Você está na página 1de 94

fÌsica

mec‚nica

QUEST’ES DE VESTIBULARES 2008/1 (1 o semestre) 2008/2 (2 o semestre)

T”PICO

I - CINEM£TICA

I - vestibulares 2008/1

sum·rio

P£GINA

2

I - vestibulares 2008/2

16

II - LEIS DE NEWTON

II

- vestibulares 2008/1

22

II

- vestibulares 2008/2

36

III - ENERGIA

III

- vestibulares 2008/1

43

III

- vestibulares 2008/2

61

IV - EST£TICA

IV

- vestibulares 2008/1

70

IV

- vestibulares 2008/2

74

V - GRAVITA« O

V

- vestibulares 2008/1

75

V

- vestibulares 2008/2

80

VI - HIDROST£TICA

VI

- vestibulares 2008/1

82

VI

- vestibulares 2008/2

90

VII - HIDRODIN¬MICA

VII - vestibulares 2008/1

94

CorreÁıes, sugestıes e/ou coment·rios:

japizzirani@gmail.com

1

I - CINEM£TICA I - vestibulares 2008/1

VESTIBULARES - 2008/2 - P£G. 16

(PUCRIO-2008) - ALTERNATIVA: C Um veleiro deixa o porto navegando 70 km em direÁ„o leste. Em seguida, para atingir seu destino, navega mais 100 km na dire- Á„o nordeste. Desprezando a curvatura da terra e admitindo que todos os deslocamentos s„o coplanares, determine o desloca- mento total do veleiro em relaÁ„o ao porto de origem.

(Considere 2 = 1,40 e 5 = 2,20) a) 106 Km d) 284 Km b)
(Considere
2 = 1,40 e
5 = 2,20)
a) 106 Km
d) 284 Km
b) 34 Km
e) 217 Km

*c) 154 Km

(PUCRIO-2008) - ALTERNATIVA: B Uma bola È lanÁada verticalmente para cima, a partir do solo, e

atinge uma altura m·xima de 20 m. Considerando a aceleraÁ„o da gravidad e g = 10 m/s 2 , a velocidade inicial de lanÁamento e o tempo de subida da bola s„o:

a) 10 m/s e 1s

*b) 20 m/s e 2s

c) 30 m/s e 3s

d) 40 m/s e 4s e) 50 m/s e 5s

(PUCRIO-2008) - ALTERNATIVA: B Um objeto em movimento uniforme variado tem sua velocidade inicial v 0 = 0,0 m/s e sua velocidade final v f = 2,0 m/s, em um intervalo de tempo de 4s. A aceleraÁ„o do objeto, em m/s 2 , È:

a) 1/4

*b) 1/2

c) 1

d) 2

e) 4

(UDESC-2008) - ALTERNATIVA: D

A maior roda gigante do mundo em funcionamento, chamada

Estrela de Nachang , fica localizada na China e tem 160 m de altura. Em fevereiro de 2008 comeÁar· a funcionar o Observa- dor de Singapura , com 165 m de altura e 150 m de di‚metro, que, movendo-se com velocidade constante, leva aproximadamente 40,0 minutos para completar uma volta. A dist‚ncia percorrida

pelas cabines do Observador de Singapura, apÛs completar uma volta, e sua velocidade angular mÈdia s„o, respectivamen- te, iguais a:

a) 165

m; 0,157 rad/min.

b) 165

m; 40,0 rad/min.

c) 160

m; 0,157 rad/min.

*d) 150 m; 0,157 rad/min.

e)

150 m; 40,0 rad/min.

(UFTM-2008) - ALTERNATIVA: C Ainda usada pelos Ìndios do amazonas, a zarabatana È uma arma de caÁa que, com o treino, È de incrÌvel precis„o. A arma

constituÌda por um simples tubo, lanÁa dardos impelidos por um forte sopro em uma extremidade. Suponha que um Ìndio aponte sua zarabatana a um ‚ngulo de 60 com a horizontal e lance um dardo, que sai pela outra extremidade da arma, com velocidade

de 30 m/s. Se a resistÍncia do ar pudesse ser desconsiderada,

a m·xima altitude alcanÁada pelo dardo, relativamente ‡ altura da extremidade da qual ele sai seria, em m, de aproximadamente

a)

b)

*c) 34.

d)

e) 47.

19.

25.

41.

Dados:

g = 10 m/s 2 sen60 = cos60 =
g = 10 m/s 2
sen60 =
cos60 =

japizzirani@gmail.com

(UFTM-2008) - ALTERNATIVA: D Sinalizando a saÌda de um estacionamento, as duas l‚mpa- das da placa, fixa na parede, alternam o acendimento, chamando a atenÁ„o dos pedestres que caminham sobre o passeio.

a atenÁ„o dos pedestres que caminham sobre o passeio. A altern‚ncia ocorre de tal forma que

A altern‚ncia ocorre de tal forma que o circuito faz que uma

mesma l‚mpada pisque oito vezes a cada dez segundos. Consi-

derando que uma l‚mpada acenda somente quando a outra apa- gue e que o tempo de permanÍncia do acendimento de uma

l‚mpada È sempre igual ao da outra, a freq¸Íncia de um ciclo completo È, em Hz,

a) 0,2.

b)

c)

*d) 0,8.

e) 1,6.

0,4.

0,6.

(UFTM-2008) - RESPOSTA: FAZER Se a calota de um carro que se desloca com movimento retilÌneo uniforme se desprende da roda, no momento em que toca o solo,

ainda em rotaÁ„o, seu centro de massa desenvolve velocidade escalar, relativamente ao ch„o, menor que a velocidade escalar desenvolvida pelo carro, em m/s, distanciando-se deste. a) Suponha que uma calota solta-se da roda de um carro e, em contato e sem escorregamento com o ch„o, gire com freq¸Íncia

de

2 Hz. Se o di‚metro da calota È de 32 cm e considerando =

2 Hz. Se o di‚metro da calota È de 32 cm e considerando =

3,

determine a velocidade de um ponto externo da calota.

b) Se antes de se desprender, a calota possui a mesma veloci- dade angular que a rod a e o pneu do carro, explique o motivo pelo qual o centro de massa da calota n„o desenvolve a mesma velocidade escalar de translaÁ„o que o carro. Insira em sua explicaÁ„o uma express„o matem·tica do movimento circular uniforme, relacionando o movimento da calota com o do pneu, destacando a influÍncia de seus termos para sua justificativa do movimento diferenciado dos centros de massa da calota e do carro.

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: A

Um automÛvel percorre, em trajetÛria retilÌnea, 22.803,25 m em 0,53 h. Qual È a velocidade mÈdia do automÛvel em km/h? *a) 43,025

b) 43,037

c) 43,250

d) 43,253

e) 43,370

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: D

Um automÛvel A passa por um posto com movimento progressi-

vo uniforme com velocidade de 54 km/h. ApÛs 10 minutos, um

outro automÛvel B, que est· parado, parte do mesmo posto com movimento progressivo uniforme com velocidade de 72 km/h . ApÛs quanto tempo depois da passagem do automÛvel A pelo posto, os dois se encontram?

a) 10 min

b) 20 min

c) 30 min

*d) 40 min

e) 50 min

2

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: D Um disparador de bolinhas est· disposto na vertical. Ao se acio- nar o disparador, uma bolinha È lanÁada e atinge a altura m·xima de 22,05m acima da saÌda do disparador. Qua l È a velocidade da bolinha ao sair do disparador? (adot e g = 10 m/s 2 )

a) 15 m/s

b) 19 m/s

c) 20 m/s

*d) 21 m/s

e) 22 m/s

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: C Um atirador dispara um revÛlver formando um ‚ngulo de 37 com

a horizontal, em uma regi„o plana, a uma altura d e 2 m do solo. O

projÈtil atinge o solo a 88,8 m do ponto de lanÁamento. Qual È a velocidade com que o projÈtil deixou o revÛlver?

Dados: cos 37 = 0,8 sen 37 = 0,6 g = 10 m/s 2

a) 10 m/s

b) 20 m/s

*c) 30 m/s

d) 40 m/s

e) 50 m/s

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: C

O gr·fico da velocidade de crescimento de um eucalipto clonado

È mostrado abaixo. ApÛs quanto tempo o eucalipto atingir· uma

altura de corte de 22 m?

a) 500 dias

b) 750 dias

*c) 1 000 dias

d) 1 200 dias

e) 1 500 dias

dias b) 750 dias *c) 1 000 dias d) 1 200 dias e) 1 500 dias

(UFRJ-2008) - RESPOSTA:

HeloÌsa, sentada na poltrona de um Ùnibus, afirma que o passa- geiro sentado ‡ sua frente n„o se move, ou seja, est· em repou- so. Ao mesmo tempo, Abelardo, sentado ‡ margem da rodovia, vÍ o Ùnibus passar e afirma que o referido passageiro est· em movimento.

e afirma que o referido passageiro est· em movimento. De acordo com os conceitos de movimento

De acordo com os conceitos de movimento e repouso usados em Mec‚nica, explique de que maneira devemos interpretar as afirmaÁıes de HeloÌsa e Abelardo para dizer que ambas est„o corretas.

GABARITO OFICIAL: Em Mec‚nica, o moviment o e o repouso de um corpo s„o definidos em relaÁ„o a algum referencial. Para dizer que tanto HeloÌsa quanto Abelardo est„o corretos, deve- mos interpretar a afirmaÁ„o de HeloÌsa como ìo passageiro n„o se move em relaÁ„o ao Ùnibusî , e a afirmaÁ„o de Abelardo como ìo passageiro est· em movimento em relaÁ„o ‡ Terra (ou ‡ rodo- via)î.

japizzirani@gmail.com

(UFF/RJ-2008) - ALTERNATIVA: E Em um dos seus projetos, o Grupo de Ensino do Instituto de FÌsi- ca da UFF desenvolve atividades que permitam a alunos com de- ficiÍncias visuais terem experiÍncias sensoriais diretas de fenÙ- menos fÌsicos. Numa dessas atividades, objetos pesados s„o presos a um barbante separados por dist‚ncias bem definidas. Inicialmente, o conjunto È mantido na vertical, segurando-se o objeto mais alto e mantendo-se o mais baixo no ch„o. Em segui- da, o conjunto È solto, permitindo que o aluno ouÁa os sons emi- tidos ao fim da queda de cada objeto. Dois destes arranjos, cha- mados I e II, s„o mostrados na figura abaixo. Em ambos os arran- jos as dist‚ncias entre os objeto s1e2e2e3 s„o, respectiva- mente, iguai s a d e 3d. No arranj o I a dist‚ncia entre os objetos 3 e 4 È 3d, enquanto no arranjo II a dist‚ncia entre eles È 5d. Escolha a alternativa que exibe corretamente a relaÁ„o entre os intervalos de tempo decorridos entre os sons emitidos pela che- gada ao ch„o dos objeto s 2 e 3 (T) e 3 e 4 (T í) nos 2 arranjos.

ch„o dos objeto s 2 e 3 (T) e 3 e 4 (T í) nos 2

arranjo I

arranjo II

a)

T < Tí

T = Tí

b)

T = Tí

T < Tí

c)

T = Tí

T > Tí

d)

T > Tí

T < Tí

*e)

T > Tí

T = Tí

(UFPR-2008) - ALTERNATIVA: NO FINAL

Em relaÁ„o aos conceitos de movimento, considere as seguintes afirmativas:

1. O movimento circular uniforme se d· com velocidade de mÛdulo

constante.

2. No movimento retilÌneo uniformemente variado, a aceleraÁ„o È

vari·vel.

3. Movimento retilÌneo uniformemente variado e movimento circu-

lar uniforme s„o dois exemplos de movimentos nos quais um ob-

jeto em movimento est· acelerado.

4. Movimento retilÌneo uniforme ocorre com velocidade constan-

te e aceleraÁ„o nula. Assinale a alternativa correta. -) Somente as afirmativas 1 , 2 e 3 s„o verdadeiras. -) Somente as afirmativas 1 , 2 e 4 s„o verdadeiras. -) Somente as afirmativas 1 , 3 e 4 s„o verdadeiras. -) Somente as afirmativas 3 e 4 s„o verdadeiras. -) Somente as afirmativas 2 e 4 s„o verdadeiras.

Resposta correta: Somente as afirmativas 1 , 3 e 4 s„o verdadei- ras.

3

(UFCG/PB-2008) - ALTERNATIVA: C

A figur a È o gr·fico construÌdo a partir do movimento de um auto-

mÛvel em uma estrada retilÌnea em relaÁ„o ao ch„o, considerado um referencial inercial.

v (m/s)

t (s)
t (s)

De acordo com as informaÁıes obtidas e considerando o melhor modelo para o movimento, pode-se afirmar, EXCETO, que

a) de 6,0 s a 18 s o movimento do automÛvel È uniformemente

acelerado.

b) entre 50s e 56s o automÛvel permaneceu em repouso.

*c) entre 20s e 35s o automÛvel permaneceu em repouso.

d)

entre 56s e 60s o automÛvel teve um movimento uniformemen-

te

acelerado, com aceleraÁ„o de mÛdulo aproximadamente igual

a

2,0 m/s 2 .

e)

entr e t = 20 s e t = 30 s o automÛvel percorreu uma dist‚ncia

de aproximadamente 1,6 10 2 m.

(UFPR-2008) - REPOSTA: NO FINAL Um experimento de cinem·tica, utilizado em laboratÛrios de FÌsi- ca, consiste de um longo trilho retilÌneo sobre o qual pode desli- zar um carrinho. Esse sistema È montado de tal forma que o atri- to entre o trilh o e o carrinho pode ser desprezado. Suponha que um estudante mediu para alguns instantes a posiÁ„o correspon- dente do carrinho, conforme anotado na tabela abaixo:

dente do carrinho, conforme anotado na tabela abaixo: Considere que nesse experimento o carrinho move-se com

Considere que nesse experimento o carrinho move-se com ace- leraÁ„o constante.

a) Deduza uma equaÁ„o para a aceleraÁ„o do carrinho em fun-

Á„o dos dados disponÌveis, apresentando-a na forma literal.

b) Calcule o valor da aceleraÁ„o utilizando a equaÁ„o deduzida

no item a e os dados medidos.

c) Calcule a posiÁ„o e a velocidade do carrinho no instante t = 0.

GABARITO OFICIAL:

a) Dados t 1 , t 2 , t 3 , x 1 , x 2 e x 3 temos pela equaÁ„o hor·ria do Movi-

mento RetilÌneo Uniformemente variado,

hor·ria do Movi- mento RetilÌneo Uniformemente variado, resolvendo esse sistema para a obtem-se: Para a

resolvendo esse sistema para a obtem-se:

variado, resolvendo esse sistema para a obtem-se: Para a obtenÁ„o da soluÁ„o acima foram utilizadas as

Para a obtenÁ„o da soluÁ„o acima foram utilizadas as equaÁıes (2)-(1) e (3)-(1). TambÈm pode ser utilizada outra combinaÁ„o das equaÁıes (1), (2) e (3).

japizzirani@gmail.com

b) Substituindo os dados da tabela na equaÁ„o obtida no item a

obtemos para a aceleraÁ„ o a = 5,0 cm/s 2 .

c) O valor da velocidade inicial e da posiÁ„o inicial podem ser ob-

tidos atravÈs do sistema acima e do valor da aceleraÁ„o obtido

no item a, encontrando-se os valores v 0 = -35 cm/s e x 0 = 192,5 cm .

(UNEMAT/MT-2008) - ALTERNATIVA: B Um Ùnibus escolar deve partir de uma determinada cidade con- duzindo estudantes para uma universidade localizada em outra cidade, no perÌodo noturno. Considere que o Ùnibus dever· che- gar ‡ universidade ‡s 19 horas, e a dist‚ncia entre essas cida- des È de 120 km, com previs„o de parada de 10 minutos num de-

terminado local situado a 70 km antes da cidade de destino. Se o Ùnibus desenvolver uma velocidade escalar mÈdia de 100km/h, qual deve ser o hor·rio de partida desse Ùnibus?

a) 18 horas.

*b) 17 horas e 48 minutos.

c) 18 horas e 10 minutos.

d) 17 horas e 58 minutos.

e) 17 horas e 38 minutos.

