rígidos. A administração de pessoal procura atingir basicamente dois objetivos simultâneos. Recepção e Estocagem desses 35 . Acredito que dispomos de marcos. sabemos que numa organização existem outros tantos serviços relacionados com o pessoal e que precisam ser centralizados num departamento à parte. melhor remuneração. Porem. movimentação de materiais. Quase sempre os objetivos organizacionais e os objetivos pessoais são antagônicos entre si: a busca de um dificulta o alcance do outro e vice-versa. por exemplo. Alguns pensam que é impossível gerir bem em cenários de austeridade. mas não quando repete as rotinas que herdou de seus antepassados. O mais importante. bons planos de remuneração. São objetivos pessoais. melhor será sua contribuição. especialmente no setor de serviços. Administração de pessoal é a especialização administrativa que trata do planejamento. Mas existem outros fatores que afetam mais especificamente os sistemas públicos. É como se a administração de pessoal tentasse viabilizar o empregado para a organização e a organização para o empregado. passam necessariamente pelas pessoas. Porém. restrições maiores. derivadas das especificidades do setor público. Isso faz com que a variante “pessoa” esteja cada vez mais presente. seja ele de maior ou menor dimensão. seria os objetivos voltados para a própria organização (objetivos organizacionais) em quanto o outro está voltado para os empregados (objetivos pessoais). os processos de produção.desde o momento de sua concepção até seu consumo final . Mas existe uma aceitação geral da idéia de que elementos que dizem respeito a administração de materiais incluem controle de produção. Atingir o equilíbrio Ideal entre estoque e consumo é meta primordial. isso dependerá dos objetivos que ela procura alcançar. quanto e como adquirir ao menor custo . deve-se. Para compatibilizar o objetivo de ambos. algumas das inflexibilidades deveriam ser eliminadas. Quanto melhores forem nesses campos. evidentemente. Creio que seja possível fazê-lo de forma criativa e empreendedora. e não utilizar a rigidez como desculpa para a má gestão. Por exemplo. etc. é que compreendam que cabe a eles fortalecer a capacidade de toda a diretoria para dirigir equipes humanas. mantidos por tradição cultural. pouco polivalentes. segurança no emprego. Isso está convertendo os sistemas públicos e suas organizações em uma espécie de “panela de pressão”. a meu ver. barreiras que não permitem a mobilidade.

Este controle é uma peça fundamental na administração de materiais.promover a implementação de políticas que visem o melhor e mais racional aproveitamento e uso dos bens patrimoniais. Este sistema existe um método de controle de estoque muito severo para que não haja erro no endereço dos produtos. de .promover e supervisionar. . Este sistema core o risco de desperdício de áreas de armazenagem. plantas. Entre as várias funções destacamos: • Identificação: • Aquisição • Controle Identificação: compreende a especificação do material a ser usado na organização. a serem observados por órgãos e servidores. critérios e rotinas operacionais de modo que tudo funcione regularmente. 36 . que está relacionada diretamente as reais necessidades da organização. etc). é a solução para empresas e organizações. conferir. . A estrutura básica da administração de materiais coloca os seguintes itens que devem ser examinados: • • • • • Fornecedores (identificação) Qualidade dos produtos Preço e condições de pagamentos Prazo de entregas Manutenção (garantias. Compete à Divisão de Material e Patrimônio de uma Prefeitura Municipal: . que é o local onde os materiais adquiridos serão estocados. de acordo com a sua dimensão jurídica.Pós-Moderna materiais. contratos. processos de licitação para a compra de bens ou a contratação de serviços. com o mesmo sentido. . .propor e executar as políticas de administração de material e de patrimônio da Prefeitura. dentro de um mesmo depósito. A administração de materiais envolve algumas funções fundamentais para a obtenção do objetivo da organização. PLANEJAMENTO E CONTROLE DE ESTOQUE . pois pode ocorrer que um certo material está em falta e outro em excesso. de ser necessário) Sistema de estocagem livre: neste sistema os locais não são fixos. levantamentos topográficos e demais documentos relativos ao patrimônio público municipal. . em quantidade certa.organizar e manter atualizados os cadastros fornecedores de materiais e de prestadores de serviços. organizar e controlar o fluxo de material nas organizações.promover a administração. guarda e manutenção de materiais e equipamentos. que juntamente com outros componentes do Sistema necessitam de uma coordenação específica de forma a permitir a racionalização de sua manipulação. será processado desde a entrada do material até a saída que será efetivada por meio de requisições. mantendo o controle de estoque para fins de inventário. registro e controle do patrimônio mobiliário e imobiliário da Prefeitura. COMPRAS ARMAZENAGEM OU ESTOQUE CONSUMO . Possuir um estoque. A administração de material é uma especialização da Administração e que tem por objetivo planejar. direitos e obrigações que uma essa possui. .realizar a inspeção periódica do almoxarifado central e dos setoriais. consta de um processo abrangente visando comprar materiais de melhor qualidade pelo melhor preço e maior prazo.promover o arquivamento de traslados de escrituras públicas. Aquisição: esta função.receber. a Administração de materiais tem como finalidade gerir e coordenar esse aglomerado de atividades. com o Sistema de Abastecimento. efetuando a baixa dos bens alienados e dos considerados obsoletos ou destruídos. exceto para materiais de estocagem especiais (remédios. uso. O sistema de estoque pode ser fixo ou livre: Sistema de estoque fixo: nesse sistema é determinado um número de áreas de estocagem para um tipo de material.solicitar o pronunciamento de órgãos técnicos. no tempo correto.promover o inventário anual dos bens patrimoniais. Logo. guardar e distribuir o material sob sua responsabilidade. insumos materiais e estabelecer normas. .proceder à verificação periódica da conservação dos bens da Administração Municipal e providenciar os reparos exigidos. em articulação com os órgãos interessados. Os materiais vão ocupando os espaços disponíveis dentro do depósito. . definido-se assim que somente materiais de um mesmo tipo poderão ser estocados nos locais determinados (por exemplo: merenda escolar). O termo também se aplica. no caso de aquisição de materiais ou equipamentos especiais.organizar e manter atualizados a programação e o calendário de compras. PATRIMONIO Em contabilidade. . o patrimônio de uma empresa ou organização são o(s) bem/bens. Controle: o controle dos materiais será processado no almoxarifado. para as pessoas naturais.estabelecer padrões de requisição.

Há. nos termos seguintes: I . Podem ser limitados sempre que houver uma hipótese de colisão de direitos fundamentais. 37 . IV . por mais básico que seja. O poder delegado pelo povo a seus representantes não é absoluto. O Direito e as garantias surgem na idéia de proteção do homem contra o poder exercido pelo Estado. • Relatividade: os direitos fundamentais não são absolutos. NOÇÕES DE DIREITO CONSTITUCIONAL • Irrenunciabilidade: nenhum ser humano pode abrir mão de PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DA CONSTITUIÇÃO DE 1988 Um dos temas mais atuais e. mas não pode renunciar à possibilidade de exercê-los. o exercício da cidadania. descarregado de qualquer conteúdo valorativo. promulgada em 1988. O Capítulo I fala dos Direitos e Deveres Individuais e Coletivos (Art. torna-se cada vez mais conhecedor de seus direitos. fortemente. vislumbra-se que o serviço público colocado à disposição do usuário.é livre a manifestação do pensamento. sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e • Historicidade: são frutos de conquistas gradativas e cumulativas ao longo do tempo. V . Direitos Fundamentais são aqueles considerados indispensáveis à pessoa humana. relaciona os direitos fundamentais aos direitos humanos. sendo vedado o anonimato. Vida Liberdade Igualdade Segurança Propriedade DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS A Constituição Federal de 1988. Capítulo I e II nos fala Dos Direitos e Garantias Fundamentais. Pode até não usá-los. 5º da CF. qualidade e eficácia do serviço prestado. para resguardar direitos indispensáveis à pessoa humana. direito fundamental nada mais é do que um direito humano positivado. plenamente. Direitos Individuais são limitações impostas pela soberania popular aos poderes constituídos. conhecimento e interpretação dos Direitos e Garantias Fundamentais. grande divergência acerca da conceituação de direito fundamental. 5º Todos são iguais perante a lei. no seu Titulo II. • Universalidade: todos os seres humanos têm direitos fundamentais que devem ser respeitados. A atual Constituição da República. não podem ser utilizados como verdadeiro escudo protetivo para a prática de atividades Direitos individuais básicos São cinco e todos estão no caput do art.ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei. na literatura acerca do tema. Os Direitos Fundamentais são os direitos que determinado estado positiva em sua constituição como Fundamentais. conhecendo várias limitações. Na visão moderna da democracia. seja em constituições ou em carta de direitos. à segurança e à propriedade. Ou seja. moral ou à imagem. portanto. Veja a continuação: Art. Um conceito largamenta utilizado. nos termos desta Constituição. dentre elas.homens e mulheres são iguais em direitos e obrigações. Neste sentido. à igualdade. Os direitos fundamentais dentre eles os direitos e garantias individuais e coletivos.é assegurado o direito de resposta. que por sua vez. a previsão de direitos e garantias individuais e coletivas. além da indenização por dano material. livre e igual. sem distinção de qualquer natureza.São direitos inerentes a existência humana. III .ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante. uma vez que encontram seus limites nos demais direitos igualmente consagrados pela Carta Magna. II . mais cobrados nas provas de qualquer concurso público é a análise. proporcional ao agravo. municiou toda e qualquer pessoa com instrumentos necessários para que se assegure. • Inalienabilidade: são direitos intransferíveis e inegociáveis. é cada vez mais importante e essencial para uma existência digna. necessários para assegurar a todos uma existência digna.Pós-Moderna • Imprescritibilidade: não deixam de ser exigíveis em razão do não uso. 5º) e o Capítulo II fala dos Direitos Sociais (Art. Os direitos e garantias fundamentais consagrados pela Constituição não são ilimitados. à liberdade. os direitos fundamentais estão indissoluvelmente ligados à noção de limitação do poder. sensível as mudanças do mundo globalizado. Características possuir direitos fundamentais. garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida. Com o início da fase pós-industrial. cobrando.é inviolável a liberdade de consciência e de crença. caracterizada pela era digital onde a tecnologia proporciona mais qualidade de vida para o ser humano. VI . O serviço público vem se tornando cada vez mais importante na vida do cidadão. um direito humano expressamente reconhecido pela ordem jurídica interna ou internacional. 6º e 11º).

