Você está na página 1de 62

Relatório Anual 2007

Principais Indicadores Operacionais


Total 2007 2006 2005 2004 2003
Passageiros transportados pagos (milhares) 27.850 25.022 19.571 13.522 11.198
RPK (milhões) 33.500 26.289 19.797 13.854 10.916
ASK (milhões) 47.599 35.564 28.024 20.999 18.003
Taxa de ocupação (Load factor) - % 70,4 73,9 70,6 66,0 60,6
Taxa de ocupação de equilíbrio (BELF) - % 68,1 63,9 65,3 58,8 61,2
Tarifa média geral 250 268 267 305,2 286,5
Horas voadas 462.380 390.839 323.729 241.685 210.281
Quilômetros voados por aeronave (milhares) 273.056 226.344 185.158 139.367 119.984
Litros de combustível (milhares) 1.739.430 1.336.917 1.073.872 820.335 710.962
Utilização de aeronaves (horas por dia) 12,6 12.66 11.36 8,87 7,58
Utilização de aeronaves trilho (horas por dia)(1) 13,4 13,17 - - -
Números de etapas 261.171 245.163 209.831 158.898 147.122
Etapa média 1.046 923 882 877 816
o
N. de funcionários 20.469 13.195 9.669 8.215 7.665
(2) (3)
RASK total (centavos de real) 17,12 20,65 20,16 21,50 19,90
Yield total (centavos de real)(2) (4)
Mercado Doméstico
25,30 29,29 29,85 34,24 34,52 ÍNDICE
Passageiros transportados pagos (milhares) 24.150 22.533 17.807 12.328 10.593
RPK doméstico (milhões) 21.368 18.987 14.595 10.088 8.321
Introdução 3
RPK doméstico regular (milhões) 19.991 16.988 12.626 8.576 7396 Mensagem do Presidente 4
ASK doméstico (milhões) 30.383 25.965 20.889 15.663 14.353 A Companhia 9
ASK doméstico regular (milhões) 28.765 23.601 18.622 13.856 13.232
Estratégia da TAM 13
Taxa de ocupação doméstico (Load factor) - % 70,3 73,1 69,9 64,4 58,0
Market share - % 48,9 47,8 43,5 35,8 33,0 Estrutura e Funcionamento 17
RASK regular doméstico (centavos de real) 15,51 19,88 20,30 20,70 18,09 A Atividade Empresarial 21
Yield doméstico Regular (centavos de real) 23,42 29,05 31,42 35,21 34,26 Investimentos e Perspectivas 37
Mercado Internacional*
Mapas de Rotas 40
Passageiros transportados pagos (milhares) 3.701 2.489 1.764 1.194 605
RPK internacional (milhões) 12.133 7.302 5.202 3.766 2.596 Prêmios Recebidos 43
RPK internacional regular (milhões) 11.947 7.112 5.029 3.636 2.531 O Balanço Social 45
ASK internacional (milhões) 17.216 9.599 7.136 5.336 3.650
Glossário 51
ASK internacional regular (milhões) 16.945 9.323 6.871 5.091 3.531
Taxa de ocupação internacional (Load factor) - % 70,5 76,1 72,9 70,6 71,1 Informações Corporativas 55
Market share 67,5 37,3 18,8 14,3 12,0 BR GAAP 59
RASK regular internacional (centavos de real) 12,44 16,21 14,70 17,09 19,24
US GAAP 97
Yield regular internacional (centavos de real) 17,66 21,28 20,10 23,96 26,65
* Obs.: O mercado internacional inclui as estatísticas da TAM Mercosul e esses dados não fazem parte dos dados da ANAC.
(1) Não inclui aeronaves reserva ou em manutenção. (2) Inclui receitas de passageiros, cargas e outras. (3) Líquido de impostos. (4) Bruto de impostos.

TAM Relatório Anual 2007 1


INTRODUÇÃO

Em 17 de julho de 2007, a aeronave Airbus A320, vôo • Serviço de atendimento telefônico gratuito e site de acesso
3054, que partiu de Porto Alegre, às 17h16, com destino restrito aos familiares previamente cadastrados, para que
a Congonhas, sofreu um acidente durante o pouso no lhes sejam prestadas informações relativas à apuração do
aeroporto em São Paulo, saindo da pista e chocando-se acidente, procedimentos para recebimentos de indenizações,
com o prédio da TAM Express. seguros e outras orientações;
Não houve sobrevivente entre os 163 passageiros, 18 A TAM e órgãos que compõem o Sistema Nacional de Defesa
funcionários da Companhia e 6 tripulantes. Outras 12 pessoas do Consumidor (SNDC) – Ministério Público Estadual (SP),
em solo também faleceram, sendo sete funcionários da TAM Defensoria Pública (SP), Fundação Procon do Estado de São Paulo
Express e quatro colaboradores de empresas prestadoras de e Secretaria de Direito Econômico do Ministério da Justiça –
serviços que se encontravam no prédio do terminal de cargas estabeleceram os parâmetros para a implementação de uma
no momento do acidente, além de um taxista que se inédita Câmara de Indenização destinada ao atendimento
encontrava próximo ao prédio, totalizando 199 vítimas. dos familiares das vítimas do vôo 3054. O acordo para a criação
Desde o primeiro momento dedicamos nossos melhores da Câmara foi apresentado aos familiares. É um instrumento
esforços para oferecer assistência às famílias das vítimas opcional para obtenção da indenização em que os familiares
e prestar informações a familiares, funcionários, sociedade decidem se querem participar ou não.
e investidores. Entre as medidas implementadas, destacam-se: Participarão da câmara representantes da TAM,
• Acionamento de linha gratuita para informações acerca do vôo da seguradora Unibanco AIG e de todos os órgãos públicos
– 0800 117900, assistência psicológica e apoio a familiares envolvidos. Os órgãos públicos serão responsáveis por certificar
a aplicação dos parâmetros definidos previamente com base
quanto a transporte, hospedagem e outras necessidades;
em jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ)
• Acionamento do Programa Especial de Assistência
e observância do procedimento padrão que inclui desde
ao Cliente em Emergências (Peace), equipe formada
a entrega de documentos até o efetivo pagamento de valores.
por funcionários da empresa treinados para dar suporte
Um dos principais benefícios da criação da Câmara
Lamentamos profundamente em situações como essa;
de Indenização é que o pagamento dos valores poderá ser
• Deslocamentos de equipes para os diversos locais em que
o trágico acidente no qual ações de assistência têm sido necessárias;
feito até 20 dias após a assinatura do acordo e homologação
da indenização. O prazo é muito inferior ao que a Justiça
perdemos passageiros e • Estabelecimento de dois escritórios, em São Paulo e Porto normalmente leva para homologações do gênero.
Alegre, em conjunto com a Unibanco AIG, para atendimento Lamentamos profundamente o trágico acidente no qual
funcionários com longo aos familiares das vítimas, com o objetivo de agilizar perdemos passageiros e funcionários com longo tempo de casa.
tempo de casa. Como todas as indenizações oferecendo o suporte necessário; Como todas as partes envolvidas, aguardamos a conclusão das
• Apoio às autoridades para os procedimentos investigações que estão sendo realizadas pelo Cenipa (Centro
as partes envolvidas, de investigação do acidente aeronáutico. de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), Polícia
aguardamos a conclusão Foram seguidas as normas IAC 200-1001 (Instrução de Aviação Federal e Polícia Civil de São Paulo.
Civil que trata de Assistência às Famílias), bem como a NSCA Decorrente desse fato, o ambiente regulatório brasileiro sofreu
das investigações que estão (Norma de Sistema e Comando da Aeronáutica) do Sistema SIPAER algumas modificações, com restrições às operações no aeroporto
sendo realizadas pelo Cenipa, (Sistema de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos). de Congonhas, redução do número total de slots por hora. A malha
Assinamos em setembro de 2007 um inédito Termo de aérea da Companhia sofreu impacto com a transferência de 30
Polícia Federal e Polícia Civil Compromisso com a sede da Secretaria de Justiça do Estado de São vôos para o Aeroporto de Guarulhos e cancelamentos de outros
de São Paulo Paulo, juntamente com a Defensoria Pública, Ministério Público 11 vôos, o que nos causou uma redução de aproximadamente
e Fundação Procon, que garante que continuaremos provendo: 0,5 hora na utilização média diária de nossas aeronaves.
• Assistência médica, psicológica e psiquiátrica aos familiares Além disso, foi adotada a redistribuição dos espaços nos
pelo prazo de 24 meses, acima dos padrões internacionais aeroportos para permitir a acomodação de um maior número
de assistência; de passageiros em Guarulhos, melhorando a eficiência do
• Pagamento de despesas relativas às passagens aéreas, check-in e do despacho de bagagens.
traslado, alimentação, acomodação de dois familiares por Com o cenário complexo e as adversidades vividas pelo setor
vítima, permitindo e facilitando-lhes a presença em nesse ano, aliado à forte competição, tivemos uma queda no lucro
reuniões que tenham sido convocadas pelas autoridades; líquido de 76,8% e uma desvalorização em nossa ação de 36,3%.

2 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 3


Comandante Com uma proposta completa
David Barioni Neto
Presidente da TAM e oferta de serviços diferenciados
de alta qualidade, sob uma única
marca, servimos a uma ampla
MENSAGEM gama de clientes, abrangendo
desde as viagens de negócios
DO PRESIDENTE às de lazer

Trazemos à luz os resultados de 2007 sob o signo da nossa operação para Paris (França) com um terceiro vôo diário, disso, assinamos acordo de empréstimo com o banco Calyon de seus processos. Além de sermos Nível 2 de Governança
superação do “caos aéreo” que marcou o final de 2006. inauguramos vôos diários para Milão (Itália), Frankfurt e outros bancos para financiar até US$ 330,9 milhões em Corporativa da Bovespa, em função da listagem de nossas
Um ano depois, a TAM foi líder de pontualidade entre as (Alemanha) e Madri (Espanha). operações de adiantamento (pré-delivery payment – PDP) ações na Bolsa de Valores de Nova York, concluímos em
empresas aéreas nos feriados prolongados de Natal e do Ano Outro importante passo em nossas operações de 4 aeronaves Boeing contratadas junto à fabricante norte- 2007 – com antecedência de um ano ao prazo estabelecido –
Novo, com o índice médio diário de 92,2% no Natal e 96,8% internacionais no ano de 2007 foi o estabelecimento americana. Em 31 de dezembro de 2007, o saldo desse os trabalhos exigidos pela seção 404 da Lei Sarbanes-Oxley
no Ano Novo, segundo dados oficiais da Infraero. Os esforços de parcerias estratégicas de “code-share” (acordos operacionais empréstimo era de R$ 516,7 milhões. Também assinamos (SOX) relativos aos controles internos sobre demonstrações
feitos no planejamento da malha aérea, no aperfeiçoamento de compartilhamento de vôos) com quatro grupos do setor acordo de empréstimo com o banco BNP Paribas para financiar contábeis consolidadas.
operacional e o trabalho dedicado de toda a equipe garantiram aéreo internacional que detêm posições de liderança em até US$ 117,1 milhões em operações de adiantamento de Com uma proposta completa e oferta de serviços
esse patamar de pontualidade, que vem sendo mantido nos seus respectivos mercados – TAP, Aliança LAN, United Airlines 30 aeronaves contratadas junto à Airbus, com entregas diferenciados de alta qualidade, sob uma única marca, servimos
períodos mais críticos deste início de ano. e Lufthansa. Os acordos estendem aos nossos clientes os programadas até 2010. Essas captações contribuíram para a uma ampla gama de clientes, abrangendo desde as viagens
Apesar das fortes turbulências, o mercado doméstico benefícios e vantagens dos programas de fidelização das fortalecer o caixa da companhia. No ano anterior, realizamos de negócios às de lazer. Com base nessa estratégia, lançamos
de aviação civil registrou em 2007 um crescimento de 12% empresas parceiras. uma oferta pública de ações simultaneamente no Brasil e no o sistema de Perfis de Tarifas que se consolidou ao longo
no volume de passageiros-quilômetro transportados (RPK). Nossa estratégia contempla ainda a ampliação de nossa exterior, quando fizemos nossa estréia na Bolsa de Valores de 2007 e consiste em cinco perfis de tarifas denominados
Nesse ambiente, a TAM cresceu 14% e consolidou sua posição malha doméstica por meio dos acordos comerciais com as de Nova York (NYSE) e captamos R$ 1,6 bilhão, além do Promo, Light, Flex, Max e Top, apresentando claramente
de liderança com uma participação acumulada no ano de empresas de aviação regional NHT, Passaredo, Total e Trip, lançamento de debêntures simples no valor de R$ 500 milhões. as características do bilhete para que o passageiro faça a
48,9%. Mais expressivo ainda foi o salto da companhia no que ampliam para 79 o número de destinos atendidos pela Paralelamente à expansão da frota, a TAM orientou seus sua escolha de acordo com as suas necessidades de viagem.
segmento das linhas internacionais operadas por empresas companhia em território nacional. esforços para assegurar as melhores práticas de operação Aos perfis de tarifas vieram se somar novas modalidades
aéreas brasileiras: enquanto o setor recuou 5%, o volume Definimos um plano de frota de longo prazo consistente e manutenção. Desde janeiro de 2007, a empresa é a única de pagamento implementadas no primeiro semestre do ano
de RPK da TAM evoluiu 71% no ano passado, e nosso market e flexível para sustentar a expansão nos mercados companhia aérea brasileira a ter a certificação IOSA (IATA passado, com mais facilidades aos passageiros que adquirem
share saltou de 37,5% (2006) para 67,5% em 2007. internacional e doméstico. A TAM mantém pedidos firmes Operational Safety Audit). O IOSA foi renovado até janeiro de seus bilhetes aéreos diretamente pelo website ou call center;
Atingimos ainda a liderança do Hemisfério Sul em junto à Airbus e à Boeing. Encerramos o ano de 2007 com 2010 após a conclusão do processo de auditoria realizado por pagamentos em casas lotéricas e em bancos, via débito
operações e passageiros transportados, com as médias uma frota de 115 aeronaves com idade média de 6,7 anos, técnicos independentes e credenciados pela IATA (International automático ou boleto bancário, além da compra da passagem
mensais de 21.800 operações e de 2,251 milhões de que é uma das menores do mercado global de aviação. Air Transport Association), em novembro de 2007. A auditoria financiada por meio do crédito direto ao consumidor.
passageiros (dados dos segundo e terceiro trimestres). Os quatro primeiros Boeing 777 devem entrar em operação atestou a conformidade da companhia em 940 requisitos de Elas complementam as outras formas tradicionais utilizadas
Essa forte expansão foi ancorada na abertura de seis novas em nossa malha internacional a partir do mês de julho. segurança e qualidade operacional. como dinheiro ou cartão de crédito.
rotas internacionais ao longo do ano. Iniciamos vôos diários Em 2007, captamos o equivalente a US$ 300 milhões Nossa companhia está fortemente comprometida com Na busca pela oferta de serviços diferenciados a preços
para Caracas (Venezuela), Montevidéu (Uruguai) e Córdoba por meio de oferta de bônus no exterior, com vencimento em as melhores práticas de governança corporativa e em competitivos, implementamos um plano de tarifas
(Argentina), na América do Sul. Na Europa, onde reforçamos 2017, para financiar a renovação e expansão da frota. Além assegurar transparência e um elevado padrão de controle promocionais nos horários de baixa demanda, para elevar

4 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 5


a taxa de ocupação de nossas aeronaves. Atraímos assim Centro Tecnológico da TAM em São Carlos representou 0,5% Quero encerrar esta mensagem com uma homenagem
os passageiros de lazer, que privilegiam o fator preço e tendem de nosso faturamento total. Acreditamos que a maturidade e uma palavra de solidariedade aos familiares das 199 vítimas
a ser mais flexíveis na programação de suas viagens. operacional da nova unidade ocorrerá em dois anos. do acidente com uma de nossas aeronaves, quando pousava
Nos vôos internacionais de longo curso, a configuração Seu potencial é promissor, considerando-se que os principais no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, no dia 17 de julho Definimos um plano
de nossas aeronaves permite atender desde a sofisticação mercados da aviação mundial continuam com forte demanda de 2007. Perdemos, nesse dia, passageiros, tripulantes e de frota de longo
exigida pelos passageiros da Primeira Classe às necessidades por aeronaves e os fabricantes de aviões bateram recordes funcionários, além de clientes de nossa unidade de cargas
dos viajantes de negócios da Classe Executiva e dos clientes nos pedidos em carteira nos últimos dois anos. e transeuntes no local. Neste relatório, apresentamos as prazo consistente
que viajam a lazer na Classe Econômica. A terceira área é o Programa Fidelidade TAM, que também providências que temos tomado, desde o primeiro momento, e flexível para
Outra medida relevante adotada no final de 2007, efetivada ainda não está estruturada como unidade de negócios mas para a assistência às famílias e para o pagamento das
em 2008, foi o acordo que assinamos com a ABAV (Associação já se constitui em fonte de receitas para a companhia indenizações – com o reconhecimento de que, apesar de sustentar a expansão
Brasileira de Agências de Viagens). Estabelecemos uma nova em função de parcerias firmadas com diversas empresas. necessários e devidos, valores materiais não trarão de volta nos mercados
metodologia para pagamento da remuneração dos agentes Contamos atualmente com mais de 4,5 milhões de associados os entes queridos que pereceram na tragédia.
de viagem que resulta em mais transparência sobre o serviço ao programa e já foram distribuídos mais de 5,2 milhões de internacional e
adquirido pelo passageiro. Além dessa transparência, o novo bilhetes gratuitamente, por meio do resgate de pontos. Nossa Comandante David Barioni Neto doméstico. A TAM
sistema é também um reconhecimento à prestação de estratégia consiste em fidelizar cada vez mais passageiros, Presidente da TAM
serviços do agente de viagens e permite à TAM maior o que nos permitirá aumentar as receitas com vendas de mantém pedidos firmes
controle sobre seus custos. pontos, que em 2007 apresentaram crescimento de 40%. junto à Airbus e a
Concluímos no primeiro trimestre do ano passado o projeto Ao longo de todo o ano de 2007, a TAM amadureceu
de reformulação de 54 bases nacionais, com a incorporação estudos e reflexões que resultaram no reposicionamento Boeing. Encerramos
em nosso quadro de funcionários diretos de aproximadamente da empresa a partir do fortalecimento do Espírito de Servir,
6.000 pessoas que integravam as equipes de aeroporto, rampa legado do fundador da companhia, comandante Rolim Amaro.
o ano de 2007 com
(atendimento de pista na área de bagagens e cargas), lojas “Paixão por Voar e Servir”, mais que um slogan publicitário, uma frota de 115
e contatos comerciais das empresas que prestavam serviços expressa a essência da companhia. O trabalho, um amplo e
terceirizados à companhia. A reformulação permitiu a criação de profundo estudo de branding, foi iniciado pelo meu antecessor
aeronaves com idade
uma única cultura corporativa e a unificação da política comercial, na Presidência da TAM, Marco Antonio Bologna, em setembro média de 6,7 anos
melhorando a sinergia entre as equipes de atendimento. de 2006. O projeto envolveu todo o nosso quadro atual de
A incorporação contribuiu para o forte crescimento de mais de 22 mil funcionários, que fizeram a assinatura
55% no quadro de funcionários diretos, que passou de 13.195 simbólica do compromisso de todos com a busca da excelência
pessoas em 2006 para 20.469 no final de 2007. no serviço aos nossos clientes.
Em contrapartida, proporcionou uma economia anual Com a Visão de que “Trabalhar com espírito de servir faz
de custos da ordem de R$ 85 milhões. as pessoas mais felizes”, entramos agora em um novo ciclo
Numa diretriz estratégica de “unlocking value”, para cumprir a Missão que escolhemos: ser “A companhia
identificamos importantes oportunidades de aumento de nossas aérea preferida das pessoas, com alegria, criatividade, respeito
receitas em atividades adjacentes à nossa operação principal. e responsabilidade”.
Uma delas é a área de transporte de cargas, já estruturada Em novembro de 2007, convidado pelo meu antecessor
na unidade de negócios TAM Cargo e que apresenta um forte Marco Antonio Bologna e pela família Amaro, tive a honra
potencial de crescimento a partir de 2008, devido à de assumir a Presidência da TAM. Assumi o desafio de dar
substituição dos Fokker-100 pelas aeronaves Airbus da família continuidade à gestão de Bologna que, com notável
A320 e o aumento das nossas operações internacionais. Em competência e liderança, dotou a companhia de modernos
2007, a receita de cargas cresceu 59,7% e representou 9,5% padrões de governança, abriu seu capital e consolidou
do faturamento total da companhia. financeiramente a empresa. Neste novo ciclo, queremos
Criamos a Vice-Presidência de MRO (Maintenance Repair consolidar nossa posição de maior empresa aérea do
and Overhaul) São Carlos, que começou a ser estruturada em Hemisfério Sul e transformar a TAM em referência mundial
janeiro deste ano como unidade de negócios de prestação de da aviação, sustentando nossa atuação em três pilares:
serviços de manutenção de aeronaves para terceiros. No ano excelência de serviços, excelência técnico-operacional
passado, a receita com serviços prestados a terceiros pelo e excelência na gestão da companhia.

6 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 7


Com uma atuação apoiada em
três eixos – Excelência no Serviço; A COMPANHIA
Excelência Técnico-Operacional;
e Excelência na Gestão, o
comandante Barioni Neto terá
a tarefa de manter a TAM
como a melhor e maior empresa
aérea da América Latina

Breve Histórico difícil missão de conduzir a empresa em meio a grave crise


do setor, além da retração econômica. Continuamos crescendo
Somos uma companhia que demonstra, ao longo de seus e trazendo mais aeronaves da fabricante Airbus.
31 anos, uma história de crescimento sustentado e capacidade Reestruturamos a malha aérea da Companhia para iniciar
de adaptação comprovada aos diversos momentos pelos quais o compartilhamento de vôos com a Varig, lançamos
passou a aviação civil no Brasil e no mundo. o e-TAM Auto-Atendimento, facilitando o check-in
Nossa história começou em 1976 com o surgimento da TAM de nossos passageiros.
– Transportes Aéreos Regionais, que deu origem à TAM Linhas Em 2004, iniciou-se o Ciclo de Estruturação Financeira,
Aéreas, inicialmente com uma operação de táxi aéreo no pelo então vice-presidente Financeiro, Marco Antonio Bologna,
interior de São Paulo, Paraná e Mato Grosso. Ao longo de nossos que assumiu a Presidência. Com notável competência
31 anos passamos por alguns ciclos até chegar os dias atuais. e liderança, dotou a companhia de modernos padrões
Começamos com um ciclo de crescimento com a marca do de governança, abriu seu capital e consolidou financeiramente
comandante Rolim Amaro, nosso fundador, que transformou a a empresa, possibilitando a expansão acelerada da frota e nos
aviação comercial brasileira. Neste primeiro ciclo, operávamos levando à liderança do mercado doméstico e internacional.
aviões bimotores seguidos da entrada das aeronaves da família Fortalecemos nossa malha internacional com novos vôos para
Fokker. Nessa década a Companhia começou a atender os Estados Unidos, Europa e América do Sul e também nossos
as regiões Centro-Oeste e Norte do País e atingiu a marca pedidos de compras de aeronaves Airbus. Começamos nessa
de 1 milhão de passageiros transportados. época o processo de substituição das aeronaves F-100.
Já a década de 90 foi marcada pelo início das operações Com o nosso fortalecimento no mercado doméstico,
das aeronaves Fokker-100, pelo lançamento do Programa estabelecemos acordos com companhias aéreas regionais,
Fidelidade, pela Companhia começar a atender todo o território aumentando nossa gama de destinos oferecidos aos nossos
brasileiro e pela criação da TAM Mercosur. Nessa época passageiros e, desde meados de 2003, mantemos a liderança
efetuamos a compra de um terreno de 447 hectares em no mercado doméstico.
São Carlos, no interior de São Paulo, onde hoje está instalado No final de novembro de 2007, possuíamos 3 destinos para
o nosso Centro Tecnológico. Já no final da década, a TAM a Europa – Paris, Londres, Milão – ancorados com acordos de
lançou os e-tickets e incorporou à sua frota as primeiras compartilhamento de vôos (code-share) com as empresas-
aeronaves A330, permitindo o início das operações internacionais chave nos destinos aos quais atendemos. Entramos no terceiro
para Miami e para Paris (em parceria com a Air France). ciclo da Companhia com o Comandante David Barioni Neto
Havíamos nos estruturado para continuar nosso crescimento, assumindo a presidência da TAM, convidado por Bologna e
porém, em 2001, sofremos a morte prematura do comandante pela família Amaro, para assumir a Presidência da TAM. Com
Rolim e os ataques terroristas de 11 de setembro nos EUA que uma atuação apoiada em três eixos – Excelência no Serviço;
levaram a aviação a entrar em um momento crítico. Excelência Técnico-Operacional; e Excelência na Gestão, o
Diante dos fatos, Daniel Mandelli Martin tomou posse na comandante Barioni Neto terá a tarefa de manter a TAM
presidência da Companhia nesse ciclo de sobrevivência com a como a melhor e maior empresa aérea da América Latina.

8 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 9


Perfil Corporativo Crescimento Base
2.6 RPK Doméstico
Crescimento da Indústria dos Mercados Doméstico
e Internacional 2007 Vs. 2006 (Base 100)
Market Share Doméstico
50 % 48,9%
Somos uma companhia que presta serviços de transporte TAM 47,8%
2.4 Variação da Demanda
aéreo regular no Brasil e no exterior. Mantivemos a 43,5%
40
liderança, tanto no mercado doméstico com uma 2.2 150 35,8%
Internacional
participação acumulada de 48,9% no ano de 2007, quanto 33,0%
2.0 RPK Doméstico
no mercado internacional de aviação com 67,5% no mesmo Indústria 30
1.8 130
período, (considerando-se apenas as linhas para o exterior Doméstico
operadas pelas companhias aéreas brasileiras), medido em 1.6
20
110
RPKs, conforme dados da Agência Nacional de Aviação Civil 1.4
(ANAC). Através de nossas linhas regulares de transporte 1.2 PIB 10
aéreo de passageiros e cargas, atendemos a 47 cidades, 90
1.0
e com nossas parcerias comerciais, outros 34 destinos
nacionais. No mercado internacional, atendemos 0.8 0
70
diretamente a 17 destinos, sendo: Nova York e Miami 2003 2004 2005 2006 2007 2003 2004 2005 2006 2007
nos EUA; Paris (França), Londres (Inglaterra), Milão (Itália),
Frankfurt (Alemanha) e Madri (Espanha) na Europa, e para Temos uma forte cultura corporativa, legado de nosso 50 Nossa oferta doméstica (medida em ASKs) cresceu 18,2%
Buenos Aires e Córdoba (Argentina), Santa Cruz de la Sierra fundador, que permeia todos os níveis da companhia e continua jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez em 2007 comparada com 2006. Parte do acréscimo de ASKs
e Cochabamba (Bolívia), Santiago (Chile), Assunção e Ciudad a nortear as ações da Administração em seu dia-a-dia. Essa domésticos foi devido ao aumento de 24 aeronaves narrow
del Este (Paraguai), Montevidéu e Punta del Este (Uruguai) cultura é evidenciada por toda nossa linha de frente e integra bodies em nossa frota ativa em 2007. Entretanto, o maior
e Caracas (Venezuela), na América do Sul. Fornecemos os treinamentos oferecidos aos novos colaboradores de forma Variação da Oferta impacto foi proveniente da conclusão do adensamento de nossas
conexões para diversos outros destinos fora do Brasil que toda a companhia atue em consonância com as melhores aeronaves (de 138 para 144 assentos no A319 e de 168 para
nos EUA, Europa, Ásia, África e Oriente Médio por meio práticas e nosso diferencial de serviços. 180
Internacional
174 no A320) sem alterar a sensação de conforto do passageiro.
de acordos comerciais com várias empresas internacionais. Transmitimos constantemente aos nossos funcionários nossa No mercado internacional, considerando-se exclusivamente
missão de ser a companhia aérea preferida das pessoas, com 160 as operações para o exterior de empresas brasileiras, continuamos
Além disso, firmamos acordos code-share que comentaremos
na seção “Receita”. alegria, criatividade, respeito e responsabilidade. crescendo constantemente, verificado no aumento da nossa
140 participação de mercado de 37,5% no ano de 2006, para 67,5%
Oferecemos maior conveniência aos nossos passageiros
Doméstico no ano de 2007, gerando uma evolução de RPKs de 70,6% no
em termos de freqüência e vôos diretos entre os principais
aeroportos do Brasil a preços competitivos. Transportamos O Setor e a Companhia 120
período, sem considerar as operações da TAM Mercosur.
24,1 milhões de passageiros em vôos domésticos e 3,7 A seguir estaremos discorrendo sobre os resultados
100 Market Share Internacional
milhões de passageiros em vôos internacionais no ano, obtidos neste ano pela companhia, bem como os resultados
totalizando 27,8 milhões de passageiros transportados. do setor de aviação. 80
80 %
Com o objetivo de atender à demanda do mercado brasileiro,
desenvolvemos atividades para o mercado executivo, de
Desempenho do Setor 67,5%
60
turismo, lazer e cargas, visando ao melhor aproveitamento O mercado doméstico apresentou crescimento na demanda 60
jan fev mar abr mai jun jul ago set out nov dez
de nossas aeronaves. (RPK) de 11,9%, em 2007 na comparação com 2006, e aumento
A TAM encerrou o ano com uma frota de 115 aeronaves de 16,3% na oferta de assentos (ASK), no mesmo período. Em
arrendadas, composta predominantemente por Airbus decorrência, a taxa de ocupação da indústria apresentou uma Desempenho da Companhia 40 37,3%
modelos A340, A330, A321, A320 e A319, bem como redução de 2,7 p.p., atingindo 68,8% em 2007 vs. 71,5% em 2006. No mercado doméstico crescemos, aproximadamente,
aeronaves modelo Fokker-100 e Boeing MD-11. O quadro O mercado internacional, considerando-se exclusivamente 1,2 vez mais do que a indústria de aviação civil. Nosso
as linhas operadas por empresas brasileiras, apresentou uma 20 18,8%
de funcionários da empresa chegou a 20.469 pessoas. crescimento foi de 14% em RPKs, quando comparado 2007 14,3%
12,0%
Demonstrando o potencial de expansão do setor de queda na demanda de 5,1%, e um aumento na oferta de 6,8%, com 2006, devido à captura de 0,9 p.p. de participação de
aviação brasileiro, nos últimos 5 anos, apresentamos na comparação entre o ano de 2007 e 2006. Esses fatores mercado, encerrando o ano de 2007 com uma média de
levaram a uma diminuição na taxa de ocupação da indústria, 0
crescimento significativamente superior ao do mercado 48,9%. A maior parte deste aumento de participação foi
doméstico, conforme ilustrado no gráfico a seguir: de 74,1% para 65,8%, em 2006 e 2007, respectivamente. devido à nossa expansão de oferta com a renovação da 2003 2004 2005 2006 2007

nossa frota, substituindo as aeronaves F-100 por De acordo com dados publicados pela ANAC, o aumento
aeronaves de maior capacidade, aliada a uma política da oferta foi de 85,3% em 2007 na comparação com 2006.
de preço competitiva. Esse crescimento foi devido ao início da 2ª freqüência diária para
Nova York, dos vôos diários para de Londres em 2006, refletindo
o crescimento na totalidade do ano de 2007 além do início
da terceira freqüência para Paris e dos lançamentos dos vôos
diários para Córdoba, Milão, Caracas, Montevidéu, Frankfurt
e Madri durante o ano de 2007.