(UNIOESTE/PR-2008) -ALTERNATIVA: E Em 1913, o fÌsico dinamarquÍs Niels Bohr propÙs um modelo pa- ra a estrutura do ·tomo de hidrogÍnio, o qual foi chamado de Mo- delo de Bohr. De acordo com o Modelo de Bohr, num ·tomo de hi- drogÍnio, o elÈtron move-se sob a aÁ„o de uma forÁa de origem

elÈtrica, descrita pela lei de Coulomb, a qual equaciona a atraÁ„o que o n˙cleo do ·tomo exerce sobre o elÈtron. Com relaÁ„o ao Modelo de Bohr, assinale a alternativa correta.

a) O movimento do elÈtron do ·tomo em torno do n˙cleo È carac-

terizado por um vetor velocidade constante.

b) A forÁa coulombiana que age sobre o elÈtron atua como forÁa

centrÌpeta, em reaÁ„o ‡ forÁa centrÌfuga que o elÈtron exerce sobre o n˙cleo.

c) Como o elÈtron est· em equilÌbrio, seu vetor de velocidade È

constante.

d) A energia total de cada elÈtron pode ser expressa como a so-

ma de uma energia cinÈtica e uma energia potencial nuclear. *e) Num ·tomo de hidrogÍnio, o elÈtron descreve uma Ûrbita circular de raio 5,0 10 -11 m, a uma velocidade igual a 2,0 10 6 m/s. Neste caso, o elÈtron est· sujeito a uma aceleraÁ„o radial

igual a 8,0 10 19 km/s 2 .

(UECE/CE-2008) -ALTERNATIVA: D Uma partÌcula puntiforme tem, em certo instante t, a velocidade, em m/s, dada por v 0 = 1,0 i - 2,0 j + 5,0 k. Dois segundos depois, sua velocidade, em m/s, È dada por v 2 = 4,0 i - 2,0 j + 1,0 k. No intervalo de tempo considerado, o mÛdulo da aceleraÁ„o mÈdia, em m/s 2 , È:

a) 25,0

b) 5,0

c) 1,0

*d) 2,5

(UECE/CE-2008) -ALTERNATIVA: C Uma roda de raio R, dado em metros, tem uma aceleraÁ„o angu- lar constante de 3,0 rad/s 2 . Supondo que a roda parta do repou- so, assinale a alternativa que contÈm o valor aproximado do mÛ-

dulo da aceleraÁ„o linear total, em m/s 2 , de um ponto na sua peri- feria, depois de 1 segundo da partida.

a) 3,6R

b) 6,0R

*c) 9,5R

d) 8,0R

4

(FUVEST-2008) - ALTERNATIVA: A Dirigindo-se a uma cidade prÛxima, por uma auto-estrada plana, um motorista estima seu tempo de viagem, considerando que consiga manter uma velocidade mÈdia de 90 km/h. Ao ser sur- preendido pela chuva, decide reduzir sua velocidade mÈdia para 60 km/h, permanecendo assim atÈ a chuva parar, quinze minutos mais tarde, quando retoma sua velocidade mÈdia inicial. Essa reduÁ„o tempor·ria aumenta seu tempo de viagem, com relaÁ„o ‡ estimativa inicial, em *a) 5 minutos. b) 7,5 minutos.

c)

10 minutos.

d) 15 minutos.

e)

30 minutos.

(FUVEST-2008) - ALTERANTIVA: D

e) 30 minutos. (FUVEST-2008) - ALTERANTIVA: D Uma regra pr·tica para orientaÁ„o no hemisfÈrio Sul, em

Uma regra pr·tica para orientaÁ„o no hemisfÈrio Sul, em uma

noite estrelada, consiste em identificar a constelaÁ„o do Cruzei- ro do Sul e prolongar trÍs vezes e meia o braÁo maior da cruz, obtendo-se assim o chamado PÛlo Sul Celeste, que indica a dire- Á„o Sul. Suponha que, em determinada hora da noite, a conste- laÁ„o seja observada na PosiÁ„o I. Nessa mesma noite, a cons- telaÁ„o foi/ser· observada na PosiÁ„o II, cerca de

a) duas horas antes.

b) duas horas depois.

c) quatro horas antes.

*d) quatro horas depois.

e) seis horas depois.

(UTFPR-2008) - ALTERNATIVA: C

O vencedor da maratona de Curitiba de 2005 completou a prova em 2 horas e 20 minutos. Considerando que a dist‚ncia desta corrida È de 42 km, pode-se afirmar que:

a) a velocidade mÈdia do vencedor foi de aproximadamente 25

km/h.

b) a aceleraÁ„o mÈdia do vencedor foi aproximadamente 9,8 m/

s 2 .

*c) a cada 3 minutos, o vencedor percorreu, em mÈdia, 900 m.

d) n„o È possÌvel calcular uma velocidade mÈdia neste caso.

e) a velocidade do vencedor foi constante durante a corrida.

(UTFPR-2008) - ALTERNATIVA: D Quando o sinal abre, um carro parado inicia um movimento unifor- memente acelerado, sendo, neste mesmo instante, ultrapassado por um caminh„o que se move com velocidade constante v 0 . A velocidade do carro, no momento que alcanÁa o caminh„o, È:

(Desconsidere os comprimentos dos veÌculos).

a) 1,1.v

b) 1,2.v

c) 1,5.v

*d) 2,0.v 0

e)

0

0

0

2,5.v 0

japizzirani@gmail.com

(UTFPR-2008) - ALTERNATIVA: A No interior de uma nuvem de tempestade geram-se rel‚mpagos. Suponha que alguÈm resolva observar este fenÙmeno e medir os instantes em que eles s„o vistos e os momentos em que s„o ouvidos os seus estrondos caracterÌsticos. O cronÙmetro È zera- do, no momento que foi avistado o primeiro rel‚mpago, e quando o som do primeiro trov„o chega ao seu ouvido, o cronÙmetro in- dica 6 segundos. O cronÙmetro continua acionado e quando È avistado o segundo rel‚mpago ele indica 40 segundos; quando o som do seu respectivo estrondo chega ao seu ouvido, o cronÙ- metro indica 44 segundos. Calcule a velocidade de aproximaÁ„o da nuvem supondo que a velocidade do som seja constante e igual a 340 m/s.

que a velocidade do som seja constante e igual a 340 m/s. *a) 17 m/s. b)

*a) 17 m/s.

b) 15 m/s.

c) 19 m/s.

d) 7m/s.

e) 10 m/s.

(UTFPR-2008) - ALTERNATIVA: C

Um astronauta em Ûrbita da Terra flutua dentro da espaÁonave, como podemos ver nas imagens transmitidas pela televis„o. Com relaÁ„o a este fato, podemos afirmar que:

a) a forÁa da gravidade È nula devido ‡ grande dist‚ncia que a

espaÁonave se encontra da Terra.

b) h· um equilÌbrio entre a forÁa gravitaciona l e a forÁa centrÌfu-

ga que proporciona uma aceleraÁ„o nula.

*c) tanto a espaÁonave como o astronauta est„o sujeitos ‡ forÁa

gravitacional e ambos possuem a mesma aceleraÁ„o em direÁ„o

ao centro da Terra, provocando a ilus„o de ausÍncia de peso.

d) a forÁa centrÌpeta È igual ‡ forÁa centrÌfuga, o que provoca

uma resultante de forÁas nula.

e) a forÁa de atraÁ„o gravitacional da Terra È igual a da Lua, pro-

vocando uma aceleraÁ„o resultante nula.

(UFCE-2008) - ALTERNATIVA: A Um trem, apÛs parar em uma estaÁ„o, sofre uma aceleraÁ„o, de acordo com o gr·fico da figura ao lado, atÈ parar novamente na prÛxima estaÁ„o. Assinale a alternativa que apresenta os valo- res corretos de t f , o tempo de viagem entre as duas estaÁıes, e da dist‚ncia entre as estaÁıes.

as duas estaÁıes, e da dist‚ncia entre as estaÁıes. *a) 80s, 1600m b) 65s, 1600m c)

*a) 80s, 1600m

b) 65s, 1600m

c) 80s, 1500m

d) 65s, 1500m

e) 90s, 1500m

5

(FGVSP-2008) - ALTERNATIVA: D - RESOLU« O NO FINAL Sobre o teto da cabine do elevador, um engenhoso dispositivo coordena a abertura das folhas da porta de aÁo. No topo, a polia engatada ao motor gira uma polia grande por intermÈdio de uma correia. Fixa ao mesmo eixo da polia grande, uma engrenagem movimenta a corrente esticada que se mantÈm assim devido a existÍncia de outra engrenagem de igual di‚metro, fixa na extre- midade oposta da cabine. As folhas da porta, movimentando-se com velocidade constan- te, devem demora r 5 s para sua abertura completa fazendo com que o v„o de entrada na cabine do elevador seja de 1,2 m de largura.

de entrada na cabine do elevador seja de 1,2 m de largura. Dados : di‚metro das

Dados :

di‚metro das engrenagens

6 cm

di‚metro da polia menor

6 cm

di‚metro da polia maior

36 cm

3

3

Nessas condiÁıes, admitindo insignificante o tempo de acelera- Á„o do mecanismo, a freq¸Íncia de rotaÁ„o do eixo do motor de- ve ser, em Hz, de

a) 1.

b) 2.

c) 3.

*d) 4.

e) 6.

RESOLU« O:ALTERNATIVAD Velocidade de abertura de uma das l‚minas da porta:

Velocidade de abertura de uma das l‚minas da porta: C·lculo da freq¸Íncia da engrenagem: A freq¸Íncia

C·lculo da freq¸Íncia da engrenagem:

l‚minas da porta: C·lculo da freq¸Íncia da engrenagem: A freq¸Íncia da engrenagem È a mesma da

A freq¸Íncia da engrenagem È a mesma da polia maior, assim,

freq¸Íncia da engrenagem È a mesma da polia maior, assim, Relacionando a polia maior com a

Relacionando a polia maior com a menor,

polia maior, assim, Relacionando a polia maior com a menor, japizzirani@gmail.com (FGVSP-2008) - ALTERANTIVA: B -

japizzirani@gmail.com

(FGVSP-2008) - ALTERANTIVA: B - RESOLU« O NO FINAL

O engavetamento È um tipo comum de acidente que ocorre quan-

do motoristas deliberadamente mantÍm uma curta dist‚ncia do carro que se encontra ‡ sua frente e este ˙ltimo repenti namente diminui sua velocidade. Em um trecho retilÌneo de uma estrada, um automÛve l e o caminh„o, que o segue, trafegam no mesmo sentido e na mesma faixa de tr‚nsito, desenvolvendo, ambos, velocidade de 108 km/h. Num dado momento, os motoristas vÍem um cavalo entrando na pista. Assustados, pisam simultaneamen-

te nos freios de seus veÌculos aplicando, respectivamente, acele-

raÁıes de intensidades 3 m/s 2 e 2 m/s 2 . Supondo desaceleraÁıes

constantes, a dist‚ncia inicial mÌnima de separaÁ„o entre o p·ra- choque do carro (traseiro ) e o do caminh„o (dianteiro), suficien-

te para que os veÌculos parem, sem que ocorra uma colis„o, È,

em m, de

a) 50.

*b) 75.

c) 100.

d) 125.

e) 150.

RESOSU« O FGVSP-2008: ALTERNATIVAB

Velocidade dos veÌculos em m/s:

O FGVSP-2008: ALTERNATIVAB Velocidade dos veÌculos em m/s: Deslocamento do carro: Deslocamento do caminh„o: Menor

Deslocamento do carro:

Velocidade dos veÌculos em m/s: Deslocamento do carro: Deslocamento do caminh„o: Menor dist‚ncia segura entre

Deslocamento do caminh„o:

em m/s: Deslocamento do carro: Deslocamento do caminh„o: Menor dist‚ncia segura entre os veÌculos: (UEPG/PR-2008)

Menor dist‚ncia segura entre os veÌculos:

do caminh„o: Menor dist‚ncia segura entre os veÌculos: (UEPG/PR-2008) - RESPOSTA OFICIAL: SOMA = 11 (01+02+08)

(UEPG/PR-2008) - RESPOSTA OFICIAL: SOMA = 11 (01+02+08)

A respeito dos conceitos de velocidade mÈdia, velocidade cons-

tante e velocidade instant‚nea, assinale o que for correto.

01) No movimento variado, a mÈdia das velocidades È obtida pela raz„o entre a soma das n velocidades instant‚neas pelo n˙- mero delas.

02) No movimento variado, a velocidade instant‚nea varia e, com exceÁ„o de um ponto, ela È sempre diferente da velocidade mÈ- dia.

04) No movimento variado, a velocidade mÈdia È menor que a velocidade instant‚nea.

08) No movimento uniforme, a velocidade È constante e numeri- camente igual ‡ velocidade mÈdia.

6

(MACK-2008) - O texto seguinte se refere ‡s questıes 54 e 55. Na ilustraÁ„o abaixo, A e B s„o pontos de uma mesma reta tan- gente ‡ circunferÍncia no ponto B, assim com o C e D s„o pontos de uma outra reta tangente ‡ mesma circunferÍncia no ponto C. Os segmentos BC e AD s„o paralelos entre si e a medida do ‚ngulo È 1,30 rad.

s„o paralelos entre si e a medida do ‚ngulo È 1,30 rad. DADOS: Raio da circunferÍncia

DADOS:

Raio da circunferÍncia = R med AB = med = CD = 2R sen 0,65 rad = 0,6 cos 0,65 rad = 0,8 sen 1,30 rad = 0,964 cos 1,30 rad = 0,267

cos 0,65 rad = 0,8 sen 1,30 rad = 0,964 cos 1,30 rad = 0,267 54.

54. ALTERNATIVA: B

Dois pequenos corpos passam, simultaneamente, pelo ponto A e dirigem-se ambos para o ponto D. Sabe-se que um deles descre- ve a trajetÛria ABCD, com velocidade escalar constante v 1 , e que o outro segue a trajetÛria AD, com velocidade escalar cons-

tante v 2 . Se ambos chegam juntos ao ponto D, podemos afirmar que a relaÁ„o entre essas velocidades È

a) v 1 / v 2 = 1

*b) v 1 / v 2 = 53/44

c) v 1 / v 2 =

3/2

d) v 1 / v 2 =

5/3

e)

v 1 / v 2 = 22/9

55.

ALTERNATIVA: E

Considerando que a massa do corp o 1 È m, enquanto ele estiver descrevendo o arco BC da circunferÍncia ilustrada, a forÁa cen- trÌpeta que nele atua tem intensidade

a) F C = mv 1 2 /2

b) F C = m 2 v 1 /R

c) F C = mv 1 /2

d) F C = 2.mv 1

*e) F C = mv 1 2 /R

2

(MACK-2008) - ALTERNATIVA: B Duas cidades, A e B, s„o interligadas por uma estrada com 50 km de comprimento. Em certo instante, um automÛvel parte do repou- so, da cidade A rumo ‡ cidade B, com aceleraÁ„o escalar cons- tante de 1,0m/s 2 , durante 20 s. ApÛs esse tempo, sua velocidade escalar permanece constante. No instante em que esse automÛ- vel parte da cidade A, um outro automÛvel passa pela cidade B, dirigindo-se ‡ cidade A, com velocidade escalar constante de

108 km/h. A dist‚ncia, relativa ‡ cidade A, medida ao longo da es- trada, em que ocorre o encontro desses dois automÛveis, È

a) 20,12 km

*b) 19,88 km

c) 19,64 km

d) 19,40 km

e) 19,16 km

japizzirani@gmail.com

(UNESP-2008) - ALTERNATIVA: D Os movimentos de dois veÌculos , I e II, est„o registrados nos gr·- ficos da figura.

, I e II, est„o registrados nos gr·- ficos da figura. Sendo os movimentos retilÌneos, a

Sendo os movimentos retilÌneos, a velocidade do veÌculo II no ins- tante em que alcanÁa I È

a) 15 m/s.

b) 20 m/s.

c) 25 m/s.

*d) 30 m/s.

e) 35 m/s.

(UNESP-2008) - ALTERNATIVA: D Em um aparelho simulador de queda livre de um parque de diver- sıes, uma pessoa devidamente acomodada e presa a uma pol- trona È abandonada a partir do repouso de uma altura h acima do solo. Inicia-se ent„o um movimento de queda livre vertical, com todos os cuidados necess·rios para a m·xima seguranÁa da pessoa. S egÈa aceleraÁ„o da gravidade, a altura mÌnima a par- tir da qual deve-se iniciar o processo de frenagem da pessoa, com desaceleraÁ„o constante 3g, atÈ o repouso no solo È

a) h/8.

b) h/6.

c) h/5.

*d) h/4.

e) h/2.