XXIV . ou. desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local.a casa é asilo inviolável do indivíduo. ou de interesse coletivo ou geral. científica e de comunicação. inclusive nas atividades desportivas.a sucessão de bens de estrangeiros situados no País será regulada pela lei brasileira em benefício do cônjuge ou dos filhos brasileiros. XIX . XX . sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente. XXII . salvo em caso de flagrante delito ou desastre. no último caso. salvo.a lei estabelecerá o procedimento para desapropriação por necessidade ou utilidade pública. assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação. XXX . quando necessário ao exercício profissional. artística. nos termos da lei. ressalvadas aquelas cujo sigilo seja imprescindível à segurança da sociedade e do Estado. ressalvados os casos previstos nesta Constituição.é assegurado a todos o acesso à informação e resguardado o sigilo da fonte. nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual penal. publicação ou reprodução de suas obras. nos termos da lei: a) a proteção às participações individuais em obras coletivas e à reprodução da imagem e voz humanas. ninguém nela podendo penetrar sem consentimento do morador. XXVI . XXI .são assegurados. de 1996) XIII . durante o dia.as entidades associativas.o Estado promoverá. XXVIII . transmissível aos herdeiros pelo tempo que a lei fixar. X . XIV . XXIII . XXXIII . a honra e a imagem das pessoas. por ordem judicial. XXIX . XXV . a proteção aos locais de culto e a suas liturgias. sempre que não lhes seja mais favorável a lei pessoal do "de cujus". a autoridade competente poderá usar de propriedade particular. ou para prestar socorro.todos podem reunir-se pacificamente.é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas.a criação de associações e. a vida privada. nos termos da lei. ou por interesse social. (Vide Lei nº 9. a de cooperativas independem de autorização. sendo vedada a interferência estatal em seu funcionamento. XV .é livre a expressão da atividade intelectual. assegurada ao proprietário indenização ulterior.Pós-Moderna garantida.no caso de iminente perigo público. se houver dano. assim definida em lei. aos intérpretes e às respectivas representações sindicais e associativas. bem como proteção às criações industriais.a lei assegurará aos autores de inventos industriais privilégio temporário para sua utilização.as associações só poderão ser compulsoriamente dissolvidas ou ter suas atividades suspensas por decisão judicial.ninguém poderá ser compelido a associar-se ou a permanecer associado. ofício ou profissão. por determinação judicial. salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa.é assegurada. XVII . permanecer ou dele sair com seus bens. XVI . VII .é plena a liberdade de associação para fins lícitos. IX . dispondo a lei sobre os meios de financiar o seu desenvolvimento.aos autores pertence o direito exclusivo de utilização. exigindo-se. mediante justa e prévia indenização em dinheiro.a pequena propriedade rural. em locais abertos ao público. aos nomes de empresas e a outros signos distintivos. XXVII . independentemente de autorização. que serão prestadas no prazo da lei.a propriedade atenderá a sua função social.ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política. XVIII . na forma da lei. podendo qualquer pessoa. na forma da lei. à propriedade das marcas. VIII . no primeiro caso. de dados e das comunicações telefônicas.296. tendo em vista o interesse social e o desenvolvimento tecnológico e econômico do País. a defesa do consumidor. quando expressamente autorizadas. b) o direito de fiscalização do aproveitamento econômico das obras que criarem ou de que participarem aos criadores. independentemente de censura ou licença. desde que trabalhada pela família.é livre a locomoção no território nacional em tempo de paz.é garantido o direito de propriedade.é livre o exercício de qualquer trabalho. XI . na forma da lei. não será objeto de penhora para pagamento de débitos decorrentes de sua atividade produtiva. sob pena de responsabilidade. nele entrar. (Regulamento) 38 . fixada em lei. vedada a de caráter paramilitar. a prestação de assistência religiosa nas entidades civis e militares de internação coletiva.são invioláveis a intimidade. têm legitimidade para representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente.todos têm direito a receber dos órgãos públicos informações de seu interesse particular. atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer. XXXI .é garantido o direito de herança. sem armas. o trânsito em julgado. XII . XXXII .

b) o sigilo das votações. salvo para beneficiar o réu. a) privação ou restrição da liberdade. XXXVIII .a lei não prejudicará o direito adquirido. 84. os executores e os que. em caso de crime comum. XXXV . b) de caráter perpétuo. ou de comprovado envolvimento em tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins.ninguém será privado da liberdade ou de seus bens sem o devido processo legal.não será concedida extradição de estrangeiro por crime político ou de opinião. o terrorismo e os definidos como crimes hediondos. de acordo com a natureza do delito. d) a competência para o julgamento dos crimes dolosos contra a vida. LIII . XLVI . e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa. as seguintes: XLVIII .constitui crime inafiançável e imprescritível a ação de grupos armados.a lei regulará a individualização da pena e adotará. o tráfico ilícito de entorpecentes e drogas afins.aos litigantes. independentemente do pagamento de taxas: a) o direito de petição aos Poderes Públicos em defesa de direitos ou contra ilegalidade ou abuso de poder. assegurados: a) a plenitude de defesa.não há crime sem lei anterior que o defina. XLIX . civis ou militares. e) cruéis. e) suspensão ou interdição de direitos.às presidiárias serão asseguradas condições para que possam permanecer com seus filhos durante o período de amamentação. por eles respondendo os mandantes.o civilmente identificado não será submetido a identificação criminal. nos termos da lei. LI . XLII . b) a obtenção de certidões em repartições públicas. LV . contra a ordem constitucional e o Estado Democrático. LVI . c) multa. XLI . o ato jurídico perfeito e a coisa julgada.ninguém será considerado culpado até o trânsito em julgado de sentença penal condenatória.a lei não excluirá da apreciação do Poder Judiciário lesão ou ameaça a direito. d) de banimento. com a organização que lhe der a lei.a pena será cumprida em estabelecimentos distintos.são a todos assegurados.não haverá penas: a) de morte. b) perda de bens.é reconhecida a instituição do júri.ninguém será processado nem sentenciado senão pela autoridade competente. LIV .são inadmissíveis.é assegurado aos presos o respeito à integridade física e moral. c) de trabalhos forçados. XLVII . se omitirem. praticado antes da naturalização. LVIII . XIX. entre outras. até o limite do valor do patrimônio transferido. c) a soberania dos veredictos. nos termos do art. salvo nas hipóteses previstas em lei. podendo evitá-los.não haverá juízo ou tribunal de exceção. a idade e o sexo do apenado. podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser. LVII . no processo.Pós-Moderna XXXIV . XLIII . salvo o naturalizado.a lei penal não retroagirá. XXXVII . para defesa de direitos e esclarecimento de situações de interesse pessoal.nenhuma pena passará da pessoa do condenado.nenhum brasileiro será extraditado. L . d) prestação social alternativa. XXXVI . 39 . LII . com os meios e recursos a ela inerentes. em processo judicial ou administrativo. na forma da lei. XXXIX . XLIV . nem pena sem prévia cominação legal. salvo em caso de guerra declarada. estendidas aos sucessores e contra eles executadas. nos termos da lei.a prática do racismo constitui crime inafiançável e imprescritível. sujeito à pena de reclusão. XL . XLV .a lei punirá qualquer discriminação atentatória dos direitos e liberdades fundamentais. as provas obtidas por meios ilícitos.a lei considerará crimes inafiançáveis e insuscetíveis de graça ou anistia a prática da tortura .

§ 3º Os tratados e convenções internacionais sobre direitos humanos que forem aprovados.será admitida ação privada nos crimes de ação pública. LXIV . salvo nos casos de transgressão militar ou crime propriamente militar. por ilegalidade ou abuso de poder. de 2004) § 1º . 6o São direitos sociais a educação. LXIII .conceder-se-á mandado de segurança para proteger direito líquido e certo. à moralidade administrativa. LXVII .o Estado indenizará o condenado por erro judiciário. a previdência social. LXXVI . a saúde.ninguém será preso senão em flagrante delito ou por ordem escrita e fundamentada de autoridade judiciária competente. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45.o mandado de segurança coletivo pode ser impetrado por: a) partido político com representação no Congresso Nacional. a proteção à maternidade e à infância.são gratuitas as ações de "habeas-corpus" e "habeas-data". LXV . ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural.a prisão de qualquer pessoa e o local onde se encontre serão comunicados imediatamente ao juiz competente e à família do preso ou à pessoa por ele indicada.conceder-se-á "habeas-corpus" sempre que alguém sofrer ou se achar ameaçado de sofrer violência ou coação em sua liberdade de locomoção. de 2004) § 4º O Brasil se submete à jurisdição de Tribunal Penal Internacional a cuja criação tenha manifestado adesão.o Estado prestará assistência jurídica integral e gratuita aos que comprovarem insuficiência de recursos. na forma da lei. LXXVII . serão equivalentes às emendas constitucionais. no âmbito judicial e administrativo.são gratuitos para os reconhecidamente pobres. constantes de registros ou bancos de dados de entidades governamentais ou de caráter público. salvo a do responsável pelo inadimplemento voluntário e inescusável de obrigação alimentícia e a do depositário infiel. em cada Casa do Congresso Nacional. sendo-lhe assegurada a assistência da família e de advogado.Pós-Moderna LIX . o lazer. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45.conceder-se-á mandado de injunção sempre que a falta de norma regulamentadora torne inviável o exercício dos direitos e liberdades constitucionais e das prerrogativas inerentes à nacionalidade.qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise a anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe. de 2004) Art. LXII . LXXIV . a moradia. quando não se prefira fazê-lo por processo sigiloso. por três quintos dos votos dos respectivos membros. § 2º . salvo comprovada má-fé. à soberania e à cidadania. LXVIII . LXXI . a assistência aos 40 .o preso será informado de seus direitos. definidos em lei. LXXV . LXIX . com ou sem fiança. LXVI . e. LXXIII . em defesa dos interesses de seus membros ou associados. isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência. em dois turnos. na forma da lei: a) o registro civil de nascimento. quando a lei admitir a liberdade provisória.a lei só poderá restringir a publicidade dos atos processuais quando a defesa da intimidade ou o interesse social o exigirem. não amparado por "habeascorpus" ou "habeas-data". LXX .o preso tem direito à identificação dos responsáveis por sua prisão ou por seu interrogatório policial. LX . assim como o que ficar preso além do tempo fixado na sentença. LXI .a prisão ilegal será imediatamente relaxada pela autoridade judiciária. quando o responsável pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pública ou agente de pessoa jurídica no exercício de atribuições do Poder Público. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. o trabalho. são assegurados a razoável duração do processo e os meios que garantam a celeridade de sua tramitação. LXXVIII a todos.Os direitos e garantias expressos nesta Constituição não excluem outros decorrentes do regime e dos princípios por ela adotados. b) para a retificação de dados.ninguém será levado à prisão ou nela mantido. a segurança. judicial ou administrativo. entre os quais o de permanecer calado. entidade de classe ou associação legalmente constituída e em funcionamento há pelo menos um ano.As normas definidoras dos direitos e garantias fundamentais têm aplicação imediata. ficando o autor. ou dos tratados internacionais em que a República Federativa do Brasil seja parte.não haverá prisão civil por dívida. os atos necessários ao exercício da cidadania. b) organização sindical. LXXII . b) a certidão de óbito. se esta não for intentada no prazo legal.conceder-se-á "habeas-data": a) para assegurar o conhecimento de informações relativas à pessoa do impetrante.

