P. 1
teste gil vicente com correcção

teste gil vicente com correcção

|Views: 11.582|Likes:
Publicado porPaula Cruz
teste gil vicente (onzeneiro e Fidalgo)
teste gil vicente (onzeneiro e Fidalgo)

More info:

Published by: Paula Cruz on Oct 28, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/19/2013

pdf

text

original

TESTE DE AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA

GRUPO I Lê o mapa e o texto. Em caso de necessidade, consulta o vocabulário apresentado a seguir ao texto.
TEXTO A – ESTÁ NA MODA APRENDER PORTUGUÊS

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

1

Selecciona, para responderes a cada item (1.1. a 1.5.), a opção que permite obter a afirmação adequada ao sentido do mapa e do texto. Escreve o número do item e a letra correspondente a cada opção que escolheres.

1.1. O mapa contém a indicação do número de (A) países em que a língua oficial é o português. (B) residentes portugueses em diferentes países e continentes. (C) imigrantes oriundos de vários países e residentes em Portugal. (D) estudantes de português em diferentes países e continentes 1.2. De acordo com o mapa, o número de portugueses residentes no Brasil é (A) inferior ao número de portugueses residentes em Espanha. (B) inferior ao número de portugueses residentes no Reino Unido. (C) superior ao número de portugueses residentes na Alemanha. (D) superior ao número de portugueses residentes em França.

1.3. No texto, a informação de que o português está em expansão em Espanha é apresentada como sendo um facto (A) preocupante. (B) tranquilizador. (C) previsível. (D) surpreendente. 1.4. De acordo com o texto, o interesse crescente pela língua portuguesa, na China, deve-se à vontade de (A) conhecer o futebol português. (B) fazer turismo em Portugal. (C) estabelecer negócios em África. (D) investir na economia brasileira. 1.5. Na linha 17, a palavra «todavia» pode ser substituída pela expressão (A) por isso. (B) além disso. (C) por conseguinte. (D) no entanto.

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

2

TEXTO B

Vem um Onzeneiro, e pergunta ao Arrais do Inferno, dizendo: ONZENEIRO Pera onde caminhais? DIABO Oh! que má-hora venhais, onzeneiro, meu parente! Como tardastes vós tanto? ONZENEIRO Mais quisera eu lá tardar... Na safra do apanhar me deu Saturno quebranto. DIABO Ora mui muito m'espanto nom vos livrar o dinheiro!... ONZENEIRO Solamente para o barqueiro nom me leixaram nem tanto... DIABO Ora entrai, entrai aqui! ONZENEIRO Não hei eu i d'embarcar! DIABO Oh! que gentil recear, e que cousas pera mi!... ONZENEIRO Ainda agora faleci, leixa-me buscar batel! DIABO Pesar de Jam Pimentel! Porque não irás aqui?... ONZENEIRO E pera onde é a viagem? DIABO Pera onde tu hás-de ir. ONZENEIRO Havemos logo de partir? DIABO Não cures de mais linguagem. ONZENEIRO Mas pera onde é a passagem? DIABO Pera a infernal comarca. ONZENEIRO Dix! Nom vou eu tal barca. Estoutra tem avantagem. Vai-se à barca do Anjo, e diz: Hou da barca! Houlá! Hou! Haveis logo de partir? ANJO E onde queres tu ir? ONZENEIRO Eu pera o Paraíso vou. ANJO Pois cant'eu mui fora estou de te levar para lá. Essoutra te levará; vai pera quem te enganou! ONZENEIRO Porquê?