(UNESP-2008) - RESPOSTA: = 30 rad/s Pesquisadores tÍm observado que a capacidade de fertilizaÁ„o dos espermatozÛides È reduzida quando estas cÈlulas repro- dutoras s„o submetidas a situaÁıes de intenso campo gravi- tacional, que podem ser simuladas usando centrÌfugas. Em ge- ral, uma centrÌfuga faz girar diversos tubos de ensaio ao mesmo tempo; a figura representa uma centrÌfuga em alta rotaÁ„o, vista de cima, com quatro tubos de ensaio praticamente no plano ho- rizontal.

quatro tubos de ensaio praticamente no plano ho- rizontal. As amostras s„o acomodadas no fundo de
quatro tubos de ensaio praticamente no plano ho- rizontal. As amostras s„o acomodadas no fundo de

As amostras s„o acomodadas no fundo de cada um dos tubos de ensai o e a dist‚ncia do eixo da centrÌfuga atÈ os extremos dos tubos em rotaÁ„o È 9,0 cm. Considerand o g = 10 m/s 2 , cal- cule a velocidade angular da centrÌfuga para gerar o efeito de uma aceleraÁ„o gravitacional de 8,1 g.

7

(UNIFESP-2008) - ALTERNATIVA: D

A funÁ„o da velocidade em relaÁ„o ao tempo de um ponto mate-

rial em trajetÛria retilÌnea, no SI, È v = 5,0 ñ 2,0 t. Por meio dela po- de-se afirmar que, no instant e t = 4,0 s, a velocidade desse pon-

to material tem mÛdulo

a) 13 m/s e o mesmo sentido da velocidade inicial.

b) 3,0 m/s e o mesmo sentido da velocidade inicial.

c) zero, pois o ponto material j· parou e n„o se movimenta mais.

*d) 3,0 m/s e sentido oposto ao da velocidade inicial.

e) 13 m/s e sentido oposto ao da velocidade inicial.

(UFSCar-2008) - ALTERNATIVA: A Os dois registros fotogr·ficos apresentados foram obtidos com uma m·quina fotogr·fica de repetiÁ„o montada sobre um tripÈ, capaz de disparar o obturador, tracionar o rolo de filme para uma nova exposiÁ„o e disparar novamente, em intervalos de tempo de 1 s entre uma fotografia e outra.

em intervalos de tempo de 1 s entre uma fotografia e outra. ver slide: UFSCar -

ver slide:

UFSCar - 2008 - Q.11

A placa do ponto de Ùnibu s e o hidrante est„o distante s 3 m um

do outro. Analise as afirmaÁıes seguintes, sobre o movimento realizado pelo Ùnibus:

I. O deslocamento foi de 3 m.

II. O movimento foi acelerado.

III. A velocidade mÈdia foi de 3 m/s.

IV. A dist‚ncia efetivamente percorrida foi de 3 m.

Com base somente nas informaÁıes dadas, È possÌvel assegu- rar o contido em *a) I e III, apenas.

b) I e IV, apenas.

c) II e IV, apenas.

d) I, II e III, apenas.

e) II, III e IV, apenas.

(PUCPR-2008) - ALTERNATIVA: B (GABARITO OFICIAL)

A velocidade mÈdia de um automÛvel È nula num certo intervalo

de tempo. Nesse intervalo de tempo:

I. A dist‚ncia percorrida pelo automÛvel È necessariamente nula.

II. O deslocamento do automÛvel È necessariamente nulo.

III. No caso de um movimento unidimensional, a posiÁ„o do auto-

mÛvel troca de sinal, necessariamente.

IV. No caso de um movimento unidimensional, a aceleraÁ„o do

automÛvel troca de sinal, necessariamente.

Analise as afirmaÁıes acima e marque a alternativa que contÈm todas e apenas as afirmaÁıes corretas.

a) Apenas II e III.

*b) Apenas II.

c) Apenas I e II.

d) Apenas I.

e) II, III e IV.

japizzirani@gmail.com

(UFSCar-2008) - RESPOSTA:

a) f = 1/30 0,033 Hz

Diante da maravilhosa vis„o, aquele c„ozinho observava aten- tamente o balÈ galin·ceo. Na m·quina, um motor de rotaÁ„o cons- tante gira uma rosca sem fim (grande parafuso sem cabeÁa), que por sua vez se conecta a engrenagens fixas nos espetos, resultando assim o giro coletivo de todos os franguinhos.

b)

resultando assim o giro coletivo de todos os franguinhos. b) m o t o r /

motor / espeto = 4

b) m o t o r / e s p e t o = 4 ver

ver slide:

UFSCar - 2008 - Q.36

e s p e t o = 4 ver slide: UFSCar - 2008 - Q.36 a)

a) Sabendo que cada frango d· uma volta completa a cada meio

minuto, determine a freq¸Íncia de rotaÁ„o de um espeto, em Hz.

b) A engrenagem fixa ao espet o e a rosca sem fim ligada ao mo-

tor tÍm di‚metros respectivamente iguai s a 8 cm e 2 cm. Determi-

ne a relaÁ„o entre a velocidade angular do moto r e a velocidade angular do espeto ( motor/ espeto ).

do espeto ( m o t o r / e s p e t o ).
do espeto ( m o t o r / e s p e t o ).

(UEPG/PR-2008) - RESPOSTA: SOMA = 14 (02+04+08) Um projÈtil È lanÁado, no v·cuo, com velocidade inicial V 0 , for- mando um ‚ngulo 0 acima da horizontal. Sobre este evento, assinale o que for correto. 01) Os movimentos nas direÁıes horizontal e vertical s„o simul- t‚neos e dependentes um do outro. 02) Em qualquer instante do movimento, a velocidade do projÈtil È sempre tangente ‡ sua trajetÛria e sua intensidade È dada por v

=

04) A trajetÛria descrita pelo projÈtil È parabÛlica. 08) O alcance horizontal do projÈtil depende de V 0 e 0 . 16) No instante em que o projÈtil atinge a altura m·xima, sua velocidade È dada por V = 0. (OBS.: V negrito È vetor)

velocidade È dada por V = 0. (OBS.: V negrito È vetor) v x 2 +
v x 2 + v y 2 .
v x 2 + v y 2 .
por V = 0. (OBS.: V negrito È vetor) v x 2 + v y 2

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: B

Sobre o movimento circular e uniforme, È correto afirmar que

a) o deslocamento vetorial È igual ao deslocamento escalar.

*b) o vetor velocidade de um mÛvel varia durante o movimento.

c) a velocidade linear È constante, mas a angular n„o.

d) a velocidade linear È sempre igual ‡ velocidade angular.

e) a aceleraÁ„o tangencial È igual ‡ aceleraÁ„o centrÌpeta.

8

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: B Uma pessoa atira um corpo verticalmente para cima, com veloci- dade V, atingindo altura m·xima H. Desprezando-se as forÁas

dissipativas, pode-se afirmar que, durante a subida, o movimen-

to È

a) uniformemente retardado, com aceleraÁ„o nula no ponto mais

alto.

*b) uniformemente retardado, com velocidade nula no ponto mais

alto.

c) uniforme, com tempo de subida igual ao tempo de descida.

d) uniformemente acelerado, com tempo de subida maior que o

de descida.

e) uniformemente acelerado, com aceleraÁ„o nula no ponto mais

alto.

(PUCRS-2008) - ALTERNATIVA: D INSTRU« O: Responder ‡ quest„o abaixo com base no gr·fico

a

seguir, o qual representa as posiÁıes ocupadas por um veÌcu-

lo

em funÁ„o do tempo.

ocupadas por um veÌcu- lo em funÁ„o do tempo. Um veÌculo passa pela cidade A, localizada

Um veÌculo passa pela cidade A, localizada no quilÙmetro 100, ‡s 10h, e segue rumo ‡ cidade C (localizada no quilÙmetro 500) passando pela cidade B (localizada no quilÙmetro 300). Nessas circunst‚ncias, È correto afirmar que o veÌculo passa pela cidade B ‡s

a) 2,5h

*d) 12,5h

b) 3,0h

e) 13,0h

c)

11,5h

(UEM/PR-2008) - ALTERNATIVA: E Quanto tempo um mÛvel viajando com uma velocidade constante de 15 km/h levar· para percorrer um trajeto, em linha reta, cor- respondent e a 3 cm, em uma carta topogr·fica cuja escala È

1:100.000?

d) 30 minutos

a) 15 minutos

*e) 12 minutos

b) 45 minutos

c) 10 minutos

(UEM/PR-2008) - ALTERNATIVA: B

O gr·fico da figura abaixo descreve a posiÁ„o S , em metros, em

funÁ„o do tempo t, em segundos, de um objeto que realiza um Movimento RetilÌneo Uniforme em cada trecho.

que realiza um Movimento RetilÌneo Uniforme em cada trecho. Com base nesses dados, È correto afirmar

Com base nesses dados, È correto afirmar que

a) a aceleraÁ„o do objeto no intervalo d e 0 s a 1 s È 1 m/s 2 .

*b) a velocidade mÈdia do objeto no intervalo d e 0 s a 4 s È de 0,5

m/s.

c)

a aceleraÁ„o do objeto È decrescente no intervalo d e4sa6

s.

d)

a velocidade mÈdia do objeto no intervalo d e 0 s a 6 s È de 1 m/

s.

e)

a maior velocidade do objeto ocorre no intervalo d e 2 s a 4 s.

japizzirani@gmail.com

(UFERJ-2008) -ALTERNATIVA: D Um estudante lanÁa, verticalmente para cima, um pequeno cor- po, num local em que se pode desprezar a resistÍncia do ar. O objeto È lanÁado da altura de seu ombro. Fazendo a an·lise gr·fica do movimento do corpo, o aluno desenha os gr·ficos a seguir:

movimento do corpo, o aluno desenha os gr·ficos a seguir: Sobre os gr·ficos s„o feitas as
movimento do corpo, o aluno desenha os gr·ficos a seguir: Sobre os gr·ficos s„o feitas as

Sobre os gr·ficos s„o feitas as seguintes afirmativas:

I- O gr·fico I pode representar como varia a posiÁ„o do objeto

lanÁado em funÁ„o do tempo. II- O gr·fico II pode representar como varia a posiÁ„o do objeto lanÁado em funÁ„o do tempo.

III- O gr·fico III pode representar a velocidade do objeto lanÁado durante sua descida. IV- O gr·fico IV pode representar a aceleraÁ„o do objeto lanÁa- do em funÁ„o do tempo. V- O gr·fico III pode representar a aceleraÁ„o do objeto lanÁado em funÁ„o do tempo. Sobre as afirmaÁıes feitas, podemos dizer que s„o corretas:

a) I, III e V, apenas.

b) I e IV, apenas.

c) II e IV, apenas.

*d) I, II e IV, apenas.

e) II e V, apenas.

(UFMG-2008) - RESPOSTA: FAZER Um astronauta, de pÈ sobre a superfÌcie da Lua, arremessa uma pedra, horizontalmente, a partir de uma altura de 1,25 m, e veri- fica que ela atinge o solo a uma dist‚ncia de 15 m. Considere que

o raio da Lua È de 1,6 10 6 m e que a aceleraÁ„o da gravidade na sua superfÌcie vale 1,6 m/s 2 . Com base nessas informaÁıes, 1. CALCULE o mÛdulo da velocidade com que o astronauta arremessou a pedra. 2. CALCULE o mÛdulo da velocidade com que, nas mesmas condiÁıes e do mesmo lugar, uma pedra deve ser lanÁada, tam- bÈm horizontalmente, para que, apÛs algum tempo, ela passe novamente pelo local de lanÁamento.

(UEL-2008) - ALTERNATIVA: C Com relaÁ„o a um corpo em movimento circular uniforme e sem atrito, considere as afirmativas seguintes:

I. O vetor velocidade linear È constante.

II. A aceleraÁ„o centrÌpeta È nula.

III. O mÛdulo do vetor velocidade È constante. IV. A forÁa atua sempre perpendicularmente ao deslocamento.

Assinale a alternativa que contÈm todas as afirmativas corretas.

a) I e IV.

b) II e III.

*c) III e IV.

d) I, II e III.

e) I, II e IV.

9

(UERJ-2008) - ALTERNATIVA: A Uma bicicleta de marchas tem trÍs engrenagens na coroa, que

giram com o pedal, e seis engrenagens no pinh„o, que giram com

roda traseira. Observe a bicicleta abaixo e as tabelas que apresentam os n˙meros de dentes de cada engrenagem, todos de igual tamanho.

a

ver slide:

UERJ - 2008 - Q.22

todos de igual tamanho. a ver slide: UERJ - 2008 - Q.22 Cada marcha È uma
todos de igual tamanho. a ver slide: UERJ - 2008 - Q.22 Cada marcha È uma

Cada marcha È uma ligaÁ„o, feita pela corrente, entre uma en- grenagem da coroa e uma do pinh„o. Suponha que uma das marchas foi selecionada para a bicicleta atingir a maior velocidade possÌvel. Nessa marcha, a velocidade angular da roda traseira È R e a da coroa È C .

A raz„o

*a) 7/2

b) 9/8

c) 27/14

d) 49/24

coroa È C . A raz„o *a) 7/2 b) 9/8 c) 27/14 d) 49/24 R /
coroa È C . A raz„o *a) 7/2 b) 9/8 c) 27/14 d) 49/24 R /
coroa È C . A raz„o *a) 7/2 b) 9/8 c) 27/14 d) 49/24 R /

R / C equivale a:

*a) 7/2 b) 9/8 c) 27/14 d) 49/24 R / C equivale a: (UERJ-2008) - ALTERNATIVA:

(UERJ-2008) - ALTERNATIVA: B Duas partÌculas, X e Y, em movimento retilÌneo uniforme, tÍm ve- locidades respectivamente iguais a 0,2 km/s e 0,1 km/s. Em um certo instante t 1 , X est· na posiÁ„o A e Y na posiÁ„o B, sendo a dist‚ncia entre ambas de 10 km. As direÁıes e os sentidos dos movimentos das partÌculas s„o indicados pelos segmentos ori- entados AB e BC, e o ‚ngulo ABC mede 60 , conforme o esque- ma. Sabendo-se que a dist‚ncia mÌnima entr e X e Y vai ocorrer

em um instante t 2 , o valor inteiro mais prÛximo de t 2 - t 1 , em segundos, equivale a:

a) 24

*b) 36

c) 50

d) 72

t 1 , em segundos, equivale a: a) 24 *b) 36 c) 50 d) 72 japizzirani@gmail.com

japizzirani@gmail.com

(UERJ-2008) - ALTERNATIVA: D Um feixe de raios paralelos de luz È interrompido pelo movimento das trÍs p·s de um ventilador. Essa interrupÁ„o gera uma sÈrie de pulsos luminosos. Admita que as p·s e as aberturas entre elas tenham a forma de trapÈzios circulares de mesma ·rea, como ilustrado abaixo.

trapÈzios circulares de mesma ·rea, como ilustrado abaixo. Se as p·s executam 3 voltas completas por

Se as p·s executam 3 voltas completas por segundo, o intervalo de tempo entre o inÌci o e o fim de cada pulso de luz È igual, em segundos, ao inverso de:

a) 3

b) 6

c) 12

*d) 18

(UERJ-2008) - ALTERNATIVA: 42 - C e 43 - B Utilize as informaÁıes a seguir para responder as questıes de n˙meros 42 e 43. Em um jogo de voleibol, denomina-se tempo de vÙo o intervalo de tempo durante o qual um atleta que salta para cortar uma bola est· com ambos os pÈs fora do ch„o, como ilustra a fotografia. ver slide:

UERJ - 2008 - Q.42

como ilustra a fotografia. ver slide: UERJ - 2008 - Q.42 Considere um atleta que consegue

Considere um atleta que consegue elevar o seu centro de gravi- dade a 0,45 m do ch„o e a aceleraÁ„o da gravidade igual a 10m/

s 2 .

42. O tempo de vÙo desse atleta, em segundos, corresponde

aproximadamente a:

a) 0,1

b) 0,3

*c) 0,6

d) 0,9

43. A velocidade inicial do centro de gravidade desse atleta ao

saltar, em metros por segundo, foi da ordem de:

a) 1

*b) 3

c) 6

d) 9

10

(UNICAMP-2008) - RESPOSTA: a) 240 km/h b) 60 m/h Uma possÌvel soluÁ„o para a crise do tr·fego aÈreo no Brasil en- volve o emprego de um sistema de trens de alta velocidade co- nectando grandes cidades. H· um projeto de uma ferrovia de 400 km de extens„o que interligar· as cidades de S„o Paulo e Rio de Janeiro por trens que podem atingir atÈ 300 km/h.

a) Para ser competitiva com o transporte aÈreo, estima-se que a

viagem de trem entre essas duas cidades deve durar, no m·xi- mo, 1 hora e 40 minutos. Qua l È a velocidade mÈdia de um trem que faz o percurso de 400 km nesse tempo?

b) Considere um trem viajando em linha retacom velocidade cons-

tante. A uma dist‚ncia de 30 km do final do percurso, o trem inicia

uma desaceleraÁ„o uniforme de 0,06 m/s 2 , para chegar com ve- locidade nula a seu destino. Calcule a velocidade do trem no inÌcio da desaceleraÁ„o.

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: E Dois veÌculos, A e B, partem simultaneamente do repouso de um mesmo ponto e suas velocidades escalares variam com o tempo de acordo com o gr·fico a seguir

variam com o tempo de acordo com o gr·fico a seguir Durante os primeiros 20 s,

Durante os primeiros 20 s, o corpo A mantÈm uma aceleraÁ„o es- calar constante, maior que a de B tambÈm constante e, ao final desse perÌodo, est· 60 m ‡ frente de B. A partir de t = 20 s, pas- sam a manter aceleraÁ„o escalar de mesma intensidade. O valor dessa aceleraÁ„o escalar comum a A eaBap artir d e t = 20 s È, em m/s 2 , igual a

a) 5,0.

b) 4,0.

c) 2,0.

d) 0,5.

*e) 0,2.

(VUNESP-2008) - RESPOSTA: FAZER Jo„o, brincando com seu amigo skatista Paulo, lanÁa para ele uma bola com velocidade inicial V 0 = 10 m/s, numa direÁ„o que faz um ‚ngulo com a horizontal. Como Jo„o exagerou na forÁa,

a bola passa bem acima de Paulo, que n„o consegue peg·-la.

Quando a bola passa exatamente sobre a cabeÁa de Paulo, no ponto mais alto de sua trajetÛria, ele parte com seu skate com

velocidade V P , constante, com o objetivo de peg·-la na mesma altura de que partiu da m„o de Jo„o.

peg·-la na mesma altura de que partiu da m„o de Jo„o. Considerando desprezÌvel a resistÍncia do
peg·-la na mesma altura de que partiu da m„o de Jo„o. Considerando desprezÌvel a resistÍncia do

Considerando desprezÌvel a resistÍncia do ar, sen = 0,96, cos

= 0,30 e g = 10 m/s 2 , determine:

a) qual deve ser a velocidade de Paulo, para que consiga seu

objetivo?

b) qual a dist‚ncia d, que separa Jo„o de Paulo, no momento em

que a bola È lanÁada?

Jo„o de Paulo, no momento em que a bola È lanÁada? japizzirani@gmail.com (UFU/UFLA-2008) - ALTERNATIVA: A
Jo„o de Paulo, no momento em que a bola È lanÁada? japizzirani@gmail.com (UFU/UFLA-2008) - ALTERNATIVA: A

japizzirani@gmail.com

(UFU/UFLA-2008) - ALTERNATIVA: A As andorinhas saem do hemisfÈrio norte no inverno e voam para o hemisfÈrio sul em busca de ·reas mais quentes. Duas andorinhas A 1 e A 2 s„o capturadas no hemisfÈrio norte a caminho do hemisfÈrio sul. Em suas pernas s„o colocados trans- missores e, ent„o, essas aves s„o soltas. Passados 40 dias, a andorinha A 1 È capturada na £frica, a 12.000 Km da posiÁ„o

original. Vinte dias apÛs essa captura, a andorinha A 2 chega ‡ Austr·lia, tendo percorrido 18.000 Km a partir da posiÁ„o origi- nal. Com base nessas informaÁıes, pode-se afirmar que as velocidades mÈdias das andorinhas A 1 e A 2 s„o respectivamen- te

*a)

v 1 = 25/2 km/h e v 2 = 25/2 km/h.

b)

v 1 = 25/4 km/h e v 2 = 25/3 km/h.

c)

v 1 = 25/6 km/h e v 2 = 25/3 km/h.

d)

v 1 = 25/3 km/h e v 2 = 25/6 km/h.

(UFU/UFLA-2008) - ALTERNATIVA: B Um p·ssaro est· em repouso sobre uma ·rvore e avista uma mosca 6 metros abaixo. Esse inseto possui velocidade horizon- tal constante de 1 m/s, como ilustra a figura a seguir. O p·ssaro parte em linha reta, com uma aceleraÁ„o constante, e captura a mosca a uma dist‚ncia de 10 m .

constante, e captura a mosca a uma dist‚ncia de 10 m . Com base nessas informaÁıes,

Com base nessas informaÁıes, pode-se afirmar que a acelera- Á„o e velocidade do p·ssaro, ao capturar a mosca, s„o dadas por:

a) a = 5/16 m/s 2 e v = 5/4 m/s

*b) a = 5/16 m/s 2 e v = 5/2 m/s

c) a = 5/8 m/s 2 e v = 5/2 m/s

d) a = 5/8 m/s 2 e v = 5/4 m/s

(UFU/UFLA-2008) - ALTERNATIVA: A Recentemente, pesquisadores utilizaram a bactÈria Mycoplasma MÛbile para girar micro-rodas (rodas de tamanho micromÈtrico). Uma parte de uma micro-roda foi escurecida com a intenÁ„o de marc·-la, possibilitando observar o movimento de rotaÁ„o. A fi- gura abaixo È uma vers„o de uma seq¸Íncia de fotos dessa micro-roda tiradas em intervalos de 5s entre cada uma.

dessa micro-roda tiradas em intervalos de 5s entre cada uma. Com base nessa figura, pode-se afirmar

Com base nessa figura, pode-se afirmar que a menor velocidade angular È

*a)

2 rotaÁıes por minuto (rpm).

b)

6 rotaÁıes por minuto (rpm).

c)

4 rotaÁıes por minuto (rpm).

d)

3 rotaÁıes por minuto (rpm).

11

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: E LanÁa-se uma bola obliquamente para cima. Considere o movi-

mento da bola no plano vertical x0y e que o semieixo 0y È posi- tivo no sentido ascendente. Desprezando a resistÍncia do ar, o gr·fico que traduz como varia o mÛdulo da componente vertical

da velocidade da bola Vy em funÁ„o do tempo t È

a)

b)

c )

velocidade da bola Vy em funÁ„o do tempo t È a) b) c ) d) *e)

d)

*e)

da bola Vy em funÁ„o do tempo t È a) b) c ) d) *e) (VUNESP-2008)

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: D Dois corpos, A e B, s„o abandonados simultaneamente prÛximos ‡ superfÌcie da Terra. O corpo A tem massa m e, apÛs 2 segun- dos em queda livre, apresenta velocidade v, percorrendo uma dist‚ncia d. O corpo B, de massa 2m, apÛs os 2 segundos de

queda livre, apresenta, desprezada a resistÍncia do ar, veloci- dade

a) v/2 e ter· percorrido uma dist‚ncia d/4.

b) v/2 e ter· percorrido uma dist‚ncia 2d.

c) v e ter· percorrido uma dist‚ncia d/2.

*d) v e ter· percorrido uma dist‚ncia d.

e) 2v e ter· percorrido uma dist‚ncia d/2.

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: B

O gr·fico apresenta a relaÁ„o entre o quadrado da velocidade

de um corpo que se desloca ao longo de uma trajetÛria retilÌnea em funÁ„o do tempo.

longo de uma trajetÛria retilÌnea em funÁ„o do tempo. Sendo as unidades do sistema internacional, a

Sendo as unidades do sistema internacional, a aceleraÁ„o do corpo tem valor aproximadamente igual a

a) 0,15 m/s 2 .

*b) 0,25 m/s 2 .

c) 0,45 m/s 2 .

d) 0,65 m/s 2 .

e) 0,85 m/s 2 .

japizzirani@gmail.com

(VUNESP-2008) - ALTERNATIVA: C

A figura mostra uma bola de golfe sendo arremessada pelo joga-

dor, com velocidade de 40 m/s, formando um ‚ngulo de 60 com

a horizontal. A bola atinge o solo apÛ s 7 s do lanÁamento. Des-

prezando a resistÍncia do ar, a altura m·xima e a dist‚ncia que a bola atinge o solo em relaÁ„o ao ponto de lanÁamento s„o, res-

pectivamente:

Dados: g = 10 m/s 2 , sen 60 = ˇ e cos 60 =
Dados: g = 10 m/s 2 , sen 60 = ˇ
e cos 60 = ˇ
a) 40 m e 35 m.
b) 50 m e 71 m.
*c) 60 m e 140 m.
d) 70 m e 270 m.
e) 80 m e 320 m.

(CEFETSP-2008) - ALTERNATIVA: B

A dist‚ncia mÈdia entre a Lua e a Terra È de 3,82 10 8 m. Adotan-

do que a velocidade da luz no v·cuo vale 3,00 10 8 m/s, o

intervalo de tempo necess·rio para que um feixe de luz, que partiu da Lua, atinja a Terra È de:

a) 47s

*b) 1,27s

c) 0,78min

d) 1min16s

e) 1min27s

(CEFETSP-2008) - ALTERNATIVA:A

Uma partÌcula se move em uma trajetÛria retilÌnea, de acordo com

o gr·fico de velocidade em funÁ„o do tempo mostrado na figura.

A dist‚ncia percorrida pela partÌcula, no intervalo de 0 a 0,2 s, em

metros, vale:

*a) 0,2

b) 0,4

c) 1,1

d) 2,2

e) 10

a 0,2 s, em metros, vale: *a) 0,2 b) 0,4 c) 1,1 d) 2,2 e) 10

(UFSC-2008) - RESPOSTA: 01 + 02 + 08 = 11 Um carro com velocidade de mÛdulo constante de 20 m/s percorre a trajetÛria descrita na figura, sendo que de A a C a trajetÛria È retilÌnea e de D a F È circular, no sentido indicado.

retilÌnea e de D a F È circular, no sentido indicado. Assinale a(s) proposiÁ„o(ıes) CORRETA(S) .

Assinale a(s) proposiÁ„o(ıes) CORRETA(S) .

*01. O carro tem movimento uniforme de A atÈ C . *02. O carro tem movimento uniforme de A atÈ F .

04. O carro tem aceleraÁ„o de A atÈ C.

*08. O carro tem aceleraÁ„o de D atÈ F.

16. O carro tem movimento retilÌneo uniformemente variado de D

atÈ F.

12

(UFLA-2008) - ALTERNATIVA: A Um veÌculo (A) vem trafegando por uma rua, quando, inadverti- damente, um ciclista (B) entra nessa rua, a certa dist‚ncia ‡ frente do veÌculo, no mesmo sentido e com velocidade constan- te. Imediatamente, para evitar o choque, o motorista aciona os freios, de forma a desacelerar o veÌculo uniformemente, atÈ al- canÁar o ciclista sem toc·-lo, o qual continua com sua velocida- de constante. Considerando como instante inicial (t 0 = 0) o ins- tante em que o motorista aciona o freio, o gr·fico que melhor re- presenta o movimento do veÌculo (A) e do ciclista (B) È:

*a)

b)

o movimento do veÌculo (A) e do ciclista (B) È: *a) b) c ) d) (UFMS-2008)

c )

d)

do veÌculo (A) e do ciclista (B) È: *a) b) c ) d) (UFMS-2008) - ALTERNATIVA:

(UFMS-2008) - ALTERNATIVA: C

Uma rodovia, plana e retilÌnea, possui uma lombada eletrÙnica onde os veÌculos devem trafegar com uma velocidade m·xima

de 30 km/h num intervalo de 20 metros, compreendido entre os

ponto s B e C, veja na figura. Um veÌculo se aproxima, com velo- cidade de 90 km/h, e quando est· no ponto A, que est· a 40 me- tros do ponto B, comeÁa a reduzir uniformemente a velocidade,

e quando chega no ponto B est· na velocidade limite de 30 km/h,

e assim permanece com essa velocidade atÈ o ponto C. A partir do ponto C, acelera uniformemente, e apÛs trafegar 40 metros

do ponto C, chega ao ponto D na velocidade original de 90 km/h.

Considere que, se n„o houvesse a lombada eletrÙnica, o veÌculo trafegaria todo o trajeto, compreendido entre os pontos A e D, a uma velocidade constante de 90 km/h, e dessa forma o tempo da viagem seria menor. Assinale a alternativa que corresponde ao valor dessa diferenÁa no tempo da viagem.

corresponde ao valor dessa diferenÁa no tempo da viagem. a) 7,2 s. b) 4,0 s. *c)

a) 7,2 s.

b) 4,0 s.

*c) 3,2 s.

d) 1,6 s.

e) 2,4 s.

(UFPB-2008) - ALTERNATIVA: E

O motor de um carro È programado de modo a causar, nesse

carro, um deslocamento que varia no tempo de acordo com a

express„o x = t + t 2 , onde x È o deslocamento, t È o

tempo, e

das constantes e , no sistema MKS, s„o respectivamente:

a) m/s, m

b) m/s 2 , m

c) m, m 2 /s 2

d) s, m/s

*e) m/s, m/s 2

e
e
2 , m c) m, m 2 /s 2 d) s, m/s *e) m/s, m/s 2
2 , m c) m, m 2 /s 2 d) s, m/s *e) m/s, m/s 2

s„o constantes. Nesse contexto, as unidades

japizzirani@gmail.com

(UFPB-2008) - ALTERNATIVA: D Uma bola de bilhar sofre quatro deslocamentos sucessivos re- presentados pelos vetores d 1 , d 2 , d 3 e d 4 apresentados no dia- grama abaixo.

2 , d 3 e d 4 apresentados no dia- grama abaixo. O deslocamento resultante d

O deslocamento resultante d da bola est· corretamente descrito em:

a) d = -4 i + 2 j

^ ^

^ ^

b) d = -2 i + 4 j

^ ^

c) d = 2 i + 4 j

^

*d) d = 4 i + 2 ^ j

e) d = 4 i ^ + 4 j ^

(UFPB-2008) - ALTERNATIVA: A

Um Ùnibus urbano percorre, no inÌcio de seu itiner·rio, o seguinte trajeto:

1. Parte do terminal e percorre uma dist‚ncia de, aproximada-

mente, 1200m no sentido sul-norte por 15 min;

2. P·ra e permanece por 5 min em um ponto de Ùnibus e, em

seguida, desloca-se mais 800 m, durante 10 min, tambÈm no sen- tido sul-norte. Com base nessas informaÁıes, È correto afirmar que o valor da

velocidade escalar mÈdia desse Ùnibus, no trajeto descrito, È:

*a) 4 km/h

b) 8 km/h

c) 12 km/h

d) 6 km/h

e) 2 km/h

(UFPB-2008) - ALTERNATIVA: B Em uma partida de futebol, o goleiro bate um tiro de meta com a bola no nÌvel do gramado. Tal chute d· ‡ bola uma velocidade inicial de mÛdulo 20 m/s e um ‚ngulo de lanÁamento de 45 . Nes- sas condiÁıes, a dist‚ncia mÌnima que um jogador deve estar do ponto de lanÁamento da bola, para recebÍ-la no seu primeiro contato com o solo, È: (Adot e g = 10 m/s 2 )

a) 30 m

*b) 40 m

c) 20 m

d) 10 m

e)

5m

13

(FAZU-2008) - ALTERNATIVA: D Num passeio promovido pelo Jeep Clube de Minas Gerais, o na- vegador recebe uma planilha onde se diz que um trecho de 10km deve ser percorrido ‡ velocidade mÈdia de 30km/h. Se o veÌculo

iniciar o trajeto ‡s 11h00min, ele dever· chegar ao final do refe- rido trecho ‡s:

a) 11h30 min

b) 11h10 min

c) 12h40 min

*d) 11h20 min

e) 14h00 min

(FAZU-2008) - ALTERNATIVA: D Um corpo È lanÁado do solo verticalmente para cima. Sabe-se que, durante o decorrer do terceiro segundo do seu movimento ascendente, o mÛvel percorre 15m. A velocidade com que o cor- po foi lanÁado do solo era de:

Adote g = 10 m/s 2

a) 10 m/s

b) 20 m/s

c) 30 m/s

*d) 40 m/s

e) 50 m/s

(FAZU-2008) - ALTERNATIVA: C Uma partÌcula descreve um movimento retilÌneo uniforme, segun-

do um referencial inercial. A equaÁ„o hor·ria da posiÁ„o, com dados no S.I. , È x = -2 + 5t. Neste caso podemos afirmar que a velocidade escalar da partÌcula È:

a) - 2m/s e o movimento È retrÛgrado.

b) - 2m/s e o movimento È progressivo.

