A MAIOR QUADRILHA DO MUNDO, O VATICANO

Minha abordagem não é nova. É tudo uma questão de demonstrar o gentil leitor que o Vaticano em Roma, está por trás da Nova Ordem Mundial (NWO). Novo é a maneira de argumentar. By the way, não sou fã de Eric Jon Phelps porque ele é um agente comercial jesuíta com diamantes. Mas, com certeza, ele está no caminho certo, tanto quanto a importância do papel do Vaticano no NWO está em causa. De acordo com a minha própria pesquisa, as tropas militares do Vaticano, ou, como você, seu guarda-costas são os jesuítas, a Soberana Ordem Militar de Malta (SMOM) / Ordem de São João, os Cavaleiros de Colombo, a Máfia, Opus Dei, P2 Loge, a Guarda Nacional suíça e os níveis superiores da Maçonaria. Comecemos com uma pergunta muito simples. Como poderia a “Santa Sé” acumular sua riqueza gigantesca? Existe algum ser humano normal que tem uma visão ou o acesso às dimensões, o alcance do tesouro do Vaticano e bens

roubados? Examinando as riquezas de Roma, não devemos perder de vista o fato de que há um monte de prédios muito precioso, arquitetura de interiores e exterior, propriedades imobiliárias no Vaticano e na Cidade do Vaticano, respectivamente. Há muito gaudiness, esplendor e pompa ganhou de valiosas matérias-primas e metais preciosos. Parece natural que esses tesouros foram "souvenirs", os troféus de roubo ou de guerra trouxeram pelos jesuítas e os Cavaleiros de Malta durante chamadas guerras santas levou o nome da Igreja Católica, também conhecida como a colonização ou do imperialismo. Esta pilhagem de guerra seria sempre enlaçados pelo papa negro (dos jesuítas "ou" Sociedade de Jesus "ou" Companhia ") ou o papa branco (o Bispo de Roma, Sucessor do Príncipe dos Apóstolos, Supremo Pontífice da da Igreja Universal, Servo dos Servos de Deus, o Patriarca do Ocidente, Primaz da Itália, Arcebispo e Metropolita da Província Romana, Soberano do Estado da Cidade do Vaticano, o homem que se senta na Cadeira de Pedro na Cidade Eterna). Sendo o valor atemporal dessas matérias-primas e metais preciosos (ouro, prata, platina, pedras preciosas, diamantes, etc) com que os edifícios de Roma estão decorados, são independentes de qualquer crise financeira ou económica. Essas crises são criadas pelos patetas da Santa Sé. Por exemplo, John J. Phelan. Ele é um cavaleiro de Malta e Presidente do Conselho de Curadores da "The Catholic Charities da Arquidiocese de Nova York. Mas, além disso, ele era o ex-presidente e Chief Executive Officer da New York Stock Exchange, durante segunda-feira negra da crise financeira em 1987. Fonte: http://www.catholiccharitiesny.org/aboutus/leadership/a-message-from-our-chairman/john-j-phelanjr/

John J. Phelan, Jr. é o ex-presidente e Chief Executive Officer da Bolsa de Nova York e ex-presidente da Federação Internacional das Bolsas de Valores. Mr. Phelan é um exdiretor corporativo da Merrill Lynch, MetLife, Eastman Kodak, Sonat e Produtos Avon e foi assessor do Boston Consulting Group. Ele foi presidente da Privado do presidente Reagan Sector Initiative e é membro do Council on Foreign Relations. Mr. Phelan é um ex-presidente e administrador emérito do Instituto Aspen e atuou no conselho de Cold Spring Harbor Laboratories. Ele serviu como um administrador para o Comité prefeito de Nova York na competitivida Global. Por suas obras beneficentes, o Sr. Phelan recebeu vários prêmios, tanto nacionais como internacionais, incluindo o Chevalier de L'Ordre De Des Arts et Letters da República da França, a prata da Comuna Ambrosiana de Milão, o Leão de Veneza e Medal of Venito . Ele foi o primeiro presidente exalunos do Conselho de Curadores da Universidade Adelphi e tem servido como um administrador sobre as câmaras de Tulane University e New York Medical College. Ele foi premiado sete graus honorários, incluindo Notre Dame, Universidade de Fairfield, Universidade Niagara, Hamilton College, da Universidade Tulane Adelphi University e Universidade Politécnica. Mr. Phelan é o Presidente do Conselho de Curadores da Caridade Católica da Arquidiocese de Nova York, um membro da Comissão de Finanças da Arquidiocese de Nova York e presidente do Comitê de Auditoria. Ele é membro da Câmara de Vereadores da Ordem Equestre do cavaleiros e damas do Santo Sepulcro, e é um Cavaleiro de Malta. Mas, em respeito ao inventário das riquezas da Santa Sé e do poder. Acho que o valor estimado do interior do edifício, dentro de Roma santo dos santos foi extremamente maximizada ao longo dos séculos. Quão gracioso, em espécie ou benevolente da Igreja Católica de ter dado essas abandonadas ou órfãs tesouros do saqueadas e exploradas