XXVII .relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa. X . em caso de desemprego involuntário.licença à gestante.adicional de remuneração para as atividades penosas.redução dos riscos inerentes ao trabalho. mediante incentivos específicos. XII . XV . e.proibição de trabalho noturno. VII . além de outros que visem à melhoria de sua condição social: I . salvo na condição de aprendiz. capaz de atender a suas necessidades vitais básicas e às de sua família com moradia. perigoso ou insalubre a menores de dezoito e de qualquer trabalho a menores de dezesseis anos.proteção do mercado de trabalho da mulher. até o limite de dois anos após a extinção do contrato de trabalho. salvo negociação coletiva. higiene e segurança. com prazo prescricional de cinco anos para os trabalhadores urbanos e rurais. com a duração de cento e vinte dias. salvo o disposto em convenção ou acordo coletivo. nos termos fixados em lei. na forma da lei.remuneração do serviço extraordinário superior. nos termos da lei. sem prejuízo do emprego e do salário. IV . desvinculada da remuneração. V . para os que percebem remuneração variável. XXXIII . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. XXVIII . vestuário. no mínimo. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53.seguro-desemprego.proteção do salário na forma da lei.garantia de salário. II . sendo vedada sua vinculação para qualquer fim. (vide Decreto-Lei nº 5.aviso prévio proporcional ao tempo de serviço. VIII .(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. facultada a compensação de horários e a redução da jornada.ação. idade. III . XXIX . 59 § 1º) XVII . na forma desta Constituição. dentre outros direitos. de exercício de funções e de critério de admissão por motivo de sexo. XX . pelo menos. lazer. IX . de 2006) XXVI . de 2000) Art. com reajustes periódicos que lhe preservem o poder aquisitivo. conforme definido em lei. fixado em lei. participação na gestão da empresa.duração do trabalho normal não superior a oito horas diárias e quarenta e quatro semanais. alimentação.licença-paternidade. XXXI . nacionalmente unificado. quanto aos créditos resultantes das relações de trabalho.remuneração do trabalho noturno superior à do diurno.jornada de seis horas para o trabalho realizado em turnos ininterruptos de revezamento. XXIII . insalubres ou perigosas.reconhecimento das convenções e acordos coletivos de trabalho. saúde. higiene.proibição de qualquer discriminação no tocante a salário e critérios de admissão do trabalhador portador de deficiência. em cinqüenta por cento à do normal.assistência gratuita aos filhos e dependentes desde o nascimento até 5 (cinco) anos de idade em creches e pré-escolas. XVIII .piso salarial proporcional complexidade do trabalho. de 1998) XIII .452. transporte e previdência social. nunca inferior ao mínimo.irredutibilidade do salário. (Vide Del 5.salário-família pago em razão do dependente do trabalhador de baixa renda nos termos da lei. sendo no mínimo de trinta dias. ou resultados. quando incorrer em dolo ou culpa. nos termos da lei.gozo de férias anuais remuneradas com. XXXII . cor ou estado civil.décimo terceiro salário com base na remuneração integral ou no valor da aposentadoria. um terço a mais do que o salário normal.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 26.fundo de garantia do tempo de serviço. 7º São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais. mediante acordo ou convenção coletiva de trabalho. técnico e intelectual ou entre os profissionais respectivos.proteção em face da automação.452.seguro contra acidentes de trabalho. que preverá indenização compensatória.Pós-Moderna desamparados. de 25/05/2000) XXX . preferencialmente aos domingos. XIX . nos termos de lei complementar. a partir de quatorze anos. por meio de normas de saúde.aposentadoria. de 1998) XVI . na forma da lei. XXV . excepcionalmente. VI . a cargo do empregador. constituindo crime sua retenção dolosa.proibição de distinção entre trabalho manual.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 28. sem excluir a indenização a que este está obrigado.repouso semanal remunerado.participação nos lucros. de 1943) XIV .proibição de diferença de salários. 41 . XI . educação. art. XXIV . à extensão e à XXI .salário mínimo . XXII .

XV. que será definida pelos trabalhadores ou empregadores interessados. até um ano após o final do mandato. independentemente da contribuição prevista em lei. vedadas ao Poder Público a interferência e a intervenção na organização sindical. Art. os Estados. XVIII. É assegurada a participação dos trabalhadores e empregadores nos colegiados dos órgãos públicos em que seus interesses profissionais ou previdenciários sejam objeto de discussão e deliberação.Pós-Moderna XXXIV . III . por lei complementar. nos termos desta Constituição.estabelecer cultos religiosos ou igrejas. VI. XIX. Art. ressalvado o registro no órgão competente. se eleito. II . 42 . ressalvada. VIII.é vedada a criação de mais de uma organização sindical. é assegurada a eleição de um representante destes com a finalidade exclusiva de promover-lhes o entendimento direto com os empregadores.Os Estados podem incorporar-se entre si. far-se-ão por lei estadual. salvo se cometer falta grave nos termos da lei. São assegurados à categoria dos trabalhadores domésticos os direitos previstos nos incisos IV. § 4º A criação.ninguém será obrigado a filiar-se ou a manter-se filiado a sindicato. São bens da União: I . § 2º . § 1º . para custeio do sistema confederativo da representação sindical respectiva. subvencionálos. mediante plebiscito. o Distrito Federal e os Municípios.Brasília é a Capital Federal. 8º É livre a associação profissional ou sindical. através de plebiscito. ainda que suplente. 18. na forma da lei. Art. não podendo ser inferior à área de um Município. VIII .o aposentado filiado tem direito a votar e ser votado nas organizações sindicais. As disposições deste artigo aplicam-se à organização de sindicatos rurais e de colônias de pescadores. e do Congresso Nacional. ou formarem novos Estados ou Territórios Federais. XXI e XXIV. todos autônomos. bem como a sua integração à previdência social. de 1996) Art.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 15. 19. dentro do período determinado por Lei Complementar Federal. XVII. VII . IV . Nas empresas de mais de duzentos empregados. § 3º . a incorporação.os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a ser atribuídos.é obrigatória a participação dos sindicatos nas negociações coletivas de trabalho.é vedada a dispensa do empregado sindicalizado a partir do registro da candidatura a cargo de direção ou representação sindical e.a assembléia geral fixará a contribuição que. 20. 9º É assegurado o direito de greve. a colaboração de interesse público. na mesma base territorial. § 1º . 11. embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança. e sua criação. em se tratando de categoria profissional.criar distinções entre brasileiros ou preferências entre si. § 2º . V . Parágrafo único. após divulgação dos Estudos de Viabilidade Municipal. subdividir-se ou desmembrar-se para se anexarem a outros. observado o seguinte: I . inclusive em questões judiciais ou administrativas. será descontada em folha. em qualquer grau. A organização político-administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União. apresentados e publicados na forma da lei. 10.a lei não poderá exigir autorização do Estado para a fundação de sindicato. III .Os Territórios Federais integram a União. ao Distrito Federal e aos Municípios: I . aos Estados.Os abusos cometidos sujeitam os responsáveis às penas da lei. VI . às populações dos Municípios envolvidos. CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. representativa de categoria profissional ou econômica. e dependerão de consulta prévia. É vedado à União. Art.igualdade de direitos entre o trabalhador com vínculo empregatício permanente e o trabalhador avulso. atendidas as condições que a lei estabelecer. TÍTULO III Da Organização do Estado CAPÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA Art. a fusão e o desmembramento de Municípios. Parágrafo único. transformação em Estado ou reintegração ao Estado de origem serão reguladas em lei complementar. mediante aprovação da população diretamente interessada. competindo aos trabalhadores decidir sobre a oportunidade de exercê-lo e sobre os interesses que devam por meio dele defender.recusar fé aos documentos públicos. II .A lei definirá os serviços ou atividades essenciais e disporá sobre o atendimento das necessidades inadiáveis da comunidade.ao sindicato cabe a defesa dos direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria.

III .É assegurada. IV as ilhas fluviais e lacustres nas zonas limítrofes com outros países.os recursos naturais da plataforma continental e da zona econômica exclusiva. rios e quaisquer correntes de água em terrenos de seu domínio. fluviais e lacustres. II. de 15/08/95:) XII . bem como as de seguros e de previdência privada. XI . ao longo das fronteiras terrestres. § 1º . ao Distrito Federal e aos Municípios. bem como a órgãos da administração direta da União. ou que transponham os limites de Estado ou Território. aos Estados. câmbio e capitalização. nos casos previstos em lei complementar. das fortificações e construções militares. nos termos da lei.administrar as reservas cambiais do País e fiscalizar as operações de natureza financeira. os serviços de telecomunicações.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 8. diretamente ou mediante autorização.manter o serviço postal e o correio aéreo nacional. por meio de fundo próprio. especialmente as de crédito.organizar e manter o Poder Judiciário. Compete à União: I . das vias federais de comunicação e à preservação ambiental.A faixa de até cento e cinqüenta quilômetros de largura. geologia e cartografia de âmbito nacional. XIV . e de sons e imagens. VII .declarar a guerra e celebrar a paz.permitir. geografia. mar territorial ou zona econômica exclusiva. destas. participação no resultado da exploração de petróleo ou gás natural. a) os serviços de radiodifusão sonora. ou que banhem mais de um Estado.manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais. c) a navegação aérea.o mar territorial. XIII . Art. ou se estendam a território estrangeiro ou dele provenham. V . concessão ou permissão: 43 . XI . III . ou compensação financeira por essa exploração.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 46. em articulação com os Estados onde se situam os potenciais hidroenergéticos. a polícia militar e o corpo de bombeiros militar do Distrito Federal. X . de recursos hídricos para fins de geração de energia elétrica e de outros recursos minerais no respectivo território.organizar e manter a polícia civil. diretamente ou mediante autorização. de 15/08/95:) b) os serviços e instalações de energia elétrica e o aproveitamento energético dos cursos de água.decretar o estado de sítio.as cavidades naturais subterrâneas e os sítios arqueológicos e pré-históricos. definidas em lei. VI . designada como faixa de fronteira. II . plataforma continental. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.os lagos. bem como os terrenos marginais e as praias fluviais.elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 8.Pós-Moderna II . IX . IX . a criação de um órgão regulador e outros aspectos institucionais. e as referidas no art. as que contenham a sede de Municípios. as ilhas oceânicas e as costeiras.assegurar a defesa nacional. de 2005) V . as praias marítimas. o Ministério Público e a Defensoria Pública do Distrito Federal e dos Territórios. e sua ocupação e utilização serão reguladas em lei. 21. VIII . de 1998) XV .os potenciais de energia hidráulica.autorizar e fiscalizar a produção e o comércio de material bélico. é considerada fundamental para defesa do território nacional.explorar. d) os serviços de transporte ferroviário e aquaviário entre portos brasileiros e fronteiras nacionais.as terras devolutas indispensáveis à defesa das fronteiras. 26.organizar e manter os serviços oficiais de estatística. VII . sirvam de limites com outros países. § 2º .as terras tradicionalmente ocupadas pelos índios. VI .explorar. bem como prestar assistência financeira ao Distrito Federal para a execução de serviços públicos. excluídas. VIII . e) os serviços de transporte rodoviário interestadual e internacional de passageiros. X . f) os portos marítimos. concessão ou permissão. que forças estrangeiras transitem pelo território nacional ou nele permaneçam temporariamente. aeroespacial e a infra-estrutura aeroportuária. inclusive os do subsolo. que disporá sobre a organização dos serviços.emitir moeda. o estado de defesa e a intervenção federal. nos termos da lei.os recursos minerais. IV .os terrenos de marinha e seus acrescidos. exceto aquelas áreas afetadas ao serviço público e a unidade ambiental federal.

