P. 1
FUNDAÇÕES..

FUNDAÇÕES..

|Views: 2.949|Likes:
Publicado porAlexandre Chien

More info:

Published by: Alexandre Chien on Oct 17, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPTX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/02/2013

pdf

text

original

Unicamp

DEPARTAMENTO DE CONSTRUÇÃO CIVIL - DACOC

ARQUITETURA TECNOLOGIA DAS CONSTRUCOES FUNDAÇÕES DE EDIFÍCIOS

PROF. NERY KNÖNER

Unicamp

Definição:
• • • Fundação é o elemento estrutural que transfere ao terreno as cargas que são aplicadas à estrutura.

Unicamp

Projeto do edifício
Fundações de Edifícios

(controlado)

Cálculo das cargas

(não controlado)

Investigação do terreno
(não controlado)

Definição do tipo e fundação
(controlado)

• PROFUNDAS (Indiretas)  Executadas em maiores profundidades (é quando a profundidade.Unicamp TIPOS DE FUNDAÇÃO • RASAS (superficiais ou diretas)  Executadas em pequenas profundidades (ou mesmo superficialmente) transmitem a carga da estrutura ao terreno através de sua base. Fundações de Edifícios . em relação ao terreno adjacente é superior em face da maior dimensão da área total da fundação).

Unicamp Tipos de fundações rasas Fundações de Edifícios BLOCO .

Unicamp Tipos de fundações rasas Fundações de Edifícios SAPATA Caso Simples (Baldrame) .

Unicamp FUNDAÇÕES RASAS Radier .

Unicamp Tipos de fundações rasas Fundações de Edifícios VIGA DE FUNDAÇÃO .

Unicamp Tipos de fundações profundas ESTACAS PRÉ-MOLDADAS Fundações de Edifícios .

Unicamp FUNDAÇÕES RASAS ( TEORIA ) Na escolha do tipo de fundações. devido a execução simples e o baixo custo . as diretas ou rasas são as primeiras a serem analisadas.

EXEMPLO: ÁREA DO TERRENO = 250.00 m² PERCENTUAL = 52% ÁREA DE SUPORTE 130.00 m² ÁREA DA FUNDAÇÃO = 130. isto é.00m²( OK! ) CALCULADA RESULTOU EM .Unicamp •A economia só é alcançada se a fundação rasa corresponder de 50% a 70% da área do terreno. se a área de suporte necessária no cálculo dimensional da fundação for menor.

argila mole. recomendadas •As cargas devem ser transmitidas ao terreno e solicitadas através das pressões distribuídas sob a base da fundação (Bulbo de Tensões). areia fofa e água.Unicamp •Caso o local apresente aterro não compactado. as fundações diretas ou rasas não são recomendadas. .

por sua vez solicita o solo pela carga aplicada no corpo da sapata.Unicamp •As fundações superficiais só podem ser assentadas à uma profundidade de até duas vezes a sua menor dimensão em planta. •Tecnicamente. são apoiadas diretamente sob as paredes e os pilares. que transmitem a carga para na fundação que. .

não havendo assim nenhuma restrição construtiva.Unicamp •Tanto os blocos como as sapatas são os elementos de fundação mais simples e mais econômicos. porque a quantidade de concreto é menor e justifica então a eliminação da armadura. •Os blocos porém são até mais econômicos do que as sapatas para cargas reduzidas. .

Unicamp RESUMO GERAL .

Unicamp FUNDAÇÕES RASAS (SUPERFICIAIS) Quando a camada superficial do solo apresenta resistência suficiente para suportar as cargas da edificação. . São executadas em concreto armado. apoiados sobre terreno preparado e compactado. -São as consideradas de menor custo.

Cargas : peso próprio estrutural. .Unicamp FUNDAÇÕES RASAS (SUPERFICIAIS) As dimensões e a armação da sapata dependem de cálculo das cargas e sobrecargas e considerar sempre as características de resistência do solo de apoio. Sobrecargas : cargas acidentais.

gabarito 4.compactação das valas. com a implantação e demarcação do gabarito referencial. com o uso de soquetes manuais.demarcação da construção.limpeza do terreno. e fixação do¨RN¨.abertura das valas.Unicamp EXECUÇÃO 1. contendo o eixo e as faces laterais e a referência de nível. sendo manual ou mecânica ( sem alterar ou abalar o gabarito). 3. 2. . ou mecânicos (sapo mecânico).

5 -aplicação Vale ressaltar que nos casos de fundações de pequenas construções. . numa camada de 5 cm a 30 cm. trabalhando também como material de transição entre o solo e a sapata da fundação (agulhamento). Ao longo da vala (lastro de brita).Unicamp de uma camada de pedra 3. base de aterros e de estacas e tubulões (fundações profundas). cuja finalidade é de drenar (manter seco) a interface do solo com base da sapata. com as mesmas finalidades. Obs : o agulhamento é imprescindível em obras de pavimentação de modo geral. 4 e rachão. a aplicação adequada é de pedrisco a pedra 3 e a espessura à critério. fundo de galerias.

