Você está na página 1de 29

O Poder das máscaras de argilas

A capacidade de um profissional do segmento estético em alcançar resultados


favoráveis em seus procedimentos está intimamente ligada à sua relação com a
Natureza. Seu poder está intimamente relacionado ao conhecimento que ele possui dos
recursos por ela oferecidos para curar, hidratar, reconstituir, desintoxicar, revitalizar,
equilibra ou qualquer outra ação que se proponha.

As máscaras são poderosas auxiliares nos tratamentos estéticos. Elas reforçam e


resolvem todo o tipo de problemas em poucos minutos, principalmente pelo poder e
concentração de seus elementos, que funcionam como um verdadeiro tratamento de
choque, simples, mas extremamente eficiente.

Ampliando o poder das argilas, os óleos essenciais integram uma sinergia perfeita que
completa as ações dos minerais encontrados nas argilas. Os óleos essenciais são
substâncias encontradas sob forma líquida ou sólida nas folhas, caules, frutos, raízes ou
casca de vegetais, possuindo propriedades específicas que beneficiam a pele e
complementam o tratamento. Para que o uso das máscaras de argilas seja
potencializado, faz-se necessário o domínio de informações básicas sobre os produtos a
serem utilizados e os procedimentos básicos que os acompanham:

O que é argila?

É um material natural, composto por partículas extremamente pequenas de silicato


minimizado (ou silicato de alumínio), além de diversos oligoelementos, destacando
entre os minerais encontrados, o silício - segundo elemento mais abundante na natureza.
As diferentes fontes de extração produzem silicatos minimizados de diferentes tipos e
concentrações. Como por exemplo o Titânio, Magnésio, Cobre, Zinco, Alumínio,
Cálcio, Potássio, Níquel, Manganês, Lítio, Sódio, e Ferro. Porém, as diversas
constituições das argilas não modificam suas principais atuações, promovendo a ação
absorvente, cicatrizante e anti-séptica. Os minerais encontrados nas argilas funcionam
como potenciadores de determinados efeitos, conforme a sua concentração. Quando
estes minerais estão em doses ínfimas, são chamados de oligoelementos, mas seu efeito
remineralizante se faz notar mesmo nestas quantidades.

Quais são as argilas e suas diferentes composições?

ARGILA VERDE: rica em silício e diversos oligoelementos. Desinfiltra o interstício


celular, é esfoliante suave, promove a desintoxicação e regula a produção sebácea.
Efeitos: desintoxicante e adstringente.

ARGILA BRANCA: rica em silício e alumínio e diversos oligoelementos. Promove


aumento na oxigenação de áreas congestionadas, a uniformização pela esfoliação suave
e regula a queratinização. Efeito: revitalizador.

ARGILA CINZA: rica em silício e alumínio e diversos oligoelementos. Efeitos:


antiinflamatório e cicatrizante.

ARGILA VERMELHA: rica em silício e ferro e oligoelementos. Regula a


microcirculação cutânea, sendo recomendada para peles sensíveis, com couperose e
avermelhadas. Efeitos: regulador e tensor.

ARGILA AMARELA: rica em silício, alumínio e oligoelementos. Resulta em efeito


tensor e ativador da circulação produzido pelo ferro, além do seu maior teor de potássio.
Contribui para o equilíbrio iônico e hidratante do gel celular. Efeitos: desinfiltrante,
adstringente e desintoxicante.

ARGILA MARROM: Argila rara com elevado teor de silício, alumínio e titânio e
outros oligoelementos. Resulta em efeito ativador da circulação, além de contribuir com
um efeito equilibrador e revitalizador. Efeitos: desinfiltrante, adstringente e
desintoxicante.

ARGILA PRETA: Argila rara com elevado teor de silício, alumínio e titânio e outros
oligoelementos. Resulta em efeito ativador da circulação,adstringente além de contribuir
com a renovação celular. Efeitos: antiinflamatório, cicatrizante, tensor e desintoxicante.

Como criar tratamentos faciais com argilas?

Você pode criar diversos tratamentos individualizados de acordo com o tipo de pele
ou o problema estético. Mas não faça dessas sugestões seu único referencial.
Experimente e crie novas combinações seguindo a tabela de indicações e sinergias como
uma referência inicial. Depois é só procurar conhecer as propriedades dos óleos
essenciais e aplicá-los conforme as indicações.

É também muito importante observar o tipo de pele para que a escolha do carreador
possa beneficiar a epiderme. Os carreadores podem ser emolientes, nutritivos e até
hidratantes.

Os carreadores em gel atendem as peles oleosas ou acnéicas. Já os que estão em forma


de creme, são bastante recomendáveis que sejam formulados com óleo vegetal e não
com óleo mineral, para que não dificulte a penetrabilidade dos óleos essenciais, além de
evitar as formulações dos cosméticos que contenham perfumes, para não interferir na
associação com óleos essenciais.

Qual a melhor máscara para cada caso?

São as máscaras hidratantes, à base de agentes emolientes e umectantes que atraem a


água à superfície da epiderme tais com os óleos vegetais e essenciais.

As máscaras faciais de argila servem para limpar, nutrir, e revitalizar a pele, através da
eliminação de toxinas, da micro esfoliação e do estímulo da circulação sangüínea local.
Também podem acalmar e hidratar, dependendo dos ingredientes utilizados.

No entanto, é importante que se utilize argila de boa procedência, dissolvida em água


mineral ou destilada ou associada ao gel neutro.

Como usá-las?

Antes de aplicar uma máscara, faça uma higienização na pele, para facilitar a atuação
dos ativos. Não é necessário fazer uma esfoliação prévia, pois a argila vai funcionar
também como esfoliante. Salvo indicação em contrário, evite aplicar na área do
contorno dos olhos.

As argilas preparadas com gel neutro e óleos essenciais não necessitam de acréscimo
de água. Coloque até 3 gotas de óleo essencial em 10 g de máscara gel neutro e misture
com 20 g de argila.Misture bem e aplique como uma máscara cremosa.

Dessa forma os óleos essenciais compõem uma forma bem diversificada de criar
diferentes tipos de máscaras.

A partir de algumas misturas básicas, pode-se criar um programa de tratamentos


personalizados, combinando os benefícios de máscaras diferentes. Uma máscara
hidratante, por exemplo, pode ser aplicada na seqüência de uma clareadora.

Vejamos alguns exemplos:

Para peles oleosas e combinadas.

Para peles acnéicas acrescente, 2 gotas de tea tree.

Máscara de ARGILA VERDE com O . E. de hortelã-pimenta - 1 gota, com O . E. de


cipreste- 2 gotas.

Ação:
Máscara adstringente e refrescante que combina a micro esfoliação da argila verde
com o efeito tensor e adstringente do óleo essencial de cipreste, para promover
tonicidade e maciez à pele, bem como a ação descongestionante e refrescante do óleo de
hortelã-pimenta. Promove uma suave sensação de frescor. Auxilia no controle da
oleosidade.

Para peles sensíveis, desidratadas e manchadas.

Máscara de ARGILA BRANCA com O . E. de lavanda - 2 gotas, com O . E. de


palmarosa - 1 gota.

Máscara hidratante e regeneradora, que combina o poder revitalizante e cicatrizante da


argila branca com a ação citofilática do óleo essencial de lavanda e palma rosa, para
promover a maciez e o clareamento da pele, restaurando o viço e a luminosidade.

Para peles envelhecidas e cansadas.

Máscara de ARGILA PRETA com O . E. de copaíba - 2 gotas, com O . E. de


gengibre- 1 gota.

Máscara regeneradora e nutritiva para peles cansadas e desvitalizadas que combina, de


forma sinérgica, o efeito estimulante do gengibre com a ação regenerativa e hidratante
da copaíba, potencializado pela renovação celular promovida pela ação esfoliante da
argila.
Para todo tipo de pele inflamada.

Máscara de ARGILA CINZA com O . E. de gerânio - 1 gota, com O . E. de tea tree


(melaleuca) - 2 gotas e lavanda 1 gota.

Máscara cicatrizante e antiinflamatória, produzida pela argila com a ação dos óleos
essenciais de gerânio e lavanda, que ajudam a equilibrar as peles com acne de origem
hormonal, por tensão ou estresse.

Para peles mistas e desvitalizadas.

Máscara de ARGILA MARROM com óleo essencial de laranja - 1 gota e O. E. de


mirra.- 1gota, O. E. de lavanda - 1 gota.

Máscara esfoliante e nutritiva, que combina a micro esfoliação produzida pela argila e
potencializada pelos óleos essenciais de mirra e laranja. Ajuda no tratamento de rugas
finas, peles manchadas e desvitalizadas.

Para peles oleosa e asfixiada.

Máscara de ARGILA AMARELA com óleo essencial de cipreste - 1 gota e O. E. de


copaíba.- 1gota, O. E. de lavanda - 1 gota .

Máscara revitalizante e adstringente que combina a micro esfoliação produzida pela


argila e potencializada pelos óleos essenciais de cipreste e copaíba. Ajuda no tratamento
de peles desvitalizadas e com rugas finas, com poros dilatados.
Como usar argila em uma seqüência de tratamento de acne?

Esfoliante suave: (Somente para acne grau 1, nos demais não fazer a esfoliação).

Aplicar suavemente 5 ml de óleo vegetal de calêndula com 1gota de OE de limão.

