Você está na página 1de 46

CADERNO DE EXERCÍCIOS PRÁTICOS

ANTF

Acção de Actualização para Treinadores de Jovens

VÍTOR URBANO
Estrutura e Organização de Exercícios de Treino em
Futebol

Exercícios Fundamentais
Fase I
Fase II
Fase III

Exercícios Complementares
Integrados
Separados
O exercício inicia-se com o jogador A, a deslocar-se em velocidade, após receber a bola do jogador B
conduz até aproximar-se do jogador C, efectuando um passe a este.
Contorna o sinalizador e recebe a bola do jogador C, tendo que de 1ª devolver a bola ao jogador B.
• A – Condução de Bola
• B – Condução e Passe
• C – Passe e desmarcação
• Exercício inicia-se com duas bolas
• O jogador vai para onde passa a bola com
bom ritmo
• Para aumentar a dificuldade introduzir
mais bolas
• Cada período de trabalho é 3 a 5 minutos
• Saem 2 bolas em simultâneo, de A e C, o
passe é efectuado para B e D
respectivamente, devolvendo estes
através de passe curto a A e C
• Após o passe a movimentação com o
máximo de velocidade
• Após períodos de trabalho de 3 a 5
minutos mudam as posições.
Finalização sem oposição e com oposição
Estrutura: 1x0 + G.R.
• Passe longo por alto do jogador A que se encontra junto
aos postes da baliza para o jogador B que se encontra á
saída do circulo central e corrida rápida até ao lugar do
jogador C.
• Recepção de bola pelo jogador B e tabela com o
Jogador C.
• Jogador C executa a tabela ao 1º toque e vai rápido
para o lugar do jogador B.
• O Jogador B após o passe para a tabela arranca e
procura finalizar.
Estrutura: 2x1+ G.R.
• O mesmo movimento agora com oposição, saindo 2
jogadores da linha final (A e A1), encontrando-se 2
jogadores atacantes (C e C1) á saída do circulo central.
• O jogador A o passe para C1 e arranca para o lugar do
jogador B e ao mesmo tempo A1 vai a bom ritmo para o
lugar de C1.
• O jogador C1 domina a bola e passa a B que lhe
devolve e arranca para o lugar de C.
• O jogadores C e C1 vão tentar fazer golo, tendo a
oposição do jogador D.
• O jogador que não remata ao golo vai para a posição do
defesa (D) no lance seguinte.
Variantes:
• Podem ainda sair 3 jogadores da linha final e mais 3
jogadores posicionados junto ao circulo central e então
terá que existir 2 defesas, para se efectuar (3x2).
Finalização com superioridade numérica

A – Avançados
B – Defesas
C – Treinador

O treinador faz o passe para A que


arranca em velocidade, passa
por trás da bandeirola (distância
entre as bandeirolas 15m)
devendo, enquadrar-se com a
baliza, após um bom controle da
bola, e finalizar com êxito.
O desenvolvimento do exercício é o
mesmo do anterior, só que
agora saem ao mesmo tempo
um atacante e um defesa
transformando numa situação
de “2x1”, os atacantes procuram
finalizar tirando vantagem da
situação (2x1).
Passando 5’ começam a trocar as
posições dos atacantes.
Progressivamente podem criar-se
situações de (3x2) e (4x3).
Aperfeiçoamento de movimentações pelos corredores laterais

A – Pontas de lança
B – Médios Ala ou extremos e laterais
C – Médios Interiores
O exercício inicia-se com condução de
bola por parte do ala/lateral, após
efectuar um passe curto para o médio
interior, desmarca-se rapidamente,
para receber o passe do jogador C.
O lateral/ala deve cruzar de preferência
de 1ª, procurando executar com
precisão, alternando para o ponta de
lança que ocupa o 1º poste ou para o
ponta de lança que ataca o 2º poste.
Os pontas de lanças devem procurar a
finalização de 1ª (A) sem deixar a
bola bater no solo
Exercícios para executar nos dois
flancos.
Aperfeiçoamento da movimentação pelos corredores laterais