*c) 5m/s e o movimento È progressivo

d) 5m/s e o movimento È retrÛgrado.

e) - 2,5m/s e o movimento È retrÛgrado.

(FAZU-2008) - ALTERNATIVA: A

Uma bola È lanÁada de uma torre, para baixo. A bola n„o È deixa- da cair mas, sim, lanÁada com uma certa velocidade inicial para baixo. Sua aceleraÁ„o para baixo È (g refere-se ‡ aceleraÁ„o da

gravidade):

*a) exatamente igual a g.

b) maior do que g.

c) menor do que g.

d) inicialmente, maior do que g, mas rapidamente estabilizando

em g.

e) inicialmente, menor do que g, mas rapidamente estabilizando

em g.

(MED.ITAJUB£-2008) - ALTERNATIVA: C A caminhada È praticada tanto por atletas como por indivÌduos em busca dos benefÌcios que esta atividade fÌsica traz, aumen- tando o condicionamento fÌsico e proporcionando a mÈdio e lon- go prazo significativa melhoria na qualidade de vida. Se um homem desenvolve a velocidade de 100 passos por minu- to, se considerarmos que seu passo tem comprimento constante

de 80 cm e se ele pratica caminhada durante 1 hora e 20 minutos no dia, determine a dist‚ncia, em Km, percorrida neste dia.

a) 10

b) 8

*c) 6,4

d) 12

e) Nenhuma das Respostas Anteriores

japizzirani@gmail.com

(MED.ITAJUB£-2008) - ALTERNATIVA: A

Uma jogadora de vÙlei de 1,72 m imprime a seu prÛprio corpo um impulso que resulta numa aceleraÁ„o ascendente. A velocidade inicial necess·ria para alcanÁar uma altura de 80 cm acima do solo ser·: (consider e g = 10 m/s ) *a) 4 m/s

b) 5 m/s

c) 8 m/s

d)10 m/s

e) Nenhuma das Respostas Anteriores.

(UFRRJ-2008) - ALTERNATIVA: A As explosıes das bombas atÙmicas, em agosto de 1945, sobre as cidades de Hiroxima e Nagas·qui, deixaram todo o mundo apavorado diante do poder bÈlico utilizado contra o prÛprio ser humano e a certeza de que os tempos seriam outros para as naÁıes. Um dos causadores da destruiÁ„o das edificaÁıes fora doepicentro foi o deslocamento de ar. Segundo o fÌsico Naomi Shohno, esse deslocamento de ar provocado pelas bombas percorreu 740 m no segundo posterior ‡ explos„o, 4 km nos primeiros 10 segundos e 11 km nos primeiros 30 segundos.

(Fontes: Superinteressante, ano 09, n 07, 1995; Veja, 02/08/95)

Portanto, as velocidades mÈdias de deslocamento do ar atÈ o primeiro segundo, atÈ o dÈcimo segundo e atÈ o trigÈsimo segun- do foram, respectivamente, de:

*a) 2664 km/h; 1440 km/h e 1320 km/h

b) 740 km/h; 400 km/h e 367 km/h

c) 2664 km/h; 400 km/h e 1320 km/h

d) 2664 km/h; 1173,6 km/h e 751,2 km/h

e) 751,2 km/h; 1173,6 km/h e 2664 km/h

(UFRRJ-2008) - RESPOSTA: a) 45 m b) 3,0 s Verificar as condiÁıes dos freios do seu automÛvel È condiÁ„o essencial para se evitarem acidentes. Suponha que vocÍ esteja dirigindo em uma estrada, completamente horizontal e reta, a uma velocidade constante de 108 km/h, quando vÍ um cachorro

parado no meio da pista, a 50 m do ponto onde vocÍ se encontra. Imediatamente aciona os freios do veÌculo, desacelerando cons- tantemente, ‡ raz„o de 36 km/h a cada segundo. Com base nessas consideraÁıes, responda:

a) Para saber se o cachorro ser· ou n„o atropelado, calcule a

dist‚ncia percorrida pelo automÛvel, em metros, atÈ parar com- pletamente.

b) Calcule o tempo, em segundos, decorrido entre o instante em

que o freio foi acionado atÈ a parada do veÌculo.

(UFABC-2008) - RESPOSTA: f A = f B , T A = T B , A = B e V A < V B Mesmo com as modernas furadeiras existentes, o arco-de-pua ainda È utilizado para fazer furos em madeira. Enquanto o oper·- rio apÛia seu peito ou uma de suas m„os sobre o disco localiza- do na extremidade oposta ‡ da broca, auxiliado pelo manete, localizado no meio da ferramenta, faz girar o conjunto e, conse- q¸entemente, a broca.

faz girar o conjunto e, conse- q¸entemente, a broca. Compare, qualitativamente, as gran- dezas freq¸Íncia,
faz girar o conjunto e, conse- q¸entemente, a broca. Compare, qualitativamente, as gran- dezas freq¸Íncia,
faz girar o conjunto e, conse- q¸entemente, a broca. Compare, qualitativamente, as gran- dezas freq¸Íncia,

Compare, qualitativamente, as gran- dezas freq¸Íncia, perÌodo, veloci- dade angular e velocidade escalar do movimento do ponto A, localiza- do na superfÌcie lateral da broca, com o do ponto B, no centro geo- mÈtrico do manete, justificando cada comparaÁ„o.

UFABC - 2008 - Q.04

14

(UFRGS-2008) - ALTERNATIVA: 01-D e 02-E

(UFRGS-2008) - ALTERNATIVA: 01-D e 02-E (U.F. VI«OSA-2008) - ALTERNATIVA: B O gr·fico abaixo representa a

(U.F. VI«OSA-2008) - ALTERNATIVA: B

O

gr·fico abaixo representa a posiÁ„o s de um carro em funÁ„o

do

tempo t, que se move em linha reta em uma superfÌcie plana e

horizontal.

se move em linha reta em uma superfÌcie plana e horizontal. Com base na an·lise do

Com base na an·lise do gr·fico, È INCORRETO afirmar que:

a) entre os instante s 5 s e 10 s o carro encontra-se parado.

*b) entre os instante s 0 s e 14 s o movimento do carro È unifor-

memente variado.

c) a velocidade mÈdia entre os instantes 1 0 s e 14 s È 1,25 m/s.

d) a velocidade instant‚nea do carro no instant e3sÈ1 m/s.

japizzirani@gmail.com

15

I - CINEM£TICA I - vestibulares 2008/2

(VUNESP/UNICID-2008/2) - ALTERNATIVA: D

A comitiva presidencial, composta por um comboio de 50 m de

extens„o, avanÁa com velocidade constante de 60 km/h. O tem- po gasto por esta comitiva para que ela atravesse completamen-

te uma via de 20 m de largura est· entre os instantes

a) 1 s a 2 s.

*d) 4 s a 5 s.

b) 2 s a 3 s.

e) 5 s a 6 s.

c) 3 s a 4 s.

(VUNESP/UNICID-2008.2) - ALTERNATIVA: B Leia a tirinha para responder a quest„o de n˙mero 41 .

Leia a tirinha para responder a quest„o de n˙mero 41 . 41. A pedra de amolar

41. A pedra de amolar gira com velocidade angular constante de 2 rad/s quando a espada toca um ponto de sua extremidade. Considerando a espada em repouso e sabendo que a pedra tem di‚metro de 60 cm, a velocidade de um ponto da pedra que toca

a espada, em m/s È de

a) 0,3.

*b) 0,6.

c) 1,0.

d) 1,2.

e) 2,4.

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: C

A velocidade de um ciclista em funÁ„o do tempo È dada pelo gr·-

fico abaixo. Qual È a dist‚ncia percorrida pelo ciclista apÛs 50 s?

a) 500 m

b) 400 m

*c) 350 m

d)

e)

300 m

250 m

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: C Um automÛvel com velocidade de 108 km/h passa por um policial parado ‡ beira da estrada. Imediatamente apÛs sua passagem, o policial inicia uma perseguiÁ„o com sua moto acelerando a uma

taxa constante de 0,5 m/s 2 . Qual È a dist‚ncia percorrida pelo policial atÈ alcanÁar o automÛvel?

a)

b)

*c) 3 600 m

d)

e)

600 m

900 m

1 800 m 7 200 m

japizzirani@gmail.com

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: E Em uma obra, um pedreiro deixa cair acidentalmente um tijolo que, ao chegar prÛximo ao ch„o, danifica um automÛvel estaci- onado prÛximo. A perÌcia determinou que a velocidade vertical do impacto do tijolo no momento da colis„o era 30 m/s. Se a altura do automÛvel È de 1,5 m, de que altura no edifÌcio o tijolo caiu? Obs.: Tomar como referÍncia o solo e adotar g = 10 m/s 2 .

a) 60,0 m

b) 61,5 m

c) 56,5 m

d) 51,5 m

*e) 46,5 m

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: C Em uma tacada, um jogador de golfe deseja obter a m·xima dis- t‚ncia possÌvel em um campo plano. Qua l È o ‚ngulo com a hori- zontal que a velocidade da bola dever· ter no momento em que esta abandona o local da tacada?

b)

*c) 45

a)

15

30

d)

e) 90

60

(VUNESP/UNINOVE-2008/2) - ALTERNATIVA: C Leia a tirinha a seguir.

- ALTERNATIVA: C Leia a tirinha a seguir. (Bill Watterson, As Aventuras de Calvin e Haroldo
- ALTERNATIVA: C Leia a tirinha a seguir. (Bill Watterson, As Aventuras de Calvin e Haroldo

(Bill Watterson, As Aventuras de Calvin e Haroldo)

Considerando as informaÁıes da tirinha e admitindo que a sua

velocidad e e a do Sr. Jones sejam constantes, ou seja, n„o le- vando em conta os prov·veis problemas de tr‚nsito das 5 horas, o encontro entre vocÍs na estrada ocorreria ‡s

a) 5h 20min.

b) 5h 30min.

*c) 5h 40min.

d) 12h 40min.

e) 13h.

(UECE-2008/2) - ALTERNATIVA: D Um passageiro est· caminhando para o oeste, dentro de um trem

que se move, em alta velocidade, para o leste. Para uma pessoa que est· parada na estaÁ„o, enquanto o trem passa, esse pas- sageiro

a) est· parado.

b) se move para o oeste.

c) se move para o leste, na mesma velocidade que o trem.

*d) se move para o leste, um pouco mais lentamente que o trem.

16

(VUNESP/UNINOVE-2008/2) - ALTERNATIVA: D … muito comum no nosso cotidiano encontrarmos dispositivos

que contenham partes em movimento de rotaÁ„o: ponteiros e en-

grenagens em relÛgios, o tanque de uma m·quina de lavar rou-

pas em movimento de centrifugaÁ„o, rodas e motores dos mais

variados tipos de veÌculos, CDs durante a reproduÁ„o de uma m˙sica, etc. A tabela mostra alguns valores tÌpicos de freq¸Íncia

de rotaÁ„o para alguns desses dispositivos, em rpm.

Dispositivo

Freq¸Íncia de

RotaÁ„o (RPM)

Ponteiro dos segundos de um relÛgio

1

Disco de vinil (antigo LP)

33,3

CD

sendo reproduzido num CD player

300

Tanque da m·quina de lavar roupas em processo de centrifugaÁ„o

500

Motor de um automÛvel

1 000

Considerando os valores da tabela, È correto afirmar que

a) a velocidade angular de um disco de vinil È maior que a do tan-

que de uma m·quina de lavar roupas.

b) o perÌodo de rotaÁ„o de um CD È menor que o de um motor de

automÛvel.

c) o perÌodo de rotaÁ„o do ponteiro dos segundos de um relÛgio

È menor que o de um CD.

*d) o perÌodo de rotaÁ„o de um disco de vinil È maior que o do

tanque de uma m·quina de lavar roupas.

e) a velocidade angular de um motor de automÛvel È menor que

a de um ponteiro dos segundos de um relÛgio.

(VUNESP/UNINOVE-2008/2) -ALTERNATIVA: E

Um objeto È lanÁado do solo verticalmente para cima e passa pe-

lo ponto A, durante a subida, com velocidade escalar de mÛdulo

10 m/s. ApÛs atingir a altura m·xima, passa pelo ponto B, durante

a descida, com velocidade escalar de mÛdulo 15 m/s.

durante a descida, com velocidade escalar de mÛdulo 15 m/s. Desprezando todas as forÁas dissipativas e

Desprezando todas as forÁas dissipativas e adotand o g = 10 m/ s 2 , a dist‚ncia d entre os pontos A e B vale, em metros,

a) 1,25.

d) 5,00.

b) 2,50.

*e) 6,25.

c) 3,75.

(UNIMONTES/MG-2008/2) - ALTERNATIVA: A

Um motorista ultrapassa um comboio de 10 caminhıes que se

move com velocidade mÈdia de 90 km/h. ApÛs a ultrapassagem,

o motorista decide que ir· fazer um lanche num local a 150 km de

dist‚ncia, onde ficar· parado por 12 minutos . Ele n„o pretende ultrapassar o comboio novamente atÈ chegar ao seu destino

final. O valor mÌnimo da velocidade mÈdia que o motorista deveria desenvolver para retomar a viagem, apÛs o lanche, ‡ frente do comboio, seria, aproximadamente, *a) 102,3 km/h . c) 116,0 km/h .

b) 100,8 km/h .

d) 108,0 km/h.

japizzirani@gmail.com

(FURG/RS-2008/2) - ALTERNATIVA: E (GABARITO OFICIAL) Um lanÁamento de projÈtil È a composiÁ„o de dois movimentos:

um, analisado horizontalmente, e o outro, verticalmente. Analise os gr·ficos abaixo:

e o outro, verticalmente. Analise os gr·ficos abaixo: Pode-se dizer que: I) o gr·fico I pode

Pode-se dizer que:

I) o gr·fico I pode representar o mÛdulo da velocidade horizontal, em funÁ„o do tempo.

II) o gr·fico II pode representar o mÛdulo da velocidade vertical,

em funÁ„o do tempo.

III) o gr·fico III pode representar a altura do projÈtil,em funÁ„o do

tempo.

Est„o corretas as afirmativas:

a) Apenas II

b) I e II

c) I e III

d) Apenas III

*e) II e III

(UNIMONTES/MG-2008/2) - ALTERNATIVA: C Analise os seguintes gr·ficos:

- ALTERNATIVA: C Analise os seguintes gr·ficos: Os gr·ficos acima que representam o movimento de
- ALTERNATIVA: C Analise os seguintes gr·ficos: Os gr·ficos acima que representam o movimento de

Os gr·ficos acima que representam o movimento de aceleraÁ„o constante diferente de zero s„o

a) I e II, apenas.

b) I e III, apenas.

*c) II e III, apenas.

d) II e IV, apenas.

(UNEMAT/MT-2008/2) -ALTERNATIVA: E

Um carro de fÛrmula 1 se desloca com velocidade em m/s, obe- decendo a funÁ„o hor·ria V = 60 ñ 9t , onde t È medido em se- gundos. A partir dessas informaÁıes, assinale a alternativa in- correta .

a) No instante de 7 segundos, o movimento do carro È retrÛgrado

retardado.

b) A velocidade inicial do carro em km/h È 216 km/h.

c) No instante de 5 segundos, o movimento do carro È progres-

sivo retardado.

d) O carro est· em processo de frenagem, e dever· parar no

instante aproximado de 6,66 segundos. *e) No instante de 6 segundos, o movimento do carro È retrÛgra-

do retardado.

17

(UTFPR-2008/2) - ALTERNATIVA: B Partindo do repouso, um corpo desliza em linha reta sobre um plano inclinado, com aceleraÁ„o constante de 2,0 m/s 2 . Se o

deslocamento sobre o plano foi de 9,0 m, a velocidade mÈdia ne- sse deslocamento, em m/s, foi aproximadamente igual a:

a)

2,5.

d) 5,0.

*b) 3,0.

e) 6,1.

c)

4,1.

(UTFPR-2008/2) - ALTERNATIVA: D

A aceleraÁ„o da gravidade na Lua È aproximadamente igual a 1/

6 da aceleraÁ„o da gravidade terrestre. Um objeto È solto em queda livre, a partir de uma altura h prÛxima da superfÌcie da Lua

e atinge o solo lunar no intervalo de tempo t L . O mesmo objeto,

solto em queda livre da mesma altura h na proximidade da super- fÌcie da Terra atinge o solo terrestre no intervalo de tempo t T . A

relaÁ„o entre os intervalos de tempo t L e t T È, aproximadamente:

a) t L =6t T . b) t L = 3 t T . c)
a) t L =6t T .
b) t L =
3 t T .
c) t L = 2 3 t T .
*d) t L =
6 t T .
e) t L =
2 t T .