organizar.organização do sistema nacional de emprego e condições para o exercício de profissões. XVIII . XVI . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.direito civil. a industrialização e o comércio de minérios nucleares e seus derivados.jazidas.regime dos portos.organização judiciária. XVII . aeronáutico. XVIII .estabelecer princípios e diretrizes para o sistema nacional de viação. XXV . marítima. 44 . cidadania e naturalização. comercial. bem como organização administrativa destes.comércio exterior e interestadual. XVII . VI . III . entrada.executar os serviços de polícia marítima. XXI . especialmente as secas e as inundações. câmbio. espacial e do trabalho. XX . garantias. a lavra. XIX .instituir sistema nacional de gerenciamento de recursos hídricos e definir critérios de outorga de direitos de seu uso. IX .sistemas de consórcios e sorteios. inclusive habitação.explorar os serviços e instalações nucleares de qualquer natureza e exercer monopólio estatal sobre a pesquisa. energia. agrícolas e industriais. seguros e transferência de valores.Pós-Moderna XVI .política de crédito. b) sob regime de permissão. de 2006) c) sob regime de permissão.planejar e promover a defesa permanente contra as calamidades públicas. processual. em forma associativa. X . fluvial. XIII .sistema estatístico. Art. minas. XV . II . XXII . 22. de 1998) XXIII . de 2006) XXIV .exercer a classificação. são autorizadas a comercialização e a utilização de radioisótopos para a pesquisa e usos médicos. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 49. XX .águas. convocação e mobilização das polícias militares e corpos de bombeiros militares. navegação lacustre. de 2006) d) a responsabilidade civil por danos nucleares independe da existência de culpa. penal.diretrizes da política nacional de transportes. aérea e aeroespacial.nacionalidade. XIX . efetivos.normas gerais de organização. XXIV . XXIII . para efeito indicativo. de diversões públicas e de programas de rádio e televisão.conceder anistia. comercialização e utilização de radioisótopos de meia-vida igual ou inferior a duas horas. IV .registros públicos. Compete privativamente à União legislar sobre: I . marítimo.desapropriação. XII . são autorizadas a produção. do Ministério Público e da Defensoria Pública do Distrito Federal e dos Territórios.competência da polícia federal e das polícias rodoviária e ferroviária federais.sistema monetário e de medidas.serviço postal.seguridade social. informática.diretrizes e bases da educação nacional. em caso de iminente perigo e em tempo de guerra. títulos e garantias dos metais. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 49. atendidos os seguintes princípios e condições: a) toda atividade nuclear em território nacional somente será admitida para fins pacíficos e mediante aprovação do Congresso Nacional. eleitoral.instituir diretrizes para o desenvolvimento urbano. agrário. VIII . extradição e expulsão de estrangeiros.sistemas de poupança. manter e executar a inspeção do trabalho.emigração e imigração. sistema cartográfico e de geologia nacionais. material bélico. o enriquecimento e reprocessamento.requisições civis e militares. V . XI . XIV . saneamento básico e transportes urbanos. telecomunicações e radiodifusão. captação e garantia da poupança popular. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 49. XXV .trânsito e transporte.estabelecer as áreas e as condições para o exercício da atividade de garimpagem. XXII . outros recursos minerais e metalurgia.populações indígenas. XXI . aeroportuária e de fronteiras. VII .

da proteção e garantia das pessoas portadoras de deficiência. turístico e paisagístico. Leis complementares fixarão normas para a cooperação entre a União e os Estados. as obras e outros bens de valor histórico. tendo em vista o equilíbrio do desenvolvimento e do bem-estar em âmbito nacional. 173. X . histórico. ensino e desporto. financeiro. II . X . XIV . 23.zelar pela guarda da Constituição. econômico e urbanístico. VI .fomentar a produção agropecuária e organizar o abastecimento alimentar. cultura. Estados. III. dos Estados. o Distrito Federal e os Municípios.cuidar da saúde e assistência pública. Compete à União. cultural. nos termos do art. fauna. as paisagens naturais notáveis e os sítios arqueológicos. XXVII .proteção ao patrimônio histórico.combater as causas da pobreza e os fatores de marginalização.proteção à infância e à juventude. proteção do meio ambiente e controle da poluição.normas gerais de licitação e contratação. ao consumidor. XI .defesa territorial. defesa civil e mobilização nacional.orçamento.educação.atividades nucleares de qualquer natureza. VI . a destruição e a descaracterização de obras de arte e de outros bens de valor histórico.custas dos serviços forenses. Art. 24. IX . XI . a fauna e a flora.proteger o meio ambiente e combater a poluição em qualquer de suas formas. § 1°. É competência comum da União. os Estados exercerão a competência legislativa plena. das leis e das instituições democráticas e conservar o patrimônio público. de 1998) XXVIII . penitenciário. do Distrito Federal e dos Municípios: I . direitos e deveres das polícias civis. conservação da natureza. em todas as modalidades. autárquicas e fundacionais da União. para atender a suas peculiaridades.propaganda comercial. 45 . Lei complementar poderá autorizar os Estados a legislar sobre questões específicas das matérias relacionadas neste artigo. os monumentos. pesca.Inexistindo lei federal sobre normas gerais. aos Estados e ao Distrito Federal legislar concorrentemente sobre: I . XXI. a competência da União limitar-se-á a estabelecer normas gerais.proteger os documentos. Distrito Federal e Municípios.juntas comerciais. garantias. promovendo a integração social dos setores desfavorecidos. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53. defesa do solo e dos recursos naturais.florestas. IV . XXIX .produção e consumo.criação.proteção e integração social das pessoas portadoras de deficiência. VII . VIII .registrar. XII . acompanhar e fiscalizar as concessões de direitos de pesquisa e exploração de recursos hídricos e minerais em seus territórios. defesa aeroespacial. artístico e cultural. II . III . XVI .direito tributário. estético. § 2º . XII . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.estabelecer e implantar política de educação para a segurança do trânsito. XV . proteção e defesa da saúde. Parágrafo único. 37. funcionamento e processo do juizado de pequenas causas. § 3º . defesa marítima. e para as empresas públicas e sociedades de economia mista. § 1º . V .impedir a evasão. III . a bens e direitos de valor artístico.A competência da União para legislar sobre normas gerais não exclui a competência suplementar dos Estados. VIII .No âmbito da legislação concorrente.assistência jurídica e Defensoria pública. VII .organização.responsabilidade por dano ao meio ambiente. artístico.Pós-Moderna XXVI . à educação e à ciência. de 2006) Art. caça. XIII . obedecido o disposto no art. turístico e paisagístico. V .promover programas de construção de moradias e a melhoria das condições habitacionais e de saneamento básico. artístico ou cultural. IX .previdência social. IV . para as administrações públicas diretas.proporcionar os meios de acesso à cultura.preservar as florestas. Parágrafo único.procedimentos em matéria processual.

ou mediante concessão. 150. I. 39. os serviços locais de gás canalizado. inviolabilidade. 27. se houver. 77.(Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. licença. Municípios ou terceiros. 77. § 4º. de 1995) § 3º . e aprovada por dois terços dos membros da Câmara Municipal.eleição do Prefeito. mediante pleito direto e simultâneo realizado em todo o País. observado o que dispõem os arts.eleição do Prefeito e do Vice-Prefeito realizada no primeiro domingo de outubro do ano anterior ao término do mandato dos que devam suceder.Compete às Assembléias Legislativas dispor sobre seu regimento interno. § 1º .as terras devolutas não compreendidas entre as da União. XI. 37. fluentes.Os Estados poderão. nas ilhas oceânicas e costeiras. 26. § 4º. § 2º . IV .sê-lhes as regras desta Constituição sobre sistema eleitoral. setenta e cinco por cento daquele estabelecido. § 1º .Será de quatro anos o mandato dos Deputados Estaduais.São reservadas aos Estados as competências que não lhes sejam vedadas por esta Constituição. na forma da lei. aplicando. pela Emenda Constitucional nº 19. observados os seguintes limites: a) mínimo de nove e máximo de vinte e um nos Municípios de até um milhão de habitantes. de1997) III . do ano anterior ao do término do mandato de seus antecessores. observado o que dispõem os arts.A superveniência de lei federal sobre normas gerais suspende a eficácia da lei estadual. do Vice-Prefeito e dos Vereadores.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. A eleição do Governador e do Vice-Governador de Estado. que estiverem no seu domínio. perda de mandato. Art. I. de 1998) CAPÍTULO IV Dos Municípios Art. no máximo. § 7º.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16.as áreas. e 153. na forma da lei. e 153. será acrescido de tantos quantos forem os Deputados Federais acima de doze. II. remuneração. para integrar a organização. e prover os respectivos cargos. atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição. instituir regiões metropolitanas. que a promulgará. e no último domingo de outubro. quanto ao mais. excluídas aquelas sob domínio da União. § 4º . III. impedimentos e incorporação às Forças Armadas.Pós-Moderna § 4º . 25. 46 . Art. ressalvadas. O número de Deputados à Assembléia Legislativa corresponderá ao triplo da representação do Estado na Câmara dos Deputados e. aglomerações urbanas e microrregiões.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. vedada a edição de medida provisória para a sua regulamentação. II . 153. 153.as águas superficiais ou subterrâneas. para os Deputados Federais. § 2º. § 2º O subsídio dos Deputados Estaduais será fixado por lei de iniciativa da Assembléia Legislativa.A lei disporá sobre a iniciativa popular no processo legislativo estadual. 29. 150. 39. II. Incluem-se entre os bens dos Estados: I . o disposto no art. mediante lei complementar. as decorrentes de obras da União. votada em dois turnos. III . aplicadas as regras do art. 38. IV . observados os princípios desta Constituição. e a posse ocorrerá em primeiro de janeiro do ano subseqüente. O Município reger-se-á por lei orgânica. b) mínimo de trinta e três e máximo de quarenta e um nos Municípios de mais de um milhão e menos de cinco milhões de habitantes. para mandato de quatro anos. o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum. em segundo turno. constituídas por agrupamentos de municípios limítrofes. emergentes e em depósito. 28.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 5. no caso de Municípios com mais de duzentos mil eleitores. na Constituição do respectivo Estado e os seguintes preceitos: I . III. do Vice-Governador e dos Secretários de Estado serão fixados por lei de iniciativa da Assembléia Legislativa.posse do Prefeito e do Vice-Prefeito no dia 1º de janeiro do ano subseqüente ao da eleição. IV e V. II . no que lhe for contrário. com o interstício mínimo de dez dias. de1997) § 1º Perderá o mandato o Governador que assumir outro cargo ou função na administração pública direta ou indireta. neste caso. em espécie. observado.as ilhas fluviais e lacustres não pertencentes à União. polícia e serviços administrativos de sua secretaria. Os Estados organizam-se e regem-se pelas Constituições e leis que adotarem. realizar-se-á no primeiro domingo de outubro.número de Vereadores proporcional à população do Município. imunidades.Cabe aos Estados explorar diretamente. de 1998) § 3º . CAPÍTULO III DOS ESTADOS FEDERADOS Art.(Renumerado do parágrafo único. na razão de. Art. para mandato de quatro anos. atingido o número de trinta e seis. de 1998) § 2º Os subsídios do Governador. 57. I. § 2º. em primeiro turno. ressalvada a posse em virtude de concurso público e observado o disposto no art.