países coloniais um novo lar! Bem, isso me faz sentir calor todo! Todos os caminhos levam a Roma, especialmente se valioso material commodities estão envolvidos. Cuidado com a ironia. Como na terra não Roma colher até os fundos para sua restauração e caros projetos de renovação? Com a ajuda dos ativos destes edifícios de luxo só ao nível de pobreza média global poderá aumentar para um nível muito mais humano! Quanto à imagem pública está em causa o Vaticano prefere incentivar a impressão de que é uma organização com o modesto rendimento e despesas controladas. Ao contrário de outras nações, o Estado da Cidade do Vaticano não hospeda indústria, nem agricultura, nem recursos naturais, mas ainda assim está entre os países mais ricos do mundo! Embora o Vaticano é um enclave sem hotéis, restaurantes, sinais de trânsito, semáforos, cinemas, teatros, transportes públicos, etc, não são terríveis paixões de visitantes anualmente. No Vaticano o Direito Canônico é eficaz. Agora, segue uma compilação de todos os tesouros do Vaticano, tanto do patrimônio da Igreja e dos ativos líquidos. O Vaticano não é só o proprietário do museu do Vaticano, mas também da oberservatorium, a estação de rádio, a biblioteca que contém milhares e milhares de pinturas extremamente caras e raras, quadros, esculturas, relíquias, tapeçarias, livros antigos, mapas antigos, antigos manuscritos, antiguidades, jóias bizantinas, mobiliário, altares, retábulos, cálices, cruzes de ouro e prata e assim por diante. Como exemplos famosos de obras de arte são Michelangelos Pietá na Catedral de São Pedro ou as pinturas de Raphael no Palast Apostólica (do Papa sede principal), ou os afrescos da Capela Sistina. A partir desses pedaços sozinho, pelo menos, um milhão de dólares como renda do leilão poderão ser obtidos na Sotheby's. O Papa e os membros da sua família oficial ao vivo no Palácio Apostólico, um conglomerado de edifícios construídos, em sua

maior parte, durante o Renascimento. Com cerca de 990 lances de escadas e mais de 1.400 quartos (com vista para vinte jardins), o palácio do Vaticano, é talvez o maior do mundo, superado ou igualado apenas pelo palácio do Dalai Lama no Tibete. Por outro lado, a Santa Sé obtém receitas correntes da edição especial de vendas da série de selos, das taxas do museu do Vaticano de entrada, a partir de doadores ou receitas crentes (Óbolo de São Pedro, no 29 de junho anualmente), de legados ou herança dos católicos falecidos ou clérigos . O lucro é gerado através da organização da peregrinação a Roma e através dos encargos para casamentos, funerais, o batismo, para não falar da venda de anulação do contrato. Por último, mas não menos importante, a Igreja Católica faz o dinheiro da venda de relíquias, velas, fotos da Madonna, Rosacruzes e as cruzes. Quem teria pensado que uma importante fonte de receitas da Santa Sé foi fixada ou constituída pelo famoso Tratado de Latrão de 1929, também conhecido como Concordata? Era um tratado entre o ex-ditador italiano Mussolini (Cavaleiro de Malta) e Papa Pio VII, que concedeu isenção de impostos para o Estado do Vaticano também conhecido como a Igreja Católica. Além disso, deixou o pagamento dos clérigos católicos para o governo italiano, isto é, os contribuintes italianos é quem pagam. O tratado de 1929 foi realmente uma unidade de três contratos distintos: o Pacto de Latrão, que prevê a criação do novo Estado da Cidade do Vaticano, a Convenção Financeira, que concedeu pagamento à Igreja para a perda de seu poder temporal, e da Concordata , que deu o poder ao Vaticano e privilégios para administrar seus próprios assuntos especiais. De acordo com os artigos do Pacto de Latrão, o Estado da Cidade do Vaticano foi instituído como um Estado soberano.Três basílicas, San Giovanni Laterano, Santa Maria