Aplicar em seguida cerca de 30g de argila verde ou branca diluída em água mineral.

Deixar agir por cinco minutos. Remover fazendo uma leve esfoliação.

Emoliência:

Pode ser usado óleo de eucalipto, lavanda ou alecrim durante a aplicação do vapor. Os
fabricantes costumam ter um recipiente próprio para esta etapa. Não coloque óleo
diretamente na água, pois óleos essenciais não são solúveis em água.

Extração:

Proceda como o indicado em cada caso.

O óleo de tea tree pode ser usado como bactericida e hemostático. Tome o cuidado de
fazer o teste de sensibilidade. Ele poderá ser usado logo após a extração, puro, com um
cotonete, um a um. Não use desta forma caso as lesões sejam em grande quantidade.
Máscara facial finalizadora:

Indicação dos óleos para cada caso:

a) Peles sensíveis
- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
camomila

b) Peles edemaciadas e inflamadas


- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
gerânio.

c) Peles seborréicas
- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
cedro

d) Peles congestionadas
- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
cedro

modo de aplicação:

· Aplicar uma camada espessa em todo o rosto e colo sobre uma gaze embebida em
spray aromático de lavanda. Deixar agir por 10 minutos.
· Remover a máscara utilizando o spray de lavanda. Finalizar removendo o excesso
com algodão molhado.

Spray aromático finalizador:

Spray aromático de lavanda ou qualquer outro óleo essencial indicado.

Para preparar um volume de 100ml, Diluia até 10 gotas de OE. em 10 ml de álcool de


cereais, depois acrescente 90 ml de água destilada.
Manutenção:

Lavar o rosto com sabonete indicado, aplicar em seguida o spray de lavanda. Deixa
secar naturalmente.

Sobre as pápulas e pústulas aplicar com cotonete uma gota de OE de tea tree, uma vez
ao dia até secar.

Em peles sensíveis é importante fazer um teste de sensibilidade antes de usar

Trabalhar com argilas no segmento estético pode parecer para muitos uma grande
novidade, mas não podemos perder de vista que há registros milenares apontando o uso
de máscaras de argilas como prática terapêutica, podendo citar a civilização egípcia, que
gerou grandes contribuições na área da Aromaterapia. Muito do que sabemos advém de
um exercício de resgate dessa fantástica cultura.
Cabe a nós continuarmos estudando, pesquisando, divulgando e nos aprimorando cada
vez mais, não nos satisfazendo com o que nos é dado "pronto". A partir do
conhecimento adquirido, exercitar a intuição, integrando as experiências práticas,
desenvolvendo estudos de casos e formatando novos protocolos. Assim, estaremos
contribuindo para a evolução da Estética.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

A Aromaterapia e a Geoterapia aplicadas aos procedimentos estéticos: Um enfoque


sobre o uso dos óleos e argilas com os resultados que você quer!

A Aromaterapia e a Geoterapia, ambas conhecidas milenarmente, ressurgem como


a nova tônica de tratamentos naturais capazes de produzir saúde e bem-estar, no
verdadeiro sentido holístico de cuidar. A Geoterapia, como é chamado o uso de
diferentes tipos de argilas em tratamentos terapêuticos ou estéticos, tem o seu
poder ampliado enormemente, quando associada ao uso dos óleos essenciais - a
forma aromática das plantas utilizadas em Aromaterapia. Os óleos essenciais, são
as substâncias encontradas sob forma líquida ou sólida nas folhas, flores, caules,
frutos, raízes ou casca de vegetais, possuindo propriedades específicas, que
beneficiam a pele e complementam os procedimentos estéticos de forma única,
fazendo uma sinergia perfeita que completa as ações dos minerais encontrados nas
argilas que são formadas por partículas extremamente pequenas de silicato de
alumínio minimizado, além de diversos oligoelementos. As propriedades mais
importantes de uso cosmético que as argilas apresentam são relativas à ação
absorvente, anti - seborréica, cicatrizante e anti-séptica, assim como são os óleos
essenciais, que além disso, apresentam o poder de afetar as emoções. Para esse
tipo de procedimento estético, podem-se criar diversos tratamentos
individualizados, principalmente na forma de máscaras faciais, corporais ou
capilares, de acordo com o tipo de pele ou do problema que se apresenta. O
diferencial da associação com a aromaterapia é o fato de poder criar as mais
diferentes misturas, que atendam as necessidades de todos os tipos de pele, e que
se dá através da escolha correta do carreador, isto é, o veiculo de diluição dos óleos
essenciais. Eles podem ser em gel, ou creme, mas é recomendável que sejam
formulados com óleo vegetal - o carreador básico da aromaterapia. Isso tudo torna
o uso desses produtos naturais perfeitamente atuais na cosmetologia moderna,
desde que as formulações dos cosméticos não contenham perfumes sintéticos, para
não interferir na associação com óleos essenciais advindos de plantas aromáticas,
utilizando ainda a argila de forma limpa e prática.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

A massagem aromaterápica

A massagem aromaterápica pode não ser o passo mais importante no tratamento de


beleza, mas sem dúvida nenhuma é o que traz maior prazer e muitos benefícios,
especialmente quando usamos óleos essenciais. Neste caso, estamos disponibilizando o
poder de plantas aromáticas e seus mais variados efeitos no corpo, mente e alma.

Enquanto os efeitos dos óleos essenciais podem ser em alguns, sedativos, outros são
estimulantes; alguns analgésicos, outros cicatrizantes e citofiláticos, ou tudo isso junto
em um só óleo. Já a massagem é responsável por proporcionar uma intimidade maior
entre o cliente e o profissional, pois quase todos os sistemas do corpo são por ela
afetados, produzindo um relaxamento e uma sensação de bem-estar através do toque. A
massagem pode também auxiliar o corpo a se nutrir, aumentando a circulação sangüínea
e diminuindo o esforço do coração para sua completa circulação. Isso traz como
conseqüência uma quantidade maior de nutrientes e oxigenação para as células, os
tecidos e órgãos. Por isso, uma massagem aromaterápica tem como resultado dupla
vantagem e aplicabilidade.

Por outro lado, a massagem traz um maior benefício pelo poder dos óleos essenciais
em potencializar alguns dos efeitos esperados, tais como reduzir a dor, aliviar a fadiga e
tonificar os músculos. A massagem também suaviza a pele, uma vez que ajuda a
remover células mortas e minimiza rugas somente com suas manobras específicas. Mas
isso não é tudo, porque durante uma massagem aromaterápica, há uma ligação estreita
entre o aspecto físico e o psicológico, pois as tensões retidas nos tecidos são aliviadas
através dela, tanto a nível fisiológico como também pelo fato desses mesmos óleos
estarem atingindo o sistema límbico - diretamente através do olfato, que produz efeitos
emocionais imediatos -, junto como os efeitos imediatos proporcionados pela absorção
percutânea dos óleos essenciais.

Falar de efeitos emocionais que os óleos essenciais podem proporcionar sem


mencionar seus efeitos físicos é como olhar uma moeda por um lado só. Uma escolha
aromaterápica deve caminhar necessariamente dentro de uma visão holística, ou seja, o
homem em seus aspectos biofísico e social global. Não perder o foco do individuo como
um todo, uno e indivisível é premissa básica da massagem aromaterápica e
conceitualmente da Aromaterapia como uma terapia holística.

Não podemos fazer escolhas baseadas somente no fato de um cliente estar estressado,
sem considerar suas mais variadas formas de manifestações desse estresse, sejam elas as
rugas mais acentuadas de uma noite mal dormida ou pela pele desvitalizada -
conseqüência freqüente da má alimentação e falta de ingestão de água - , males comuns
de uma vida agitada dos grandes centros urbanos frenéticos e agitados.

Os óleos essenciais atuam na pele, mas também ajudam a criar um momento mágico
de profundo relaxamento, de conforto e bem-estar. A escolha dos óleos essenciais deve
seguir o critério de agrado olfativo, ao propósito dos cuidados com a pele e o enfoque
emocional do trabalho.

A escolha olfativa de acordo com o momento.


Os diferentes aspectos relativos às escolhas aromaterápicas podem resultar em
sinergias diferentes. Fala-se muito em sinergia relaxante, mas quantas possibilidades se
abrem diante de uma escolha de óleos relaxantes? Talvez seja esse exatamente o maior
desafio em se trabalhar com óleos essenciais: fazer a escolha diante de um universo
infindável de possibilidades. Este não deve ser um fator limitador e inibidor de seu uso
e sim, uma forma de caminhar para uma especificidade delimitada por escolha olfativa
agradável ao indivíduo a quem se destina essa massagem.

O que é o efeito relaxante?


Quando ocorre a diminuição da tensão mental ou muscular e conseqüentemente a
produção de uma sensação de repouso e bem-estar.

Óleos relaxantes e analgésicos:


Para aqueles momentos em que a tensão traz dor muscular, fadiga e cansaço. Se a
massagem ocorre em diferentes tipos de pele, a escolha pode ser direcionada:
* Em peles sensíveis e/ou desvitalizadas: lavanda, camomila e rosa.
* Em peles oleosas: pinho, rosa e manjerona.

Óleos relaxantes e adstrigentes:

Biótipos cutâneos pedem óleos com ação específica quanto ao seu aspecto:

* Em peles sensíveis e/ou desvitalizadas: benjoin e rosa.