de 2000) 47 . de 2000) § 1o A Câmara Municipal não gastará mais de setenta por cento de sua receita com folha de pagamento. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. de 1992) XI .seis por cento para Municípios com população entre trezentos mil e um e quinhentos mil habitantes. 29-A. cinco por cento do eleitorado. (Redação dada pela Emenda constitucional nº 19.cooperação das associações representativas no planejamento municipal. de 2000) f) em Municípios de mais de quinhentos mil habitantes. observado o que dispõem os arts. no exercício da vereança. de 2000) c) em Municípios de cinqüenta mil e um a cem mil habitantes. XI. efetivamente realizado no exercício anterior: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Renumerado do inciso XI.o total da despesa com a remuneração dos Vereadores não poderá ultrapassar o montante de cinco por cento da receita do Município. (Renumerado do inciso VI.oito por cento para Municípios com população de até cem mil habitantes. através de manifestação de. de 2000) d) em Municípios de cem mil e um a trezentos mil habitantes. de 2000) I . ao disposto nesta Constituição para os membros do Congresso Nacional e na Constituição do respectivo Estado para os membros da Assembléia Legislativa. ou (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25.efetuar repasse que supere os limites definidos neste artigo. incluído o gasto com o subsídio de seus Vereadores. de 1992) Art. similares. III.Pós-Moderna c) mínimo de quarenta e dois e máximo de cinqüenta e cinco nos Municípios de mais de cinco milhões de habitantes. § 4º. pela Emenda Constitucional nº 1. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25.inviolabilidade dos Vereadores por suas opiniões. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a setenta e cinco por cento do subsídio dos Deputados Estaduais.julgamento do Prefeito perante o Tribunal de Justiça. de 2000) e) em Municípios de trezentos mil e um a quinhentos mil habitantes. relativos ao somatório da receita tributária e das transferências previstas no § 5o do art. 153 e nos arts. de 2000) II . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. não poderá ultrapassar os seguintes percentuais. pelo menos. (Renumerado do inciso VIII. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. de 1992) VIII . no que couber. de 2000) b) em Municípios de dez mil e um a cinqüenta mil habitantes. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. pela Emenda Constitucional nº 1. 37.iniciativa popular de projetos de lei de interesse específico do Município. (Renumerado do inciso XII. 158 e 159. § 2º.sete por cento para Municípios com população entre cem mil e um e trezentos mil habitantes. 150. de 2000) II . pela Emenda Constitucional nº 1. palavras e votos no exercício do mandato e na circunscrição do Município. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. de 1992) XII . I. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Renumerado do inciso VII. de 2000) a) em Municípios de até dez mil habitantes. (Renumerado do inciso IX.organização das funções legislativas e fiscalizadoras da Câmara Municipal.subsídios do Prefeito. O total da despesa do Poder Legislativo Municipal. de 1998) VI . 39. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a vinte por cento do subsídio dos Deputados Estaduais.proibições e incompatibilidades.não enviar o repasse até o dia vinte de cada mês. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. pela Emenda Constitucional nº 1. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a quarenta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. incluídos os subsídios dos Vereadores e excluídos os gastos com inativos. pela Emenda Constitucional nº 1. II. do Vice-Prefeito e dos Secretários Municipais fixados por lei de iniciativa da Câmara Municipal. de 1992) XIV . de 1992) XIII . pela Emenda Constitucional nº 1. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. (Renumerado do inciso X. de 2000) III . observados os critérios estabelecidos na respectiva Lei Orgânica e os seguintes limites máximos: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 25. de 2000) § 2o Constitui crime de responsabilidade do Prefeito Municipal: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. 153. V .o subsídio dos Vereadores será fixado pelas respectivas Câmaras Municipais em cada legislatura para a subseqüente. nos termos do art. de 2000) IV .perda do mandato do Prefeito. da cidade ou de bairros. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 1. 28. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a cinqüenta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. e 153. de 1992) IX .cinco por cento para Municípios com população acima de quinhentos mil habitantes. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a trinta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. o subsídio máximo dos Vereadores corresponderá a sessenta por cento do subsídio dos Deputados Estaduais. pela Emenda Constitucional nº 1. de 1992) X . observado o que dispõe esta Constituição. parágrafo único. de 2000) VII . de 2000) I .

As contas dos Municípios ficarão.Os Territórios poderão ser divididos em Municípios. reger. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União. II .Lei federal disporá sobre a utilização. para mandato de igual duração.Ao Distrito Federal são atribuídas as competências legislativas reservadas aos Estados e Municípios.prestar. A lei disporá sobre a organização administrativa e judiciária dos Territórios. durante sessenta dias.criar.É vedada a criação de Tribunais. e aprovada por dois terços da Câmara Legislativa. Art. § 2º . impessoalidade.A eleição do Governador e do Vice-Governador. os serviços públicos de interesse local. O Distrito Federal.Nos Territórios Federais com mais de cem mil habitantes. ao seguinte: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. onde houver. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. bem como aplicar suas rendas. Conselhos ou órgãos de Contas Municipais. de 2000) § 3o Constitui crime de responsabilidade do Presidente da Câmara Municipal o desrespeito ao § 1o deste artigo. IV . pelo Governo do Distrito Federal.Aos Deputados Distritais e à Câmara Legislativa aplica-se o disposto no art. de 2006) VII . III . § 3º . com a cooperação técnica e financeira da União e do Estado. com a cooperação técnica e financeira da União e do Estado. Compete aos Municípios: I .enviá-lo a menor em relação à proporção fixada na Lei Orçamentária. com parecer prévio do Tribunal de Contas da União. organizar e suprimir distritos. à disposição de qualquer Art. 77. haverá órgãos judiciários de primeira e segunda instância. de 1998) contribuinte.O controle externo da Câmara Municipal será exercido com o auxílio dos Tribunais de Contas dos Estados ou do Município ou dos Conselhos ou Tribunais de Contas dos Municípios. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 53. Seção II DOS TERRITÓRIOS Art. moralidade. § 4º .As contas do Governo do Território serão submetidas ao Congresso Nacional. incluído o de transporte coletivo. 31. observadas as regras do art.organizar e prestar. CAPÍTULO VII DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS Art.manter. CAPÍTULO V DO DISTRITO FEDERAL E DOS TERRITÓRIOS Seção I DO DISTRITO FEDERAL 48 . de 2000) Art. 33. no que couber. diretamente ou sob regime de concessão ou permissão.suplementar a legislação federal e a estadual no que couber. publicidade e eficiência e. 37. do parcelamento e da ocupação do solo urbano. § 4º . § 2º . do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade. aos quais se aplicará.se-á por lei orgânica. observada a legislação e a ação fiscalizadora federal e estadual.instituir e arrecadar os tributos de sua competência. votada em dois turnos com interstício mínimo de dez dias. V . A fiscalização do Município será exercida pelo Poder Legislativo Municipal. só deixará de prevalecer por decisão de dois terços dos membros da Câmara Municipal. VIII .promover a proteção do patrimônio histórico-cultural local. adequado ordenamento territorial. que a promulgará. atendidos os princípios estabelecidos nesta Constituição.O parecer prévio. mediante planejamento e controle do uso. § 1º . a lei disporá sobre as eleições para a Câmara Territorial e sua competência deliberativa. 32. na forma da lei. além do Governador nomeado na forma desta Constituição. observada a legislação estadual. o qual poderá questionar-lhes a legitimidade. no que couber. também. e dos Deputados Distritais coincidirá com a dos Governadores e Deputados Estaduais. sem prejuízo da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fixados em lei. emitido pelo órgão competente sobre as contas que o Prefeito deve anualmente prestar. dos Estados. 27. IX . e pelos sistemas de controle interno do Poder Executivo Municipal. § 1º .promover. mediante controle externo. § 2º .legislar sobre assuntos de interesse local. programas de educação infantil e de ensino fundamental. o disposto no Capítulo IV deste Título. vedada sua divisão em Municípios. membros do Ministério Público e defensores públicos federais. para exame e apreciação. das polícias civil e militar e do corpo de bombeiros militar. nos termos da lei. VI . § 3º .Pós-Moderna III . que tem caráter essencial. serviços de atendimento à saúde da população. § 3º . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 25. anualmente. 30. § 1º .

o subsídio dos Deputados Estaduais e Distritais no âmbito do Poder Legislativo e o sub-sídio dos Desembargadores do Tribunal de Justiça. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. X . dos Ministros do Supremo Tri-bunal Federal. do Distrito Federal e dos Municípios. 39.a investidura em cargo ou emprego público depende de aprovação prévia em concurso público de provas ou de provas e títulos. de 1998) XIV . dos Estados. e sociedades controladas. na carreira. XIX . V .é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos. I.é garantido ao servidor público civil o direito à livre associação sindical. pensões ou outra espécie remuneratória.o direito de greve será exercido nos termos e nos limites definidos em lei específica. de 2001) XVII . chefia e assessoramento. dos Ministros do Supremo Tribunal Federal.a remuneração dos servidores públicos e o subsídio de que trata o § 4º do art. de 1998) c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde. o subsídio mensal do Governador no âmbito do Poder Executivo. dentro de suas áreas de competência e jurisdição. autárquica e fundacional. de 1998) (Regulamento) XI . de 1998) VIII . aplicável este limite aos membros do Ministério Público.a lei estabelecerá os casos de contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público. limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal. de 1998) II . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. definir as áreas de sua 49 . exceto. ressalvado o disposto nos incisos XI e XIV deste artigo e nos arts. exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo. nos Municípios. na forma da lei. de 1998) a) a de dois cargos de professor. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos. aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego.os acréscimos pecuniários percebidos por servidor público não serão computados nem acumulados para fins de concessão de acréscimos ulteriores. precedência sobre os demais setores administrativos. em espécie. na forma da lei. percebidos cumulativamente ou não. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 34. de 1998) VI .2003) XII . de sociedade de economia mista e de fundação. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. incluídas as vantagens pessoais ou de qualquer outra natureza.durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação. dos detentores de mandato eletivo e dos demais agentes políticos e os proventos. sociedades de economia mista. XIII . (Incluída pela Emenda Constitucional nº 19. sempre na mesma data e sem distinção de índices.é vedada a vinculação ou equiparação de quaisquer espécies remuneratórias para o efeito de remuneração de pessoal do serviço público.o subsídio e os vencimentos dos ocupantes de cargos e empregos públicos são irredutíveis. 39 somente poderão ser fixados ou alterados por lei específica. com profissões regulamentadas. de 1998) XVIII . IX .12. em espécie. quando houver compatibilidade de horários. por igual período. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. de 1998) XV . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 19. no âmbito do Poder Judiciário. § 2º. § 4º. II. suas subsidiárias. dos membros de qualquer dos Poderes da União. o subsídio do Prefeito. III. de 1998) III . não poderão exceder o subsídio mensal. VII .o prazo de validade do concurso público será de até dois anos.a proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias. de 1998) XVI . pelo poder público. aplicando-se como li-mite. empresas públicas. 150. neste último caso. assegurada revisão geral anual. observado em qualquer caso o disposto no inciso XI. condições e percentuais mínimos previstos em lei.os cargos. IV .a remuneração e o subsídio dos ocupantes de cargos. e 153. observada a iniciativa privativa em cada caso.as funções de confiança. assim como aos estrangeiros. fundações. empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei. direta ou indiretamente. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.a administração fazendária e seus servidores fiscais terão. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. de acordo com a natureza e a complexidade do cargo ou emprego. aos Procuradores e aos Defensores Públicos.os vencimentos dos cargos do Poder Legislativo e do Poder Judiciário não poderão ser superiores aos pagos pelo Poder Executivo. na forma prevista em lei. prorrogável uma vez. funções e empregos públicos da administração direta. de 1998) b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. e nos Estados e no Distrito Federal. 153. e os cargos em comissão. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. 19.Pós-Moderna I .a lei reservará percentual dos cargos e empregos públicos para as pessoas portadoras de deficiência e definirá os critérios de sua admissão.somente por lei específica poderá ser criada autarquia e autorizada a instituição de empresa pública. destinam-se apenas às atribuições de direção. cabendo à lei complementar. ressalvadas as nomeações para cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração.