ANJO

Porque esse bolsão tomará todo o navio. ONZENEIRO Juro a Deus que vai vazio! ANJO Não já no teu coração. ONZENEIRO Lá me fica, de rondão, minha fazenda e alhea. ANJO Ó onzena, como és fea e filha de maldição! Torna o Onzeneiro à barca do Inferno e diz: ONZENEIRO Houlá! Hou! Demo barqueiro! Sabês vós no que me fundo? Quero lá tornar ao mundo e trazer o meu dinheiro. que aqueloutro marinheiro, porque me vê vir sem nada, dá-me tanta borregada como arrais lá do Barreiro. DIABO Entra, entra, e remarás! Nom percamos mais maré! ONZENEIRO Todavia... DIABO Per força é! Que te pês, cá entrarás! Irás servir Satanás, pois que sempre te ajudou. ONZENEIRO Oh! Triste, quem me cegou? DIABO Cal'te, que cá chorarás. Entrando o Onzeneiro no batel, onde achou o Fidalgo embarcado, diz tirando o barrete: ONZENEIRO Santa Joana de Valdês! Cá é vossa senhoria? FIDALGO Dá ò demo a cortesia! DIABO Ouvis? Falai vós cortês! Vós, fidalgo, cuidareis que estais na vossa pousada? Dar-vos-ei tanta pancada com um remo que renegueis!

1. “(…) onzeneiro, meu parente!” Explica este verso proferido pelo Diabo. 2. ”Ora mui muito m'espanto / nom vos livrar o dinheiro!...” 2.1. Indica qual o recurso expressivo utilizado nesta frase e explicita o seu valor expressivo.

3. Quando entra em cena, o Onzeneiro traz consigo um símbolo cénico. 3.1. Diz qual é e indica qual o seu valor simbólico.

4. Diz quais os argumentos de acusação usados pelo Diabo e pelo Anjo.
EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

3

5. Chegado ao cais, naturalmente que o Onzeneiro desejava entrar na Barca da Glória. Para isso apresenta argumentos para a defesa da sua pretensão. 5.1. Que argumentos foram usados pelo Onzeneiro para sua defesa?

6. Selecciona o verso que manifesta a tomada de consciência do erro do Onzeneiro.

7. Apresenta a razão do cumprimento do Onzeneiro ao Fidalgo.

8. Aponta a finalidade da escolha desta personagem, neste auto de Gil Vicente.

GRUPO II

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas. 1. Completa cada uma das frases seguintes, usando as formas verbais apresentadas no quadro. Escreve o número do item, a alínea e a forma verbal que lhe corresponde. O juiz exigiu que as testemunhas _____ a) _____ naquele mesmo dia, em tribunal.

Actualmente ____b) _____ muito o ambiente, mas há cada vez mais animais em risco. Antigamente , _____ c)_____ mais espécies marinhas nos mares de todo o mundo.

No futuro, novas espécies _____ d) _____ enriquecer a fauna dos oceanos.

existiam defende-se

dispusessem virão

viram haviam

defendesse depusessem

2. « Não hei eu i d'embarcar!» a. b. c. Identifica o tipo e a forma da frase. Classifica morfologicamente as palavras sublinhadas. Identifica o fenómeno fonético que ocorreu na seguinte palavra:
i > aí

3. Classifica as palavras “madre” e “mãe” quanto à sua evolução. Madre mater : Mãe

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

4

GRUPO III Em conversa com o arrais do Inferno, o Fidalgo tomou consciência da leviandade de algumas mulheres na sociedade quinhentista. Redige uma carta, em nome do Fidalgo, com um mínimo de 100 e um máximo de 120 palavras, dirigida às suas mulheres, onde ele mostre o quão decepcionado está com elas e onde as avise do que as espera.
O texto deve apresentar a disposição gráfica dos elementos distintivos da carta (data, fórmulas de abertura e de despedida...).

Cotação:

Grupo I 1.1 1.2 1.3 1.4 1.5 1 21 31 4 5.1 6 7 8 Grupo II 1 2a 2b 2c 3 Grupo III

3 3 3 3 3 4 6 4 4 3 3 5 6 6 4 3 3 4 30

As professoras: Amélia Rolo, Armanda Costa, Carla Pires, Fernanda Martins Fátima Morais, Fátima Tavares e Paula Cruz

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

5

TESTE GIL VICENTE – Cenários de resposta. GRUPO I 1.1. B 1.2. C 1.3 D 1.4 C 1.5. D

9. “(…) onzeneiro, meu parente!” Explica este verso proferido pelo Diabo.
O verso indica a familiaridade e a cumplicidade entre o Onzeneiro e o Diabo. "Irás servir Satanás /porque sempre te ajudou." (vv. 241-242). 10. ”Ora mui muito m'espanto / nom vos livrar o dinheiro!...” 10.1. Indica qual o recurso expressivo utilizado nesta frase e explicita o seu valor expressivo. O recurso estilístico é a ironia que realça o facto de o Diabo saber que o dinheiro não o livraria do Inferno.

