P. 1
simplexsimplesio2010

simplexsimplesio2010

|Views: 583|Likes:

More info:

Published by: Nuno Miguel Monteiro Calane on Oct 26, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/06/2013

pdf

text

original

INVESTIGAÇÃO OPERACIONAL

1

(2001) Investigação Operacional .Hill & Dos Santos (2002) Investigação Operacional Vol 1 e 2 .MÉTODOS DE RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DE PROGRAMAÇÃO LINEAR Com este aula pretende-se: .Alberto Mulenga. vantagens e desvantagens dos métodos matemáticos. Laboral/2010 VTM 2 . Investigação Operacional . .Oliveira & Correia (1996). UEM .Aula 4 . . (2005) Investigação Operacional uma abordagem introdutória .Investigação Operacional.Explicar as diferenças. Para tal recomenda-se a seguinte referência bibliográfica: . .Fornecer aos discentes o instrumental matemático para se resolver os diferentes tipos de problemas de programação linear nas organizações. .Bronson & Naadimuthu.

gestores e matemáticos.Investigação Operacional. na presente aula interessa analisar o método gráfico e o algoritmo do simplex. Algoritimo do Simplex Método BIG M Método Duas Fases Programa LINDO Contudo.MÉTODOS DE RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DE PROGRAMAÇÃO LINEAR 1. Laboral/2010 VTM 3 . UEM . os economistas.Aula 4 . - Breve Introdução Para resolução dos problemas de programação linear. consideram os seguintes métodos: Método Gráfico.

as coordenadas encontradas.1. diz que o método gráfico pode ser aplicado para a resolução de problemas de programação linear de forma eficiente. para excluir a área que não pertença a solução.Investigação Operacional. isto é converter as restrições da procura ou oferta em restrições de equilíbrio). b) Enumerar as equações de equilíbrio. aquela que satisfaz o objectivo do decisor. UEM . O método gráfico consiste em construir através das restrições um conjunto das soluções possíveis e tomar como solução óptima. Laboral/2010 VTM 4 . para depois encontrar os pontos extremos de cada uma das equações e representar graficamente.2. que neste caso pode ser de maximizar ou minimizar. Aplicação prática Mulenga (2005:12). apenas quando a função objectivo e o conjunto das restrições tiver duas variáveis de decisão. Método Gráfico 2. 2. Passos do método gráfico O método gráfico segue os seguintes passos: a) Admitir que as inequações do sistema representam equações.Aula 4 .MÉTODOS DE RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DE PROGRAMAÇÃO LINEAR 2. deve-se ir as restrições iniciais da procura e/ ou oferta. c) Depois de representar graficamente as restrições de equilíbrio.

Laboral/2010 VTM 5 . sempre a solução óptima deverá fazer parte da área da região das soluções admissíveis. termos um leque de coordenadas que toma o nome de soluções admissíveis. se a solução óptima ocorre em pelo menos um dos pontos extremos na região das soluções admissíveis. considera 2 teoremas essenciais que ajudam a entender o método gráfico na resolução de problemas de PL: 1º Teorema 1 teorema fundamental da programação linear.Investigação Operacional.MÉTODO GRÁFICO d) e) Face a exclusão. termos a solução óptima que deverá satisfazer o objectivo da definido inicialmente na função objectivo (maximizar ou minimizar). obrigatoriamente. segundo o qual. UEM . só existe valor óptimo na função objectivo num problema de PL. e dependendo do objectivo do decisor. Principais Teoremas de Programação Linear Mulenga (2005:19). Isso significa que. ela não será óptima. caso contrário. substituímos o valor de cada uma das coordenadas na função objectivo. Na posse das soluções admissiveis. 2.3.

Se K é uma área fechada.Se K é uma região não fechada. ou seja não existe soluções admissíveis. então não deverá existir nem máximo e nem mínimo que satisfará o objectivo do decisor. . segundo o qual. um dado problema de PL. e K o conjunto de soluções admissíveis da função objectivo (Z=ax1+bx2).Investigação Operacional. Laboral/2010 VTM 6 .Se K é um conjunto vazio. então existe um máximo e um mínimo para o objectivo do decisor. . pode-se tirar as seguintes ilações: .MÉTODO GRÁFICO 2º Teorema 2 Teorema de existência da solução. e os coeficientes económicos do problema de PL apresentam valores maiores que zero. UEM . então existirá apenas um mínima do objectivo do decisor e não existe o ponto máximo sobre K.

quando as rectas se cruzam ou quando há área de soluções admissíveis encontra-se toda ela limitada. todo o primeiro quadrante positivo. c) Solução óptima com infinitas soluções básicas. não existe o limite superior. Laboral/2010 VTM 7 . b) Solução Óptima alternativa. quando apenas existe um limite inferior. Caso de rectas paralelas. d) Solução óptima não limitada. quando. Ex:. Tipos de Soluções do Método Gráfico No Método Gráfico podemos encontrar variedade de soluções.MÉTODO GRÁFICO 2. e) Solução óptima. UEM . sem limite inferior e nem superior. quando par além de existir o limite inferior. havendo uma limitação ao redor de toda a área admissível.4. e temos restrições em forma de constante. como se segue: a) Solução Impossível. e não existe limite superior na área das soluções admissíveis. se as restrições não se cruzam em nenhum ponto. Caso de área aberta em ambos os lados.Investigação Operacional.

esta ligado ao facto de possibilitar obter de forma eficiente e rápida a solução e melhor visualizar o problema concreto em estudo. Vantagens e Desvantagens do Método Gráfico Uma das grandes vantagens do método gráfico.MÉTODO GRÁFICO 2. UEM . Contudo ela apresenta as desvantagens de não poder ser empregue para resolução de problemas com mais de duas variáveis de decisão.Investigação Operacional. e ser bastante trabalhoso nos casos em que se tem mais de duas restrições.5. Laboral/2010 VTM 8 .

Método Simplex 3.39). como o procedimento matricial que é utilizado para resolver problemas de programação linear expressos na forma standard. definem o método simplex. Laboral/2010 VTM 9 . aos gestores do curso de Investigação Operacional.Investigação Operacional. UEM . Optimizar: Z = C^TX Sujeito a: AX=B com: X>=0 Esta abordagem não interessa. Enquadramento prático Bronson & Naadimuthu (2001.Aula 4 .MÉTODOS DE RESOLUÇÃO DOS PROBLEMAS DE PROGRAMAÇÃO LINEAR 3.1. devido a metodologia que emprega na apresentação e resolução dos problemas de programação linear.

e as restrições são as mesmas.Investigação Operacional. Duas Fases (consiste em resolver primeiro Fase 1. iremos utilizar o conceito de Oliveira & Correia (1996:28-35).MÉTODO SIMPLEX Para resolver os problemas de programação linear. que da ênfase ao conceito de optimização linear. um problema de minimização em que a função objectivo é a soma das variáveis artficiais. Laboral/2010 VTM 10 . como o conjunto de técnicas matemáticas modernas que permitem resolver os problemas de PL. Entre estas técnicas encontram-se: algoritimo do Simplex (quando temos mais de duas restrições e não são violadas as condições de não negatividade). BIG M (que consiste em introduzir as variáveis artificais na função objectivo multiplicadas por coeficientes de tal modo grandes que garantam o anulamento destas variáveis). UEM .

onde X3 será a variável de excesso. que é introduzida para equilibrar a inequação. X1+X2>=10.Investigação Operacional. Para se entender bem o conceito de forma canónica ou padrão é indispensável que se conheça a relação que se estabelece entre os tipos de restrições e diferentes variáveis: a) Se as restrições são de procura (>=). Laboral/2010 VTM 11 . então para termos a forma canónica devemos utilizar as variáveis de excesso. A forma canónica é também conhecida como forma padrão. devido a existência de um mínimo de consumo.MÉTODO SIMPLEX 3. Forma canónica do problema de PL A forma canónica é um dos primeiros passos que se deve seguir antes de se começar a resolver os problemas de PL. UEM . Ex:. fica X1+X2-X3=10. com recurso a algoritimo do simplex.2.

Ex:. X1+X2<=5. Laboral/2010 VTM 12 . onde X3 é a variável de folga. pois existe um máximo que deve ser atingido.Forma Canónica de PL b) Se as restrições são de oferta (<=). c) Se as restrições são de não negatividade. na forma canónica fica X1+X2+X3=5.Investigação Operacional. teremos variáveis de folga que deverão ser introduzidas para equilibrar a restrição. irão tomar o nome de variáveis não restritas. isto porque elas podem ser variáveis de folga e de excesso. UEM .

coluna pivô. seguindo os seguintes passos: .A função objectivo tem valor inicial igual a zero.Os coeficientes económicos devem ser opostos a função objectivo. . o maior elemento negativo (max) ou o maior elemento positivo (min).Colocar na base apenas as variáveis de folga ou de excesso.3. obedecendo o seguinte: . servindo de condutor para a determinação da coluna pivô. ao considerar os seguintes passos do algoritimo do simplex: 1º Passo: Elaborar a tabela inicial do simplex. Passos do método Simplex Mulenga.Investigação Operacional. Laboral/2010 VTM 13 . a coluna que apresentar esse elemento será chamado.MÉTODO SIMPLEX 3. . 2º Passo: Determinação do elemento pivô.Escolher na linha dos coeficientes da função objectivo. UEM . segue a abordagem de Oliveira e Correia (1996:39-40).

onde. O elemento que situa-se no cruzamento entre a linha pivô e a coluna pivô é chamado de elemento pivô. A linha que representar o menor quociente positivo será chamado por linha pivô. pertecendo a base. depois de várias etapas chegase a tabela terminal. Note que se a tabela resultante não tiver nenhum indicador negativo (máx) ou positivo (min).Passos do método Simplex - Dividir cada termo independente pelo correspondente elemento positivo da coluna pivô.Investigação Operacional. UEM . será considerada tabela terminal e não tem pivô. xi terá uma raiz diferente de zero. Laboral/2010 VTM 14 . se estiver fóra da base. com Ci diferente de zero. xi =0. 3º Passo: Cálculo da nova tabela simplex 4º Passo: Interpretação da tabela terminal.

OBRIGADO! .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->