Você está na página 1de 1

O amor deixas marcas

O amor deixa marcas, pretextos, indícios e carinhos


Por mais que a multidão insista em baralhar os conceitos e as cartas
O teu corpo existe e é único porque os outros são distantes anónimos, sem história e
brilho
Como escadas iluminadas por vãs tochas de desejo acesas em noites de solidão.
E tu vieste
Anunciada na contra capa dos livros
Escondida e assim tão visível
Atrás dos anúncios de néon
Atrás das cortinas de um placo
Sentada num banco de uma estação de metro
Nas pequeninas veredas e caminhos da tua infância

Porque o amor deixa marcas


Pequenos seixos que os teus pezinhos tocaram
Ou aquela flor que admiraste e deixaste por colher
Porque o sentimento estava no teu coração
A marca no teu olhar

Amar é deixar partir longe


Para que a festa do regresso seja mais intensa e celebrada
E tu cuja ambição, aceita o leve fluir dos regatos
E o seu caminho gelado na primavera
Apenas pedes uma marca, um toque
O assombro e o espanto pertencem ao mundo
Aos nossos segredos a marca na tua pele que um beijo assustado largou
Como um gotinha de chuva, como uma lágrima

Que são maiores e mais fortes que nós


Que anseiam a liberdade das correntes fortes e dos mares
Ainda assim permanecem na tua pele e desejo
Ainda assim acompanham-nos nos nossos dias
Não gritamos, não pedimos
Sentados de mão dada esperamos uma marca e um indício
Que o nosso coração saiba cuidar
E que a nossa intimidade proteja e guarde