(MACK-2008/2) - ALTERNATIVA: D Observa- se que um ponto mater ial par te do repouso e descre- ve um movimento retilÌneo, com a posiÁ„o (x) variando com o tempo (t), de acordo com o gr·fico abaixo. Nos intervalos de tempo (0 s; 4 s) e (4 s; 14 s), os movimentos s„o uniformemente variados e distintos. O valor absoluto da aceleraÁ„o escalar desse ponto mater ial , no movimento ocorrido entre os instantes 4 s e 14 s, vale

a) 1,2 m/s 2 .

b) 1,6 m/s 2 .

c) 1,8 m/s 2 .

*d) 2,0 m/s 2 .

e) 2,4 m/s 2 .

. c) 1,8 m/s 2 . *d) 2,0 m/s 2 . e) 2,4 m/s 2 .

(UDESC-2008/2) - RESPOSTA: a) v I = 20/3 m/s e v II = 0 ou 20/3 m/

s b) zero c) 4,5 s

Dois mÛveis (I e II) partem do repouso e deslocam-se simultane- amente, em uma estrada retilÌnea. O gr·fico abaixo mostra suas posiÁıes.

retilÌnea. O gr·fico abaixo mostra suas posiÁıes. Determine: a) a velocidade de cada um dos mÛveis,

Determine:

a) a velocidade de cada um dos mÛveis, no instante 3,0 s.

b) a aceleraÁ„o do mÛvel I, no instante 6,0 s.

c) o instante de tempo em que os mÛveis se encontram.

(UEG/GO-2008/2) - RESPOSTA: 12 km Um objeto tem a sua velocidade em quilÙmetros por hora descrita pela funÁ„o real v(t) = 3t, em que t representa o tempo. O espaÁo percorrido por esse automÛvel pode ser determinado calculan- do-se a ·rea delimitada pelo gr·fico da funÁ„o v(t ) e o eixo do tempo t, em um perÌodo de tempo fixado. Determine o espaÁo percorrido por esse objeto no perÌodo de tempo de t 0 = 1h a t 1 =

3h.

japizzirani@gmail.com

(UFTM-2008/2) - ALTERNATIVA: E Sobre uma mesma trajetÛria, associada ao piso de uma rodovia, dois automÛveis movimentam-se segundo as funÁıes hor·rias

s 1 = - 20 - 20 t e s 2 = 10 + 10 t, com valores escritos em termos do sistema internacional. Nessas condiÁıes, os dois veÌculos

a) se encontrar„o no instante 1s.

b) se encontrar„o no instante 3s.

c) se encontrar„o no instante 5s.

d) se encontrar„o no instante 10s.

*e) n„o se encontrar„o.

(CEFETMG-2008/2) - ALTERNATIVA: E

Referindo-se aos movimentos de forma abrangente, afirma-se:

I ñ Quando um objeto descreve movimento circular uniforme, seu vetor aceleraÁ„o mantÈm-se constante em mÛdulo e direÁ„o.

II ñ Quando um corpo descreve movimento retilÌneo uniforme,

seu vetor velocidade mantÈm-se constante em mÛdulo e dire-

Á„o.

III ñ Um mÛvel com aceleraÁ„o de 5,0 m/s 2 apresenta, em cada

segundo, uma variaÁ„o de 5,0 m/s em sua velocidade.

IV ñ A velocidade de um corpo pode se alterar quando se modi-

fica o referencial adotado. S„o corretas apenas as afirmativas

a) I e III.

b) I e IV.

c) II e III.

d) I, II e IV.

*e) II, III e IV.

(CEFETMG-2008/2) - ALTERNATIVA:A Um automÛvel desloca-se em uma avenida plana e reta, com ve-

locidade constante. Ao se aproximar de um sem·foro, o motoris-

ta aciona os freios, produzindo um movimento uniformemente

variado, parando em 3,0 segundos. Seja d 1 a dist‚ncia percorri-

da no primeiro segundo, apÛs o inÌcio da freada, e d 3 a dist‚ncia

percorrida no ˙ltimo segundo. A raz„o entre d 1 e d 3 È *a) 5.

b)

c) 3.

d) 2.

e) 1.

4.

(PUCSP-2008/2) - ALTERNATIVA: D Em um experimento escolar, um aluno deseja saber o valor da velocidade com que uma esfera È lanÁada horizontalmente, a

partir de uma mesa. Para isso, mediu a altura da mes a e o alcan-

ce horizontal atingido pela esfera, encontrando os valores mos-

trados na figura. Adote g = 10 m/s 2 .

ver slide:

PUCSP - 2008.2 - Q.16

Adote g = 10 m/s 2 . ver slide: PUCSP - 2008.2 - Q.16 A partir

A

partir destas informaÁıes e desprezando as influÍncias do ar,

o

aluno concluiu corretamente que a velocidade de lanÁamento

da esfera, em m/s, era de

a) 3,1

*d) 7,0

b) 3,5

e) 9,0

c) 5,0

18

(UNESP-2008/2) - ALTERNATIVA: C Segundo se divulga, a Big Tower do parque de diversıes Beto

Carrero World possui uma torre radical com 100 m de altura. Caso o elevador estivesse em queda livre por todo esse trecho,

e considerando o valor da aceleraÁ„o da gravidade como sendo

10,0 m/s 2 , e que o elevador parte do repouso, conclui-se que sua velocidade ao final dos 100 m seria de

a) 33,2 m/s.

b) 37,4 m/s.

*c) 44,7 m/s.

d) 49,1 m/s.

e) 64,0 m/s.

(UNESP-2008/2) - RESPOSTA: 45,8 dias Na fronteira K-T, entre os perÌodos Cret·ceo e Terci·rio, ocorreu

a extinÁ„o dos dinossauros. A teoria mais conhecida para expli-

car essa extinÁ„o supıe que um grande meteoro, viajando a 70 000 km/h, teria atingido o nosso planeta, dando origem ‡ cratera de Chicxulub no golfo do MÈxico, com cerca de 170 km de di‚me- tro. Supondo que ele tenha vindo de um grupo de asterÛides prÛ-

ximos de Marte, que dista por volta de 77 10 6 km da Terra, determine, em dias, o tempo que terÌamos para tentar nos prepa- rar para o impacto caso o mesmo ocorresse na atualidade. Su- ponha que 70 000 km/h seja a velocidade mÈdia do asterÛide em relaÁ„o ‡ Terra e que, no momento de sua detecÁ„o, estivesse a 77 10 6 km de dist‚ncia. Desconsidere o deslocamento da Terra pelo espaÁo.

Desconsidere o deslocamento da Terra pelo espaÁo. (UNESP-2008/2) - RESPOSTA: 75 O A atleta brasileira Daiane

(UNESP-2008/2) - RESPOSTA: 75 O

A atleta brasileira Daiane dos Santos teve seu salto ìduplo twist

carpadoî analisado por pesquisadores do LaboratÛrio de BiofÌsica da Escola de EducaÁ„o FÌsica da USP. Nesse estudo, verificou- se que, na ˙ltima parte do salto, o seu centro de massa descre- veu uma par·bola, que a componente vertical da velocidade ini- cial da atleta foi de 5,2 m/s e que ela levo u 1 s para percorrer uma dist‚ncia horizontal de 1,3 m atÈ atingir o ch„o. Adotand o g = 10

m/s 2 , determine o ‚ngulo inicial aproximado do salto.

2 , determine o ‚ngulo inicial aproximado do salto. (UNESP-2008/2) - RESPOSTA: 2,0 m Um jogador
2 , determine o ‚ngulo inicial aproximado do salto. (UNESP-2008/2) - RESPOSTA: 2,0 m Um jogador

(UNESP-2008/2) - RESPOSTA: 2,0 m Um jogador de futebol deve bater uma falta. A bola dever· ultra- passar a barreira formada 1 0 m ‡ sua frente. Despreze efeitos de resistÍncia do ar e das dimensıes da bola. Considere um ‚ngulo de lanÁamento de 45 O , g = 10 m/s 2 , cos 45 O = sen 45 O =

0

2/2, e uma velocidade inicial de lanÁamento v = 5 5 m/s. De- termine qua l È a altura m·xima dos jogadores da barreira para que a bola a ultrapasse.

(ACAFE-2008/2) - ALTERNATIVA: C No entendimento dos movimentos dos corpos utilizam-se com freq¸Íncia os conceitos de velocidade e de aceleraÁ„o. Assim, para um corpo que se desloca em movimento retilÌneo e no sen-

tido da esquerda para a direita em relaÁ„o a um dado referencial,

È correto afirmar que:

a) A velocidad e e a aceleraÁ„o s„o expressas nas mesmas

unidades de medidas.

b) A velocidad e e a aceleraÁ„o s„o nulas.

*c) A velocidade n„o È nul a e a aceleraÁ„o pode ser nula.

d) A velocidade È nul a e a aceleraÁ„o n„o È nula.

japizzirani@gmail.com

(U.C.SUL/RS-2008/2) - ALTERNATIVA: D Em um famoso desenho animado da dÈcada de oitenta, uma ga- tinha era sempre perseguida por um apaixonado gamb·. Os epi- sÛdios basicamente consistiam nas maneiras que a gatinha en-

contrava para fugir. Imaginemos que ela, prestes a ser alcanÁada

e em desespero, se atirasse em um precipÌcio. Ao pular, ela es-

taria com velocidade vertical inicial nula. Qual a velocidade verti-

cal inicial que o gamb· deveria ter para, ao se lanÁar tambÈm pe-

lo precipÌcio 2 segundos depois, conseguir alcanÁar a gatinha

exatamente 4 segundos apÛs ela ter saltado? Considere a ace-

leraÁ„o da gravidade como 10 m/s 2 .

a) 15 m/s

b) 20 m/s

c) 25 m/s

d) 30 m/s

e) 35 m/s

(UFC/CE-2008/2) - RESPOSTA: a) a A = - 3 m/s 2 e a B = - 4 m/s 2

b)

x A = 20t - 1,5t 2 (SI) e x B = 25t - 1,5t2 (SI)

c)

v A = 20 - 3t (SI) e v B = 25 - 4t (SI)

d) 12,5 m

O

gr·fico da figura abaixo representa a variaÁ„o da velocidade

com o tempo para dois carros, A e B, que viajam em uma estrada retilÌnea e no mesmo sentido. No instant et=0s o carro B ultra- passa o carro A. Nesse mesmo instante, os dois motoristas percebem um perigo ‡ frente e acionam os freios simultanea- mente. Tomando como base o gr·fico, determine:

a) a aceleraÁ„o dos dois carros. b) a equaÁ„o hor·ria da posiÁ„o para os dois
a)
a aceleraÁ„o dos dois carros.
b)
a equaÁ„o hor·ria da posiÁ„o para os dois carros.
c)
a equaÁ„o hor·ria da velocidade para os dois carros.
c)
a dist‚ncia entre os dois carros no instante em que suas

velocidades s„o iguais.

(UFLA/MG-2008/2) - ALTERNATIVA: B

O gr·fico abaixo foi elaborado considerando o movimento de um

veÌculo ao longo de uma rodovia. Nos primeiros 15 minutos, o

veÌculo desenvolveu velocidade constante de 80 km/h. Nos 15 minutos seguintes, 60 km/h e, na meia hora final, velocidade constante de 100 km/h. Pode!se afirmar que a velocidade mÈdia do veÌculo durante essa 1 hora de movimento foi de:

a) 80 km/h.

*b) 85 km/h.

c) 70 km/h.

d) 90 km/h.

velocidade mÈdia do veÌculo durante essa 1 hora de movimento foi de: a) 80 km/h. *b)

19

(UFU/UNIFAL-2008/2) -ALTERNATIVA: D Um avi„o, deslocando-se paralelamente a uma planÌcie a uma al- tura H e com velocidade horizontal v O , libera em um dado instante um artefato.

v O , libera em um dado instante um artefato. As componentes horizontal ( v x

As componentes horizontal ( v x ) e vertical ( v y ) da velocidade do artefato no exato instante em que esse artefato passa pelo pon- to A, a uma altura p do solo, s„o:

a) v y = + 2g(p - H) v x = v o b) v
a)
v y = +
2g(p - H)
v x = v o
b) v x =
2gp
v y = -
2gH
c) v x =
2gH
v y = -
2gp
*d) v x = v o
v y = -
2g(H - p)

(UFLA/MG-2008/2) - RESPOSTA: FAZER Um trem de metrÙ parte da estaÁ„o A e chega ‡ estaÁ„o B; o diagrama de sua velocidade em relaÁ„o ao tempo È mostrado ao lado.Calcule:

em relaÁ„o ao tempo È mostrado ao lado.Calcule: a) A dist‚ncia entre as estaÁıes A e

a) A dist‚ncia entre as estaÁıes A e B.

b) A equaÁ„o da velocidade do trem no intervalo de 40 a 50 s.

(UEM/PR-2008/2) - RESPOSTA: SOMA = 20 (04+16) Em relaÁ„o ao movimento de dois corpos de massas diferentes lanÁados verticalmente para cima simultaneamente, em um de- terminado local da terra e com a mesma velocidade inicial, assi- nale o que for correto (obs.: despreze a resistÍncia do ar e adot e g = 10 m/s 2 ). 01) Os corpos chegar„o ao solo juntos, pois ambos est„o sob a aÁ„o da mesma forÁa. 02) Na altura m·xima da trajetÛria, as aceleraÁıes dos corpos ser„o zero. *04) Se os corpos forem lanÁados com uma velocidade inicial de 10,00 m/s, 1,50 s apÛs o lanÁamento, eles estar„o a 3,75 m do solo. 08) Se os corpos forem lanÁados com uma velocidade inicial de 10,00 m/s, 1,50 s apÛs o lanÁamento, o mÛdulo do vetor veloci- dade ser· 3,75 m/s, com sentido para cima. *16) Ambos estar„o sujeitos a uma aceleraÁ„o constante.

japizzirani@gmail.com

(UEM/PR-2008/2) - RESPOSTA: SOMA = 29 (01+04+08+16) Um objeto ao nÌvel do mar È lanÁado obliquamente com velocida- de inicial de 100,0 m/s, com um ‚ngulo de lanÁamento tal que o cos( ) = 0,6 (obs.: despreze a resistÍncia do ar). Considere g = 10,0 m/s 2 . Assinale o que for correto. *01) As componentes horizontal e vertical da velocidade no ins- tante de lanÁamento s„o v x = 60,0 m/s e v y = 80,0 m/s. 02) Desprezando a resistÍncia do ar, o objeto n„o retorna ao nÌvel de lanÁamento. *04) O alcance m·ximo do objeto È superior a 500 m. *08) O tempo necess·rio para o objeto atingir o alcance m·ximo

È 16,0 s.

*16) O mÛdulo da componente da velocidade no eixo paralelo ao solo se mantÈm constante durante o percurso.

paralelo ao solo se mantÈm constante durante o percurso. (UEPG/PR-2008/2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08)
paralelo ao solo se mantÈm constante durante o percurso. (UEPG/PR-2008/2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08)

(UEPG/PR-2008/2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) Um objeto È solto, a partir do repouso, em queda livre. ApÛs dois segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto È igualaye sua velocidade È v. Sobre este movimento, assinale o que for correto. Considere: y(t) = (1/2)gt 2 e v(t) = gt *01) ApÛs seis segundos, a velocidade do objeto ser· igual a 3v. *02) ApÛs quatro segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto ser· igual a 4y. 04) ApÛs seis segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto ser· igual a 12y. *08) ApÛs cinco segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto e sua velocidade ser„o, respectivamente, iguais a 6,25y e

2,5v.

16) ApÛs seis segundos, a velocidade do objeto ser· igual a 6v.

