Você está na página 1de 30

Centro Estadual de Educação Supletiva de Votorantim

APRESENTAÇÃO
Nesta apostila, elaborada pelos orientadores de Matemática, você
encontrará o conteúdo da programação da 3ª série do Ensino Médio.
Não se aprende Matemática lendo, é preciso usar lápis e papel para
resolver os exercícios.
As dúvidas que surgirem deverão ser esclarecidas com o Orientador
de Aprendizagem na Sala de Matemática.
Os exercícios que farão parte desta Apostila são de sua
responsabilidade. Se necessário, tire suas dúvidas com o Professor.
Com certeza, as dificuldades surgirão e para tentar resolvê-las
procuramos elaborar esta apostila de maneira simples e objetiva com uma
metodologia auto-instrucional, atendendo as necessidades de que o aluno é
levado a construir seu conhecimento gradativamente.
No final do curso você verá que adquiriu uma série de conhecimentos
que serão ferramentas para compreender melhor o mundo que o cerca,
tornando-o um cidadão mais seguro e respeitado.

Não escreva na apostila, use seu caderno.


META DOS ORIENTADORES DE APRENDIZAGEM
“Formar indivíduos competitivos, com responsabilidade social,
adequando seus valores e conhecimentos, a fim de se tornarem agentes
transformadores dentro de uma visão de mundo, acreditando no valor
daquilo que vêem e pensam”.

OBJETIVOS (Módulos 11 e 12 )

Nesta U.E. você será capaz de:


- Reconhecer o triângulo retângulo e suas relações trigonométricas;

- Aplicar esses conhecimentos em resoluções de problemas práticos;

- Aplicar a Lei dos Cossenos ou a Lei dos Senos em problemas que


envolvam quaisquer triângulos;

- Identificar os diferentes sólidos geométricos;

- Calcular volume de diferentes sólidos geométricos;

- Fazer transformações de medidas de volume.

2
MÓDULO 11

TRIGONOMETRIA
A trigonometria é uma ferramenta importante para a resolução de
problemas que envolvem grandes distâncias, como os de engenharia,
navegação, astronomia, etc.
A figura básica usada na trigonometria é o triângulo.

TRIGONOMETRIA quer dizer:

Três ângulos medição

A TRIGONOMETRIA DO TRIÂNGULO RETÂNGULO

Você já estudou o triângulo retângulo e sabe que seus lados têm


nomes especiais. Vamos recordar.

Triângulo retângulo (tem um ângulo reto = 90º que é representado


pelo símbolo
A

hipotenusa
cateto

B C
cateto

Hipotenusa – é o lado oposto ao ângulo reto B (fica na frente do


ângulo de 90º). É o lado maior.

Catetos - são os outros dois lados que formam o ângulo reto.

Você estudou as relações métricas no triângulo retângulo tomando


como referência o ângulo reto de 90º ( Teorema de Pitágoras e outros).
Neste módulo você vai estudar as razões trigonométricas do triângulo
retângulo em relação aos seus ângulos agudos.

3
Em relação a um determinado ângulo diferente
do ângulo reto.
Determinando o valor de um dos ângulos agudos do triângulo
retângulo temos o cateto oposto (lado do triângulo que está na frente do
ângulo marcado) e o cateto adjacente (lado do triângulo que está “junto”,
ao lado do ângulo marcado com a medida).

Cateto oposto e cateto adjacente: como encontrá-los?


Para você saber qual é o cateto oposto, basta olhar o lado oposto
(na frente) ao ângulo de 20º, então, o lado X é o cateto oposto.

20º
ou cateto oposto

20º
cateto oposto

E o cateto adjacente?

Você sabe que um lado é hipotenusa, sabe que o lado oposto ao


ângulo dado, ou seja, com a medida é cateto oposto, resta-lhe apenas um
lado e só pode ser “adivinhe”? Se você respondeu cateto adjacente, acertou,
parabéns!

Temos três razões trigonométricas que aplicaremos para resolver


problemas em trigonometria, são elas: seno, co-seno e tangente.
LEMBRE-SE!
Você só pode usar estas
fórmulas no triângulo
retângulo.