Maggiore e San Paolo e suas construções de acompanhamento foram classificados como extraterritorial e receberam a imunidade dos impostos italianos sobre a propriedade e as leis da propriedade real, o mesmo estatuto e imunidade foram dadas à Vila Pontifícia de Castel Gandolfo, onde os papas, tradicionalmente, passam meses de verão, e também uma série de edifícios de escritórios de propriedade da Igreja em várias partes de Roma. O Vaticano concordou em reconhecer a existência da Itália e da ocupação da Itália em Roma como acordo. E permanente Itália concordaram em aceitar o direito da Igreja de canhão, o que significava que divorcios não podem ser concedidos pelo Estado e que as cerimônias de casamento realizadas na igreja deveriam cumprir os requisitos civis. Nos termos da Convenção Financeira, a Itália consentiu em fazer um acordo com grandes somas de dinheiro pela perda das propriedades do Vaticano. A soma de 40 milhões de dólares foram pagos de uma vez, além disso, cinco por cento dos títulos do governo no valor de cerca de 50 milhões de dólares foram transferidos para a Santa Sé. A Itália também concordou em pagar os salários dos párocos estacionados em seu solo .[...] Mais de trinta mil sacerdotes estão na folha de pagamento italiano, um fato que geralmente não são conhecidas, até mesmo para o povo italiano. O terceiro documento do Tratado de Latrão, a Concordata realizou uma série de cláusulas econômicas, que foram de especial interesse para o Vaticano. Os membros do clero católico romano e cidadãos do Estado da Cidade do Vaticano estavam isentos de pagar impostos italianos. A Igreja foi dado o controle das várias organizações de leigos e clérigos em funcionamento em nome do catolicismo em toda a Itália. Isto significa que o Vaticano iria supervisionar a situação financeira dessas organizações. Significou também que o governo italiano não teria direito de intervir em atividades destas organizações e não poderia bloquear a formação de uma nova organização que o papa concedeu a homologação

Cláusulas 29,30 e 31 tratados com isenções fiscais e formação de novas empresas com isenção fiscal eclesiástica sobre a qual o Estado italiano não teria controle. Aqui, uma lista de instituições financeiras mais importantes do Vaticano é apresentado que administram a capital financeira da Santa Sé: 1. Prefeitura de Assuntos Económicos da Santa Sé (1968), 2. Administração para o Patrimônio da Santa Sé (APSA, 1968), uma combinação de Administração para os bens da Santa Sé, e da administração especial da Santa Sé (1929), que o Papa Pio XI estabeleceu para supervisionar o investimento e uso das indenizações pagas pela Santa Sé, pela Itália de terras e propriedades confiscadas pela Itália com a queda dos Estados Pontifícios, em 1870. A Administração Especial (1929) foi o resultado do Tratado de Latrão. De acordo com este Tratado, uma compensação de 90 Milhões de dólares (com o qual o exRoma finacier Nogara sucesso especulado) foi dado à Igreja Católica por Mussolini para as perdas nos antigos estados papais. 3.-Instituto das Obras Religiosas (1924), 4. -Administração do Estado da Cidade do Vaticano 5. Administração dos bens da Santa Sé (1878), 6. Congregação para o Clero, 7. Círculo de leigos, chamados homens de confiança, lidar com interesses financeiros do Vaticano de não-religiosos. Por exemplo: o conde Enrico Galeazzi (um amigo dos dois cavaleiros de alto nível de Malta, o antigo cardeal Francis Spellman, de Nova York e Joseph Kennedy), o príncipe Carlo Pacelli, Prince Giulio Pacelli, o Príncipe Marcantonio Pacelli (Atenção: o Papa Pio VII foi um membro da família Pacelli!), Luigi Gedda, Paolo Conte Blumnsthil, Carlo Pesenti, Antonio Rinaldi, Luigi Mennini, Massimo Spada. Graças ao Tratado de Latrão as instituições acima mencionadas são apenas cometidos Vaticano a Roma. Eles gozam de privilégios diplomáticos. Todas as transações financeiras permanecem em sigilo.