* Em peles oleosas: bergamota, cedro,petitgrain, e ylang-ylang.
* Em peles desvitalizadas: olíbano, gerânio, sálvia esclaréia, palmarosa, pau-rosa e
rosa.

Óleos relaxantes e antiinflamatórios:

A acne também pode ter suas manifestações exacerbadas por estresse:

* Em peles sensíveis : lavanda e camomila.


* Em peles oleosas: bergamota, gerânio, palmarosa e sândalo.

Algumas sinergias para massagens relaxantes:

1. Cedro com sálvia:


O óleo essencial de sálvia esclaréia ajuda a promover uma sensação de bem-estar e
relaxamento, que combinada com o cedro Virgínia, potencializa suas propriedades
amaciantes sobre a pele. É um dos óleos de utilização mais antiga, também muito útil
em momentos de busca interior ou meditação.

2. Camomila com petitgrain :


Sinergia que traz uma sensação de harmonia e tranqüilidade.

O que é o efeito estimulante?


Quando ocorre o aumento da atividade do organismo em geral, podendo ser físico e
emocional, produzindo o aumento da circulação periférica com uma sensação de euforia
e entusiasmo.

Óleos estimulantes e analgésicos:


Em peles oleosas: alecrim, hortelã-pimenta, pimenta negra e ho leaf.

Óleos estimulantes e adstrigentes:


Em peles sensíveis e/ou desvitalizadas: rosa.
Em peles oleosas: alecrim, coriandro, petitgrain, e ylang-ylang.
Em peles desvitalizadas: gengibre, coriandro e semente de cenoura.

Óleos estimulantes e antiinflamatório:


Em peles sensíveis : rosa.
Em peles oleosas: rosa e eucalipto..
Em peles desvitalizadas: rosa.

Para reanimar-se:
Pau-rosa com capim-limão:
O pau-rosa é conhecido pelo seu efeito reanimador e revigorante, útil em momentos
de baixo-astral. Quando misturado ao capim-limão, resulta em uma sinergia altamente
restauradora e energizante.

Laranja com gengibre:


Uma mistura energizante e rivigorante que equilibra a energia do gengibre com o
frescor e suavidade da laranja doce.

Como aplicar essas sinergias?


Antes de tudo é preciso atenção no uso de óleos essenciais, pois são substâncias puras,
que estão em grande concentração. Para se ter uma idéia aproximada, uma gota de óleo
essencial puro e natural equivale a quinze xícaras de chá da mesma planta. Os fito-
cosméticos normalmente utilizam extratos vegetais em sua composição em
concentrações inferiores a esta.

Ao preparar uma massagem aromaterápica devemos lembrar que apenas três gotas em
10 a 20 ml de carreador são suficientes para obter os efeitos desejados de um cosmético
de excelente concentração.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

A importância do relaxamento nos tratamentos estéticos.

O homem em seu processo evolutivo se afastou do seu habitat natural, seu meio
ambiente - ao mesmo tempo acalentador e desafiador - onde para fugir de seus perigos,
acabou fugindo de si mesmo.

Cada vez mais ouvimos histórias de doenças psicossomáticas onde o corpo dá


diversos avisos do quanto vem sendo invadido e distanciado de suas reais necessidades.

Quando a pessoa sente o impacto dessas forças internas, que inconscientemente


manteve à distância, desencadeiam as interpretações psicológicas e reações biofísicas,
sendo forçada a confrontar o Caos diretamente.

O quê é o caos? Segundo o dicionário Aurélio: "Nas mitologias e cosmogonias pré-


filosóficas, vazio obscuro e ilimitado que precede e propicia a geração do mundo;
abismo" .

Esse caos, muitas vezes, é o agente facilitador de transformações profundas que


recriam e fazem renascer. Porém negá-lo, faz surgir muitas frustrações, desesperanças,
que quase sempre produz crises existenciais, bem como um grande distanciamento dos
sentidos e do respeito ao meio, à natureza e aos demais. Essa destruição do meio
ambiente na ecologia humana, gera as novas doenças emocionais e sociais como a
depressão, síndrome do pânico, desequilíbrios e tudo mais que banalizamos como
estresse.

Quando isso ocorre é necessário trazer para o corpo físico as energias projetadas para
o exterior de forma distorcida e entrar novamente dentro de si, promovendo um
enraizamento - retorno ao inicio, o autoconhecimento. O exercício de autoconhecimento
é tão distanciado da realidade mecanicista, que nos coloca segundo um modelo pré-
estabelecido de formas e padrões, que inadvertidamente nos submetemos - e que por
fim, nos adoece.

Experimente o seguinte exercício de visualização: feche os olhos, e tente se


conscientizar de que está atraindo sua consciência para o interior, está trazendo o foco
de atenção para dentro de seu corpo físico. Tome o especial cuidado de ocupar todo
espaço, especialmente nas pernas e nos pés. Note que seu corpo é a terra. Enraize-se
nesse sentimento, sentindo a segurança e a fertilidade da terra dentro de você. Você se
preenche ou faltam espaços e direções?

Se você não pode responder essa questão, não se preocupe, pois a humanidade está
imersa em modelos que a mídia impõe diariamente, cuja resposta vem na forma da dor
emocional "do não corresponder".

Com a conscientização do ser Belo - como o ser saudável e feliz - podemos nos
aventurar a proporcionar bem-estar, não somente a mera "redução de medidas" ou
melhor, enquadramento de medidas nos padrões estabelecidos.

Quantos cabem nele de verdade? Não seria melhor oferecer bem-estar, relaxamento,
toque e sensibilização da realidade corporal e trazer para esse corpo o sentido absoluto
de pertencer a si mesmo dentro da sua história?

A essa altura vocês devem estar se perguntando: mas como posso lucrar com a beleza
se não mostrar o feio, o inestético?

È exatamente nesse sentido que reside todo o sucesso e crescimento da outra face da
moeda que é a indústria do bem-estar, com promessas de poções mágicas e resultados
imediatos, que dessa forma estratifica o conceito ao revés.

O que precisamos é olhar para o outro como um ser que merece ser tratado em sua
plenitude, com respeito, disponibilidade emocional e carinho profissional. Desse modo,
estaremos engajados em tornar a vida mais bela. A felicidade também pode ser buscada
pela fruição da beleza e alcançada quando dissociada da realidade que escraviza e reduz
a cega obediência.

Segundo R.D. Lang "Perderam-se a visão, o som, o gosto, o tato e o olfato, e com
eles, foram-se também a sensibilidade estética e ética, os valores, a qualidade, a forma;
todos os sentimentos, motivos, intenções, a alma, a consciência, o espírito. A
experiência como tal foi expulsa do domínio do discurso científico".

O que você esta fazendo agora para não contribuir com essa rede que fomenta a
solidão e a frustração de não ser belo?

O seu atendimento pode servir de ponto de partida de um processo pessoal de


"transformação" que é produtor de bem-estar e relaxamento. As massagens anti-rugas
produzem maravilhosos efeitos relaxantes nos músculos e com elas sair
"rejuvenescido".

Dentro de um trabalho estético desfrutamos da oportunidade de proporcionar o bem-


estar de maneira a colocar esse ser em contato com seus sentidos de forma plena. Em
cada um dos sentidos há formas de retorno ao ser vivo que vivencia seu próprio mundo.
Começando pelo olfato, você já tentou identificar o cheiro dos temperos de sua cozinha
sem olhá-los, sem ler o rótulo? Provavelmente será uma surpresa a constatação da sua
inabilidade de identificá-los, decifrá-los.

O olfato como instrumento do despertar o ser é uma dos mais valiosos. Dentre os
sentidos é o mais evocativo, pois sobrepõe a visão e a audição. Como instrumento de
um trabalho terapêutico, os aromas dos óleos essenciais estabelecem relação direta com
a emoção, cujo processo de conscientização, o seu reconhecimento, pode ser a atitude
mais importante na vida.

"Experimente os perfumes das flores e da natureza em geral para se ter paz na mente e
alegria na vida" (extraído dos escritos de Wang Wei, séc. VIII).

Esse complexo mecanismo funciona assim porque apenas alguns centímetros separam
o receptor olfativo do cérebro e as fibras nervosas do sistema olfatório que vai
diretamente para a área límbica do cérebro, que é a responsável pelas emoções. Por esta
razão é que podemos influenciar os estados de espírito e emoções com inalações de
óleos aromáticos. O sistema límbico também tem ligações com o tálamo e o córtex,
dando aos aromas a capacidade de afetar o pensamento consciente e reações.

Quando respiramos, as moléculas odoríferas, elas são traduzidas em um sinal pelas


células receptoras na cavidade nasal. A substância odorífera ao penetrar na membrana
olfatória, se difunde no muco que cobre os cílios, e então, se fixa a uma proteína
receptora, daí levada por canais iônicos aos neurônios olfatórios através de um
complexo mecanismo físico-químico pelo qual as células olfatórias são estimuladas.
Passam pelo sistema límbico os impulsos de atração ou repulsa, o conjunto das ações
motivacionais, os humores, a memória, a criatividade e ainda o sistema autônomo.

È nesse contexto que o uso de óleos essenciais representam um importante papel na


realização de efeitos relaxantes.