5 litros ¨ ¨ 1 saco de cimento = 250.0 litros ¨ .0 latas de água ¨ 1 lata = 18.5 LATAS DE PEDRA 2.5 LATAS DE AREIA 1.Unicamp TRAÇOS DE CONCRETO Para contra pisos e bases de sapatas ( Concreto magro ) 1 saco de cimento ( 50kg. Padrão ) 8.

Aplicar um lastro de concreto magro com espessura de 3 a 5cm. . cuja finalidade é a de não permitir ou dificultar a higroscopia (vaporização da água) e o encharcamento da sapata. evitando-se assim a oxidação das armaduras da sapata. com a finalidade transitória do solo-brita à base da sapata.Unicamp 6.

devem ser inseridas ao longo da vala (sapata corrida . bem como o arrasamento da superfície da sapata ou da viga baldrame. com a finalidade de manter uma linearidade vertical e longitudinal.baldrame) . e fuga da água de amassamento do concreto. .Unicamp 7.Formas de madeira ou formas metálicas.

As armações devem ser dimensionadas analiticamente. supervisionadas e inspecionadas principalmente quanto a fixação dos estribos ( ferragens transversais ) nas barras longitudinais. (cálculo estrutural) devem ser moldadas ou dobradas. . com uso de ferramentas adequadas.Unicamp 8.

RECEBENDO A CARGA DIRETA E PONTUAL PELO PILAR .Unicamp TIPOS DE FUNDAÇÕES RASAS SAPATA ISOLADA QUANDO HÁ UMA SAPATA ÚNICA SOB PILAR.

Unicamp .

Unicamp TIPOS DE SAPATAS .

Unicamp .

Unicamp SAPATA ISOLADA .( COM ARRANQUES ) .

•Utilizada com sistema estrutural de alvenaria armada. .Unicamp SAPATA CORRIDA •Sustenta a carga de uma parede distribuída linearmente.

SAPATA CORRIDA Unicamp Os alicerces são estruturas executadas pelo assentamento de pedras ou tijolos maciços recozidos.50 a 1.20 m).ALICERCES . . e largura variando conforme a carga das paredes. em valas de pouca profundidade (entre 0.

FUNDAÇÃO Unicamp .

000 kgf / m 10. alvenaria de tijolo de barro maciço de 1 e Baldrame com 1/2 tijolo. alvenaria de tijolo de barro maciço de 2   CAPACIDADE DE CARGA LINEAR (Quanto agüenta por metro linear) Unicamp Sapata corrida em Sapata corrida em solo de Argila Solo de Argila RIJA DURA [ 2 kgf /cm2] [ 3 kgf / cm2] 7.000 kgf / m 11.250 kgf / m 7.500 kgf / m 15.000 kgf / m .500 kgf / m 5.PARA   FUNDAÇÕES RASAS   ( CASAS TÉRREAS Baldrame com) alvenaria de tijolo de barro maciço de 1 Baldrame com tijolo.

RADIER Unicamp •É uma grande laje. se a área das sapatas em planta ultrapassar 60% da área da edificação. •É uma forma de dimensionamento das sapatas isoladas. torna-se mais econômico executá-las devido a redução considerável da execução de formas. onde apóiam-se os pilares e paredes da edificação. •Aplicável sobre solo instável ou sujeitos a recalques .

a espessura das diversas camadas ( estratificação ). a profundidade e a extensão da camada mais resistente que deverá receber as cargas da construção. exigindo assim uma consolidação prévia. De uma sondagem que tem por objetivo verificar a natureza do solo. e determinar o tipo da fundação a ser especificada. .INVESTIGAÇÃO DO SOLO Unicamp De uma análise cuidadosa pode mostrar se um terreno tem o solo altamente compressível. De uma verificação do NA.

através da mecânica dos solos definimos e classificamos os materiais que ocorrem na superfície da crosta terrestre em: Rochas-solos rochosos (pedregulhosos) Solos renosos/siltosos (compacíveis). Solos argilosos (consistência). .INVESTIGAÇÃO DO SOLO Unicamp •Uma base prática na construção.

verificando se existem áreas de alagados. • • B)Visitar obras em andamento nas proximidades.• PROCEDIMENTOS BÁSICOS ANTES DE SE DECIDIR PELO Unicamp TIPO DE FUNDAÇÃO EM UM TERRENO A) Visitar o local da obra. encharco afloramento de rochas . • • D) Requisitar uma sondagem geotécnica. • • C) Fazer sondagem a trado (broca) com diâmetro de 2“ ou 4". verificando as soluções adotadas. recolhendo amostras das camadas do solo até atingir a camada resistente. .

RECALQUES

Unicamp

RECALQUES

Unicamp

PLANTA

Unicamp

SONDAGEM POR TREPANAÇÃO Unicamp .

RELATÓRIO DE SONDAGEM Unicamp .

