Você está na página 1de 2

Alunas: Danielle Omine Farias Medeiros

Maressa Viana Antunes


Psicologia – 4º ano
Psicologia e Trabalho
Profª: Branca

RESENHA DO FILME: O CORTE – COSTA GRAVAS

O filme relata a história de um engenheiro do ramo de celulose que após quinze


anos de exercício efetivo em uma determinada empresa privada é mandado embora
junto com um número considerável de profissionais, devido a cortes realizados pela
mesma. Considerando que dias antes recebeu um reconhecimento devido ao seu serviço
prestado à empresa. E ao pesquisar vagas de empregos para se candidatar, percebe que a
concorrência é grande e seus concorrentes são bem, ou até muito melhor, qualificados
que ele. Com isso, elabora uma estratégia de eliminação de seus concorrentes e
literalmente colocando-a em prática. Através dos correios, consegue alguns currículos
da mesma área que a sua e concorrentes do mesmo nível profissional que o seu. E um
por um, os localizam e elimina suas vidas, considerando-os como adversários e
inimigos. Durante a prática dessa estratégia, percebe o quão mal e o quanto prejudicou
diversas pessoas ao redor. Ao final, já conquistado uma vaga em uma empresa
reconhecida, se vê na mesma situação de estratégia de eliminação, só que de outro
ângulo, ele sendo o alvo.
A partir desse filme, podemos observar a situação de crise que o indivíduo
enfrenta diante do desemprego através da exposição das suas fragilidades emocionais
diante das mudanças, ou seja, como a vida profissional influencia no psíquico de um
indivíduo. Em uma empresa a tanto tempo, considerando esse emprego como algo certo
em sua vida, se vendo já como um membro efetivo e valorizado, um dia inesperado lhe
é tirado de repente. E com isso, passa a ocupar um lugar que se sente desvalorizado,
desmotivado e sem noção do que lhe espera, pois imaginava que a recuperação de um
lugar no mercado de trabalho não seria tão demorada, o que não se confirmou com o
tempo. Em uma realidade competitiva, o caminho que encontra é através de uma arma
nas mãos para literalmente, eliminar seus concorrentes. Sua família também sofre
conseqüências, por causa de seus comportamentos, quase acarretando a um possível
divorcio e um possível encarceramento de seu filho por roubo de produtos de
informática.
Segundo o autor Pagés (1993), as organizações favorecem prazeres ao individuo,
que ao se identificarem com o poder das mesmas, como dominar os outros e a vencer a
si mesmo, eliminam assim, a paz e a calma desse individuo. E para diversos autores,
como Bergeret (1998) e Kaplan (1995), o desenvolvimento de um possível transtorno de
estresse pós-traumático afeta fatores como a gravidade do agente estressor e a
vulnerabilidade do indivíduo.
Com isso, podemos concluir como podem haver situações de crise e suas
conseqüências na vida do individuo diante das mudanças e adaptações devido a
imposições do trabalho no modelo capitalista. Com isso, ele acaba deixando de lado
todos seus conceitos adquiridos e adota novos métodos de vida, e foi assim que o
recém-desempregado no filme se comporta.

Referências Bibliográficas
-Bergeret, Jean. A Personalidade Normal e Patológica. Trad. Alceu Edir
Fillmann. Porto Alegre: Artes Médicas, 1988.
-Max Pages. (et al.); O Poder das Organizações. Tradução Maria Cecília Pereira
Tavares, Sonia Simas Favatti. São Paulo: Atlas, 1987.
-Kaplan, I. Harold; SADOCK, j. Benjamin; & Colaboradores. Médicina
Psiquiatrica de Emergência. Porto Alegre: Artes Médicas,1995.

Você também pode gostar