(UFMS-2008/2) - ALTERNATIVA: B Seja um rio sem curvas e de escoamento sereno sem turbulÍn- cias, de largura constante igual a L. Considere o escoamento representado por vetores velocidades paralelos ‡s margens e que cresce uniformemente com a dist‚ncia da margem, atingindo

o valor m·ximo v max no meio do rio. A partir daÌ a velocidade de

escoamento diminui uniformemente atingindo o valor nulo nas margens. Isso acontece porque o atrito de escoamento È mais intenso prÛximo ‡s margens. Um pescador, na tentativa de atra- vessar esse rio, parte da margem inferior no ponto O com um barco direcionado perpendicularmente ‡s margens e com velo- cidade constante em relaÁ„o ‡ ·gua, e igual a u. As linhas pon- tilhadas, nas figuras, representam possÌveis trajetÛrias descri- tas pelo barco ao atravessar o rio saindo do pont o O e chegando ao ponto P na margem superior. Com fundamentos nos conceitos da cinem·tica, assinale a alternativa correta.

conceitos da cinem·tica, assinale a alternativa correta. a) tempo t para atravessar o rio È igua
conceitos da cinem·tica, assinale a alternativa correta. a) tempo t para atravessar o rio È igua

a)

tempo t para atravessar o rio È igua lat= L/(v max +u).

*b) A figura B representa corretamente a trajetÛria do barco; e o tempo t para atravessar o rio È igua lat= L/u.

A figura A representa corretamente a trajetÛria do barco; e o

c) A figura C representa corretamente a trajetÛria do barco; e o

tempo t para atravessar o rio È igua lat= L/u.

d) A figura B representa corretamente a trajetÛria do barco; e o

tempo t para atravessar o rio È igua lat= L/(u+v max ).

e) A figura D representa corretamente a trajetÛria do barco; e o

tempo t para atravessar o rio È igua lat= L/u.

20

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: C

A velocidade de um ciclista em funÁ„o do tempo È dada pelo

gr·fico abaixo. Qual È a dist‚ncia percorrida pelo ciclista apÛs 50 s?

a) 500 m

b) 400 m

*c) 350 m

d) 300 m

e) 250 m

apÛs 50 s? a) 500 m b) 400 m *c) 350 m d) 300 m e)

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: C Um automÛvel com velocidade de 108 km/h passa por um policial parado ‡ beira da estrada. Imediatamente apÛs sua passagem, o policial inicia uma perseguiÁ„o com sua moto acelerando a uma

taxa constante de 0,5 m/s 2 . Qual È a dist‚ncia percorrida pelo policial atÈ alcanÁar o automÛvel?

a) 600 m

d) 1 800 m

b) 900 m

e) 7 200 m

*c) 3 600 m

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: C Em uma tacada, um jogador de golfe deseja obter a m·xima dis- t‚ncia possÌvel em um campo plano. Qua l È o ‚ngulo com a horizontal que a velocidade da bola dever· ter no momento em que esta abandona o local da tacada?

b)

a)

15

30

d) 60 e) 90

*c) 45

(FEI-2008/2) - ALTERNATIVA: E Em uma obra, um pedreiro deixa cair acidentalmente um tijolo que, ao chegar prÛximo ao ch„o, danifica um automÛvel estaci- onado. A perÌcia determinou que a velocidade vertical do impacto do tijolo no momento da colis„o era 30 m/s. Se a altura do auto- mÛvel È de 1,5 m, de que altura no edifÌcio o tijolo caiu? Obs.: Tomar como referÍncia o solo e adotar g = 10 m/s 2 .

a) 60,0 m

d) 51,5 m

b) 61,5 m

*e) 46,5 m

c) 56,5 m

(UECE-2008/2) - ALTERNATIVA: B Um nadador olÌmpico, que mantÈm uma velocidade de mÛdulo igual a 2,0 m/s em ·guas paradas, precisa cruzar um rio de 50 m

de largura, cuja correnteza È de 1,0 m/s. Usando 5 = 2,24 e 3

= 1,73 , È correto afirmar que

a) se ele levar em conta a correnteza e cruzar perpendicular-

mente ‡ margem, chegando diretamente na margem oposta, o

tempo que ele gasta para cruzar o rio È 22,32 s.

*b) se ele levar em conta a correnteza e cruzar perpendicular- mente ‡ margem, chegando diretamente na margem oposta, o tempo que ele gasta para cruzar o rio È 28,90 s.

oposta, o tempo que ele gasta para cruzar o rio È 28,90 s. c) se ele

c)

se ele ignorar a correnteza e nadar deixando o rio carreg·-lo,

tempo que ele gasta para cruzar o rio È 22,32 s, chegando ‡ outra margem a 22,32 m, rio abaixo.

o

d)

se ele ignorar a correnteza e nadar deixando o rio carreg·-lo,

o

tempo que ele gasta para cruzar È 28,90 s, chegando ‡ outra

margem a 28,90 m, rio abaixo.

(UECE-2008/2) - ALTERNATIVA: B Um atleta olimpico atinge a marca de 9,0 m na prova de salto em distancia. Supondo que o angulo inicial do seu salto foi de 30 O , e assumindo que seu movimento comporta-se como o movimento de um projetil sem resistencia do ar, a magnitude de sua veloci- dade inicial foi de (Use g = 10 m/s 2 )

a) 6,7 m/s.

*b) 10,2 m/s.

c) 11,6 m/s. d) 13,4 m/s.

japizzirani@gmail.com

(UEPG/PR-2008/2) - RESPOSTA: SOMA = 11 (01+02+08) Um objeto È solto, a partir do repouso, em queda livre. ApÛs dois segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto È igual a y e sua velocidade È v. Sobre este movimento, assinale o que for correto. Considere: y(t) = (1/2)gt 2 e v(t) = gt *01) ApÛs seis segundos, a velocidade do objeto ser· igual a 3v. *02) ApÛs quatro segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto ser· igual a 4 y. 04) ApÛs seis segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto ser· igual a 12y. *08) ApÛs cinco segundos, a dist‚ncia vertical percorrida pelo objeto e sua velocidade ser„o, respectivamente, iguais a 6,25y e 2,5 v. 16) ApÛs seis segundos, a velocidade do objeto ser· igual a 6v.

(U.F. VI«OSA-2008/2) - ALTERNATIVA: C Uma partÌcula de massa 10 kg È lanÁada verticalmente para cima com uma velocidade de mÛdulo v = 36 km/h. Desconsiderando a resistÍncia do ar e considerando a aceleraÁ„o da gravidade

local coma 10 m/s2, o valor da altura m·xima atingida pela partÌ- cula a partir do ponto de lanÁamento È igual a

a) 36 m.

b) 64 m.

*c) 5 m.

d) 10 m.

21

II - LEIS DE NEWTON II - vestibulares 2008/1

VESTIBULARES - 2008/2 - P£G. 36

(PUCRIO-2008) -ALTERNATIVA: B A primeira Lei de Newton afirma que, se a soma de todas as forÁas atuando sobre o corpo È zero, o mesmo

a) ter· um movimento uniformemente variado.

*b) apresentar· velocidade constante.

c) apresentar· velocidade constante em mÛdulo, mas sua

direÁ„o pode ser alterada.

d) ser· desacelerado.

e) apresentar· um movimento circular uniforme.

(PUCRIO-2008) - ALTERNATIVA: E Um bal„o de ar quente, de massa desprezÌvel, È capaz de le- vantar uma carga de 100 kg mantendo durante a subida uma velocidade constante de 5,0 m/s. Considerando a aceleraÁ„o da gravidade igual a 10 m/s 2 , a forÁa que a gravidade exerce (peso) no sistema (bal„o + carga), em Newtons, È:

a) 50

b) 100

c) 250

d) 500

*e) 1000

(UDESC-2008) - ALTERNATIVA: C Um bloco desliza sem atrito sobre uma mesa que est· em repou- so sobre a Terra. Para uma forÁa de 20,0 N aplicada horizontal-

mente sobre o bloco, sua aceleraÁ„o È de 1,80 m/s 2 . Encontre o peso do bloco para a situaÁ„o em que o bloc o e a mesa estejam sobre a superfÌcie da Lua, cuja aceleraÁ„o da gravidade È de 1,62 m/s 2 .

a) 10 N

b) 16 N

*c) 18 N

d) 14 N

e) 20 N

(UDESC-2008) - RESPOSTA a) 16 N b) 460 N Interessado em estudar o movimento de queda dos corpos, um estudante de CiÍncia da ComputaÁ„o resolve fazÍ-lo por meio de um programa que ele testar· em seu computador. Antes de elaborar o programa resolve solucionar o problema, executando ele mesmo os c·lculos. O corpo que ir· estudar possui massa de 1,00 kg e cai livremente em um dado instante com velocidade igual a 30,0 m/s. (Se necess·rio adot e g = 10 m/s 2 )

a) Que forÁa constante deve ser aplicada para parar o corpo em

5,0 s?

b) Que forÁa constante deve ser aplicada para que o corpo

pare, depois de ter percorrido 1,0 m?

(UDESC-2008) - RESPOSTA a) 0,5 m b) 1/2 Ao realizar a simulaÁ„o do movimento do bloco A, conforme figura abaixo, um engenheiro de produÁ„o e sistemas conside- rou desprezÌvel o atrito e as massas das polias. (Se necess·rio adote g = 10 m/s 2 )

massas das polias. (Se necess·rio adote g = 10 m/s 2 ) a) Quando o mÛvel

a) Quando o mÛvel A se desloca 1,00 m para a direita, quantos

metros o bloco B desce? Justifique a sua resposta.

b) Qual È a relaÁ„o entre as intensidades das traÁıes, nos

blocos A e B?

japizzirani@gmail.com

(UDESC-2008) - RESPOSTA a) 20 m/s b) 27 m; n„o c) -4 m/s 2 Uma ambul‚ncia equipada com uma equipe mÈdica, formada por um mÈdico e dois enfermeiros, possui massa igual a 1600 kg. Ao ser acionada para atender a um socorro, percorre uma pista plana e horizontal. Com base nesse contexto, resolva as situa- Áıes-problema abaixo. (Se necess·rio adot e g = 10 m/s 2 )

a) A ambul‚ncia, ao realizar uma curva, descreve uma trajetÛria

circular de raio igual a 80,0 m. A forÁa centrÌpeta atuante sobre o

carro, ao longo da curva, È de 8000 N. Calcule o valor da veloci- dade da ambul‚ncia, sabendo que ela È constante em toda a curva.

b)

Para dirigir prudentemente, recomenda-se manter do veÌculo

da

frente uma dist‚ncia mÌnima de 4,0 m para cada 16 km/h. Em

um determinado instante a ambul‚ncia segue um caminh„o e ambos est„o a 108 km/h. Considerando que a ambul‚ncia res- peite a recomendaÁ„o anterior, qual a dist‚ncia mÌnima que se- para os dois veÌculos? Se os dois veÌculos comeÁarem a desacelerar no mesmo instante, a uma taxa constante de 2,50 m/

s 2 , ocorrer· a colis„o entre eles? Justifique sua resposta.

c) A ambul‚ncia, andando a uma velocidade de 20 m/s, avista o

local do acidente em que ir· prestar o socorro e freia, com uma

aceleraÁ„o constante, percorrendo 50,0 m em 5,00 s, atÈ parar. Calcule sua desaceleraÁ„o.

(UDESC-2008) - RESPOSTA a) 7500 N b) 9600 N; sim c) 0,4 Um engenheiro civil, trabalhando em um projeto de construÁ„o de estradas, faz algumas hipÛteses: considera que um carro de massa de 1200 kg transita por uma estrada plana e horizontal e, ao realizar uma curva, descreve uma trajetÛria circular de raio igual a 100,0 m. A velocidade do carro È constante e em mÛdulo igual a 90,0 km/h, em toda a curva. (Se necess·rio adot e g = 10 m/s 2 )

a) Calcule o valor da forÁa centrÌpeta atuante sobre o carro.

b) Considerando que o coeficiente de atrito est·tico entre os

pneu s e a pista È de 0,80, calcule o valor m·ximo da forÁa de

atrito est·tico que pode ser exercida pela estrada sobre o carro.

O carro conseguir· fazer a curva nessa velocidade (90,0 km/h),

sem perigo de derrapagens? Justifique sua resposta

c) Em dias de chuva, carros com pneus prÛprios para pista seca

conseguem fazer a curva, sem derrapar, a uma velocidade m·- xima igual a 72,0 km/h. Nessas condiÁıes, calcule o coeficiente de atrito est·tico entre os pneu s e a pista.

(UFRRJ-2008) - ALTERNATIVA: B Aproveitando o tempo ocioso entre um compromisso e outro, Paulo resolve fazer compras em um supermercado. Quando pre- enche completamente o primeiro carrinho com mercadorias, uti- liza-se de um segundo, que È preso ao primeiro por meio de um gancho, como demonstra a figura.

UFRRJ - 2008 - Q.38

de um gancho, como demonstra a figura. UFRRJ - 2008 - Q.38 Figura adaptada de http://www.fisicalegal.net

Figura adaptada de http://www.fisicalegal.net

Sabe-se que as massas dos carrinhos est„o distribuÌdas unifor-

memente, e que seus valores s„o iguais a m 1 = 40 kg e m 2 = 22 kg. Paulo puxa o carrinho com uma forÁa constante de mÛdulo igual a 186 N. Admitindo que o plano È perfeitamente horizontal e que È desconsiderada qualquer dissipaÁ„o por atrito, a aceleraÁ„o m·xima desenvolvida pelos carrinhos È de

a) 2,2 m/s 2

*b) 3,0 m/s 2

c) 4,6 m/s 2

d) 8,5 m/s 2 e) 12,1 m/s 2

22

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: C Qual È a marcaÁ„o do dinamÙmetro abaixo?

a)

b)

*c) 100 N

d)

e)

0 N

50 N

150 N

200 N

abaixo? a) b) *c) 100 N d) e) 0 N 50 N 150 N 200 N

(FEI-2008) - ALTERNATIVA: E Na representaÁ„o abaixo, qua l È o mÌnimo coeficiente de atrito est·tico para o corpo permanecer em repouso?

Dados: sen

= 0,8Dados: sen

cos

= 0,6cos

g = 10 m/s 2

a)

b)

c)

d)

*e) 1,33

0,25

0,50

0,75

1,25

= 0,6 g = 10 m/s 2 a) b) c) d) *e) 1,33 0,25 0,50 0,75

(FEI-2008) -ALTERNATIVA: C Assinale a alternativa correspondente a uma afirmaÁ„o correta.

a) A forÁa normal È reaÁ„o da forÁa peso.

b) A lei da aÁ„o e reaÁ„o sÛ È v·lida onde existe gravidade.

*c) A forÁa resultant e È o produto da massa pela aceleraÁ„o.

d) A lei da inÈrcia n„o È v·lida no v·cuo.

e) A aceleraÁ„o de um corpo depende da massa e da velocida-

de do corpo.

(FATECSP-2008) - ALTERANTIVA: D Uma corrente com dez elos, sendo todos de massas iguais, est· apoiada sobre o tampo horizontal de uma mesa totalmente sem atrito. Um dos elos È puxado para fora da mesa , e o sistema È abandonado, adquirindo, ent„o, movimento acelerado. No ins-

tante em que o quarto elo perde contato com a mesa, a acelera- Á„o do sistema È

a) g

b) (2/3).g

c) (3/5).g

*d) (2/5).g

e) (1/10).g

(UFRJ-2008) - RESPOSTA: NO FINAL Uma forÁa horizontal de mÛdulo F puxa um bloco sobre uma me- sa horizontal com uma aceleraÁ„o de mÛdulo a, como indica a figura 1.

com uma aceleraÁ„o de mÛdulo a, como indica a figura 1. Sabe-se que, se o mÛdulo

Sabe-se que, se o mÛdulo da forÁa for duplicado, a aceleraÁ„o ter· mÛdulo 3a , como indica a figura 2. Suponha que, em ambos os casos, a ˙nica outra forÁa horizontal que age sobre o bloco seja a forÁa de atrito - de mÛdulo invari·ve l f - que a mesa exer- ce sobre ele. Calcule a raz„ of/F entre o mÛdulo f da forÁa de atrit o e o mÛdu- lo F da forÁa horizontal que puxa o bloco.