10 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 11


A nossa meta principal ESTRATÉGIA
é consolidar a liderança
nos mercados doméstico DA TAM
e internacional de passageiros
visando a altos níveis
de rentabilidade

Nossa Estratégia Reduzir Custos Operacionais, Otimizando


a Utilização da Frota e dos Processos
A nossa meta principal é consolidar a liderança no Atingiremos esse objetivo através da manutenção de
mercado doméstico e internacional de passageiros visando uma frota padronizada, eficiente e flexível, aumento da
a altos níveis de rentabilidade, fundamentado em nossos produtividade por meio de redesenho de processos e utilização
três pilares de excelência: de tecnologia e obtendo ganhos de economia de escala com o
• Serviço – foco no “espírito de servir”, atendimento crescimento de nossas atividades.
e diferenciação do produto.
• Técnico - Operacional – foco na segurança, qualidade Aumentar a Receita com Rentabilidade,
da operação e eficiência técnico-operacional. Servindo um Maior Número de Passageiros,
• Gestão – foco nas melhores pessoas, mais motivadas, Oferecendo Preços Competitivos
cultura do alto desempenho, de eficiência e de custos Mantemos melhor relação valor-preço do mercado doméstico,
controlados, processo de orçamento eficaz, elevada com serviços mais convenientes, atendimento de maior qualidade
utilização de capital, centros de excelência e conceito a preços competitivos, através de nossa dinâmica de precificação
de parceiros de negócios. que os passageiros podem observar com transparência, que
consiste em tarifas mais competitivas nos horários com menor
Nossa Estratégia para Alcançar esses Objetivos é: demanda e buscando fontes alternativas de receita:
Continuar Oferecendo um Serviço Superior aos • Receita de cargas: Devido à substituição dos aviões
Nossos Clientes sobre uma Única Marca Forte F-100 por aeronaves de maior capacidade e ao aumento
Uma das nossas estratégias-chave é o atendimento de nossas operações internacionais teremos um
diferenciado e de alta qualidade. Procuramos, consistentemente, crescimento expressivo.
tornar a viagem mais conveniente e prazerosa para os nossos • Programa Fidelidade TAM: Fidelizando cada vez mais
passageiros, aperfeiçoando nosso serviço e reforçando o passageiros, aumentaremos as receitas com vendas de
comprometimento da empresa com o cliente. Com o plano pontos. Comentaremos mais sobre o Programa Fidelidade
de buscar mais passageiros a lazer, elevando a taxa de ocupação TAM a seguir.
das aeronaves nos vôos em horários de baixa demanda, além • MRO (Manutenção, reparos e revisão): Temos como objetivo
da criação dos novos Perfis de Tarifas, iniciamos novas nos tornar uma grande empresa de venda de serviços de
modalidades de pagamento que oferecem mais facilidades manutenção para empresas que voem para a América do
aos passageiros que adquirem seus bilhetes aéreos diretamente Sul, incrementando oportunidades de prestação de serviços.
pelo website ou pelo call center:
• Pagamento em casas lotéricas. Nossas Principais Vantagens Competitivas são:
• Pagamento via boleto bancário. Serviços Diferenciados a Preços Competitivos.
• Débito automático. Oferecemos a melhor combinação entre malha aérea
• Financiamento com os bancos ABN Real, Banco do Brasil, e freqüência de rotas, com atendimento diferenciado, alta
Bradesco, Caixa Econômica, Itaú e Unibanco. pontualidade e preços competitivos baseados em uma ampla

12 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 13


malha aérea doméstica e conveniência de horários. A malha • Marca forte – De acordo com a Interbrand, a marca TAM
internacional eficiente alimenta o serviço doméstico com vôos ocupou o oitavo lugar entre as marcas mais valiosas do
diretos e serviços especiais. Para isso, mantemos parcerias com Brasil, avaliada em um valor estimado de R$ 881 milhões.
empresas líderes dos mercados onde as empresas atuam, • Concessão para serviços de transporte aéreo – A Companhia
fortalecendo o posicionamento da TAM nesses mercados. obteve a concessão para exploração de transporte aéreo
regular de passageiros, cargas e malas postais em âmbito
Foco na Gestão de Custos nacional em 9 de dezembro de 1996 e permanecerá válida
Somos uma companhia aérea de baixo custo operacional até 9 de dezembro de 2011. Embora não possamos oferecer
e temos significativas reduções de custos para serem nenhuma garantia, não prevemos dificuldades na renovação
implementadas através de um uso eficiente das aeronaves de nossa concessão no seu vencimento.
da Companhia, frota moderna e flexível, manutenção própria • Equipe administrativa experiente e profissionais motivados
e utilização de tecnologia nos processos operacionais. – A empresa vem investindo ativamente em seus
colaboradores, através de programas de incentivos,
Serviços e Produtos Inovadores Aliados a uma premiações, reconhecimento de seus potenciais e de uma
Marca Forte e ao Nosso “Espírito de Servir” política de gestão de pessoas que objetiva desenvolver
Nossa cultura organizacional está fundamentada na e reter pessoas motivadas.
prestação de serviços diferenciados aos nossos clientes. • Treinamentos – O centro de treinamento da TAM tem
milhões
4,5
Procuramos, consistentemente, tornar a viagem mais capacidade para atender mais de 750 alunos/dia em cursos
certificatórios e gerenciais. Além disso, nossos profissionais
conveniente e prazerosa para os nossos passageiros. de associados ao
de manutenção são treinados pelos próprios fabricantes e
Somos uma empresa focada no cliente, traduzindo em Programa Fidelidade TAM
fornecedores em suas respectivas instalações no exterior
todas as nossas ações o nosso “espírito de servir”. (como a Airbus, a Fokker, a Rolls-Royce, a General Electric
e a Pratt & Whitney).
Programa Fidelidade TAM
• Liderança – A Companhia é líder no mercado doméstico
Através dos acordos code-share da empresa, nossos
desde julho de 2003 e obteve uma participação média
passageiros podem acumular e resgatar pontos para viajar no ano de 48,9%. Desde julho de 2006, atingiu também
nos vôos domésticos ou internacionais da TAM e de nossas a liderança no mercado internacional, fechando o ano
parceiras (Air France, TAP, United Airlines, LAN e Lufthansa). com uma participação média de 67,5%.
Contamos com mais de 4,5 milhões de associados ao Programa • Certificações – A TAM é certificada pela IOSA (IATA
Fidelidade TAM e já foram distribuídos mais de 5,2 milhões Operational Safety Audit), o mais completo e aceito
de trechos grátis. Nosso programa de fidelização é uma forte atestado internacional em segurança operacional que Comunicações com Clientes Em 1991, criamos o canal
ferramenta de relacionamento por não impor restrições aos demonstra nossa dedicação aos processos de segurança Em 1991, criamos o canal de comunicação Fale com
associados que estejam resgatando pontos em vôos domésticos operacional que asseguram os padrões internacionais e o Presidente, para incentivar o cliente a nos passar sugestões,
de comunicação Fale com
em número de assentos disponíveis ou vôos. as melhores práticas adotadas pelas principais companhias elogios e reclamações. Os assuntos abordados pelos clientes o Presidente, para incentivar
aéreas do mundo. É certificada também pela EASA são levantados, pesquisados e analisados, mantendo o cliente
Ativos Intangíveis (European Aviation Safety Agency) para checagens de o cliente a nos passar
sempre informado sobre o andamento da solicitação e/ou
A TAM possui diferenciais competitivos responsáveis aviões e componentes aeronáuticos, e está capacitada para
diretos pelo seu desempenho e agregam valores que não atender a todas as aeronaves da frota da Companhia
sugestão até a resolução ou implementação desta. Neste ano, sugestões, elogios e
a equipe do Fale com o Presidente respondeu 153.978 contatos.
são mensurados nas demonstrações financeiras, mas (manutenção pesada e reparo e revisão de componentes),
Além do Fale com o Presidente, mensalmente é distribuída, reclamações. Os assuntos
se traduzem em vantagens de mercado: excluindo as aeronaves MD11.
nos vôos, a Carta do Presidente, na qual são abordados abordados pelos clientes são
assuntos relativos à nossa empresa, além de outros
considerados importantes. levantados, pesquisados e
analisados, mantendo o cliente
sempre informado sobre o
andamento da solicitação e/ou
sugestão até a resolução ou
implementação desta

14 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 15


Atualmente, a participação
de minoritários atingiu 53,85%
ESTRUTURA
das ações totais da companhia.
Temos duas classes de ações
E FUNCIONAMENTO
sendo que as preferenciais
oferecem 100% tag-along

Governança Corporativa nosso site (www.tam.com.br/ri). Somos acompanhados por


18 analistas, incluindo as principais casas internacionais,
Nossa companhia está comprometida com as melhores e fazemos divulgação simultânea de nossos resultados
práticas de governança corporativa e preocupada em assegurar trimestralmente em inglês e português, seguindo as
um elevado padrão de controle de seus processos e normas contábeis BR GAAP e US GAAP.
transparência. Além de sermos Nível 2 de Governança Ao final do ano contávamos:
Corporativa da Bovespa, listamos nossas ações também na
bolsa de Nova York (NYSE) em março de 2006, através de uma Conselho de Administração
segunda oferta pública que ocorreu simultaneamente no Brasil Formado por oito membros (dos quais três representando
e nos EUA. Em função de nossa listagem na NYSE, em 2006 o bloco controlador e cinco independentes) e fornece as
iniciamos o processo de certificação Sarbanes-Oxley e, diretrizes estratégicas gerais à administração. É responsável
durante 2007, concluímos com antecedência de um ano à pelo estabelecimento das políticas comerciais gerais e pela
data estabelecida os trabalhos exigidos pela seção 404 desta eleição dos Diretores Executivos (bem como pela supervisão
Lei (SOX), relativos aos controles internos sobre demonstrações da administração destes), entre outros temas. O Conselho de
contábeis consolidadas. Administração reúne-se todo mês ou sempre que solicitado
Atualmente, a participação de minoritários atingiu 53,85% pelo Presidente, Vice-Presidentes ou qualquer membro do
das ações totais da companhia. Temos duas classes de ações Conselho de Administração. Os integrantes do Conselho de
sendo que as preferenciais oferecem tag-along de 100%. Administração devem ser acionistas da companhia e são eleitos
A Companhia também está vinculada à arbitragem na pela Assembléia Geral de Acionistas. Os membros, que podem
Câmara de Arbitragem do Mercado, conforme Cláusula ser residentes ou domiciliados no Brasil ou no exterior, são
Compromissória constante do seu Estatuto Social. eleitos para um período de um ano, admitida a reeleição.
Para aumentar a transparência, seguimos uma política de Os mandatos dos atuais conselheiros terminam em 30 de abril
ampla e freqüente comunicação com o mercado, por meio de de 2008, sem considerar uma eventual reeleição. Nosso
teleconferências e webcasts (ao menos 4 ao ano), roadshows Estatuto Social não prevê idade limite para aposentadoria
e participação em conferências (ao menos 4 ao ano), além do obrigatória de nossos conselheiros.

16 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 17


Estrutura Acionária
O organograma abaixo apresenta de forma resumida
Comitê Estratégico Diretoria Executiva
a nossa estrutura acionária e a de nossas subsidiárias
Composto por três membros do Conselho de Administração Formada por um presidente e seis diretores eleitos pelo
em 31 de dezembro de 2007.
e sendo responsável, entre outras atribuições, por identificar Conselho de Administração para mandatos de três anos,
princípios, diretrizes e estratégias, por metas e meios de incentivo admitida a reeleição.
para o aumento da eficiência e da produtividade nas atividades
da companhia, e segue regime aprovado em Assembléia. Auditoria Externa
Por determinações da CVM, devemos trocar nossa TEP, Nova Fronteira Outros
Comitê de Auditoria auditoria independente entre três e cinco anos. Em 2007
Composto por três membros independentes, sendo um a PricewaterhouseCoopers foi nossa auditora independente Ações Ordinárias 84,70% Ações Ordinárias 15,30%
deles especialista em finanças. O mandato dos conselheiros para fins de BR GAAP, US GAAP e Lei Sarbanes-Oxley. Ações Preferenciais 20,77% Ações Preferenciais 79,23%
é de um ano permitindo sua reeleição. Este comitê reporta-se Continuamos o aperfeiçoamento do código de ética Total 46,15% Total 53,85%
ao Conselho de Administração e suas atribuições são as de que documenta os princípios, os valores, os compromissos
assessorar o mesmo no monitoramento, perante os acionistas, e as crenças para uma atuação empresarial ética,
em relação à análise das demonstrações financeiras, supervisão abrangendo as partes interessadas como: empregados,
e responsabilização da área financeira; assegurar que a fornecedores, consumidores/clientes, comunidade,
Diretoria desenvolva mecanismos de controles internos governo e acionistas minoritários.
confiáveis; zelar para que a auditoria interna desempenhe Ao final de 2006 criamos o “Canal de Ética da TAM”
adequadamente seu papel; providenciar, quando necessária, em mais uma ação da campanha de Ética e Governança
a escolha de auditores independentes; avaliar constantemente Corporativa. Estabelecemos parceria com uma empresa norte- TAM S.A.
a existência ou o surgimento de fatores que comprometam americana para exercer o papel de ouvidoria (interna e
ou possam comprometer a independência dos auditores; externa). Com este novo serviço, nossos empregados no Brasil
zelar pelo cumprimento do código de ética; acompanhar o e nos demais países onde a empresa atua podem externar
desenvolvimento dos indicadores financeiros da Sociedade, (anonimamente ou não) suas preocupações, questões ou
com ênfase no fluxo e posição de caixa; e, finalmente, sugestões relacionadas ao assunto, pela internet ou por
acompanhar a estrutura de capital, endividamento e custo. telefone. Os assuntos levantados por este canal são 100% 99,99% 94,98%
pesquisados e analisados confidencialmente buscando a
Comitê de Remuneração solução do problema de maneira transparente e imparcial.
Composto por três membros do Conselho de Administração A Campanha pela Ética tem o objetivo de conscientizar nossa TAM TP TAM
e é responsável pela definição das estratégias de desenvolvimento comunidade sobre a importância de cada um na manutenção Linhas Aéreas Participações Mercosur
dos colaboradores. Este comitê dá suporte ao Conselho de dos padrões éticos da companhia.
Administração na avaliação de desempenho dos principais executivos,
bem como na recomendação das remunerações dos mesmos.

Comitê de Risco
Composto por oito executivos da própria companhia
e é responsável por validar políticas e aprovar processos
e atividades da companhia no gerenciamento de riscos
de mercado, liquidez e crédito.
94,99% 100% 100% 100%
TAM TAM TAM TAM
Viagens Capital Financial 1 Financial 2

18 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 19


Durante os últimos três anos,
A ATIVIDADE
EMPRESARIAL
628 vôos diários
para 47 destinos
no Brasil no ano

a taxa de crescimento anual


de passageiros, para o mercado
doméstico, em termos de RPK,
demonstrou crescimento de
dois dígitos

O Setor de Aviação de negócios e passageiros em viagens de lazer. Passageiros


em viagens de negócios geralmente dão valor a fatores
Segundo o WATS (World Air Transport Statistics 51st como freqüência dos vôos, confiabilidade, pontualidade,
edition), publicado em 2007, o Brasil é o 4º maior mercado disponibilidade de vôos diretos, extensão da área servida
doméstico mundial de aviação, cobrindo uma vasta área, e diferencial dos serviços. Passageiros em viagens de lazer
maior do que a dos Estados Unidos continental, e com uma geralmente dão mais importância aos preços e tendem a ser
população de cerca de 184 milhões de pessoas em 2007, mais flexíveis ao programar suas viagens.
de acordo com o IBGE. A ponte aérea entre São Paulo O setor de viagens de negócios é o maior e mais lucrativo
e o Rio de Janeiro é uma das mais movimentadas do mundo. segmento do setor de transporte aéreo no Brasil. Acreditamos
A aviação civil brasileira segue os mais elevados padrões que as viagens de negócios representaram aproximadamente
de segurança do mundo. O Brasil é classificado como país 70% do total da demanda no Brasil para vôos aéreos
na Categoria 1 de padrões de segurança de vôo estabelecidos domésticos em 2007, número que é significativamente
pela International Civil Aviation Organization, que é a maior do que a proporção desse segmento na aviação
mesma classificação atribuída aos Estados Unidos da civil internacional.
América e ao Canadá. Durante os últimos três anos, a taxa de crescimento anual
O mercado de linhas aéreas regulares no Brasil compreende de passageiros, para o mercado doméstico, em termos de RPK,
dois principais tipos de passageiros: passageiros em viagens demonstrou crescimento de dois dígitos.

20 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 21


Crescimento do Mercado Doméstico no Brasil O mercado para aviação civil no Brasil apresenta
180
um grande potencial, pois a maior parte da população A Atividade
176,4 ainda utiliza apenas transporte rodoviário. Com a redução
no preço das tarifas apresentada ao longo dos últimos anos,
da TAM em 2007
160 157,6 existe um movimento de popularização do transporte aéreo Receitas
140,6
RPK Mercado como meio de locomoção. Nosso principal produto é o transporte regular de Apresentamos abaixo a segmentação da nossa receita
140 Doméstico
O setor é regulamentado pela ANAC, que substituiu passageiros. Além do transporte regular de passageiros, bruta por tipo de serviço prestado, por localidade geográfica
o DAC como órgão regulador da aviação civil e comercial possuímos produtos voltados especificamente para o e por linha de produto, nos períodos indicados:
120 PIB no Brasil. A ANAC possui competência para conceder desenvolvimento do turismo nacional e internacional. Operamos uma média de 628 vôos diários para 47 destinos
112,0 às companhias aéreas brasileiras o direito de operar novas Na área de prestação de serviços, também desenvolvemos no Brasil no ano. Através das nossas alianças regionais somos
100 117,4
100 111,4
rotas domésticas, bem como aumentar as freqüências a atividade de transporte de cargas. capazes de atingir outros 34 destinos nacionais.
107,3 das rotas existentes, a concessão de slots e a entrada de
100 104,9
novas companhias no mercado brasileiro de aviação civil.
0
Por Tipo de Serviço (em milhões de R$)
2003 2004 2005 2006 2007
Variação horizontal Variação horizontal
entre 2007 e entre 2006 e
2007 Var. (%) 2006 Var. (%) 2005 Var. (%) 2006 - (%) 2005 - (%)

Receita doméstica
Regular – Pax - Dom 4.681.866 55,3 4.935.599 64,1 3.966.429 67,1 (5,1) 24,4
Fretamento – Pax - Dom 152.037 1,8 226.336 2,9 226.269 3,8 (33,2) 0,0
Carga Dom 360.149 4,3 321.817 4,2 277.403 4,1 11,9 16,0
Total 5.194.053 61,3 5.483.752 71,2 4.470.101 75,6 (5,3) 22,7
Receita internacional
Regular – Pax - Int 2.109.397 24,9 1.513.334 19,7 1.010.701 17,1 39,4 49,7
Fretamento – Pax - Int 20.343 0,2 24.125 0,3 22.855 0,4 (15,7) 5,6
Carga Int 416.667 4,9 164.678 2,1 129.743 2,2 153,0 26,9
Total 2.546.408 30,0 1.702.137 22,1 1.163.299 19,7 49,6 46,3
Outras receitas operacionais
Parcerias com
Cartão Fidelidade 290.029 3,4 207.255 2,7 85.051 1,4 39,9 143,7
Bilhetes Vencidos e Outros 413.221 4,9 286.089 3,7 175.449 3,0 44,4 63,1
Agenciamento
de viagens e turismo 30.243 0,4 20.858 0,3 16.235 0,3 45,0
Total 733.492 8,7 514.202 6,7 276.735 4,7 42,6 85,8
Receita bruta 8.473.952 100 7.700.091 100 5.910.135 100 10,1 30,3

22 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 23


Com relação aos vôos internacionais, operamos uma média Também possuímos acordos SPAs (Special Prorate Agreement) Utilizamos para o transporte de carga o espaço disponível Lojas
de 62 vôos diários para os destinos já citados anteriormente. com 64 companhias aéreas em todo mundo, que nos permitem no porão das aeronaves da frota, o que nos permite promover 7,3% das nossas vendas no ano. Também vendemos
Ao longo desse ano, tivemos o início da terceira freqüência para oferecer aos nossos clientes a comodidade de comprar uma única a venda de espaço ocioso em nossas aeronaves passagens através da nossa rede de lojas situadas em
Paris e dos vôos diários para Córdoba, Caracas, Montevidéu, Milão, passagem aérea e voar do Brasil para diversos destinos em todo e conseqüentemente aumento de receita. aeroportos em que a Companhia atua no território nacional.
Frankfurt, Madri. Adicionalmente, possuímos outros acordos que o mundo a preços mais competitivos do que o passageiro obteria Outra fonte de geração de receita é a nossa operadora
permitem oferecer aos nossos passageiros uma grande diversidade caso adquirisse os bilhetes separadamente. Tais acordos nos de viagens e turismo, a TAM Viagens, segunda maior operadora Vendas por Canal
de destinos no mundo, como o code-share, SPA e Interline. permitem agregar maior abrangência à nossa malha de turismo do País segundo a EMBRATUR. A TAM Viagens está
Atualmente mantemos acordos de compartilhamento internacional e oferecer mais opções aos nossos clientes, comprometida com o desenvolvimento do turismo responsável,
Direto
operacional de vôos (code-share) com a Air France, TAP, Grupo já que também neste caso o viajante pode adquirir seu bilhete operando mais de 250 destinos turísticos e atendendo a cerca 16,7%
LAN e United Airlines. Esta última substituiu o acordo que diretamente na TAM para vários trechos e voar em diversas de 5 mil agências em todo o Brasil. Suas operações visam a
tínhamos com a American Airlines e tem nos permitido oferecer companhias para qualquer destino ao redor do mundo. trazer passageiros para vôos de menor demanda da TAM Linhas
mais opções para nossos passageiros a partir de Washington Geramos receitas com fretamentos, trabalhando Aéreas, aproveitando os assentos ociosos das aeronaves.
e Chicago, hubs operados pela United Airlines. Também neste principalmente em horários de baixa demanda, incrementando
ano, assinamos um memorando de entendimentos com a a produtividade de nossa frota. Segundo dados da ANAC, somos Distribuição e Venda
Lufthansa visando à implementação deste tipo de parceria a maior operadora de vôos fretados no Brasil. Durante o ano Possuímos vários canais de distribuição direta e indireta
estratégica além de já termos integrado os programas de de 2007 operamos aproximadamente 7,0 mil vôos extras para a venda de bilhetes aéreos.
milhagens de ambas as companhias. e fretados principalmente para as capitais do Nordeste. As vendas indiretas são aquelas realizadas através de Indireto
Nossos acordos code-share com empresas internacionais Também geramos receitas com nossas atividades de agências corporativas, consolidadores (agências com cadastro 83,3%

líderes em seus mercados de origem buscam oferecer serviços transporte de carga, através do produto TAM Cargo, que e crédito pré-aprovado) e operadores de viagens. As vendas
de maior conveniência e conforto aos nossos passageiros, é responsável pela prestação de serviços de transporte de indiretas representaram 83% do total das nossas vendas
proporcionando maior integração entre as respectivas malhas encomendas expressas, de cargas convencionais e especiais, de bilhetes regulares em valor no ano. Atualmente, há cerca Vendas eTAM/GDS
aéreas e maiores opções de horários de vôos e de destinos, atendendo a diversas localidades no Brasil e no Exterior. de 6.000 agências de viagens que estão autorizadas a vender
sendo 62 novos destinos internacionais, dos quais 25 nos EUA, No mercado doméstico, fazemos entregas em cerca os nossos bilhetes no Brasil.
24 na América do Sul e 13 na Europa. Além de assegurar de 3.900 localidades do País e, o aumento dos nossos vôos Também vendemos nossas passagens diretamente GDS
conexões mais convenientes no Brasil e no exterior, permitem internacionais, impulsionou estas atividades para os principais aos clientes, pelos seguintes canais: 20,0%

ainda oferecer aos passageiros as vantagens dos programas de grandes centros, principalmente EUA e Europa. Através das
Call Center
fidelização das companhias parceiras e de serviços diferenciados rotas oferecidas pela TAM e de acordos firmados com empresas
1,9% das nossas vendas no ano. O nosso call center
como transferência direta de bagagens até o destino final altamente qualificadas e confiáveis a TAM Cargo atinge mais
está disponível para nossos clientes 24 horas por dia,
da viagem, atendimento no check-in e acesso às salas VIP. de 45 países e mais de 120 cidades em todo o mundo.
permitindo aos clientes fazer reservas e comprar bilhetes.
Em 2007, prevendo o aumento de utilização do canal para
vendas especialmente lazer, efetuamos o outsourcing das
atividades, aumentando nossa capacidade de rápida expansão eTAM
de posições de atendimentos. No âmbito internacional, 80,0%
centralizamos as operações em Buenos Aires, criando células
multilíngües para atender nossos clientes não brasileiros,
fortalecendo ainda mais este canal. Acordos Comerciais
Assinamos um acordo junto à ABAV (Associação Brasileira
Internet de Agências de Viagens) para estabelecer uma nova metodologia
7,2% das nossas vendas no ano. Fomos a primeira de remuneração que resultará em mais transparência sobre
companhia aérea a oferecer tickets eletrônicos no Brasil. o serviço adquirido pelo usuário final. Com este acordo,
Através do nosso site (www.tam.com.br), os usuários a remuneração do agente de viagem – anteriormente
registrados podem comprar bilhetes on-line e receber denominada “comissão” e exigida como parte integrante
atendimento ao cliente, fazer reservas com até uma hora da tarifa – passa a ser cobrada nos bilhetes domésticos
de antecedência do horário do vôo ou mesmo fazer o check-in separadamente e diretamente do cliente final, a título
e acessar várias funções, tais como baixar informações sobre de prestação de serviços, em 10% do valor da passagem
o Programa Fidelidade TAM, entre outras. ou R$ 30,00, optando-se sempre pelo maior valor. Para nós,
a alteração acarretará em redução de custos administrativos
e de despesas gerais. Do lado do passageiro, a vantagem é que
ele terá discriminado o valor do bilhete e do serviço prestado
no ato da venda da passagem.

24 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 25


Incorporação das Bases Frota Arrendamos todas as nossas aeronaves através da que continua no processo de capacitação para ser um efetivo
Através da incorporação das equipes de aeroporto, rampa A nossa política de planejamento de frota constitui a base nossa subsidiária TAM Linhas Aéreas. Essa modalidade nos provedor de serviços da linha Boeing, ampliando a capacitação
(atendimento de pista na área de bagagens e carga), lojas e necessária para a obtenção de altos índices de segurança, proporciona maior flexibilidade para mudarmos a composição do complexo de manutenção.
contatos comerciais, concluída neste ano, reformulamos 54 qualidade, regularidade e pontualidade, além de trazer uma de nossa frota. Como estamos habilitados a realizar todos os serviços de
bases nacionais objetivando a redução de custos e ganhos de racionalização dos custos de manutenção. A idade média da frota da Companhia é uma das menores manutenção de linha e de manutenção pesada, exceto motores,
sinergias e de produtividade além de padronizar as políticas de As três “famílias” Airbus em operação são as aeronaves da do mercado global de aviação: 5,2 anos para aeronaves Airbus eliminamos a necessidade de transferência de nossas aeronaves
recursos humanos e unificar a política comercial, melhorando família A340 –modelo A340-500, família A330 – modelo narrow bodies e 5,6 anos para aeronaves Airbus wide bodies. para locais distantes, economizando tempo, custos e aumentando
a eficiência da venda direta. A330-200 (wide bodies, para vôos de longocurso) e as Em 31 de dezembro de 2007, nossa frota era composta de 115 a taxa de utilização das aeronaves. Para a manutenção de
No total incorporamos aproximadamente 6.000 funcionários. aeronaves da família A320 – modelo A321, A320-200 e A319- aeronaves com uma idade média de 6,7 anos. componentes de complexidade específica, como os motores,
Incorremos em um custo não recorrente referente à rescisão 100 (narrow bodies, para etapas médias e curtas). As aeronaves firmamos contratos de longa duração com terceiros, que
Manutenção e Safety costumam ser os próprios fabricantes.
dos contratos de representação, custos estes que foram destas famílias se diferenciam pelo número de assentos, A segurança de vôo é um dos fundamentos de destaque
totalmente reconhecidos em 2006. assegurando maior flexibilidade às decisões de caráter Devido aos requisitos dos nossos acordos com empresas
deixados pelo comandante Rolim Amaro. De acordo com os
A incorporação está nos beneficiando em função da redução comercial. As aeronaves narrow bodies estão entre os aviões internacionais, também cumprimos as exigências dos Estados
mais altos padrões de governança, o departamento Flight
da carga de impostos sobre faturamento de serviços de terceiros, de maior conforto em operação no País em sua categoria, tendo Unidos da América e da Europa a esse respeito.
Safety da TAM é totalmente independente dos demais setores
da eliminação do pagamento de comissão adicional sobre vendas grande flexibilidade para operar com baixos custos em etapas Já somos a maior companhia aérea no Hemisfério Sul.
da empresa e responde diretamente à presidência.
de passagens e cargas nessas localidades e da redução do custo que podem variar até 6 horas de vôo. As aeronaves das famílias Para consolidar essa posição e transformar a TAM em
A Companhia segue rigorosamente normas e padrões
de comercialização decorrente do aumento de vendas diretas. Airbus têm ainda o benefício de manutenção e operação referência mundial na aviação civil, vamos priorizar a
estabelecidos pelas autoridades aeronáuticas brasileiras e pelas
Tomando por base o ano de 2006, tal benefício seria da ordem padronizados, que permitem que pilotos e técnicos efetuem excelência na prestação de serviços, a excelência técnico-
organizações internacionais, como a ICAO (International Civil
de R$ 85 milhões, o qual terá incremento com o aumento das transição entre os equipamentos após um treinamento Aviation Organization). É filiada aos mais importantes órgãos operacional e a excelência na gestão.
nossas operações, ressaltando que o mesmo será recorrente. adicional mínimo. Todas as nossas aeronaves estão equipadas de segurança de vôo da aviação civil no mundo, entre eles a A qualidade dos nossos serviços técnicos é auditada
com as melhores e mais avançadas opções de equipamentos FSF (Flight Safety Foundation), a maior organização mundial regularmente pelas autoridades brasileiras e internacionais,
Número de funcionários X Número de terceirizados e software oferecidos pelo fabricante, constituindo uma frota não-governamental de safety. pelos fabricantes e pelas companhias de seguros. Devido às
das mais avançadas do mundo. Além disso, seguimos rigorosamente os planos de nossas operações internacionais e aos acordos com outras empresas
20.473
As vantagens da modernidade e da tecnologia, aliadas a manutenção propostos pelos fabricantes das aeronaves, estrangeiras, também cumprimos as exigências de manutenção
13.159 um excelente padrão de operação e manutenção das aeronaves, aprovados e homologados pelas autoridades aeronáuticas e segurança das autoridades aeronáuticas internacionais.
se traduzem em uma alta utilização dos equipamentos com brasileiras e internacionais. Desta forma, a manutenção
índices de confiabilidade (“technical dispatchability”) de acordo
com a média da indústria nos equipamentos por nós operados.
realizada nas aeronaves da empresa pode ser dividida em
três categorias gerais: Gestão de Riscos
Nossa frota tem mantido altos índices de eficiência técnica (I) Manutenção de linha – inclui verificações mais simples Considerações Gerais
8.215 9.637 (Mechanical Dispatch Reliability), que seguem padrões até os “checks A”, que correspondem aos primeiros níveis A gestão de riscos está envolvida na gestão da empresa
definidos pela IATA. das revisões, planejadas para serem executadas nos por meio do Comitê de Risco, subordinado diretamente
5.523 5.161 trânsitos e pernoites, sem que seja necessária a alteração
3.673
ao Conselho de Administração, além de ter estabelecido
A tabela a seguir demonstra nossa frota de nossa malha. políticas para administrar oscilações indesejadas, como
455 ao final de 2007 e dos últimos anos: (II) Manutenção pesada – prevê inspeções e serviços mais o preço de combustíveis, taxas de câmbio, taxas de juros
125 complexos da aeronave que demandam sua retirada da e créditos. A gestão de riscos está detalhada na nota 27
2004 2005 2006 2007 115 linha por períodos que podem variar de 5 a 8 dias para
5 de nossas demonstrações financeiras.
Nº de funcionários(as) ao final do período “checks C” e mais de 20 dias para “checks D”.
Nº de terceirizados(as) 100 96 95
3 (III)Manutenção de componentes – reparos, manutenções

75
6
20
83
6
84
3
5
e overhaul de componentes nas oficinas de Congonhas e
principalmente do Centro Tecnológico de São Carlos, onde
Resultados Financeiros
7
estão hoje instaladas 17 oficinas capacitadas para realizar No quadro da página seguinte, todos os valores demonstrados
manutenção em componentes como trens de pouso, IDG foram originalmente calculados em reais e estão apresentados
50
e equipamentos de emergência, entre outros. em milhões e em centavos de reais. Desta forma, (i) os resultados
70 70 76 92 110
A maior parte do trabalho de manutenção das nossas de soma e divisão de alguns valores constantes no quadro podem
25
aeronaves é realizada no hangar do aeroporto de Congonhas não corresponder aos totais apresentados devido aos seus
em São Paulo (manutenção de linha) e no nosso Centro arredondamentos, (ii) o resultado das variações percentuais
0 Tecnológico em São Carlos, no interior do Estado de São Paulo podem apresentar divergências em virtude dos arredondamentos.
2003 2004 2005 2006 2007
Em operação Em devolução Sub-arrendamento

26 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 27


BR GAAP Periodo encerrado em 31 de dezembro de 2007 Receita Bruta Doméstica de Passageiros
A receita bruta doméstica de passageiros (incluindo
% Receita Liq.
Em centavos de R$ por ASK Em milhões de R$ Operacional passageiros regulares e de fretamento) reduziu 6,4%,
atingindo R$ 4.833,9 milhões em 2007 comparada com
2007 2006 Var. (%) 2007 2006 Var. (%) 2007 R$ 5.161,9 milhões em 2006. Enquanto nosso yield regular
Receita operacional bruta 17,80 21,65 -17,8 8.474,0 7,700,1 10,1 104,0 doméstico caiu 19,4%, atingindo 23,42 centavos de real
Receitas de vôo 16,26 20,21 -19,5 7.740,5 7.185,9 7,7 95,0 em 2007 comparado com 29,05 centavos de real em 2006,
nossa demanda doméstica (medida em RPK) aumentou
Doméstica 10,16 14,51 -30,0 4.833,9 5.161,9 -6,4 59,3 12,5% refletindo uma redução da taxa de ocupação
Internacional 4,47 4,32 3,5 2.129,7 1.537,5 38,5 26,1 doméstica de 2,8 p.p. Com estes fatores nosso RASK
Carga 1,63 1,37 19,3 776,8 486,5 59,7 9,5
regular doméstico apresentou uma redução de 22,0%
atingindo 15,51 centavos de real em 2007 comparado
Outras receitas operacionais 1,54 1,45 6,6 733,5 514,2 42,6 9,0 com 19,88 centavos de real em 2006.
Deduções e impostos sobre vendas (0,68) (1,00) -32,2 (322,8) (355,4) -9,2 -4,0
Yield e RASK Load Factor Yield e RASK Load Factor
Receita líquida operacional 17,12 20,65 -17,1 8.151,2 7.344,6 11,0 100,0 Doméstico Regular Internacional Regular
R$ centavos % USD centavos %
Custo dos serviços prestados
40 80 12 80
e despesas operacionais
Load Factor Load Factor
Combustíveis (5,33) (5,99) -11,0 (2.536,4) (2.129,9) 19,1 -31,1 Doméstico Internacional
70
Despesas de comercialização 70 10
e marketing (2,05) (2,46) -16,8 (975,1) (875,3) 11,4 -12,0 30
60
Arrendamento de aeronaves Yield Yield
e equipamentos (1,85) (2,02) -8,4 (880,8) (718,8) 22,5 -10,8 60 8
7.6
Pessoal (2,73) (2,45) 11,3 (1.299,4) (872,6) 48,9 -15,9 20.8
7.0 50
20.3 19.9
20 18.1 6.3
Manutenção e revisões 6 5.9 6.0
50
(exceto pessoal) (0,98) (1,09) -10,1 (466,7) (388,0) 20,3 -5,7 15.5 40
Serviços prestados por terceiros (1,15) (1,52) -24,0 (549,0) (539,6) 1,7 -6,7
Tarifas de pouso e decolagem 10 40 4 30
e de auxílio à navegação (0,88) (0,89) -0,1 (421,0) (315,0) 33,7 -5,2 2003 2004 2005 2006 2007
2003 2004 2005 2006 2007
Depreciações e amortizações (0,24) (0,29) -14,8 (116,1) (101,9) 14,0 -1,4
Seguro de aeronaves (0,07) (0,10) -28,5 (33,6) (35,1) -4,3 -0,4 Receita Bruta Internacional de Passageiros Receita Bruta de Carga
Outros (1,28) (1,05) 22,7 (611,0) (372,0) 64,2 -7,5 A receita bruta internacional de passageiros (incluindo A receita bruta de carga (doméstico e internacional)
passageiros regulares e de fretamento) aumentou 38,5%, aumentou 59,7%, atingindo R$ 776,8 milhões em 2007
Total do custo dos serviços atingindo R$ 2.129,7 milhões em 2007 comparada com comparada com R$ 486,5 milhões em 2006, devido
prestados e despesas (16,57) (17,85) -7,1 (7.889,1) (6.348,1) 24,3 -96,8 principalmente ao aumento da nossa oferta internacional
R$ 1.537,5 milhões em 2006. Nossa oferta no mercado
Lucro bruto 0,55 2,80 -80,4 262,0 996,6 -73,7 3,2 internacional aumentou 79,4% enquanto nossa demanda e, no mercado doméstico, pela substituição das aeronaves
Receita (despesas financeiras) (0,09) (0,11) -179,0 (41,7) 39,4 -205,8 -0,5 internacional aumentou 66,1% e nossa taxa de ocupação F-100 por aeronaves da família A320, resultando em maior
reduziu 5,6 p.p. atingindo 70,5% comparado com 76,1% em disponibilização de espaços de porões.
Outras despesas operacionais líquidas (0,09) (0,35) -73,5 (44,8) (126,2) -64,5 -0,6 2006. Nosso yield regular internacional em reais reduziu 17,0% Outras Receitas Operacionais
Lucro operacional 0,37 2,56 -85,6 175,5 909,8 -80,7 2,2 atingindo 17,66 centavos de reais em 2007, enquanto nosso Outras receitas operacionais aumentaram 42,6%, atingindo
yield regular internacional em dólar norte-americano em 2007 R$ 733,5 milhões em 2007 comparadas com R$ 514,2 milhões
Resultado não operacional, líquido (0,09) 0,03 -374,4 (41,7) 11,4 -467,3 -0,5
aumentou 0,2% atingindo 9,97 centavos de dólar comparado em 2006, devido principalmente ao aumento das receitas de
Lucro antes do imposto com 9,95 centavos de dólar em 2006. O RASK regular
de renda e contribuição social 0,28 2,35 -88,0 133,8 836,6 -84,0 1,6 parcerias com o Cartão Fidelidade e ao reconhecimento de
internacional reduziu 23,3% atingindo 12,44 centavos de real bilhetes já vencidos de acordo com norma IATA.
Imposto de renda e contribuição social (0,09) (0,91) -90,3 (42,1) (325,3) -87,1 -0,5 em 2007 comparado com 16,21 centavos de real em 2006.
Deduções e Impostos sobre Vendas
Lucro antes da participação
de acionistas minoritários 0,19 1,68 -88,5 91,7 595,8 -84,6 1,1 As deduções e impostos sobre vendas reduziram 9,2%,
atingindo R$ 322,8 milhões em 2007 comparadas com R$ 355,4
Participação de acionistas minoritários 0,00 (0,00) -100,7 0,0 (1,0) -101,0 0,0
milhões em 2006, devido à compensações de tributos federais.
Reversão de Juros sobre Capital Próprio 0,08 0,05 63,9 37,1 16,9 119,3 0,5
Lucro líquido do período 0,27 1,72 -84,3 128,8 611,8 -78,9 1,6