Unicamp Tipos de fundações profundas Fundações de Edifícios ESTACAS ESCAVADAS .

Unicamp Tipos de fundações profundas Fundações de Edifícios PAREDES DIAFRAGMA .

Unicamp Tipos de fundações profundas Fundações de Edifícios ESTACAS HÉLICE CONTÍNUA .

Unicamp Tipos de fundações profundas Fundações de Edifícios ESTACAS TIPO FRANKI .

Unicamp Fundações de Edifícios Tipos de fundações profundas ESTACAS TUBULARES METÁLICAS .

Unicamp Tipos de fundações profundas Fundações de Edifícios ESTACAS RAIZ .

Unicamp Tipos de fundações profundas Fundações de Edifícios TUBULÕES .

Unicamp TRANFERÊNCIA DE CARGAS Fundações de Edifícios Fundações de Edifícios superfície do terreno .

Unicamp TRANFERÊNCIA DE CARGAS Fundações de Edifícios superfície do terreno .

Unicamp TRANFERÊNCIA DE CARGAS Fundações de Edifícios superfície do terreno Bulbo de Pressões .

Unicamp BULBO DE PRESSÕES Fundações de Edifícios Solo resistente Solo pouco resistente .

Unicamp BULBO DE PRESSÕES Fundações de Edifícios Solo resistente PROBLEMAS !!! Solo pouco resistente .

 É influenciada pelas dimensões e pelo posicionamento da fundação. mas depende principalmente da resistência e da compressibilidade do solo e da posição do nível d’água Fundações de Edifícios .Unicamp CONCEITOS • CAPACIDADE DE CARGA  É a carga que provoca a ruptura da fundação.

Unicamp CONCEITOS Fundações de Edifícios • RUPTURA  Ocorre quando a tensão no interior do maciço de fundação supera a resistência do material provocando a destruição da estrutura do solo ou da rocha ao longo de uma determinada superfície (plano de ruptura) .

Unicamp CONCEITOS Fundações de Edifícios • ESCOAMENTO DO SOLO  Quando as tensões atuantes superam a resistência do solo e produzem sua plastificação. o que pode levar a plena ruptura do material  .

Unicamp CONCEITOS • ADENSAMENTO DO SOLO  É uma deformação do solo que ocorre a medida em que a água vai sendo expulsa pelo excesso de pressão aplicada pela fundação .

Unicamp RECALQUES Fundações de Edifícios Aterro (1o estágio) superfície .

Unicamp RECALQUE HOMOGÊNEO Fundações de Edifícios Aterro (2o estágio) superfície deformação no solo de fundação .

Fundações de Edifícios RECALQUE Recalque (mm) tempo Unicamp .

Unicamp RECALQUE DIFERENCIAL Fundações de Edifícios Aterro (2o estágio) superfície deformação maior em uma porção .

Unicamp RECALQUES DIFERENCIAIS Fundações de Edifícios argila mole rocha .

Unicamp RECALQUES DIFERENCIAIS Fundações de Edifícios argila mole rocha .

Unicamp RECALQUES DIFERENCIAIS Fundações de Edifícios paleo vale areia e cascalho rocha sã .

Unicamp RECALQUES DIFERENCIAIS Fundações de Edifícios argila mole rocha sã .

Unicamp RECALQUES DIFERENCIAIS Fundações de Edifícios argila areia compacta rocha sã .

Unicamp RECALQUES DIFERENCIAIS Fundações de Edifícios .

Unicamp TORRE DE PISA Fundações de Edifícios 1174 .1350 22 m 59 m .

3 m) Areia pura (6.3 m) Argila marinha .Unicamp TORRE DE PISA Fundações de Edifícios Areia argilosa (4.

Unicamp TORRE DE PISA Fundações de Edifícios Bulbo de pressões .

Unicamp PRÉDIOS DE SANTOS Fundações de Edifícios Areia pouco argilosa Argila marinha .

Unicamp COMPORTAMENTOS ESPECIAIS Fundações de Edifícios • SOLOS EXPANSÍVEIS Argilas (forma de placas) .

Unicamp COMPORTAMENTOS ESPECIAIS Fundações de Edifícios •SOLOS EXPANSÍVEIS Pressão de expansão Exposição à água Absorção de água Argilas do grupo das ESMECTITAS Típico: solos de alteração de rochas metamórficas .

Unicamp COMPORTAMENTOS ESPECIAIS Fundações de Edifícios •SOLOS COLAPSÍVEIS São os solos não saturados que. Típico: COLÚVIO . quando umedecidos. perdem rapidamente a força de coesão entre os grãos que o compõe e literalmente desabam em sua matriz.

Unicamp COMPORTAMENTOS ESPECIAIS Fundações de Edifícios •SOLOS COLAPSÍVEIS Menisco de água .

Unicamp COMPORTAMENTOS ESPECIAIS Fundações de Edifícios • RELEVOS CÁRSTICOS (com calcários) Causado pelo rebaixamento do lençol freático .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->