Você está na página 1de 1

Roberto

Leal
“Creio que muito
em breve estarei
a fazer espectáculos
em Inglaterra” Pag. 14/15/16

Nº 41 < Ano 2 < 25 Julho 2008 Director: João de Noronha Quinzenal< Gratuito

PORTUGAL. MÁ GESTÃO E INCERTEZAS NA ECONOMIA E AUMENTO DO CRÉDITO MALPARADO

Dúvidas e dívidas
A crise internacional não é a principal causa para o ritmo de
crescimento lento que Portugal irá continuar a apresentar durante este
ano e no próximo, alerta o Fundo Monetário Internacional. “A
alto das famílias, empresas e Estado e um substancial diferencial de
competitividade” refere o documento emitido pelo FMI. Como se tal
não bastasse para preocupar os portugueses, confirma-se o que se
deterioração do ambiente económico global está a limitar a retoma temia há já muito tempo: as famílias portuguesas não têm dinheiro
portuguesa, mas os problemas fundamentais da economia são para pagar as suas dívidas, e o montante do crédito malparado atinge
domésticos: défice externo e público elevados, endividamento muito já a bonita soma de 2,59 mil milhões de euros. Pags. 7 e 10

REINO UNIDO
Supermercados em guerra
por causa dos combustíveis
As três maiores cadeias de supermercados britânicos
iniciaram uma guerra nos combustíveis, reduzindo os
preços até cinco cêntimos de libra por cada litro. Pag. 4

Actor de “Batman” preso


por agredir a mãe e a irmã
Christian Bale, o actor principal
do último filme da saga
“Batman”, foi preso em
Londres, por suposta agressão
à mãe e irmã, tendo sido
libertado posteriormente
sob caução. Pag. 32

Vale até
Jovens falantes da Língua Setembro
Portuguesa premiados O tribunal de Westminster, que está a apreciar o pedido de extradição de Vale e Azevedo, solicitado pelas autori-
dades portuguesas, adiou para 25 de Setembro a audiência, a pedido da defesa do ex-presidente do Benfica, que
pela Academia de Lambeth é acusado da prática de falsificação e burla qualificada no chamado “Caso Dantas da Cunha”. A equipa jurídica de
Vale e Azevedo propõe-se apresentar novas provas e invoca a Convenção Europeia dos Direitos Humanos em
Pela segunda vez foram distinguidos os jovens estudantes defesa do seu cliente. Atendendo à sentença que o condenou a sete anos e meio de prisão, Vale e Azevedo será,
oriundos dos países de língua portuguesa. Pag. 24 neste momento, o mais mediático falsário e burlão de Portugal, afinal um dos poucos que já cumpriu pena efecti-
va. Por agora o causídico pode respirar de alívio, já que o tribunal lhe passou um “vale” de liberdade. Até Setembro.

PUB.