Você está na página 1de 6

25-10-2010

PSICOLOGIA

A ENTRADA NA VIDA

 I – ANTES DE MIM
 1- A GENÉTICA

3. A complexidade do ser humano e o seu


inacabamento biológico
1- A GENÉTICA
ESCOLA SECUNDÁRIA DE VALONGO ESCOLA SECUNDÁRIA DE VALONGO

FILOGÉNESE E ONTOGÉNESE

FILOGÉNESE: diz respeito ao desenvolvimento da


espécie.

ONTOGÉNESE: diz respeito ao desenvolvimento do


indivíduo.

1
25-10-2010

Do ponto de vista genético, evolução pode ser definida como qualquer


alteração na frequência dos alelos de um ou um conjunto de genes, numa população,
ao longo das gerações. Mutações em genes podem produzir características novas ou
alterar características que já existiam, resultando no aparecimento de diferenças
hereditárias entre organismos.

Ao longo de muitas gerações, adaptações ocorrem através de uma


combinação de mudanças sucessivas, pequenas e aleatórias nas características, e
selecção natural dos variantes mais adequadas ao seu ambiente

1. O bipedismo;
2. A libertação permanente das mãos
3. O desenvolvimento cerebral - expansão e
O QUE É especialização do cérebro
QUE NOS 4. Nascimento prematuro – juvenilização
TORNA
5. Criação da cultura
HUMANOS?
6. Desenvolvimento de capacidades sociais e morais

2
25-10-2010

Livro p. 40

3
25-10-2010

Texto 9

A palavra espécie repete o termo especialização. Pelo contrário, os nossos órgãos despecializam-se.
Comparada com a úngula dos ruminantes, com a pinça do caranguejo, com o tentáculo do polvo, a mão,
não especializada, acaba por fazer tudo…
Comparada com os bicos dos pássaros, com as fauces do tubarão, com o focinho do cão, a boca, não
especializada, acaba por fazer tudo, morder, sem dúvida, mas também beijar, assobiar, falar mil línguas.
Assim, podemos abandonar os nossos nichos especiais e abrirmo-nos ao espaço global. Em vez de habitar
uma localidade, o ser humano, des-diferenciado, inclusivamente indiferente, atrevemo-nos a dizê-lo,
percorre o mundo e viaja e, nesse acto superando o presente imediato, entra num tempo diferente.
M. SERRES

Livro p. 42

4
25-10-2010

Texto 11

Os progressos da cerebralização são inseparáveis dos da juvenilização. A juvenilização corresponde a


um retardamento ontogenético, isto é, ao prolongamento do período biológico da infância e da
adolescência, e mesmo a uma falra de acabamento na substituição das características juvenis pelas
adultas. O prolongamento da infância permite a continuação do desenvolvimento organizacional do
cérebro em relação estreita e complementar com os estímulos do mundo exterior e com incitações
culturais, o que quer dizer que a lentidão do desenvolvimento ontogenético é favorável à aptidão para
aprender, ao desenvolvimento intelectual, à impregnação e, portanto à transmissão cultural.
E. MORIN

Livro p. 42

5
25-10-2010

Livro p.46

Livro p.46