De maneira simplória e racionalista, podemos satisfazer nossa mente lógica com a


seguinte dedução: quando usamos um óleo essencial de ação analgésica, ele traz alívio
emocional para a dor (por exemplo, o óleo de cravo-da-índia, que contem eugenol - um
poderoso analgésico conhecido por aliviar dor de dente) podemos cuidar também do
espírito, pois esse óleo também é estimulante mental, eufórico e animador. No entanto,
esse processo é mais complexo que isso para se encaixar nos modelos da lógica pura. A
dor normalmente encontra expressão de sofrimentos emocionais como a dor da culpa
que pesa nos ombros, a dor do medo que faz doer as costas. Então, o que melhor
poderemos fazer é produzir relaxamento com óleos de ação analgésica que aliviam a dor
e ao mesmo tempo animam e estimulam como os óleos de cravo, canela, pimenta e
ylang-ylang, mas também, conduzir junto com eles, a um processo simples de encontro
dos demais sentidos na busca da essência do que somos. Se nesse relaxamento estamos
ouvindo o movimento da natureza como o som de um riacho borbulhante, como um
vento que sopra ao fundo de uma música que enaltece e acolhe, mais uma vez estamos
sendo conduzidos a imagens mentais de profundo relaxamento e de encontro com forças
que pulsam como a energia da natureza.
As imagens mentais evocadas pelas formas do ambiente devem trazer tranqüilidade e
quietude interior. Elas não devem ser trabalhas de modo a vivificar as necessidades
artificiais, uma vez que o estímulo visual já é o principal instrumento de controle e de
manipulação desses conceitos. Um local para proporcionar relaxamento deve lembrar a
natureza em suas cores suaves, a iluminação direcionada aos efeitos desejados e
preferencialmente sem espelhos e fotos de modelos "perfeitas", pois nessa hora o que
tentamos proporcionar é o olhar para dentro, o externo deve mesmo ficar à parte desse
processo enquanto visualizamos nosso interior.

O tato, por sua vez, faz lembrar de partes adormecidas do corpo, que tentam mandar
suas mensagens em vão, porque é através de símbolos e formas de expressão que muitas
vezes não entendemos, e não vivenciamos, pois estamos fora dele, descorporificados de
sua unidade.

A plasticidade física proporcionada por tudo aquilo que relaxa, nos faz belos, pois
corporifica a consciência.

Explorar todos os sentidos, produz o regate dessa emoção de olhar para dentro e
vivenciar o corpo pleno. Exemplificando em um simples banho de ofurô, com água em
temperatura confortável em cuja forma, nos remete ao conforto do útero materno.
Também podemos proporcionar uma visão de um ambiente esteticamente plácido e
ritualístico dessa sala de banho com iluminação aconchegante de velas, com aromas que
evocam memórias cálidas e sensuais aliados ao toque da massagem estimulante e
revelador, precedido por um chazinho do mesmo sabor. Um convite ao deleite com um
relaxamento profundo que resgata a alma.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

Tratamento Capilar Aromático

Todos os profissionais que cuidam da beleza, não podem deixar de observar as


condições saudáveis dos cabelos como requisito desse objetivo. Alguns problemas que
normalmente acometem os fios e o couro cabeludo podem ser tratados por métodos
tradicionais e também por tratamentos aromaterápicos.

Os pêlos são fios elásticos ceratinizados, isto é composto de uma proteína formada por
aminoácidos, com uma porção livre e uma raiz oculta na pele, que forma um folículo
piloso, tubular, com porção epitelial e dérmica. Associa-se ao folículo piloso uma ou
mais glândulas sebáceas. As diferentes formas de desequilíbrio dessa estrutura
produzem diferentes problemas capilares tais como: alopecia, dermatites seborréicas,
caspa, pontas bipartidas e secas, fios sem brilho, entre outros.

Os diversos tipos de óleos essenciais e vegetais, com suas propriedades específicas,


podem tratar alguns desses problemas, tanto nos fios quanto no couro cabeludo, como
ativos de intenso poder de ação nas principais afecções capilares tratadas pelo
profissional de beleza. No entanto, seu poder é maior do que os percebidos fisicamente,
pois apenas alguns centímetros separam o receptor olfativo do cérebro e as fibras
nervosas do sistema olfativo que vai diretamente para a área límbica do cérebro, que é a
responsável pelas emoções. Por esta razão é que podemos influenciar os estados de
espírito e emoções com inalações de óleos aromáticos. O sistema límbico também tem
ligações com o tálamo e o córtex, dando aos aromas a capacidade de afetar o
pensamento consciente e as reações.

Como otimizar os resultados através da escolha olfativa?

O homem perdeu a necessidade de cheirar para sobreviver. Parece que tudo ficou
desconexo ao priorizarmos a visão em detrimento do olfato. Algumas habilidades deste
sentido ficaram, ao longo de nossa história evolutiva, renegadas ao segundo plano e
então deixamos de fazer essa interação. Para fazer uso dela novamente é necessário
reaprender a cheirar e sentir o que nosso corpo responde a respeito de cada cheiro.

Se observarmos a planta em seu processo evolutivo, é simples perceber as


semelhanças com alguns traços de personalidade ou características olfativas das suas
emanações odoríferas com nosso gosto pessoal. Quando algum cheiro nos agrada,
certamente ele nos toca, nos desperta prazer e bem-estar. Proporcionar bem-estar é
atualmente um diferencial extremamente envolvente e atraente, com significativo poder
de agregar valor emocional ao tratamento proposto.

Fazer de um simples ato de lavar os cabelos um ritual de prazer, capaz de ajudar a


equilibrar o humor, a suavizar os sintomas do estresse e revitalizar a mente dá a fama
merecida da verdadeira Aromaterapia.

Qual a diferença entre um xampu aromaterápico e um comum ?

Podemos começar pelo simples fato dos xampus aromaterápicos serem aromatizados
por moléculas odoríferas dos óleos essenciais de tamanho tão minúsculo que são
capazes de penetrar através do folículo, agindo na superfície e em profundidade nos
diversos tratamentos do couro cabeludo. Óleo essencial tem o poder de estimular ou
sedar as terminações nervosas. Junto a isso temos o fato de que o indivíduo reage de
imediato através do nervo olfativo desencadeando as diferentes reações emocionais.

Como criar tratamentos capilares com óleos essenciais?

Os tratamentos aromaterápicos capilares fazem uso de fórmulas suaves de óleos


essenciais e vegetais, associados a xampus, cremes neutros e argilas.

Quando associar óleos essenciais em qualquer tratamento estético, estes devem ser
diluídos em bases neutras, sem fragrâncias, para que não interfiram na ação dos óleos
essenciais. Também devemos evitar o uso de óleo mineral ou outros derivados de
petróleo mais pesados, como a vaselina, para não prejudicar a ação dos óleos essenciais.

As argilas entram como excelentes coadjuvantes nesses tratamentos, pois agem


desincrustrando e desobstruindo os folículos, removendo resíduos e desintoxicando o
couro cabeludo.

Quanto aos óleos vegetais como ativos capilares, os melhores são os óleos de
amêndoas doces, o abacate, a copaíba, o de castanha do Pará e germe de trigo. O óleo de
jojoba é um carreador ideal, pois, na realidade, a jojoba não é um óleo, mas uma cera
líquida que não fica rançosa. Sua composição química é de grande compatibilidade com
a pele humana, devolvendo a oleosidade natural dos fios. É eficiente no tratamento de
caspa, eliminando os acúmulos de agentes no couro cabeludo, deixando limpo e livre
para o crescimento de novos fios.

Apresentamos aqui, alguns protocolos para tratamentos capilares:

1-Higiene capilar:

1º. Passo: higienização básica com o uso de xampu neutro para a limpeza dos fios e do
couro cabeludo em um primeiro tempo, para remoção da sujeira e da oleosidade.
Enxágua-se em seguida.

2º. Passo: trata-se da aplicação do tratamento específico que deve ficar em contato
com o couro cabeludo e o cabelo por, pelo menos, 10 minutos, com o óleo essencial
específico conforme a indicação.

2-Massagem capilar:

Até 20 gotas de óleo essencial em 30 g de máscara capilar neutra.

Como escolher o óleo essencial para cada tratamento?

As indicações devem priorizar o efeito desejado do tratamento, mas sem perder de


vista o gosto olfativo do cliente e a ação emocional de cada óleo.

Indicação dos óleos:

Adstringentes ? para cabelos oleosos, caspa e seborréia.


Limão, bergamota, alecrim, hortelã-pimenta, cipreste, cedro, gerânio, lemongrass,
petitgrain e junípero.

Rubefacientes- ativam a circulação melhorando a oxigenação capilar.


Alecrim, pinho, tomilho, junípero, pimenta negra e eucalipto.

Estimulantes sebáceo- para cabelos com raiz seca.


Sândalo, olíbano, palmarosa.

Antiqueda- ativam o crescimento .


Cedro, lavanda, tomilho, junípero, palmarosa, ylang-ylang e tangerina.

Bactericidas e fungicidas- para os casos de ptiríase.


Tea tree, tomilho e lavanda.

Antiinflamatórios- dermatites e eczemas


Lavanda e camomila

Alguns exemplos de ações emocionais:

Limão ?estimula a mente.


Camomila-Romana- relaxa e reconforta.
Lavandin- equilibra e pacífica.
Hortelã-pimenta- clareia a mente, desperta.
Lavanda- acalma, harmoniza.
Ylang-ylang ? acalma a raiva, medo e frustração.
Gerânio ? acalma e alivia a tensão.
Palmarosa - relaxa e suaviza as emoções.
Alecrim- reanima e desperta.

Alopecia

Há muitas causas para a Alopecia, mas descartando os fatores genéticos da Alopecia


masculina, teremos uma infinidade de problemas relacionados a ela que incluem
estresse, debilidade física, carências vitamínicas, tratamentos químicos, choque
emocional e menopausa.Em todos eles os óleos essenciais podem contribuir
significativamente com resultados surpreendentes.

Passo a passo: (para Alopecia causada por seborréia)

1- Aplicar o pente de alta-frequência, ainda com os cabelos secos, seguindo o


movimento antero-posterior e em seguida o transversal. Observar atentamente a
sensibilidade do cliente com relação à intensidade da corrente. Fazer aplicação por
aproximadamente 5 a 8 minutos;

2- Fazer a higienização capilar preliminar;

3- Peeling suave: aplicar em cerca de 30g de argila verde e 3 gotas de OE de limão, 3


gotas de OE de hortelã-pimenta diluídos em 5 ml de xampu neutro. Aplicar dividindo o
cabelo em mechas. Deixar agir por vinte minutos. Remover fazendo uma leve
esfoliação;

4- Enxaguar com muita água e em seguida lavar os cabelos com cerca de 30 ml de


xampu neutro e 9 gotas de óleo essencial, conforme a indicação. Massagear o couro
cabeludo, suavemente, no mesmo sentido anterior, com deslocamento da caixa craniana
por cerca de 10 minutos;

Exemplo de sinergia para o caso: 3 gotas de alecrim, 3 gotas de cedro e 3 ylang-ylang;

5- Aplicar máscara capilar hidratante com 10 gotas de OE de laranja e 2 gotas de


lavanda deixando agir por 20 minutos;

6- Deixar secar os cabelos naturalmente.

Manutenção:

Aplicar, em dias intervalados, uma sinergia capilar de 30 ml de jojoba com 10 gotas


de OE de alecrim, 10 gotas de OE de ylang ?ylang e 10 gotas de OE de cedro. Deixar
agir durante a noite. Lavar os cabelos pela manhã com o xampu neutro e com os
mesmos óleos essenciais na proporção de 3 gotas de cada em 30ml de sabonete por
aplicação. Se necessário, usar a máscara capilar como condicionador com 5 gotas de OE
de laranja.

Tratamento de caspa seca

Passo a passo:

1- Aplicar o pente de alta-frequência, ainda com os cabelos secos, seguindo o


movimento antero-posterior e em seguida o transversal. Observar atentamente a
sensibilidade do cliente com relação à intensidade da corrente. Fazer aplicação por
aproximadamente 5 a 8 minutos;

2- Fazer a higienização capilar preliminar;

3- Aplicar um xampu suave: cerca de 5g de argila branca com e 3 gotas de OE de


limão, 3 gotas de OE de tea tree e 3 gotas de lavanda diluídos em 30 ml de sabonete
neutro. Massagear o couro cabeludo, suavemente, no mesmo sentido anterior, com
deslocamento da caixa craniana, por cerca de 10 minutos;

4- Aplicar máscara capilar com 10 gotas de OE de laranja, 3 gotas de alecrim e 10 de


jojoba deixando agir por 20 minutos, com calor úmido;

5- Deixar secar os cabelos naturalmente.

Manutenção:

Lavar os cabelos com xampu neutro e com os mesmos óleos essenciais na proporção
de 3 gotas de cada em 30ml de sabonete por aplicação. Se necessário, usar a máscara
capilar como condicionador com 5 gotas de OE de laranja.

Tratamento suavizante de agressões químicas

Passo a passo:

1- Fazer a higienização capilar preliminar;

2- Aplicar máscara de argila suavizante: em cerca de 30g de argila branca e 10 gotas


de OE de lavanda, 10 gotas de óleo de calêndula diluídos em 5 ml de gel neutro. Aplicar
dividindo o cabelo em mechas. Deixar agir por vinte minutos. Remover sem esfregar o
couro cabeludo. Usar luz azul durante a aplicação da máscara;

3- Aplicar um xampu suave;

4- Enxaguar com muita água e em seguida lavar os cabelos com cerca de 30 ml de


sabonete neutro e 9 gotas de óleo essencial, conforme a indicação. Massagear o couro
cabeludo muito delicadamente, no mesmo sentido anterior, com deslocamento da caixa
craniana por cerca de 10 minutos;

Exemplo de sinergia para o caso: 3 gotas de camomila, 3 gotas de lavanda e 3


copaíba.

5- Aplicar a máscara capilar com 10 gotas de OE de laranja e 2 gotas de lavanda e 3


gotas de alecrim, deixando agir por 20 minutos, com calor úmido;

6- Deixar secar os cabelos naturalmente.

Manutenção:

Lavar os cabelos com o xampu neutro com os mesmos óleos essenciais na proporção
de 3 gotas de cada em 30ml de sabonete por aplicação. Se necessário, usar a máscara
capilar como condicionador com 5 gotas de OE de laranja.

Esperamos que estes protocolos já possam demonstrar como o uso da Aromaterapia


pode auxiliar no tratamento capilar, evitando agressões químicas desnecessárias. Pelo
uso de produtos naturais e manipulações suaves pode-se fazer do tratamento um
momento de encontro do indivíduo com suas sensações, com seus sentidos, dando-lhe
prazer e conforto ao personalizar shampoos e máscaras, respeitando a escolha olfativa
do paciente ? quase sempre relacionada à necessidade do uso do óleo essencial -, o que
ainda não é possível nos tratamentos tradicionais.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

Limites e Possibilidades da Aromaterapia na UCI

Os avanços com relação à pesquisa sobre o sistema olfativo e suas implicações como
respostas emocionais, tem contribuindo para resultados significativos na aplicação da
Aromaterapia. A "Aromacologia", um termo cunhado em 1989 pelo Sense of Smell
Institute, de Nova York, busca explicar os efeitos psicofisiológicos dos aromas, com
recursos científicos multidisciplinares, em especial a Psicologia, Fisiologia e Química
para desvendar esses mecanismos ainda obscuros em muitos aspectos, mas com
resultado emocional significativo e de grande valia na escolha dos efeitos direcionados
às suas aplicações na Aromaterapia.

Uma experiência positiva a ser relatada foi a aromatização do Hospital Cardio


Trauma, de Ipanema, no período de maio de 2002 a maio de 2003.

Uma das referências desagradáveis permanentemente comentada pelos pacientes


desospitalizados é o " cheiro de hospital", acompanhadas da alimentação insossa e da
falta de privacidade. Movidos pelo desafio de tornar o ambiente hospitalar, mais
hospitaleiro adotamos a Aromaterapia como estratégia de aconchego aos pacientes.
Participam deste trabalho familiares de pacientes internados nas Unidades de Cuidados
Intensivos e pacientes da Unidade Semi Intensiva.

Durante um período de 12 meses, familiares e um grupo de pacientes foram


submetidos a um ambiente aromatizado com óleos essenciais naturais, com escolha
direcionada ao conforto olfativo e relaxante. A aromatização foi feita com um difusor
acoplado a um timer que possibilitou a programação de intervalos ao longo do período.
Através de pesquisa auto-administrada, os participantes avaliaram os efeitos desta
prática.

O trabalho consistiu na aromatização do ambiente da UCI com óleos naturais de


plantas aromáticas com odores suaves olfativamente e relaxantes terapeuticamente. Na
medida do possível, os resultados também foram orientados aos objetivos emocionais,
exceto pelo fator limitador da interferência de caráter semântico individual que foge ao
agrado dos indivíduos, cujo odor traz alguma lembrança inconsciente ou motivacional
específica na resposta odorífera.

A abordagem da pesquisa foi a partir do registro da percepção dos pacientes nas


alterações produzidas pela substituição do fator estressor de odor desagradável, por um
novo cheiro, sem vínculo emocional do odor de hospital e com o resultado do conforto
olfativo direcionado.

Aromaterapia: tornando hospitaleiro o ambiente hospitalar

Registrou-se uma receptividade positiva em mais de 90% dos indivíduos com relação
ao novo odor, em detrimento ao desconforto produzido por odores inerentes as
atividades da UCI. Através da observação da equipe técnica de Enfermagem, verificou-
se que os pacientes submetidos à aromatização apresentavam uma tendência ao
relaxamento. Investigados sobre a possível influência da aromatização em seu estado
emocional, 50% dos pacientes, afirmaram que o aroma agradável proporcionou conforto
e tranqüilidade; os demais não conseguiram fazer referência. Veja alguns depoimentos:

"Ajudou a tornar o ambiente tão confortável como em casa. Aqui não tem cheiro de
hospital, de éter e desinfetante."

"Gostei muito do aroma . Acho que ajuda a estadia no hospital, pois acaba com o
cheiro de éter e álcool e faz a pessoa não se sentir tão doente."

"Já estive internada aqui outras vezes, e quando chegava em casa sentia saudades do
pessoal daqui... Agora vou sentir saudades até do cheirinho..."

