Autora Vida e Obra Rachel de Queiroz, escritora da obra O Quinze nasceu na cidade de Fortaleza, no Ceará, dia 17 de novembro do ano

de 1910. Foi filha de Daniel de Queiroz Lima e Clotilde Franklin de Queiroz. Teve descendência direta com José de Alencar, famoso escritor romancista da primeira fase da geração Romântica, autor das obras Iracema e O Guarani . Em 1917, Rachel, em companhia dos pais que procuravam fugir dos horrores da terrível seca de 1915, migrou para o Rio de Janeiro. Essa passagem da vida da autora serviria de inspiração mais tarde para escrever O Quinze , sua primeira obra. Formou-se professora em 1925, aos 15 anos de idade. E sua formação acadêmica se conclui nesse período. Estreou no jornalismo em 1927, com o pseudônimo de Rita de Queluz. O livro O Quinze começou a ser escrito por Rachel em 1930. Com problemas de saúde, em face de uma congestão pulmonar e suspeita de tuberculose, é submetida a um rígido tratamento, e dessa forma obrigada a fazer repouso. Nesse período decidiu escrever um livro sobre a seca nordestina. O cotidiano de retirantes, crianças, e animais que vivem de maneira triste, amarga e sofrida devido à falta de água e alimentos, e toda a miséria que há na região Nordeste são retratados na obra. Todo o drama da exposição dos personagens ao ambiente horroroso o qual habitam é mostrado de forma profundamente real pela autora.

O romance enfoca a grande seca que atingiu o sertão nordestino no ano de 1915, por isso o nome O Quinze , e a conseqüência trazida pela mesma: a migração. Apesar de retratar a seca de 1915 a história continua mais atual do que nunca. A obra é considerada um romance regionalista e de temática social.

Recebe da Academia Brasileira de Letras. Rachel conquista o prêmio da Sociedade Felipe d' Oliveira. Doralina". de 1958 e além das duas escreveu a peça O Padrezinho Santo . escrita em 1953. publica o romance " Dôra. em 1957. e A Beata Maria do Egito . ainda inédita em livro.O romance de fundo social é mostrado aos pais de Rachel. No ano de 1932 casa-se com o poeta José Auto da Cruz Oliveira e publica um novo romance. Estréia da Rede Globo de Televisão a novela "As Três Marias". no mês de março. . Foi a primeira mulher a entrar para a Academia Brasileira de Letras. em 1978. Integra o quadro de Sócios Efetivos da Academia Cearense de Letras (ACL) "O Quinze". Rachel recebe o prêmio de romance da Fundação Graça Aranha. Em 1980. intitulado João Miguel. em 1939. Lampião . na sucessão de Cândido Mota Filho. baseada no romance homônimo da escritora. foi recebida em 4 de novembro de 1977 pelo acadêmico Adonias Filho. ano em que publica "A Donzela e a Moura Torta ". pelo conjunto de sua obra. É publicada no ano de 1937 a obra Caminhos de Pedra . a editora francesa Stock lança "Dôra. é publicado no Japão pela editora Shinsekaisha e na Alemanha pela Suhrkamp. Doralina". e devido o sucesso diante da crítica o livro é enviado para o Rio de Janeiro e São Paulo. escrita para a televisão. Rachel tem duas peças de teatro. No ano de 1975. em 4 de agosto de 1977. com o romance As Três Marias (1939). Seu pai vem a falecer em 1948. Eleita para a Cadeira de no 5. É feita uma tiragem de mil exemplares. que decidem emprestar dinheiro para que a obra seja publicada. o Prêmio Machado de Assis. Em 1931.