Eis as fórmulas:
Seno = cateto oposto
hipotenusa

Co-seno = cateto adjacente


hipotenusa

Tangente = cateto oposto ( Observe que na tangente não entra


cateto adjacente a hipotenusa)

4
Como “fazer” para saber qual fórmula vou usar?

Seguindo estas instruções:

1º ) Observe os dois lados envolvidos no triângulo: o lado X e o lado


que tem a medida.
2º ) Identifique se os dois lados são: hipotenusa ou catetos.
3º) Observe o ângulo marcado com a medida para identificar se é
cateto oposto ( se estiver na frente do ângulo) ou cateto adjacente ( se for o
vizinho do ângulo).
4º) Procure nas 3 fórmulas: Seno, Co-seno ou Tangente aquela que
satisfaz as condições dos lados envolvidos do triângulo.

Veja o Exemplo 1
1º - Observe que os lados envolvidos
Encontre o valor de X: (com o X e com a medida) são
catetos oposto e hipotenusa.
30º X (hip.) 2º - Agora, pense, qual das 3
fórmulas ( seno, co-seno ou
tangente) tem cateto oposto e
hipotenusa?
5 (cat. oposto) 3º - Descobriu? Só pode ser seno do
ângulo.

Resolvendo:

Seno ∠ = cateto oposto (Substitua pelos valores correspondentes


Hipotenusa sem mudar a ordem da operação):
sen 30º = 5 (Procure na tabela trigonométrica no final do módulo, o
X valor de seno de 30º e faça a substituição.)

0,5 = 5
1 X
0,5. X = 1 . 5 ( fazendo a multiplicação )
X=5
X= 5 ( 5 dividido por 0,5 )
O,5
X = 10

Veja uma aplicação prática envolvendo as razões trigonométricas:

5
Exemplo 2 : Um topógrafo deseja medir a largura BC de um rio, sem
sair da margem em que se encontra. Os dados estão na figura abaixo.

X X é a largura do rio
cat op
44º
C 10m (cat adj)

Resolução:
Você percebeu que os dois lados envolvidos são: cateto oposto e
cateto adjacente? Olhe as 3 fórmulas:
Seno = co cos = ca tg = co
hip hip ca

Tg = co
A única que serve nesse caso é: ca

Fica assim: Tg 44º = X


10
0,966 = X
1 10
X = 10 . 0,966
X = 9,66
Assim descobrimos que a largura do rio é de aproximadamente 9,6
metros.

Exemplo 3:
Você quer saber a medida de uma corda que está amarrada na
extremidade superior de um poste de 10 m de altura e está fixada no chão
formando um ângulo de 60º com o poste. Como fazer?

Cos 60º = cat adj


60º X (hip) hip
10m
cat adj 0,5 = 10 multiplicando
1 X
0,5 . X = 10
X = 10
0,5
X = 20 m

6
Agora que você aprendeu a localizar a hipotenusa, o cateto oposto e
o cateto adjacente, e. a usar as fórmulas (razões trigonométricas) você vai
praticar um pouco, aliás, em Matemática não podemos só olhar, é preciso
fazer.
Resolva os exercícios no caderno e confira a resposta no gabarito
1-) Encontre o valor de X nos 2 triângulos abaixo:
a-) b-)

35º
8 X 10

20º
X

2 --Um poste telegráfico é fixado ao solo por um cabo ( AC ), Que


forma um ângulo de 54º com o chão. A distância entre a extremidade
inferior do poste e o cabo é de 30 m. Determine a medida da altura do
poste. (Veja o desenho): C

54º
A
30 m B
3-) Uma escada está encostada numa parede
formando um ângulo de 60º com o chão. Se a escada
tem 20 m de comprimento,que altura ela atinge?
Escada
X
20 m
60º

4-) Qual é a largura aproximada do rio ?

63º
25m

7
A TRIGONOMETRIA NUM TRIÂNGULO QUALQUER
Ampliando os conceitos de seno e cosseno para triângulos acutângulos
(ângulos menores que 90º) e triângulos obtusângulos ( um ângulo maior
que 90º) você pode usar teoremas (fórmulas) que relacionam os ângulos
com seus lados opostos (que estão na frente).

LEI DOS COSSENOS


Observe o triângulo abaixo:
  = ângulo A
a = lado oposto ao ângulo A
B = ângulo B
b = lado oposto ao ângulo B
c b C = ângulo C
c = lado oposto ao ângulo C

OBSERVAÇÃO: cada lado do


triângulo tem o seu ângulo
B a C
correspondente ( o ângulo oposto).
EXEMPLO 1: O triângulo abaixo é formado pelos lados a, b, c onde
c = 7 e b = 8 e o ângulo  = 30º formado por esses dois lados então a
medida do lado a pode ser calculado pela fórmula:

Lei dos cossenos que mostra: o lado de medida desconhecida ao quadrado é


igual a soma dos quadrados dos dois lados que têm as medida menos duas
vezes a medida de um lado vezes a medida do outro vezes o cosseno da
medida do ângulo oposto ao lado desconhecido. Acompanhe a formula
abaixo
a² = b² + c² - 2 . b . c . cos Â
B Então substituindo as letras pelos valores e
c =7 a verificando na tabela trigonométrica o valor de
cos 30º você tem:
30º
a² = 8² + 7² - 2 . 8 . 7 . cos 30º
A b=8 C
a² = 64 + 49 – 2 . 8 7. 0,866
C
Você percebeu que
a² = 113 – 96,992 para aplicar a Lei dos
a² = 16,008 cossenos é necessário ter
a = 16,008 a medida de um ângulo e
a ≅ 4,00 as medidas dos dois lados
que formam esse ângulo?

8
Veja os exemplos a seguir:
EXEMPLO 2:

B ou X
25 Km
150º

B C
42 Km

Uma pessoa viajou de A para C passando por B. De A até B,


percorreu 25 Km e de B até C, 42 Km. Os percursos AB e BC formam
entre si um ângulo de 150º. Se fosse possível ir em linha reta de A para C,
qual seria a economia de quilometragem?
Solução: Usando a lei dos cossenos temos:
b² = a² + c² - 2.a. c. cos B Preste atenção
X² = 25² + 42² - 2 . 25. 42 . cos 150º Cos 150º

Note que o cosseno de um ângulo de 150º é do mesmo comprimento que o


cosseno de 180º - 150º. Entretanto, como está do “outro lado”, em relação
ao eixo y, terá sinal negativo.
Y 90º

2º 1º

150º

Seno ( - ) 30º
Seno ( + )
Cosseno ( + ) X
180º Cosseno ( - )
3º 4º

270º
Seno = Y
x² = 625 + 1764 – 2 . 1050 . ( - cos 30º )
Cosseno = X
x² = 2389 + 2100 . 0,866
x² = 2389 + 1818,6
x² = 4207,6
x ≅ 65 Km

9
Indo de A para C, passando por B, gasta-se 25+ 42 = 67 Km; e de A para C
em linha reta, aproximadamente, 65 Km. Desse modo a economia de
quilometragem seria de 2 Km.

EXERCÍCIOS:
5) A água utilizada num sítio é captada e bombeada do rio para uma
caixa d’água a 50 metros de distância. A casa está a 80 metros de distância
da caixa d’água e o ângulo formado pelas direções caixa d’água – bomba
e caixa d’água – casa é de 60º. Se pretende bombear água do mesmo ponto
de captação até a casa, quantos metros de cano são necessários?

80 m
60º
caixa
casa
50 m
X

Bomba
rio

LEI DOS SENOS

Você viu que a Lei dos Cossenos serve para calcular a medida do
lado oposto ao ângulo determinado. Agora você vai aprender a Lei dos
Senos, que tem a mesma finalidade, mas é usada quando você conhece a
medida de pelo menos dois ângulos e um dos lados, através da fórmula:

Lei dos Senos Onde as letras minúsculas são


a = b = c os lados e as maiúsculas são
sen  sen B sen Ĉ as medidas dos ângulos

Obs.: Cada lado está para o seu ângulo oposto.

10
A Lei dos Senos também é usada para calcular raio de uma
circunferência que tenha um triângulo inscrito (dentro) ou circunscrito
(fora) através da fórmula:

RAIO
2R = a
sen Â

EXEMPLO 1:
Dado o triângulo ABC com ângulo A = 80º, ângulo B = 40º cujo lado
a = 5 cm, calcule a medida dos outros dois lados como mostra a figura:

A Solução: a = b
sen  sen B
Consultando a
80º 5 = b tabela
c b sen 80º sen 40º trigonométrica
5 = b
0,985 0,643
40º b = 5 . 0,643
B a=5 C 0,985
b = 3,263

Para determinar o lado C, aplicamos novamente a fórmula:


a = c
sen  sen C

5 = c 5 = c c = 5 . 0,866
sen 80º sen 60º 0,985 0,866 0,985
C = 4,395
Lembre-se: A soma dos 3
ângulos de um triângulo é
180º, portanto:
A + B + C = 180º
80 + 40 + C = 180º
C = 180º - 120º
C = 60º

11
EXEMPLO 2:
Um observador está em A e necessita calcular a distância até o ponto
B que é inacessível a ele.

B
rio
A

Partindo de A, o observador vai até um ponto C qualquer de tal modo


que consiga medir o ângulo BÂC e o ângulo BCA, bem como a distância
de A até C.
Imaginemos, por exemplo, que os resultados obtidos são os
representados na figura abaixo:

B Lembre-se:
B = 180º - 45º - 60º
B = 75º
rio
X

45º
A 60º
50 m C

Aplicando a Lei dos Senos, temos: a = b = c


^
Sen  sen B sen Ĉ

X = 50
senĈ sen B

X = 50 Se precisar calcular a medida do outro


sen 60º sen 75º (valor na tabela
lado ( Y ) do triângulo aplica a Lei do
trigonométrica)
Seno em relação ao outro lado.
X = 50
0,866 0,966
Y = 50
X = 50 . 0,866 Sem 45 sem 75º
0,966
X = 44,82 m. Logo a distância do
observador até o ponto B é de
aproximadamente 45 m.
12
Observando os exemplos anteriores, veja outra explicação prática da
lei dos senos, mas agora é sua vez.

EXERCÍCIOS:

6) A que distância do farol se encontra o navio B? Sugestão: Ache o


ângulo Ĉ:

C x
?
55
º
60 B
º 46Km
A

Agora que você já sabe usar a lei dos senos, aprenderá a calcular o
raio de uma circunferência com um triângulo inscrito ou circunscrito.

O TRIÂNGULO E A CIRCUNFERÊNCIA

No dicionário, encontramos as seguintes definições:


Inscrito Traçado dentro.
Circunscrito Limitado totalmente por uma linha

Em geometria, esses termos são usados com um pouco mais de


precisão. Observe os exemplos:

A) O retângulo está inscrito no


losango ou o losango está
circunscrito ao retângulo.

(Observe que todos os vértices do


retângulo tocam os lados do
losango).
B)
A esfera está inscrita no cubo ou o
cubo está circunscrito à esfera.
(Todas as faces do cubo tocam a
esfera).

13
C)
O hexágono está inscrito no
círculo ou o círculo está
circunscrito ao hexágono.

(Todos os vértices do hexágono


tocam o círculo).
D)

A circunferência está inscrita no


triângulo retângulo ou o
triângulo retângulo está inscrito
à circunferência.

(Todos os lados do triângulo


tocam a circunferência).
Mais uma vez, o triângulo se confirma como uma figura especial. É
sempre possível inscrever uma circunferência em um triângulo; além
disso, sempre podemos circunscrever uma circunferência a um
triângulo.

Para a circunferência circunscrita ao triângulo, e cujo raio é R, temos o


seguinte resultado:

2R = a = b = c
sen  sen B sen Ĉ

EXEMPLO 1:
O triângulo abaixo está inscrito em uma circunferência. Determine o
raio da circunferência.
Aplicando a fórmula 2R = a
A
sen Â
44º 2R = 6
sen 44º
B C 2R = 6 ⇒ R = 6
1 0,695 2 . 0,695
6 cm
R= 6
1,39
Logo; o raio mede aproximadamente 4,32 cm.
14
EXERCÍCIOS:
Resolva em seu caderno:
7) Um triângulo isósceles tem 2 lados congruentes (mesma medida)
de 7cm e outro de 5cm, está inscrito em uma circunferência.
Observando o desenho abaixo, calcule o raio da circunferência.

40º

GABARITO
1 ) a ) 21,97 4 ) 49,07
b ) 8,19

2 ) 41,28 m 5 ) 70 m

3 ) 17,32 m 6 ) 43,96 Km

7 ) 3,88 cm

15
Tabela trigonométrica

16
MÓDULO 12
UNIDADES DE VOLUME

Neste módulo você vai iniciar seus estudos na Geometria Espacial.


Até agora você estudou figuras planas (superfície), nesta unidade você
estudará as propriedades de figuras espaciais, tais como: o cubo, o
paralelepípedo, os prismas, os cilindros ,etc. Aprenderá também a calcular
o volume dessas e outras figuras.
Para o cálculo de um volume podemos usar diferentes unidades de
medida como o litro e o metro cúbico. Portanto, vamos aprofundar esses
conceitos.

Volume ou capacidade

Volume ou capacidade de um corpo (ou recipiente) é a quantidade de


espaço que esse corpo ocupa ou que ele dispõe para armazenar alguma
coisa. Por exemplo: o litro de refrigerante, a lata de óleo, a caixinha de
leite, etc.
Esses recipientes têm a capacidade de armazenar 1 litro de líquido,
conforme a indicação em cada embalagem. Podemos dizer que o volume
ou a capacidade de cada um desses recipientes é de 1 litro.
Vejamos um outro exemplo: diariamente nos portos brasileiros, navios
são carregados ou descarregados com mercadorias que serão transportadas
para outros lugares. Em geral, essas mercadorias são armazenadas em
grandes caixas chamadas de “container”.
Existem dois tipos de container: os de 20 pés (cuja capacidade é de
32,88 metros cúbicos) e os de 40 pés (cuja capacidade é de 66,92 metros
cúbicos).

Unidade de volume e de capacidade

Nos exemplos anteriores utilizamos o litro (cuja abreviatura é l) e o


metro cúbico (cuja abreviatura é m³) como unidades de medida.
Para determinar o volume é necessário que você tenha 3 medidas.
Multiplicando as três obterá o m³ ou seus múltiplos e submúltiplos que são:
Km³, hm³, dam³, m³, dm³, cm³, mm³
A escolha da unidade de medida adequada depende do tamanho do
que vai se medir.

17
O litro é a quantidade de líquido capaz de
encher completamente um cubo oco, com
O litro 10 cm de aresta.
Aresta é o nome que se dá à linha que
separa uma face da outra. Os lados dos
quadrados que formam o cubo são as
arestas do cubo.
10cm

10cm
10cm

Quantos litros cabem num metro cúbico?

Para responder a essa pergunta vamos imaginar uma caixa cúbica com
1 metro de aresta e muitos cubinhos com 10 cm de aresta. Cada um desses
cubinhos corresponde a 1 litro de água.
Podemos arrumar os cubinhos dentro da caixa grande em fileiras de
10, de forma que o fundo da caixa fique com 10 . 10 = 100 cubinhos.
Como podemos formar 10 camadas, temos:
10 . 10 . 10 = 1000 cubinhos

Portanto: 1 m³ = 1000 l

Muitas vezes é importante você saber relacionar duas unidades. Da


mesma forma que você relaciona a hora com o minuto, o metro com o
quilômetro ou com o centímetro, precisamos relacionar as unidades de
volume.

O VOLUME DO PARALELEPÍPEDO

Paralelepípedo é o nome que a Matemática dá a objetos que tem a


forma de uma caixa, de um tijolo etc.
De maneira geral, podemos calcular o volume de um paralelepípedo
multiplicando-se as 3 dimensões.

Volume do paralelepípedo = comprimento • largura • altura

18
EXEMPLO 1:

Observe a figura ao lado e calcule seu volume:

Todas as medidas
devem estar na mesma
unidade. 3cm
Multiplicando as três
temos:
cm . cm . cm = cm³ Altura 4cm 2cm
Largura

comprimento

Podemos dizer que a figura é um paralelepípedo e que seu volume é


4 . 2 . 3 = 24 cm³.

EXEMPLO 2:

Quantos litros de água são necessários para encher completamente uma


caixa d´água cujas dimensões são 0,90 m de comprimento, 0,80 m de
largura e 0,70 m de altura?

Volume = 0,90 m . 0,80 m . 0,70 m = 0,504 m³


Como 1 m³ = 1000 l , então: 0,504 . 1000 = 504 l

São necessários 504L para encher, completamente, essa caixa d´água.

O mililitro

Em algumas situações práticas, o volume a ser medido é tão pequeno


que o litro se torna uma unidade inadequada. Isso acontece, por
exemplo, quando queremos indicar a quantidade de líquido de um
vidro de remédio. Neste caso usamos o mililitro (ml).

1cm³ = 1 ml

19
Para fazer a transformação de unidades
de medidas do volume você deve deslocar
a vírgula 3 algarismos à esquerda ou à
direita quantas vezes for necessário.

Portanto:

1 l = 1000 cm³ 1 m³ = 1000 l

1 cm³ = 1 ml 1 l = 1 dm³

EXERCÍCIOS:

1) A piscina de um clube tem 2 m de profundidade, 12 m de


comprimento e 8 m de largura. Quantos litros de água são
necessários para enchê-la?

2) Uma caixa de vinho tem as seguintes dimensões: 30 cm de altura,


40 cm de comprimento e 25 cm de largura. Um comerciante
importou um container de 20 pés de caixas de vinho. Quantas
caixas de vinho ele encomendou?

Você estudou as unidades padronizadas de volume e aprendeu a calcular o


volume do paralelepípedo.
Agora vai aprofundar um pouco mais esses conceitos.

O VOLUME DO BLOCO RETANGULAR


Bloco retangular ou paralelepípedo retângulo é o nome que a Matemática
dá aos objetos que têm a forma de uma caixa de sapatos, caixa de fósforos,
etc.

20
b

c a b
Observe que essa forma
geométrica é formada por seis retângulos c
cujas faces opostas são retângulos a
idênticos.

O volume é calculado multiplicando as 3 medidas diferentes (a, b,


c).
Como ac é a área do retângulo que é a base do bloco retangular e b é a
sua altura, o volume do bloco retangular é dado multiplicando a área da
base pela altura.

V = AB . h

Em que AB é a área da base e h a altura.

O volume do cubo
O cubo é um paralelepípedo ou um prisma cujas arestas têm a mesma
medida.
A figura ao lado mostra um cubo de
aresta (lado) de 2 cm.

Portanto, seu volume é: 2cm

2cm . 2cm . 2 cm = 2³ cm³ = 8 cm³ 2cm


2cm

De maneira geral, um cubo de aresta ou lado “a” tem seu volume


expresso por:

V = a³

21
Tanto os paralelepípedos (bloco retangular) como o cubo são figuras
classificadas como prismas.

PRISMAS

Prismas são sólidos geométricos que possuem as seguintes características:

• bases paralelas e iguais (superior e inferior) ;


• arestas ou lados laterais e paralelos que ligam as duas bases.

base

faces aresta lateral


laterais

base aresta da base

Nomenclatura: Os prismas são desiguais pelo número de lados das


bases, que lhe dão o nome: prisma triangular (3 lados) , prisma pentagonal
(5 lados), prisma hexagonal (6 lados), prisma quadrangular (4 lados).

Volume do prisma
O volume de qualquer prisma é o mesmo do bloco retangular , ou seja, o
produto da área da base pela altura:

V = AB . h

Onde AB = comprimento • largura

O CILINDRO

São sólidos geométricos com bases circulares.


São comuns os objetos têm a forma de um cilindro, como por exemplo, um
lápis sem ponta, uma lata de óleo, um cigarro, um cano, etc.

22
Podemos imaginar um cilindro formado por círculos de cartolina,
todos do mesmo tamanho, empilhados. Por isso, temos que o volume do
cilindro é também igual ao produto da área da base pela altura.

Volume do cilindro V = AB . h

h Como a base é um círculo


temos que a área do círculo é π r²,
raio então V = π . r². h onde r é a
medida do raio e π é 3,14 (valor
constante)

Há muita semelhança entre os prismas e os cilindros. Podemos dizer


que eles pertencem a uma mesma família de sólidos geométricos com
características comuns.

EXEMPLO
Determinar o volume da figura ao lado: r = 3 cm

V = AB . h
h = 4cm
V = π . r². h
V = 3,14 . 3². 4
V = 3,14 . 9 . 4
V = 113,04 cm³

EXERCÍCIOS:
3 ) Um restaurante costuma usar panelas enormes em dias de muito
movimento. Para encher de água uma dessas panelas o cozinheiro utiliza
latas (ou galões) de 18 litros. Quantos desses galões são necessários para
encher completamente uma panela de 60 cm de diâmetro e 50 cm de
altura? LEMBRE-SE O RAIO É A METADE DA MEDIDA DO
DIÂMETRO.

18 l

50 cm
r = 30cm LEMBRE-SE DE
TRANSFORMAR cm em m antes
60cm de efetuar as operações para poder
comparar com litros. 30cm = 0,30m

23
4 ) Qual o volume aproximado de uma lata de óleo, cuja altura mede 18,2
cm e o raio da base é de 4,2 cm?