as administrações tributárias da União. exercidas por servidores de carreiras específicas. de 1998) § 11.o acesso dos usuários a registros administrativos e a informações sobre atos de governo.As pessoas jurídicas de direito público e as de direito privado prestadoras de serviços públicos responderão pelos danos que seus agentes. terão recursos prioritários para a realização de suas atividades e atuarão de forma integrada. compras e alienações serão contratados mediante processo de licitação pública que assegure igualdade de condições a todos os concorrentes. § 5º . de 1998) § 10. as obras. 5º. regulando especialmente: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 42.2003) § 1º . mantidas as condições efetivas da proposta. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. em cada caso. § 9º O disposto no inciso XI aplica-se às empresas públicas e às sociedades de economia mista. do Distrito Federal ou dos Municípios para pagamento de despesas de pessoal ou de custeio em geral. 50 . orçamentária e financeira dos órgãos e entidades da administração direta e indireta poderá ser ampliada mediante contrato. serviços. II . emprego ou função pública. É vedada a percepção simultânea de proventos de aposentadoria decorrentes do art. que causem prejuízos ao erário. inclusive com o compartilhamento de cadastros e de informações fiscais. obras. externa e interna.a disciplina da representação contra o exercício negligente ou abusivo de cargo. Não serão computadas. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. no exercício de mandato eletivo.Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos.A publicidade dos atos. de 1998) I . § 3º A lei disciplinará as formas de participação do usuário na administração pública direta e indireta. da qualidade dos serviços. assim como a participação de qualquer delas em empresa privada.os controles e critérios de avaliação de desempenho. XXI . nos termos da lei. autárquica e fundacional. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47. os cargos eletivos e os cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração. a perda da função pública.(Incluído pela Emenda Constitucional nº 20.A não observância do disposto nos incisos II e III implicará a nulidade do ato e a punição da autoridade responsável. § 7º A lei disporá sobre os requisitos e as restrições ao ocupante de cargo ou emprego da administração direta e indireta que possibilite o acesso a informações privilegiadas. Ao servidor público da administração direta. dos Estados. de 2005) Art. para efeito dos limites remuneratórios de que trata o inciso XI do caput deste artigo. limitado a noventa inteiros e vinte e cinco centésimos por cento do subsídio mensal dos Ministros do Supremo Tribunal Federal. e suas subsidiárias. mediante emenda às respectivas Constituições e Lei Or gânica. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. obrigações e responsabilidade dos dirigentes. nessa qualidade. ressalvadas as respectivas ações de ressarcimento. na forma da lei ou convênio. ressalvados os cargos acumuláveis na forma desta Constituição. a ser firmado entre seus administradores e o poder público. o subsídio mensal dos Desembargadores do respectivo Tribunal de Justiça.ressalvados os casos especificados na legislação. sem prejuízo da ação penal cabível. dos Estados. de 19. de 1998) III . do Distrito Federal e dos Municípios. não se aplicando o disposto neste parágrafo aos subsídios dos Deputados Estaduais e Distritais e dos Vereadores. programas. § 6º . a criação de subsidiárias das entidades mencionadas no inciso anterior. o qual somente permitirá as exigências de qualificação técnica e econômica indispensáveis à garantia do cumprimento das obrigações.o prazo de duração do contrato. de 1998) II . atividades essenciais ao funcionamento do Estado. 42 e 142 com a remuneração de cargo. de 1998) I . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. cabendo à lei dispor sobre: (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19.12. (Regulamento) XXII . informativo ou de orientação social. de 2005) § 12. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. Para os fins do disposto no inciso XI do caput deste artigo. causarem a terceiros. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. § 2º . III . assegurado o direito de regresso contra o responsável nos casos de dolo ou culpa. que tenha por objeto a fixação de metas de desempenho para o órgão ou entidade.as reclamações relativas à prestação dos serviços públicos em geral. asseguradas a manutenção de serviços de atendimento ao usuário e a avaliação periódica. 38. direitos.depende de autorização legislativa. com cláusulas que estabeleçam obrigações de pagamento. observado o disposto no art. que receberem recursos da União. as parcelas de caráter indenizatório previstas em lei. de 1998) XX . servidor ou não. símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores públicos. na forma e gradação previstas em lei. fica facultado aos Estados e ao Distrito Federal fixar. X e XXXIII. como limite único. dela não podendo constar nomes. serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. em seu âmbito.Pós-Moderna atuação.A lei estabelecerá os prazos de prescrição para ilícitos praticados por qualquer agente. de 1998) § 4º .a remuneração do pessoal. 40 ou dos arts. emprego ou função na administração pública. nos termos da lei. de 1998) § 8º A autonomia gerencial.

verba de representação ou outra espécie remuneratória. IX. ficará afastado de seu cargo. dos Estados. em qualquer caso. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. o Distrito Federal e os Municípios instituirão conselho de política de administração e remuneração de pessoal. em qualquer caso.Pós-Moderna aplicam-se as seguintes disposições:(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. de 1998) § 4º O membro de Poder. XXII e XXX.2003) § 1º Os servidores abrangidos pelo regime de previdência de que trata este artigo serão aposentados. integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes. exceto se decorrente de acidente em serviço. inclusive sob a forma de adicional ou prêmio de produtividade. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. o detentor de mandato eletivo.a natureza. Legislativo e Judiciário publicarão anualmente os valores do subsídio e da remuneração dos cargos e empregos públicos. moléstia profissional ou doença grave.investido no mandato de Vereador. 39. IV. XVII.investido no mandato de Prefeito. mediante contribuição do respectivo ente público. emprego ou função. sem prejuízo da remuneração do cargo eletivo. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. obedecido. VIII. contagiosa ou incurável.2003) II . de 1998) § 8º A remuneração dos servidores públicos organizados em carreira poderá ser fixada nos termos do § 4º. podendo a lei estabelecer requisitos diferenciados de admissão quando a natureza do cargo o exigir. 7º.para efeito de benefício previdenciário.12. sendo os proventos proporcionais ao tempo de contribuição. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União. XIII. não havendo compatibilidade. X e XI. IV . XVI. do Distrito Federal e dos Municípios. os Estados e o Distrito Federal manterão escolas de governo para a formação e o aperfeiçoamento dos servidores públicos. observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial e o disposto neste artigo. 40.12. dos Estados. estadual ou distrital. XII. 37. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.12. o grau de responsabilidade e a complexidade dos cargos componentes de cada carreira. aos setenta anos de idade. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas. de 15/12/98) 51 . os Estados. XI. 37. de 1998) § 3º Aplica-se aos servidores ocupantes de cargo público o disposto no art. reaparelhamento e racionalização do serviço público. calculados os seus proventos a partir dos valores fixados na forma dos §§ 3º e 17: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. incluídas suas autarquias e fundações. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. XIX. abono. perceberá as vantagens de seu cargo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19.compulsoriamente. 19. Seção II DOS SERVIDORES PÚBLICOS (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 18. XV. constituindo-se a participação nos cursos um dos requisitos para a promoção na carreira. de 1998) II . havendo compatibilidade de horários. sendo-lhe facultado optar pela sua remuneração. é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário.por invalidez permanente. de 1998) Art. exceto para promoção por merecimento. 19. V . na forma da lei.as peculiaridades dos cargos.2003) I . o disposto no art. emprego ou função.1354) § 1º A fixação dos padrões de vencimento e dos demais componentes do sistema remuneratório observará: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. XVIII. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. II . será afastado do cargo. XX. VII.os requisitos para a investidura. será aplicada a norma do inciso anterior. de 1998) § 6º Os Poderes Executivo. de 1998) III . do Distrito Federal e dos Municípios poderá estabelecer a relação entre a maior e a menor remuneração dos servidores públicos. adicional. facultada. de 1998) § 2º A União. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. de 1998) I . autarquia e fundação. e. o disposto no art. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. para isso. seu tempo de serviço será contado para todos os efeitos legais. 19. de 1998) I . os valores serão determinados como se no exercício estivesse. para aplicação no desenvolvimento de programas de qualidade e produtividade. com proventos proporcionais ao tempo de contribuição.em qualquer caso que exija o afastamento para o exercício de mandato eletivo. treinamento e desenvolvimento. modernização. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. de 1998) § 7º Lei da União.tratando-se de mandato eletivo federal. de 1998) (Vide ADIN nº 2. prêmio. III . vedado o acréscimo de qualquer gratificação. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. emprego ou função. no caso de afastamento. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. de 1998) Art. dos Estados. de 1998) § 5º Lei da União. A União. do Distrito Federal e dos Municípios disciplinará a aplicação de recursos orçamentários provenientes da economia com despesas correntes em cada órgão. os Ministros de Estado e os Secretários Estaduais e Municipais serão remunerados exclusivamente por subsídio fixado em parcela única. a celebração de convênios ou contratos entre os entes federados. obedecido.

(Incluído pela Emenda Constitucional nº 41. desde que instituam regime de previdência complementar para os seus respectivos servidores titulares de cargo efetivo.ao valor da totalidade dos proventos do servidor falecido. com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. ressalvados. na forma da lei.12. 201. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. acrescido de setenta por cento da parcela excedente a este limite. no que couber. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47.2003) § 8º É assegurado o reajustamento dos benefícios para preservar-lhes. de 15/12/98) § 13 . por ocasião da sua concessão. e cinqüenta e cinco anos de idade e trinta de contribuição. o valor real. serão consideradas as remunerações utilizadas como base para as contribuições do servidor aos regimes de previdência de que tratam este artigo e o art. de 15/12/98) § 14 . de 15/12/98) § 10 . inclusive quando decorrentes da acumulação de cargos ou empregos públicos.12. o regime de previdência dos servidores públicos titulares de cargo efetivo observará. 19. XI. até o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. de 15/12/98) § 6º . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20. se homem. de 2005) I portadores de deficiência. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20. para o valor das aposentadorias e pensões a serem concedidas pelo regime de que trata este artigo. "a". 201.Além do disposto neste artigo. em relação ao disposto no § 1º. de 15/12/98) 52 . estadual ou municipal será contado para efeito de aposentadoria e o tempo de serviço correspondente para efeito de disponibilidade.Os requisitos de idade e de tempo de contribuição serão reduzidos em cinco anos. de cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração bem como de outro cargo temporário ou de emprego público. os Estados. nos termos definidos em leis complementares. exclusivamente. de 2005) II que exerçam atividades de risco. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20.O tempo de contribuição federal. se homem. III. o Distrito Federal e os Municípios.voluntariamente. os requisitos e critérios fixados para o regime geral de previdência social. 201. de 15/12/98) § 11 . de 2005) § 5º . cargo em comissão declarado em lei de livre nomeação e exoneração. bem como de outras atividades sujeitas a contribuição para o regime geral de previdência social.Os proventos de aposentadoria e as pensões. e sessenta anos de idade. no cargo efetivo em que se deu a aposentadoria ou que serviu de referência para a concessão da pensão. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. de 2005) III cujas atividades sejam exercidas sob condições especiais que prejudiquem a saúde ou a integridade física. é vedada a percepção de mais de uma aposentadoria à conta do regime de previdência previsto neste artigo. ou (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41. não poderão exceder a remuneração do respectivo servidor. se mulher.12. 37. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. desde que cumprido tempo mínimo de dez anos de efetivo exercício no serviço público e cinco anos no cargo efetivo em que se dará a aposentadoria. observadas as seguintes condições: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47. aplica-se o regime geral de previdência social. de 15/12/98) § 2º . e de cargo eletivo. por ocasião de sua concessão. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. poderão fixar. de 15/12/98) a) sessenta anos de idade e trinta e cinco de contribuição.2003) § 9º . 19. 19. 19. conforme critérios estabelecidos em lei.A União.Pós-Moderna III .Aplica-se o limite fixado no art. acrescido de setenta por cento da parcela excedente a este limite.2003) II . de 15/12/98) § 7º Lei disporá sobre a concessão do benefício de pensão por morte. 201.Ao servidor ocupante. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20.12. os casos de servidores: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 47. até o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art.ao valor da totalidade da remuneração do servidor no cargo efetivo em que se deu o falecimento.A lei não poderá estabelecer qualquer forma de contagem de tempo de contribuição fictício. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20.Ressalvadas as aposentadorias decorrentes dos cargos acumuláveis na forma desta Constituição. caso aposentado à data do óbito. de 15/12/98) § 12 . em caráter permanente. para o professor que comprove exclusivamente tempo de efetivo exercício das funções de magistério na educação infantil e no ensino fundamental e médio. que será igual: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. de 15/12/98) § 3º Para o cálculo dos proventos de aposentadoria. 19. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20.2003) I . à soma total dos proventos de inatividade. se mulher. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20.12. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47. caso em atividade na data do óbito. o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. e ao montante resultante da adição de proventos de inatividade com remuneração de cargo acumulável na forma desta Constituição.2003) § 4º É vedada a adoção de requisitos e critérios diferenciados para a concessão de aposentadoria aos abrangidos pelo regime de que trata este artigo. de 15/12/98) b) sessenta e cinco anos de idade.