28 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 29


Receita Operacional Líquida Despesas de Comercialização e Marketing Horas Voadas Totais (K) Outras Despesas Operacionais
Nossa receita operacional líquida aumentou 11,0%, As despesas de comercialização e marketing aumentaram 500 Outras despesas operacionais aumentaram 64,2%,
atingindo R$ 8.151,2 milhões em 2007 comparada com 11,4%, atingindo R$ 975,1 milhões em 2007 comparada com 462,4 atingindo R$ 611,0 milhões em 2007 comparadas com R$ 372,0
R$ 7.344,6 milhões em 2006. R$ 875,3 milhões em 2006. As despesas de comercialização milhões em 2006 em função principalmente do crescimento
400 390,8
e marketing representaram 12,0% sobre a receita líquida total de 33,8% em nossas operações, aumento das despesas gerais
Custos dos Serviços Prestados e Despesas Operacionais
em 2007 e 11,9% em 2006, apresentando um aumento de 0,1 323,7 e administrativas e custos com operações nas bases
Nossos custos dos serviços prestados e despesas
p.p. ano contra ano. O aumento foi decorrente do incremento 300 internacionais. Outras despesas operacionais por ASK
operacionais aumentaram 24,3%, atingindo R$ 7.889,1 milhões
das vendas no mercado internacional, tanto passageiros 241,7 aumentaram 22,7%.
em 2007, comparados com R$ 6.348,1 milhões em 2006, 210,3
quanto cargas, que apresentam custos comerciais mais 200
devido principalmente ao aumento de combustíveis, despesas Resultado Financeiro Líquido
elevados, parcialmente compensados pela redução nos custos
de comercialização e marketing, pessoal, tarifas de pouso e Nosso resultado financeiro líquido atingiu despesa
comerciais do mercado doméstico e pela redução de comissões
decolagem e de auxílio à navegação, despesas com manutenção 100 líquida de R$ 41,7 milhões em 2007, comparado com receita
pagas aos representantes das bases, que foram incorporados no
e revisão e arrendamento de aeronaves e equipamentos. de R$ 39,4 milhões em 2006, principalmente em função do
final do 1T07. As despesas de comercialização e marketing por
O custo total por ASK (CASK) caiu 7,1% de 17,85 centavos 0 aumento da capitalização no endividamento da companhia
ASK reduziram 16,8%.
de real em 2006 para 16,57 centavos de real em 2007, e perdas de variação cambial.
2003 2004 2005 2006 2007
principalmente pela redução de custos com despesas de Custos com Arrendamento de Aeronaves e Equipamentos
comercialização e marketing, serviços prestados por terceiros, Os custos com arrendamento de aeronaves e equipamentos
Imposto de Renda e Contribuição Social
seguro de aeronaves, depreciações e amortizações, devido aumentaram 22,5%, atingindo R$ 880,8 milhões em 2007 Custos e Despesas com Serviços Prestados por Terceiros O imposto de renda e contribuição social reduziram 87,1%
principalmente à apreciação do real de 20,7% e pela diminuição comparados com R$ 718,8 milhões em 2006, em decorrência Os custos e despesas com serviços prestados por terceiros atingindo R$ 42,1 milhões em 2007 comparado com o
do combustível em função de uma maior participação do do aumento de 24 novas aeronaves Airbus narrow bodies, aumentaram 1,7%, atingindo R$ 549,0 milhões em 2007 montante de R$ 325,3 milhões em 2006, devido ao benefício
abastecimento de combustível no mercado internacional, de quatro Airbus de grande porte (dois A330 e dois A340), comparados com R$ 539,6 milhões em 2006, devido à fiscal relacionado ao pagamento de juros sobre capital próprio.
compensado parcialmente pelo aumento de pessoal. compensados parcialmente pela devolução de 11 aeronaves incorporação das bases no final do 1T07 e apreciação do A nossa taxa efetiva de IRPJ e CSLL foi de 31,5% em 2007,
Fokker-100. O resultado reflete também a apreciação do real Real em 20,7%, reduzindo os custos relacionados às bases comparada com 38,9% em 2006.
CASK (R$ Centavos) frente ao dólar em 20,7% e melhores taxas para os leasings, internacionais e ao custo internacional. Os gastos com serviços Lucro Líquido do Período
BR GAAP relacionada à melhor posição financeira da companhia. prestados por terceiros por ASK reduziram 26,4%. Nosso lucro líquido do exercício foi de R$ 128,8 milhões
30 Os custos com arrendamento de aeronaves e equipamentos Custos com Tarifas de Pouso e Decolagem em 2007 comparado com R$ 611,8 milhões em 2006, em
por ASK reduziram 8,4%. e de Auxílio à Navegação virtude do exposto acima, representando um decréscimo na
Custos com Pessoal Os custos com tarifas de pouso e decolagem e de auxílio margem do lucro líquido de 6,7 p.p., atingindo 1,6% em 2007
Os custos com pessoal aumentaram 48,9%, atingindo à navegação aumentaram 33,7%, atingindo R$ 421,0 milhões e 8,3% em 2006.
20,1 20,1
20
18,6 R$ 1.299,4 milhões em 2007 comparados com R$ 872,6 em 2007 comparados com R$ 315,0 milhões em 2006, devido
17,8 RASK/ CASK (R$ centavos)
16,6 ao aumento de 6,5% na quantidade de decolagens e de 20,6%
milhões em 2006, devido ao aumento de 55,1% no quadro de BR GAAP
funcionários efetivos de 13.195 para 20.469 – principalmente, nos quilômetros voados principalmente em vôos internacionais,
10 em função da incorporação das bases no final do 1T07. A cujos custos são superiores aos domésticos. Os custos com 25

empresa também promoveu alinhamento salarial da tripulação tarifas de pouso e decolagem e de auxílio à navegação por
técnica (pilotos e co-pilotos) de acordo com as práticas de ASK reduziram 0,1%.
mercado, compensado parcialmente por uma redução no Custos com Depreciações e Amortizações
0 quadro diretivo da companhia em 20% entre diretores e 10% Os custos com depreciações e amortizações aumentaram
2003 2004 2005 2006 2007 de gerentes. Os custos de pessoal por ASK aumentaram 11,3%. 14,0%, atingindo R$ 116,1 milhões em 2007 comparados com RASK
20
Custos com Manutenções e Revisões R$ 101,9 milhões em 2006, principalmente em decorrência de
Custos com Combustíveis Os custos com manutenções e revisões (exceto pessoal) novas adições de equipamentos terrestres, no ativo fixo da
Os custos com combustíveis aumentaram 19,1%, atingindo aumentaram 20,3%, atingindo R$ 466,7 milhões em 2007 companhia de R$ 9,2 milhões, em função do crescimento das
operações durante o exercício. Os custos com depreciações e CASK
R$ 2.536,4 milhões em 2007 comparados com R$ 2.129,9 comparados com R$ 388,0 milhões em 2006, basicamente
milhões em 2006, devido ao aumento no volume consumido devido ao aumento de horas voadas totais em 18,3% e pelo amortizações por ASK reduziram 14,8%.
aumento de nossa frota, compensado pela mudança do mix 15
de combustível em 30,1%, contrabalanceado pela redução Custos com Seguro de Aeronaves
de aeronaves (reduzindo Fokker-100, nosso avião mais antigo 2003 2004 2005 2006 2007
no preço médio em reais por litro de combustível em 3,9%, Os custos com seguro de aeronaves reduziram 4,3%,
da frota) e pela apreciação do real frente ao dólar em 20,7%. Spread -0.2 1.4 1.5 2.8 0.6
principalmente relacionado a uma maior participação do atingindo R$ 33,6 milhões em 2007 comparados com R$ 35,1 EBIT -0.9% 6.5% 7.5% 13.8% 3.2%
abastecimento de combustível no mercado internacional Os custos com manutenções e revisões (exceto pessoal) por milhões em 2006 principalmente pelo efeito da apreciação do Margem
e aumento de 13,2% na etapa média, além da economia ASK reduziram 10,1%. real frente ao dólar de 20,7%, compensado parcialmente pelo
com o programa de tankering de combustível. Os custos aumento de 11,3% no número de passageiros em 2007 e pelo
com combustíveis por ASK reduziram 11,0%. aumento da frota ativa em 18 aeronaves, quando comparado
com 2006. Os custos com seguro de aeronaves por ASK
apresentaram redução de 28,5%.

30 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 31


Evolução do resultado por trimestre (em milhões)
Acumulado
1°. Tri 2°. Tri 3°. Tri 4°. Tri 2007
R$ Milhões
Lucro (Prejuízo) líquido 59,4 (28,8) 48,5 49,7 128,9
Imposto de Renda e contribuição social 29,6 (9,9) 29,5 (44,2) 5,0
Resultado Financeiro, líquido (2,4) 62,7 (27,9) 9,3 41,7
Resultado não operacional, líquido (5,7) (0,3) 0,3 47,4 41,7
Outras despesas operacionais, líquidas 7,1 9,1 6,8 21,1 44,1
EBIT 88,1 32,8 57,2 83,3 261,4
Depreciações e amortizações 27,0 27,1 29,5 32,6 116,1
Amortização de ágio 0,2 0,2 0,2 0,2 0,7
Aluguéis 225,2 192,3 226,5 236,8 880,8
EBITDAR 340,4 252,4 313,3 352,9 1.259,0
Receita Líquida 1.834,0 1.969,7 2.061,7 2.285,8 8.151,2
Margens líquidas %
EBIT 4,8 1,7 2,8 3,6 3,2
EBITDAR 18,6 12,8 15,2 15,4 15,4

EBIT Posição Financeira


A nossa margem EBIT foi de 3,2%, atingindo R$ 261,4 Fechamos 2007 com um caixa e equivalentes
milhões em 2007, comparado com R$ 995,9 milhões em 2006, de R$ 2,6 bilhões, valor que nos possibilita financiar
o que representou uma redução na margem de EBIT de 10,4 p.p nossa expansão futura. Estes recursos são provenientes,
em 2007. O decremento de EBIT está afetado pela redução de principalmente, de nossa operação, da oferta subseqüente
17,1% no RASK, composto pela redução de 13,6% no yield e de de ações e da emissão de debêntures.
3,5 p.p. em nossa taxa de ocupação, parcialmente compensado Durante o processo de emissão das debêntures fizemos
pela redução de 7,1% no CASK.
o rating da companhia por duas agências internacionais,
EBITDAR a Fitch e a Standar & Poor’s. O rating local para emissão
A nossa margem de EBITDAR foi de 15,4%, atingindo foi A+ pela Fitch e brA pela Standard & Poor’s,
R$ 1.259,0 milhões em 2007, comparado com R$ 1.817,1 (brAA- atualmente). O rating global, pela Fitch, foi BB e,
milhões em 2006, que representou uma redução na margem de pela Standard & Poor’s, foi BB, com comentário de possível
EBITDAR de 9,3 p.p em 2007, principalmente em função de todos melhora acima do rating soberano do País em função do
os fatores descritos anteriormente em nossas receitas e custos. aumento de faturamento em moeda estrangeira.

32 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 33


Ações como Investimento Desempenho das Ações
Mercado Acionário Variação das Ações
Variação
Composição acionária ao final de 2007 350 % TAMM4=-35%
IBOV=44%
Variação TAMN=-22%
Ações Ações TAMM4=133% DJBR20=63%
Acionista Ordinárias (%) Preferenciais (%) Total (%) IBOV=43%
250 %
Bloco de Controle 50.561.897 84,70 18.860.612 20,77 69.502.509 46,15
TAM - Empreendimentos e Participações S.A. 50.562.381 84,56 18.860.612 20,77 69.422.993 46,10
Variação
Agropecuária Nova Fronteira Ltda. 79.516 0,13 - 0,00 79.516 0,05 150 % TAMM4=56%
IBOV=21%
TAMN=62%
DJBR20=12%

Outros 9.150.058 15,30 71.932.580 79,23 81.082.638 53,85 50 %


Amaro Aviation Part S.A. 9.133.912 15,28 2.511.568 2,77 11.645.480 7,73
Outros acionistas minoritários 16.146 0,03 69.421.012 76,46 69.437.158 46,11
-50 %
TAMM4 TAMN IBOV DJBR20

Total 59.791.955 100,00 90.793.192 100,00 150.585.147 100,00 Em 2007 a companhia distribuiu R$ 31,5 milhões a título
de dividendos, representando R$ 20,94 centavos de real por
ação, dos quais R$ 31,5 milhões serão distribuídos através de
juros sobre capital próprio e o restante por meio de dividendos.
Em conformidade com o Estatuto Social é garantido aos
acionistas dividendo mínimo obrigatório de 25% sobre o
No final do ano de 2007, o valor de mercado da TAM S.A. Ao final de 2007 integrávamos os seguintes índices: lucro líquido ajustado.
era de R$ 6,4 bilhões. A negociação média diária de nossa • Ibovespa (Índice da Bolsa de Valores de São Paulo). Nosso lucro por ação foi de R$ 0,9 em 2007, representando
ação em 2007 foi de 1,93% do total da participação de • IBrX-50 (Índice Brasil das 50 ações mais uma redução de 76,8% quando comparado com R$ 3,7 em 2006.
minoritários e o volume financeiro médio móvel manteve-se líquidas do Mercado).
acima de R$ 41 milhões. • IGC (Índice de Ações com Governança Lucro por Ação (R$)
Deixamos de integrar índice de sustentabilidade empresarial Corporativa Diferenciada). BR GAAP
(ISE) na carteira que vigora até o dia 30 de novembro de 2008, • IBrX (Índice Brasil). 4
3,7
porém estamos trabalhando para voltar a fazer parte deste índice. • ITag (Índice de Ações com Tag Along Diferenciado).
• IVBX 2 (Índice Valor Bovespa – 2ª Linha).
• MSCI Barra (Morgan Stanley Capital International). 3
• DJ Brazil Titans 20 ADR Index (Índice Dow Jones
para as 20 ADRs brasileiras de maior liquidez).
2

1 0,9

0
2006 2007

34 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 35


INVESTIMENTOS
E PERSPECTIVAS

Com a Boeing, em 2006,


a companhia contratou o pedido
de quatro Boeing 777-300 ER
com mais quatro opções para
o mesmo modelo de aeronave,
as quais foram confirmadas
em 2007
Estimativas de 2007
As nossas estimativas para 2007 foram:

Estimativas 2007 Realizado


Mercado Crescimento da demanda do mercado doméstico de 10% a 15% (em RPK) 11,9%

TAM Market share doméstico acima de 50% 48,9%


Taxa de ocupação doméstica cerca de 70% 70,5%
Horas voadas por aeronave por dia acima de 13 horas 12,6
Redução de 7% no CASK excluindo combustível em BR GAAP ano VS ano 5,2
Aumento nas operações internacionais
Terceira freqüência para Paris Desde janeiro
Inauguração de duas novas freqüências internacionais de longo curso Milão (março),
Frankfurt (novembro)
e Madri (dezembro)

36 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 37


• A estimativa para o mercado doméstico era de 10% a 15% frota trilho (desconsiderando as aeronaves de reserva
de crescimento de RPKs para 2007, sendo que a média ou paradas para manutenção). Projeção de Frota Em relação à Airbus, desde 1998, a TAM mantém pedidos
firmes para novas aeronaves da fabricante, das quais dois A320
do ano foi de 11,9%. • Superamos nosso compromisso de ampliação das operações Para fazer face ao crescimento previsto para 2008, remanescentes têm entrega programada em 2008. Em 2005,
• Mantivemos a liderança de participação do mercado internacionais: além de iniciar a terceira freqüência para temos contratos para a entrega futura de aeronaves junto a companhia assinou aditivo contratual para o pedido firme de
doméstico, com uma média de 48,9% em 2007. Paris em março de 2007, inauguramos três novos destinos: aos fabricantes, além das previstas para negociação no 20 aeronaves Airbus A320, restando 16 a serem entregues até
• Nossa taxa de ocupação média nos vôos domésticos Milão, Frankfurt e Madri. mercado spot. O aumento de ASKs previstos para 2008 será 2010, com opção para mais 20 da mesma família (inclui A319,
foi de 70,5, superior à média do mercado (69%). • Atingimos 74% da meta de redução do CASK excluindo produzido por: 1) novas aeronaves; 2) término da substituição A320 e A321). Já em 2006, a companhia finalizou o contrato
• Estimávamos manter uma média de 13 horas voadas por combustível em BR GAAP principalmente pelo impacto do F100 e das aeronaves MD11 por aviões de maior capacidade; para aquisição de mais 37 aeronaves Airbus (31 aeronaves
aeronave por dia, mas devido a restrições operacionais no negativo da meta de horas voadas por aeronaves por dia 3) aumento da utilização diária das aeronaves. narrow body família A320 e seis A330) para entregas até 2010.
aeroporto de Congonhas durante parte do ano de 2007, e pela expansão além do previsto no mercado internacional, Em 28 de junho de 2007, a TAM assinou Memorando de
atingimos uma média de 12,6 horas quando consideramos que acarretou em despesas pré-operacionais adicionais. Frota Total Entendimento para a aquisição de 22 Airbus A350XWB,
todas as aeronaves da nossa malha. Todavia esse número As horas voadas por aeronave por dia tiveram impacto pelas 150 modelos 800 e 900, com mais 10 opções para serem entregues
147
sobe para 13,4 horas, quando levamos em conta apenas a mudanças regulatórias/operacionais ocorridas ao longo de 2007. 136 141 entre 2013 e 2018. Adicionalmente, confirmou o exercício de
4 8
128 4
123 4 24 24 quatro opções de Airbus A330, dois dos quais serão entregues
4 22
115 20
em 2010 e dois em 2011, referente ao contrato do final de
3 18
100 2006. Ainda em 2007 a TAM assinou contrato de um leasing
14
operacional por seis anos com a Air Canadá para dois Airbus
A340-500, os quais foram entregues no último trimestre.
Com a Boeing, em 2006, a companhia contratou o pedido
50
88 101 104 110 113 115 de quatro Boeing 777-300 ER com mais quatro opções para
o mesmo modelo de aeronave, as quais foram confirmadas em
Estimativas de 2008 2007. Com isso, a Companhia passou a ter oito pedidos firmes
contratados com a Boeing para este tipo de aeronave, com
10
Considerando o crescimento do mercado, o nosso histórico de performance e os potenciais 0
entrega a partir de 2008. A TAM e a Boeing também assinaram
cenários competitivos, trabalhamos com as seguintes estimativas para 2008: 2007 2008 2009 2010 2011 2012 contrato de arrendamento de curto prazo para três aeronaves
B777 MD11 Wide Body Narrow Body F100 MD11, que irão operar até a entrega dos quatro primeiros
Estimativas 2008 Boeing 777-300 ER em 2008.
Estamos deixando de operar aviões de 100 lugares e,
Mercado Crescimento da demanda do mercado doméstico de 8% a 12% (em RPK)
a partir do 2T08, teremos apenas um tipo de equipamento
(Airbus da família A319/A320/A321) nas rotas domésticas
TAM Manter a liderança nos mercados doméstico e internacional e da América do Sul.
Crescimento de ASK
Mercado Doméstico 14%
Mercado Internacinal 40%
Taxa de ocupação total de aproximadamente 70%
Redução de 7% no CASK ex-combustível em BR GAAP ano VS ano
Três novas freqüências ou destinos internacionais em 2008

38 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 39


Rotas Domésticas Rotas Internacionais

Boa Vista
Londres
Frankfurt
Frankfurt
Seattle Paris Estrasburgo
Nantes
Macapá Portland Lyon Milão
Mineápolis Milão
Bordeaux Montpellier Nice
Trombetas Detroit Boston
Belém Chicago Cleveland Porto Toulouse Marselha
Salt Lake City Nova York
São Luís Filadélfia Madri
Parintins Santarém São Francisco Denver Baltimore Lisboa
Manaus San José Las Vegas Washinton D.C. Faro
Los Angeles Raleigh
Altamira Tucuruí
Fortaleza Phoenix Atlanta
San Diego Dallas Funchal Porto Santo
Jacksonville
Marabá Imperatriz Teresina Nova Orleans
Natal Orlando
Carajás Tampa
Miami
Araguaína João Pessoa
Recife
Porto Velho
Palmas Maceió
Rio Branco Alta Floresta
Ji-Paraná
Aracaju
Sinop Barreiras
Caracas
Vilhena Salvador

Vitória da Conquista Ilhéus

Cuiabá Brasília
Rondonópolis Goiânia
Montes Claros Porto Seguro Belém
Belém
Iquitos Manaus Fortaleza
Piura
Tarapoto
Gov. Valadares Chiclayo Recife
Uberlândia Trujillo Pucallpa
Ipatinga
Uberaba Araxá Belo Horizonte Lima
Campo Franca Vitória Cuzco Puerto Maldonado Salvador
Grande S.J. do Rio Preto
Araçatuba Ribeirão Preto Arequipa Juliaca Brasília
Brasília
Dourados Pres. Prudente Tacna
Bauru Arica Co
Cochabamba
Cocha
chabamba ba Belo Horizonte
Marília Iquique
Londrina Campinas Rio de Janeiro Sta. Cruzz
Maringá São Paulo Antofogasta Calama de la Sierra Rio de Janeiro
Salta
El Salvador
Assunção
Assunção Ciudad ão
São Paulo
Cascavel Copiapó
de
delLeste
Este Florianópolis
Florianópolis
Florian ópolis
Foz do Iguaçu Curitiba La Serena
Joinville Porto Alegre
Navegantes Córdoba
órdoba
Sta. Rosa Florianópolis Santiago Buenos Aires Punta del
el EEste
ste
Sto. Ângelo Concepción
Temuco
Montevidéu
Montevidéu
Valdívia
Sta. Maria Caxias do Sul Osorno
Uruguaiana
Rotas domésticas TAM Porto Alegre
Puerto Mont
Bariloche Rotas internacionais TAM
Alianças regionais Pelotas
Rio Grande
Balmaceda Comodoro Rivadavia Alianças internacionais
El Calafate
Rio Gallegos

Punta Arenas Ushuaia

40 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 41


Obtivemos ao longo
de 2007 importantes
PRÊMIOS
reconhecimentos
em diferentes aspectos
RECEBIDOS
de nossa operação

Alguns prêmios que IstoÉ Dinheiro


• “As Melhores da Dinheiro”
gostaríamos de destacar: Categoria Setor Aeronáutico

Transporte Moderno e Technibus DCI


• “Melhor Holding do Setor de Transporte” • “As Empresas Mais Admiradas em 2007”
Transporte geral Categoria Aviação

Interbrand Consumidor Moderno


• “Marcas Mais Valiosas do Brasil” • “As Empresas que Mais Respeitam o Consumidor”
Oitava posição Categoria Companhia Aérea

Institutional Investor Avião Revue


• “Companhia Mais Amigável aos Acionistas” • “Companhia Aérea do Ano”
Setor de aviação e transporte Aero Magazine
• Líbano foi eleito o “Melhor Chief Financial Officer” • “9º Prêmio Aero Magazine”
do setor
Revista Seleções Reader´s Digest
• Bologna foi eleito o terceiro “Melhor Chief • “Marcas de Confiança”
Executive Officer (CEO)” do setor Categoria Companhia Aérea

42 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 43


Visando a aumentar
a transparência e o diálogo
O BALANÇO
na relação com público
interno, clientes, fornecedores,
SOCIAL
investidores e governo, a TAM
busca informar suas ações
e prestar contas à sociedade
sobre as atividades que exerce
reforçando seus compromissos
com a sociedade

O Balanço Número de Funcionários ao Final


do Período X Investimento Social Interno.
Quantidade X Valor (R$ mil)
Social em 2007 486.060
Desde 2004 o Balanço Social modelo iBase é o instrumento
utilizado pela TAM para dar visibilidade de suas atividades,
apresentando um levantamento de indicadores de desempenho 370.088
econômico, social e ambiental da empresa.
266.777
230.196
Indicadores
Sociais Internos
A evolução dos investimentos voltados aos funcionários
8.215 9.637 13.159 20.473
na TAM acompanha a tendência de crescimento do seu número
de funcionários, apesar da proporção do crescimento ter sido
2004 2005 2006 2007
maior no número de funcionários - 149% frente a 111% de
crescimento do investimento social interno no mesmo período. Quantidade Valor (R$ mil)

44 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 45


Participação nos Lucros e Resultados Indicadores Sociais Externos Indicadores Ambientais Indicadores
A crise do setor aéreo comprometeu o resultado da empresa.
Apesar do crescimento de 10% na receita líquida de 2006 para
2007, o resultado operacional sofreu uma queda de 84%
A TAM manteve nos últimos 4 anos uma média próxima
a 0,2% da receita líquida para investimento social externo
do Corpo Funcional
7,84%
no mesmo período. Este fato teve impacto diretamente na (desconsiderado o total de tributos), seguindo uma tendência Em 2007 foram admitidos 9.825 funcionários. Deste
Participação nos lucros e resultados, que apresentou queda de crescimento em termos absolutos. número, aproximadamente 5.000 contratações decorreram
significativa quando comparada a 2006. Em especial atenção ao ano de 2007, a parcela mais do processo de internalização das Representações TAM, que
expressiva do total do investimento está concentrada na foi iniciado em 2006 e concluído em abril de 2007 e explica
Participação nos Lucros e Resultados. área de Cultura – 63,7%, que reúne diversas iniciativas, também a redução acentuada do número de terceiros de 2006
Valor (R$ Mil) como aporte de recursos ao Museu Asas de um Sonho para 2007.
através da Lei Rouanet e o Cine TAM. Além disso, neste ano foram incluídos na contabilização do
88.771
Outra parcela expressiva dos investimentos externos indicador Número de funcionários ao final do período da TAM
de 2007 está concentrada na área de Esportes - 18,5% Linhas Aéreas, os dados dos efetivos das empresas TAM Viagens
92,16%
do total investido. Dentre estes projetos, está o apoio ao e TAM Mercosur e das bases internacionais das três empresas.
Projeto Próximo Passo (PPP). A TAM apóia o projeto com Estes representam 8% do total de funcionários no período.
a doação de passagens aéreas aos atletas deficientes, Investimentos em programas
possibilitando sua participação em diversos eventos
e/ou projetos externos Acidentes de Trabalho
38.233 Investimentos relacionados com
esportivos nacionais e internacionais. Na análise do número de acidentes de trabalho de 2007
a produção/operação da empresa
verifica-se um aumento expressivo.
Historicamente a TAM vem priorizando os investimentos
Iniciativas de Ação Social relacionados com as suas operações, reforçando o compromisso da Número Total de Acidentes de Trabalho

Ao longo dos últimos anos a TAM vem estruturando seu empresa com a melhoria da gestão ambiental em seus negócios.
investimento social de forma a concentrar esforços em ações Tais investimentos estão alocados em ações realizadas no
2006 2007
planejadas e estratégicas. Este investimento envolve, além de Centro Tecnológico de São Carlos, tais como segregação na 363
iniciativas voltadas à gestão empresarial, o desenvolvimento origem e reaproveitamento de resíduos, tratamento de efluentes,
Cultura plantio em áreas de reserva legal e manutenção de viveiro.
de ações externas, através de investimento social, doações
O Balanço Social apresenta em 2007 grande aumento dos Ainda com relação aos investimentos relacionados com
de passagens aéreas para projetos sociais, parcerias com
investimentos em Cultura no item Indicadores Sociais Internos, a produção/ operação da empresa destaca-se o grande
instituições ligadas ao Terceiro Setor, tratamentos de saúde e 182
passando de R$ 175 mil para R$ 1.771 mil. Tal aumento está transporte de órgãos, além da doação para entidades carentes investimento realizado em 2006. Neste ano foi contabilizado 136
correlacionado à criação da área de endomarketing no final de como projeto ambiental toda a rede de saneamento externo 121
de itens remanescentes das aeronaves e advindos de
2006, que centralizou as iniciativas e os custos relacionados a campanhas de arrecadação junto aos seus funcionários. de São Carlos, de aproximadamente 10 milhões, o que justifica
eventos e manifestações artísticas e culturais voltadas ao público Desde sua implantação, diversos projetos foram ou a grande variação, se comparado com 2005 e 2007.
interno. Esta centralização permitiu a consolidação de informações continuam sendo apoiados pelo programa Sob as Asas da TAM. Investimentos Relacionados com 2004 2005 2006 2007
que anteriormente estavam descentralizadas na empresa. Transporte Solidário: Transporte de órgãos, de doentes a Produção/Operação da Empresa. R$ Mil
em tratamento médico e de animais silvestres em parceria Este número é reflexo da internalização das bases, que
Comunicação com o IBAMA. 14.816
Dentre outras iniciativas de comunicação e como mais trouxe para a empresa um aumento expressivo de funcionários
Campanhas de Mobilização e Voluntariado: Campanhas de locados em funções de maior risco ocupacional, além da
uma ação da campanha de Ética e Governança Corporativa,
arrecadação, Evento do Mês das Crianças e Natal Mágico TAM. contabilização das 38 ocorrências com funcionários devido
em novembro/2006, a TAM estabeleceu uma parceria com uma
ao acidente do vôo 3054 em jul/2007.
empresa norte-americana que exerce o papel de ouvidoria externa. Projetos e Apoio a Organizações em 2007
Através deste serviço, batizado de “Canal de Ética TAM”, Em 2007 a TAM concentrou seus esforços relacionados aos
todos os Funcionários TAM podem externar suas preocupações investimentos sociais nas áreas temáticas de Meio Ambiente e
pela internet ou telefone, com garantia de confidencialidade e de Capacitação Profissionalizante, realizados por meio de apoio
opção quanto à identificação. Em 2007 foram efetuados 2.171 a 3 projetos: Projeto “Asas” - Mogi Mirim (SP); Projeto ICC -
contatos, dos quais 89% foram finalizados e 11% encontram-se São Luís (MA); e Floresta do Futuro - SOS Mata Atlântica - 2.029 1.858
em processo de análise por parte do comitê de ética. Salesópolis (SP).

2005 2006 2007

Com relação aos investimentos em programas/projetos


externos, 2007 foi o primeiro ano em que ocorreram
investimentos nessa área.

46 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 47


Gênero e Cor/Raça Indicadores do Corpo Funcional - Mulheres Além disso, diversas ações têm sido tomadas no sentido de Reclamações e Críticas
O número de negros (pretos + pardos) que trabalham na 49%
adequar a empresa para receber esses profissionais, incluindo de Consumidores 2007
47% capacitação de gestores e funcionários e metas de contratação
empresa apresentou aumento nos últimos anos, passando de
5% do total do número de funcionários em 2004 para 20% em
42%
38%
para todas as filiais. Reclamações e Críticas Atendidas 2007
2007. O aumento é também expressivo no percentual de cargos A TAM possui um Termo de Acordo de Conduta firmado em
33% 32.433 32.433
de chefia ocupados por negros, que passa de 1% em 2004 para 30% fevereiro/2006 que vigora até fevereiro de 2008 com a DRT de São
28%
13% em 2007. Em ambos os casos o aumento é também um Paulo e que lhe possibilitou excluir da cota o grupo de Aeronautas
26%
reflexo da internalização das bases, considerando as funções - cerca de 40% do efetivo da empresa - conforme artigo 2º da Lei
internalizadas, incluindo os cargos de chefia. 7.183/84, tendo em vista o que dispõe o RBHA (Regulamento
Brasileiro de Homologação Aeronáutica) nº 67 do Departamento
Indicadores do Corpo Funcional - Negros de Aviação Civil, aprovado pela Portaria DAC 744/DGAC, de
12/11/1999, haja vista a necessidade de plena capacidade física
20%
para o desempenho de suas funções com segurança.

12%
13% 2004 2005 2006 2007 Aprendizes 6.320
2.105
Nº de mulheres/total de funcionários No terceiro ano de vigência, o Programa Nas Asas 237 816
% de cargos de chefia ocupado por mulheres da Educação - Jovem Aprendiz TAM, decorrente de parceria
firmada com a Delegacia Regional do Trabalho de São Paulo Empresa Procon Justiça
Deficientes (DRT-SP), CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola), ESPRO Atendidas Recebidas
6% e outros Centros de Capacitação, que tinha como meta a
5%
O número de deficientes sofreu aumento significativo –
aproximadamente 9 vezes entre 2005 e 2006. Em 2007 contratação e capacitação de 70 jovens em até três anos,
já possibilitou a capacitação de 97 aprendizes, os quais são Número Total de Reclamações e Críticas
2%
3% este número se manteve praticamente inalterado. de Consumidores(as) Empresa, Procon e Justiça
1% efetivados ao final do programa nas diversas áreas da
Total de Deficientes empresa conforme critérios pré-definidos. 36.566
Por ser realizado em parceria com centros de capacitação, 33.033
2004 2005 2006 2007 32.433
os aprendizes estão contabilizados no Balanço Social 2007
Nº de negros/total de funcionários
% de cargos de chefia ocupado por negros
como terceiros, representando 21% deste público.
331 335 21.896
Negros representam Pretos e Pardos, conforme classificação do Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Relacionamento
O percentual de mulheres em relação ao total de
funcionários da TAM apresentou redução significativa desde
com clientes
2004. Este, mais uma vez, reflete o processo de internalização
das bases, uma vez que os profissionais absorvidos foram em
e consumidores 1.143
2.092 3.004
6.320

127 233 496 816


sua maioria do sexo masculino devido às funções 39 37 Reclamações e críticas de consumidores
internalizadas, provocando impacto na questão de gênero, O maior número de reclamações e críticas de 2004 2005 2006 2007
tanto no total de mulheres na empresa como para sua consumidores está concentrado no atendimento realizado
2004 2005 2006 2007 Empresa Procon Justiça
representatividade em cargos de chefia. diretamente pela empresa, mantendo uma média em torno
A TAM tem se empenhado em incluir profissionais de 30.000 reclamações recebidas por ano. A existência, bem É necessário observar que, mesmo em número absoluto
deficientes em seu quadro funcional desde o início da vigência como o estímulo ao uso deste canal de atendimento direto, expressivamente menor nas reclamações efetuadas diretamente
da Lei de Cotas (Lei 7.853/1993). A TAM apóia desde 2006 permitiu que 100% das reclamações e críticas recebidas à empresa, as reclamações tanto no Procon como na Justiça
projetos de Capacitação de Deficientes e, em 2007, desenvolveu em 2007 pela empresa fossem atendidas: seguem uma tendência crescente no período 2004-2007
em parceria com o CIEE um programa próprio de 300 horas de (ambas aumentaram aproximadamente 6 vezes no período).
duração, cuja meta é capacitar e contratar 60 profissionais por O crescimento das reclamações, em sua maioria, foi devido
ano. O programa Nas Asas da Inclusão capacitou três turmas à crise de infra-estrutura do setor da aviação e também ao
durante o ano de 2007, totalizando 38 profissionais. Os alunos próprio processo de crescimento da companhia.
foram admitidos pela TAM já durante a fase de capacitação e,
ao término desta, conforme aproveitamento, perfil e interesses O Balanço Social completo está disponível no site
profissionais, foram alocados nas diversas áreas da empresa em de Relações com Investidores (www.tam.com.br/ri).
funções administrativas.

48 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 49


GLOSSÁRIO

Termos Financeiros EBIT: lucro operacional antes do resultado financeiro


e impostos.
Ação Ordinária: ações que conferem ao acionista direito de
voto na empresa, por ocasião da realização das assembléias EBITDA: é o mesmo que LAJIDA – Lucro operacional antes
de acionistas. de juros, impostos, depreciação e amortização.

Ação Preferencial: ações que oferecem preferência na EBITDAR: lucro operacional antes de juros, impostos,
distribuição de resultados ou no reembolso do capital em depreciação, amortização e custos com leasing de aeronaves.
caso de liquidação da companhia, não concedendo direito Fluxo de Caixa: movimentação do caixa de uma empresa
a voto, ou restringindo-o. resultante de pagamento ou recebimento de dinheiro.
ADR: American Depositary Receipt é o certificado emitido Governança Corporativa: termo que denomina um sistema
por bancos norte-americanos, que representa ações de uma que garante o tratamento igualitário entre os acionistas,
empresa fora dos Estados Unidos da América. Muitas além de transparência e responsabilidade na divulgação
empresas brasileiras têm suas ações negociadas na Bolsa dos resultados da empresa. Por meio da prática da
de Valores de Nova York por meio deste instrumento. governança corporativa os acionistas podem efetivamente
monitorar a direção executiva de uma empresa.
BR GAAP: princípios contábeis brasileiros.
Liquidez: disponibilidade de uma instituição para honrar
CVM: Comissão de Valores Mobiliários é o órgão regulador suas obrigações financeiras sem demora.
que disciplina e normatiza o funcionamento do mercado
Lucro Líquido: valor da Receita de Vendas Líquida, menos
de valores mobiliários.
o Custo do Produto Vendido, menos todas as despesas
Dividendo: valor pago aos acionistas de uma empresa, operacionais, menos resultado financeiro e despesas não
quando repartem parte dos seus lucros. operacionais, menos o Imposto de Renda do exercício.

50 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 51


Lucro por Ação: lucro líquido após o Imposto de Renda Termos do Setor RASK - Receita por ASK
dividido pelo número de ações. Quociente da divisão da receita líquida total pela quantidade
Passageiros Transportados Pagos de assentos disponíveis por quilômetros. O resultado é
Mercado de Capitais: mercado no qual são negociados Quantidade total de passageiros que efetivamente pagaram apresentado em centavos de real por assento-quilômetro.
os títulos de valores emitidos a médio e longo prazo, e voaram em todos os vôos da Companhia.
incluindo os títulos da dívida pública, os instrumentos CASK - Custo por ASK
de médio e longo prazos emitidos por instituições RPK - Passageiros/km Transp. Pagos Quociente da divisão dos custos operacionais totais
financeiras, e as obrigações (bônus) e ações emitidas Revenue Passenger Kilometre. Quantidade de quilômetros pela quantidade de assentos disponíveis por quilômetro.
pelas sociedades anônimas. voados por passageiro pagante. O resultado é apresentado em centavos de real por
ASK - Assentos/km Oferecidos assento- quilômetro.
Nível 2: uma classificação da Bovespa para governança
corporativa para companhias abertas. A classificação Available Seat Kilometer. Corresponde ao produto da Taxa de Ocupação (Load Factor)
Nível 2 são práticas de governança, no qual as companhias multiplicação da quantidade de assentos disponíveis em Medida de aproveitamento das aeronaves. Percentual das
se comprometem a aceitar as obrigações contidas no Nível todas as aeronaves pela distância dos vôos da Companhia. aeronaves que estão sendo ocupadas nos vôos, calculada
1, mais um conjunto maior de práticas de governança Tarifa Média pelo quociente entre RPK e ASK.
e de direitos adicionais para os acionistas minoritários. Quociente da divisão da receita proveniente de transporte Taxa de Ocupação de Equilíbrio (BELF)
PIB: Produto Interno Bruto, principal indicador da atividade de passageiros pela quantidade de passageiros Break-even load factor, ou taxa de ocupação em que as
econômica. É o valor de todos os bens e serviços produzidos transportados pagantes. receitas são equivalentes aos custos e despesas operacionais.
dentro das fronteiras de um país. Yield Participação de Mercado
SEC: Securities and Exchange Commission – órgão regulador Quociente da divisão da receita bruta de transporte de Participação percentual da empresa na demanda total
que define as regras do mercado de capitais norte-americano. passageiros pela quantidade de passageiros por quilômetro do mercado (medido em RPKs).
transportados pagos. O resultado é apresentado em centavos
US GAAP: princípios contábeis norte-americanos. de real por quilômetro. Horas Voadas
Tempo de vôo da aeronave computado entre o momento
da partida e o corte do motor.
Número de Etapas
Número de ciclos operacionais realizados por nossas aeronaves
que corresponde ao conjunto de decolagem, vôo e aterrissagem.