RESPOSTAUFRJ-2008

GABARITO OFICIAL: Aplicando a Segunda Lei de Newton ‡ situ- aÁ„o da figura 1, temos F - f = m a. Aplicando a Segunda Lei de Newton ‡ situaÁ„o ilustrada na figura 2, temos 2F-f=m3a Resolvendo o sistema formado por essas duas equaÁıes, obte- mos f / F = 1 / 2

japizzirani@gmail.com

(UFRJ-2008) - RESPOSTA: NO FINAL Uma mola de constante el·stica k e comprimento natural L est· presa, por uma de suas extremidades, ao teto de um elevador e, pela outra extremidade, a um balde vazio de massa M que pen- de na vertical. Suponha que a mola seja ideal, isto È, que tenha mas- sa desprezÌvel e satisfaÁa ‡ lei de Hooke.

tenha mas- sa desprezÌvel e satisfaÁa ‡ lei de Hooke. a) Calcule a elongaÁ„o x 0

a) Calcule a elongaÁ„o x 0 da mola supondo que tanto o elevador

quanto o balde estejam em repouso, situaÁ„o ilustrada na figura 1, em funÁ„o de M, k e do mÛdulo g da aceleraÁ„o da gravidade.

b) Considere, agora, uma situaÁ„o na qual o elevador se mova

com aceleraÁ„o constante para cim a e o balde esteja em repou- so relativamente ao elevador. Verifica-se que a elongaÁ„o da mola È maior do que a anterior por um valor d , como ilustra a figura 2 .

a anterior por um valor d , como ilustra a figura 2 . Calcule o mÛdulo

Calcule o mÛdulo da aceleraÁ„o do balde em termos de k, M e d.

RESPOSTAUFRJ-2008

GABARITO OFICIAL: As forÁas aplicadas no balde s„o o seu

peso, de mÛdulo Mg, orientada para baixo , e a forÁa el·stica da mola, orientada para cima, de mÛdulo F = kx, sendo x o mÛdulo da elongaÁ„o da mola.

(a) Nessa situaÁ„o, a forÁa resultante sobre o balde È nula, uma

vez que o balde tem aceleraÁ„o nula. Portanto, temos ñMg + kx 0

= 0 , donde x 0 = Mg/k.

(b) Nessa nova situaÁ„o, o balde est· acelerado, de modo que a

forÁa resultante sobre ele satisfaz ‡ Segunda Lei de Newton k(x 0 + d) ñ Mg = Ma , onde a È o mÛdulo da aceleraÁ„o do balde.

Lembrando que kx 0 = Mg , temos kd = Ma, donde a = kd/M .

(UFCE-2008) - RESPOSTA NO FINAL Duas esferas, de mesmo volume (V) e com densidades diferen-

tes 1 e 2 , caem, sem atrito, atraves de um fluido com densida- de . Determine:

a) as forcas que atuam nas esferas.

b) a razao entre as aceleracoes de cada uma das esferas.

RESPOSTA UFCE - 2008:

a) PESOS: P 1 = 1 Vg e P 2 = 2 Vg EMPUXOS: E
a)
PESOS: P 1 = 1 Vg e P 2 = 2 Vg
EMPUXOS: E 1 = E 2 = Vg
b)

23

(UFF/RJ-2008) - ALTERNATIVA: A Professores do Instituto de FÌsica da UFF estudam a din‚mica do movimento de placas geolÛgicas que compıem a crosta terres- tre, com o objetivo de melhor compreender a fÌsica dos terremo- tos. Um sistema simples que exibe os elementos determinantes desta din‚mica È composto por um bloco apoiado sobre uma me- sa horizontal rugosa e puxado por uma mola, como mostrado abaixo. A mola È esticada continuamente por uma forÁa F de mÛ- dulo crescente, mas o bloco permanece em repouso atÈ que o atrito n„o seja mais suficiente para impedir seu deslocamento.

n„o seja mais suficiente para impedir seu deslocamento. Enquanto n„o houver deslizamento, È correto afirmar que:

Enquanto n„o houver deslizamento, È correto afirmar que:

*a) o mÛdulo da forÁa que o bloco faz sobre a mola È igual ao mÛdulo da forÁa de atrito sobre o bloco;

b) o mÛdulo da forÁa de atrito sobre o bloco È maior que o mÛdulo

da forÁa que a mola faz sobre o bloco;

c) o mÛdulo da forÁa de atrito depende da forÁa normal sobre o

bloco, j· que a norma l È a reaÁ„o ao peso;

d) o mÛdulo da forÁa que a mola faz sobre o bloco È maior que o

mÛdulo da forÁa que o bloco faz sobre a mola;

e) o mÛdulo da forÁa de atrito sobre o bloco n„o muda enquanto

a mola È esticada.

(UFPR-2008) - ALTERNATIVA: NO FINAL

O empregado de uma transportadora precisa descarregar de

dentro do seu caminh„o um balc„o de 200 kg. Para facilitar a ta- refa do empregado, esse tipo de caminh„o È dotado de uma ram- pa, pela qual podem-se deslizar os objetos de dentro do cami- nh„o atÈ o solo sem muito esforÁo. Considere que o balc„o est· completamente sobre a rampa e deslizando para baixo. O em- pregado aplica nele uma forÁa paralela ‡ superfÌcie da rampa, segurando-o, de modo que o balc„o desÁa atÈ o solo com velo- cidade constante. Desprezando a forÁa de atrito entre o balc„o

e a rampa, e supondo que esta forme um ‚ngulo de 30 com o

solo, o mÛdulo da forÁa paralela ao plano inclinado exercida pelo

empregado È:

-) 2000 N

-) 1000 3 N

-) 2000 3 N

-) 1000 N

-) 200 N Resposta correta: 1000 N

(PUCMINAS-2008) - ALTERNATIVA: B Um carro est· movendo-se para a direita com uma determinada velocidade, quando os freios s„o aplicados. Assinale a opÁ„o que d· o sentido correto para a velocidade v do carro, sua ace- leraÁ„o a e a forÁa resultante F que atua no carro enquanto ele freia.

forÁa resultante F que atua no carro enquanto ele freia. * japizzirani@gmail.com (UFPR-2008) - RESPOSTA: NO
*
*

japizzirani@gmail.com

(UFPR-2008) - RESPOSTA: NO FINAL Uma caixa se movimenta sobre uma superfÌcie horizontal e, quan- do sua velocidade tem mÛdulo 10 m/s, passa a subir uma rampa, conforme indicado na figura. Sabendo que o coeficiente de atrito entre o bloc o e o material da rampa È 0,75, calcule atÈ que altura, em relaÁ„o ‡ superfÌcie horizontal, a caixa ir· subir nessa ram- pa.

superfÌcie horizontal, a caixa ir· subir nessa ram- pa. RESPOSTAUFPR-2008 Considere a seguinte figura: Resultante na

RESPOSTAUFPR-2008

Considere a seguinte figura:

ram- pa. RESPOSTAUFPR-2008 Considere a seguinte figura: Resultante na direÁ„o do movimento: R = P.sen +

Resultante na direÁ„o do movimento:

R

= P.sen + .N

R v 2 = v 0 2 - 2a.d sen = h/d = m.a =

R

v 2 = v 0 2 - 2a.d sen = h/d

= m.a = mgsen + .mgcos

R v 2 = v 0 2 - 2a.d sen = h/d = m.a = mgsen

d = 25/6 m h = 2,5 m

R v 2 = v 0 2 - 2a.d sen = h/d = m.a = mgsen

a = 12 m/s 2

OUTRA SOLU« O PARA UFPR-2008:

Quando forÁas dissipativas atuam num sistema, o trabalho delas ser· igual ‡ variaÁ„o da energia mec‚nica total, logo

igual ‡ variaÁ„o da energia mec‚nica total, logo E=W f a mgh ñ ( 1/2 )mv

E=W f a

variaÁ„o da energia mec‚nica total, logo E=W f a mgh ñ ( 1/2 )mv 0 2

mgh ñ (1/2 )mv 0 2 = ñ f a .d = ñ N.d (I)

ñ ( 1/2 )mv 0 2 = ñ f a .d = ñ N.d (I) da

da figura acima tem-se:

N

Substituindo-se na equaÁ„o (I) tem-se: h = 2,5 m

N Substituindo-se na equaÁ„o (I) tem-se: h = 2,5 m = mgcos e d = h/sen

= mgcos e d = h/sen

na equaÁ„o (I) tem-se: h = 2,5 m = mgcos e d = h/sen (U.F. VI«OSA-2008)

(U.F. VI«OSA-2008) - ALTERNATIVA: D Em um autÛdromo completamente plano e horizontal, um veÌculo parte da largada no instant et=0e percorre as curvas C 1 , C 2 , C 3 , C 4 e C 5 , conforme indicado na figura abaixo, com uma velocidade constante em mÛdulo.

na figura abaixo, com uma velocidade constante em mÛdulo. Sabendo que o raio de C 2

Sabendo que o raio de C 2 > C 1 = C 3 > C 4 = C 5 , o gr·fico que melhor representa a forÁa que atua sobre o veÌculo ao percorrer o circuito È:

C 4 = C 5 , o gr·fico que melhor representa a forÁa que atua sobre

24

(PUCMINAS-2008) - ALTERNATIVA: B

A figura representa um vag„o, que se move em trilhos retos hori-

zontais, com um pÍndulo simples pendurado em seu teto, estan- do o pÍndulo em repouso em relaÁ„o ao vag„o.

estan- do o pÍndulo em repouso em relaÁ„o ao vag„o. I. O vag„o 1 est· em

I. O vag„o 1 est· em movimento uniformemente variado.

II. O vag„o 2 move-se para a direita em movimento acelerado.

III. O vag„o 2 move-se para a direita em movimento retardado. IV. O vag„o 3 move para a esquerda em movimento acelerado.

V. O vag„o 3 move-se para a direita em movimento retardado.

S„o CORRETAS as afirmaÁıes:

a) I, II, III e V est„o corretas.

*b) II, IV e V apenas.

c) III, I V e V apenas.

d) I, II, III e IV.

(PUCMINAS-2008) - ALTERNATIVA: 33-B e 34-A

As questıes 33 e 34 referem-se ao texto a seguir. Um dos atrativos da vida na Lua em geral era, sem d˙vida algu- ma, a baixa gravidade, produzindo uma sensaÁ„o de bem- estar generalizada. Contudo, isso, apresentava os seus peri- gos e era preciso que decorressem algumas semanas atÈ que

o emigrante procedente da Terra conseguisse adaptar-se. Um homem que pesasse na Terra noventa quilogramas-forÁa (90

kgf) poderia descobrir, para grande satisfaÁ„o sua, que na Lua seu peso seria de apenas 15 kgf. Se deslocasse em linha reta

e velocidade constante, sentiria uma sensaÁ„o maravilhosa,

como se flutuasse. Mas, assim que resolvesse alterar o seu curso, virar esquinas ou deter-se subitamente, ent„o percebe- ria que sua massa continuava presente.

(Adaptado de 2001: Uma odissÈia no espaÁo , de Arthur C.Clark apud Beatriz Alvarenga e Antonio Maximo Ribeiro da Luz. Curso de FÌsica.)

33. Considerando-se a gravidade na Terra como 10 m/s 2 e 1kgf

= 10 N, È CORRETO afirmar que a gravidade na Lua ser·:

a) nula, a pessoa estaria sujeita apenas aos efeitos de sua prÛ-

pria massa. *b) aproximadamente de 1,6 m/s 2 .

c) aproximadamente 10m/s 2 , o que mudaria para o emigrante

terrestre na Lua È sua massa, que diminuiria.

d) aproximadamente 10m/s 2 e estaria na vertical para cima, faci-

litando a flutuaÁ„ o e o deslocamento dos objetos.

34. Considere um corpo na Lua, colocado em uma superfÌcie pla-

na e que, sobre ele, atue uma forÁa horizontal conforme ilustra- do a seguir. Os coeficientes de atrito est·tico e cinÈtico entre o objet o e a superfÌcie sobre a qual ele est· apoiado valem respec-

tivamente e = 0,2 e c = 0,1.

apoiado valem respec- tivamente e = 0,2 e c = 0,1. F = 1,34 N Assinale
apoiado valem respec- tivamente e = 0,2 e c = 0,1. F = 1,34 N Assinale

F = 1,34 N

Assinale a afirmaÁ„o CORRETA sobre o objeto.

*a) Ir· adquirir uma aceleraÁ„o de aproximadamente 0,5 m/s 2 .

b)

N„o entrar· em movimento, pois a forÁa externa È menor que

a

forÁa de atrito m·xima.

c)

Ir· adquirir uma aceleraÁ„o de 1,67 m/s 2 .

d)

Ir· deslocar-se em movimento retilÌneo uniforme.

japizzirani@gmail.com

(UNIOESTE/PR-2008) - ALTERNATIVA: A Um dos mÈtodos que podem ser usados para medir experimen- talmente o coeficiente de atrito est·tico entre um corpo e uma su- perfÌcie consiste em colocar o corpo sobre uma superfÌcie que pode ser elevada em torno de um eixo posicionado em uma de suas extremidades, conforme mostra a figura abaixo. Deve-se elevar a extremidade livre atÈ que o corpo esteja na eminÍncia de escorregar e, ent„o, anotar o ‚ngulo . Supondo que o corpo tem peso P e realizando o procedimento conforme descrito, qual deve ser o valor do coeficiente de atrito est·tico?

qual deve ser o valor do coeficiente de atrito est·tico? *a) tg   b) cos c)
qual deve ser o valor do coeficiente de atrito est·tico? *a) tg   b) cos c)

*a) tg

 

b) cos

c) sen

d) sen

+ cos

e) sen

- cos

b) cos c) sen d) sen + cos e) sen - cos (UECE/CE-2008) - ALTERNATIVA: B

(UECE/CE-2008) - ALTERNATIVA: B

Assinale a alternativa que, de acordo com a fÌsica newtoniana, contÈm apenas grandezas (fÌsicas) que n„o dependem do refe- rencial inercial adotado.

a) Trabalho e energia cinÈtica

*b) ForÁa, massa e aceleraÁ„o

c) Massa, energia cinÈtica e aceleraÁ„o

d) Temperatura e velocidade

(UECE/CE-2008) - ALTERNATIVA: B Ao bloco da figura a seguir, È dada uma velocidade inicial v, no sentido de subida do plano inclinado, fixo ao ch„o. O coeficiente

e a inclinaÁ„o do plano È .

de atrito entre o bloc o e o plano È

QUEST O 33

È . de atrito entre o bloc o e o plano È QUEST O 33 Denotando
È . de atrito entre o bloc o e o plano È QUEST O 33 Denotando

Denotando por g a aceleraÁ„o da gravidade, a dist‚ncia que o bloco se mover·, atÈ parar, ao subir ao longo do plano inclinado È:

a)

*b)

c )

d)

da gravidade, a dist‚ncia que o bloco se mover·, atÈ parar, ao subir ao longo do

25

(UFTPR-2008) - ALTERNATIVA: A Um corpo de peso P encontra-se em equilÌbrio sobre um plano in- clinado, conforme a representaÁ„o figurada. Se o ‚ngulo do pla- no com a horizontal È de 30 e o atrito entre as superfÌcies em contato È desprezÌvel, a forÁa de traÁ„o na corda È igual a:

È desprezÌvel, a forÁa de traÁ„o na corda È igual a: *a) 0,5.P b) ( 3/3).P
*a) 0,5.P b) ( 3/3).P c) ( 3/2).P d) 2.P e) 3.P
*a)
0,5.P
b) ( 3/3).P
c) ( 3/2).P
d) 2.P
e) 3.P

(UTFPR-2008) - ALTERNATIVA: C

O sof· de Dona AmÈlia pesa 300 N. Durante uma limpeza, ela te-

ve de desloc·-lo sobre o piso da sala com velocidade constante. Para tal, foi necess·rio aplicar uma forÁa horizontal de intensida-

de de 1,0 10 2 N. O coeficiente de atrito din‚mico entre o bloco

e

o piso da sala vale:

a)

3,0 10

b)

3,3 10

*c)

3,3 10 -1

d)

1,5 10 -1

e)

2,0 10 -1

(UTFPR-2008) - ALTERNATIVA: B Soldados do Corpo de Bombeiros, em certos casos de salvamen- to, costumam fazer a manobra representada na figura a seguir. Considerando que o soldado, suspenso na corda est· parado,

sua massa seja de 60 kg e que T A e T B sejam as traÁıes na cor- da, respectivamente, nos lados esquerdo e direito. (Dado : g = 10 m/s 2 ; sen30 = cos60 = 0,5; sen60 = cos30 =

0,87)

; sen30 = cos60 = 0,5; sen60 = cos30 = 0,87) Considerando estas informaÁıes, analise as

Considerando estas informaÁıes, analise as seguintes afirma-

Áıes:

I) As traÁıes T A e T B seriam iguais ainda que o bombeiro n„o esti- vesse no ponto mÈdio da corda.

II) Os valores de T A , T B e P ser„o iguais se for igual a 30 .

T A , T B e P ser„o iguais se for igual a 30 . III)

III) Os valores de T A , T B e P ser„o iguais se for igual a 45 .

Est„o corretas:

a) apenas I.