Respeitado pelos funcionários da Santa Sé para o seu negócio e contatos Wall Street, o Cardeal Spellman foi notavelmente bem como o representante oficial de uma E.U. offshot de operações financeiras do Vaticano, que até 1967, tratou de fundos no estrangeiro pontifical Agora, muito do dinheiro do Tratado de Latrão foi colocado no controle de uma agência de igreja conhecida como APSA, a Administração do Patrimônio da Santa Sé, e depois de 1960, sabe-se que cada vez mais esses investimentos foram feitos fora da Itália. Outra agência foi criada em 1942, o chamado Istituto per le Opere de Religioni, o Instituto para Obras Religiosas. IOR foi reconstituído a partir de uma outra agência, a Administração de Obras Religiosas, que tinha sido estabelecido por Leão XIII em 1887. Em junho de 1942, Pio XII renomeia este organismo e o coloca sob o controle de um assistente financeiro chamado Bernardino Nogara (a relativeof o archbishopof Undine), que imediatamente vai trabalhar com o Tratado de Latrão, e começa a investir dinheiro em bancos do Vaticano, real imobiliário companhias e corporações. Nogara aceita o trabalho, mas apenas com a ressalva de que o Banco do Vaticano fosse permitido para começar a emprestar dinheiro a taxas competitivas de juros (algo que "os bancos Católicos" não faziam por causa de uma liminar supostamente bíblicas contra a usura), e que ele tem autonomia para decidir quando e onde os investimentos seriam feitos. Como resultado disto, o IOR começa a estabelecer laços com as principais instituições financeiras do mundo, incluindo o Morgan Guaranty, Credit Suisse, Chase Manhattan e sediada em Chicago Continental Illinois. Logo, o Vaticano está a devorar interesses nas empresas envolvidas na produção de aço, agro-business, e seguro. O Vaticano também adquire uma participação de 15% na exploração da propriedade real e gigante empresa de construção civil conhecido como Immobiliare, que dá IOR um pedaço da ação em tudo, desde o Hotel Watergate, em Washington DC, para resorts no México e complexos de apartamentos em Montreal. Trabalhando através Chase Manhattan, o Banco do Vaticano

também começa a comprar ações da General Motors, da Gulf Oil, a Bethlehem Steel, TWA, IBM e outras grandes empresas. Em 1982, o presidente do Banco Ambrosiano de Milão, Roberto Calvi foi assassinado. NO colapso do Banco Ambrosiano, Calvi revelou que altos funcionários dentro do Vaticano e seu banco IOR tinha colaborado na construção de uma rede de empresas de fachada encostado na rubrica do grupo Ambrosiano de crédito, em que centenas de milhões de dolares haviam desaparecido. O Vaticano enviou enormes depósitos e ativos em contas bancárias suíças secretas (por exemplo, o Credit Suisse de Genebra) permitem a aquisição de um anônimo sociedade, porque tudo acontece disfarçado sob o nome do banco. Nogara pediria seu banco suíço para depositar o dinheiro do Vaticano, em Nova York sob falso nome.O seu Banco suíço em seguida começou o banco suíço para condenar o banco norteamericano a emprestar dólares para uma empresa italiana que foi possuído pelo Vaticano. A empresa italiana, à qual pertencia o dinheiro em primeiro lugar, cobrados os juros que pagava na América na Suíça acordo.In Desta forma, poderia seguramente Nogara (e secreta) investir o dinheiro do Papa, sem qualquer interferência do italiano autoridades durante os períodos em moeda restrições foram impostas pelo Estado A Santa Sé Investimentos compreendem bens imobiliários, propriedades fundiárias, exploração da terra, campo de eletrônica, sintético, companhias aéreas, indústria química, gás e água, empresas de telefone, hotéis e engenharia. Ela envolve empresas de fachada com as especulações financeiras. Entre 1929 e a eclosão da II Guerra Mundial, Nogara atribuído Vaticano capital e agentes do Vaticano para trabalhar em áreas diversificadas da economia da Itália sobretudo em energia elétrica, comunicações telefónicas, de crédito e bancos, ferrovias pequenas, e na produção de