45.mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. de 15/12/98) § 17. Parágrafo único. Art. procedendo-se aos ajustes necessários. O regime de previdência complementar de que trata o § 14 será instituído por lei de iniciativa do respectivo Poder Executivo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. O Poder Legislativo é exercido pelo Congresso Nacional. § 2º .2003) § 19. pelo sistema proporcional. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. de 1998) § 4º Como condição para a aquisição da estabilidade. eleitos segundo o princípio majoritário. por intermédio de entidades fechadas de previdência complementar. em cada Estado. bem como a representação por Estado e pelo Distrito Federal. 19. na forma de lei complementar. com percentual igual ao estabelecido para os servidores titulares de cargos efetivos.Pós-Moderna § 15. 202 e seus parágrafos. Incidirá contribuição sobre os proventos de aposentadorias e pensões concedidas pelo regime de que trata este artigo que superem o limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. 41. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41. no ano anterior às eleições. e que opte por permanecer em atividade fará jus a um abono de permanência equivalente ao valor da sua contribuição previdenciária até completar as exigências para aposentadoria compulsória contidas no § 1º. de 1998) I . proporcionalmente à população. de 1998) § 3º Extinto o cargo ou declarada a sua desnecessidade. de 1998) TÍTULO IV Da Organização dos Poderes CAPÍTULO I DO PODER LEGISLATIVO Seção I DO CONGRESSO NACIONAL Art. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. na forma da lei.12. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. X. 46. na forma da lei. A contribuição prevista no § 18 deste artigo incidirá apenas sobre as parcelas de proventos de aposentadoria e de pensão que superem o dobro do limite máximo estabelecido para os benefícios do regime geral de previdência social de que trata o art. O servidor de que trata este artigo que tenha completado as exigências para aposentadoria voluntária estabelecidas no § 1º. Fica vedada a existência de mais de um regime próprio de previdência social para os servidores titulares de cargos efetivos. até seu adequado aproveitamento em outro cargo. o disposto nos §§ 14 e 15 poderá ser aplicado ao servidor que tiver ingressado no serviço público até a data da publicação do ato de instituição do correspondente regime de previdência complementar. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 47.12. reconduzido ao cargo de origem. aproveitado em outro cargo ou posto em disponibilidade com remuneração proporcional ao tempo de serviço. e o eventual ocupante da vaga.2003) § 21. no que couber.12. for portador de doença incapacitante. 201 desta Constituição. em cada Território e no Distrito Federal. o servidor estável ficará em disponibilidade.Cada Território elegerá quatro Deputados.Somente mediante sua prévia e expressa opção. III. 19. de natureza pública. A Câmara dos Deputados compõe-se de representantes do povo. 19. sem direito a indenização. observado o disposto no art. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 20. que se compõe da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. O Senado Federal compõe-se de representantes dos Estados e do Distrito Federal. § 1º . Art. de 1998) II . será ele reintegrado. assegurada ampla defesa. ressalvado o disposto no art. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41. de 1998) III . 19. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 41.2003) § 20. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.12. § 1º . eleitos. 142. quando o beneficiário.2003) § 18. 19. e de mais de uma unidade gestora do respectivo regime em cada ente estatal. de 1998) § 1º O servidor público estável só perderá o cargo: (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. Todos os valores de remuneração considerados para o cálculo do benefício previsto no § 3° serão devidamente atualizados. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19.em virtude de sentença judicial transitada em julgado.O número total de Deputados. para que nenhuma daquelas unidades da Federação tenha menos de oito ou mais de setenta Deputados.Cada Estado e o Distrito Federal elegerão três Senadores. com remuneração proporcional ao tempo de serviço. de 2005) Art. será estabelecido por lei complementar. Cada legislatura terá a duração de quatro anos. 201. é obrigatória a avaliação especial de desempenho por comissão instituída para essa finalidade. com mandato de oito anos.2003) § 16 . 53 . (Incluído pela Emenda Constitucional nº 19. que oferecerão aos respectivos participantes planos de benefícios somente na modalidade de contribuição definida. 44. a.mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho.12. § 3º. de 1998) § 2º Invalidada por sentença judicial a demissão do servidor estável. se estável. II.

Em caso de impedimento do Presidente e do VicePresidente. 54 . § 5º . os eleitos deverão completar o período de seus antecessores.os Tribunais e Juízes do Trabalho. mais de um candidato com a mesma votação. desistência ou impedimento legal de candidato. Art. as deliberações de cada Casa e de suas Comissões serão tomadas por maioria dos votos. o de maior votação. no caso de impedimento. este será declarado vago. o Vice-Presidente. far-se-á eleição noventa dias depois de aberta a última vaga. 82. A eleição do Presidente e do Vice-Presidente da República realizar-se-á. O Poder Executivo é exercido pelo Presidente da República. Art. salvo motivo de força maior. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. Parágrafo único. 92. O mandato do Presidente da República é de quatro anos e terá início em primeiro de janeiro do ano seguinte ao da sua eleição. o Presidente ou o Vice-Presidente. decorridos dez dias da data fixada para a posse.o Superior Tribunal de Justiça. do ano anterior ao do término do mandato presidencial vigente. em primeiro turno.Se. 76. e suceder. ausentar-se do País por período superior a quinze dias. CAPÍTULO III DO PODER JUDICIÁRIO Seção I DISPOSIÇÕES GERAIS Art. no primeiro domingo de outubro. observar as leis. em segundo lugar. § 4º . § 3º . de 1997) Art. simultaneamente.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16. ou vacância dos respectivos cargos. Substituirá o Presidente. I-A o Conselho Nacional de Justiça. pelo Congresso Nacional. VII . remanescer. não tiver assumido o cargo. a eleição para ambos os cargos será feita trinta dias depois da última vaga. e no último domingo de outubro. serão sucessivamente chamados ao exercício da Presidência o Presidente da Câmara dos Deputados. 81. O Presidente e o Vice-Presidente da República tomarão posse em sessão do Congresso Nacional. concorrendo os dois candidatos mais votados e considerando-se eleito aquele que obtiver a maioria dos votos válidos.A representação de cada Estado e do Distrito Federal será renovada de quatro em quatro anos.lhe-á. na forma da lei. em segundo turno. 78. CAPÍTULO II DO PODER EXECUTIVO Seção I DO PRESIDENTE E DO VICE-PRESIDENTE DA REPÚBLICA Art. defender e cumprir a Constituição.A eleição do Presidente da República importará a do Vice-Presidente com ele registrado. O Presidente e o Vice-Presidente da República não poderão. Art. ocorrer morte.Pós-Moderna § 2º . registrado por partido político. convocar-se-á. de 2004) Parágrafo único. VI . se houver. o do Senado Federal e o do Supremo Tribunal Federal. sob pena de perda do cargo. de 1997) § 1º . III . qualificar-se-á o mais idoso. o Conselho Nacional de Justiça e os Tribunais Superiores têm sede na Capital Federal. 79. 80.Em qualquer dos casos. § 2º . Se. na hipótese dos parágrafos anteriores. Salvo disposição constitucional em contrário.os Tribunais e Juízes Eleitorais. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. Art. Art. sempre que por ele convocado para missões especiais. além de outras atribuições que lhe forem conferidas por lei complementar. Art. no de vaga. dentre os remanescentes. auxiliado pelos Ministros de Estado. a integridade e a independência do Brasil. sem licença do Congresso Nacional. presente a maioria absoluta de seus membros.Cada Senador será eleito com dois suplentes. Art.Se. auxiliará o Presidente. Vagando os cargos de Presidente e Vice-Presidente da República. por um e dois terços.Se nenhum candidato alcançar maioria absoluta na primeira votação.os Tribunais e Juízes Militares.os Tribunais Regionais Federais e Juízes Federais. V . sustentar a união. promover o bem geral do povo brasileiro. 77.Será considerado eleito Presidente o candidato que. antes de realizado o segundo turno. IV . § 1º O Supremo Tribunal Federal. O Vice-Presidente da República. far-se-á nova eleição em até vinte dias após a proclamação do resultado. § 1º . não computados os em branco e os nulos.os Tribunais e Juízes dos Estados e do Distrito Federal e Territórios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45.o Supremo Tribunal Federal.Ocorrendo a vacância nos últimos dois anos do período presidencial. § 3º . § 2º . São órgãos do Poder Judiciário: I . de 2004) II . 47. alternadamente. obtiver a maioria absoluta de votos. prestando o compromisso de manter. 83.

(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. alternadamente. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. obedecido. cujo cargo inicial será o de juiz substituto. de 2004) XII a atividade jurisdicional será ininterrupta. de 2004) VIII o ato de remoção. apurados na última ou única entrância. funcionando. c e e do inciso II. de iniciativa do Supremo Tribunal Federal. sendo as disciplinares tomadas pelo voto da maioria absoluta de seus membros.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. não podendo devolvê-los ao cartório sem o devido despacho ou decisão. de 2004) IX todos os julgamentos dos órgãos do Poder Judiciário serão públicos. e fundamentadas todas as decisões. de 1998) VII o juiz titular residirá na respectiva comarca. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. de 2004) VIIIA a remoção a pedido ou a permuta de magistrados de comarca de igual entrância atenderá. exigindo-se do bacharel em direito. no que couber. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. de 1998) VI .o subsídio dos Ministros dos Tribunais Superiores corresponderá a noventa e cinco por cento do subsídio mensal fixado para os Ministros do Supremo Tribunal Federal e os subsídios dos demais magistrados serão fixados em lei e escalonados. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. às próprias partes e a seus advogados. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. poderá ser constituído órgão especial. observados os seguintes princípios: I . com a participação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as fases. disporá sobre o Estatuto da Magistratura. em qualquer caso. o disposto nos arts. três anos de atividade jurídica e obedecendo-se. em determinados atos. assegurada ampla defesa. de 2004) X as decisões administrativas dos tribunais serão motivadas e em sessão pública. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. conforme as respectivas categorias da estrutura judiciária nacional.promoção de entrância para entrância. sob pena de nulidade. sendo vedado férias coletivas nos juízos e tribunais de segundo grau. aperfeiçoamento e promoção de magistrados.Pós-Moderna § 2º O Supremo Tribunal Federal e os Tribunais Superiores têm jurisdição em todo o território nacional. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 20. em nível federal e estadual. em casos nos quais a preservação do direito à intimidade do interessado no sigilo não prejudique o interesse público à informação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. de 2004) II . provendo-se metade das vagas por antigüidade e a outra metade por eleição pelo tribunal pleno. de 2004) Art. 40. de 2004) 55 . nos dias em que não houver expediente forense normal. 93. c) aferição do merecimento conforme o desempenho e pelos critérios objetivos de produtividade e presteza no exercício da jurisdição e pela freqüência e aproveitamento em cursos oficiais ou reconhecidos de aperfeiçoamento. mediante concurso público de provas e títulos. de 2004) e) não será promovido o juiz que. podendo a lei limitar a presença. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45. no mínimo. salvo se não houver com tais requisitos quem aceite o lugar vago. retiver autos em seu poder além do prazo legal. de 2004) d) na apuração de antigüidade. ou somente a estes. nas nomeações. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45.ingresso na carreira. b . injustificadamente. Lei complementar. salvo autorização do tribunal. constituindo etapa obrigatória do processo de vitaliciamento a participação em curso oficial ou reconhecido por escola nacional de formação e aperfeiçoamento de magistrados. não podendo a diferença entre uma e outra ser superior a dez por cento ou inferior a cinco por cento. para o exercício das atribuições administrativas e jurisdicionais delegadas da competência do tribunal pleno. XI. conforme procedimento próprio. de 2004) III o acesso aos tribunais de segundo grau far-se-á por antigüidade e merecimento. de 2004) IV previsão de cursos oficiais de preparação. b) a promoção por merecimento pressupõe dois anos de exercício na respectiva entrância e integrar o juiz a primeira quinta parte da lista de antigüidade desta. repetindo-se a votação até fixar-se a indicação. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. por interesse público. de 2004) XIII o número de juízes na unidade jurisdicional será proporcional à efetiva demanda judicial e à respectiva população. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. e 39. e assegurada ampla defesa. § 4º. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. nem exceder a noventa e cinco por cento do subsídio mensal dos Ministros dos Tribunais Superiores. ao disposto nas alíneas a . (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. por antigüidade e merecimento. 37. disponibilidade e aposentadoria do magistrado. juízes em plantão permanente. alternadamente. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45. de 2004) V . fundar-se-á em decisão por voto da maioria absoluta do respectivo tribunal ou do Conselho Nacional de Justiça. atendidas as seguintes normas: a) é obrigatória a promoção do juiz que figure por três vezes consecutivas ou cinco alternadas em lista de merecimento. com o mínimo de onze e o máximo de vinte e cinco membros.a aposentadoria dos magistrados e a pensão de seus dependentes observarão o disposto no art. o tribunal somente poderá recusar o juiz mais antigo pelo voto fundamentado de dois terços de seus membros. à ordem de classificação. de 2004) XIV os servidores receberão delegação para a prática de atos de administração e atos de mero expediente sem caráter decisório. de 2004) XI nos tribunais com número superior a vinte e cinco julgadores.