Passe do médio centro para o médio


ala ou lateral.
Passe do ala para o ponta de lança que
de 1ª devolve no médio centro.
Médio centro com passe longo procura
a desmarcação do ala.
O ala domina a bola, conduz com ritmo
para a linha, levanta a cabeça e
procura a melhor colocação da bola,
para que os ponta de lança possam
fazer golo.
Os ponta de lança trocam em
velocidade, o médio centro fica na
entrada da área e o ala contrário
aparece do lado oposto da jogada.
Os defesas (D) movimentam-se antes
do ala cruzar, para efectuar as
correctas marcações, aos ponta de
lança: 1ª variante – atitude passiva
dos defesas; 2ª atitude activa dos
defesas.
Alternar o exercício pelos 2 flancos.
Os defesas saem na marcação aos
ponta de lança logo que a
jogada se inicia.
Jogadas devem alternar pelos dois
flancos.
O ala do lado oposto deve aparecer
sempre na área no flanco
oposto.
Médio esquerdo passa no ponta de
lança, do lado oposto que
devolve no médio direito. Passe
longo para o extremo ou lateral
que domina a bola e procura
fazer o cruzamento com
precisão.
Pontas de lança cruzam instantes
antes do centro, para
surpreender os defesas.
Finalização sem oposição
O jogador 1 começa a correr e toca a bola
na sua frente, o jogador 2,
imediatamente segue o jogador 1, para
se enquadrar com a bola.

O jogador 2 deve ser ele a tocar a bola,


para a frente e continuar a correr, tendo
agora que ser o jogador 3, a enquadrar-
se rapidamente com a bola jogada pelo
jogador 2.

O jogador 3 toca a bola para a sua frente,


sendo agora a vez do jogador 1, se
enquadrar com a bola.

Todos os jogadores devem arrancar e tocar


a bola na sua frente e assim
sucessivamente até finalizarem, antes
de a bola entrar na grande área.
Técnico/Táctico
Exercícios práticos

Princípios de Jogo
-Ofensivos
-Defensivos
Exercício :
princípio de jogo de ataque
penetração
Objectivo :
aperfeiçoar a penetração. Desenvolver acções de finalização.

Espaço: 20mx20m
Forma: 4 equipas + 2 G.R.
Tempo: Variável
Descrição: 1 G.R. Em cada baliza. Uma equipa em cada canto da área de exercício. As bolas nas
equipas do mesmo lado. Os elementos da equipa com bola passam a bola para os colegas do outro
lado, na diagonal, que devem receber, penetrar e finalizar. De seguida, quem passou passa para
receptor.
Variante: 1x1 + G.R.
2x1 + G.R.
Exercício: princípio de jogo de ataque - penetração

Objectivos: penetração/finalização
Forma: 4 avançados x 3 defesas + 1 guarda-redes
Espaço: campo reduzido, 35x20 mais o espaço até á baliza
Tempo: várias repetições
Desenvolvimento
O exercício decorre livre 4 avançados x 3 defesas um dos avançados joga diferenciado e
sem marcação.
1- o exercício inicia-se com posse de bola da equipa da equipa defensiva, esta tem
como objectivo fazer 10 passes sem perder a posse de bola. Ao perder a posse
de bola vai fazer marcação individual.
2 – Ao ganhar a posse de bola a equipa ofensiva deve:
2.1- ter atitude ofensiva orientando-se para a baliza adversária.
2.2- procurar entregar a bola ao jogador que joga como referência
2.3- fazendo desmarcações de apoio e ruptura para facilitar o portador da bola e
desequilibrar a estrutura defensiva
3 – O jogador que joga como referência em posse da bola deve:
3.1- orientar-se para a baliza adversária e tentar o remate
3.2- em caso de oposição procurar fazer o passe para o colega melhor colocado
perto da baliza adversária.

Atribuições defensivas
10 passes seguidos – 1 ponto
Atribuições ofensivas
penetração com finalização – 2 pontos
Nota: após 5 repetições as equipas trocam
Exercício :
princípio de jogo de ataque – cobertura ofensiva

Estruturação inicial do exercício


Descrição:

Este exercício tem como objectivo trabalhar o princípio de cobertura ofensiva quando a
equipa se encontra em zonas ofensivas do terreno de jogo.

Jogando em estrutura, esta tarefa será efectuada por um dos médios ofensivos da
equipa vermelha.
O exercício inicia-se sempre com reposição de bola pelos vermelhos, desenvolvendo-se
num 5x5 + G.R.