e a aparição de ditaduras através do totalitarismo. Participou da 21ª Sessão da Assembléia Ge ral da ONU. na Academia Brasileira de Letras. em 1996. a primeira geração ocorreu do ano de 1922 com inicio na semana de arte moderna em São Paulo. Contexto Histórico O Modernismo Brasileiro é dividido em três partes. o Centro Cultural Rachel de Queiroz. Inicia seu livro de memórias. Em 1993. até sua extinção. em 1966. trabalhando especialmente na Comissão dos Direitos do Homem. é inaugurado em Quixadá (CE). Já no Brasil o modernismo divide espaço com a revolução de 30 que leva Getúli o Vargas a presidência e faz com que tal institua o estado novo. em 1967.Rachel foi membro do Conselho Federal de Cultura. Em 2003. em 1995. recebe o Prêmio Moinho Santista. na Rede Globo de Televisão. esc rito em colaboração com a irmã Maria Luiza. onde serviu como delegada do Brasil. A geração da Prosa tem como contemporaneidade mundial a quebra da bolsa de valores em Nova Iorque no ano de 1929. e também é a época onde o país está se industrializando. A Siciliano inicia o relançamento de sua obra completa. o Prêmio Camões e da União Brasileira de Escritores. é publicada Não me Deixes com sua irmã. Rachel de Queiroz faleceu no Rio de Janeiro em 4 de novembro de 2003. Lança em 1992 o romance Memorial de Maria Moura . . foi inaugurada. em colaboração Em novembro deste ano. A segunda geração é iniciada no ano de 1930 e vai até o ano de 1945 e a terceira geração que vai do ano de 1945 até o ano de 1978. da minissérie "Memorial de Maria Moura". em 1989. a exposição "Viva Rachel". Em 2000. recebe dos governos do Brasil e de Portugal. o Juca Pato. quando a escritora completou 90 anos de idade. Maria Luiza. a ascensão do Nazi -fascismo o Socialismoe o Comunismo. até o ano de 1930. desde a sua fundação. adaptada da obra da escritora. Pelo conjunto de sua obra. o período entre a 1º Guerra e a 2º Guerra mundial mais conhecido como período entre guerras. Suas histórias e sua cozinha . 1994 marca a estréia. que é publicado posteriormente com o título " Tantos anos".

Chegara até a se arriscar em leituras socialistas. e o romantismo. Um fato também e que a autora utiliza a analise psi cológica nos seus personagens. A segunda geração foi à geração em que os autores utilizavam características em seus textos como: A consolidação e o amadurecimento do modernismo. a avó encolhia os ombros e sentenciava que mulher que não casa é um aleijão. Ouvindo isso. Há também a simplificação da linguagem utilizando gírias locais. vivida na região nordestina o que é o principal tema retratado nas histórias que retratam a região. Um contexto histórico que é provado na obra é que uma das personagens principais Conceição é uma mulher com idéias socialistas identificado nesse trecho: Conceição tinha vinte e dois anos e não falava em casar. rabiscara dois sonetos. As suas poucas tentativas de namoro tinham-se ido embora com os dezoito anos e o tempo de normalista. . Rachel consegue passar na sua história algumas características que são vitais para o reconhecimento do livro como modernista. exemplos disso é a relação do personagem com a seca.. considerado então parte da estética modernista brasileira da segunda geração. escrevia um livro sobre pedagogia. Conceição talvez tivesse umas idéias. a intro dução do Realismo principalmente através da prosa nordestina e também o simbolismo. o parnasianismo. uma forma de mostrar que é a estética é menos radical do que a primeira geração.. dizia alegremente que nascera solteirona.estranhas e absurdas à avó. e justamente dessas leituras é que lhe saíam as principais idéias. . de fato.O livro o O Quinze da autora Rachel de Queiroz é um livro do ano de 1930.Esta menina tem umas idéias! Estaria com razão a avó? Porque. e às vezes lhe acontecia citar o Nordau ou o Renan da biblioteca do avô.

tremendo feito uma gaze repuxada. a idéia que nos dá e que a seca e a principal responsável pela infelicidade dos retirantes onde trás a desgraça e responsável também pela falta de comunicação no romance entre Conceição e Vicente. Vicente sentia por toda parte u ma impressão ressequida de calor e aspereza.Outro fato a ser considerado é a relação dos personagens do livro com a seca da região. vibrava. orlada pela galharia negra da caatinga morta. Vicente marchava através da estrada vermelha e pedregosa. Por isso O Quinze é considerado uma das principais obras da segunda geração modernista brasileira.Então. Rachel de Queiroz soube muito bem utilizar os fatores da seca e a temática regional para criar esse livro. O céu. Os cascos do animal pareciam tirar fogo nos seixos do caminho. Verde. Lagartixas davam carreirinhas intermitentes por cima das folhas secas do chão que estalavam como papel queimado. na monotonia cinzenta da paisagem. depois do almoço vou lá. onde a família da autora foi obrigada a fugir para escapar de tal. . só algum juazeiro ainda escapou à devastação da rama. esse é o fator principal de inspiração para Rachel escrever O Quinze onde a seca é muito bem retratada nesse trecho: O moço foi entrando em casa: . no caso a seca que assombrou o Ceará em 1915. Novamente a cavalo no pedrês. transparente que doía.

br/literatura/resumo_livro/oquinze.htm http://www.net/biografias/rachel_queiroz.jornaldosamigos.ig.angelfire.hpg.com/de/queiroz/elementoscont.sampa.htm http://www.com. .art.Bibliografia http://www.com.com/na_ponta_lingua/livros/analises_completas/o/o_quinze pagina 31.html http://www.detetivez.br/rachel_de_queiroz.e-biografias.passeiweb.br/biografias/racheldequeiroz/ http://www.php http://www.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful