Você está na página 1de 9

c

c c
c

c c c
cc
c c c

c
a aac c

c
cc c
 c
 c

 c cc
c

c
c
×  
c

Ô cccc
c c c
   
 

[ 



     a
          
 
       
 
       
   
     !
"     
     #
$ %      &
      
'     


 

       
   
 

x 



Este trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Português, referente ao


módulo 9, e tem como tema Fernando Pessoa e a época, tanto cultural como histórica,
em que viveu.
Com a realização deste trabalho pretende-se dar a conhecer um pouco mais
sobre um dos melhores poetas portugueses de sempre. Para isso, são desenvolvidos os
seguintes temas:
'cÊiografia do autor;
'c3bras;
'c3rtónimos;
'c*eterónimos.
Antes de mais, deve-se saber que Fernando Pessoa foi um extraordinário poeta e
uma das personalidades mais complexas e representativas da literatura portuguesa e
europeia do séc. XX. Tinha uma grande capacidade psicológica e um imenso talento e
cultura, capaz de criar várias personagens, cada uma delas completamente diferentes,
(os chamados heterónimos). 3s seus principais heterónimos foram Alberto Caeiro
(³3 Mestre´), Álvaro de Campos e Ricardo Reis.
Durante o século XX surgiu uma nova corrente artística, o Modernismo.
Fernando Pessoa foi um dos seus grandes defensores e impulsionadores.

     a  
   
 

¦    

   




Fernando António Nogueira Pessoa, mais conhecido por Fernando Pessoa nasceu
a 13 de Junho de 1888, em Lisboa. Muito jovem aos 8 anos de idade, em 1896 Fernando
Pessoa Parte para Durban, África do Sul. Passados 9 anos, em 1905, Pessoa regressa a
Lisboa. Em 1906 Matricula-se no Curso Superior de Letras, em Lisboa, passado um
ano, em 1907, Fernando Pessoa Abandona o curso. Em 1914 surge o aparecimento dos
seus três principais heterónimos, segundo indicação do próprio Fernando Pessoa, em
carta dirigida a Adolfo Casais Monteiro, sobre a origem destes. Em 1915 Pessoa
publicou o primeiro número da Revista "3rfeu". Em 1924 surge a Revista "Atena",
dirigida por Fernando Pessoa e Ruy Vaz. Em 1926, Fernando Pessoa, patenteia a
invenção de um Anuário Indicador Sintético, por Nomes e 3utras Classificações,
Consultável em Qualquer Língua. E dirige, com seu cunhado, a Revista de Comércio e
Contabilidade. Em 1927, Fernando Pessoa, passa a colaborar com a Revista "Presença".
Em 1934 aparece a obra "Mensagem", o seu único livro publicado. A 30 de Novembro
de 1935, com 47 anos, Fernando Pessoa morre em Lisboa.

 







    




       
   
 

'c Poesias de «Cancioneiro» ;


'c Poesias de «Fernando Pessoa - Poesia Lírica & Épica»;
'c Poesias Coligidas;
'c Mensagem;
'c Poesias Inéditas;
'c Poesias Inéditas;
'c Poemas Para Lili;
'c Excertos de «Fausto: Tragédia Subjectiva»;
'c Chuva 3blíqua;
'c Passos da Cruz;
'c Poesias de 3 ;
'c «Quadras ao Gosto Popular»;
'c «Canções de Êeber»;
'c «Poesia Inglesa I»;
'c «Poesias Dispersas».







    




     !  
   
 

Figura cimeira da literatura portuguesa e da poesia europeia do século XX. 3


seu virtuosismo foi, sobretudo, uma forma de abalar a sociedade e a literatura
burguesas gasta, ele fundamentou a resposta revolucionária à concepção romântica,
sentimentalmente metafísica, da literatura. 3 apagamento da sua vida pessoal não se
opôs ao exercício activo da crítica e da polémica em vida, e sobretudo a uma grande
influência na literatura portuguesa do século XX.
Fernando Pessoa ortónimo, seguia, formalmente, os modelos da poesia
tradicional portuguesa, em textos de grande suavidade rítmica e musical. Poeta
introvertido e meditativo, anti-sentimental, reflectia inquietações e estranhezas que
questionavam os limites da realidade da sua existência e do mundo. 3 poema
³Mensagem´, exaltação sebastiânica que se cruza com um certo desalento, uma
expectativa ansiosa de ressurgimento nacional, revela uma faceta misteriosa e
espiritual do poeta, manifestada também nas suas incursões pelas ciências ocultas e
pelo rosa ± crucianismo.


