Você está na página 1de 1

RESUMO

O psicólogo tem ganhado espaço na sociedade no decorrer da história, passando a não ser
visto somente como o profissional que trata de doenças mentais, mas sim como o
representante de uma ciência que busca oferecer qualidade de vida. No entanto, não pode
ser negada a importância desse profissional no que se refere ao tratamento de indivíduos
que sofrem de transtornos mentais e que atuam em instituições próprias para o tratamento
de tais pacientes, que são os manicômios. Por muitos anos essas instituições foram motivos
de discussões polêmicas devido ao tratamento, tanto o clínico como o humanitário, que elas
despendiam aos pacientes e na maioria das vezes surgiam opiniões negativas que eram e
são bem fundamentadas. Com a evolução do pensamento humano, da sociedade e da
ciência, é justo que tratamentos arraigados sejam revistos e a humanização desses
pacientes seja considerada. É com base nesse pensamento que essas instituições têm
sofrido transformações, e a Psicologia é uma das impulsionadoras desse movimento, uma
vez que ela se deu conta de que alguns tratamentos são ineficazes e só acentuavam e
prolongavam o problema do paciente. Devolver a dignidade de um paciente com problemas
mentais, tratando-o em sua totalidade e considerando-o como um cidadão foi um passo
importante impulsionado por esses profissionais e que culminou na criação da lei
antimanicomial. O tratamento dado pelos psicólogos à loucura é complexo e é conduzido por
vários aspectos do paciente, desde o aspecto psíquico até o contexto cultural ao qual está
inserido, e busca o que já foi citado anteriormente, a reintegração dele junto à sociedade.
Porém, a recuperação de um paciente é o resultado de um trabalho em conjunto, um
trabalho multiprofissional. Portanto, o tratamento da loucura vai além da administração de
medicamentos, é um conjunto de ações que primam pelo bem estar e pela recuperação do
paciente. A partir destes fatos, o trabalho visa analisar as intervenções práticas do
profissional psicólogo nas instituições manicomiais em usuários que buscam um apoio no
processo da sua saúde mental, e com isso, identificar as atividades existentes nessas
instituições, e, dentre eles, quais são os problemas encontrados na prática da profissão.