Este realiza-se em estrutura onde a equipa dos vermelhos é composta por dois médios
ofensivos, dois médios alas e um ponta de lança. Os azuis jogam com um G.R., dois
laterais, dois centrais e um médio defensivo. O objectivo dos vermelhos é efectuar
golo, nunca esquecendo o principio de cobertura ofensiva enquanto que o objectivo
dos azuis é evitar o golo, e recuperar a bola para jogar rapidamente através de um
passe nas duas balizas pequenas que se encontram no meio campo.

Um dos médios ofensivos da equipa vermelha, o 8 ou o 10, conforme o desenrolar da


jogada, efectuam sempre uma cobertura ofensiva ao portador da bola.

Esta cobertura ofensiva será efectuada conforme se pode verificar nas figuras seguintes:
Situação 1
Bola encontra-se num médio ala : quem faz o apoio de cobertura ofensiva é o médio ofensivo do lado
da bola (no caso da figura é o jogador 10). Se a bola entra no médio ala do outro corredor lateral
será o jogador 8 a efectuar a cobertura ofensiva.

Situação 2
Bola encontra-se num médio ofensivo : quem faz o apoio de cobertura ofensiva é o outro médio
ofensivo (no caso da figura é o jogador 8).
Situação 3
Bola encontra-se no ponta de lança : quem faz o apoio de cobertura ofensiva é um dos médios
ofensivos (no caso da figura é o jogador 8). O outro médio ofensivo efectua uma desmarcação de
ruptura, no sentido de criar desequilíbrios ofensivos ao adversário.

Considerações gerais:

A organização ofensiva deverá ser efectuada no sentido de permitir que quando um jogador recebe a
bola, tenha de uma forma imediata e espontânea, por parte dos seus companheiros de equipa
soluções para o desenvolvimento do processo. Assim o portador da bola deverá receber dos seus
companheiros acções de cobertura ofensiva (atrás da linha da bola) e acções de apoio (á frente da
linha da bola), para que possuam várias opções táctico-técnicas no sentido de facilitar a sua tarefa,
bem como do desenvolvimento eficaz e eficiente quer do processo ofensivo, quer do processo
defensivo da sua equipa.
As acções de cobertura ofensiva consubstanciam segundo Castelo (1996) três objectivos:
• Facilitar a resposta táctica do portador da bola fornecendo-lhe várias opções de solução
táctico-técnica no desenvolvimento do processo ofensivo;
• Diminuir a pressão dos adversários ao portador da bola;
• Possibilitar a manutenção do equilíbrio defensivo em relação ao companheiro de posse
de bola.

Desta forma poderemos dizer que o local onde se desenrola a acção e o jogador em
cobertura ofensiva são os limites de segurança para o jogador em posse de bola, dado
que ao colocar-se em cobertura ofensiva o primeiro atacante com o 1º atacante o 2º
atacante, está numa posição boa para defender se for perdida a posse de bola.

As acções de cobertura ofensiva transmitem confiança ao portador da bola, tendo como


responsabilidade, a imediata pressão sobre o adversário se o seu colega perder a
posse de bola, bem como possibilitar uma linha de passe posterior no sentido de fugir á
pressão do adversário, dando continuidade ao processo defensivo.
Assim para realizar uma cobertura ofensiva eficaz devemos considerar :
1- distância da cobertura;
2- o ângulo da cobertura;
3- a comunicação

1- A distância da cobertura entre o portador da bola e o jogador da cobertura ofensiva;


Esta distância deve ser ajustada por um lado no sentido de proporcionar que a recepção
da bola por parte do jogador de cobertura seja efectuada com segurança e sem a
pressão defensiva dos adversários directos, para que este tenha tempo e espaço
para dar continuidade ao processo ofensivo. Por outro lado deve também ser
ajustada para que se o portador da bola a perder, seja efectuada pelo jogador de
cobertura numa pressão sobre o adversário que a recuperou.