52 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 53


INFORMAÇÕES
CORPORATIVAS

Conselho
de Administração
Maria Cláudia Oliveira Amaro Demenato Noemy Almeida Oliveira Amaro
Membro desde 18/09/2003 Membro desde 27/08/2001
Presidente do Conselho Conselheiro

Maurício Rolim Amaro Pedro Pullen Parente


Membro desde 20/12/2004 Membro desde 27/04/2007
Vice-Presidente do Conselho Conselheiro

Adalberto de Moraes Schettert Roger Ian Wright


Membro desde 31/08/2005 Membro desde 30/04/2003
Conselheiro Conselheiro

Luiz Antônio Corrêa Nunes Viana Oliveira Waldemar Verdi Júnior


Membro desde 27/06/2003 Membro desde 23/01/2006
Conselheiro Conselheiro

54 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 55


Maria Cláudia Oliveira Amaro Demenato é filha da Sra. Noemy Almeida Oliveira Amaro é membro do Conselho Contatos
Noemy Almeida Oliveira Amaro e ocupa posição de diretora de Administração desde agosto de 2001 e viúva do
TAM S.A.
executiva na TEP. Anteriormente, a Sra. Demenato serviu Presidente anterior da TAM, o falecido Sr. Rolim Adolfo
Amaro. A Sra. Amaro foi professora. Atualmente, é Relações com Investidores:
como diretora executiva na TAM Linhas Aéreas, e
atualmente também integra o Conselho de Administração da Diretora da sua controladora TEP. A Sra. Amaro é também Tel.: (11) 5582-9715
Aerosystem S.A. e da TAM Marília. A Sra. Demenato possui presidente do Conselho de Administração da Aerosystem Fax: (11) 5582-8149
diploma de graduação em Administração de Empresas. S.A. e da TAM Marília. invest@tam.com.br
www.tam.com.br/ri
Maurício Rolim Amaro é filho da Sra. Noemy Almeida Pedro Pullen Parente atualmente é vice-presidente
Oliveira Amaro e ocupa posição de diretor executivo na TEP executivo da Rede Brasil Sul. O Sr. Parente foi ministro-chefe
e, atualmente, integra o Conselho de Administração da da Casa Civil e Secretário Executivo da Fazenda no período Assessoria de Impressa:
Aerosystem S.A. e da TAM Marília. O Sr. Amaro possui de 1994 a 2002. Exerceu também função de consultor
permanente do Fundo Monetário Internacional (FMI). Tel.: (55) (11) 5582-8167
diploma de graduação em Administração de Empresas e Fax: (55) (11) 5582-8155
também em Aviation Administration pela Broward Roger Ian Wright possui diploma de graduação em
Community College, na Flórida, EUA. Administração de Empresas pela University of Pennsylvania. tamimprensa@tam.com.br
Adalberto de Moraes Schettert possui diploma de graduação Antes de se juntar à Companhia, exerceu cargos executivos na
em Engenharia Química e Administração de Empresas. Antes Adubos Trevos, Garantia Administração de Investimentos S.A.,
de se juntar à TAM, o Sr. Schettert trabalhou no Unibanco - Banco de Investimentos Credit Suisse (Brasil) S.A., Bassini
União de Bancos Brasileiros S.A., onde exerceu diversos Playfair Wright Ltda. e BPW Wealth Management Ltda.
cargos executivos, incluindo a posição de vice-presidente. Waldemar Verdi Júnior possui diploma de graduação em
Adicionalmente, o Sr. Schettert já trabalhou na Crefidata - Direito e freqüentou cursos extensivos em Administração de
Processamento de Dados do Banco Crefisul S.A., na Prefeitura Empresas pela University of Southern California (1977) e
Municipal de Porto Alegre, e no Banco Industrial de INSEAD (1982 e 2004). O Sr. Verdi Júnior também é membro
Investimento do Sul S.A. O Sr. Schettert também foi membro do comitê de acionistas do Grupo Verdi - GV Holding S.A, e
do conselho e administração da Companhia Siderúrgica membro dos conselhos de administração do Banco
Tubarão. O Sr. Schettert foi professor na Universidade Federal Rodobens, Companhia Hipotecária Unibanco - Rodobens,
do Rio Grande do Sul, na Universidade Católica de Pelotas e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo - CIESP,
no Instituto Educacional São Judas Tadeu. Associação Comercial de São Paulo, COMGÁS - Companhia
Luiz Antônio Correa Nunes Viana Oliveira possui um de Gás de São Paulo e CDES - Conselho do Desenvolvimento
diploma de graduação em Engenharia Mecânica. O Sr. Econômico e Social do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Oliveira já trabalhou na IBM, Banco Denasa, BNDES e IFC Antes de se juntar à TAM, exerceu trabalhou na ASSOBENS - Ressalva sobre informações futuras:
Associação Brasileira dos Distribuidores de Mercedes-Benz, Este comunicado pode conter previsões de eventos futuros.
e também como diretor executivo no Grupo Ultra, Grupo Pão Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores
de Açúcar, Petrobrás Distribuidora S.A e NET Serviços de ABRAD - Associação Brasileira das Administradoras de
da Companhia, e envolve riscos ou incertezas previstos ou não.
Comunicação S.A. Foi também membro do Conselho de Consórcio dos Distribuidores de Veículos Automotores e A Companhia não se responsabiliza por operações ou decisões
Administração da Aracruz, Arafertil, Copesul, Riocell, FENABRAVE - Federação Nacional da Distribuição de de investimento tomadas com base nas informações aqui contidas.
Perdigão, Pão de Açúcar e ABTA. Veículos Automotores. Estas previsões estão sujeitas a mudanças sem aviso prévio.

56 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 57


TAM S.A.

BR GAAP

TAM Relatório Anual 2007 59


Balanços Patrimoniais em 31 de Dezembro
Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado
Ativo 2007 2006 2007 2006 Passivo e patrimônio líquido 2007 2006 2007 2006
(Nota 21(h)) (Nota 21(h)) Circulante (Nota 21(h)) (Nota 21(h))
Circulante Fornecedores 426.856 346.817
Disponibilidades 1.051 146 134.873 122.458 Empréstimos e financiamentos (Nota 12) 881.148 221.908

Aplicações financeiras (Nota 3) 510.714 668.505 2.472.004 2.330.520 Arrendamentos a pagar (Nota 13) 72.917 69.108
Debêntures (Nota 18) 23.147 28.573 32.159 60.588
Contas a receber (Nota 4) 937.928 780.972
Salários e encargos sociais 43 115 236.708 194.128
Estoques (Nota 5) 162.471 113.875
Transportes a executar (Nota 16) 791.546 759.210
Tributos a recuperar (Nota 6) 16.150 6.769 87.017 67.345
Impostos e tarifas a recolher 11 25 59.051 63.783
Pré-pagamentos de aeronaves (Nota 7) 864.440 221.793
Programa Fidelidade – TAM (Nota 28) 20.614 19.039
Juros sobre capital próprio e dividendos a receber (Nota 10) 55.361 44.495 Imposto de renda e contribuição social (Nota 20) 20.079 1.993
Imposto de renda e contribuição social diferidos (Nota 20) 6.064 1.164 37.950 36.117 Juros sobre capital próprio e dividendos a distribuir (Nota 21) 72.616 137.629 72.616 137.629
Despesas do exercício seguinte 436 1.800 151.372 88.138 Reorganização da frota Fokker-100 (Nota 15) 11.501 11.813
Seguros de aeronaves e outros 44.515 29.189 Bônus Sênior (Nota 19) 7.076
Demais contas a receber 137.071 72.765 Demais contas a pagar 2 4 119.709 149.681

589.776 722.879 5.029.641 3.863.172 95.819 166.346 2.751.980 2.035.697


Não Circulante Não Circulante
Realizável a longo prazo Exigível a longo prazo
Depósitos em garantia (Nota 8) 161.488 144.444 Empréstimos e financiamentos (Nota 12) 219.189 230.864
Imposto de renda e contribuição social diferidos (Nota 20) 195.415 109.277 Arrendamentos a pagar (Nota 13) 53.196 92.954
Depósitos judiciais (Nota 17) 14 14 75.017 55.577 Debêntures (Nota 18) 500.000 500.000 500.000 508.076
Pré-pagamentos de aeronaves (Nota 7) 105.115 130.915 Imposto de renda e contribuição social diferidos (Nota 20) 50.861 56.306
Pré-pagamentos de manutenção (Nota 7) 119.633 46.596 Provisão para contingências (Nota 17) 844.713 722.761

Demais contas a receber 1.164 53.541 26.346 Reorganização da frota de Fokker-100 (Nota 15) 41.523 62.806

1.178 14 710.209 513.155 Bônus Sênior (Nota 19) 531.390

Permanente Partes relacionadas (nota 10) 536 536


Demais contas a pagar 5.122 1.564 44.724 2.060
Investimentos (Nota 9) 1.502.180 1.388.985 70 70
505.658 502.100 2.285.596 1.675.827
Imobilizado (Nota 11) 789.885 791.685
Diferido 717 Resultado de exercícios futuros 11.099 11.099

Intangível 13.156 Participação de acionistas minoritários 2.629 2.744

1.502.180 1.388.985 803.111 792.472 Patrimônio líquido


Capital social (Nota 21) 675.497 675.000 675.497 675.000
1.503.358 1.388.999 1.513.320 1.305.627
Reserva de capital (Nota 21) 102.855 102.855 102.855 102.855
Total do ativo 2.093.134 2.111.878 6.542.961 5.168.799
Reserva de reavaliação (Nota 11) 135.134 147.874 135.134 147.874
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.
Reservas de lucros (Nota 21) 578.171 517.703 578.171 517.703
1.491.657 1.443.432 1.491.657 1.443.432
Total do passivo e do patrimônio líquido 2.093.134 2.111.878 6.542.961 5.168.799

60 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 61


Demonstrações de resultados Demonstração das mutações do patrimônio líquido
Exercícios findos em 31 de dezembro
Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado Em milhares de reais exceto Reserva de Reserva de
2007 2006 2007 2006 quando indicado de outra forma capital reavaliação Reservas de lucros
(Nota 21(h)) (Nota 21(h)) Ágio na De ativos Lucros
Capital emissão de Retenção (prejuízos)
Receita operacional (Nota 22) Social de ações controladas Legal de lucros acumulados Total
Receitas de vôo Em 31 de dezembro de 2005 153.909 350.782 161.196 5.988 88.212 760.087
Doméstico 4.833.903 5.161.935 Ajustes de exercícios anteriores (Nota 21(h))
Internacional 2.129.741 1.537.459 Programa Fidelidade (8.919) (8.919)
Cargas 776.817 486.495 Marcação a mercado de
Outras 733.491 514.202 instrumentos derivativos (61.750) (61.750)
8.473.952 7.700.091 Saldo de abertura ajustado (70.669) 689.418
Deduções e impostos sobre vendas (322.778) (355.441) Aumento de capital por emissão de ações (Nota 21(b)) 34.316 238.848 273.164
Receita operacional líquida 8.151.174 7.344.650 Atendimento à interpretação Técnica
Custo dos serviços prestados (Nota 23) (5.858.936) (4.730.669) n° 01/06 do Ibracon (Nota 21(i)) (10.194) 15.445 5.251
Capitalização de reserva 486.775 (486.775)
Lucro bruto 2.292.238 2.613.981
Realização da reserva de reavaliação, líquido (4.246) 4.246
Receitas (Despesas) operacionais Reversão de reserva de reavaliação por baixa
Comerciais (Nota 23) (1.449.232) (1.186.276) de motores de aeronaves (5.613) (5.613)
Gerais e administrativas (Nota 23) (5.315) (12.597) (553.166) (410.360) Reavaliação, líquida dos efeitos
tributários (Nota 21(d)) 6.731 6.731
Honorários da administração (Nota 23) (1.308) (1.374) (27.739) (20.764)
Lucro líquido do exercício originalmente apresentado 555.954 555.954
Outras despesas operacionais, líquidas (717) (717) (44.841) (126.199) Ajustes identificados em 2007 (Nota 21(h)):
(7.340) (14.688) (2.074.978) (1.743.599) Relativos a 2005 61.750 61.750
Lucro (prejuízo) operacional antes das participações societárias Relativos a 2006 (5.954) (5.954)
e do resultado financeiro (7.340) (14.688) 217.260 870.382 Lucro líquido ajustado 611.750 611.750
Equivalência patrimonial (Nota 9) 133.824 577.360 Destinação do lucro
Resultado financeiro (Nota 24) Constituição de reservas 27.798 401.659 (429.457)
Despesas financeiras (62.049) (26.320) (454.757) (197.878) Juros sobre capital próprio a distribuir
Receitas financeiras 59.561 90.524 450.192 254.178 (R$ 0,11231965 por ação) (16.911) (16.911)

Lucro operacional 123.996 626.876 212.695 926.682 Dividendos a distribuir (R$ 0,79938215 por ação) (120.358) (120.358)

Resultado não operacional (41.710) 11.356 Em 31 de dezembro de 2006 675.000 102.855 147.874 33.786 489.871 (5.954) 1.443.432
Lucro antes do imposto de renda Aumento de capital por emissão de ações (Nota 21(b)) 497 497
e da contribuição social 123.996 626.876 170.985 938.038 Realização da reserva de reavaliação,
Imposto de renda e contribuição social líquido (Nota 21(d)) (3.665) 3.665
Do exercício (Nota 20) (15.126) (138.956) (269.642) Reversão da reserva de reavaliação por baixa (8.285) (8.285)
Diferido (Nota 20) 4.900 96.857 (55.636) Reavaliação, líquida dos efeitos tributários (Nota 11(b)) (790) (790)
Lucro antes da participação dos acionistas minoritários 128.896 611.750 128.886 612.760 Lucro líquido do exercício 128.896 128.896
Destinação do lucro
Participação dos acionistas minoritários 10 (1.010)
Constituição de reservas 6.445 83.069 (89.514)
Lucro líquido do exercício 128.896 611.750 128.896 611.750
Juros sobre capital próprio a distribuir
Quantidade de ações no final do exercício (em milhares) 150.585 150.563 (R$ 0,24632580 por ação) (37.093) (37.093)
Lucro líquido por ação do capital social, em circulação, ao final do exercício - R$ 0,86 4,06 Dividendo complementar (R$ 0,23242664 por ação) (35.000) (35.000)
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras. Em 31 de dezembro de 2007 675.497 102.855 135.134 40.231 537.940 1.491.657
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.

62 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 63


Demonstração das origens e aplicações de recursos Informações adicionais – Anexo I
Exercícios findos em 31 de dezembro Demonstrações do Fluxo de Caixa
Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado
2007 2006 2007 2006 2007 2006 2007 2006
(Nota 21(h)) (Nota 21(h)) (Nota 21(h)) (Nota 21(h))
Origens dos recursos
Das operações sociais Fluxo de caixa das atividades operacionais
Lucro líquido do exercício 128.896 611.750 128.896 611.750 Lucro líquido do exercício 128.896 611.750 128.896 611.750
Despesas (receitas) que não afetam o capital circulante
Amortizações de ágio em controlada (Nota 9) 717 717 717 717 Ajustes para reconciliar o lucro líquido ao caixa gerado
pelas (utilizado nas) atividades operacionais
Depreciações e amortizações (Nota 23) 116.128 101.855
Equivalência patrimonial em controladas (Nota 9) (133.824) (577.360) Depreciações e amortizações 116.128 101.855
Valor residual de ativo permanente baixado 48.542 17.512 Imposto de renda e contribuição social diferidos (4.900) (96.857) 55.636
Imposto de renda e contribuição social diferidos de longo prazo (Nota 20) (91.583) 22.381
Provisão para contingências 65.727 68.660
Provisão para contingências (Nota 17 (a)) 65.727 68.660
Variações monetárias e juros sobre ativos e passivos não circulantes (34.555) (14.811) Equivalência Patrimonial (133.824) (577.360)
Participação dos acionistas minoritários (10) 1.010 Amortização de ágio 717 717 717 717
Lucro (prejuízo) líquido do exercício ajustado (4.211) 35.107 233.862 809.074
Valor residual de ativo permanente baixado 48.542 17.512
Juros sobre capital próprio de controladas 38.450 16.911
Juros e variações cambiais sobre ativos e passivos 60.195 20.087 186.137 33.514
34.239 52.018 233.862 809.074
Dos acionistas Outras provisões 69.616 8.878
Aumento de capital por emissão de ações (Nota 21) 497 273.164 497 273.164 Participações acionistas minoritários (10) 1.010
De terceiros
(Aumento) diminuição de ativos
Aumento do passivo não circulante 3.558 502.100 1.175.034 659.376
Transferência do imobilizado para estoques destinados à venda 83.951 Contas a receber (184.347) (30.045)
Transferências do realizável a longo prazo para o circulante 25.621 32.775 Estoques (90.822) (7.738)
3.558 502.100 1.284.606 692.151 Tributos a recuperar (9.381) 928 (19.672) (24.310)
Total das origens 38.294 827.282 1.518.965 1.774.389
Aplicações dos recursos Despesas do exercício seguinte 1.364 (1.800) (63.234) 2.686
Aumento do realizável a longo prazo 1.164 4 187.784 232.580 Pré-pagamentos de aeronaves (49.479) (247.879)
No ativo permanente
Depósitos em garantia (44.372) (31.861)
Investimento 27.613 508.486
Imobilizado 251.955 136.136 Imposto de renda e contribuição social diferidos 1.848 3.441 23.593
Intangível 13.156 Depósitos judiciais (14) (19.440) 270
Transferências do passivo não circulante para o circulante 543.791 168.281
Pré-pagamentos de manutenção (92.667) (46.596)
Juros sobre capital próprio e dividendos a distribuir 72.093 137.269 72.093 137.269
Total das aplicações 100.870 645.769 1.068.779 674.266 Outros (1.164) (111.116) (65.566)
Aumento (redução) do capital circulante (62.576) 181.513 450.186 1.100.123 Aumento (diminuição) de passivos
Variação no capital circulante Fornecedores 80.039 64.769
Ativo circulante
Salários e encargos sociais (72) 19 42.580 60.080
No fim do exercício 589.776 722.879 5.029.641 3.863.172
No início do exercício 722.879 407.967 3.863.172 2.204.576 Transportes a executar 32.336 201.563
(133.103) 314.912 1.166.469 1.658.596 Impostos e tarifas a recolher (14) (12) (4.732) 28.627
Passivo circulante Arrendamento a pagar (17.812) (28.752)
No fim do exercício 95.819 166.346 2.751.980 2.035.697
Provisão para imposto de renda e contribuição social a pagar (3.409) 18.086 (25.080)
No início do exercício 166.346 32.947 2.035.697 1.477.224
Empresas ligadas e controladas 536
(70.527) 133.399 716.283 558.473
Demais contas a pagar 3.557 1.568 13.955 (51.123)
Aumento (redução) do capital circulante (62.576) 181.513 450.186 1.100.123
Caixa líquido gerado pelas (utilizado nas) atividades operacionais 45.374 54.858 11.641 722.170
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras.

64 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 65


Informações adicionais – Anexo I (continuação) Informações adicionais – Anexo II
Demonstrações do Fluxo de Caixa Demonstrações do Valor Adicionado
Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Controladora Consolidado
2007 2006 2007 2006 2007 2006 2007 2006
(Nota 21(h)) (Nota 21(h)) (Nota 21(h)) (Nota 21(h))
Fluxo de caixa das atividades de investimentos Receitas
Investimentos em controladas (30) (508.486) Vendas de serviços 8.473.952 7.700.091
Aquisição de imobilizado (251.955) (136.136) Provisão para devedores duvidosos (27.391) (36.227)
Transferência do imobilizado para estoques destinados à venda 83.951 Não operacionais (41.711) 11.356

Aumento de ativo intangível (13.156) (8.404.850) 7.675.220

Caixa líquido gerado pelas (aplicado nas) atividades de investimentos (30) (508.486) (181.160) (136.136) Insumos adquiridos de terceiros
Custos dos serviços prestados (2.977.218) (2.391.322)
Fluxo de caixa das atividades de financiamentos
Materiais, energia, serviços de terceiros e outros (1.477) (9.068) (2.143.831) (2.025.562)
Aumento de capital 497 273.164 497 273.164
(1.477) (9.068) (5.121.049) (4.416.884)
Dividendos pagos (137.106) (29.045) (137.629) (29.045)
Valor adicionado bruto (1.477) (9.068) 3.283.801 3.258.336
Empréstimos e financiamentos
Retenções
Aquisição 638.105 1.248.331
Depreciação e amortização (116.128) (101.855)
Pagamento (inclui juros) (65.621) (639.763) (1.088.626) Amortização de ágio em controlada (717) (717) (717) (717)
Arrendamentos mercantis
Valor adicionado líquido produzido pela entidade (2.194) (9.785) 3.166.956 3.155.764
Pagamento (inclui juros) (25.632) (15.310)
Recebido em transferência
Debêntures
Equivalência patrimonial 133.824 577.360
Aquisição 508.486 508.486 Receitas financeiras 98.011 107.435 450.192 254.178
Pagamento (inclui juros) (99.443) (25.508) Valor adicionado total a distribuir 229.641 675.010 3.617.148 3.409.942
Bônus sênior Distribuição do valor adicionado
Aquisição 607.080 Pessoal e encargos (1.538) (1.686) (1.132.323) (768.530)
Pagamento (inclui juros) (19.797)
Impostos, taxas e contribuições 499 (22.615) (1.042.360) (1.139.480)
Caixa líquido gerado pelas (aplicado nas) atividades de financiamentos (202.230) 752.605 323.418 871.492
Aluguéis (880.757) (718.797)
Aumento líquido (redução) nas disponibilidades e aplicações financeiras (156.886) 298.977 153.899 1.457.526 Juros e variações cambiais (99.716) (38.959) (432.822) (171.385)
Disponibilidades e aplicações financeiras no final do exercício 511.765 668.651 2.606.877 2.452.978 Juros sobre capital próprio e dividendos a distribuir (72.093) (133.519) (72.093) (133.519)
Disponibilidades e aplicações financeiras no início do exercício 668.651 369.674 2.452.978 995.452 Retenção de lucros 56.793 478.231 56.793 478.231
Variação nas disponibilidades e aplicações financeiras (156.886) 298.977 153.899 1.457.526

66 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 67


Informações adicionais – Anexo III Informações adicionais – Anexo III (continuação)
Balanço Social Anual / 2007 Empresa: TAM S.A. e TAM S.A. e empresas controladas Balanço Social Anual / 2007Empresa: TAM S.A. e TAM S.A. e empresas controladas
Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Consolidado Em milhares de reais exceto quando indicado de outra forma Consolidado
2007 Valor (Mil reais) 2006 Valor (Mil reais) 2007 2006
(Nota 21(h)) 5 - Indicadores do Corpo Funcional
1 - Base de Cálculo
Nº de empregados(as) ao final do período 20.473 13.159
Receita líquida (RL) 8.151.174 7.343.086
Nº de admissões durante o período 9.825 4.792
Resultado operacional (RO) 175.602 909.771
Nº de empregados(as) terceirizados(as) 455 5.161
Folha de pagamento bruta (FPB) 1.201.274 824.422 Nº de estagiários(as) 68 36
2 - Indicadores Sociais Internos Valor (mil) % sobre FPB % sobre RL Valor (mil) % sobre FPB % sobre RL Nº de empregados(as) acima de 45 anos 1.802 1.340
Alimentação 119.607 9,96% 1,47% 68.396 8,30% 0,93% Nº de mulheres que trabalham na empresa 7.829 5.558
Encargos sociais compulsórios 272.299 22,67% 3,34% 167.816 20,36% 2,29% % de cargos de chefia ocupados por mulheres 28,00% 32,71%
Previdência privada 13.025 1,08% 0,16% 3.854 0,47% 0,05% Nº de negros(as) que trabalham na empresa 4.145 1.589
Saúde 11.251 0,94% 0,14% 8.387 1,02% 0,11% % de cargos de chefia ocupados por negros(as) 13,00% 3,01%
Segurança e saúde no trabalho 1.026 0,09% 0,01% 1.153 0,14% 0,02% Nº de portadores(as) de deficiência ou necessidades especiais 335 331
Educação 141 0,01% 0,00% 0 0,00% 0,00% 6 - Informações relevantes quanto ao exercício da cidadania empresarial 2007 Metas 2008
Cultura 1.771 0,15% 0,02% 175 0,02% 0,00% Relação entre a maior e a menor remuneração na empresa 0 0
Capacitação e desenvolvimento profissional 17.042 1,42% 0,21% 14.565 1,77% 0,20% Número total de acidentes de trabalho 363 326
Creches ou auxílio-creche 495 0,04% 0,01% 345 0,04% 0,00% Os projetos sociais e ambientais desenvolvidos ( ) direção ( X ) direção e ( ) todos(as) ( ) direção ( X ) direção e ( ) todos(as)
pela empresa foram definidos por: gerências empregados(as) gerências empregados(as)
Participação nos lucros ou resultados 38.233 3,18% 0,47% 88.771 10,77% 1,21%
Os pradrões de segurança e salubridade ( ) direção e ( ) todos(as) ( X ) todos(as) ( ) direção e ( ) todos(as) ( X ) todos(as)
Outros 11.420 0,95% 0,14% 16.626 2,02% 0,23% no ambiente de trabalho foram definidos por: gerências empregados + Cipa gerências empregados(as) + Cipa
Total - Indicadores sociais internos 486.310 40,48% 5,97% 370.088 44,89% 5,04% Quanto à liberdade sindical, ao direito ( ) não se ( ) segue as ( X ) incentiva ( ) não se ( ) seguirá as ( X ) incentivará
de negociação coletiva e representação envolve normas da OIT e segue a OIT envolverá normas da OIT e seguirá a OIT
3 - Indicadores Sociais Externos Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Valor (mil) % sobre RO % sobre RL interna dos(as) trabalhadores(as), a empresa:
Educação 680 0,39% 0,01% 1.054 0,12% 0,01% A previdência privada contempla: ( ) direção ( ) direção e ( X ) todos(as) ( ) direção ( ) direção e ( X ) todos(as)
gerências empregados(as) gerências empregados(as)
Cultura 10.409 5,93% 0,13% 5.891 0,65% 0,08%
A participação dos lucros ou resultados contempla: ( ) direção ( ) direção e ( X ) todos(as) ( ) direção ( ) direção e ( X ) todos(as)
Saúde e saneamento 1.020 0,58% 0,01% 1.126 0,12% 0,02% gerências empregados(as) gerências empregados(as)
Esporte 3.027 1,72% 0,04% 2.045 0,22% 0,03% Na seleção dos fornecedores, os mesmos padrões ( ) não são ( X ) são ( ) são ( ) não serão ( X ) serão ( ) serão
éticos e de responsabilidade social e ambiental considerados sugeridos exigidos considerados sugeridos exigidos
Combate à fome e segurança alimentar 20 0,01% 0,00% 0 0,00% 0,00% adotados pela empresa:
Outros 1.193 0,68% 0,01% 887 0,10% 0,01% Quanto à participação de empregados(as) ( ) não se ( ) apóia ( X ) organiza ( ) não se ( ) apoiará ( X ) organizará
Total das contribuições para a sociedade 16.349 9,31% 0,20% 11.003 1,21% 0,15% em programas de trabalho voluntário, a empresa: envolve e incentiva envolverá e incentivará

Tributos (excluídos encargos sociais) 900.236 512,66% 11,04% 985.470 108,32% 13,42% Número total de reclamações na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiça
e críticas de consumidores(as): 32.433 816 6.320 36.325 915 7.100
Total - Indicadores sociais externos 916.585 521,97% 11,24% 996.473 109,53% 13,57%
% de reclamações e críticas na empresa no Procon na Justiça na empresa no Procon na Justiça
4 - Indicadores Ambientais Valor (mil) % sobre RO % sobre RL Valor (mil) % sobre RO % sobre RL atendidas ou solucionadas: 100% 29% 33,3% 100% 29% 33,3%
Valor adicionado total a distribuir (em mil R$): Em 2007: 3.617.148 Em 2006: 3.409.942
Investimentos relacionados com a produção/
operação da empresa 1.858 1,06% 0,02% 14.816 1,63% 0,20% Distribuição do Valor Adicionado (DVA): 28,8% governo 31,3% colaboradores(as) 2% acionistas 33,4% governo 22,5% colaboradores(as)
36,3% terceiros 1,6% retido 3,9% acionistas 26,1% terceiros 14% retido
Investimentos em programas e/ou projetos externos 158 0,09% 0,00% 0 0,00% 0,00%
7 - Outras Informações
Total dos investimentos em meio ambiente 2.016 1,15% 0,02% 14.816 1,63% 0,20% TAM S.A. CNPJ: 01.832.635/0001-18 Setor econômico: serviços de transportes e logística. UF: SP Detalhamentos, comentários e projetos
estão destacados no Relatório da Administração da Companhia, publicado juntamente com as demonstrações financeiras. Responsáveis
Quanto ao estabelecimento de “metas anuais” ( ) não possui metas ( ) não possui metas pelas informações: Guilherme Cavalieri e Roberto Hobeika Contato: 5033-2102 rhreg@tam.com.br Esta empresa não utiliza mão-de-obra infantil
para minimizar resíduos, o consumo em geral ( ) cumpre de 51 a 75% ( ) cumpre de 51 a 75% ou trabalho escravo, não tem envolvimento com prostituição ou exploração sexual de criança ou adolescente e não está envolvida com corrupção.
na produção/operação e aumentar a eficácia ( X ) cumpre de 0 a 50% ( X ) cumpre de 0 a 50%
na utilização de recursos naturais, a empresa ( ) cumpre de 76 a 100% ( ) cumpre de 76 a 100% “A versão do Balanço Social publicada no Jornal Valor Econômico na data de 31/03/2008 contém alguns erros de digitação/diagramação. Solicitamos considerar como oficial
a versão publicada neste relatório. Pedimos desculpas pelo ocorrido.”

68 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 69


Notas explicativas da administração ao tempo, levando em consideração o principal em aberto
e as taxas efetivas ao longo do período até o vencimento
O deságio decorrente da aquisição da Mercosur é atribuído
a razões econômicas diversas (art. 21, alínea c da Instrução
às demonstrações financeiras ou o encerramento das demonstrações financeiras. CVM no. 1/78) e, portanto, somente será amortizado no caso
de baixa por alienação ou perecimento do investimento, em
Em 31 de dezembro de 2007, de 2006 (b) Moeda estrangeira atendimento ao artigo 14, parágrafo 4, da Instrução CVM nº.
Os itens em moeda estrangeira incluídos nas demonstrações 247/96. Ainda em atendimento à referida instrução, na
Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma financeiras da Companhia (Controladora e Consolidado) posição consolidada, o saldo foi reclassificado para a rubrica
são primariamente mensurados usando-se a moeda que melhor de "Resultados de exercícios futuros".
reflete a relevância e a essência econômica dos eventos • Ativo imobilizado
1 Contexto operacional e outras similares. Os resultados reais podem apresentar variações
e das circunstâncias subjacentes ("moeda de medição"). O ativo imobilizado é registrado ao custo de aquisição,
A TAM S.A. (“TAM” ou “Companhia”) é uma sociedade por em relação às estimativas. A Companhia e suas controladas
Nas demonstrações financeiras da Companhia, os itens formação ou construção, acrescido de reavaliação efetuada
ações constituída em 12 de maio de 1997, cujo objeto social revisam as estimativas e premissas pelo menos anualmente. em moeda estrangeira são apresentados em reais (R$), que
Com o objetivo de propiciar informações adicionais, estão por suas controladas para determinados grupos de contas,
é, primordialmente, a participação direta no capital de é a moeda de medição da Companhia.
sendo também apresentadas: (a) demonstração do fluxo com base em avaliações feitas por avaliadores independentes.
empresas dedicadas à atividade de transporte aéreo. A As transações em moeda estrangeira são convertidas
de caixa (“DFC”) (Anexo I), preparada de acordo com a Norma Os aumentos no valor contábil resultantes da reavaliação
Companhia mantém participações na TAM Linhas Aéreas S.A. a partir das moedas de medição usando-se as taxas de câmbio dos bens de empresas controladas são creditados na reserva
(“TLA”), empresa que opera principalmente linhas regulares de e Procedimento Contábil (“NPC”) nº. 20/99 emitida pelo em vigor nas datas das transações. Os saldos das contas de reavaliação no patrimônio líquido. A cada ano, a diferença
transporte aéreo de passageiros e cargas no país e no exterior Instituto Brasileiro dos Auditores Independentes (“Ibracon”) de balanço são convertidos pela taxa cambial das datas dos entre a depreciação baseada no valor contábil reavaliado
e na Transportes Aéreos del Mercosur S.A. (“Mercosur”), empresa e (b) demonstração do valor adicionado (“DVA”) (Anexo II), balanços. Ganhos e perdas cambiais resultantes da liquidação do ativo (a depreciação é apropriada ao resultado) e a
de vôo regular sediada em Assunção, no Paraguai, que opera preparada de acordo com o Parecer de Orientação CVM dessas transações e da conversão de ativos e passivos depreciação baseada no custo original do ativo é transferida
naquele país, além de Argentina, Brasil, Chile, Uruguai e Bolívia. nº. 24/02, o Oficio Circular CVM nº. 01/00 e Resolução monetários denominados em moeda estrangeira são da reserva de reavaliação para lucros acumulados.
Em abril de 2007, foram constituídas duas subsidiárias do Conselho Federal de Contabilidade (“CFC”) nº. 1.010 reconhecidos na demonstração do resultado.
integrais da TLA, a TAM Capital Inc. (“TAM Capital”) e a TAM A depreciação é calculada pelo método linear para baixar
de 21 de janeiro de 2005.
Financial Services 1 Limited (“TAM Financial 1”) e em outubro o custo ou o montante reavaliado de cada ativo a seus
A Companhia utiliza o plano de conta elaborado pela (c) Ativos circulantes e realizável a longo prazo
de 2007, foi constituída a TAM Financial Services 2 Limited valores residuais de acordo com as taxas divulgadas
Agência Nacional de Aviação Civil (“ANAC”). As disponibilidades são avaliadas pelo custo. As aplicações
(“TAM Financial 2”), empresas sediadas nas Ilhas Cayman, cujas na Nota 11. Terrenos não são depreciados.
Em virtude de mudança de prática contábil relativa financeiras estão avaliadas ao custo, acrescido dos rendimentos
atividades estão relacionadas com a aquisição e financiamento Quando o valor contábil de um ativo é maior do que
ao reconhecimento do valor de mercado de instrumentos auferidos até a data do balanço, e compreendem investimentos
de aeronaves. A captação de recursos emitidos pelas o valor recuperável estimado, ele é imediatamente reduzido
financeiros derivativos, conforme mencionado na Nota 21 (h), de curto prazo de alta liquidez.
subsidiárias é garantida pela TAM. as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo ao valor recuperável.
As contas a receber são avaliadas pelo montante original
A Companhia controla também a TP Participações Ltda. em 31 de dezembro de 2006 estão sendo reapresentadas, Ganhos e perdas em alienações são determinados pela
de venda, deduzida a provisão para créditos de liquidação
(“TP Participações”), cujo objeto social é a participação nos termos previstos na NPC no. 12, aprovada pela Deliberação comparação dos valores de alienação com o valor contábil e
duvidosa, constituída em montante considerado suficiente
em outras sociedades. Esta investida não registrou operações CVM nº 506/06. Os efeitos decorrentes dessa mudança de pela administração para fazer face às eventuais perdas são incluídos no resultado não operacional. Quando os ativos
durante o exercício. práticas contábeis encontram-se detalhados na Nota 21 (h). prováveis na realização dos créditos. reavaliados são vendidos, os valores incluídos na reserva
A TLA consolida as demonstrações financeiras da As principais práticas contábeis adotadas na elaboração Os estoques, representados substancialmente por peças de reavaliação são transferidos para lucros acumulados.
empresa Fidelidade Viagens e Turismo Ltda. (“Fidelidade”), dessas demonstrações financeiras individuais e consolidadas e materiais a serem utilizados na execução dos serviços Os gastos com manutenção de motores são incorporados
que tem por objeto social o desenvolvimento exclusivo estão definidas a seguir: de manutenção e reparo, são apresentados ao seu custo médio ao seu custo e depreciados até a data prevista para a
das atividades de agência de viagens e turismo, utilizando de aquisição, sendo este inferior aos respectivos valores próxima manutenção.
nome fantasia TAM Viagens. (a) Apuração do resultado de reposição e líquidos de provisões para desvalorização • Ativo diferido
O resultado das operações é apurado em conformidade referentes a itens obsoletos. O ativo diferido, na posição consolidada, é representado
2 Apresentação das demonstrações com o regime contábil de competência destacando-se: pelo ágio decorrente da aquisição da TLA.
Demais ativos circulantes e não circulantes
financeiras e principais práticas contábeis i. As receitas de vôo são reconhecidas quando da efetiva são apresentados pelo seu valor líquido de realização. • Ativo intangível
As presentes demonstrações financeiras foram aprovadas prestação dos serviços de transporte; Os gastos associados ao desenvolvimento ou à manutenção
pelo Conselho de Administração da Companhia em 28 de ii. Os cupons de bilhetes vendidos, correspondentes (d) Permanente de softwares são reconhecidos como despesas na medida
março de 2008. aos transportes a executar, são demonstrados • Investimentos em que são incorridos. Os gastos diretamente associados a
As demonstrações financeiras individuais e consolidadas no passivo circulante; Os investimentos em empresas controladas estão avaliados softwares identificáveis e únicos, controlados pela Companhia
foram elaboradas e estão sendo apresentadas de acordo com as iii. Os bilhetes não voados são reconhecidos como outras pelo método de equivalência patrimonial, acrescidos de ágio e que, provavelmente, gerarão benefícios econômicos maiores
práticas contábeis adotadas no Brasil, com base nas disposições receitas no momento em que tornam-se vencidos, ou deduzidos de deságio, quando aplicável. que os custos por mais de um ano, são reconhecidos como
contidas na Lei das Sociedades por Ações e nas normas ou seja, um ano após a sua emissão; O ágio decorrente da aquisição da TLA, fundamentado ativos intangíveis. Os gastos diretos referem-se aos custos
estabelecidas pela Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”). iv. As outras receitas relacionadas com vendas e/ou serviços substancialmente na expectativa de rentabilidade futura com empresas de desenvolvimento de softwares e a parte
Na elaboração das demonstrações financeiras, é necessário são representadas por taxas de alterações de reservas da empresa adquirida, foi amortizado pelo prazo de até dez adequada das despesas gerais relacionadas.
utilizar estimativas para contabilizar certos ativos, passivos e de vôos, de sub-arrendamentos de aeronaves, parcerias anos, a partir do momento em que os benefícios passaram Os gastos com o aperfeiçoamento ou a expansão do
outras transações. As demonstrações financeiras da Companhia com o programa de premiação para passageiros freqüentes a ser gerados. Esse ágio foi integralmente amortizado desempenho dos softwares para além das especificações
incluem, portanto, estimativas referentes à seleção das vidas (Programa Fidelidade TAM) e outros serviços, as quais são até 31 de dezembro de 2007 e na posição consolidada originais são acrescentados ao custo original do software.
úteis do ativo imobilizado, provisões necessárias para passivos reconhecidas quando os serviços são prestados. para 31 de dezembro de 2006, esse saldo foi reclassificado Os gastos com o desenvolvimento de softwares
contingentes, determinações de provisões para imposto de renda As receitas de juros são reconhecidas em base proporcional para a rubrica “diferido”. reconhecidos como ativos são amortizados usando-se

70 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 71


o método linear ao longo de suas vidas úteis, em prazos Os impostos ativos diferidos decorrentes de prejuízo fiscal, (m) Juros sobre o capital próprio (p) Reservas de capital e de lucros
não superiores a 3 anos. base negativa da contribuição social e diferenças temporárias Os juros sobre o capital próprio pagos ou provisionados são Nas reservas de capital são registradas as doações em
• Impairment de ativos permanentes foram constituídos em conformidade com a Instrução CVM nº contabilizados como despesa financeira. Para efeito de forma de bens e espécie, incluindo ágio na emissão de ações.
O imobilizado e outros ativos não circulantes, inclusive o ágio 371 de 27 de junho de 2002 e levam em consideração o histórico apresentação das demonstrações financeiras, esses juros são A reserva legal é calculada na base de 5% do lucro líquido
e os ativos intangíveis, são revistos para se identificar perdas de rentabilidade e a expectativa de geração de lucros tributáveis reclassificados para a conta de lucros ou prejuízos acumulados. do exercício, até o limite de 20% do Capital social, conforme
por impairment sempre que eventos ou alterações nas futuros fundamentada em estudo técnico de viabilidade. determinação da Lei no. 6.404/76.
circunstâncias indicarem que o valor contábil pode não (n) Instrumentos financeiros O saldo da reserva de lucros refere-se à retenção do saldo
(i) Arrendamento mercantil A TLA participa de operações envolvendo instrumentos remanescente de lucros acumulados, a fim de atender ao
ser recuperável. A perda por impairment é reconhecida pelo
i Arrendamento mercantil financeiro: considera as operações financeiros com o objetivo de reduzir a exposição a flutuações projeto de crescimento dos negócios estabelecido em seu plano
montante em que o valor contábil do ativo ultrapassa o valor
que envolvem opção de compra pela TLA de bem específico de moedas e volatilidade dos preços dos combustíveis. de investimentos, conforme orçamento de capital proposto
recuperável, que é o maior entre o preço líquido de venda
A administração desses riscos é efetuada por meio de definição
e o valor em uso de um ativo. Para fins de avaliação do à atividade econômica. O custo original do bem arrendado pelos administradores da Companhia, a ser deliberado
de estratégias de operação e do estabelecimento de sistemas
impairment, os ativos são agrupados no nível mais baixo para é registrado na rubrica “Imobilizado”, em contrapartida das na Assembléia Geral, em observância ao artigo 196 da Lei
de controles.
o qual existem fluxos de caixa identificáveis separadamente. rubricas “Arrendamentos a Pagar”, classificadas no passivo das Sociedades por Ações.
A partir do primeiro trimestre de 2007, a administração
circulante e não circulante. da Companhia, buscando alinhamento com as melhores
(e) Provisões ii Arrendamento operacional simples: refere-se a operações (q) Dividendos
práticas de governança corporativa e o aprimoramento dos
Provisões são registradas no momento em que a Companhia de arrendamento sem cláusula de opção de compra. Nos termos do Estatuto Social da Companhia, aos titulares
controles financeiros, decidiu alterar o critério contábil e
possui obrigações legais ou constituídas como resultado de As obrigações e respectivas despesas dessa modalidade passou a registrar essas operações avaliadas pelo seu valor de ações de qualquer espécie será atribuído, em cada exercício,
eventos passados, e é provável que recursos econômicos sejam de arrendamento são registradas quando incorridas, justo de mercado. Para fins de comparação, as demonstrações um dividendo mínimo de 25% do lucro líquido, calculado nos
requeridos para saldar as obrigações. As provisões são registradas na rubrica “Custos dos serviços prestados”. financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de termos da lei societária.
tendo como base as melhores estimativas de risco envolvido. 2006 foram ajustadas (Nota 21(h)).
(j) Empréstimos (r) Demonstrações financeiras consolidadas
(f) Transportes a executar Os empréstimos tomados são reconhecidos inicialmente (o) Capital social As demonstrações financeiras consolidadas incluem
A rubrica “Transportes a executar” representa as obrigações quando do recebimento dos recursos, líquidos dos custos As ações ordinárias e as ações preferenciais não resgatáveis as demonstrações da TAM S.A. e suas controladas diretas
correspondentes aos cupons de bilhetes vendidos nos últimos de transação. Posteriormente são apresentados pelo custo são classificadas como patrimônio líquido. e indiretas, a seguir relacionadas:
12 meses e ainda não utilizados. Esses valores são reconhecidos amortizado, isto é, acrescidos de encargos e juros proporcionais
no resultado quando da efetiva prestação do serviço ou quando ao período incorrido ("pro rata temporis"), líquido dos
os bilhetes tornam-se vencidos. pagamentos efetuados. Porcentagem de participação
As debêntures não conversíveis e os bônus sênior têm
(g) Benefícios a funcionários seu reconhecimento de forma similar à dos empréstimos. Data base das demonstrações
A TLA patrocinava três planos de previdência privada financeiras consolidadas 2007 2006
nas modalidades de benefício definido e de contribuição (k) Programa Fidelidade TAM
definida. Em 21 de novembro de 2006, foi aprovada pela A Companhia patrocina programa de premiação TLA 31.12.2007 100,00 100,00
Secretaria de Previdência Complementar (“SPC”) a migração para passageiros freqüentes (Programa Fidelidade TAM) cujos Fidelidade (*)
31.12.2007 99,99 99,99
dos participantes desses planos para um novo plano na pontos são acumulados ao utilizarem os vôos da TAM TAM Capital(*) 31.12.2007 100,00
modalidade Plano Gerador de Benefício Livre (“PGBL”). ou de companhias aéreas parceiras, bem como efetuar compras
A Companhia efetua pagamento de contribuições a esse plano com cartões de crédito Fidelidade TAM ou utilizar serviços TAM Financial 1(*) 31.12.2007 100,00
em bases contratuais ou voluntárias, não havendo obrigações e produtos em estabelecimentos parceiros. TAM Financial 2 (*)
31.12.2007 100,00
relativas a pagamentos adicionais. Os passivos atuariais Em 31 de dezembro de 2007 e de 2006, a TLA apresenta
MERCOSUR 30.11.2007 94,98 94,98
relativos aos funcionários que continuam no plano pontos acumulados em seu programa Fidelidade, conquistados
de benefício definido foram transferidos para instituição por seus clientes e ainda não resgatados. TP Participações 31.12.2007 99,99 99,99
financeira terceira, conforme mencionado na Nota 25 (a). As receitas do programa fidelidade TAM provenientes de (*) As demonstrações financeiras da TLA, as quais foram tomadas como base para a consolidação na TAM, consideram os saldos consolidados de suas controladas Fidelidade,
Um passivo é reconhecido a título de participação dos cartão de crédito, hotéis, aluguéis de veículos e outros, são TAM Capital, TAM Financial 1 e TAM Financial 2.
funcionários nos lucros quando são atingidas determinadas registradas quando os pontos são emitidos aos participantes.
metas de desempenho (Nota 25 (b)). As demais receitas do programa fidelidade decorrentes de Práticas contábeis uniformes foram aplicadas em todas ii. Os patrimônios líquidos da Mercosur, TAM Capital, TAM
parcerias com o programa são registradas quando recebidas. as empresas consolidadas e de forma consistente com aquelas Financial 1 e TAM Financial 2, sediadas no exterior foram
(h) Imposto de renda e contribuição social utilizadas no exercício anterior. convertidos em moeda nacional às taxas de câmbio
O imposto de renda e a contribuição social, do exercício (l) Demais passivos circulantes e exigível a longo prazo Dentre os principais procedimentos para fins de vigentes na data das Demonstrações Financeiras, nos
corrente e diferido são calculados com base nas alíquotas de São demonstrados pelos valores conhecidos ou consolidação, vale ressaltar que: termos do Pronunciamento XXV, emitido pelo Ibracon
15% acrescida do adicional de 10% sobre o lucro tributável calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes i. Em atendimento à Instrução CVM nº. 408/04, a Companhia e referendado pela Deliberação CVM 28/86. O cálculo
excedente de R$ 240 para imposto de renda e 9% sobre o lucro encargos, variações monetárias e/ou cambiais incorridos consolidou os fundos de investimento exclusivos da equivalência patrimonial compreende, além da
tributável para contribuição social sobre o lucro líquido e até a data do balanço. apresentados na Nota 3 e os respectivos resultados desses participação no resultado, os efeitos da variação cambial,
consideram a compensação de prejuízos fiscais e base negativa fundos de investimentos exclusivos foram consolidados os quais estão sujeitos os patrimônios líquidos das
de contribuição social, limitada a 30% do lucro real. na rubrica “Receitas financeiras” e; empresas controladas.

72 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 73


3 Aplicações financeiras Por meio deste fundo de investimento a Companhia participa indiretamente nos fundos relacionados abaixo:
• Constellation Fundo de Investimento Multimercado;
(a) Composição • 14 BIS Fundo de Investimento em Multimercado;
• Fundo de Investimento Multimercado First Class;
Controladora Consolidado • Stearman Fundo de Investimento Multimercado;
• Cruiser Fundo de Investimento Multimercado e;
Rentabilidade • Tucano Fundo de Investimento Multimercado.
média ponderada 2007 2006 2007 2006 Estes fundos estão destinados a aplicar em quotas de fundos de investimentos de diversas classes e/ou fundos de investimento
multimercado, de forma a atingir rentabilidade superior à variação da taxa de juros do Depósito Interfinanceiro – DI.
Em moeda nacional
As aplicações financeiras em fundos de investimento podem ser resgatadas em qualquer tempo, sem prejuízo da receita
Fundo de investimento exclusivo 431.632 595.167 reconhecida.
Fundo de investimento 18.369 23.150
4 Contas a receber - Consolidado
Certificados de Depósito Bancário - CDB 104,4% do CDI 90.308 121.868
Títulos de renda fixa
(a) Composição dos saldos

Pré-fixados 12,1% a.a. 865.435 1.132.256


2007 2006
Pós-fixados 70,8% do CDI 79.082 73.338 86.130 75.140
Nacionais Internacionais Total Total
100% do Selic 236.998 611.177
IPCA + 7,5% a.a. 126.375 185.235 Cartões de crédito 529.204 45.835 575.039 437.627
IGPM +3,9% a.a. 25.705 9.433 Agências de turismo 186.154 53.593 239.747 218.746
Overnight 194.348 24.090 Correntistas 34.568 1.993 36.561 25.917
Debêntures 101,8% do CDI 84.923 65.992 Congêneres 1.674 190 1.864 29.799
Títulos de renda variável (ações) 5.776 50.529 Agência de cargas 5.658 45.288 50.946 20.583
Outros 502 20.355 Parcelamento em cheques 14.968 14.968 13.412

510.714 668.505 1.734.869 2.319.225 Outros 69.043 69.043 73.275

Em moeda estrangeira Total 841.269 146.899 988.168 819.359


Fundos de renda fixa 13.222 11.295 Provisão para créditos de liquidação duvidosa (40.705) (9.535) (50.240) (38.387)
CDB Internacional 723.913 Total 800.564 137.364 937.928 780.972
737.135 11.295
A rubrica “Outros” inclui, substancialmente, contas a receber de venda de pontos do Programa de Fidelidade para empresas parceiras.
510.714 668.505 2.472.004 2.330.520
(b) Composição do saldo por vencimento - aging-list
Para parte das aplicações financeiras cuja remuneração está vinculada ao Certificado de Depósito Interfinanceiro (“CDI”), a
Companhia contratou operações de swap com instituições financeiras, relacionadas à troca de taxas e/ou de moedas (Nota 27).
Composição 2007 2006
A vencer 892.581 722.798
(b) Fundos de investimento exclusivos
Vencidos
A Companhia e a TLA participam em conjunto nos seguintes fundos de investimento exclusivos:
até 60 dias 20.663 21.801
Participação da TAM Participação da TLA Patrimônio líquido de 61 a 90 dias 11.582 6.933
2007 2006 2007 2006 2007 2006 de 91 a 180 dias 7.056 14.561
Spitfire II Fundo de Investimento em Cotas de 181 a 360 dias 10.332 15.253
de Fundos de Investimento Multimercado 431.632 595.167 1.230.790 1.653.271 1.662.422 2.248.438 há mais de 360 dias 45.954 38.013
Total 431.632 595.167 1.230.790 1.653.271 1.662.422 2.248.438 988.168 819.359

74 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 75


(c) Movimentação da Provisão para créditos de liquidação duvidosa 7 Pré-pagamentos de aeronaves pré-pagamentos contratuais no montante de R$ 119.633
e manutenções - Consolidado (2006 – R$ 46.596) equivalentes a US$ 67.540 mil
2007 2006 (2006 – US$ 21.794 mil).
Em continuidade ao programa de aquisição de aeronaves,
Saldo no início do exercício 38.387 48.029 até 31 de dezembro de 2007, foram efetivados pré-pagamentos Os valores desembolsados são mantidos como adiantamentos,
uma vez que é assegurada à TLA a devolução dos montantes
Adições (registradas na rubrica despesas com vendas) 12.399 20.955 contratuais ao fabricante no montante de R$ 969.555
pré-pagos, quando os reparos efetuados são comprovados.
(2006 – R$ 352.708), equivalentes a US$ 547.369 mil
Recuperações (546) (30.597)
(2006 – US$ 164.971 mil), dos quais R$ 864.440 8 Depósitos em garantia - Consolidado
Saldo ao final do exercício 50.240 38.387 (2006 – 221.793) referem-se a aeronaves que serão Os depósitos e cauções relativos aos contratos de
entregues no exercício social seguinte. arrendamento de aeronaves e motores são atualizados com
Os valores desembolsados são mantidos como adiantamentos, base na variação do dólar norte-americano (“US$”), acrescidos
5 Estoques - Consolidado uma vez que é assegurada à TLA a devolução dos montantes de juros que podem variar até a taxa London Interbank Offered
(a) Composição dos saldos pré-pagos por ocasião da entrega das aeronaves pelo fabricante. Rate (“LIBOR”) mais juros de 1% ao ano. Os prazos para resgate
Para eventuais reparos das estruturas, dos motores, dos depósitos e cauções são definidos nos contratos de
2007 2006 dos trens de pouso ou das trocas de peças nos motores arrendamento. Em 31 de dezembro de 2007 o saldo dos
das aeronaves, até 31 de dezembro de 2007, foram efetivados depósitos efetuados era de R$ 161.488 (2006 – R$ 144.444).
Peças e materiais para manutenção e reparos 210.432 114.194
Outros estoques 5.219 10.635
Total 215.651 124.829 9 Investimentos
Provisão para perdas e desvalorização (53.180) (10.954) (a) Composição dos saldos
Total 162.471 113.875
Controladora Consolidado

Em 31 de dezembro de 2007, em conseqüência da decisão da Companhia em descontinuar a utilização das aeronaves F100 na sua frota, 2007 2006 2007 2006
foi constituída provisão no valor de R$ 42.226 registrada no resultado não operacional, para realização das peças e materiais relacionados a Participações em empresas controladas 1.513.279 1.399.367
essa aeronave, inclusive aquelas que originalmente estavam no ativo imobilizado e que foram transferidas para a rubrica de estoques.
Agio/deságio apurado na aquisição de controladas (11.099) (10.382)
A rubrica “Outros estoques”, representa basicamente uniformes e itens de papelaria e comissaria.
Outros investimentos 70 70
(b) Movimentação da provisão para desvalorização dos estoques
1.502.180 1.388.985 70 70
2007 2006
Saldo no início do exercício 10.954 12.527 (b) Informações sobre as empresas controladas
Adições 42.226 548
2007 2006
Reversões (2.121)
TLA Mercosur TP Total Total
Saldo no final do exercício 53.180 10.954
Número de ações/quotas (quantidade)
Total 2.064.602 87.653 30.100
6 Tributos a recuperar Possuídas 2.064.602 83.253 30.099

Controladora Consolidado Percentual de participação 100,00 94,98 99,99

2007 2006 2007 2006 Patrimônio líquido 1.463.522 52.356 30

Imposto de renda e contribuição social 38 38 13.295 1.601 Lucro (prejuízo) líquido do exercício 134.014 (200)

Contribuição para o Programa de Integração Social (“PIS”) Valor contábil do investimento avaliado 1.463.522 49.727 30 1.513.279 1.399.367
e Contribuição para o Financiamento de Seguridade Social (“COFINS”) 29.282 29.518
Resultado de equivalência patrimonial 134.014 (190) 133.824 577.360
Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (“ICMS”) 13.364 15.302
Imposto de Renda Retido na Fonte 16.112 6.731 17.131 7.721
Outros 13.945 13.203
16.150 6.769 87.017 67.345

A rubrica “Outros” compreende créditos com impostos recolhidos em outros países em que a Companhia opera.

76 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 77


(c) Movimentação dos investimentos - Controladora Durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2007, o prêmio pela obtenção econômica que tal localização
a TLA recebeu da Táxi Aéreo Marília S.A. (“TAM Marília”), reverterá à TLA em sua atividade de cargas.
TLA Mercosur TP Total a título de reembolso pela utilização de sua estrutura, A Companhia e suas controladas assinaram, em março
em especial relacionadas às áreas de importação e recursos de 2005, contrato adquirindo o direito de uso da marca
Saldos em 1º de janeiro de 2006 359.859 34.873 394.732 humanos, R$ 820 (2006 – R$ 1.244), registrado a crédito “TAM” junto à TAM Milor Táxi Aéreo, Representações,
Ajuste de exercicios anteriores (14.877) (14.877) na rubrica “Custos dos serviços prestados”. A TAM Marília Marcas e Patentes S.A. (“TAM Milor”). Esse contrato possui
possui acionistas indiretos comuns à TAM. prazo de vigência idêntico ao da atual concessão de
Baixa de motores (4.146) (4.146) Em 11 de maio de 2007, a TLA e a TAM Marília assinaram transporte aéreo regular de passageiros da TLA e prevê
Reavaliação de ativos próprios 12.583 (2.064) 10.519 acordo de utilização compartilhada de um hangar localizado uma remuneração mensal, corrigida anualmente pelo
junto ao aeroporto de Congonhas, pelo período de 10 (dez) Índice Geral de Preços – Mercado (“IGP–M”), que totalizou
Juros sobre o capital próprio declarados (16.911) (16.911)
anos. A TLA pagou à TAM Marília a quantia de R$ 15.500, pela durante o exercício findo em 31 de dezembro de 2007,
Adiantamento para futuro aumento de capital 508.486 508.486 qual poderá utilizar as instalações e a infra-estrutura do hangar R$ 14.331 (2006 – R$ 14.051), registrado na rubrica
com o objetivo de explorar as atividades do seu antigo terminal “Despesas administrativas”.
Resultado de equivalência patrimonial 502.458 19.106 521.564 de cargas. O preço foi estabelecido com base em laudos de As operações realizadas entre as partes relacionadas
Saldos em 31 de dezembro de 2006 1.347.452 51.915 1.399.367 avaliações realizados por empresas independentes, refletindo ocorreram em condições similares às de mercado.
Integralização de capital 27.584 30 27.614 11 Imobilizado - Consolidado
Baixa de motores (7.078) (7.078) (a) Composição do saldo
Reavaliação de ativos próprios (1.998) (1.998)
Benfeitorias em
Juros sobre o capital próprio declarados (38.450) (38.450) Equipamento Computadores Máquinas e propriedades Imobilizações
de vôo Imóveis e periféricos equipamentos de terceiros em andamento Outros Total
Resultado de equivalência patrimonial 134.014 (190) 133.824
2006
Saldos em 31 de dezembro de 2007 1.463.522 49.727 30 1.513.279 Custo total 760.107 219.930 98.158 64.303 10.565 43.406 73.352 1.269.821
Depreciação acumulada (341.412) (12.463) (42.636) (31.254) (4.576) (45.795) (478.136)
10 Transações entre partes relacionadas - Consolidado Valor Residual 418.695 207.467 55.522 33.049 5.989 43.406 27.557 791.685
Saldos em 31 de
2007 2006 dezembro de 2006 418.695 207.467 55.522 33.049 5.989 43.406 27.557 791.685
TAM TLA Mercosur Fidelidade Total Total Aquisições 147.998 37.028 14.988 23.911 16.322 11.698 251.955
TAM Transferências (83.951) – (83.951)
Alienações/Baixas (27.072) (13.816) (2.617) (3.225) (796) (78) (938) (48.542)
Juros sobre capital próprio e dividendos a receber 55.361 55.361 44.495
Reversão da reserva
Passivo – contratos de mútuo (536) (536) (536) de reavaliação (5.134) (5.134)
Adiantamento para futuro aumento de capital (508.486) Depreciação (76.585) (4.876) (20.827) (6.535) (2.117) (5.188) (116.128)

TLA Saldos em 31 de
dezembro de 2007 373.951 188.775 69.106 38.287 26.987 59.650 33.129 789.885
Contas a receber 1.310 57.346 58.656 43.866
2007
Contas a pagar (1.108) Custo total 779.966 201.770 131.909 75.753 33.680 59.650 83.144 1.365.872
Ativo realizável a longo prazo -contratos de mútuo 536 536 536 Depreciação acumulada (406.015) (12.995) (62.803) (37.466) (6.693) (50.015) (575.987)
Juros sobre capital próprio e dividendos a distribuir (55.361) (55.361) (44.495) Valor residual 373.951 188.775 69.106 38.287 26.987 59.650 33.129 789.885
Outras receitas operacionais 30.220 30.220 19.739 Taxas médias anuais
Adiantamento para futuro aumento de capital 508.486 de depreciação - % 5,29 2,39 20,00 10,00 10,00 14,86

Mercosur A rubrica “Equipamentos de vôo” inclui motores e conjuntos setembro de 2007 foi registrado na rubrica de “Resultado
de peças sobressalentes. A rubrica “Outros” está representada, não operacional” o valor de R$ 1.886, referente a provisão
Custos dos serviços prestados (30.220) (30.220) (19.739) substancialmente, pelas obras realizadas na pista de pouso do custo do terreno.
Contas a receber 1.108 do Centro Tecnológico de São Carlos. As edificações e demais bens do ativo da Companhia
Em 1º de agosto de 2007, o Conselho de Administração sinistrados no acidente encontravam-se cobertos por
Contas a pagar (depósito em garantia) (1.310) (1.310) (1.607) aprovou a doação dos terrenos outrora utilizados pelo Terminal apólice de seguros, estando em andamento as negociações
Fidelidade de Cargas - TAM Express para o município de São Paulo. para o reembolso dessas perdas. A administração entende que
A Companhia já obteve a liberação do imóvel junto à instituição os ativos sinistrados serão integralmente reembolsados.
Contas a pagar (57.346) (57.346) (42.259) financeira que o tinha como garantia em empréstimo A rubrica “Imobilização em andamento” está representada,
financeiro, aguardando no momento as formalidades basicamente, pelas obras realizadas no Centro Tecnológico
(54.825) (34.051) 31.530 57.346 legais para concluir o processo de doação. Em 30 de de São Carlos e pela montagem de peças necessárias para

78 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 79


remodelagem das aeronaves. encontravam. Como conseqüência, foram determinadas novas Os vencimentos das parcelas de longo prazo têm a seguinte distribuição, por ano:
Em garantia de empréstimos (Nota 12), foram hipotecados estimativas de vida útil para esses itens, quando aplicável.
imóveis e benfeitorias da controlada TLA no valor total de Em conformidade com as práticas adotadas pela Companhia, Ano 2007 2006
R$ 110.499 (2006 – R$ 110.499). em 30 de novembro de 2007, com base em laudos de peritos
2008 79.092
independentes, a Mercosur procedeu à avaliação de seus
(b) Reavaliação (Nota 21 (d)) terrenos e imóveis. Essa avaliação resultou em um decréscimo 2009 126.990 90.437
A empresa controlada TLA, procedeu em 2006, ao registro patrimonial no valor de R$ 832, com um efeito liquido de R$
de reavaliação que inclui a totalidade de motores de aeronaves 790 na TAM. As avaliações compreendem o valor de reposição 2010 60.097 24.548
e imóveis, resultando naquele ano, em um acréscimo dos bens, nas condições de uso em que se encontram. 2011 23.015 22.818
patrimonial, no valor de R$ 9.541 (R$ 7.332, líquido da Conforme disposição da Deliberação CVM 183/95, a parcela
provisão para imposto de renda e contribuição social, conforme realizada da reserva de reavaliação é transferida para a rubrica 2012 2.487 3.997
Deliberação CVM 273/98). As avaliações compreenderam o “Lucros acumulados” e totalizou, no exercício findo em 31 Posteriores a 2012 6.600 9.972
valor de reposição dos bens, nas condições de uso em que se de dezembro 2007, R$ 3.665 (2006 – R$ 4.246).
219.189 230.864
12 Empréstimos e financiamentos - Consolidado
Em 21 de maio de 2007, a TAM assinou acordo de (pré-delivery payment – PDP) de 30 aeronaves Airbus
Encargos financeiros Formas de pagamento empréstimo com o banco Calyon e outros bancos para contratadas com a fabricante francesa com pedidos
Garantias (média ponderada) e vencimento final 2007 2006 financiar até US$ 330,9 milhões em operações de de compra firme e entregas programadas para o período
Em moeda nacional adiantamento (pré-delivery payment – PDP) de 4 aeronaves de 2008 a 2010. Em 31 de dezembro de 2007, o saldo
Juros pré-fixados de Boeing contratados junto à fabricante norte-americana com referente a esse empréstimo é de R$ 105.009.
Arrendamento de Nota promissória de 7,9% a.a. até 18,4% a.a. pedidos de compra firmes e entrega prevista para 2008. A Companhia está sujeita a determinadas obrigações nos
equipamentos de informática R$ 30.674 (14,6% a.a) Mensal até 2010 10.556 7.534 Em 31 de dezembro de 2007 o saldo desse empréstimo termos dos contratos de empréstimos tais como a observância
CDI + Spread de é de R$ 516.725. de determinados índices financeiros, limitação de emissão
Arrendamento de Nota promissória de 0,8% a.a. até 4,0% a.a. Em 28 de dezembro de 2007, a TAM assinou acordo de dívidas financeiras e prioridade no pagamento
equipamentos de informática R$ 20.932 (3,5% a.a) Mensal até 2010 21.934 32.269
de empréstimo com o banco BNP Paribas para financiar dos empréstimos. Em 31 de dezembro de 2007, a Companhia
FINEM - Subcrédito A Hipoteca de bens e TJLP + 4,5% a. a.
contas a receber (4,5% a.a) Mensal até 2011 58.040 72.979 até US$ 117,1 milhões em operações de adiantamento estava em conformidade com todas essas obrigações.
FINEM - Subcrédito B Hipoteca de bens e Cesta de moedas BNDES
contas a receber + 3,0% a.a. (3,0% a.a) Mensal até 2012 8.149 11.762
13 Arrendamentos a pagar - Consolidado
100,0% a.a. até
101,5% a.a. do CDI
Compror Sem garantia (100,1% a.a do CDI) Trimestral até 2008 223.573 129.952 Encargos financeiros Pagamentos mensais com
(média ponderada) vencimento final em 2007 2006
Alienação Fiduciária TJLP + Spread de
+ Nota promissória 3,0% a.a. até 4,0% a.a Em moeda estrangeira
Outros de R$ 7.446 (3,3% a.a) Mensal até 2012 7.561 6.006
Motores Airbus A319/A320 LIBOR semestral + 1,5% a.a (6,4% a.a.) 2015 29.536 46.166
329.813 260.502
LIBOR mensal + 1,5% a.a (6,4% a.a.) 2017 8.088
Em moeda estrangeira
Variação Cambial Motores e peças Airbus A330 LIBOR mensal + 1,5% a.a (6,1% a.a.) 2010 3.785 5.939
Nota promissória de + 5,3% a.a. até Parcelas de arrendamentos LIBOR mensal + 1,6% a.a a 2021 17.813 24.365
FINIMP US$ 21.762 mil 6,7% a.a. (6,5% a.a.) Anual até 2009 84.883 134.113 operacionais simples 1,75% a.a (8,1% a.a.)
LIBOR semestral + e renegociadas:
International Finance Depósito em garantia spread de 1,6% a.a. até
Corporation - IFC de US$ 2.500 mil 3,0% a.a (2,2% a.a) Semestral até 2012 51.414 42.083 LIBOR semestral + 0,7% a.a a 6,7% a.a (7,6% a.a.) 2020 42.397 73.465
Renegociação de arrendamento Carta de fiança Parcelas fixas (US$ 55 mil) Mensal até 2022 11.137 14.014 LIBOR trimestral + 0,03% a.a a 1,8% a.a (6,5% a.a.) 2022 19.342 8.247
Financiamento de máquinas e Depósito LIBOR mensal + Juros pré-fixados de 1,1% a.a. 2011 5.152 3.880
equipamentos em garantia 5,0% a.a. Mensal até 2008 738 1.308
Financiamento de Garantia LIBOR mensal + 126.113 162.062
pré-pagamento de aeronaves incondicional 0,6% a.a. (0,6% a.a) Mensal até 2011 621.734
Circulante (72.917) (69.108)
Nota promissória LIBOR semestral +
Outros de US$ 2.252 mil 2,5% a.a Semestral até 2007 618 752 Não circulante 53.196 92.954
770.524 192.270
1.100.337 452.772
Circulante (881.148) (221.908)
Não circulante 219.189 230.864
Financiamento de importação (“FINIMP”) , Financiamento a empreendimentos (“FINEM”), Taxa de juros de longo prazo (“TJLP”) e Certificado de depósito interbancário (“CDI”).

80 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 81


Para os arrendamentos da página anterior foram oferecidas cartas de fiança de emissão da Companhia e depósitos em garantia. Os vencimentos têm a seguinte distribuição por ano:
Os vencimentos das parcelas de longo prazo têm a seguinte distribuição por ano:
Milhares de dólares norte-americanos
Ano 2007 2006
Ano 2007 2006
2008 27.814
2007 332.949
2009 23.023 27.765
2008 705.477 307.169
2010 7.775 13.691
2009 629.319 276.941
2011 5.754 8.631
2010 600.525 264.053
2012 5.151 5.845
2011 182.203 247.434
2013 4.162 9.208
2012 521.481 231.711
Posteriores a 2013 7.351
Posteriores a 2012 1.559.077 533.865
53.196 92.954
4.198.082 2.194.122

14 Compromissos 102 meses e são atualizados com base na variação da cotação (b) Compromissos para futuros arrendamentos de aeronaves A Companhia e a Boeing também assinaram contrato
do dólar norte-americano, acrescidos da LIBOR. O custo i. Airbus: de arrendamento de curto prazo para 3 aeronaves MD11,
(a) Contratos de arrendamento operacional dos contratos de arrendamento das aeronaves, reconhecidos Desde 1998, a TLA mantém pedidos firmes para novas que irão operar até a entrega dos 4 primeiros Boeing 777-300
simples - Consolidado no resultado consolidado, na rubrica "Custo dos serviços aeronaves Airbus, das quais restam 2 aeronaves A320 ER em 2008.
A TLA possui obrigações decorrentes da contratação prestados", totalizou no exercício findo em 31 de dezembro com entrega programada até 2008.
de operações de arrendamento de aeronaves sob a modalidade de 2007, R$ 853.737 (2006 – R$ 704.523), equivalente Em 2005, a Companhia assinou aditivo contratual com 15 Reorganização da frota
operacional simples. Os valores correspondentes aos a US$ 481.983 mil (2006 - US$ 323.606 mil). de Fokker-100 – Consolidado
a Airbus para o pedido firme de 20 aeronaves Airbus A320,
compromissos dos equipamentos arrendados não estão Para a maioria das operações foram oferecidas cartas de Como resultado do processo de reorganização de sua frota
restando 16 a serem entregues até 2010, com opção para
refletidos no balanço patrimonial, uma vez que as operações fiança ou depósitos como garantia de emissão da Companhia. de aeronaves Fokker-100, a TLA, em 19 de dezembro de 2003,
mais 20 da mesma família (inclui A319, A320 e A321).
contratadas não prevêem a opção de compra das aeronaves Adicionalmente, de forma a atender o cronograma Em 2006, a Companhia finalizou o contrato para rescindiu 19 contratos de arrendamento mercantil então
pela TLA ou por qualquer entidade ligada à Companhia. de pagamentos previsto em contrato, foram oferecidas notas arrendamento de mais 37 aeronaves Airbus (31 aeronaves vigentes, sendo 10 na modalidade “financeira” e 9 “operacional”.
As aeronaves arrendadas são 10 Fokker-100, 15 Airbus A319, promissórias com aval da Companhia que totalizavam em 31
narrow body família A320 e 6 A330) para entregas até 2010. Como conseqüência, a TLA firmou contrato obrigando-se a
70 Airbus A320, 3 Airbus A321, 12 Airbus A330, 2 Airbus A340 de dezembro de 2007, US$ 49.222 mil (2006 – US$ 60.943 mil).
Em 28 de junho de 2007, a Companhia assinou Memorando pagar multa rescisória em 30 parcelas trimestrais consecutivas,
e 3 MD-11 (2006 – 21 Fokker-100, 14 Airbus A319, 50 Airbus Os desembolsos futuros assumidos em decorrência desses
de Entendimento para o arrendamento de 22 Airbus A350XWB, com vencimentos entre abril de 2004 e julho de 2011, no
A320 e 10 Airbus A330). Os contratos têm prazo médio de contratos e, por ano de vencimento, totalizam:
modelos 800 e 900, com mais 10 opções para serem entregues montante original de R$ 94.188, integralmente contabilizada
entre 2013 e 2018. no resultado daquele exercício. Cartas de fiança foram
Milhares de dólares norte-americanos
Adicionalmente a Companhia confirmou o exercício oferecidas pela Companhia como garantia.
Encargos financeiros Pagamentos mensais com de quatro opções de Airbus A330, que serão entregues dois em Adicionalmente, a TLA negociou o vencimento de
(média ponderada) vencimento final em 2007 2006 2010 e as demais em 2011, referente ao contrato do final de determinadas parcelas vencidas até a data da assinatura
2006. do referido contrato, no montante original de R$ 49.599.
Airbus A319 LIBOR mensal + 1,6% a.a (6,3% a.a.) 2014 133.450 115.713
Em 2007 a TLA assinou contrato de um leasing operacional Essas aeronaves, a partir da data do referido contrato
LIBOR trimestral + 1,6% a.a (5,5% a.a.) 2013 31.093 15.279 por 6 anos com a Air Canadá referente a 2 Airbus A340 500, os até a data de sua efetiva devolução, estão contratadas sob
LIBOR semestral + 1,5% a.a a 1,7% a.a (6,2% a.a.) 2020 255.851 177.065 quais foram entregues no último trimestre de 2007. a modalidade de arrendamento operacional simples.
Airbus A320 Juros pré–fixados de 4,0% a.a. 2015 227.093 65.708 ii. Boeing: O valor total do compromisso em 31 de dezembro de 2007
LIBOR mensal + 1,6% a.a a 1,7% a.a (6,6% a.a.) 2021 314.828 124.924 Em 2006, a Companhia contratou o pedido de 4 Boeing é de R$ 53.024 (2006 – R$ 74.619), equivalente a US$ 29.935
LIBOR trimestral + 0,03% a.a a 2,8% a.a (6,4% a.a.) 2021 858.263 419.584 777-300 ER com opções para mais 4 aeronaves, as quais foram mil (2006 – US$ 34.901 mil), sendo R$ 11.501 (2006 –
LIBOR semestral + 0,7% a.a a 3,5% a.a (5,7% a.a.) 2020 743.411 505.146 exercidas em 2007. Com isso, a Companhia passou a ter oito R$ 11.813) classificado no passivo circulante.
Airbus A321 LIBOR trimestral + 0,03% a.a (5,3% a.a.) 2020 188.595 pedidos firmes contratados com a Boeing para este tipo de Os vencimentos não circulantes têm a seguinte
aeronave, com entrega a partir de 2008. distribuição, por ano:
Airbus A330 Juros pré-fixados de 4,6% a.a. a 5,6% a.a. (5,2% a.a.) 2020 548.894 231.110
LIBOR semestral (6,8% a.a.) 2017 654.544 443.196
Consolidado
Airbus A340 Parcelas fixas de US$ 850.000 2020 198.900
Fokker-100 Juros pré-fixados de 1,1% a.a. a 2,0% a.a. (1,6% a.a.) 2010 4.645 73.934 Ano 2007 2006
LIBOR semestral (5,4% a.a.) 2008 3.437 6.961 2008 12.659
Boeing MD-11 Parcelas fixas de US$ 399.000 2008 10.773 2009 13.963 16.854
Motores Airbus Juros pré-fixados de 0,9% a.a. a 1,0% a.a. (1,0% a.a.) 2010 12.521 7.143 2010 15.825 19.101
LIBOR semestral (5,2% a.a.) 2014 11.784 8.359 2011 11.735 14.192
4.198.082 2.194.122 41.523 62.806

82 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 83


16 Transportes a executar - Consolidado decorrente de serviços de transporte aéreo nacional e (c) Contingências ativas
Em 31 de dezembro de 2007, o saldo contábil da rubrica “Transportes a executar” no valor de R$ 791.546 (2006 – R$ 759.210) internacional de passageiros, bem como sobre a receita de (i) Indenização por insuficiência tarifária
serviços de transporte aéreo de cargas internacionais. A TLA impetrou ação judicial contra a União, pleiteando
é representado por 2.698.341 (2006 – 2.263.942) cupons de bilhetes vendidos e ainda não utilizados.
Em conseqüência a essa decisão, permanece sendo indenização pela quebra do equilíbrio econômico-financeiro de
requerida a tributação do ICMS sobre a receita de serviços seu contrato de concessão de transporte aéreo, por
17 Provisão para contingências e depósitos judiciais - Consolidado de transporte aéreo de cargas nacionais. A provisão mantida insuficiência tarifária. O desequilíbrio objeto desta causa
(a) Contingências passivas pela Companhia totaliza, em 31 de dezembro de 2007, R$ ocorreu no período de janeiro de 1988 a setembro de 1993,
A administração da Companhia e suas controladas constitui provisão para os valores de contingências classificadas como de perda 6.059 (2006 – R$ 7.467), apresentada na rubrica “Impostos pela manutenção da operação com as tarifas então fixadas pelo
provável, segundo avaliação de seus consultores jurídicos. Em 31 de dezembro de 2007 e de 2006, o valor total e as movimentações das e tarifas a recolher”. As obrigações com vencimentos Governo Federal.
provisões para contingências e os depósitos judiciais relacionados com as questões em disputa, eram compostos da seguinte forma: em prazo superior a um ano, decorrentes do parcelamento Em abril de 1998, a ação foi julgada procedente pela Justiça
aprovado, totalizam em 31 de dezembro de 2007, Federal, tendo o montante da indenização sido determinado em
R$ 136 (2006 – R$ 171) classificados na rubrica “Demais R$ 245.000, com base em cálculo feito por perito judicial. Este
Saldo Reversões e Atualização Saldo Depósitos Saldo líquido contas a pagar”. montante está sujeito a juros de mora desde setembro de 1993, e
em 2006 Adições pagamentos monetária em 2007 judiciais em 2007 (ii) No período de maio de 1989 a maio de 1994, foram a atualização monetária a partir de novembro de 1994. A 1ª
COFINS e PIS (i) 382.005 153.466 (163.911) 24.972 396.532 (33.847) 362.676 efetuados recolhimentos de ICMS considerados indevidos Turma do Superior Tribunal de Justiça deu provimento ao recurso
em virtude de inconstitucionalidade da lei que os exigiu. especial interposto pela TLA, para determinar que o Tribunal
Adicional tarifário (ii) 247.790 50.058 25.843 323.691 323.691 A TLA optou por ajuizar, nos diferentes estados do País, Regional Federal analise o mérito do recurso de apelação sem a
IRRF 11.910 591 172 12.673 12.673 ações de repetição de indébito objetivando recuperar necessidade de intervenção do Ministério Público.
Fundo aeroviário (iii) 50.514 15.802 5.236 71.552 71.552 a totalidade dos valores pagos indevidamente. Todavia, A administração não procedeu a nenhum registro contábil
a administração da TLA optou por somente reconhecer destes créditos, o que somente será feito quando o referido
Imposto de Renda (3.164) (3.164) os créditos envolvidos, estimados em aproximadamente direito for julgado em última instância.
Outros 4.027 769 4.796 (20.848) (16.052) R$ 55.000, e eventual atualização, no momento em que (ii) Adicional de tarifas aeroportuárias ATAERO
696.246 220.686 (163.911) 56.223 809.244 (57.868) 751.376 a recuperação financeira desse direito estiver confirmada A TLA interpôs uma ação ordinária com pedido de tutela
pelas decisões dos tribunais. antecipada na qual se discute a legalidade da cobrança
Trabalhistas (iv) 4.815 10.275 (2.279) 12.811 (12.386) 425 A Companhia e suas controladas ainda possuem ações do adicional de tarifas aeroportuárias ATAERO, que incide
Cíveis 21.700 1.622 (664) 22.658 (4.763) 17.895 de natureza tributária, trabalhista e cível, envolvendo riscos à alíquota de 50% sobre o valor das tarifas. Em 31 de dezembro
de perda que a administração, com base na avaliação de 2007, o valor objeto da discussão totalizava
722.761 232.583 (166.854) 56.223 844.713 (75.017) 769.696 de seus consultores jurídicos, classificou como possível, aproximadamente R$ 525.716 (2006 – R$ 430.537), não
no montante estimado de R$ 423.125 (2006 – R$ 292.242). reconhecido contabilmente.

(i) Refere-se à discussão da constitucionalidade da mudança regulares domésticas. A administração da TLA, apoiada na 18 Debêntures
da base de tributação do PIS e da majoração da alíquota e opinião de seus consultores tributários, contesta a
base de apuração da COFINS, introduzidas pela Lei nº constitucionalidade dessa cobrança. O não recolhimento Data Série Quantidade Valor nominal unitário - R$ 2007 2006
9.718/98. Foram efetuados depósitos judiciais que desse tributo está suportado por medida judicial. TAM
compreendem alguns meses, sendo que, para os demais (iii)Refere-se à cobrança de percentual equivalente a 2,5%
meses a TLA está amparada por medida judicial. Estes sobre a folha mensal de salários, destinada às entidades 1º de agosto de 2006 única 50.000 10.000 523.147 528.573
valores, líquidos dos depósitos judiciais, são atualizados pela privadas de serviço social e de formação profissional. A TLA,
TLA
variação da taxa SELIC. apoiada na opinião de seus consultores tributários, contesta
Em 9 de novembro de 2005, o Supremo Tribunal Federal a constitucionalidade dessa cobrança. O não recolhimento 22 de abril de 2003 primeira 473.006 100 4.308 21.282
(“STF”), em sessão plenária, decidiu pela desse tributo está suportado por medida judicial. 22 de abril de 2003 segunda 222.835 100 2.029 10.026
inconstitucionalidade da majoração da base de cálculo. No (iv) Em 31 de dezembro de 2006, os depósitos judiciais
1º trimestre de 2007, a Companhia obteve êxito em um apresentavam valores superiores aos da provisão porque 16 de maio de 2003 terceira 177.165 100 2.675 8.783
processo que totalizou uma reversão da provisão no incluem bloqueios e depósitos judiciais de processos não 873.006 9.012 40.091
montante de R$ 7.560, sendo R$ 3.496 contabilizados em incluídos na provisão constituída segundo os parâmetros
despesas administrativas e R$ 4.064 diretamente no previstos no Parecer de Orientação CVM nº 15/87. 532.159 568.664
resultado financeiro. Em 31 de dezembro de 2007, restam
seis ações não julgadas, em definitivo. (b) ICMS Circulante (32.159) (60.588)
(ii) Refere-se à cobrança de 1% sobre o valor das tarifas aéreas (i) Em 17 de dezembro de 2001, em virtude de decisão Não circulante 500.000 508.076
de todos os bilhetes de passagens vendidos em linhas aéreas proferida pelo STF, deixou de incidir ICMS sobre a receita

84 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 85


A Companhia e a TLA estão sujeitas a determinadas forma nominativa escritural, sem emissão de cautelas ou O demonstrativo anterior reflete a movimentação da Companhia, da TLA e da Fidelidade, pois a Mercosur, por força da legislação
obrigações nos termos dos contratos de debêntures, tais como certificados, com valor nominal de R$ 100,00 (cem reais) cada, do país em que opera, sofre tributação de imposto de renda diretamente sobre o faturamento bruto.
a observação de determinados índices financeiros, limitação de totalizando três séries. O prazo de vencimento é de sessenta
emissão de dívidas financeiras e prioridade no pagamento das meses, contados a partir da data de subscrição. (b) Composição do saldo do imposto de renda e da contribuição social diferidos ativos
debêntures. Em 31 de dezembro de 2007 e de 2006 todas essas As debêntures possuem garantia real, representada por Consolidado
obrigações estavam sendo atendidas. penhor de direitos creditórios e fazem jus a juros equivalentes a
4,75% ao ano, acrescidos de variação acumulada da TJLP. Os 2007 2006
TAM direitos creditórios são representados por contas a receber de (Nota 21(h))
Em Reunião do Conselho de Administração realizada em 7 de agências de turismo mantidos no Banco Itaú, recebidas no dia Prejuízos fiscais acumulados 3.556
julho de 2006, foi aprovada a emissão para distribuição pública 24 de cada mês, que totalizam valores suficientes para
de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie quitação das parcelas mensais. Bases negativas da contribuição social acumuladas 2.508 5.184
quirografária (sem garantia, nem preferência), com garantia Diferenças temporárias na apuração do resultado tributável 227.301 140.210
fidejussória da controlada TLA e forma nominativa escritural. 19 Bônus Sênior - Consolidado
Com valor nominal unitário de R$ 10, o prazo de Em 25 de abril de 2007, a TAM Capital concluiu oferta de Total 233.365 145.394
vencimento é de 6 (seis) anos, sendo o pagamento em 3 (três) bônus sênior no valor total de US$ 300 milhões, com juros de Circulante (37.950) (36.117)
parcelas anuais e sucessivas, a primeira vencendo em 1º de 7,375% a.a. pagos semestralmente e vencimento final ou único
Não circulante 195.415 109.277
agosto de 2010. em 2017, por meio de uma oferta no exterior isenta de registros
Os juros remuneratórios são pagos semestralmente, na CVM. A Companhia registrou os bônus na Security and
sendo equivalentes a 104,5% do CDI, calculados e divulgados Exchange Comission (“SEC”) em 30 de outubro de 2007. As diferenças temporárias referem-se, principalmente, Na reunião do Conselho de Administração, realizada em
pela Câmara de Custódia e de Liquidação Financeira O valor total desse compromisso em 31 de dezembro de a provisões para contingências, provisão para créditos de 29 de agosto de 2007, foi aprovado aumento de capital social
de Títulos (“CETIP”). 2007 totalizava R$ 538.466, equivalentes a US$ 303.995 mil, liquidação duvidosa e variação cambial. por meio do exercício de opções de compra de ações, com a
sendo R$ 7.076 classificado no passivo circulante, referentes Os impostos ativos diferidos decorrentes de prejuízo subscrição de 16.140 ações preferenciais, sem valor nominal,
TLA aos juros. fiscal, base negativa da contribuição social e diferenças referentes à 1º outorga e 5.666 ações preferenciais, sem valor
Em AGE realizada em 7 de abril de 2003, foi aprovada temporárias foram constituídos em conformidade com nominal, referentes à 2º outorga, pelos preços de emissão de
emissão privada de debêntures não conversíveis em ações, de a Instrução CVM nº 371 de 27 de junho de 2002, e levam R$ 15,21 e R$ 44,38 por ação, respectivamente, totalizando
em consideração o histórico de rentabilidade e a expectativa R$ 497. A integralização do aumento de capital ocorreu em
de geração de lucros tributáveis futuros, fundamentada 30 de novembro de 2007.
20 Imposto de renda e contribuição social - Consolidado em estudo técnico de viabilidade. Em 31 de dezembro de 2007 e de 2006, a Companhia não
possuía ações em tesouraria.
(a) Reconciliação do beneficio (despesa) do imposto de renda e da contribuição social (c) Imposto de renda e contribuição As ações ordinárias conferem ao seu titular o direito a um
social diferidos passivos voto nas deliberações das assembléias gerais.
Consolidado A reserva de reavaliação, conforme Deliberação CVM nº As ações preferenciais não têm direito a voto, exceto no
273/98, está avaliada, em 31 de dezembro de 2007 e de 2006, que se refere a determinadas matérias, enquanto a Companhia
2007 2006
líquida dos encargos de imposto de renda e contribuição social estiver listada no Nível 2 da BOVESPA, tendo porém prioridade
(Nota 21(h)) incidentes sobre essa mais valia, apurada sobre motores na distribuição de dividendos e no reembolso de capital, sem
Resultado consolidado antes do imposto de renda e da contribuição social 170.985 938.038 de aeronaves e imóveis. Os referidos encargos diferidos foram prêmio, no caso de liquidação da Companhia além do direito de
apurados com base nas alíquotas previstas para tributação participar, em igualdade de condições com as ações ordinárias,
Alíquotas - % 34% 34%
sobre os valores de reavaliação das controladas e totalizam, na distribuição de quaisquer benefícios a acionistas.
Despesa com imposto de renda e contribuição social (58.135) (318.933) em 31 de dezembro de 2007, R$ 50.861 (2006 – R$ 56.306). Em 10 de março de 2006, o Conselho de Administração
Imposto de renda e contribuição social sobre prejuízos fiscais aprovou uma oferta global de 5.000.000 ações preferenciais
e base negativa acumulada referente à exercícios anteriores 4.020 21 Patrimônio líquido
emitidas pela Companhia. O preço de emissão da oferta
Imposto de renda e contribuição social sobre juros sobre capital próprio 12.612 5.749 (a) Capital autorizado primária das ações preferenciais foi de R$ 42,00 por ação,
O capital social autorizado em 31 de dezembro de 2007 totalizando R$ 210.000. Foi apurado o ágio na emissão
Imposto de renda e contribuição social sobre adições (exclusões) permanentes (596) (12.094)
e de 2006 é de R$ 1.200.000, podendo ser aumentado com de ações de R$ 183.619.
(42.099) (325.278) Em abril de 2006, como resultado do exercício do lote
a emissão de ações ordinárias ou preferenciais, mediante
Imposto de renda e contribuição social deliberação do Conselho de Administração. suplementar, conforme acordo de distribuição de ações
preferenciais referente à oferta pública de ações de 2006,
Corrente (138.956) (269.642)
(b) Capital subscrito a Companhia emitiu 1.503.879 ações preferenciais pelo
Diferidos 96.857 (55.636) É representado por 150.585.147 ações escriturais, preço de R$ 42,00 por ação, totalizando R$ 63.164. Foi
(42.099) (325.278) sendo 59.791.955 ordinárias e 90.793.192 preferenciais apurado ágio na emissão de ações de R$ 55.229.
(2006 – 150.563.341 ações escriturais, sendo 59.791.955 De acordo com o Contrato de Adesão assinado com
ordinárias e 90.771.386 preferenciais). a BOVESPA, a Companhia tem prazo de três anos, a partir

86 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 87


de 13 de junho de 2005, para cumprimento do requisito de que correspondem à reavaliação de terrenos, que somente será da outorga, desde que, no mesmo prazo, não tenha havido cabíveis; (f) a presente outorga é extraordinária e não
25% de suas ações estejam em circulação no mercado. Desde realizada na eventual baixa dos ativos. a rescisão imotivada do contrato de trabalho pelo Diretor, prejudica os direitos do Diretor em relação às outorgas
agosto de 2007, este percentual é de 53,85% (não auditado). Em conformidade à Instrução CVM nº 197/93, os encargos nem rescisão motivada por parte da Companhia (d) o direito decorrentes do vigente Plano de Opções da Companhia,
tributários sobre a reserva de reavaliação, que em 31 de à outorga e o exercício das opções é mantido nos casos de desde sua contratação.
(c) Reserva de capital - Ágio na subscrição de ações dezembro de 2007 são de R$ 50.861 (2006 - R$ 56.306), são incapacidade permanente e falecimento do Diretor, podendo O Conselho de Administração disponibilizou para esse
A reserva de ágio foi apurada na subscrição de ações reconhecidos ao resultado na medida da realização dessa reserva. ser exercido por seus herdeiros ou sucessores; (e) a outorga plano, 1.735.316 ações preferenciais referentes à 1ª, 2ª, 3ª
em decorrência da mais-valia do acervo líquido recebido em (e) Dividendos e juros sobre capital próprio ora aprovada deve ocorrer nesta mesma data, ficando a outorga e 230.000 ações preferenciais para a outorga
relação ao valor aportado como aumento de capital e beneficia Em conformidade com o Estatuto Social da Companhia, é administração encarregada de adotar todas as providências extraordinária como segue:
indistintamente todos os acionistas. garantido aos acionistas um dividendo mínimo obrigatório na
base de 25% sobre o lucro líquido do exercício, após a dedução Outorga
(d) Reserva de reavaliação (Nota 11 (b)) da reserva legal. Os juros sobre o capital próprio pagos ou 1ª outorga 2ª outorga 3ª outorga extraordinária
A parcela realizada no exercício da reserva de reavaliação creditados poderão ser imputados ao dividendo obrigatório. As
constituída em exercícios anteriores, proporcional à Data 28/12/2005 30/11/2006 14/12/2007 27/09/2007
ações preferenciais têm prioridade no reembolso de capital e
depreciação sobre o valor dos bens reavaliados do ativo direito aos dividendos pelo menos iguais aos distribuídos às Quantidade de ações 715.255 239.750 780.311 230.000
permanente foi transferida para lucros (prejuízos) acumulados e ações ordinárias. Preço de exercício – R$ por ação 14,40 43,48 39,67 39,72
em 31 de dezembro 2007, totalizou R$ 3.665 (2006 - R$ O cálculo dos dividendos está sujeito à aprovação em
4.246). Do total da reserva, R$ 33.034 (2006 – R$ 35.948) Assembléia Geral Ordinária e está demonstrado a seguir: Índice de reajuste IGPM IGPM IGPM IGPM

2007 2006
(Nota 21(h)) De acordo com as regras do Plano Geral para Outorga de sem valor nominal, sendo 16.140 ações referentes à 1ª outorga
Opção de Compra de Ações da Companhia, e em conformidade e 5.666 ações à 2ª outorga, pelos preços de emissão de R$
Lucro líquido do exercício 128.896 611.750 com a AGE com data de 16 de maio de 2005, o limite máximo 15,21 e R$ 44,38 por ação. Em ambas as outorgas, o preço de
Ajustes de exercícios anteriores e prejuízos acumulados (64.715) de diluição da participação dos acionistas da sociedade foi exercício é atualizado pelo IGPM, desde a data da outorga até a
Interpretação Técnica nº01/06 do Ibracon 15.445 fixado em 2% (dois por cento). Em reunião o Conselho de data das demonstrações financeiras. Em 30 de novembro de
Administração em 29 de agosto de 2007 aprovou o exercício 2007 essas ações foram subscritas.
Constituição de reserva legal - 5% (6.445) (27.798) antecipado de 21.806 opções de compra de ações preferenciais, As movimentações ocorridas são resumidas a seguir:
Realização da reserva de reavaliação 3.665 4.246
Base de cálculo de dividendos 126.116 538.928 Preço de exercício
atualizado - Média
Percentual mínimo obrigatório 25% 25% Número de ações ponderada - R$
Dividendo mínimo obrigatório R$ 0,20937693 por ação (2006 R$ 0,89485465 por ação) 31.529 134.732 Em circulação em 31 de dezembro de 2005 715.255 15,04
Juros sobre capital próprio, líquido de imposto de renda na fonte – (15%) Concedido 239.750 44,17
(R$ 0,20937693 por ação – 2006 - R$ 0,09547170 por ação) 31.529 14.374
Em circulação em 31 de dezembro de 2006 955.005 22,35
Dividendo complementar 35.000 120.358
Concedido 1.010.311 39,44
Juros sobre o capital próprio e dividendos a distribuir 66.529 134.732
Exercido (21.806) 22,79
Os dividendos complementares do exercício findo em 31 de dezembro de 2007, no valor de R$ 35.000 referem-se à distribuição de Em circulação em 31 de dezembro de 2007 1.943.510 25,60
lucros de exercícios anteriores.
(f) Reserva de retenção de lucros administrar o referido plano.
Em conformidade com o artigo 196 da Lei das Sociedades Em 14 de dezembro de 2007, foi aprovada pelo Conselho
por Ações, a parcela remanescente do lucro líquido das de Administração a 3ª outorga de opções de compra de Em conformidade com as práticas contábeis adotadas no de controles financeiros, optou por registrar os instrumentos
distribuições e demais destinações estatutárias são destinadas 780.311 ações preferenciais de emissão da Companhia
Brasil, a Companhia não registra as despesas com remuneração derivativos pelo valor justo de mercado.
a esta reserva para fazer jus ao atendimento ao orçamento aos diretores e empregados.
por meio de opção de compra de ações. Caso a Companhia Em decorrência dessa mudança, as demonstrações
de capital para 2008, bem como para o capital de giro da Em AGE realizada em 27 de setembro de 2007 foi
aprovada a outorga especial de opções de compra de 230.000 tivesse registrado, com base no valor justo das opções na data financeiras de 2006 e de 2005, apresentadas para fins
Companhia, tendo em vista os investimentos futuros em
arrendamento de aeronaves adicionais. ações preferenciais de emissão da Companhia a um Diretor da concessão das mesmas, a despesa do exercício, registrada na de comparação, foram ajustadas de modo a reconhecer
nas seguintes condições: (a) o preço das ações objeto rubrica “Despesa com pessoal”, teria sido maior em R$ 7.786 as perdas oriundas dos instrumentos derivativos em aberto
(g) Plano de opção de compra de ações das opções assim outorgadas será o preço médio de cotação (2006 – R$ 10.168). em 31 de dezembro de 2006 e de 2005, nos valores
“Stock Option Plan” das ações preferenciais da sociedade no mês de agosto de de R$ 9.021 (R$ 5.954 líquido de efeitos tributários),
Conforme deliberado em AGE com data de 16 de maio 2007, de acordo com a BOVESPA; (b) sobre o preço das ações (h) Mudança de prática contábil contabilizado na rubrica “Demais contas a pagar”, tendo
de 2005, foi aprovado Plano Geral para Outorga de Opção de apurado na forma acima será concedido um desconto de A partir do primeiro trimestre de 2007, a administração da em contrapartida “Lucros acumulados”, e R$ 93.561
Compra de Ações da Companhia aos diretores e empregados. 20% (vinte por cento); (c) o exercício das opções outorgadas Companhia, em conformidade com as melhores práticas de (R$ 61.750, líquido dos efeitos tributários), reconhecido
O Conselho de Administração é o responsável por definir e poderá ocorrer após 24 (vinte e quatro) meses da data governança corporativa e diante da melhoria na implantação diretamente em “Lucros acumulados”, respectivamente.

88 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 89


Anteriormente, a partir do primeiro trimestre de 2006, (i) Interpretação Técnica nº01/06 do Ibracon (b) Por localidade geográfica dos destinos praticados pela Companhia
a administração da Companhia optou por registrar provisão De acordo com a Interpretação Técnica nº01/06 do Ibracon,
para as obrigações futuras referentes ao programa de em 2006 a TLA reverteu custos de manutenção incorridos Variação
premiação para passageiros freqüentes (Programa Fidelidade em exercícios anteriores registrando efeito no patrimônio 2007 % 2006 % horizontal (%)
TAM). Essa mudança implicou em ajuste, diretamente líquido no montante de R$ 15.445, em contrapartida
Brasil 5.927.544 69,8 5.997.954 77,9 -1,2
à conta de Lucros Acumulados durante o exercício de 2006, do custo e depreciação acumulada de R$ 25.195 e
no valor de R$ 8.919. R$ 9.750, respectivamente. Europa 1.047.726 12,4 616.941 8,0 69,8
América do Norte 1.000.102 11,9 647.788 8,4 54,4
América do Sul (excluindo Brasil) 498.580 5,9 437.408 5,7 14,0
22 Segmentação da receita bruta - Consolidado 8.473.952 100,0 7.700.091 100,0 10,1
A Companhia utiliza-se, normalmente, de suas informações de receita bruta segmentada por tipo de serviço prestado e por
localidade geográfica, conforme apresentada a seguir:

(a) Por tipo de serviço prestado 23 Composição dos principais grupos de custos e despesas - Consolidado
Variação
2007 % 2006 % horizontal (%) 2007 2006
Receita doméstica Despesas
Custos dos Honorários
Regular – Passageiro 4.681.866 55,3 4.935.599 64,1 -5,1 serviços Gerais e da
Fretamento – Passageiro 152.037 1,8 226.336 2,9 -33,2 prestados Comerciais administrativas administração Total % Total %

Carga 360.149 4,2 321.817 4,2 11,9 Pessoal 1.040.966 118.514 112.150 27.739 1.299.369 16,5 872.598 13,7

5.194.052 61,3 5.483.752 71,2 -5,3 Combustíveis 2.536.398 2.536.398 32,2 2.129.856 33,6
Depreciações
Receita internacional e amortizações 84.249 1.443 30.436 116.128 1,5 101.855 1,6
Regular – Passageiro 2.109.398 24,9 1.513.334 19,7 39,4 Manutenções
Fretamento – Passageiro 20.343 0,2 24.125 0,3 -15,7 e revisões
(exceto pessoal) 466.714 466.714 5,9 387.972 6,1
Carga 416.668 4,9 164.678 2,1 >100,0
Seguros de aeronaves 33.560 33.560 0,4 35.077 0,6
2.546.409 30,0 1.702.137 22,1 49,6
Tarifas de pouso
Outras receitas operacionais e decolagem e de
auxílio à navegação 421.021 421.021 5,3 314.977 5,0
Parcerias com Programa Fidelidade 290.029 3,4 207.255 2,7 39,9
Arrendamento de
Sub-arrendamento de aeronaves 33.657 0,4 -100,0 aeronaves, motores
e equipamentos 868.177 4.077 8.547 880.801 11,2 718.797 11,3
Agenciamento de viagens e turismo 30.242 0,4 20.858 0,3 45,0
Serviços prestados
Bilhetes vencidos e outros 413.220 4,9 252.432 3,3 63,7 por terceiros 124.406 174.711 249.834 548.951 6,8 539.636 8,5
733.491 8,7 514.202 6,7 42,6 Despesas de
comercialização
Receita bruta 8.473.952 100,0 7.700.091 100,0 10,1 e marketing 975.149 975.149 12,4 875.254 13,8

Outros 283.445 175.338 152.199 610.982 8,0 372.047 5,8

5.858.936 1.449.232 553.166 27.739 7.889.073 100,0 6.348.069 100,0

90 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 91


24 Resultado Financeiro - Consolidado em vista da natureza de seus bens e dos riscos inerentes à sua passando da marcação na curva do papel para curva de mercado
atividade. Em 31 de dezembro de 2007, baseando-se na frota (Mark to Market – “MTM”). O MTM das operações está incluído
de aeronaves da TLA e da Mercosur, a cobertura de seguros para no resultado financeiro da Companhia e suas controladas.
Controladora Consolidado o ramo aeronáutico (casco e responsabilidade civil em conjunto) (i) Risco de preço dos combustíveis
2007 2006 2007 2006 apresenta o valor máximo indenizável de até US$ 1,5 bilhão. O preço do combustível é um dos maiores componentes
O governo brasileiro, por meio da Lei nº 10.744, de 9 de de risco financeiro nas empresas aéreas. O mesmo está exposto
(Nota 21(h)) aos efeitos das variações nos preços do petróleo (WTI) e seus
outubro de 2003, e Decreto nº 5.035 de 5 de abril de 2004,
Receitas financeiras assumiu o compromisso de cobrir eventuais despesas de derivados, (por exemplo, JET Fuel 54, conhecido como o
Rendimentos de aplicações financeiras 59.561 90.524 263.291 222.857 responsabilidade civil perante terceiros, provocadas por atos de combustível de aviação). O contrato disponível e líquido que
guerra ou atentados terroristas, que possam vir a ser exigidas a TLA considera mais próximo do JET Fuel 54 para efeitos
Variação cambial 10.944
da Companhia. Conforme regulamentado pela referida Lei, as de cobertura é o contrato de petróleo (WTI).
Juros ativos 33.167 15.080 despesas de responsabilidade civis assumidas pelo governo O combustível consumido no exercício findo em
Descontos obtidos 9.885 4.550 federal ficam limitadas ao equivalente em reais a US$ 1 bilhão. 31 de dezembro de 2007 representou aproximadamente
A cobertura de seguros envolvendo os riscos e exigibilidades 32,2% (2006 – 33,6%), dos principais custos (Nota 23).
Ganhos com instrumentos financeiros 140.382
decorrentes do acidente ocorrido em 17 de julho de 2007 com Em 31 de dezembro de 2007, o volume de operações
Outras receitas financeiras 3.467 747 a aeronave Airbus A320 tem sido suficiente considerando os contratadas com vencimentos variáveis até novembro
59.561 90.524 450.192 254.178 acordos já realizados e liquidados diretamente pela seguradora de 2008 era de 5.500 mil barris (2006 – 1.150 mil barris
aos familiares das vítimas. Até 31 de dezembro de 2007 foram com vencimentos variáveis até maio de 2007).
Despesas financeiras concluídas cerca de 50 indenizações a familiares das vítimas no (ii) Risco de taxas de câmbio
Juros passivos (60.199) (20.087) (230.395) (115.118) acidente e outras 57 estão em negociação com a seguradora da Esse risco está atrelado à possibilidade de alteração
Companhia. A administração entende que a cobertura de nas taxas de câmbio, afetando a despesa ou receita financeira
CPMF (793) (4.273) (21.936) (27.344)
seguros dessas obrigações é adequada. A Companhia entende e o saldo passivo ou ativo de contratos que tenham como
Perdas com instrumentos financeiros (100.315) (38.354) que não incorreu em despesas adicionais ou não previstas no indexador uma moeda estrangeira. Parte do risco é mitigada
Variação cambial (755) (1.825) (88.107) escopo do contrato de seguros que venham a ser de pelo fato da Companhia e suas controladas operarem no
responsabilidade direta da própria TAM. exterior e as receitas dessas operações serem realizadas em
Bancárias (302) (135) (13.786) (7.595)
As empresas controladas mantêm também coberturas moeda estrangeira. A atual política de contratação de hedge
Outras despesas financeiras (218) (9.467) de seguro para cobrir eventuais sinistros em suas instalações baseia-se na proteção de percentual dos desembolsos líquidos
(62.049) (26.320) (454.757) (197.878) contra riscos de roubo, incêndio, alagamento e danos elétricos, de caixa em outras moedas em períodos seguintes.
dentre outros, para cobertura de equipamentos, edifícios A Companhia e suas controladas contratam operações
Resultado financeiro, líquido (2.488) 64.204 (4.565) 56.300 e veículos de nossa responsabilidade e/ou propriedade. financeiras com derivativos, visando basicamente à proteção
de sua exposição à moeda estrangeira, decorrente da aquisição
27 Instrumentos de combustível, de contratação de serviços de manutenção de
financeiros - Consolidado motores com os fabricantes e de contratos de financiamentos
(a) Considerações gerais com a finalidade de expansão/manutenção de suas atividades
Conforme a política de hedge estabelecida, a Companhia operacionais. Em 31 de dezembro de 2007, não havia,
25 Benefícios a funcionários concessão dos benefícios é de responsabilidade exclusiva do
por decisão do Comitê de Risco, nenhuma posição aberta
Bradesco Vida e Previdência. e suas controladas realizam operações de derivativos com o
(a) Plano de aposentadoria complementar Todos os demais participantes transferiram suas reservas objetivo de se proteger de seus principais riscos de variação em operações de moeda estrangeira.
A TLA patrocinava três planos de complementação de para o PGBL. cambial nas receitas e despesas em dólares e da variação (iii)Risco de taxas de juros
benefícios de aposentadoria denominados TAM Prev – Plano I do preço do combustível. Adicionalmente, excessos de caixa Esse risco é oriundo da possibilidade de a Companhia
na modalidade de “Benefícios Definidos” e TAM Prev – Planos II (b) Participação nos resultados temporários são aplicados, em linha com a política e suas controladas virem a ter perdas ou ganhos por conta
e III na modalidade de “Contribuições Definidas”. Em 21 de Conforme acordo sindical ajustado anualmente, a de investimentos do grupo, reavaliada continuamente pela de flutuações nas taxas de juros que são aplicadas aos seus
novembro de 2006 foi aprovada pela Secretaria de Previdência administração da Companhia efetuará pagamento de tesouraria, ajustando-a ao mercado e buscando maximizar passivos (captações) e ativos (aplicações) no mercado.
Complementar (SPC) a migração dos planos de previdência I, II participação nos resultados caso sejam atingidas determinadas os retornos com os menores riscos possíveis. Para minimizar possíveis impactos advindos de oscilações
e III, para um novo plano de modalidade PGBL administrado por A administração desses instrumentos é efetuada por meio em taxas de juros, a Companhia e suas controladas adotam
metas de performance estabelecidas com base no seu
uma instituição independente. Para os participantes do Plano I de políticas pré-estabelecidas, levando em conta liquidez, a política de diversificação, alternando a contratação de taxas
orçamento anual. Nesse sentido, a administração registrou na
rentabilidade e risco/retorno de cada posição. A política de fixas e variáveis como a LIBOR e o CDI, com repactuações
foi dada também a opção de transferência para um plano FGB rubrica “Salários e encargos sociais”, provisão para pagamento controle consiste no acompanhamento permanente das taxas
(Fundo Gerador de Benefícios) com garantia de benefício por deste benefício referente ao exercício findo em 31 de dezembro periódicas de seus contratos, visando adequá-los ao mercado.
contratadas em relação as vigentes no mercado. A Companhia
ocasião da aposentadoria. de 2007, no valor de R$ 35.439 (2006 - R$ 82.390). e suas controladas não aplicam em derivativos ou quaisquer (iv)Risco de crédito
Em 30 de setembro de 2007, foi assinado contrato entre a outros ativos de risco de caráter especulativo. Advém da possibilidade de a Companhia e suas controladas
Companhia e o Bradesco Vida e Previdência, por meio do qual o 26 Cobertura de seguros Durante o trimestre findo em 31 de março de 2007, a não receberem valores decorrentes de operações de prestação
valor dos benefícios continuados para os 5 participantes As empresas controladas mantêm cobertura de seguros por Companhia e suas controladas, buscando o alinhamento com de serviços ao consumidor e/ou a agências de viagens ou de
remanescentes do Plano I serão mantidos com as mesmas montantes acima dos valores mínimos obrigatórios que as melhores práticas de governança corporativa, alterou o créditos detidos junto a instituições financeiras gerados por
condições do plano anterior e o risco referente à fase de consideram necessários para cobertura de eventuais sinistros, critério de marcação a mercado das operações de derivativos, operações de investimento financeiro.

92 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 93


Para atenuar esse risco, a Companhia e suas controladas multimercado, de forma a atingir rentabilidade superior à • No ativo permanente: (i) criação do subgrupo Intangível; • Eliminação da possibilidade de efetuar reavaliações
adotam a prática do estabelecimento de limite de crédito e variação da taxa de juros do CDI. (ii) restrição do uso do ativo diferido às despesas espontâneas do seu ativo imobilizado. A nova lei deu a
acompanhamento permanente do seu saldo devedor pré-operacionais e aos gastos incrementais de reestruturação; opção às companhias para manterem os saldos existentes
basicamente para as agências de viagens. Com relação às (c) Investimentos (iii) segregação no ativo intangível dos bens incorpóreos, dessa reserva, que deverão ser realizados de acordo com
aplicações financeiras, a Companhia e suas controladas As controladas TLA, Mercosur, TP Participações, TAM Capital, inclusive o ágio (goodwill) adquirido, e (iv) inclusão no ativo as regras atuais ou de estornarem esses saldos até o final
somente realizam aplicações em instituições com baixo risco TAM Financial 1 e TAM Financial 2 são empresas de capital imobilizado dos ativos decorrentes de operações que do exercício de 2008.
de crédito avaliado por agências de rating. Além disso, cada fechado e, portanto não há informações disponíveis sobre seus transfiram à Companhia os benefícios, riscos e controle • Eliminação da Reserva de Capital “Prêmio na Emissão
instituição possui um limite máximo de saldo de aplicação, valores de mercado. desses bens, independentemente de ter ocorrido ou não de Debêntures”.
determinado pelo Comitê de Risco. a transferência de propriedade. • Obrigatoriedade do registro contábil de remuneração
(d) Valor de mercado dos instrumentos financeiros • Criação, no patrimônio líquido, do subgrupo “Ajustes de empregados e administradores, mesmo quando efetuada
(b) Aplicações financeiras Os valores estimados de mercado dos instrumentos financeiros de Avaliação Patrimonial”, que servirá essencialmente na forma de instrumentos financeiros, tais como ações
Representadas principalmente por aplicações em fundos de em 31 de dezembro de 2007 aproximam-se do seu valor de para abrigar a contrapartida de determinadas avaliações ou opções de compra de ações.
investimentos destinados a aplicar em quotas de fundos de mercado, refletindo os vencimentos ou o reajuste freqüente de de ativos a preço de mercado, especialmente a avaliação • Alterações na escrituração mercantil e na escrituração
investimentos de diversas classes e/ou fundos de investimentos preço desses instrumentos, e podem ser assim demonstrados: de determinados instrumentos financeiros e, ainda, tributária, estabelecendo alternativas para as
os ajustes de conversão em função da variação cambial Companhias a possibilidade de adotar na escrituração
Controladora Consolidado de investimentos societários no exterior. mercantil as disposições da lei tributária, para em
Contábil Mercado Contábil Mercado • Estabelece novos critérios para a classificação e a seguida efetuar os ajustes necessários para atendimento
avaliação das aplicações em instrumentos financeiros, da legislação societária.
Ativo inclusive derivativos, e em direitos e títulos de crédito,
Considerando a extensão e complexidade das alterações
Disponibilidades 1.051 1.051 134.873 134.873 em linha com a norma internacional, onde esses
promovidas pela referida Lei, a administração está avaliando
instrumentos financeiros são classificados em três
Aplicações financeiras 510.714 510.714 2.472.004 2.472.004 seus reflexos na Companhia, ao tempo em que acompanha
categorias: destinados à negociação, disponíveis para
511.765 511.765 2.606.877 2.606.877 as discussões e debates no mercado, em especial nos órgãos
venda e mantidos até o vencimento, sendo a avaliação
e associações da classe contábil e junto aos reguladores,
Passivo das duas primeiras pelo seu valor de mercado e a última
que possivelmente se manifestarão sobre aspectos para
pelo custo acrescido dos rendimentos.
Empréstimos e financiamentos 1.100.337 1.106.305 a aplicação da Lei.
• Introdução na Lei do conceito de Ajuste a Valor Presente
Debêntures 523.147 531.637 532.159 536.462 para as operações ativas e passivas de longo prazo e para
(b) Recompra de ações
523.147 531.637 1.632.496 1.642.767 as relevantes de curto prazo. Cabe destacar que a CVM já
Como parte das práticas de gestão financeira, a TAM
se pronunciou em comunicado ao mercado entendendo que
passa a adotar uma política de recompra de ações, sem
a aplicação desse conceito pelas companhias abertas por
comprometer o programa de investimentos ou substituir
ela reguladas depende da emissão de norma específica ou
o pagamento de dividendos.
O valor de mercado dos ativos financeiros e dos para a quantidade de pontos expirados, não convertidos em de expressa referência em alguma outra norma, delimitando
O Conselho de Administração da TAM, em reunião realizada
financiamentos de curto e longo prazos, quando aplicável, foi bilhetes e valorizada pelo custo incremental do serviço de o seu alcance e fixando as premissas necessárias para sua
utilização, o que deverá ser efetuado em consonância com em 30 de janeiro de 2008, aprovou a aquisição de ações
determinado utilizando taxas de juros correntes disponíveis para bordo, combustível, seguro e cartão de embarque.
as normas internacionais. preferenciais de emissão da própria Companhia para a
operações com condições e vencimentos remanescentes similar. Os pontos conquistados por nossos clientes através do
Programa Fidelidade são válidos por dois anos para emissão de • A Lei n°. 11.638/07 também obriga a Companhia a efetuar, tesouraria e posterior cancelamento ou alienação sem redução
28 Programa Fidelidade bilhetes. Isto limita o crescimento do custo do programa, o qual periodicamente, análise para verificar o grau de recuperação de capital social.
TAM - Consolidado tende a se estabilizar em relação à quantidade de passageiros dos valores registrados no ativo imobilizado, intangível A aquisição respeitará o limite de até 4.000.000 (quatro
Em 31 de dezembro de 2007, o Programa Fidelidade TAM transportados. e diferido. Sobre esse assunto, em 2007 foi emitido milhões) de ações preferenciais, equivalente a 5,56% das
apresentava 2.400.632 (2006 – 1.782.397) (não auditado) o Pronunciamento CPC 01 do Comitê de Pronunciamentos ações em circulação. Esta autorização vigorará por um prazo
trechos domésticos de passagens aéreas conquistados por seus 29 Eventos subseqüentes Contábeis, que está em linha com as normas internacionais máximo de 365 dias, a partir da data da aprovação pelo
clientes e ainda não resgatadas. A TLA atualmente registra o (a) Alteração da Lei das Sociedades por ações para 2008 de contabilidade. A CVM emitiu a Deliberação CVM Conselho de Administração. As aquisições serão realizadas
custo incremental, ou seja, o custo adicional por passageiro Em 28 de dezembro de 2007, foi promulgada a Lei nº. nº. 527/07 aprovando este Pronunciamento. em bolsa, a preço de mercado.
transportado, quando incorrido. 11.638/07, que altera a Lei das Sociedades por Ações, quanto a
No exercício findo em 31 de dezembro de 2007 foram determinadas práticas contábeis, escrituração e elaboração das
concedidas e utilizadas por nossos clientes 1.090.734 demonstrações financeiras a partir do exercício social que se
encerrará em 31 de dezembro de 2008. A seguir está descrito
passagens grátis (2006 – 756.040).
um sumário dos principais assuntos contemplados na nova lei
A provisão para as obrigações futuras do programa totaliza,
que poderão influenciar as demonstrações financeiras do
em 31 de dezembro de 2007, aproximadamente, R$ 20.614 próximo exercício:
(2006 – R$ 19.039). A base de cálculo para provisão é feita • Substituição da Demonstração das Origens e Aplicações de
utilizando uma estimativa da quantidade de trechos convites Recursos pela Demonstração dos Fluxos de Caixa e inclusão
voados por outras companhias aéreas, a quantidade de pontos da Demonstração do Valor Adicionado no conjunto das
já conquistados, convertida em trechos-convite, uma provisão demonstrações financeiras.

94 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 95


TAM S.A.

US GAAP

TAM Relatório Anual 2007 97


Resumo das principais diferenças entre as práticas contábeis Para fins de reconciliação, o custo de aquisição dessas (2006 - R$ 226.879 e 2005 - R$ 329.638). As despesas
adotadas no Brasil (“BR GAAP”) e os princípios contábeis aeronaves e as obrigações relacionadas na data de início de juros referentes ao arrendamento mercantil financeiro
dos contratos, totalizaram em 31 de dezembro de 2007, dessas aeronaves reconhecidas ao resultado em 31 de dezembro
geralmente aceitos nos Estados Unidos (“US GAAP”)
R$ 4.566.069, as depreciações acumuladas dessas aeronaves de 2007 totalizaram R$ 132.626, (2006 - R$ 151.928
totalizaram R$ 743.300, e foram contabilizados no balanço e 2005 - R$ 139.876). As despesas reconhecidas para fins
(a) Descrição das diferenças entre Para fins de reconciliação, a reserva de reavaliação
patrimonial para fins de US GAAP. O ativo está sendo de BR GAAP como arrendamento operacional simples destas
o BR GAAP e o US GAAP foi revertida de acordo com o US GAAP em 2007, líquida
depreciado durante a vida útil estimada de 25 anos para as aeronaves foram revertidas durante todos os períodos
As demonstrações financeiras em conformidade com os de depreciação e efeitos fiscais diferido, totalizando no
aeronaves Airbus A319, Airbus A320 e Fokker-100 e 30 anos e totalizaram R$ 385.602, (2006 - R$ 337.774 e
BR GAAP foram preparadas conforme descrito na Nota 2. patrimônio liquido R$ 135.134 em 31 de dezembro de 2007
para as aeronaves Airbus A330 e A340. As variações cambiais 2005 - R$ 327.543). Para fins de US GAAP, foi registrada
As principais práticas contábeis da Companhia, que diferem (2006 – R$ 147.874).
estão sendo reconhecidas ao resultado do exercício quando a rubrica “Outras despesas” o resultado referente à devolução
significativamente dos U.S. GAAP, estão sumarizadas a seguir: No resultado estes efeitos totalizaram em 31 de dezembro
incorridas. A despesa de depreciação reconhecida ao resultado de aeronaves no montante de R$ 4.023 e 4.499. em 31
de 2007, R$ 3.665 (2006 - R$ 4.246 e 2005 - R$ 3.852).
(b) Correção monetária complementar de 31 de dezembro de 2007 totalizou R$ 173.127, (2006 - de dezembro de 2006 e 2005 respectivamente.
ii. Contratos de arrendamento
em 1996 e 1997 pelo US GAAP R$ 133.942 e 2005 - R$ 127.810). Para fins de reconciliação dos contratos de arrendamento,
Os BR GAAP não especificam a forma de contabilização
De acordo com o BR GAAP, a correção monetária foi As variações cambiais sobre arrendamentos reconhecidas os montantes ajustados ao patrimônio líquido em 31 de dezembro
dos contratos de arrendamento. Como essa contabilização
descontinuada a partir de 1º de janeiro de 1996. em 31 de dezembro de 2007 totalizaram R$ 417.444 de 2007 totalizaram R$ 1.102.745 (2006 – R$ 605.454).
afeta principalmente os resultados do setor de transporte
As demonstrações financeiras em BR GAAP incluíam ajustes aéreo, a Companhia decidiu adotar para fins dos BR GAAP Considerando os ajustes mencionados acima, as obrigações com arrendamento segundo o US GAAP totalizam:
de indexação que refletem, parcialmente, o efeito da inflação o tratamento contábil de registrar como arrendamento
sobre o imobilizado, os investimentos, o diferido (em conjunto, mercantil financeiro os contratos que transferem ou Encargos financeiros
denominados "ativo permanente") e sobre o patrimônio concedem à TLA a opção de transferir a propriedade do ativo (média ponderada) 2007 2006
líquido, informando os débitos ou créditos líquidos na ao término do contrato.
demonstração de resultado. No entanto, segundo o US GAAP, De acordo com os US GAAP, o "Statement of Financial Aeronaves e Motores Fokker-100 Juros pré de 1,1% a.a. 10.530 161.035
o Brasil deixou de ser tratado como economia altamente Accounting Standard" ("SFAS") nº 13, "Accounting for Leases", Aeronaves e Motores Airbus A319/A320 LIBOR mensal e semestral (5,3% a.a.) 1.797.059 1.200.799
inflacionária apenas a partir de 1º de janeiro de 1998. Dessa os arrendamentos mercantis financeiros devem atender pelo Aeronaves, Motores e Peças sobressalentes Airbus A330 LIBOR mensal (5,3% a.a.) 1.016.640 979.389
forma, as demonstrações financeiras para fins do US GAAP menos um dos critérios a seguir:
devem incluir ajustes adicionais de correção monetária em • A operação de arrendamento transfere a titularidade da Obrigações de arrendamento: LIBOR mensal (5,3% a.a.) 1.691 4.526
1996 e 1997, efetuados aplicando-se o Índice Geral de Preços propriedade ao arrendatário ao término do arrendamento; LIBOR semestral (5,3% a.a.) 3.434 16.436
– Disponibilidade Interna (“IGP-DI”) ao ativo permanente e ao • A operação de arrendamento contém a opção de compra, LIBOR trimestral (5,3% a.a.) 5.172 3.998
patrimônio líquido. O IGP-DI registrou um aumento de 9,3% pelo preço abaixo do valor de mercado;
em 1996 e de 7,5% em 1997. • O prazo da operação de arrendamento é igual a 75% Juros pré de 1,1% a.a. 11.612 2.842
Para fins de reconciliação, não há mais diferença no ou mais da vida econômica estimada do ativo arrendado; e 2.846.138 2.369.025
patrimônio líquido segundo US GAAP em 2007 (2006 - R$ 68), • O valor presente dos pagamentos mínimos de
devido aos ajustes adicionais de correções monetárias, líquidas Circulante (330.231) (335.254)
arrendamento, no início do prazo do arrendamento,
de depreciação. Tais montantes geraram aumentos nos excluindo a parcela dos pagamentos que representam Não circulante 2.515.907 2.033.771
encargos de depreciação no exercício findo em 31 de dezembro custos executórios, tais como seguro, manutenção e
de 2007 de R$ 68 (2006 - R$ 88 e 2005 - R$ 102). impostos a serem pagos pelo arrendador e incluindo
qualquer lucro resultante, é igual ou superior a 90% do
(c) Imobilizado
valor justo do ativo arrendado no início do arrendamento. As obrigações de arrendamento acima são garantidas por cartas de fiança emitidas pela Companhia.
i. Reavaliação do imobilizado
Adicionalmente, nos cálculos para enquadramento Os vencimentos de longo prazo têm a seguinte distribuição:
Os BR GAAP permitem a reavaliação dos ativos. A reserva
aos critérios acima, são considerados os prazos e os valores
de reavaliação, líquida dos efeitos fiscais diferidos posteriores
a 1991, é creditada a uma conta de reserva no patrimônio
presentes dos pagamentos mínimos, desde o primeiro contrato Ano 2007 2006
líquido. A depreciação das reservas de reavaliação é da Companhia para cada aeronave, incluindo-se as renegociações, 2008 242.411
contabilizada ao resultado e o valor da baixa é retirado e independentemente de mudança no arrendador.
A TAM possuía em 31 de dezembro de 2007, 44 aeronaves 2009 295.303 253.952
da reserva de reavaliação no patrimônio líquido e transferido
para lucros acumulados mediante a depreciação, baixa ou registradas como arrendamento operacional segundo o BR 2010 275.359 236.641
venda dos ativos. GAAP (Airbus A319 – 9 unidades, Airbus A320 – 19 unidades, 2011 281.636 228.747
De acordo com os US GAAP, a reavaliação do imobilizado Airbus A330 – 10 unidades, Airbus A321 -3 unidades; Airbus
2012 290.452 230.414
não é permitida, e as reservas de reavaliação e efeitos fiscais 340 – 2 unidades e Fokker-100 – 1 unidade) as quais,
diferidos relacionados foram eliminados de forma a apresentar considerando-se a norma exposta acima foram consideradas 2013 330.381 245.220
o imobilizado ao custo histórico menos a depreciação como arrendamento financeiro, para fins de US GAAP, pois o Após 2013 1.042.776 596.386
acumulada. Dessa forma, a depreciação da reavaliação valor presente dos pagamentos mínimos desses contratos
2.515.907 2.033.771
contabilizada ao resultado também foi eliminada. excede 90% do valor justo do ativo arrendado.

98 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 99


iii. Recuperabilidade o fluxo de caixa identificável é inferior ao respectivo valor operacional simples, cuja liquidação final é prevista De acordo com os US GAAP, os valores justos são atribuídos
Os BR GAAP exigem que as empresas determinem contábil. Nessa eventualidade, é reconhecida uma perda com para março de 2013. a ativos e passivos adquiridos nas combinações de negócios,
se o lucro operacional é suficiente para absorver a depreciação base no valor pelo qual o valor contábil supera o valor justo (iii)Em dezembro de 2003, a TAM efetuou uma reorganização incluindo ativos intangíveis e ágio não-alocado, aplicáveis a
ou amortização dos ativos permanentes, a fim de avaliar de mercado dos ativos, ou os fluxos de caixa descontados da sua frota de 19 Fokker-100 (Nota 14), o qual gerou o cada transação específica. Com a adoção do SFAS nº 142
a recuperabilidade potencial do ativo. Na hipótese de o lucro gerados pelos ativos. cancelamento de 10 contratos de arrendamento mercantis "Goodwill and Other Intangible Assets", a partir
operacional ser insuficiente para recuperar a depreciação, No caso da TLA, não houve diferenças entre os US GAAP financeiros e 9 contratos de arrendamento operacionais de 1º de janeiro de 2002, o ágio não é mais amortizado,
o valor dos ativos, ou grupos de ativos, é reduzido ao valor e os BR GAAP relativas à recuperabilidade dos ativos, para simples, gerando novos contratos de arrendamento mas atribuído às "reporting units" da empresa e testada a sua
recuperável, de preferência com base nos fluxos de caixa as datas-base apresentadas. operacional simples. Para fins de BR GAAP, a TAM recuperabilidade pelo menos anualmente. Adicionalmente,
descontados projetados das operações futuras. Na hipótese iv. Ganhos nas operações de sale-leaseback reconheceu um ganho de R$ 76.815, o qual foi reconhecido de acordo com os US GAAP, o ágio gerado em transações
de substituição planejada dos ativos, antes do término de sua Os BR GAAP não fornecem orientação específica sobre no resultado de 2003. Para fins de U.S. GAAP, esse ganho de empresas sobre controle comum, não deve ser registrado.
está sendo amortizado, conforme cronograma de devolução
vida útil estimada originalmente, a depreciação desses ativos transações de "sale-leaseback". Todos os ganhos ou perdas A diferença entre os valores pagos e o valor de livros dos ativos
das aeronaves, previsto originalmente para julho de 2005.
é acelerada, de modo a assegurar que ele seja depreciado resultantes das operações de "sale-leaseback" foram líquidos adquiridos deve ser registrada como uma contribuição
Em janeiro de 2005, foi assinado aditamento prorrogando
de acordo com o valor líquido estimado de realização na data reconhecidos no resultado quando incorridos. ou distribuição de capital.
o prazo de devolução de 5 destas aeronaves até abril
estimada de substituição. De acordo com os US GAAP, o SFAS nº 28, "Accounting de 2006. Em novembro de 2006 foi assinado aditamento As diferenças com relação aos BR GAAP aplicáveis para
De acordo com os US GAAP, o SFAS nº 144, "Accounting for for Sales with Leaseback", estabelece uma operação contratual prorrogando o prazo das 3 últimas aeronaves a TAM, derivam, principalmente: (i) não amortização de ágio
the Impairment of Disposal of Long-Lived Assets", dispõe que as de "sale-leaseback" como uma transação de financiamento, até maio de 2007. A administração decidiu não alterar a partir de 1º de janeiro de 2002; e (ii) não reconhecimento
empresas avaliem o valor contábil dos ativos de vida longa a na qual qualquer ganho ou perda na venda deve ser diferido os prazos da amortização, por julgar o efeito irrelevante. de deságios em transações entre partes sob controle comum
serem mantidos e usados, e dos ativos de vida longa e amortizado pelo vendedor, o qual se torna o arrendatário, Essas transações foram consideradas como uma (Nota 29 (e) (ii)).
a serem alienados, quando houver fatos e circunstâncias que seguindo a proporção dos pagamentos do aluguel sobre modificação das disposições do contrato original para fins Para fins de BR GAAP, o saldo líquido do ágio, em 31
requeiram tal revisão. O valor contábil dos ativos de vida longa o período estimado de utilização do ativo, mesmo que de US GAAP. de dezembro de 2007, totalizou em R$ 717 (2006 - R$ 717),
é considerado irrecuperável quando o fluxo de caixa não na legislação do país de origem da companhia, as operações De acordo com o SFAS nº 145, "Recission of FASB o qual está sendo amortizado pelo período de cinco a dez anos.
descontado previsto, representando o nível mais baixo no qual sejam consideradas isoladas e juridicamente perfeitas. Statements nº 4, 44 and 64, Amendment of FASB Statements Em 31 de dezembro de 2007, o deságio totalizou R$ 11.099
nº 13, and Technical Corrections", ou seja, se as modificações (2006 – R$ 11.099).
nas disposições de um contrato de arrendamento geraram um Para fins de reconciliação, foram revertidos os ágios
2007 2006 2005
novo contrato classificado como arrendamento operacional amortizados a partir de 1º de janeiro de 2003, totalizando
Ganho no Amortização simples, a transação deverá ser contabilizada como "sale- R$ 717 na demonstração de resultado do exercício findo em
sale-leaseback acumulada Líquido Líquido Líquido leaseback" de acordo com os parágrafos 2 e 3 do SFAS nº 28, 31 de dezembro de 2007 (2006 – R$ 717 e 2005 - R$ 1.341).
mencionado anteriormente. No patrimônio líquido estes efeitos totalizaram para fins
Operação Airbus A330 (i) 319.073 (168.399) 150.674 177.263 203.852 v. Subarrendamento de aeronaves de reconciliação, em 31 de dezembro de 2007 R$ 9.680
Operação Airbus A320 (ii) 54.957 (26.105) 28.852 34.348 39.844 A Companhia possuía 3 aeronaves Airbus A330 e um motor (2006 - R$ 8.963).
subarrendado para outra companhia aérea. A vigência deste Para fins de US GAAP, o saldo líquido do ágio, em 31
Operação Fokker-100 (iii) 76.815 (76.815) 1.749
contrato encerrou-se em novembro de 2006 com conseqüente de dezembro de 2007, totalizou R$ 9.680 (2006 - R$ 9.680).
450.845 (271.319) 179.526 211.611 245.445 devolução dos equipamentos. ii. Controle comum e deságio – Mercosur
Para fins de BR GAAP, a TAM Mercosur foi adquirida
(d) Diferido e consolidada pela Companhia em setembro de 2003 através
Os BR GAAP permitem o diferimento de benfeitorias de uma operação de permuta de ações.
A amortização do ganho sobre as operações de aeronave. Para fins de BR GAAP, a TAM reconheceu realizadas em propriedade de terceiros. Para fins de US GAAP, a Mercosur foi considerada sob
“sale-leaseback” apropriada da demonstração do resultado um ganho líquido no montante de R$ 319.073 durante De acordo com os US GAAP, estas benfeitorias devem controle comum desde 1996, por possuir os mesmos acionistas
no exercício findo em 31 de dezembro de 2007, registrada o exercício de 2001. Este ganho está sendo amortizado ser tratadas como adições ao imobilizado e, portanto foram controladores da Companhia, e assim foi consolidada
na rubrica “Receita (despesa) financeira, líquida” totalizaram pelo prazo do novo contrato de arrendamento operacional reclassificadas para o imobilizado. A partir do segundo retroativamente em todos os períodos apresentados. Os efeitos
R$ 17.151 (2006 - R$ 18.941 e 2005 – R$ 24.895), simples, cuja liquidação final é prevista para agosto de 2013. trimestre de 2006, essas benfeitorias foram reclassificadas da consolidação retroativa na mutação do patrimônio líquido
respectivamente e registrados na rubrica “Outras (ii) Em abril de 2003, a TAM assinou contratos que resultaram no BR GAAP para o imobilizado. foram reconhecidos como capital integralizado adicional.
despesas operacionais, líquidas” totalizaram R$ 14.934 no cancelamento de contratos de arrendamento mercantil Adicionalmente, nesta transação, o deságio para fins
(2006 - R$ 14.893 e 2005 – R$ 14.864), respectivamente. financeiro de quatro aeronaves Airbus A320 com um (e) Associação de empresas
de BR GAAP foi gerado pela diferença entre o valor de livros
Para fins de reconciliação dos ganhos sobre as operações arrendador, e imediatamente a TAM assinou novos contratos i. Ágio
e o valor pago na transação de aquisição da Mercosur.
de “sale-leaseback”, os montantes ajustados ao patrimônio sob a modalidade de arrendamento operacional simples, De acordo com os BR GAAP, o ágio é resultante da diferença
Como esta operação foi caracterizada como de controle
entre o valor pago e o valor contábil dos ativos líquidos
liquido em 31 de dezembro de 2007 totalizaram R$ 179.526 com um arrendador diferente. Para fins de BR GAAP, a TAM comum, para fins de US GAAP a diferença entre o valor pago
adquiridos. Esse ágio é normalmente atribuído ao valor
(2006 – R$ 211.611). não reconheceu nenhum ganho, pois este contrato era e o valor de livros da Mercosur foi reconhecida no patrimônio
de mercado dos ativos adquiridos ou justificado com base na
(i) Em agosto de 2001, a TAM assinou um contrato que registrado como arrendamento operacional simples. Para líquido, como, contribuição de capital.
expectativa de rentabilidade futura, sendo amortizado durante
resultou no cancelamento do contrato de arrendamento fins de US GAAP, a Companhia reconheceu um ganho de a vida útil remanescente dos ativos ou em até dez anos. Adicionalmente, para fins de BR GAAP, os efeitos de
mercantil financeiro de três aeronaves Airbus A330 com R$ 54.957, pois este contrato era registrado como O deságio resulta de acordo com os BR GAAP quando o valor variação cambial sobre o patrimônio líquido desta subsidiária
um arrendador, e assinou um novo contrato de arrendamento arrendamento mercantil financeiro. Este ganho está sendo contábil dos ativos adquiridos é excedente ao preço de compra. estão distribuídos pelas linhas do resultado. Para fins de US
operacional simples, com um novo arrendador para a mesma amortizado pelo prazo do novo contrato de arrendamento O deságio geralmente não é amortizado. GAAP, o efeito desta variação cambial foi reconhecido dentro

100 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 101
do patrimônio líquido na conta de “Ajustes Acumulados Embora o cálculo da situação de suficiência de fundos 2006 2005
de Conversão”, de acordo com o SFAS nº 52 “Foreign seja o mesmo desde 31 de dezembro de 2001, surgem
Currency Translation”. diferenças nos (i) ganhos e perdas atuariais, pois inicialmente Status do plano
Para fins de reconciliação, os efeitos descritos acima não existe ganho ou perda atuarial em 31 de dezembro Situação de insuficiência (suficiência) de fundo no fim do exercício 679 (14.552)
totalizaram R$ 3.537 no exercício findo em 31 de dezembro de 2001, (ii) reconhecimento da obrigação inicial de transição Perda atuarial líquido não reconhecido (9.187)
de 2007 (2006 – R$ (5.183) e 2005 – R$ 8.870), e (iii) o passivo mínimo, conforme os U.S. GAAP.
respectivamente e R$ 11.828 no patrimônio líquido em 31 Em 21 de novembro de 2006, foi aprovada pela Secretaria Custo de serviços prestados não reconhecido 2.805
de dezembro de 2007 (2006 – R$ 11.828). de Previdência Complementar (SPC) a migração dos planos Ativo de transição inicial não reconhecido, líquido 189
de previdência I, II e III para o novo plano PGBL, plano de
(f) Benefícios do plano de pensão e pós-aposentadoria Ativo (provisão) de aposentadoria 679 (20.745)
contribuição definida. Durante o ano de 2006 43 funcionários,
Na determinação das obrigações dos benefícios do plano aceitaram a migração e portanto tiveram o reconhecimento
de pensão e pós-aposentadoria para fins de BR GAAP, a NPC do “settlement” em setembro de 2007, os 5 remanescentes
Os valores reconhecidos no balanço patrimonial são compostos por:
nº 26 deve ser aplicada nas informações trimestrais a partir do plano I que ainda não haviam se manifestado tiveram seus
do exercício findo em 31 de dezembro de 2002. Conforme benefícios tranfereridos para o Bradesco Vida e Previdência S.A. 2006 2005
permitido pela norma, o ganho de transição (a diferença A migração dos empregados para o PGBL representa uma ação
entre os ativos líquidos do plano e a obrigação dos benefícios irrevogável, eliminando riscos relacionados a ativos e passivos Ativo (provisão) de aposentadoria 679 (20.745)
projetada ("PBO")) nessa data será contabilizado no lucro do plano. A contabilização dos participantes transferidos foi Passivo mínimo adicional
durante o período de cinco anos. realizada de acordo com o SFAS nº 88 “Employers’ Accounting Ativo intangível
De acordo com os US GAAP, através do SFAS nº 87 for Settlements and Curtailments of Defined Benefit Pension
"Employers’ Accounting for Pensions", que está em vigor Plans and for Termination Benefits”. O “settlement” para Ativo (passivo) reconhecido, líquido 679 (20.745)
para os exercícios fiscais posteriores a 1988, uma obrigação os 5 participantes remanescentes foi aprovado em 30 Premissas ponderadas em 31 de dezembro
inicial determinada com base na avaliação atuarial deve ser de setembro de 2007.
registrada contabilmente. Os ganhos e as perdas atuariais, O resumo de suficiência de fundos e valores registrados Taxa de desconto - % 11,83 11,83
bem como as variações estimadas nos ativos dos planos e PBO, no balanço patrimonial sintético em US GAAP em 31 Retorno esperado dos ativos do plano - % 13,72 13,72
os efeitos das alterações, liquidações e outros, são reconhecidos de dezembro de 2007 e 2006, e a demonstração sintética
Taxa de aumento da remuneração - % 7,10 7,10
de acordo com essa norma e, portanto, resultam em montantes do resultado para os exercícios findos em 31 de dezembro
diferentes quando diferidos. Até 1997, esses montantes eram de 2007, 2006 e 2005 dos passivos relativos aos planos
tratados como não monetários e indexados pela inflação. de previdência da TAM para beneficiários aposentados, 2007 2006 2005
Os US GAAP também exigem o reconhecimento de um passivo de acordo com o SFAS nº 132 "Employer’s Disclosures For Pensions
Componentes dos custos de benefícios periódicos, líquidos
mínimo adicional. and Post-Retirement Benefits – revised”, são os seguintes:
Custo dos serviços 18 255 2.553
2007 2006 2005
Custo dos juros 126 3.080 6.690
Variação da obrigação de benefícios
Retorno esperado dos ativos (215) (3.228) (4.934)
Obrigação dos benefícios no início do exercício 1.419 56.539 57.978
Custo dos serviços 18 445 2.784 Efeitos nas mudanças nos planos interrupção 1.074 (21.321) (1.493)
Custo dos juros 126 3.080 6.690 Amortização da obrigação de transição inicial (3) 26 81
Ganhos e (perdas) atuariais (6.474) Amortização do (ganho) e perda atuarial 20 (236) 173
Benefícios pagos (1.871) (2.777)
Efeitos de mudanças nos planos – interrupção e pagamento parcial (1.563) (56.774) (1.662)
Custo dos benefícios periódicos, líquidos 1.020 (21.424) 3.070
Obrigação dos benefícios no final do exercício 1.419 56.539

2007 2006 2005


A destinação de ativos para os planos de pensão da TAM de 2007 e 2006 estão apresentadas a seguir. O valor justo dos ativos do plano
Variação no valor justo dos ativos do plano
foi de R$ 2.098 em 31 de dezembro de 2006. As taxas de longo prazo sobre os ativos do plano foi 13,72% em 31 dezembro de 2006.
No início do exercício 2.098 41.987 36.630
Retorno real sobre os ativos do plano 215 8.441 6.917 Porcentagem de ativos do plano
Contribuições da Companhia 100 241 2.421
Categoria de ativos 2006
Contribuições dos funcionários 195 240
Efeitos de mudança nos planos - interrupção e pagamento parcial (2.413) (46.895) (1.444) Ações 5
Benefícios pagos (1.871) (2.777) Renda fixa 95
No fim do exercício 2.098 41.987 Total 100

102 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 103
Para fins de reconciliação, os seguintes efeitos foram reconhecidos: (g) Instrumentos financeiros derivativos (i) Reconhecimento da receita – Receita
De acordo com os BR GAAP, a Companhia registrava com as parcerias do Programa Fidelidade
Despesa com plano de pensão
até 31 de dezembro de 2006 seus instrumentos financeiros Nas demonstrações financeiras preparadas de acordo com
(operações de forward e de opções), com base em taxas os BR GAAP, a receita oriunda de parcerias do Programa
2007 2006 2005
contratuais, reconhecidos pelo regime de competência. Fidelidade é reconhecida quando os pontos são emitidos aos
Estorno de despesas com plano de pensões contabilizadas conforme BR GAAP 100 (16.837) 5.518 A partir de 1º de janeiro, conforme Nota 26, alterou o critério participantes.
Contabilização de receitas com plano de pensão conforme US GAAP (1.020) 21.424 (3.070) de reconhecimento dos instrumentos derivativos, passando A partir de 2005, para fins das demonstrações financeiras
a registrar esses instrumentos pelo valor justo de mercado. em conformidade com US GAAP, a Companhia reconhece a
Ajuste de US GAAP ao resultado (920) 4.587 2.448 receita da venda de pontos diferentemente para as duas
Para fins de comparação, as demonstrações financeiras
foram ajustadas de acordo com os BR GAAP. modalidades. No primeiro caso representa a receita pela venda
Passivo com plano de pensão De acordo com os US GAAP, o SFAS nº 133, conforme de transporte aéreo, que está sendo valorizado ao valor de
alteração e interpretação, "Accounting for Derivatives mercado atual. Esta receita é diferida e reconhecida durante o
2007 2006 2005 Instruments and Hedging Activities", requer que a período no qual se espera que os pontos sejam utilizados. No
Saldo inicial conforme o balanço US GAAP 679 (20.745) (22.155) Companhia reconheça todos os derivativos como ativos segundo componente de receita representa os serviços que
ou passivos e mensurem esses instrumentos ao valor teriam sido prestados pela operação do programa – e que está
Despesa com pensões (1.020) 21.424 (3.070)
de mercado. Mudanças no valor de mercado estão incluídas sendo reconhecido quando os pontos são vendidos.
Contribuições da Companhia 100 241 2.421 nos resultados da Companhia. Nenhum dos instrumentos Para fins de reconciliação, a Companhia diferiu receita no
Mudança no passivo mínimo adicional 241 (241) 2.231 derivativos da Companhia foi qualificado como "hedge". montante de R$ 19.862 no exercício findo em 31 de dezembro
Em 31 de dezembro de 2006, a TAM registrou para fins de 2007 (2006 - R$ 15.013 e 2005 – R$ 15.185). O efeito
Mudança em ativos intangíveis (172)
de comparação das demonstrações financeiras o ajuste dos acumulado no patrimônio líquido em 31 de dezembro de 2007
Saldo no final do exercício conforme US GAAP 679 (20.745) instrumentos financeiros pelo valor justo de mercado totalizou R$ 50.060 (2006 – R$ 30.198 ).
conforme os US GAAP. A partir de 1º de janeiro de 2007,
a Companhia alterou o critério de reconhecimento destes (j) Stock options plan – plano de incentivo
instrumentos financeiros e passou a registrar no BR GAAP com opção de adquirir ações
Patrimônio líquido
o valor de justo de mercado da mesma forma que era registrado SFAS nº 123R “Share Based Payments”, requer a mensuração
2006 de acordo com os US GAAP e conseqüentemente a diferença e reconhecimento como custo de serviço de empregados, do
de GAAP não é mais aplicável. A Companhia está refletindo custo de planos que oferecem ações, com base no seu valor na
Passivo com plano de pensão conforme BR GAAP
o ajuste de valor justo de mercado dos instrumentos financeiros data que a cessão de ações foi concedida (com algumas poucas
Ativo intangível conforme US GAAP 679 exceções). As opções concedidas em condições que não aquelas
em todos os períodos referente ao exercício findo
Passivo com plano de pensão conforme US GAAP em 31 de dezembro de 2006 apresentados nas demonstrações de mercado são classificadas no passivo. Este custo será
financeiras consolidadas, para fins de comparação. reconhecido ao longo do período em que o empregado deverá
Ajuste US GAAP ao patrimônio líquido 679
Para fins de reconciliação nenhum ajuste adicional prestar o serviço pelo qual está sendo premiado. SFAS nº 123R
é requerido. requer que as entidades mensurem o custo dos serviços do
empregado que recebem em troca por instrumentos de passivo
Outras mudanças nos ativos e obrigações do plano reconhecido no resultado abrangente: (h) Programa Fidelidade com base no seu valor justo. Mudanças de valor durante o
A Companhia patrocina programa de premiação para período de serviço serão reconhecidas como custo de
passageiros freqüentes (Programa Fidelidade TAM) cujos pontos empregados ao longo daquele período. O valor justo das opções
2007 2006 2005 são acumulados ao utilizarem vôos da TAM ou de companhias de compra de ações na data da sua concessão e o na data de
Obrigação transitória, líquida (6) 6 aéreas parceiras, bem como efetuarem compras com cartões encerramento de cada exercício é estimado conforme o modelo
de crédito Fidelidade TAM ou utilizarem serviços e produtos Black-Scholes. A Companhia cedeu opções a determinados
Custo do serviço anterior (28) 28 em estabelecimentos parceiros. empregados de adquirir ações por preços abaixo do mercado.
Perda não reconhecida 275 (275) Até o exercício findo em 31 de dezembro de 2005, O valor justo das opções cedidas é reconhecido para fins de
esses valores eram destacados em nota explicativa US GAAP como despesa do período em que os serviços serão
Créditos reconhecidos de acordo com o FAS 158 no resultado abrangente 241 (241)
e contabilizados ao resultado quando incorridos. prestados. O valor justo das opções classificadas como passivo
Passivo mínimo adicional 2.059 No trimestre findo em 31 de março de 2006, é reavaliado a cada encerramento de exercício. Para fins de BR
241 (241) 2.059 a Administração da Companhia decidiu, alterar o critério GAAP não é considerado que opções de adquirir ações geram
contábil e constituiu provisão para as obrigações futuras despesa e, portanto, só são registradas nos aumentos de capital
referentes ao programa Fidelidade. Para fins de comparação, (caso exercidos), pelo preço do exercício.
as demonstrações financeiras referentes ao exercício Na Assembléia - AGE – realizada em 16 de maio de 2005, os
findo em 31 de dezembro de 2005 foram ajustadas acionistas aprovaram que até 2% das ações em circulação – ou
(Nota 20 (h)). Para fins de reconciliação nenhum ajuste 3.011.703 ações poderiam ser utilizadas pela Diretoria para a
adicional é requerido. concessão de opções de ações aos funcionários.

104 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 105
As transações estão resumidas a seguir: Opções em circulação
Vida contratual
Opções de Faixa do preço Opções em circulação remanescente Preço de exercício
compra de ações Preço - R$ de exercício em 31/12/2007 média ponderada média ponderada
Em circulação em 31 de dezembro de 2005 715.255 15,04 R$ 16,11 699.115 4,50 R$ 15,21
Concedido 239.750 44,17 R$ 47,00 234.084 4,42 R$ 44,63
Em circulação em 31 de dezembro de 2006 955.005 22,35 R$ 39,72 230.000 1,75 R$ 39,04
Concedido 1.010.311 39,44 R$ 39,67 780.311 5,42 R$ 39,67
Exercido (21.806) 22,79 R$ 16,11– R$ 47,00 1.943.510 R$ 25,60
Em circulação em 31 de dezembro de 2007 1.943.510 25,60
Esse ajuste não possui efeitos tributários, pois se trata Para fins de reconciliação, a Companhia reverteu despesas
de uma diferença permanente. de depreciação no montante de R$ (3.896) no exercício findo
Sob os termos do plano, as opções cedidas são divididas em As opções de compra de ações foram cedidas inicialmente O modelo de avaliação Black-Scholes foi desenvolvido em 31 de dezembro de 2007 (2006 – R$ 6.752). O efeito
três partes iguais e empregados poderão exercer uma terça a um preço de exercício de R$ 14,40, R$ 43,48, R$ 38,36 na determinação do valor de opções negociadas, que não tem acumulado no patrimônio líquido em 31 de dezembro de 2007
parte as suas opções depois de três, quatro e cinco anos, e R$39,67, por ação, para a 1ª, 2ª, 3ª outorga e outorga restrições de utilização nem de transferência. Modelos de foi de R$ (12.588) (2006 – R$ (8.693)).
respectivamente, se ainda empregado pela Companhia naquela extraordinária respectivamente. O preço de exercício avaliação de opções requerem a utilização de uma estimativa
ocasião. A vida contratual das opções é de sete anos. é atualizado pelo IGPM, desde a data da outorga até a data muito subjetiva – inclusive sobre a volatibilidade do preço da (l) Lucro por ação
A opção contém uma "condição de serviço", uma vez que das demonstrações financeiras. ação. Uma vez que opções para empregados têm características De acordo com os BR GAAP, o lucro (prejuízo) por ação
a cessão, bem como o exercício das opções, depende não Para fins de US GAAP, a Companhia contabiliza, desde 2005, significativamente diferentes de opções negociadas na é calculado sobre o número de ações na data do balanço
BOVESPA e como mudanças nas premissas subjetivas podem patrimonial. As informações são divulgadas por lote de mil
somente na prestação de serviços por um período pré-definido. por seu plano de incentivo em conformidade com SFAS nº 123R
afetar materialmente a estimativa de valor justo, na opinião ações, pois, geralmente, esse é o número mínimo de ações
Os empregados demitidos têm a obrigação de atender a – Share Based Payments. Assim o custo foi reconhecido como
da administração, o modelo atual não fornece necessariamente que pode ser negociado nas bolsas de valores no Brasil.
determinadas condições suspensivas para a manutenção do sendo o valor justo das opções de compra quando da sua
a medida confiável do valor justo das opções de comprar ações, De acordo com os US GAAP, uma vez que os acionistas
direito de exercício das opções. Em cada data de fechamento cessão, em contrapartida ao passivo da Companhia. O valor
do empregado. preferenciais e ordinários possuem direitos de voto e liquidação
os valores justos das opções cedidas são reavaliados, o custo justo destas opções foi estimado na data da cessão utilizando
diferentes, os lucros básico e diluído por ação foram calculados
de compensação é recalculado e reconhecido para os o modelo de preço Black-Scholes com as seguintes premissas.
(k) Manutenção pelo método de "duas classes", de acordo com o SFAS nº 128,
incentivos cedidos. "Earnings per Share", que estabelece as exigências para o
Para fins de BR GAAP, até 31 de dezembro de 2005,
a Companhia registrou os gastos com manutenção de motores cálculo, a apresentação e a divulgação do lucro por ação.
quando incorridos. A partir de 1º de janeiro de 2006, O método de "duas classes" é uma fórmula de alocação
Outorga de rendimentos que determina o lucro por ação das ações
Em 31 de dezembro de 2007 1ª outorga 2ª outorga 3ª outorga extraordinária em conformidade com a Interpretação Técnica do IBRACON
preferenciais e ordinárias de acordo com os dividendos a serem
01/2006, a Companhia alterou a política contábil e passou
Taxas de juros, isentas de risco 11,25% 11,25% 11,25% 11,25%
pagos conforme os estatutos da Companhia e os direitos
a incorporar esses gastos ao custo dos motores.
de participação sobre os lucros não-distribuídos. O lucro básico
Preço de exercício (atualizado pelo IGPM) R$ 16,11 R$ 47,00 R$ 39,67 R$ 39,72 De acordo com os US GAAP, a Companhia registra por ação ordinária é calculado dividindo-se o lucro líquido
as despesas de manutenção conforme incorridas. pela média ponderada de ações ordinárias e preferenciais
Rendimento do dividendo 0,58% 0,58% 0,58% 0,58%
De acordo com os US GAAP, a Companhia reverteu em circulação durante o período. Os acionistas ordinários
Fatores de volatilidade do mercado 47,35% 47,35% 47,35% 47,35% os efeitos causados pela mudança de prática em BR GAAP. e preferenciais têm o mesmo direito sobre os lucros
Preço no mercado acionário R$ 42,65 R$ 42,65 R$ 42,65 R$ 42,65 Conseqüentemente, a Companhia reverteu os custos com não-distribuídos. Os rendimentos podem ser capitalizados,
manutenção para R$ 15.445 capitalizados no Imobilizado utilizados para absorver perdas ou apropriados. Dessa forma,
e a correspondente despesa de depreciação para R$ 6.752 tais rendimentos não estariam mais disponíveis para serem
Em 31 de dezembro de 2007, os valores justos médios Para fins de US GAAP, a Companhia registrou despesas em contra partida ao patrimônio líquido. pagos como dividendos.
ponderados das opções totalizaram R$ 32,45, R$ 20,72, no ano findo em 31 de dezembro de 2007 o montante de
R$ 24,98 e R$ 14,74 por ação para a 1ª, 2ª, 3ª outorga R$ 7.786, (2006- R$10.168), respectivamente. Os montantes
e concessão extraordinária respectivamente, resultando em ajustados ao patrimônio liquido em 31 de dezembro de 2007
um valor justo total das opções concedidas de R$ 22.688, totalizaram R$ 17.349 (31 de dezembro de 2006 – R$ 10.168).
R$ 4.850, R$ 19.396 e R$ 3.390 para a 1ª, 2 ª, 3ª outorga
e concessão extraordinária.

106 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 107
A partir de 16 de maio de 2005, as ações preferenciais passaram a receber os mesmos dividendos das ações ordinárias, sendo que (m) Resultado abrangente A TAM Mercosur, por força da legislação do país em que
as ações preferenciais deixam de possuir o direito de receber 10% de dividendos a mais que as ações ordinárias. Em compensação, as De acordo com os BR GAAP, o conceito de receita total não opera, sofre tributação de imposto de renda diretamente sobre
ações preferenciais atuais passam a ter direito a voto na Reunião dos Acionistas em aspectos limitados e o direito de receber o mesmo é reconhecido. o faturamento bruto e todos os valores estão reconhecidos nas
preço pago para os acionistas detentores das ações ordinárias no caso de transferência do controle acionário da Companhia. De acordo com os US GAAP, o SFAS nº 130 "Reporting demonstrações financeiras.
Comprehensive Income", exige a divulgação do resultado
2007 abrangente. O resultado abrangente é composto por lucro (o) Dividendos e juros sobre capital próprio
líquido e "outros lucros/prejuízos abrangentes" que incluem Para fins de BR GAAP, a Companhia registrou o montante
Ações Ações encargos ou créditos diretamente ao patrimônio, os quais não de R$ 72.093 de juros sobre o capital próprio.
ordinárias preferenciais Total Na reconciliação com os US GAAP, o montante de
resultam de transações com titulares. No caso da TAM, os
Numerador básico e diluído componentes dos resultados abrangentes é seu lucro líquido R$ 40.564 referente ao imposto de renda retido na fonte
ou prejuízo, e as variações no passivo mínimo adicional de e dividendo complementar foi revertido em contrapartida
Alocação de lucro não distribuído 186.092 282.516 468.608
aposentadoria (SFAS nº 158) e os ajustes acumulados de ao patrimônio líquido.
Total de lucro não distribuído 186.092 282.516 468.608 conversão (Nota 29 (q) (iii)).
(p) Classificação dos itens da demonstração do resultado
Média ponderada de ações em circulação relativa
ao lucro por ação básico(mil) 59.792 90.773 (n) Imposto de renda e contribuição social diferidos De acordo com os BR GAAP, a classificação de certos itens
De acordo com o BR GAAP, o imposto de renda diferido do lucro e das despesas é apresentada de forma diferente dos
Média ponderada de ações em circulação relativa ao lucro US GAAP. A demonstração do resultado de acordo com os
por ação diluído (mil) – Efeito do Programa de “Stock Options” 59.971 91.045 ativo representa o valor estimado a ser recuperado.
De acordo com os US GAAP são provisionados impostos BR GAAP foi reclassificada de forma a apresentar uma
Lucro básico por mil ações US GAAP - R$ 3,11 3,11 diferidos sobre todas as diferenças temporárias de impostos. demonstração consolidada do resultado de acordo com os
Efeito do programa stock options (0,01) (0,01) Os ativos e passivos de imposto diferido são classificados US GAAP (Nota 29 (r)). As reclassificações estão resumidas
como circulante, ou não circulante, conforme a classificação a seguir:
Lucro diluído por mil ações US GAAP - R$ 3,10 3,10 • Juros ativos e passivos e outros encargos financeiros
do ativo ou passivo que dá origem à diferença temporária.
Os ativos e passivos de imposto de renda diferido na mesma registrados na demonstração do resultado de acordo com os
jurisdição fiscal são compensados entre si e apresentados pelo BR GAAP foram reclassificados para lucro não-operacional
2006 valor líquido. na demonstração consolidada do resultado de acordo com
Adicionalmente, existem ajustes ao preparar as os US GAAP.
Ações Ações
ordinárias preferenciais Total demonstrações financeiras em US GAAP que também tem seu • De acordo com os BR GAAP, os ganhos e as perdas na venda
efeito no imposto de renda diferido. do imobilizado e investimentos ou perda de valor dos ativos
Numerador básico e diluído Para fins da reconciliação de acordo com os US GAAP, os fixos são classificados como lucro não-operacional,
Alocação de lucro não distribuído 324.072 484.687 808.759 benefícios (despesas) adicionais de imposto de renda relativos enquanto de acordo com o US GAAP são classificados como
exclusivamente aos ajustes de US GAAP, foram reconhecidos na ajustes ao lucro operacional.
Total de lucro não distribuído 324.072 484.687 808.759
demonstração do resultado conforme os US GAAP, no montante • As diferenças de lucro líquido entre os BR GAAP e os US
Média ponderada de ações em circulação - básico e diluído (mil) 59.794 89.429 de R$ (165.053) em 31 de dezembro de 2007 (2006 - R$ GAAP, conforme detalhado na reconciliação na Nota 29 (q)
Lucro básico e diluído por mil ações em US GAAP - R$ 5,42 5,42 (105.879) e 2005 – R$ (140.874)). O efeito apropriado no (i), foram incorporadas à demonstração do resultado de
patrimônio líquido em 31 de dezembro de 2007 é de R$ acordo com os US GAAP.
(294.306) (2006 – R$ (129.253)). • O custo dos serviços prestados e lucro operacional, de
A partir de 1º de janeiro de 2007, a Companhia adotou as acordo com os US GAAP, foram apresentados por tipo de
2005 disposições da interpretação do FASB - FIN 48 “Contabilização despesa, em conformidade com as normas de divulgação
Ações Ações Ações de Incertezas em Imposto de Renda”. Este pronunciamento utilizadas pelo segmento de transporte aéreo.
ordinárias preferenciais preferenciais prescreve o reconhecimento inicial que uma posição fiscal deve
(atual) (anterior) Total ter para que sejam reconhecidas nas demonstrações financeiras (q) Classificação dos itens do balanço patrimonial
Numerador básico e diluído e provê um guia para não reconhecimento, medição, De acordo com os BR GAAP, a classificação de certos itens
Ágio de 10% aos acionistas preferenciais 7.749 7.749 classificação, juros e multas. do balanço patrimonial está apresentada de forma diferente
Como resultado da ação deste pronunciamento, não ocorreu dos US GAAP. O balanço patrimonial consolidado de acordo
Alocação de lucro não distribuído 187.086 154.195 77.495 418.776
nenhum impacto nas demonstrações financeiras da Companhia. com os BR GAAP foi modificado para apresentar um balanço
Total de lucro não distribuído 187.086 154.195 85.244 426.525 A Companhia entrega suas declarações de imposto de renda patrimonial consolidado condensado de acordo com os
Média ponderada de ações em circulação - Básico e diluído (mil) 59.816 81.331 62.913 e contribuição social sobre o lucro líquido como prescrito pela US GAAP (Nota 29 (r)). As reclassificações estão resumidas
legislação fiscal da jurisdição em que opera. As declarações de a seguir:
Lucro básico e diluído por mil ações - US GAAP – R$ 3,13 1,90 1,35 imposto de renda e contribuição social da Companhia, e seus • De acordo com os BR GAAP, o fluxo de caixa é elaborado
registros contábeis e fiscais estão sujeitos à revisão pelas de acordo com as Normas e Procedimentos de Contabilidade
A quantidade de opções de compra de ações concedidas em 31 de dezembro de 2007, 2006 e 2005 que não foram incluídas no autoridades fiscais por um prazo prescricional que varia entre nº 20 “Demonstração dos Fluxos de Caixa” considerando
lucro por ação, por não possuírem efeito na diluição, foram 239.750, 955.005 e 715.255, respectivamente. 5 e 6 anos. as principais operações que tiveram influência nas

108 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 109
disponibilidades e aplicações financeiras da Companhia. • De acordo com os BR GAAP, os impostos diferidos não são ii. Patrimônio líquido
As disponibilidades são constituídas por dinheiro em caixa compensados e o ativo é apresentado separadamente do
e depósitos bancários de altíssima liquidez. passivo. Para fins de US GAAP, os ativos e passivos diferidos Item 2007 2006
• De acordo com os US GAAP, os fundos de investimentos são compensados e classificados como corrente ou não- (Nota 20 (h))
da Companhia estão sujeitos a potenciais variações em seu corrente de acordo com a classificação da diferença Patrimônio líquido reportado de acordo com os BR GAAP 1.491.657 1.443.432
valor em decorrência nas mudanças das taxas de juros ou temporária subjacente.
As despesas com a oferta pública de ações de acordo com Correção monetária complementar (b) 68
por possuírem títulos com vencimento original maior do
que 90 dias. Adicionalmente, de acordo com os US GAAP os US GAAP, foram reclassificadas para rubrica “Capital social” Reavaliação do imobilizado, líquida (c) (i) (135.134) (147.874)
os fundos de investimento multimercado são classificados no Patrimônio líquido e totalizaram R$ 8.444 e R$ 19.465 no Contratos de arrendamento (c) (ii) 1.102.745 605.454
como aplicações financeiras (trading). período findo em 31 de dezembro de 2006 e 2005 Diferimento de ganho nas operações de sale-leaseback (c) (iv) (179.526) (211.611)
• De acordo com os US GAAP, determinados encargos respectivamente.
Reversão de ágio (e) (i) 9.680 8.963
diferidos foram reclassificados para o imobilizado, de acordo
com sua natureza. Controle comum- Mercosur (e) (ii) 11.828 11.828
Plano de pensão (f) 679
(r) Conciliação das diferenças entre BR GAAP e US GAAP Diferimento da receita fidelidade (i) (50.060) (30.198)
i. Lucro líquido
Programa de stock options (j) (17.349) (10.168)
Item 2007 2006 2005 Manutenção dos motores (k) (12.588) (8.693)
Imposto de renda e contribuição social diferido (n) (294.306) (129.253)
(Nota 20 (h)) (Nota 20 (h))
Participação de minoritários sobre os ajustes (729) (729)
Lucro líquido segundo o BR GAAP 128.896 611.750 121.955
Reversão dos dividendos propostos (o) 40.564
Estorno da depreciação da reavaliação (c) (i) 3.665 4.246 3.852
Patrimônio líquido segundo os U.S. GAAP 1.966.782 1.531.898
Contratos de arrendamento
Despesa de depreciação do arrendamento mercantil financeiro (c) (ii) (173.127) (133.942) (127.810)
Variação cambial sobre arrendamento (c) (ii) 417.444 226.879 329.638
Despesa de juros passivos sobre a obrigação do arrendamento (c) (ii) (132.626) (151.928) (139.876)
mercantil financeiro
Resultado na devolução de aeronaves (c) (ii) (4.023) (4.499)
Reversão da despesa do arrendamento operacional simples (c) (ii) 385.602 337.774 327.543

Total dos contratos de arrendamento 497.293 274.760 384.996


Amortização do ganho líquido nas operações de
sale-leaseback (c)(iv) 32.085 33.834 39.759
Depreciação da correção monetária complementar (b) (68) (88) (102)
Reversão da amortização do ágio (e) (i) 717 717 1.341
Controle comum - Mercosur (e) (ii) 3.537 (5.183) 8.870
Plano de pensão (f) (920) 4.587 2.448
Manutenção dos motores (k) (3.896) 6.752
Diferimento da receita fidelidade (i) (19.862) (15.013) (15.185)
Programa de “stock options” (j) (7.786) (10.168)
Custo com emissão de ações (p) 8.444 19.465
Imposto de renda e contribuição social diferidos
sobre os ajustes acima (n) (165.053) (105.879) (140.874)
Lucro líquido segundo os US GAAP 468.608 808.759 426.525

110 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 111
(s) Informações financeiras condensadas pelos US GAAP
Com base nos itens de reconciliação e na descrição acima, o balanço patrimonial consolidado, a demonstração consolidada do
resultado e a demonstração consolidada das mutações do patrimônio líquido da Companhia de acordo com os US GAAP foram
apresentados de maneira condensada, como segue:
i. Balanço patrimonial consolidado segundo os US GAAP

Ativo 2007 2006 Passivo e patrimônio líquido 2007 2006


Ativo Circulante Passivo circulante
Disponibilidades 466.538 299.507 Fornecedores 426.856 346.817
Aplicações financeiras 2.140.339 2.153.471 Empréstimos e financiamentos 881.148 221.908
Contas a receber de clientes (líquido da provisão para devedores Arrendamentos a pagar 330.231 335.254
duvidosos – R$ 50.240 e R$ 38.387, respectivamente) 937.928 780.972
Debêntures 32.159 60.588
Estoques 162.471 113.875
Bônus sênior 7.076
Tributos a recuperar 87.017 67.345
Reorganização da frota Fokker-100 11.501 11.813
Pré-pagamento de aeronave 864.440 221.793
Salários e encargos sociais 236.708 194.128
Imposto de renda e contribuição social diferidos 31.874 25.425
Transporte a executar 791.546 759.210
Despesas do exercício seguinte 151.372 88.138
Impostos e tarifas a recolher 59.051 63.783
Seguro de Aeronave e outros 44.515 29.189
Programa Fidelidade 20.614 19.039
Demais contas a receber 137.071 72.765
Ganho diferido nas operações de sale-leaseback 32.085 32.085
5.023.565 3.852.480 Provisão para imposto de renda e contribuição social 20.079 1.993
Não Circulante Juros sobre capital próprio e dividendos a pagar 32.052 137.269
Realizável a longo prazo
Demais contas a pagar 178.855 179.557
Depósitos em garantia 161.488 144.444
3.059.961 2.363.444
Depósitos judiciais 75.017 55.577
Não circulante
Pré-pagamento de aeronave 105.115 130.915
Exigível a longo prazo
Pré-pagamento de manutenção 119.633 46.596
Empréstimos e financiamentos 219.190 230.864
Demais contas a receber 53.541 26.346
Arrendamentos a pagar 2.515.907 2.033.771
514.794 403.878 Debêntures 500.000 508.076
Investimentos Bônus sênior 531.390
Ágio 9.680 9.680 Reorganização da frota Fokker-100 41.523 62.806
Outros investimentos 70 70 Imposto de renda e contribuição social diferidos 92.815 9.284
Imobilizado 4.414.070 3.391.292 Provisão para contingências 844.713 722.761
Intangível 13.156 Ganho diferido sobre as operações de sale-leaseback 147.441 179.526
4.436.976 3.401.042 Demais contas a pagar 52.984 12.226
Total do ativo 9.975.335 7.657.400 4.945.963 3.759.314
As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras. Participação minoritária 2.629 2.744
Patrimônio líquido 1.966.782 1.531.898
Total do passivo e do patrimônio líquido 9.975.335 7.657.400

112 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 113
ii. Demonstração consolidada do resultado segundo os US GAAP iii. Mutação do patrimônio líquido condensada de acordo com os US GAAP

2007 2006 2005 2007 2006 2005


Receita operacional, líquida 8.131.312 7.329.637 5.633.580 Outras Outras Outras
Resultado Contas do Total do Resultado Contas do Total do Resultado Contas do Total do
Abrangente Patrimônio Patrimônio Abrangente Patrimônio Patrimônio Abrangente Patrimônio Patrimônio
Líquido Líquido Líquido Líquido Líquido Líquido Líquido Líquido
Despesas operacionais
No início do exercício (1.869) 1.533.767 1.531.898 (6.811) 626.962 620.151 (164.040) (164.040)
Pessoal 1.308.011 878.179 666.243
Crédito reconhecido
Combustíveis 2.536.398 2.129.856 1.694.980 conforme SFAS 158 241 241 (241) (241)
Arrendamento das aeronaves e equipamentos de vôo 495.198 381.024 299.819 Lucro Líquido 468.608 468.608 808.759 808.759 426.525 426.525
Despesas de comercialização e marketing 975.149 875.254 854.602 Passivo mínimo adiciona 2.059 2.059

Tarifa de pouso, decolagem e de auxílio à navegação 421.021 314.977 233.010 Ajustes acumulados
na conversão (3.537) (3.537) 5.183 5.183 (8.870) (8.870)
Depreciação e amortização 276.236 222.555 206.215
Manutenções e revisões (exceto pessoal) 476.830 387.972 356.322 Resultado abrangente 465.312 813.701 419.714
Serviços prestados por terceiros 547.868 530.994 356.416
Seguro de aeronaves 33.560 35.077 39.644 Aumento Capital 497 497 34.316 34.316 33.160 33.160
Outras 643.614 483.201 314.432 Custo com
emissão ações (8.444) (8.444) (19.465) (19.465)
(7.713.885) (6.239.089) (5.021.683) Dividendos e juros
sobre capital próprio (31.529) (31.529) (166.674) (166.674)
Lucro operacional 417.427 1.090.548 611.897
Prêmio na emissão
Receita (despesa) financeira, líquida 260.308 151.911 32.345 de ações 238.848 238.848 350.782 350.782
Lucro antes do imposto de renda, contribuição social Programa de
e participação de acionistas minoritários 677.735 1.242.459 644.242 Stock Options 604 604
No final do período (5.165) 1.971.947 1.966.782 (1.869) 1.533.767 1.531.898 (6.811) 626.962 620.151
Imposto de renda e contribuição social (208.950) (432.964) (217.602)
Lucro antes da participação de acionistas minoritários 468.785 809.495 426.640
Participação de acionistas minoritários (177) (736) (115)
Lucro líquido do período 468.608 808.759 426.525

114 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 115
iv. Demonstração consolidada do fluxo de caixa segundo os US GAAP

2007 2006 2005 2007 2006 2005


Fluxos de caixa das atividades operacionais Fluxo de caixa das atividades de financiamentos
Lucro líquido do período 468.608 808.759 426.525 Aumento de Capital Social 497 273.164 383.942
Ajustes para reconciliar o lucro líquido ao caixa gerado pelas atividades operacionais Dividendos pagos (137.629) (29.045)
Depreciações e amortizações 277.639 223.084 207.380 Empréstimo e Financiamento
Imposto de renda e contribuição social diferidos 69.995 163.318 64.041 Aquisição 638.105 1.248.331 626.819
Provisão para contingências 65.729 68.660 204.588 Pagamentos (459.629) (964.858) (368.886)
Valor residual de ativo permanente baixado 48.542 21.535 12.418 Arrendamento
Variações monetárias, cambiais e juros, líquidos (395.250) (196.344) (244.456) Aquisição
Participação dos acionistas minoritários 177 736 116 Pagamentos (253.374) (244.667) (194.421)
Outras provisões 89.642 13.312 (46.393) Debentures
(Aumento) redução de ativos Aquisição 508.486
Aplicações financeiras 13.132 (1.250.954) (691.576) Pagamentos (19.957) (15.030) (18.461)
Contas a receber (184.347) (30.045) (205.586) Bônus sênior

Estoques (90.822) (7.738) (10.470) Aquisição 607.080


Pagamentos
Tributos a recuperar (19.672) (24.310) (16.192)
Despesas do exercício seguinte (63.234) 2.686 (42.631) Caixa líquido gerado pelas atividades de financiamentos 375.093 776.381 428.993

Imposto de renda e contribuição social diferidos 3.441 23.593 42.311 Aumento líquido nas disponibilidades e aplicações financeiras 167.031 206.572 7.015

Depósitos judiciais (19.440) 270 (8.172) Disponibilidades e aplicações financeiras no fim do período 466.538 299.507 92.935
Pré-pagamentos de manutenções (92.667) (46.596) Disponibilidades e aplicações financeiras no início do período 299.507 92.935 85.920

Demais contas a receber (71.116) (65.566) (4.617) Variação nas disponibilidades e aplicações financeiras 167.031 206.572 7.015

Aumento (redução) de passivos


Fornecedores 80.039 64.769 17.832 Informação suplementar ao fluxo de caixa:
Salários e encargos sociais 42.580 60.080 12.944 Juros pagos - incluindo juros pagos sobre arrendamento mercantil 279.417 134.246 155.065
em 2007 R$ 132.228 (2006 - R$ 93.107 e 2005 R$ 133.122)
Transportes a executar 32.336 201.563 190.312
Transações que não afetam as atividades de investimentos 1.262.133 330.068
Impostos e tarifas a recolher (4.732) (25.080) (14.189) e financiamentos - aquisição de aeronaves através de leasing financeiro
Arrendamentos a pagar (175.672) (137.169) (168.853) Imposto de renda e contribuição social pagos 65.528 226.278 70.629
Provisão para imposto de renda e contribuição social 18.086 28.627 24.001
Demais contas a pagar (26.045) (51.123) 20.133
Caixa líquido gerado (aplicado) pelas atividades operacionais 66.949 (153.933) (230.534)
Fluxo de caixa das atividades de investimentos
Aquisição de imobilizado (168.004) (136.136) (109.543)
Aumento do intangível (13.156)
Depósitos em garantia (44.372) (31.861) (9.991)
Pré-pagamentos de aeronaves
Reembolso 401.977 58.689
Pagamento (451.456) (306.568) (71.910)
Caixa líquido aplicado nas atividades de investimentos (275.011) (415.876) (191.444)

116 TAM Relatório Anual 2007 TAM Relatório Anual 2007 117
(t) Segmentos de negócio pronunciamento terá sobre as suas demonstrações financeiras,
De acordo com os BR GAAP, não é requerida a apresentação a partir de 1 de janeiro de 2008.
de informações por segmentos de negócio. Em fevereiro de 2007, o FASB emitiu o SFAS nº 159 "Valor
De acordo com os US GAAP, o SFAS nº 131 "Disclosures Justo dos Ativos e Passivos Financeiros" incluindo modificações
about Segments of an Enterprise and Related Information", no SFAS nº 115 "Contabilização de Certos Investimentos
define segmentos operacionais como componentes de uma em Títulos de Dívida e Ações em Carteira" que permite
empresa para os quais as demonstrações financeiras separadas que a Companhia apure o valor justo de certos instrumentos
estão disponíveis e são avaliadas regularmente como forma de financeiros. A Companhia está avaliando o impacto que
mensurar o desempenho do segmento e alocar recursos para os a aplicação deste novo pronunciamento poderá ter sobre suas
segmentos. As mensurações de lucros ou prejuízos, ativos totais demonstrações financeiras, a partir de 1º de janeiro de 2008.
e outras informações relacionadas devem ser divulgadas para Em dezembro de 2007, o Conselho de Normas de
cada segmento operacional. Além disso, essa norma requer Contabilidade Financeira (“FASB”) emitiu a SFAS nº 141,
a divulgação anual das informações relativas a receitas “Combinação de Negócios”, que substitui a Declaração FASB
resultantes dos produtos e serviços da empresa, países onde nº 141, Combinação Comercial. Esta Declaração retém as
os rendimentos são gerados, receitas ou ativos e principais exigências fundamentais na Declaração 141 que o método
clientes. contábil da aquisição seja usado para todas as combinações
O SFAS nº 131 requer que os dados por segmento sejam de negócios. Esta Declaração se aplica a combinações
apresentados nas demonstrações financeiras baseadas nos de negócios para as quais a data de aquisição é após o início
US GAAP de acordo com as demonstrações financeiras utilizadas do primeiro período de demonstração anual começando
pela administração para tomar decisões operacionais, incluindo a partir de 15 de dezembro de 2008. A data efetiva
a alocação de recursos entre os segmentos e desempenho do desta Declaração é a mesma da relacionada Declaração
segmento. Essas informações são resultantes dos registros FASB nº 160, “Participações Não Controladoras
contábeis estatutários, mantidos de acordo com os US GAAP nos Demonstrativos Financeiros Consolidados”.
e BR GAAP. A TAM possui apenas um segmento de negócio. Em dezembro de 2007, o Conselho de Normas de
Contabilidade Financeira (“FASB”) emitiu a SFAS nº 160,
(u) Divulgação adicional - Despesas com propaganda “Participações Não Controladoras nos Demonstrativos
e publicidade Financeiros Consolidados – uma alteração do ARB nº 51”,
As despesas com propaganda e publicidade totalizaram que esclarece que uma participação não controladora em
R$ 67.114 no exercício findo em 31 de dezembro de 2007 uma subsidiária é uma participação de posse na entidade
(2006 – R$ 46.495 e 2005 – R$ 58.705), respectivamente e são consolidada que deve ser reportada no patrimônio nos
classificados como despesas com comercialização e marketing. demonstrativos financeiros consolidados. Esta norma está
em vigor para exercícios fiscais e períodos interinos dentro
(v) Pronunciamentos contábeis recentemente emitidos dos exercícios fiscais, iniciando após 15 de dezembro
Em setembro de 2006, a Declaração FASB emitiu a SFAS de 2008. A adoção antecipada é proibida. Esta Declaração
nº 157 “Avaliação do Valor Justo” que define, estabelece a deverá ser aplicada potencialmente no início do exercício
estrutura para a avaliação e amplia as divulgações sobre as fiscal no qual a Declaração seja aplicada pela primeira vez,
avaliações de valor justo. Este pronunciamento se aplica de exceto para exigências de apresentação e divulgação.
acordo com outros pronunciamentos de contabilização que As exigências de apresentação e divulgação deverão
obriga ou permite a avaliação de valor justo. A Companhia está ser aplicadas de forma retroativa para todos
atualmente avaliando o impacto que a adoção deste novo os períodos apresentados.

118 TAM Relatório Anual 2007


EXPEDIENTE

Coordenação Geral
TAM - Relações com Investidores

Pesquisa e Apuração de Conteúdo


TAM - Relações com Investidores

Texto
TAM - Relações com Investidores

Revisão
Vicente dos Anjos

Tradução do Relatório Anual


Maria Emília Guttilla
António Bicker

Fotografia:
Daniela Giorgia
(páginas 7, 15, 16, 32, 36 e 115)
Wilson Spinardi Junior
(capa, páginas 1, 4, 8, 12, 19, 20, 42, 44, 54, 56 e 115)
Direção de Arte
Wilson Spinardi Junior
Av. Jurandir 856
Projeto Gráfico 10 andar Lote 4
Modernsign Design e Inovação
Jardim Ceci
Aeroporto
CEP 04072 000
São Paulo SP
www.tam.com.br

120 TAM Relatório Anual 2007

Interesses relacionados