No grupo de pacientes, a aceitação da prática da Aromaterapia foi de 100%, embora


somente 50% destes tenham percebido o aroma voluntariamente. No grupo de
familiares, foram registrados 4 ocorrências de desagrado quanto ao odor, o que vem
representar 0,005% do percentual de participantes. Abordados sobre as lembranças
desencadeadas pelo aroma, pode-se registrar os seguintes dados: 47% lembram de
algum evento ligado a uma pessoa querida; 18% lembram de episódios da infância; 14%
lembram de viagens realizadas; 21% lembranças diversas.

Baseados nos dados obtidos pela pesquisa, pode-se concluir que independente do
valor terapêutico, a aromatização possibilita um conforto adicional aos pacientes e
familiares.

A proposta da Aromaterapia vai muito além da simples aromatização do ambiente.


Através da escolha minuciosa dos aromas naturais é possível obter uma grande
contribuição terapêutica.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes


O Poder das máscaras de argilas

A capacidade de um profissional do segmento estético em alcançar resultados


favoráveis em seus procedimentos está intimamente ligada à sua relação com a
Natureza. Seu poder está intimamente relacionado ao conhecimento que ele possui dos
recursos por ela oferecidos para curar, hidratar, reconstituir, desintoxicar, revitalizar,
equilibra ou qualquer outra ação que se proponha.

As máscaras são poderosas auxiliares nos tratamentos estéticos. Elas reforçam e


resolvem todo o tipo de problemas em poucos minutos, principalmente pelo poder e
concentração de seus elementos, que funcionam como um verdadeiro tratamento de
choque, simples, mas extremamente eficiente.

Ampliando o poder das argilas, os óleos essenciais integram uma sinergia perfeita que
completa as ações dos minerais encontrados nas argilas. Os óleos essenciais são
substâncias encontradas sob forma líquida ou sólida nas folhas, caules, frutos, raízes ou
casca de vegetais, possuindo propriedades específicas que beneficiam a pele e
complementam o tratamento. Para que o uso das máscaras de argilas seja
potencializado, faz-se necessário o domínio de informações básicas sobre os produtos a
serem utilizados e os procedimentos básicos que os acompanham:

O que é argila?

É um material natural, composto por partículas extremamente pequenas de silicato


minimizado (ou silicato de alumínio), além de diversos oligoelementos, destacando
entre os minerais encontrados, o silício - segundo elemento mais abundante na natureza.
As diferentes fontes de extração produzem silicatos minimizados de diferentes tipos e
concentrações. Como por exemplo o Titânio, Magnésio, Cobre, Zinco, Alumínio,
Cálcio, Potássio, Níquel, Manganês, Lítio, Sódio, e Ferro. Porém, as diversas
constituições das argilas não modificam suas principais atuações, promovendo a ação
absorvente, cicatrizante e anti-séptica. Os minerais encontrados nas argilas funcionam
como potenciadores de determinados efeitos, conforme a sua concentração. Quando
estes minerais estão em doses ínfimas, são chamados de oligoelementos, mas seu efeito
remineralizante se faz notar mesmo nestas quantidades.

Quais são as argilas e suas diferentes composições?

ARGILA VERDE: rica em silício e diversos oligoelementos. Desinfiltra o interstício


celular, é esfoliante suave, promove a desintoxicação e regula a produção sebácea.
Efeitos: desintoxicante e adstringente.

ARGILA BRANCA: rica em silício e alumínio e diversos oligoelementos. Promove


aumento na oxigenação de áreas congestionadas, a uniformização pela esfoliação suave
e regula a queratinização. Efeito: revitalizador.

ARGILA CINZA: rica em silício e alumínio e diversos oligoelementos. Efeitos:


antiinflamatório e cicatrizante.

ARGILA VERMELHA: rica em silício e ferro e oligoelementos. Regula a


microcirculação cutânea, sendo recomendada para peles sensíveis, com couperose e
avermelhadas. Efeitos: regulador e tensor.

ARGILA AMARELA: rica em silício, alumínio e oligoelementos. Resulta em efeito


tensor e ativador da circulação produzido pelo ferro, além do seu maior teor de potássio.
Contribui para o equilíbrio iônico e hidratante do gel celular. Efeitos: desinfiltrante,
adstringente e desintoxicante.

ARGILA MARROM: Argila rara com elevado teor de silício, alumínio e titânio e
outros oligoelementos. Resulta em efeito ativador da circulação, além de contribuir com
um efeito equilibrador e revitalizador. Efeitos: desinfiltrante, adstringente e
desintoxicante.

ARGILA PRETA: Argila rara com elevado teor de silício, alumínio e titânio e outros
oligoelementos. Resulta em efeito ativador da circulação,adstringente além de contribuir
com a renovação celular. Efeitos: antiinflamatório, cicatrizante, tensor e desintoxicante.

Como criar tratamentos faciais com argilas?

Você pode criar diversos tratamentos individualizados de acordo com o tipo de pele
ou o problema estético. Mas não faça dessas sugestões seu único referencial.
Experimente e crie novas combinações seguindo a tabela de indicações e sinergias como
uma referência inicial. Depois é só procurar conhecer as propriedades dos óleos
essenciais e aplicá-los conforme as indicações.

É também muito importante observar o tipo de pele para que a escolha do carreador
possa beneficiar a epiderme. Os carreadores podem ser emolientes, nutritivos e até
hidratantes.

Os carreadores em gel atendem as peles oleosas ou acnéicas. Já os que estão em forma


de creme, são bastante recomendáveis que sejam formulados com óleo vegetal e não
com óleo mineral, para que não dificulte a penetrabilidade dos óleos essenciais, além de
evitar as formulações dos cosméticos que contenham perfumes, para não interferir na
associação com óleos essenciais.

Qual a melhor máscara para cada caso?

São as máscaras hidratantes, à base de agentes emolientes e umectantes que atraem a


água à superfície da epiderme tais com os óleos vegetais e essenciais.

As máscaras faciais de argila servem para limpar, nutrir, e revitalizar a pele, através da
eliminação de toxinas, da micro esfoliação e do estímulo da circulação sangüínea local.
Também podem acalmar e hidratar, dependendo dos ingredientes utilizados.

No entanto, é importante que se utilize argila de boa procedência, dissolvida em água


mineral ou destilada ou associada ao gel neutro.

Como usá-las?

Antes de aplicar uma máscara, faça uma higienização na pele, para facilitar a atuação
dos ativos. Não é necessário fazer uma esfoliação prévia, pois a argila vai funcionar
também como esfoliante. Salvo indicação em contrário, evite aplicar na área do
contorno dos olhos.

As argilas preparadas com gel neutro e óleos essenciais não necessitam de acréscimo
de água. Coloque até 3 gotas de óleo essencial em 10 g de máscara gel neutro e misture
com 20 g de argila.Misture bem e aplique como uma máscara cremosa.

Dessa forma os óleos essenciais compõem uma forma bem diversificada de criar
diferentes tipos de máscaras.

A partir de algumas misturas básicas, pode-se criar um programa de tratamentos


personalizados, combinando os benefícios de máscaras diferentes. Uma máscara
hidratante, por exemplo, pode ser aplicada na seqüência de uma clareadora.

Vejamos alguns exemplos:

Para peles oleosas e combinadas.

Para peles acnéicas acrescente, 2 gotas de tea tree.

Máscara de ARGILA VERDE com O . E. de hortelã-pimenta - 1 gota, com O . E. de


cipreste- 2 gotas.

Ação:
Máscara adstringente e refrescante que combina a micro esfoliação da argila verde
com o efeito tensor e adstringente do óleo essencial de cipreste, para promover
tonicidade e maciez à pele, bem como a ação descongestionante e refrescante do óleo de
hortelã-pimenta. Promove uma suave sensação de frescor. Auxilia no controle da
oleosidade.

Para peles sensíveis, desidratadas e manchadas.

Máscara de ARGILA BRANCA com O . E. de lavanda - 2 gotas, com O . E. de


palmarosa - 1 gota.

Máscara hidratante e regeneradora, que combina o poder revitalizante e cicatrizante da


argila branca com a ação citofilática do óleo essencial de lavanda e palma rosa, para
promover a maciez e o clareamento da pele, restaurando o viço e a luminosidade.

Para peles envelhecidas e cansadas.

Máscara de ARGILA PRETA com O . E. de copaíba - 2 gotas, com O . E. de


gengibre- 1 gota.

Máscara regeneradora e nutritiva para peles cansadas e desvitalizadas que combina, de


forma sinérgica, o efeito estimulante do gengibre com a ação regenerativa e hidratante
da copaíba, potencializado pela renovação celular promovida pela ação esfoliante da
argila.
Para todo tipo de pele inflamada.

Máscara de ARGILA CINZA com O . E. de gerânio - 1 gota, com O . E. de tea tree


(melaleuca) - 2 gotas e lavanda 1 gota.

Máscara cicatrizante e antiinflamatória, produzida pela argila com a ação dos óleos
essenciais de gerânio e lavanda, que ajudam a equilibrar as peles com acne de origem
hormonal, por tensão ou estresse.

Para peles mistas e desvitalizadas.

Máscara de ARGILA MARROM com óleo essencial de laranja - 1 gota e O. E. de


mirra.- 1gota, O. E. de lavanda - 1 gota.

Máscara esfoliante e nutritiva, que combina a micro esfoliação produzida pela argila e
potencializada pelos óleos essenciais de mirra e laranja. Ajuda no tratamento de rugas
finas, peles manchadas e desvitalizadas.