Parágrafo único. enviando-a ao Poder Executivo. dependendo a perda do cargo. com observância das normas de processo e das garantias processuais das partes. na forma da lei. de 2004) Art.aos Tribunais de Justiça julgar os juízes estaduais e do Distrito Federal e Territórios. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. A União. II . Um quinto dos lugares dos Tribunais Regionais Federais. os cargos necessários à administração da Justiça. escolherá um de seus integrantes para nomeação. e 153. III . mediante os procedimentos oral e sumariíssimo.receber. bem como os membros do Ministério Público. observado o disposto no art. e os Estados criarão: I . III. de deliberação do tribunal a que o juiz estiver vinculado. 153. III . a transação e o julgamento de recursos por turmas de juízes de primeiro grau. 169: a) a alteração do número de membros dos tribunais inferiores. com mais de dez anos de carreira. exceto os de confiança assim definidos em lei. 96.receber. I. de 2004) Art. bem como a fixação do subsídio de seus membros e dos juízes. aos Tribunais Superiores e aos Tribunais de Justiça propor ao Poder Legislativo respectivo. e. d) a alteração da organização e da divisão judiciárias.juizados especiais.dedicar-se à atividade político-partidária. nesse período. na forma prevista nesta Constituição. obedecido o disposto no art.2003) c) a criação ou extinção dos tribunais inferiores. salvo por motivo de interesse público. e de advogados de notório saber jurídico e de reputação ilibada. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. 150. custas ou participação em processo. Art. nos crimes comuns e de responsabilidade. o julgamento e a execução de causas cíveis de menor complexidade e infrações penais de menor potencial ofensivo. que. na forma do art. 169. II . auxílios ou contribuições de pessoas físicas. dos Tribunais dos Estados.12. de ofício ou em face de impugnação apresentada.vitaliciedade. do Ministério Público. de sentença judicial transitada em julgado. ainda que em disponibilidade. 98. Recebidas as indicações. e do Distrito Federal e Territórios será composto de membros. inclusive dos tribunais inferiores. f) conceder licença. competentes para a conciliação. II. 94. providos por juízes togados. a qualquer título ou pretexto.Pós-Moderna XV a distribuição de processos será imediata. só será adquirida após dois anos de exercício. dispondo sobre a competência e o funcionamento dos respectivos órgãos jurisdicionais e administrativos. verificar. Aos juízes é vedado: I . com mais de dez anos de efetiva atividade profissional. indicados em lista sêxtupla pelos órgãos de representação das respectivas classes. III . o tribunal formará lista tríplice.inamovibilidade. a qualquer título ou pretexto. entidades públicas ou privadas. nas hipóteses previstas em lei. no Distrito Federal e nos Territórios. § 4º. por concurso público de provas. remunerada. nos demais casos. 19. salvo uma de magistério. Art. e) prover. antes de decorridos três anos do afastamento do cargo por aposentadoria ou exoneração. em todos os graus de jurisdição. ou de provas e títulos. 56 . os cargos de juiz de carreira da respectiva jurisdição. Somente pelo voto da maioria absoluta de seus membros ou dos membros do respectivo órgão especial poderão os tribunais declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do Poder Público. férias e outros afastamentos a seus membros e aos juízes e servidores que lhes forem imediatamente vinculados. ressalvadas as exceções previstas em lei. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. 93. no primeiro grau. ressalvado o disposto nos arts. Os juízes gozam das seguintes garantias: I .aos tribunais: a) eleger seus órgãos diretivos e elaborar seus regimentos internos. VIII.irredutibilidade de subsídio. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 41. § 2º. de 2004) V . Art. celebrar casamentos. nos vinte dias subseqüentes. com mandato de quatro anos e competência para. II . 37.exercer. ou togados e leigos. d) propor a criação de novas varas judiciárias. c) prover. 95. universal e secreto. ressalvada a competência da Justiça Eleitoral. que. onde houver. composta de cidadãos eleitos pelo voto direto.justiça de paz. o processo de habilitação e exercer atribuições b) organizar suas secretarias e serviços auxiliares e os dos juízos que lhes forem vinculados.ao Supremo Tribunal Federal. velando pelo exercício da atividade correicional respectiva. de 1998) Parágrafo único. parágrafo único.exercer a advocacia no juízo ou tribunal do qual se afastou. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. permitidos. X e XI. outro cargo ou função. 97. b) a criação e a extinção de cargos e a remuneração dos seus serviços auxiliares e dos juízos que lhes forem vinculados. 39. II . IV . Compete privativamente: I .

por ato comissivo ou omissivo. além de outras previstas na legislação. e exclusivamente para o caso de preterimento de seu direito de precedência. proventos. proibida a designação de casos ou de pessoas nas dotações orçamentárias e nos créditos adicionais abertos para este fim. não se aplica aos pagamentos de obrigações definidas em lei como de pequeno valor que a Fazenda Federal. Estadual. de 2002) 57 . os pagamentos devidos pela Fazenda Federal.O encaminhamento da proposta. pensões e suas complementações. Estadual ou Municipal. II . aos Presidentes dos Tribunais de Justiça.no âmbito da União. de 2002) § 6º O Presidente do Tribunal competente que. (Parágrafo incluído pela Emenda Constitucional nº 30. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 30. segundo as diferentes capacidades das entidades de direito público. compete: I . ouvidos os outros tribunais interessados. de 2004) § 4º Se as propostas orçamentárias de que trata este artigo forem encaminhadas em desacordo com os limites estipulados na forma do § 1º. o Poder Executivo considerará. na forma estabelecida no § 3º deste artigo e. de 2000) § 4º São vedados a expedição de precatório complementar ou suplementar de valor pago. vencimentos. à exceção dos créditos de natureza alimentícia. a fim de que seu pagamento não se faça. de 2000) § 2º As dotações orçamentárias e os créditos abertos serão consignados diretamente ao Poder Judiciário. de 2000 e Renumerado pela Emenda Constitucional nº 37. far-se-ão exclusivamente na ordem cronológica de apresentação dos precatórios e à conta dos créditos respectivos. para fins de consolidação da proposta orçamentária anual. de 2004) § 5º Durante a execução orçamentária do exercício. de 2002) § 5º A lei poderá fixar valores distintos para o fim previsto no § 3º deste artigo. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. de 2004) Art. (Renumerado pela Emenda Constitucional nº 45. benefícios previdenciários e indenizações por morte ou invalidez.no âmbito dos Estados e no do Distrito Federal e Territórios. o seqüestro da quantia necessária à satisfação do débito. no orçamento das entidades de direito público. não poderá haver a realização de despesas ou a assunção de obrigações que extrapolem os limites estabelecidos na lei de diretrizes orçamentárias. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. Distrital ou Municipal deva fazer em virtude de sentença judicial transitada em julgado. os valores aprovados na lei orçamentária vigente.(Incluído pela Emenda Constitucional nº 30. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. em virtude de sentença transitada em julgado. com a aprovação dos respectivos tribunais. de 2004) Art.Pós-Moderna conciliatórias. constantes de precatórios judiciários. Ao Poder Judiciário é assegurada autonomia administrativa e financeira.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 30. ajustados de acordo com os limites estipulados na forma do § 1º deste artigo. de 2004) § 2º As custas e emolumentos serão destinados exclusivamente ao custeio dos serviços afetos às atividades específicas da Justiça. 99. sem caráter jurisdicional. quando terão seus valores atualizados monetariamente. com a aprovação dos respectivos tribunais. mediante a abertura de créditos suplementares ou especiais.Os tribunais elaborarão suas propostas orçamentárias dentro dos limites estipulados conjuntamente com os demais Poderes na lei de diretrizes orçamentárias. retardar ou tentar frustrar a liquidação regular de precatório incorrerá em crime de responsabilidade. 100. a requerimento do credor. bem como fracionamento. o Poder Executivo procederá aos ajustes necessários para fins de consolidação da proposta orçamentária anual. de 2000) § 3º O disposto no caput deste artigo. relativamente à expedição de precatórios. de 2000) § 1º-A Os débitos de natureza alimentícia compreendem aqueles decorrentes de salários. apresentados até 1º de julho. em virtude de sentença judiciária. e autorizar. de 2000 e Renumerado pela Emenda Constitucional nº 37. § 1º É obrigatória a inclusão. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 45. § 3º Se os órgãos referidos no § 2º não encaminharem as respectivas propostas orçamentárias dentro do prazo estabelecido na lei de diretrizes orçamentárias. fundadas na responsabilidade civil. em parte. mediante expedição de precatório. § 1º . repartição ou quebra do valor da execução. aos Presidentes do Supremo Tribunal Federal e dos Tribunais Superiores. exceto se previamente autorizadas. (Incluído pela Emenda Constitucional nº 37. § 1º Lei federal disporá sobre a criação de juizados especiais no âmbito da Justiça Federal. (Parágrafo incluído pela Emenda Constitucional nº 30. em parte. cabendo ao Presidente do Tribunal que proferir a decisão exeqüenda determinar o pagamento segundo as possibilidades do depósito. de verba necessária ao pagamento de seus débitos oriundos de sentenças transitadas em julgado. fazendo-se o pagamento até o final do exercício seguinte.(Redação dada pela Emenda Constitucional nº 30. § 2º .