implementos agrícolas, de cimento e artificial de fibras têxteis. Muitas destas empresas foram pagos. ***************** Parte 2 **************************** Até agora vimos como gigantesca fortuna do Vaticano é. Na minha opinião, você pode pensar de Estado do Vaticano como o mais poderoso e rico em micro-terra. supremacia de Roma e dominação do mundo é baseada em enormes riquezas além da imaginação. É seguro assumir que a Santa Sé tem um aperto nos mercados financeiros em todo o mundo também. Mesmo os membros da dinastia Rothschild e Rockefeller servirão aos propósitos do Papa, e não o contrário. Algumas provas para esta acusação? Bem, isso é um fato que Nelson Rockefeller era amigo íntimo de Sua Eminência o Cardeal Francis Spellman, de Nova York, o Grand Protetor dos Cavaleiros de Malta. Além disso, Mayer von Amschel Rothschild era um membro do alto escalão dos Cavaleiros de Malta. Sem mencionar o ex-diretor da CIA Allen Dulles, cujo sobrinho, Avery Dulles, era um padre jesuíta e prestigiado cardeal. Além disso, muitos membros das famílias reais europeias, como por exemplo, a rainha Elizabeth II. da Inglaterra, ou o seu primo, o falecido ex-chefe do SMOM(ordem dos cavaleiros de malta), mestre Fra Andrew Bertie, sempre foram Cavaleiros de Malta. Em outras palavras: A chamada elite da nobreza global sempre foi subordinada ao Papa. Ao longo da história papal muitos imperadores, reis, aristocratas tinham sido nomeados papas, cardeais nomeados ou obtido alguns outros clérigos tinham títulos dignitários. Por exemplo, o nobre, de sangue azul, a dinastia Médici influentes de Florença produziu alguns papas. Assim, é correto observar que o clero de Roma e da aristocracia da Europa sempre foram interligados. Eles sempre conviveram juntos desde hoje em dia. O seguinte fato fala a favor da dominação do mundo pelo Vaticano: a Santa Sé, também conhecida como o Império

Romano, não existe há séculos, mas há milênios! Sim, é verdade: O Império Romano é muito mais antigo do que as dinastias Rockefeller e Rothschild. Acredite ou não, mas Ratzinger (Papa Bento XVI.) e seus antecessores se vêem como legítimos sucessores dos imperadores do Império Romano. O Império Romano foi a fase pós-republicano da civilização romana, caracterizada por uma forma autocrática de governo e de grandes explorações territoriais na Europa e em todo o Mediterrâneo. O termo é usado para descrever o estado romano durante e após o tempo do primeiro imperador, Augustus. Os cerca de 500 anos da República Romana, que o precedeu, foi enfraquecida por várias guerras civis. Vários eventos são comumente propostas para marcar a transição da República ao Império, incluindo a nomeação de Júlio César como ditador perpétuo (42 aC), a vitória de Otávio na Batalha de Actium (02 de setembro de 31 aC), e o Senado romano outorgou a Otávio o honorífico Augusto (04 de janeiro de 27 aC). O Sacro Império Romano (em latim Sacrum Romanum Imperium (SRI) foi uma união de territórios da Europa Central durante a Idade Média e início da época moderna no âmbito de um Imperador Romano. O primeiro imperador do Sacro Império Romano foi Otto I, coroado em 962. O último foi Francisco II, que abdicou e dissolveu o Império em 1806 durante as Guerras Napoleônicas. Foi oficialmente conhecido como o Sacro Império Romano da Nação Alemã (Latin Sacrum Romanum Imperium Nationis Germanicæ) a partir do século 16. Como eu disse antes, o abiders, as tropas militares ou seguranças do Império Romano, também conhecido como o Estado do Vaticano são principalmente os jesuítas e os Cavaleiros de Malta / Cavaleiros de São João. Contrariamente ao que a historiografia oficial, os exércitos sobreviveram todas as perseguições alegadas, banimentos e atrocidades. Segundo o jesuíta e ex-gerente da JPMorgan, Chris Lowney, a Companhia de Jesus foi fundada em 1540 e consistia em seus primeiros dias de exploradores, cartógrafos, linguistas, os astrónomos, teólogos, músicos, ativistas sociais, os escritores