*    




     #  
   
 

3s heterónimos são concebidos como individualidades distintas da do autor, este


criou-lhes uma biografia e até um horóscopo próprios. Encontram-se ligados a alguns
dos problemas centrais da sua obra: a unidade ou a pluralidade do eu, a sinceridade, a
noção de realidade e a estranheza da existência. Traduzem a consciência da
fragmentação do eu, reduzindo o eu ³real´ de Pessoa a um papel que não é maior que o
de qualquer um dos seus heterónimos na existência literária do poeta. São a
mentalização de certas emoções e perspectivas, a sua representação irónica. De entre os
vários heterónimos de Pessoa destacam-se:

§   
  ± Foi o único a manifestar fases poéticas diferentes ao
longo da sua obra. Tinha como profissão, engenheiro de educação inglesa de origem
portuguesa, mas sempre com a sensação de ser um estrangeiro em qualquer parte do
mundo. Começa o seu percurso como um decadentista, mas logo adere ao futurismo.
Após uma série de desilusões, assume uma veia niilista, expressa naquele que é
considerado um dos poemas mais conhecidos e influentes da língua portuguesa,
³    . É revoltado e crítico, com uma linguagem livre e radical.

   c - É descrito como um médico que se definia como latinista


(antiga língua indo-europeia) e monárquico. De certa maneira, simboliza a herança
clássica na literatura ocidental, expressa na simetria (característica que pode ser
observada em algumas formas geométricas), na harmonia (conceito clássico) e num
certo bucolismo (termo utilizado para designar uma espécie de poesia), com elementos
epicuristas (sistema filosófico) e estóicos (doutrina filosófica). Ricardo Reis mudou-se
para o Êrasil em protesto à proclamação da República em Portugal.

›    c - Nascido em Lisboa, viveu quase toda a sua vida como
camponês, quase sem estudos formais. Teve apenas a instrução primária, mas é
considerado o mestre entre os heterónimos por Fernando Pessoa. Após a morte do pai e
da mãe, permaneceu em casa com uma tia-avó, vivendo de modestos rendimentos.
Morreu de tuberculose. Também é conhecido como o poeta ± filósofo. Acreditava que
os seres simplesmente são, e nada mais: irritava-se com a metafísica e qualquer tipo de
simbologia para a vida.


  


     &  
   
 

Com a realização deste trabalho, conclui-se que Fernando Pessoa foi um grande
poeta dos inícios do século XX.
Partiu para África do Sul muito cedo permitindo-lhe aprender e cultivar muito
bem a língua inglesa. Trabalhou e colaborou em várias revistas, como por exemplo as
revistas ³Athena´, ³3rpheu´ e ³Presença´.
Através de amigos que viviam no estrangeiro mantinha contacto com o que se
passava na Europa, tornando-se adepto de uma nova corrente artística que se tentava
infiltrar em Portugal ± o Modernismo. Pessoa foi um dos grandes impulsionadores do
Modernismo em Portugal, tendo colaborado com vários artigos difusores das ideias
modernas para várias revistas.
*omem de grande pluralidade e densidade psicológica Pessoa era capaz de se
³subdividir´ em várias personalidades completamente diferentes da sua, a isso
chamamos heterónimos. Deles destacam-se Álvaro de Campos, Ricardo Reis e
Alberto Caeiro, que são referidos ao longo do trabalho. Cada um tinha uma maneira
completamente distinta de escrever, tendo despertado grande curiosidade e levando
muitos especialistas a estudar Pessoa. Isto também porque como a sua obra
permaneceu em grande parte inédita não permitiu o seu estudo pormenorizado. A sua
obra está traduzida em várias línguas e pode ser dividida em duas grandes categorias
± ortónimo e heterónima.








       
   
 

| 


()**+++  % *  ,-. /


. 
0  

()**+1
 *+1* 
2  

()**+++%( * *


 *   **   (

()**  *3% *4


'*  (