11. Quando entra em cena, o Onzeneiro traz consigo um símbolo cénico. 11.1. Diz qual é e indica qual o seu valor simbólico.
O bolsão é um símbolo caracterizador do Onzeneiro que significa o dinheiro recebido a juros altos. Representa a cobiça, usura, avareza, ganância..

12. Diz quais os argumentos de acusação usados pelo Diabo e pelo Anjo.

O bolsão é um dos argumentos de acusação do Anjo, pelo facto de este não caber na barca. Apesar de o Onzeneiro se defender, dizendo que vai vazio, o Anjo contra-argumenta, afirmando que o "coração" dele estava cheio de cobiça, usura, avareza, ganância. O Arrais do Inferno, tratando-o com familiaridade, mostra-lhe que uma vez que Satanás sempre o ajudou, é a vez dele entrar na Barca do Inferno.
13. Chegado ao cais, naturalmente que o Onzeneiro desejava entrar na Barca da Glória. Para isso apresenta argumentos para a defesa da sua pretensão. 13.1. Que argumentos foram usados pelo Onzeneiro para sua defesa?

O Onzeneiro defende-se, dizendo que o bolsão vai vazio e sente-se" constrangido" por não ter dinheiro para pagar ao barqueiro.

14. Selecciona o verso que manifesta a tomada de consciência do erro do Onzeneiro.
O verso que manifesta a tomada de consciência é "ó triste, quem me cegou?" (v. 243)

15. Apresenta a razão do cumprimento do Onzeneiro ao Fidalgo.

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

6

O Onzeneiro conhecia o Fidalgo por ter sido seu cliente e provavelmente ter contraído empréstimos, o que revela o costume dos Fidalgos viverem acima das suas posses económicas.

16. Aponta a finalidade da escolha desta personagem, neste auto de Gil Vicente.
A finalidade da escolha desta personagem é a crítica à exploração a juros altos, à cobiça, à ganância,...

Responde aos itens que se seguem, de acordo com as orientações que te são dadas. 4. Completa cada uma das frases seguintes, usando as formas verbais apresentadas no quadro. Escreve o número do item, a alínea e a forma verbal que lhe corresponde. O juiz exigiu que as testemunhas depusessem naquele mesmo dia, em tribunal. Actualmente defende-se muito o ambiente, mas há cada vez mais animais em risco. Antigamente, existiam mais espécies marinhas nos mares de todo o mundo. No futuro, novas espécies virão enriquecer a fauna dos oceanos. 5. « Não hei eu i d'embarcar!» d. Identifica o tipo e a forma da frase.

Tipo Exclamativo / forma negativa. e. Classifica morfologicamente as palavras sublinhadas. Não- advérbio de negação Eu – pronome pessoal Embarcar - verbo
f.

Identifica o fenómeno fonético que ocorreu na seguinte palavra: palavras:
i > aí

prótese

Madre matre : Mãe

6. Classifica as palavras madre e mãe quanto à sua evolução. Madre e mãe são palavras divergentes. Madre via erudita, mãe via popular.

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

7

Grupo III O texto deve apresentar a disposição gráfica dos elementos distintivos da carta (data, fórmulas de abertura e de despedida...). O texto deve incluir: – abertura que contextualize a situação; – desenvolvimento e desfecho adequados. Produz um discurso coerente: • com informação pertinente; • com progressão temática evidente; • com abertura e fecho adequados. Utiliza vocabulário variado adequado. 12

18

Desvalorização Afasta-se da extensão requerida: 2 pontos

EBS do Cerco - Turma Rede – 9.º ano

8

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->