de histórias infantis, lobistas, pregadores, professores e até mesmo fabricantes de canhão. Lowney escreve em seu livro, "A Fórmula jesuíta", que os jesuítas construíram a empresa mais influente do mundo de seu tipo. Como confidentes de monarcas europeus, o imperador Ming da China, o xogum japonês, e imperador Mughal na Índia, que ostentava um Rolodex registo [gigantesca de VIPs] ímpar por que de qualquer pressão comercial, religiosa ou entidade do governo. O que Chris Lowney nos diz? Ele revela que a fórmula para o sucesso dos jesuítas foi o início da rede global e a posição dos jesuítas como confidentes e consultores da nobreza mais poderosa internacional. Durante quase 500 anos os jesuítas tiveram tempo para estabelecer e expandir sua rede em todo o mundo! 500 anos da tomada do poder, juntamente com os Cavaleiros de Malta. Eles tiveram tempo suficiente para controlar cada governante no mundo, cada figura principal em todas as áreas da sociedade, seja ela econômica, política ou mídia. Lowney dá uma lista de pessoas proeminentes educado por jesuítas: Este inovadora e grande empresa dos jesuítas ainda existi, rumando sem impedimentos em direção ao seu aniversário de 5 séculos. Seus 21 mil profissionais executam duas mil instituições em mais de cem países. Os colégios jesuítas e universidades continuam a moldar os líderes em muitos campos. Mais de 40 ex alunos jesuítas agora servem no Congresso americano, inclusive os senadores John Kerry (DMA), Patrick Leahy (D-VT) e Richard Durbin (D-IL), e representantes Henry Hyde (R-IL), Lynn Woolsey (D-CA) e Zoe Lofgren (D-CA). Outros líderes educado por jesuítas incluem:

Bill Clinton, ex-presidente americano.

• • • • • • • • • • • • • • •

Denzel Washington, ator norte-americano Patrick Ewing e Bill Russell, estrelas da NBA Vince Lombardi, lendário treinador de futebol Mary Higgins Clark, romancista bestselling mistério Antonin Scalia, da Suprema Corte Alex Trebek, apresentador do programa Jeopardy Dee Dee Myers, secretária do presidente Clinton de imprensa Sting, estrela do rock Vicente Fox, presidente do México Fidel Castro, líder de Cuba François Mitterand, ex-presidente da França Robert C. Wright, presidente da NBC Alan Alda, ator Tim Russert, apresentador de programas de notícias Pierre Trudeau, o ex-primeiro-ministro do Canadá

Essas pessoas educadas por jesuítas são apenas um punhado, uma amostra representativa de um grande número de agentes de mudança jesuíta que agem como protagonista na cena mundial de mídia de atos de acordo com roteiro do Vaticano. Eles vêm de todos os colégios jesuítas e das universidades. O quadro de centros de Formação Profissional. Eric Jon Phelps chama os jesuitas de "Coadjutores Temporal". Enquanto isso, os membros da Sociedade de Jesus (a SJS) ou os colaboradores jesuítas mudaram sua roupa característica ou uniforme clássico (a sotaina ou batina em combinação com um colarinho branco) para uma roupa mais normal sem suspeitas para não chamar a atenção. Eles se reconhecem uns aos outros pelos seus sinais típicos de mão e apertos de mão. Exatamente da mesma maneira que os maçons fazem. Agora, algumas palavras sobre a verdadeira missão dos jesuítas e o seu início pelo jesuíta Geral Inácio de Loyola. Loyola foi um nobre espanhol que recebeu a ordem papal para estabelecer uma sociedade secreta, oficialmente, a fim de difundir a doutrina católica em todo o mundo. Portanto

Loyola e seus seguidores construiram instituições de ensino dos jesuítas a partir do nada em metrópoles estrategicamente importante. Nestes centros de formação de quadros dos futuros membros da Ordem dos Jesuítas,onde as próximas gerações, foram treinadas. O nome da Sociedade ou Companhia de Jesus refere-se aos companheiros, protetores e seguranças do Vaticano, respectivamente, do Papa, em Roma. Cada membro tinha de prestar juramento sobre a lealdade para com o papa negro superior e, portanto, ao papa branco. Os jesuítas foram enviados como missionários, piratas, descobridores, navegadores e conquistadores para expandir o território de Roma. Em nome do Papa fizeram os continentes ricos de recursos naturais acessíveis para Roma. Eles haviam tentado com êxito vencer as dinastias dos imperadores já existente na China, Japão, Índia sobre a ordem dos jesuítas. Desde então, eles tiveram os mais poderosos e mais ricos do seu lado.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful