Citologia Clínica

João Gonçalves
HUCFF-UFRJ

CITOLOGIA CLÍNICA

CITOPATOLOGIA

CITOLOGIA DIAGNÓSTICA

CITOLOGIA ONCÓTICA

CITOPATOLOGIA

Exame de células oriundas de vários
pontos do organismo para determinar a causa e a natureza da doença.

Histórico Os métodos citológicos datam da metade do século XIX .

as efusões e secreções gástricas .Histórico A. escarro. Paris 1845 F. Donné. Paris 1847 Achados de células anormais nos líquidos corporais: Urina.A Pouchet.

Histórico Enquanto estudava os efeitos hormonais do ciclo menstrual. Papanicolaou descobriu alterações celulares associadas ao câncer do colo uterino .

Papanicolaou e Babés – “pap test” .Histórico 1928.

Histórico George Papanicolaou Aureli Babés .

Aplicações da Citopatologia Triagem para Detecção Precoce de Câncer Assintomático Diagnóstico de Câncer Sintomático Acompanhamento de Pacientes Tratados para Câncer .

pulmão e endométrio são outros órgãos nos quais a citopatologia é útil para a detecção de cânceres em seus estágios iniciais. Bexiga.Triagem para Detecção Precoce de Câncer Assintomático A aplicação mais importante da citopatologia na área de prevenção de câncer é o exame de raspados da cérvice. .

.Diagnóstico de Câncer Sintomático A citopatologia pode ser usada individualmente ou junto a outras modalidades para diagnosticar tumores revelados por exames físicos ou radiológicos.

Acompanhamento de Pacientes Tratados para Câncer Detecção de recidivas Desenvolvimento de metástase .

C – HSIL-DM . D – HSIL –DA/CA IN SITU.Citopatologia cervical A – CÉLULAS NORMAIS . . B – LSIL .

C – HERPES SIMPLES . D –GARDNERELLA VAGINALIS. B – TRICHOMONAS VAGINALIS . .Citopatologia cervical A – CÂNDIDA SPP .

. D –CORPÚSCULO FERRUGINOSO. B – CITOMEGALOVÍRUS . C – PNEUMOCYSTIS CARINII .Citopatologia pulmonar A – EPITÉLIO BRÔNQUICO NORMAL .

G – CARCINOMA DE PEQUENAS CÉLULAS . .Citopatologia pulmonar E – CARCINOMA ESCAMOSO . F – ADENOCARCINOMA . H –TUMOR CARCINÓIDE.

B – LINFOMA MALÍGNO . C – MESOTELIOMA MALÍGNO . D –ADENOCARCINOMA OVARIANO.Citopatologia de efusões A – CÉLULAS MESOTELIAIS BENIGNAS . .

Métodos Citológicos Citologia Esfoliativa Citologia Abrasiva Citologia por Aspiração com Agulha Fina .

Métodos Citológicos "imprint" (técnica onde se "carimba" uma lâmina com o fragmento retirado para estudo. "squash" (técnica onde se "esmigalha" um minúsculo fragmento de tecido entre duas lâminas. .

Escarro Urina Efusões: (pleura. pericárdio e peritôneo) Secreção mamária .Citologia Esfoliativa Exame de células que são passadas espontaneamente para os líquidos ou secreções corporais.

Citologia Esfoliativa .

Citologia Abrasiva Células deslocadas das superfícies corporais ( pele. membranas mucosas e serosas) por diferentes instrumentos Raspados cervicais Escovamento dos tratos gatrointestinais e respiratório Raspado de lesões cutâneas. orais ou conjuntivais .

Citologia Abrasiva .

Citologia Abrasiva

Citologia por Aspiração com Agulha Fina ( PAAF )
Aspiração de células sob pressão negativa através de uma agulha de calibre fino. Qualquer órgão ou tecido pode ter uma amostra colhida por PAAF

PAAF DE TIREÓIDE

PULMÃO FÍGADO .

MAMA .

Citopatologia • O material coletado pode ser diretamente estendido em lâminas imediatamente após a colheita (esfregaço) ou entrifugado (no caso de líquidos). .

Citopatologia Fotomicrografia do exame citopatológico do líquido de derrame pleural. coleta de líquido de derrame pleural para exame citopatológico . com o diagnóstico de carcinoma de pequenas células de pulmão (“oat cell carcinoma”) Derrame pleural de origem indeterminada.

Citopatologia Material para coleta de citologia cérvico-vaginal .

Citopatologia • Após a colocação do material na lâmina. após o qual as lâminas serão submetidas ao processo de coloração. deve-se proceder à fixação imediata em álcool por um tempo mínimo de 30 minutos. .

.Citopatologia Técnica do exame colpocitológico moderna.

.azul (núcleos).Citopatologia • A coloração de rotina costuma ser a de Papanicolaou. verde (citoplasma) e vermelho (citoplasma) Após a coloração as lâminas são montadas com bálsamo e cobertas por lamínulas. Esta coloração produz três cores básicas .

CITOPATOLOGIA X HISTOPATOLOGIA (BIÓPSIAS) Vantagens da Citopatologia Limitações da Citopatologia Precisão dos Métodos Citológicos .

Vantagens da Citopatologia Menos traumatismo Maior superfície de amostragem Tumores de difícil acesso Diagnóstico rápido Maior relação custo-eficácia .

Limitações da Citopatologia Classificação do tipo de tumor Tamanho pequeno da amostra Extensão e profundidade da lesão .

Causas de Erro na Citologia Amostragem inadequada Fixação inadequada Processamento das amostras .

Precisão dos Métodos Citológicos Coletor da amostra Método de obtenção Experiência do citologista .

Precisão dos Métodos Citológicos ESPECIFICIDADE APROXIMA-SE DE 100% PARA DIAGNÓSTICO DE MALIGNIDADE SENSIBILIDADE EM TORNO DE 80-90% VARIAÇÃO COM O TIPO DE AMOSTRA .

MPH. P 9% 0 5% 0 12% -6 cr i or fa ev gai c c l oc p o soi p a 6% 41% 8 -3 Guide to Clinical Preventive Services. Preventive Services Task Force by Steven H. Second Edition Neoplastic Diseases Screening for Cervical Cancer U. MD. e s.S. . Woolf.Precisão dos Métodos Citológicos moo éd t • ct l g . VP s ei . oa io i s ni . b 6% 0 6% 0 4% 3 epcf.

Sistemas de Relato .

Papanicolaou – 1943 (classes) • • • • • CLASSE I CLASSE II CLASSE III CLASSE IV CLASSE V .

Reagan (OMS) – 1953 (displasias) • • • • Displasia leve Displasia moderada Displasia acentuada Carcinoma “in situ” .

Richart-1967 (Neoplasia intraepitelial -NIC) • • • • • HPV NIC I NIC II NIC III Carcinoma invasor .

Neoplasia intraepitelial • • • • NIC .VAGINAL NIV .CERVICAL NIVA .VULVAR NIA .ANAL .

BETHESDA • 1988 • 1991 • 2001 .

E p it e lia l B a ix o G r a u ( H P V / N IC I ) A llt o G r a u ( N IC II/ N IC III ) C A R C IN O M A IN V A S O R Escam oso A d e n o c a r c in o m a . R e a c io n a is M ic r o f lo r a L e s ã o In t r a .S IS T E M A B E T H E S D A Q u a lid a d e d a a m o s t r a S a t is f a t ó r io S a t is f a t ó r io m a s lim it a d o In s a t is f a t ó r io A t ip ia s d e S ig n if ic a d o In d e t e r m in a d o ASCUS AGUS D e s c r it iv o A lt .

Qualidade da amostra Amostra insatisfatória • • • • • • Lâminas quebradas Ausência de identificação Artefatos de dessecamento Superposição Obscurecimento Outras (especificar) .

Obscurecimento por sangue .

Obscurecimento por exsudato inflamatório e sangue .

Alterações celulares benignas • • • • • • Inflamação Reparação Metaplasia escamosa imatura Atrofia com inflamação Radiação Outras (especificar) .

Microbiologia • • • • • • • Lactobacillus sp CocosBacilos Sugestivo de Gardnerella vaginalis Candida sp Trichomonas vaginalis Sugestivo de Chlamydia sp Actinomyces sp Efeito citopático compatível com vírus do grupo Herpes • Outros .

Células epiteliais atípicas (significado indeterminado) • Escamosas • Glandulares • De origem indeterminada .

mas que.DEFINIÇÃO (ASCUS) “Anormalidades celulares mais evidentes do que aquelas atribuídas as alterações reativas. qualitativamente ou quantitativamente não permitem com segurança o diagnóstico definitivo de lesão intra-epitelial escamosa” Bethesda .

mas que carecem de características inequívocas de adenocarcinoma invasivo “ Bethesda . a alterações reativas ou reparatórias. obviamente.DEFINIÇÃO (AGUS) “ Células mostrando diferenciação endocervical ou endometrial com atipia nuclear que excede.

( Sistema Bethesda) .displasia/ carcinoma in situ e NIC.Lesão Intra-Epitelial Cervical Conceito Espectro de anormalidades não invasivas epiteliais cervicais tradicionalmente classificadas como condilomas planos.

Lesão Intra-Epitelial Cervical (SIL) Lesão Intra-Epitelial Cervical de baixo grau(LSIL) Lesão Intra-Epitelial Cervical de alto grau(HSIL) .

Lesão Intra-Epitelial Cervical (SIL) Lesão Intra-Epitelial Cervical de baixo grau (LSIL) Efeito Citopático por (HPV) e displasia leve ou NIC I – Neoplasia intra-epitelial cervical grau I .

Lesão Intra-Epitelial Cervical (SIL) Lesão Intra-Epitelial Cervical de alto grau (HSIL) Displasia moderada . displasia acentuada e Carcinoma escamoso “in situ” NIC II – Neoplasia intra-epitelial cervical grau II NIC III – Neoplasia intra-epitelial cervical grau III .

Sistemas de Relato .

Parâmetros Morfológicos Utilizados na Avaliação Citológica Celularidade da Amostra Arranjo Celular Tamanho e Forma Celulares Citoplasma Núcleo Mitoses Material Extracelular e Fundo Celular .

.

Células escamosas normais sob diferentes influências hormonais .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful