Você está na página 1de 5

Características Gerais

 O Ciclo de Krebs localiza-se intracelularmente na mitocôndria

 Porina é uma proteína que permite a passagem do piruvato para o espaço


intermembrana da mitocôndria .

 Um co-transporte do tipo simporte é responsável pelo transporte do piruvato e de


íons H+ do espaço intermembrana para a matriz mitocondrial.

 No Ciclo de Krebs ocorre a oxidação da Acetil-COA .Esta é formada a partir do


metabolismo degradativo de Glicose ( Tanto pela glicose da dieta quanto pela
degradação do Glicogênio ) , Aminoácidos e Ácidos Graxos .

 A partir da oxidação da Acetil-COA liberam-se elétrons e prótons que reduzem


coenzimas.

 No Ciclo são gerados diversos compostos intermediários que são utilizados como
precursores para a biossíntese. EX : Porfirina , purinas , pirimidinas , esqueletos
carbônicos de Aminoácidos , oxaloacetato , alfa ceto glutarato .

 Niacina , Tiamina , Riboflavina , Lipoato e Ácido Pantoteinico são vitaminas


necessárias para o funcionamento das enzimas do Ciclo De Krebs .

 O Ciclo de Krebs apresenta sentido único = determinada pela


citrato sintase ( enzima que cataliza a reação que forma citrato ) e alfa ceto glutarato
desidrogenase ( enzima que cataliza a reação que forma Succinil-COA ) .

 E embora algumas reações apresentem DELTA G maior que zero , a somatória das
reações apresenta DELTA G menor que zero , ou seja o sentido das reações é
espontâneo .

 Oxalacetato , Acetil-COA , água , coenzimas na forma oxidada , Fosfato inorgânico


e GTP são necessários para que ocorra o Ciclo de Krebs .

 A conversão de Piruvato em Acetil-COA se faz por meio de um complexo


enzimático em 3 etapas .
 Os produtos do Ciclo de Krebs são CO² ( eliminado na respiração ) e Água .

 NAD e FADH serão utilizados no transporte de elétrons .

 No Ciclo , os 2 carbonos provindos do Acetil-COA são eliminados na forma


de CO². Desta forma não é possível formar-se Oxalacetato ( que contém 6
carbonos ) a partir somente de ACETIL-COA .

 Reações Anapleróticas são reações de preenchimento . Estas compensam a


retirada de compostos intermediários , no Ciclo de Krebs .

 Oxalacetato , alfa cetoglutarato e siuccinil-COA são intermediários do Ciclo e


formam respectivamente aspartato , glutamato e precursora do grupo heme .

 A reação anaplerótica mais importante é de formação de Oxaloacetato a partir de


Piruvato , catalisada pela piruvato carboxilase .

 A piruvato carboxilase é altamente ativada pela Acetil-COA .

 Ou seja , quando a Glicólise é intensa , há grande formação de Acetil-COA a partir


de Piruvato .

 Desta forma , haverá também grande quantidade de Oxaloacetato sendo formada a


partir de Piruvato , catalisada pela Piruvato Quinase altamente ativada .

 Sendo assim , o Ciclo de Krebs pode funcionar em alta velocidade.

 Oxaloacetato também participa da Gliconeogênese .

 Etapas do Ciclo :

1. Citrato -> Isocitrato com catalisada pela aconitase.

2. Isocitrato -> Alfa Ceto-Glutarado , catalisada pela isocitrato desidrogenase. Há


redução do NAD à NADH e liberação de CO².

3. Alfa Ceto-Glutarato -> Succinil-COA , catalisada pela alfa ceto-glutarato


desidrogenase e o auxilio de várias coenzimas (TPP/tiamina, ácido lipóico, FAD e
magnésio) . Há redução do NAD à NADH e liberação de CO² , coenzima A também
participa da reação.

4. Succinil-COA -> Succinato , a energia da ligação tioéster é aproveitada para


sintetizar a ligação NTP , que pode transferir seu Fosfato inorgânico ao GDP ou
ADP , catalisada pela succinil-COA sintetase .

5. O Succinato -> Fumarato catalisada pela Succinato Desidrogenase , onde o FAD é


reduzido a FADH² .O Succinato Desidrogenase é a única enzima do ciclo de
Krebs que é parte integrante da membrana interna da mitocôndria .

6. Fumarato é convertido a malato e a enzima que auxilia o processo é a fumarase –


nessa reação ocorre uma desidratação .

7. A Malato Desidrogenase oxida o malato à oxaloacetato , reduzindo NAD+ e


fechando o ciclo.

 Como o oxaloacetato é sempre regenerado ao final de cada volta , o ciclo de Krebs


pode oxidar acetil-COA continuamente , sem gasto efetivo de oxaloacetato .

 O ciclo de Krebs depende da cadeia de transporte de elétrons para a Reoxidação de


coenzimas .

 Embora o Ciclo de Krebs produza apenas 1 ATP ( ou 1 GTP ) o ciclo de Krebs


contribui para a formação de grande parte do ATP gerado pela célula .

 A energia da oxidação da acetil-COA é conservada sob a forma de coenzimas


reduzidas e posteriormente usada para síntese de ATP .
 A oxidação das coenzimas é obrigatoriamente feita pela cadeia de transporte de
elétrons.

 Regulação do ciclo:

 Se dá em 3 pontos principais: reações catalisadas pela isocitrato desidrogenase, pela α-


cetoglutarato desidrogenase e pelo complexo da piruvato desidrogenase.
 Complexo da piruvato desidrogenase:

 Inibição alostérica por excesso de Acetil-CoA, ATP e NADH .


 Ativação por ADP, NAD+, CoA e Ca2+ .

 Isocitrato Desidrogenase :

 Inibição alostérica por excesso de NADH, ATP .


 Ativação por NAD+, ADP e Ca2+ .

 Alfa ceto glutarato desidrogenase:

 Inibição alostérica por excesso de Succinil-CoA, NADH e ATP .


 Ativação por Ca2+

 De forma geral:


 Excesso de energia(ATP ou NADH) na célula inibe todos os pontos de regulação(enzimas)

 ADP e cálcio ativam Isocitrato Desidrogenase e Complexo da Piruvato Desidrogenase.

 Alfa Ceto Glutarato Desidrogenase é modulado positivamente por Ca2+ apenas .

 Células em repouso: alto [ATP] , baixo [NAD+]


 Células muito ativas: baixo [ATP], alto [NAD+]

 Regulação hormonal: seleciona o substrato que será consumido – glicose ou ácido graxo

 Insulina ativa a Piruvato desidrogenase fosfatase desfosforila a piruvato desidrogenase,


ativando-a.

 Insulina inibe a Piruvato desidrogenase quinase(modulada positivamente por Acetil-CoA,


NADH, ATP), piruvato desidrogenase quinase fosforila a piruvato desidrogenase,
inativando-a.