Para peles oleosa e asfixiada.

Máscara de ARGILA AMARELA com óleo essencial de cipreste - 1 gota e O. E. de


copaíba.- 1gota, O. E. de lavanda - 1 gota .

Máscara revitalizante e adstringente que combina a micro esfoliação produzida pela


argila e potencializada pelos óleos essenciais de cipreste e copaíba. Ajuda no tratamento
de peles desvitalizadas e com rugas finas, com poros dilatados.
Como usar argila em uma seqüência de tratamento de acne?

Esfoliante suave: (Somente para acne grau 1, nos demais não fazer a esfoliação).

Aplicar suavemente 5 ml de óleo vegetal de calêndula com 1gota de OE de limão.

Aplicar em seguida cerca de 30g de argila verde ou branca diluída em água mineral.

Deixar agir por cinco minutos. Remover fazendo uma leve esfoliação.

Emoliência:

Pode ser usado óleo de eucalipto, lavanda ou alecrim durante a aplicação do vapor. Os
fabricantes costumam ter um recipiente próprio para esta etapa. Não coloque óleo
diretamente na água, pois óleos essenciais não são solúveis em água.

Extração:

Proceda como o indicado em cada caso.

O óleo de tea tree pode ser usado como bactericida e hemostático. Tome o cuidado de
fazer o teste de sensibilidade. Ele poderá ser usado logo após a extração, puro, com um
cotonete, um a um. Não use desta forma caso as lesões sejam em grande quantidade.
Máscara facial finalizadora:

Indicação dos óleos para cada caso:

a) Peles sensíveis
- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
camomila

b) Peles edemaciadas e inflamadas


- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
gerânio.

c) Peles seborréicas
- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
cedro

d) Peles congestionadas
- 1 colher de sopa de gel neutro com 2 gotas de OE de lavanda e 1 gota de OE de
cedro

modo de aplicação:

· Aplicar uma camada espessa em todo o rosto e colo sobre uma gaze embebida em
spray aromático de lavanda. Deixar agir por 10 minutos.
· Remover a máscara utilizando o spray de lavanda. Finalizar removendo o excesso
com algodão molhado.

Spray aromático finalizador:

Spray aromático de lavanda ou qualquer outro óleo essencial indicado.

Para preparar um volume de 100ml, Diluia até 10 gotas de OE. em 10 ml de álcool de


cereais, depois acrescente 90 ml de água destilada.
Manutenção:

Lavar o rosto com sabonete indicado, aplicar em seguida o spray de lavanda. Deixa
secar naturalmente.

Sobre as pápulas e pústulas aplicar com cotonete uma gota de OE de tea tree, uma vez
ao dia até secar.

Em peles sensíveis é importante fazer um teste de sensibilidade antes de usar

Trabalhar com argilas no segmento estético pode parecer para muitos uma grande
novidade, mas não podemos perder de vista que há registros milenares apontando o uso
de máscaras de argilas como prática terapêutica, podendo citar a civilização egípcia, que
gerou grandes contribuições na área da Aromaterapia. Muito do que sabemos advém de
um exercício de resgate dessa fantástica cultura.
Cabe a nós continuarmos estudando, pesquisando, divulgando e nos aprimorando cada
vez mais, não nos satisfazendo com o que nos é dado "pronto". A partir do
conhecimento adquirido, exercitar a intuição, integrando as experiências práticas,
desenvolvendo estudos de casos e formatando novos protocolos. Assim, estaremos
contribuindo para a evolução da Estética.

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

Aromaterapia: uma viagem pessoal através dos aromas

Óleos aromáticos têm sido usados a milhares de anos, não somente como perfumes,
mas com propósitos terapêutico, culinários, ritualísticos e cosméticos. A aromaterapia
na civilização Ocidental tem se beneficiado dos conhecimentos acumulados no Oriente,
uma vez que em países como a Índia, o uso de óleos essenciais nunca deixou de ser
utilizado.

Com a nova tendência na busca pelo natural, na cura sem agressões, nos coloca diante
de um importante aliado na obtenção desses resultados: a aromaterapia - que no campo
das terapias holísticas, tem um papel importante para elevar a qualidade de vida e
proporcionar bem - estar.

A aromaterapia pode acrescentar às pessoas um controle de suas emoções negativas,


tais como ansiedades, tensões, pessimismo. O caminho misterioso e surpreendente para
este resultado está no fato do olfato pode influenciar áreas do cérebro inacessíveis ao
controle mental, bem como as emoções e as reações hormonais. Quando uma molécula
odorífera atinge os receptores olfativos nos cílios que chegam ao bulbo olfativo, eles
estão chegando, na verdade diretamente na parte do cérebro, chamada de sistema
límbico, responsável por mecanismos comportamentais e viscerais. Normalmente
experimentamos essas sensações passivamente. Assim, reside nesse mecanismo a nossa
imediata lembrança quando um cheiro nos lembra alguém ou algum fato passado.

Em aromaterapia buscamos de forma ativa escolher aromas que produzam,


transformem ou conduzam resultados favoráveis e esperados. Quando estamos
estudando nossa mente está absorvendo informações, se você usa neste momento algum
óleo essencial (de preferência algum óleo estimulante da mente como o limão ou
alecrim) as informações estarão associadas aquele cheiro, ao usa-lo novamente durante
um teste, o cheiro o transportará aos momentos de estudo e ajudará a memória a
resgatar aquelas informações daqueles momentos de estudo. Esse estímulo mental pode
ter várias aplicações práticas dentro de uma organização ou no nosso cotidiano.

No entanto, como nossa mente e corpo são partes integradas, os óleos essenciais
podem trazer benefícios à pele, aos músculos ao sistema nervoso e linfático ao mesmo
tempo, sem esquecer que atuam também a nível energético, entrando no verdadeiro
âmago da força vital da planta.

Os óleos essenciais podem agir metafisicamente, tanto quanto fisicamente para


harmonizar e fortalecer a natureza humana. De um modo geral, os óleos essenciais têm
propriedades bioquímicas, eletromagnéticas, hormonais muito similares e compatíveis
com a natureza humana, não é muito surpreendente, uma vez que a nossa alimentação é
substancialmente baseada em vegetais.
O óleo de lavanda, por exemplo, induz a clarividência e a visão interior, ajudando a
aprimorar as condições para visualizações harmoniosas e relaxantes. É vibracionalmente
associada à cor violeta, a mesma de suas flores de onde o óleo essencial é extraído.

O óleo essencial de lavanda, também tem ação analgésica, em massagens alivia as


dores musculares, enquanto diminui os níveis de stress, com seu efeito relaxante. É
considerado um bom suporte para momentos de solidão, pois oferece calor emocional.

Portanto ao usamos aromas em forma de óleos essenciais, estamos fazendo uso de um


conhecimento milenar para cuidarmos da beleza e da saúde física e mental, ou seja,
tratando do homem como um todo.

A aromaterapia quando usada como ferramenta para o bem-estar pode proporcionar


desde um aroma agravável até a revelação de aspectos da personalidade que necessitam
ser trabalhados em seu eu interior.

Descubra-se, envolva-se e vivencie suas emoções através dos aromas!

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

Explorar os sentidos em busca do bem-estar e da beleza integral.

Os órgãos dos sentidos são os portais da nossa consciência que codificam toda nossa
experiência individual e emocional em relação ao mundo exterior. Transmitir o belo, a
beleza natural, que pode até ser inata, mas também pode ser adquirida e cultivada. É um
exercício diário para manter a saúde integral - corpo, mente e alma.

Todo ser humano que busca recursos estéticos está lapidando sua saúde emocional.
Como disse Germain Monteil "A beleza não é um dom, é sim um hábito". Ao trabalhar
com a beleza estamos em última instância atingindo o ser em toda sua plenitude. Porque
não trabalhar as potencialidades de uma exploração sensorial total?

Despertar os aspectos sensoriais humanos ao fazer um tratamento estético de maneira


integrada, pode despertar os sentidos de forma agradável e envolvente. Usar os sentidos
da visão, do olfato, do paladar, da audição e do tato de forma simultânea é uma tarefa
que requer apenas atenção sutil do terapeuta para com a sensibilidade do seu cliente,
estimulando o sentido da visão usando a cor adequada ao tratamento, ao ambiente... O
aroma mais apropriado, a infusão aromática no chá de ervas, a música suave, o toque
relaxante...

De todos os sentidos o que permite maiores possibilidades ao tratamento estético é o


olfato. A terapia a ele relacionada - a Aromaterapia que vem a cada dia ganhando mais
expressão entre as terapias holísticas. Os veículos da Aromaterapia são os óleos
essenciais e sua aplicação através do olfato.

Na estética temos ainda diversos recursos além dos olfativos na sua aplicabilidade
sobre a pele. Podemos usar seus efeitos regeneradores, cicatrizantes, citofiláticos, anti-
sépticos, bactericidas, tanto quanto seus efeitos psicológicos.
Pesquisas em torno do poder do olfato em nossas emoções estão ganhando
importância e credibilidade através de estudos em várias universidades nos maiores
centros mundiais. O bulbo olfativo retransmite as informações para a área límbica do
cérebro, que está relacionada à memória e à emoção. Normalmente experimentamos
esta conexão passivamente. Quando usamos aromas, eles nos remetem à alguma coisa
armazenada na nossa memória ativamente.A Aromaterapia usada desta maneira é uma
forma ativa de ação escolhida para produzir , transformar ou conduzir resultados
favoráveis e esperados. As cores também como forma de terapia holística tem sua
aplicabilidade conduzida à emoção.

A seguir resumimos a exploração dos aspectos visuais que inundam os demais


sentidos com as sensações a serem trabalhadas e sua associação ao aroma
correspondente:

As cores vibrantes causam estímulos visuais que induzem a estados eufóricos,


especificamente o vermelho. Seu uso excessivo pode até causar irritabilidade e insônia.
O efeito primordial do vermelho a nível físico é o de estimular a circulação sangüínea.
Com relação aos aspectos emocionais o vermelho indica emoções calorosas tais como: a
raiva, a paixão, a sensualidade. Os aromas a ela relacionados são o cravo, a canela, o
ylang-ylang, patchouli, grapefruit e a rosa, que de alguma forma traduzem como o
vermelho os sentimentos eufóricos, excitantes e quentes. Podem trazer benefícios a
todos que sofrem de falta de energia, frieza emocional, falta de confiança.

Uma cor ainda vibrante, mas não tão carregada quanto à vermelha, contudo de efeito
revigorante é o laranja. Ela evoca a vida, o calor suave, o conforto corporal da
descontração e do prazer. Pode ajudar pessoas em estado de letargia e mal humoradas.
Os aromas que estimulam a mente e revigoram o corpo são o lemongrass, o alecrim, a
hortelã-pimenta e o eucalipto.

Quando o estímulo necessário é o mental devemos trabalhar com o amarelo que é uma
cor que estimula sem irritar. Ela é utilizada para manter a mente desperta, ágil sem
provocar um nível de agitação que possa dispersar a atenção. Bem com os aromas de
limão, alecrim, hortelã-pimenta, petitgrain e manjericão.

Por conter um pouco do amarelo e um pouco do azul, o verde torna-se o limiar entre
as cores quentes e as frias, portanto uma cor reguladora, equilibrante. Atua diretamente
nos músculos e sistema nervoso, no aparelho respiratório, relaxando, acalmando,
combatendo o estresse. Tal qual o verde os óleos que equilibram essas emoções são a
bergamota, o olíbano, o gerânio, a rosa e o cipreste.

Um pouco mais calmante, tranqüilizante e auxiliadora para criar um ambiente de paz é


o azul. Ela funciona em um nível intelectual mais amplo e elevado do pensamento
abstrato, que em desequilíbrio traz sentimentos de incapacidades para satisfazer
expectativas, gerador de ansiedade e agressividade. Os aromas que funcionam como
sedativos suaves são a camomila, a laranja a tangerina e o cedro.

Com um poder intensificador de sedação, o anil, ainda um tom de azul é


extremamente calmante. Os aromas com os mesmos efeitos são a manjerona associada à
lavanda, especialmente em pessoas ansiosas que se encontram em estado de agitação
física e mental.
A última cor do espectro solar é a violeta, a cor da lavanda. O óleo essencial mais
versátil da Aromaterapia. No plano psicológico ajuda a combater sentimentos de
desorientação, traumas, depressão, vulnerabilidade, medos, conflitos, pesadelos, e
tensões extenuantes.

Todos estes recursos são válidos e preciosos, mas é importante observar que tanto a
Aromaterapia como a cromoterapia devem ser aplicadas com moderação e exatidão.Na
estética , ao conjugarmos cores e aromas aos nossos tratamentos, estaremos aplicando-
os através de máscaras cromoterápicas, massagens relaxantes ou estimulante,
compressas aromáticas, etc. Neste caminho estaremos utilizando o tato como elemento
de nossa abordagem mais direta.

Os nervos sensoriais da pele irão proporcionar uma barreira entre o interior e o


exterior do mundo e de nós mesmos. Dissolver seus bloqueios físicos em forma de
tensões musculares, peles congestionadas, intoxicadas são tarefas que o terapeuta pode
obter êxito fazendo uso destas terapias através do tato.

A pele é o órgão do toque que é muito importante para todos que cuidam da beleza.
Ela também atua com respostas emocionais, psicológicas e físicas. Podemos fazer
leituras de seus estados emocionais tais como temperatura, cor, textura: mãos suadas e
frias podem indicar medo, ansiedade, pele ruborizada pode indicar estado de agitação
mental só para exemplificar alguns deles.

Ao cuidarmos de alguém não podemos esquecer do conforto, da temperatura do


ambiente, da textura das roupas e tolhas, a maciez das nossas mãos. O cliente se sentirá
mimado com estes pequenos detalhes que fortalecem o elo empático entre terapeuta e
cliente.

Ainda com relação ao ambiente não podemos descuidar do sentido da audição. Usar
sempre um tom de voz suave, música harmônica com o objetivo do trabalho. Seria de
grande valia dar opção ao seu cliente de escolher o tema que mais lhe agrada ou que
está compatível com seu estado de espírito. Podemos oferecer desde música clássica,
jazz, new age ou aquelas com propostas terapêuticas específicas.

Ao se colocar ao dispor do tratamento seja receptivo a conversas, mas somente como


ouvinte. O cliente não está lá para ser o seu terapeuta! Recebê-los bem com uma
simples xícara de chá aromático já dá início a um ambiente receptivo, agradável que
aguça o paladar. Começar ou terminar com uma sensação de bem-estar com o exercício
dos aspectos sensoriais perceptivos subliminares que levarão a sua mensagem de "volte
sempre!".

Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

Amenizando os problemas da terceira idade com aromaterapia

Os mecanismos relacionados ao envelhecimento abrangem mudanças fisiológicas e


psicológicas que exigem adaptações. Elas não acontecem, necessariamente para todos,
da mesma forma. Exatamente quando nos tornamos maduros, com flexibilidade mental
para aceitar as limitações da vida, nos tornamos física e mentalmente limitados. Nossas
articulações começam a enrijecer, os ossos começam a enfraquecer e a memória começa
a falhar. A necessidade de sono é menor e a falta de atividade física reforça este
padrão... A pele se torna mais sensível, assim como as nossas emoções...

Podemos flutuar entre mudanças de humor que vão da indiferença a irritação, perda de
entusiasmo, com sentimentos de medo e isolamento. Os problemas relacionados às
habilidades mentais, também trazem problemas tais como: agitação, ansiedade, perda de
memória, e desorientação. Alguns desses sintomas, inclusive, podem estar relacionados
ao Mal de Alzheimer, que é uma doença progressiva e degenerativa do cérebro que
apresenta esses sintomas de forma exacerbada. Em um estudo recente apresentado pelo
"British Medical Journal" a Aromaterapia foi apresentada como recurso eficiente para
algumas dessas conseqüências da doença. Os estudos foram feitos nos últimos dois anos
e demonstraram que houve uma melhora significativa na agitação provocada pela
doença mesmo em estado avançado.

Num dos estudos o óleo de lavanda a 2% foi aplicado por inalação e no segundo
estudo, o óleo de limão foi usado duas vezes por semana em um creme para as mãos. É
interessante notar, que o artigo menciona, que o efeito foi alcançado mesmo nos casos
em que havia a perda do olfato, pois os terpenos, um dos componentes encontrados em
óleos essenciais, eram os responsáveis por esses resultados quando absorvidos pelos
pulmões e direcionados ao cérebro, não dependendo da percepção odorífera produzida
pelo óleo. E o que é melhor, sem efeitos colaterais, como menciona o artigo.

No entanto, os benefícios da Aromaterapia vão mais além para a terceira idade, pois,
os óleos de limão, menta e manjericão também ajudam aos que necessitam estimular a
mente, especialmente em situações que exijam melhor concentração e memória.

Para as pessoas que sofrem de insônia e ansiedade os óleos de gerânio, lavanda,


manjerona, camomila e rosa produzem uma boa noite de sono. Se usados em óleo
vegetal de germe de trigo, que é umectante e antioxidante, rico em vitamina E, ou óleo
de semente de uva, também trará o duplo benefício de uma pele mais suave e com as
suas rugas amenizadas.

Os óleos de manjerona, copaíba, camomila, alecrim, pinho e lavanda, dentre outros,


são excelentes aquecedores e analgésicos e auxiliam nos problemas de articulações
inflamadas e doloridas. Os óleos essenciais podem ser usados em difusores para
ambientes, em banhos de imersão, em massagens, mesmo em uma autoaplicação em
locais doloridos ou nos pés e mãos.

É importante observar que óleos essenciais não podem ser usados diretamente sobre a
pele. É necessário diluí-los em óleo vegetal, que vai funciona como um veículo para o
óleo essencial penetrar na pele, principalmente para os tratamentos que envolvam uma
ação física, como por exemplo, uma dor nas costas. Para as questões emocionais, os
óleos essenciais podem ser simplesmente inalados. Podemos usar aromatizadores
ambientais ou pessoais com essa finalidade.Outro fator importante ao sucesso da
Aromaterapia é o uso necessário de óleo essencial puro e natural, pois essências
sintéticas não contêm as substancias originais da planta, que são as verdadeiras
curadoras. Os óleos essenciais são altamente voláteis quase etéreos. Eles são
considerados a alma da planta, e somente com eles, que praticamos a arte da
Aromaterapia.
Autor: Julia Nunes Publicado em: 08/06/2007 Fonte: Julia Nunes

Você também pode gostar