OBSERVANDO EMBALAGENS
Você vai conferir e comparar volumes de embalagens de mercadorias,
aplicando o que sabe sobre volumes de prismas, cubos e cilindros.
A maioria das embalagens das mercadorias que consumimos vem em
uma dessas 3 formas: paralelepípedo retângulo, cubo ou cilindro.
Veja alguns exemplos:

1) Qual embalagem é mais econômica?


As bebidas normalmente, são vendidas em embalagens diferentes. É
preciso ter sempre atenção na hora de decidir qual comprar. Veja o
exemplo:
Certa bebida é vendida em dois tipos de embalagem:
• em garrafa de 600 ml, por R$ 10,78.
• em lata de 350 ml, por R$ 9,49.
Qual das duas embalagens é mais vantajosa?
Para resolver essa questão, vamos calcular o preço de cada ml, em
cada uma das embalagens e, em seguida, comparar seus valores.
Garrafa: 10,78 : 600 = 0,01centavos por ml
Lata: 9,49 : 350 = 0,02 centavos por ml
Observe que o valor de cada ml, na embalagem garrafa, é mais barato
que na embalagem lata.
Logo, comprar em garrafa é mais vantajoso.

2) Quem é maior?
São comuns os objetos em forma cilíndrica. Num supermercado, se você
observar as embalagens, vai identificar facilmente essa forma.
Uma pessoa dispõe de dois recipientes cilíndricos: um tem raio de 20
cm e altura de 12 cm; o outro tem a metade do raio, porém o dobro da
altura. Qual o recipiente de maior capacidade?

B
A

12 cm 24 cm

20cm 10cm

24
Vamos calcular seus volumes e comparar os resultados:

V cilindro = A base . h

VA = π . 20².12 = VB = π . 10². 24 =
VA = 3,14 . 400 . 12 = 15072cm³ VB = 3,14 . 100 . 24 = 7536cm³
Como você pode observar o recipiente mais baixo, recipiente A, possui
maior volume, portanto sua capacidade é maior.
À primeira vista, pode parecer que o fato de o recipiente ter a metade do
raio será compensado por ter o dobro da altura. Porém, isso não acontece.

EXERCÍCIOS:
5 ) Um supermercado vende pedaços de goiabada. Os pedaços têm a
forma aproximada de paralelepípedos. Um pedaço mede 6cm x 5cm x 8cm
e custa a R$ 0,82. Um outro pedaço, de 8cm x 6cm x 9cm, é vendido a R$
1,35. Qual dos dois pedaços será mais vantajoso comprar?

PIRÂMIDE E CONE

Dando continuidade à unidade de Geometria Espacial, você vai estudar


dois sólidos geométricos: a pirâmide e o cone.
A pirâmide é considerada um dos mais antigos sólidos geométricos
construídos pelo homem. Uma das mais famosas é a pirâmide de Queóps,
construída em 2500 a.C., com 150 m de altura, aproximadamente – o que
pode ser comparado a um prédio de 50 andares.
Quando pensamos numa pirâmide, vem-nos à cabeça a imagem da
pirâmide egípcia, cuja base é um quadrado. Contudo, o conceito
geométrico de pirâmide é um pouco mais amplo: sua base pode ser
formada por qualquer polígono. As pirâmides podem ser: Triangular (3
lados), Quadrangular (4 lados), Pentagonal (5 lados) e Hexagonal (6
lados).

Algumas definições:
Uma pirâmide é um sólido geométrico, cuja base é um polígono e cujas
faces laterais são triângulos que possuem um vértice comum.
A altura da pirâmide é um segmento perpendicular à base que passa pelo
vértice ( V ).

25
V
vértice

O CONE

É uma figura geométrica cuja base é um círculo com altura medida do


vértice até o centro do círculo.
Um funil ou uma casquinha de sorvete dão a idéia do sólido geométrico
chamado cone.

Um cone é
um cilindro
dividido em
três partes
iguais.

26
A pirâmide e o cone
Há muita semelhança entre o cone e a pirâmide. A diferença é que a base
do cone é delimitada por um círculo, em vez de um polígono.

O volume da pirâmide e do cone


Você já sabe que o volume do prisma é igual ao produto da sua altura pela
área da base.
É possível mostrar que se tivermos um prisma e uma pirâmide de mesma
base e mesma altura, o volume do prisma será o triplo do volume da
pirâmide.
Você pode comprovar esse fato, experimentalmente. Para isso, basta
construir, em cartolina, um prisma e uma pirâmide de mesma base e mesma
altura.
Usando areia ou grãos de arroz., encha a pirâmide e despeje seu conteúdo
no prisma.
Você vai observar que será necessário despejar cerca de três vezes o
conteúdo da pirâmide no interior do prisma, para enchê-lo por completo.
Com isso, concluímos que o volume da pirâmide é um terço do volume do
prisma:

V pirâmide = AB . h onde AB representa a área da


3 base e h sua altura.

Para determinar o volume do cone, podemos proceder de forma análoga.


Para isso, construa, em cartolina, um cone e um cilindro de mesma base e
mesma altura.
Enchendo o cone com areia, será necessário despejar três vezes seu
conteúdo no interior do cilindro, para enchê-lo.
Portanto, podemos concluir que o volume do cone é a terça parte do
volume do cilindro, de mesma base e mesma altura.

V cone = AB .h Onde AB representa a área da base e h,


3 sua altura.

Assim, para toda pirâmide e para todo cone é válida a fórmula:

V = AB . h
3

27
EXEMPLOS:
1) Qual o volume de uma pirâmide quadrangular, cuja altura mede 5cm e
aresta da base, 3cm?
A base = 3² = 9 cm²
V = 9 . 5 = 45 = 15 cm³
3 3

O volume é de 15 cm³

2. Um copo de caldo de cana, no formato de um cone, tem 8 cm de


diâmetro e 12 cm de altura. Qual a capacidade desse copo?
4 Obs.: se o diâmetro mede 8cm, o raio mede 4cm.

12

A base = π . r² =
3,14 . 4²=
3,14 . 16 = 50,24 cm²

V = 50,24 . 12 = 200,96 cm³


3
Como 1 cm³ = 1ml, concluímos que a capacidade do copo é de
aproximadamente 200 ml.

EXERCÍCIOS:

6) Qual é o volume de uma pirâmide quadrangular de altura 9 cm e cuja


aresta da base é 5 cm?

7) Qual é o volume de um cone de 12 cm de altura e com diâmetro da base


medindo 10 cm?

8) Qual a quantidade de chocolate necessária para a fabricação de 1000


pirulitos em forma de guarda-chuva, de 5 cm de altura e 2 cm do raio?

28
GABARITO:
5 ) O mais vantajoso é o segundo
1) 192.000 l
6 ) 75 cm³
2) 1.096 caixas
7 ) 314 cm³
3) 7,8 ou 8 latas
8 ) 20933 cm³
4) 1.008,09 cm³ ou 1,008 l

A matemática jamais deve ser vista como problema, e sim como solução.
Ela nos conduz para caminhos aparentemente tortuosos ou inacessíveis
abrindo atalhos, encurtando distâncias e superando obstáculos. Ela está
para nós como a bússola está para o navegante.
Estamos felizes !!! Você concluiu mais uma etapa da sua vida.
Prossiga e ... sucesso !!!

29
Bibliografia:

BONGIOVANNI, Vicenzo, Vissoto, Olímpio Rudinin Leite, Laureano,


José Luiz Tavares. MATEMÁTICA VIDA. Quinta Série a Oitava
Série
São Paulo. Editora Ática. 7ª Edição. 1995.

GUELLI, Oscar. EJA Educação de Jovens e Adultos Matemática 4º


ciclo. 1ª Edição. Editora Ática. 2007.

IMENES, Luiz Marcio, Lellis Marcelo. MATEMÁTICA. Oitava Série


São Paulo. Editora Scipione. 1999.

IMENES, Luiz Marcio, Lellis Marcelo,Jakubo. Editora Atual. 2ª


Edição.

Projeto Escola e Cidadania. Editora do Brasil.

SCIPIONE, Di Pierrô Netto. MATEMÁTICA CONCEITOS E


HISTÓRIAS. 6ª Edição. Oitava Série. São Paulo. Editora Scipione
1997.

Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo -


www.fazenda.sp.gov.br

ELABORADO PELA EQUIPE DE MATEMÁTICA 2007:

- Elisa Rocha Pinto de Castro


- Francisco Carlos Vieira dos Santos
- Josué Elias Latance
- Rosy Ana Vectirans

DIREÇÃO:

- Elisabete Marinoni Gomes


- Maria Isabel Ramalho de Carvalho Kupper

COORDENAÇÃO:

- Neiva Aparecida Ferraz Nunes

ATUALIZADA EM 2008.
APOIO: Prefeitura Municipal de Votorantim

30