2- O ângulo de cobertura é o ângulo estabelecido entre o jogador de posse de bola (1º


atacante) e o jogador de cobertura ofensiva (2º atacante). O ângulo de cobertura
ofensiva visa consubstanciar três objectivos fundamentais:
• Possibilitar uma eficiente recepção da bola, ou seja, que esta seja orientada para a
baliza adversária;
• Possibilitar uma visão global do espaço e da situação de jogo á sua frente;
• Possibilitar uma mudança rápida do ângulo e do momento do ataque

3- A comunicação estabelecida entre o 1º e 2º atacante é essencialmente verbal, na qual


o jogador de cobertura ofensiva deverá comunicar com um companheiro de posse
de bola informando-o do contexto geral da situação de jogo, isto é, da posição do
adversário, dos companheiros melhor posicionados encorajando a executar acções
táctico-técnicas pelo lado do risco.
Segundo Garganta e Pinto (1998), durante o jogo de futebol, “o problema primeiro
que se coloca ao individuo que joga, é sempre de natureza táctica, isto é, o
praticante deverá saber o que fazer, para poder resolver o problema subsequente, e
como fazer, seleccionando a resposta motora mais adequada”. Para Valdano (1997),
“...os grandes jogadores no actual futebol eléctrico terão de pensar antes dos
demais, terão de resolver os problemas do jogo com simplicidade, estar no lugar
certo no tempo certo, encontrar a solução antes que chegue o problema. A
velocidade exigida ao jogador actual cada vez mais deve ser a da inteligência”.

Ligando os conceitos atrás referidos ao aspecto particular da cobertura defensiva,


finalizamos dizendo que o jogo de futebol requer e cada vez mais jogadores que
saibam como, quando e para onde efectuar um deslocamento. Se este é executado
no momento correcto, abre óptimas oportunidades para progredir em direcção á
baliza adversária ou manter a posse de bola. Neste contexto a inteligência táctica de
uma equipa ou de um jogador, pode ser objectivada, quando se executa eficazmente
a acção de cobertura ou apoio ao jogador da posse de bola, ou seja, quando fazê-lo
respectivamente atrás ou á frente. Salientamos ainda que sem coberturas ofensivas
(para além de descurar o aspecto transição ataque - defesa), a possibilidade da
circulação da bola é menor e, consequentemente a variação do ângulo de ataque do
processo ofensivo, dificultando o desenvolvimento do processo ofensivo.
Exercício:
Princípio de jogo de ataque - mobilidade
Material necessário: 8 sinalizadores baixos; número de bolas suficientes para manter
dinâmica do exercício; 2 jogos de coletes (cores diferentes).
Número: 14 atletas
Espaço: 1ª fase: 20x40 metros; 2ª fase; meio campo futebol de 11
Duração: Variável
Exercício: Princípio de jogo de ataque – espaço
Exercício: Princípio de jogo de defesa - contenção
Exercício: Princípio de jogo de defesa – cobertura defensiva

Esquema / exercício de treino do dia


Cobertura defensiva
Organização do exercício
Exercício: princípio de jogo de defesa - equilíbrio
Princípios específicos defensivos

Em linhas gerais:
1- Responde ao 3º princípio de ataque (mobilidade);
2- Contraria o desenvolvimento das acções de ataque que visam os desequilíbrios defensivos;
3- Reage à promoção desses desequilíbrios;
4- Mantêm estabilidade e o próprio equilíbrio;
5- Não permite situação de vantagem a outro atacante;
6- Promove cobertura de espaços e jogadores livres;
7- Promove cobertura linhas de passe;
8- Desenvolve-se através de acções de dobra e marcação;
9- Garante a acção e actuação do N/G.R.

Ponto único: Sempre em igualdade ou superioridade numérica


Sempre como medida preventiva durante organização do ataque.

Espaço: meio campo;


Jogadores: G.R. + 4 defensivos x 4 atacantes;
Tempo: 15 a 20 minutos ou 10 a quinze repetições;
Objectivos: Golos ataque – penaliza sector defensivo + G.R. (Incluindo flexões ou abdominais);
Recuperação bola defensiva – penaliza avançados (idem).
Exercício: Princípio de jogo de defesa - equilíbrio
Princípios de jogo de defesa

Concentração
Objectivos:
Diminuir os espaços e concentrar os jogadores da equipa que defende na zona da bola.
Formar duas linhas de defesa e sair rápido no ataque.

Exemplificação:
A equipa ● defende sempre o lado da bola, nenhum
jogador deve ficar na marcação ao extremo do lado
contrário. A equipa que ataca tem como objectivo procurar
a linha final e obter golo. Os alas devem estar sempre bem
abertos.

A equipa ● tenta defender em superioridade numérica e


sair a dois toques após recuperar a bola e tenta fazer golo
do lado oposto á sua recuperação.
Exercícios de finalização
Sem oposição - Fase I - 1 e 2
Com oposição – Fase II – 3
Jogo 5x5 – Fase III - 4
1º Exercício:
Formam-se 4 filas de jogadores. O jogador com a bola faz um passe
longo (bem por alto) para o colega do lado oposto, que domina a bola e
devolve-a ao primeiro jogador que faz a tabela para o colega finalizar.
Os jogadores trocam as posições após o movimento. Passados cinco
minutos muda-se o lado das bolas.
2º Exercício:
Mantém-se as 4 filas. O jogador conduz a bola e faz a tabela com o
colega que sai do lado oposto e remata à baliza. Os jogadores trocam
de posição. Passados 5 minutos muda-se o lado das bolas.
3º Exercício:
O jogador faz um passe longo (bem por alto) para o colega do lado
oposto e vai defender numa situação de 1x1 e deve defender fora do
tracejado
4º Exercício:
Jogo com duas equipas de cinco jogadores e os restantes a servirem de
apoio. Principal objectivo é treinar os princípios de jogo de ataque e de
defesa e treinar a finalização das várias posições ofensivas. Após cinco
minutos trocam as equipas com jogadores de apoio
Aquecimento com bola
Saídas rápidas para o ataque (contra-ataque).
Espaço em profundidade, com um campo longo.

Jogo de 4x4.
Cada equipa tem 4 jogadores de apoio, que só podem dar 1 toque.
Sempre que o movimento ofensivo é um ataque organizado, a bola saindo do G.R. é
jogada nos jogadores de apoio.
A equipa que não tem a bola procura reduzir os espaços, fechando-se bem e quando
recupera a bola deve sair rápido para finalizar.
Treino de finalização (2x2).
Finalização rápida.
Após o passe do jogador atacante, sai um defensor que vai tentar impedir o 2x1 ofensivo.
O jogador atacante mais avançado, devolve o passe ao seu colega e desmarca-se para
receber a tabela ou para arrastar o seu marcador directo e assim permitir a finalização do
outro avançado.
Aquecimento com cada jogador com uma bola (condução com controlo da bola e
cruzamentos sucessivos).
Exercícios com bola em grupos de 3 e 4 jogadores.

Complemento do aquecimento
Jogo 3x3 com 2 jogadores a apoiar
Jogadores de apoio só podem dar 2 toques
Objectivo do jogo é colocar a bola para lá da linha da equipa contrária
Aquecimento c/bola
Os jogadores são divididos em grupos de 4
Os jogadores ocupam as 5 estações de trabalho
Em cada estação o período de trabalho é de 3 minutos
Quando terminam o período de trabalho em cada estação, deslocam-se para a estação seguinte,
executando um exercício físico
Os grupos rodam no sentido das setas do esquema

1- correr c/bola evitando os colegas e ao sinal mudar rápido de direcção


2- passe e desmarcação com uma bola
3- 1x1 procurando chegar ao lado oposto e os outros dois jogadores alongam
4- passes longos rasteiro e por alto, com um jogador no meio
5- passe em diagonal c/mudanças de lado, com duas bolas
Finalização após dupla tabela
Sai alternadamente um jogador de cada lado
O movimento ao 1º toque
O jogador que finaliza ocupa a posição do 1º tabelador do lado oposto
O movimento executa-se nos dois meios campos
Após um certo período de tempo, mudam-se as filas
Finalização com oposição após tabela
Os jogadores atacantes vão trocando de posições
Após uma 1ª fase, introduz-se um 3º defensor

Os movimentos executam-se alternadamente


O 3º defensor só arranca após a devolução da bola, pelo 2º atacante
Os defesas devem procurar impedir a finalização
1 – Aquecimento com bola
● Mecos Vermelhos □ Mecos Amarelos
∆ Cones □ □ Local de inicio do movimento com o pé esquerdo
2 – Criação de espaços pelos flancos com cruzamentos para finalização
Trabalho de finalização para os pontas-de-lança
3 – Criação de espaços para diagonais dos alas
Movimento executado pelos dois flancos

Nota: Esta criação de espaços tem muitas outras variantes para a colocação da bola no
espaço vazio
4 – Criação de espaços com movimentação na zona intermediária
Movimentação para explorar os flancos
5 – Criação de espaços com movimentação na zona intermediária
Movimentação para diagonais dos médios alas
Finalização rápida
Desmarcações para criar espaços para a velocidade dos médios alas

Você também pode gostar